Postagens

14 MAY

E se a Prova Online fosse hoje? Confira a resposta! [7]

Mundo Trainee

E se a Prova Online fosse hoje? Confira a resposta! [7]
 

Concursos abertos na área de:

Arquitetura - Clique aqui
Educação Física - Clique aqui
Pedagogia - Clique aqui 
Engenharia - Clique aqui
Serviço Social - Clique aqui


Informações da pergunta

- Categoria: Lógica 
- Nivél de dificuldade: Fácil 



Enunciado da questão

O número e seus múltiplos que completa a série abaixo logicamente é:
5, 6, 7, X, 9, 10, 11, X, 13, 14, 15, X ?


Respostas

É fácil ver que, na sequência acima, os números indicados por X são 8, 12 e 16, respectivamente.

Agora, vamos à leitura da questão: eles querem saber qual é o número e seus múltiplos que completa a série.
Bom, sabemos que 8, 12 e 16 são todos múltiplos de 4.
“Ah, mas eles também são todos múltiplos de 2!”
Isso é verdade; porém, 6, 10 e 14 também são múltiplos de 2 e não estão indicados por X. Desta forma, resta apenas o 4.

Resposta: Letra B


Comece a se preparar agora para concursos

Confira materiais de estudo!

-Pedagogia
-Educação Física
-Engenharia
-Serviço Social
-Arquitetura
-Contabilidade




Confira nossa lista VIP 2B:
Ao se inscrever você recebe dicas, materiais de estudo gratuitos e notícias sobre editais que sairam e os que ainda estão por vir em primeira mão. Inscreva-se agora mesmo e fique por dentro!

-Pedagogia
-Educação Física
-Engenharia
-Serviço Social
-Arquitetura

18 JAN

E se a Prova Online fosse hoje? Confira a resposta! [8]

Mundo Trainee


FOLHA DE S. PAULO (2014) 

Para percorrer os 72 km da Rodovia dos Imigrantes um motorista em um carro de passeio deve pagar R$ 22 – a praça de pedágio mais cara do país. Supondo uma viagem de ida e volta (a volta não é cobrada), quanto o motorista gastou por quilômetro rodado com pedágio?
 
a) R$ 0,15
b) R$ 0,31
c) R$ 1,52
d) R$ 3,05
e) R$ 0,52
 
Grau de dificuldade: Fácil
 
DICA DO AUTOR: É só fazer a conta de divisão e chegamos ao valor pago por quilômetro rodado.

Resolução
Paga-se R$ 22 para percorrer 72 km de rodovia.
Isso é o mesmo que pagar 22 ÷ 72 = aprox. R$ 0,31 por quilômetro rodado.
Resposta: Letra B
18 JAN

PEDAGOGO, e se a Prova fosse hoje? Confira a resposta! [18]

Pedagoga Concurseira
Mulher sentada lendo livro e sorrindo

(TÉCNICO EM EDUCAÇÃO – UFRB – FUNRIO - 2014)


O currículo há muito vem sendo entendido como um campo de estudos importantes para a educação e tais estudos vem contribuindo cada vez mais para as práticas escolares. Em seu desenvolvimento na escola, os componentes do currículo são:
 
A) As etapas do processo didático-metodológico.
B) Porque ensinar e aprender os conteúdos escolares.
C) A sequenciação dos processos de ensino.
D) O que, como e quando ensinar e o que, como e quando avaliar.
E) A hierarquização dos conteúdos das áreas de conhecimento. 
 
GRAU DE DIFICULDADE: (INTERMEDIÁRIO)
 
Alternativa A: INCORRETA. As etapas do processo didático-metodológico só poderão ser idealizadas e concretizadas de acordo com os objetivos definidos na construção do currículo escolar.
Alternativa B: INCORRETA. Os conteúdos escolares precisam aparecer na organização curricular sem se desvincular da análise do contexto social, cultural e educativo em que se insere a proposta da instituição escolar.
Alternativa C: INCORRETA. Para Ribeiro (2002), a organização e sequência do processo de ensino-aprendizagem devem ser planificadas em termos de tipos de atividades, experiências e situações de aprendizagem e proporcionar, incluindo, pois, ações do professor e ações do aluno: estratégias/métodos, atividades, materiais e meios de ensino-aprendizagem.
Alternativa D: CORRETA. A natureza do currículo deve seguir a organização dos elementos, tais como: finalidades a objetivos; matérias a conteúdos; estratégias a atividades e avaliação. Ou seja, elementos que se relacionam e definem a organização e sequenciação de todo o processo de ensino e aprendizagem.
Alternativa E: INCORRETA. Segundo Ribeiro (2002) o modelo de organização curricular centrado em disciplinas ou matérias, sobrevaloriza os conteúdos programáticos, subordinando-lhes os objetivos curriculares; em contrapartida, uma estrutura curricular assente em núcleos de problemas ou experiências atribui grande relevo às experiências, atividades e situações de aprendizagem, sem se preocupar muito com o âmbito dos conteúdos a incluir. 

