Certos temas deixaram, há muito tempo, de serem apenas discutidos para se tornarem necessidades primordiais. Criar relações harmoniosas entre o homem e a natureza, por exemplo, é essencial. Quanto mais cedo o profissional de arquitetura refletir sobre questões como esta, melhor. Algumas bibliografias podem ajudar nesta tarefa. Pensando nisso, listamos dez livros para todo e qualquer profissional da área. Estas obras, se lidas, servirão de referência para toda a sua vida. Confira e aproveite!




1 -  URBANISMO ECOLÓGICO,  MOHSEN MOSTAFAVI E GARETH DOHERTY

Este livro é uma excelente referência na área do urbanismo. Ele é composto por uma compilação de artigos, ensaios, conferências e aulas. Todos foram apresentados num simpósio realizado na Universidade de Harvard, no ano de 2009, e elaborados por profissionais de diferentes áreas, como artes, economia, ciências e outras. São acompanhados, na obra, de bons exemplos – fotografias, desenhos, diagramas e imagens de projetos.

O ponto de partida para discussão foram as novas estratégias urbanas, com base no planejamento – para obter, assim, resultados mais sustentáveis. A ideia central é abordar o conceito de urbanismo ecológico como método inovador e eficaz de se enfrentar a atual e futura realidades das cidades. Fala-se sobre questões como as variadas condições climáticas, o manejo de resíduos, a distribuição de bens materiais e recursos naturais, a criação de ambientes produtivos, o transporte, a administração pública, a infraestrutura energética e muito mais. Todos estes assuntos são de extrema importância e ganham cada vez mais atenção nos ramos da arquitetura.




 

2 - URBAN SKETCHING: GUIA COMPLETO DE TÉCNICAS DE DESENHO URBANO, THOMAS THORSPECKEN

“Acredito que descobrir histórias interessantes é o próprio motivo pelo qual nos aventuramos a fazer croquis todos os dias” – Thomas Thorspecken, autor do livro.

Para cursar a faculdade de arquitetura, de início, não é necessário que o aluno saiba desenhar. Mas, com o tempo, ele entende que essa é, sim, uma habilidade que deve ser desenvolvida para o melhor exercício da profissão. Thomas Thorspecken, autor do livro, tem formação em artes visuais e até trabalhou para a Walt Disney. Portanto, ele sabe o quanto os desenhos podem ajudar qualquer um a expressar suas ideias. Neste livro, ele mostra como é importante exercitar a observação e saber fazer uso dos materiais e das técnicas de representação gráficas.

O Urban Sketching é um guia ricamente ilustrado, com ótimos conselhos e exemplos de trabalhos de vários autores. Com o este livro é possível compreender melhor os princípios básicos de desenho, incluindo noções de cores, perspectivas, pontos de fuga, variedade de texturas, traços, recursos de expressão e muito mais. Isso vale tanto para representação de áreas externas, como zonas verdes, quanto internas, incluindo figuras humanas. Também é apresentada uma seleção de modelos de lápis, canetas, tintas e folhas de papel, que pode ajudar quem deseja começa logo a elaborar croquis arquitetônicos.

 





3 - A ARQUITETURA DA CIDADE, ALDO ROSSI 

Este livro foi escrito pelo renomado arquiteto Aldo Rossi. Seu texto trata dos problemas do estudo das cidades, analisando desde seus processos de surgimento e transformação; do projeto urbano à arquitetura, como construção. A ideia é fazer a pessoas refletirem sobre a atualidade, compreendendo as diferentes estruturas urbanas e o significado da sua individualidade, da ‘arquitetura da cidade’. Também ajudar profissionais de todas as áreas afins à criarem ambientes mais propícios à vida humana. Para isso, o livro foi dividido em diversas partes – um destaque para a explicação da “locus”, como sendo o princípio característico dos atos urbanos.






4 -  A ARTE DE PROJETAR EM ARQUITETURA, ERNST NEUFERT

Escrito pelo alemão Ernst Neufert, este livro é fonte clássica de consulta. Mais do que um manual técnico, quase uma bíblia para os arquitetos. Tem muitos capítulos revisados e atualizados, que oferecem aos profissionais uma noção ampla da fundação até o telhado de uma construção, tomando como base o ser humano para o dimensionamento dos elementos. São fornecidas informações preciosas sobre requisitos ergonômicos e layouts funcionais, para as mais variadas tipologias. Há milhares de ilustrações para os temas abordados, que vão desde técnicas construtivas, até normativas de economia energética, arquitetura solar, reabilitação e reutilização de edifícios, e muito mais.

