Pedagoga Concurseira

Aos 90 anos, morador de Veranópolis se forma em Pedagogia

04/09/2016


Não poderia ter sido diferente: as atenções das centenas de pessoas que lotaram o ginásio da UCS de Bento Gonçalves para assistir a uma cerimônia de formatura, neste sábado, estavam voltadas a um senhor baixinho e de cabelos brancos em meio a dezenas de moças e rapazes de 20 e 30 e poucos anos. É que a noite era especial para Celestino Costella, que aos 90 anos comemorou o diploma da primeira graduação. Depois de seis anos de estudos, ele colou grau em pedagogia e recebeu o carinho não só da própria família, mas dos demais graduandos da noite. Único formando de pedagogia, Celestino celebrou ao lado de concluintes de ciências biológicas, comércio internacional e ciências contábeis.

— Meu coração está estourando de alegria — disse, minutos antes de receber o diploma.

O público vibrou como em final de campeonato quando seu Celestino, acompanhado de uma professora, percorreu os cerca de 200 metros de passarela até o palco. Depois, ao som de música italiana, foi novamente aclamado quando se levantou e foi até a mesa de autoridades fazer o juramento, receber o diploma e sair exibindo o barrete na cabeça. Todas as autoridades se levantaram para aplaudir a garra de Celestino que, incansável, fazia viagens de cerca de duas horas, três vezes por semana, para ir estudar. Celestino não conseguiu segurar a emoção. Já diplomado, enxugou algumas lágrimas enquanto assistia à colação de graus dos demais formandos.

— Estou recebendo muitos elogios, não sei se é por causa da idade, eu nem sei se mereço tudo isso — comentara, pouco antes.

Antes de iniciar na pedagogia, Celestino cursou Educação de Jovens e Adultos — havia parado de estudar na terceira série para ajudar a família na roça — frequentou a Universidade da Terceira Idade, em Caxias do Sul, e fez curso de informática. Só então ingressou na graduação, depois de prestar uma prova. Frequentou as 3 mil horas previstas no programa do curso com raríssimas faltas e, para ajudar na compreensão dos textos mais complexos, contratou até uma professora particular. Se a rotina de estudos pode parecer pesada para quem é jovem, imagine para quem tem 90 anos: morando em Veranópolis, Celestino viajava de ônibus até o campus da UCS em Bento Gonçalves para frequentar a sala de aula. 

Passada a emoção da formatura, Celestino agora prepara a comemoração, marcada para este domingo com missa especialmente para celebrar a conquista e um almoço para amigos e familiares. A celebração será na Gruta Nossa Senhora de Lourdes, e a festa, na Sociedade dos Motoristas de Veranópolis. Além de marcar a conquista, o encontro servirá para lembrar os 90 anos de idade de Celestino e os 66 de casamento com Maria Sbrissa, 84, união que gerou 11 filhos e 15 netos.


Fonte: Pioneiro