E aí, acertou? Essa e outras 299 questões você encontra no livro 300 questões comentadas de Provas e Concursos em Pedagogia:

                

Encontre informações sobre concursos: Pedagoga Concurseira.
 
18 JAN

CONTADOR, e se a Prova fosse hoje? Confira a resposta! [19]

Contador Concurseiro


(CONTADOR – DPE MT – 2015 – FGV - 74)


De acordo com a Lei nº 4.320/64, são classificado(a)s como despesas correntes:
(A) as subvenções sociais e econômicas.
(B) as aquisições de imóveis.
(C) o aumento do capital social de entidades industriais ou agrícolas.
(D) os auxílios para obras públicas.
(E) as concessões de empréstimos.
 
COMENTÁRIO:
Grau de dificuldade: Fácil
 
Alternativa A: CORRETA. Os arts. 16 e 18 da Lei nº 4.320/64 destacam que as subvenções sociais e econômicas são classificadas como despesa corrente.
Alternativa B: INCORRETA. Um imóvel é classificado como um ativo não circulante na contabilidade pública (NBC SP 16.2), portanto, conforme classificação orçamentária, a aquisição de um imóvel é uma despesa de capital. (Ver art. 105, §2º).
Alternativa C. INCORRETA. O aumento de capital social de empresas com recursos públicos é, por definição legal/normativa, uma despesa de capital neste caso da alternativa, qual seja o capital social de entidades industriais ou agrícolas. Não é classificada como despesa de capital a aquisição de capital/ações de entidades comerciais, por exemplo, enquadrando-se, nesse caso, como despesa corrente.
Alternativa D: INCORRETA. O auxílio para obras públicas deverá ser classificado como uma despesa de capital. A obra pública, inclusive todas as despesas necessárias para sua realização, é classificada como uma despesa de capital pela sua natureza.
Alternativa E: INCORRETA. A concessão de empréstimo também é classificada como uma despesa de capital, portanto não é uma despesa corrente.

E aí, acertou? Essa e outras 499 questões você encontra no livro 500 questões comentadas de Provas e Concursos em Contabilidade:


Encontre informações sobre concursos: Contador Concurseiro.
 
18 JAN

ADMINISTRADOR, e se a Prova fosse hoje? Confira a resposta! [19]

Administrador Concurseiro


(ADVOGADO – EBSERH – 2015 – AOCP)

A Súmula 683/13 do STF, que reafirma legitimidade sobre o limite de idade em concurso público pela natureza das atribuições do cargo, é um parâmetro para o entendimento de qual princípio do Direito Administrativo?
 
a) Autotutela.
b) Presunção de legitimidade.
c) Isonomia.
d) Finalidade.
e) Motivação.
 
COMENTÁRIO
Grau de dificuldade: INTERMEDIÁRIO
 
ALTERNATIVA A: INCORRETA. O princípio da autotutela é aquele que permite à administração rever seus próprios atos, em nada se relacionando à situação descrita no enunciado.
ALTERNATIVA B: INCORRETA. Presunção de legitimidade não é princípio, mas atributo de todos os atos administrativos, significando, em regra, que todos os atos administrativos são legítimos, corretos, razão pela qual é do administrado a obrigação de comprovar que ele contém algum vício. Logo, trata-se de uma presunção relativa, já que admite prova em contrário.
ALTERNATIVA C: CORRETA. O princípio da isonomia nada mais é do que o princípio da igualdade material, ou seja, a igualdade evidenciada na prática. Com base neste princípio admite-se tratar pessoas diferentes na medida da desigualdade que existe entre elas, como forma de minimizar essa diferença. Ou seja, admite-se estabelecer alguma desigualdade no caso concreto. É exatamente esta a situação retratada no enunciado! O critério idade, excepcionalmente, pode ser utilizado como limite para que um candidato ocupe determinado cargo público, a depender de sua natureza, sendo o exemplo mais típico o de policial militar.
ALTERNATIVA D: INCORRETA. O princípio da finalidade no direito Administrativo relaciona-se com a exigência de que todo ato praticado deve possuir finalidade pública, o que não se relaciona diretamente com a hipótese tratada no enunciado da questão.
ALTERNATIVA E: INCORRETA. Como já dissemos, motivação é um dos princípios a serem observados pela administração pública, conforme art. 2º da Lei nº 9784/99. Pode ser entendido, também, como a declaração escrita do motivo que determinou a prática do ato.
 