 




5 -  MANUAL DO ARQUITETO DESCALÇO, JOHAN VAN LENGEN

Este livro é, sem dúvidas, uma das melhores referências quando se trata de apresentação de técnicas para construções sustentáveis e bio-arquitetura – um conceito que une arquitetura, urbanismo e ecologia. O autor dá bons exemplos de como resolver questões importantes como conforto térmico, saneamento básico, uso de materiais alternativos, uso de tecnologias criativas, preservação do meio ambiente, entre outros. Seu livro também promove atitudes mais racionais, equilibradas e conscientes, com menos impacto para a natureza. É uma oferta para que todos assumam a responsabilidade de alterar a realidade através das construções.






6 -  DIMENSIONAMENTO HUMANO PARA ESPAÇOS INTERIORES, JULIUS PANERO E MARTIN ZELNIK

Além do ‘A arte de projetar em arquitetura’, de Ernst Neufert – que foi citado anteriormente – este livro também aborda a antropometria – estudo que faz a comparação do corpo humano com os espaços em que ele habita. São exemplos os residenciais, os comerciais, os recreativos, os institucionais, entre outros.  Portanto, essa é uma ótima ferramenta para todo o profissional que lida com planejamentos físicos e com design de interiores, por exemplo. O diferencial desta obra é que ela contém uma seção especial dedicada totalmente aos deficientes físicos e idosos.


 

7 -  ARTE MODERNA, GIULIO CARLO ARGAN

“Se a arte é um fenômeno histórico, não há garantia de que ela seja eterna.”

Giulio Carlon Argan é considerado o último representante da tradição crítica correspondente ao movimento moderno. Nesta obra literária, ele procura o sentido da arte na história. Foram reunidos textos independentes do autor, que tratam, de forma racionalista e abrangente, sobre tudo aquilo que influenciou a arquitetura e que hoje faz parte de sua história. Muitos desenvolvedores de projetos e estudantes de nível superior o utilizam para suas pesquisas.







8 -  HISTÓRIA CRÍTICA DA ARQUITETURA MODERNA, KENNETH FRAMPTON

Assim como ‘Arte Moderna’, de Giulio Carlo Argan, a ‘História Crítica da Arquitetura Moderna’, de Kenneth Frampton, este é um clássico da literatura. No livro, o autor faz um panorama dos acontecimentos do século XX e apresenta um estudo sobre a arquitetura moderna e suas origens. Ele aponta os efeitos da globalização e das mídias sobre a profissão, enfatizando o surgimento do “arquiteto celebridade”. Também analisa como esses novos profissionais enfrentam os mais recentes problemas para sustentabilidade e habitat humanos.


 

9 -  HISTÓRIA DA ARQUITETURA MODERNA, LEONARDO BENEVOLO

Diferente dos demais livros desta lista, esta é de publicação brasileira. Ela é bastante utilizada por professores e alunos de diferentes níveis universitários. Também é instrumento de trabalho para especialistas em crítica arquitetônica. Isso porque, no texto, o autor faz uma excelente abordagem quanto ao desenvolvimento desta arte, refletindo sobre seus problemas, suas experiências, expressões e mais. Fala sobre tudo que ocorreu a partir do século XVIII, incluindo a criação de novos elementos e estilos, até a transformação radical no relacionamento entre arquitetura e a sociedade no século XX.




10 -  COMPLEXIDADE E CONTRADIÇÃO EM ARQUITETURA, ROBERT VENTURI

Mies van der Rohe disse uma vez que “menos é mais”. No livro ‘Complexidade e Contradição em Arquitetura’, Robert Venturi reforça uma teoria contrária, de que “mais não é menos”. Ele leva o leitor a olhar as criações e produções feitas no passado sob novos ângulos. Faz críticas ao movimento moderno e sua relação com o tradicional, comparando referências contemporâneas com as da antiguidade, e também ao modelo de “edifício esqueleto” – constituído por laje, pilar e fundação desenvolvido por Le Corbusier, com estrutura independente da vedação. E, por fim, defende a ideia de que a arquitetura é um poderoso elemento de comunicação, do qual não estaria, até o momento, adequadamente à altura do seu período.


 
ATENDIMENTO: Seg. a Sex.: 09h-18h | (71) 3023-2707 | atendimento@editora2b.com.br