Busca:

Busca:

Tema:
Como ingressar no mercado em tempos de crise?



Crise econômica, despesas que não param de aumentar e situação financeira cada vez mais apertada.Com demissões em massa e empresas fechando a maioria das vagas, arrumar uma segunda fonte de renda tem se mostrado a melhor solução para muitas pessoas.

Nesta hora, surge a pergunta: “Se as empresas estão demitindo, como vou arrumar um emprego? ”. A inflação acelerou este ano e vai pressionar ainda mais os orçamentos das famílias. Os aumentos vieram principalmente das tarifas públicas como água, luz e transporte.

Investir no setor temporário tem sido uma ótima saída em meio à crise. Outra saída interessante são os Concursos Públicos! Inicialmente, é necessário verificar o que a pessoa gosta de verdade. Geralmente as pessoas já têm um trabalho, mas no fundo não é aquilo que realmente gostam e, com isso, acabam ficando insatisfeitas. Podem até ter um salário razoavelmente bom, mas por ser um setor que não lhe oferece um prazer a mais, o ramo se torna insatisfatório e a procura por algo diferente aumenta. Para isso, primeiro é necessário identificar o que ela gosta, de fato, para que possa conseguir gerar uma segunda renda satisfatória. O profissional precisa trabalhar com prazer, parece bem clichê, mas é um ponto necessário, se você gosta do que faz, terá o prazer de fazer, e se tem prazer, terá felicidade, logo, será satisfatório.
 

O que deve ser levado em conta na escolha da empresa para se trabalhar?

Deve ser avaliado e levado em conta, a questão de expectativa do profissional em relação às empresas. Digamos que você sabe que precisa ganhar um valor X porque precisa desse retorno financeiro para algo que pretende investir. No final, você conseguir esse valor e atingir as suas expectativas é de extrema importância, assim, além de atingir as expectativas, não há frustração e, consequentemente, há uma melhoria em relação ao emocional do profissional. Identificar o que você precisa, para que assim consiga verificar o que a empresa tem para te oferecer e avaliar se é compatível com o que você pretende atingir é essencial.

 

Que tipo de formação ou conhecimentos são avaliados como necessários para se tornar bom profissional?

Pense pelo olhar do contratante. Se o seu contratante pede que você tenha uma
noção diante do trabalho necessário dentro da empresa dele, cabe a você procurar métodos, cursos e especializações dentro do que é pedido, para que assim possa se sobressair dentro da empresa ou equipe. É indispensável que o profissional tenha as competências necessárias para o contratante, porque caso não tenha, o mesmo não reconhecerá o seu trabalho, porque não é o que ele queria e, assim, demitirá o contratado. E a frustração para o profissional será maior.

 

Ao ingressar no mercado, quais os principais obstáculos que o profissional encontra? E o que é preciso para driblá-los?

Primeiro é ver a crise como desculpa, as pessoas fazem isso. A pressa também é um outro obstáculo que a maioria dos profissionais enfrentam. O profissional quer corre ao máximo para encontrar um emprego, não entende que o contratante precisa ter uma visão para entender se aquele profissional está de acordo com a empresa. Existe esse tipo de preocupação porque ela não quer voltar atrás de sua contratação, então por isso o processo seletivo acaba sendo um pouco mais demorado. Uma outra questão que é um obstáculo, é a expectativa com o salário. Os profissionais querem mais e mais, até mesmo sem ter qualificação para isso. Nós vivemos em um momento de crise, diante disso o profissional fica frustrado. Com essa frustração, o obstáculo fica maior porque o profissional deixa de enxergar as oportunidades que tem e passa a reclamar por não encontrar nada.

Nós estamos passando por um momento onde existem vagas de emprego sim, mas as pessoas não estão procurando de forma correta. Em termos de concorrência, como os profissionais temporários devem se portar? Não acredito em concorrência, eu acredito em pessoas que não se enquadram no quadro de contratações. O mercado tem espaço para todos, o diferencial é o que o profissional se propõe a fazer por aquela vaga. Cursos, estudos e conhecimentos são bagagens diferenciais de cada profissional.

 

Como driblar a recessão?

A crise afetou alguns setores sem dúvidas, mas ainda sim existem diversas vagas. Para você driblar, você tem que qualificar. Tem que persistir para encontrar a vaga que você deseja. É preciso também entender a demanda da empresa para conseguir exercer a função, de acordo com o que é pedido.

 

Quais pontos são indispensáveis para se destacar na busca profissional?

Além da formação como eu já havia dito, a possibilidade de você pensar diferente. É aquela velha história, se você continuar fazendo o que você sempre faz, você terá o mesmo resultado, logo, isso não agrega. É preciso pensar no que pode ser diferente. Esperar o emprego dentro de casa é bem difícil. Ir às feiras e procurar oportunidades de diversas formas aumentam as probabilidades.

 

Como tornar o trabalho temporário em fixo?

A melhor dica de todas é se comprometer de fato com o que ela está trabalhando. Vestir a camisa da empresa. Muitas pessoas não dão o melhor em vagas temporárias por saber que daqui a um tempo elas vão sair dali. Isso faz com que a pessoa se acomode ali naquela vaga durante aquele tempo. Sendo que, a partir dali ela pode conseguir diversas coisas, inclusive um emprego fixo.?

 

ADMINISTRADOR, fique por dentro dos concursos públicos 2017 clicando aqui.

CONTADOR, fique por dentro dos concursos públicos 2017 clicando aqui.

PEDAGOGO, fique por dentro dos concursos públicos 2017 clicando aqui.

ATENDIMENTO: Seg. a Sex.: 09h-18h | (71) 3023-2707 | atendimento@editora2b.com.br