11 JAN

ADMINISTRADOR, e se a Prova fosse hoje? Confira a resposta! [18]

Administrador Concurseiro


(ADMINISTRADOR –
INEA RJ – 2013 – FGV)

Leia o fragmento a seguir. “Desenvolver ______________ de recrutamento significa pesquisar, identificar e consolidar as que mais se ajustam às _______________ das possíveis vagas existentes nas empresas de forma a otimizar o tempo e a ______________ de trabalho
Assinale a alternativa que cujos itens complementam corretamente as lacunas do fragmento acima.
  1. necessidades – fontes – capacidade
  2. fontes – capacidade – necessidade
  3. capacidade – necessidades – fonte
  4. necessidade – capacidade – fonte
  5. fontes – necessidades – capacidade
 
COMENTÁRIOS
Grau de dificuldade: FÁCIL
 
Alternativa A: INCORRETA. Não cabe dizer necessidade de recrutamento, quando o texto faz referência às fontes de recrutamento. Nesse caso faz-se alusão inicialmente às fontes que podem ser de recrutamento interno ou externo. Também, através da consulta à descrição dos cargos disponíveis, avaliam-se as necessidades das possíveis vagas.
Alternativa B: INCORRETA. Cabe dizer fontes de recrutamento, faz-se aí alusão às fontes que podem ser de recrutamento interno ou externo. Deve-se avaliar a necessidades das possíveis vagas e não a capacidade. Também deve-se avaliar a capacidade de trabalho e não necessidade.
Alternativa C: INCORRETA. Desenvolver capacidade de recrutamento não significa pesquisar, identificar e consolidar as modalidades de recrutamento que mais se ajustam às necessidades organizacionais, deve-se dizer desenvolver fontes. Encontrar as fontes que se ajustam às necessidades das possíveis vagas existentes nas empresas permite otimizar o tempo e a capacidade de trabalho, não as fontes para realização da atividade recrutamento.
Alternativa D: INCORRETA. Não cabe dizer necessidade de recrutamento, quando o texto faz referência às fontes de recrutamento. Deve-se avaliar a necessidades das possíveis vagas e não a capacidade. Também deve-se avaliar a capacidade de trabalho e não fonte.
Alternativa E: CORRETA. Cabe dizer fontes de recrutamento, faz-se aí alusão às fontes que podem ser de recrutamento interno ou externo. Encontrar as fontes que se ajustam às necessidades das possíveis vagas existentes nas empresas permite otimizar o tempo e a capacidade de trabalho.
 
E aí, acertou? Essa e outras 499 questões você encontra no livro 500 questões comentadas de Provas e Concursos em Administração.

Encontre informações sobre concursos: Administrador Concurseiro
04 JAN

E se a Prova Online fosse hoje? Confira a resposta! [6]

Mundo Trainee
 

TESTE DE LÓGICA – SITE ACROSS JOBS 

Considere os argumentos:
  1. Maria é advogada ou Paloma é dentista.
  2. Paloma é dentista ou Marcos é auditor fiscal.
  3. Se Marcos é auditor fiscal, então Maria é advogada.
Sabendo que Maria não é advogada, assinale a alternativa correta:
 
a) Maria não é advogada e Paloma é dentista.
b) Marcos é auditor fiscal e Maria não é advogada.
c) Maria é advogada e Marcos não é auditor fiscal.
d) Marcos é auditor fiscal e Paloma é dentista.
e) Paloma não é dentista e Marcos não é auditor fiscal.

Grau de dificuldade: Intermediário
 
Resolução

Aqui temos uma questão de Lógica Proposicional. Vamos partir do que sabemos para, em seguida, analisar os argumentos e chegar a uma conclusão.
Sabemos que Maria não é advogada.
Pelo argumento I, temos que Paloma é dentista. Por aí, já teríamos a alternativa A como verdadeira. Mas precisamos ter certeza.
O argumento III diz que “se Marcos é auditor fiscal, então Maria é advogada”. Por contraposição, isso é o mesmo que dizer que “se Maria não é advogada, então Marcos não é auditor fiscal”.
Ou seja: Maria não é advogada, Paloma é dentista e Marcos não é auditor fiscal. Agora temos certeza de a alternativa A é a única verdadeira.
Resposta: Letra A
 
04 JAN

PEDAGOGO, e se a Prova fosse hoje? Confira a resposta! [16]

Pedagoga Concurseira


(PEDAGOGO – INSS – 2014 – FUNRIO)

A mediação entre professores, conteúdos e alunos é uma condição para que a avaliação formativa aconteça. Nessa concepção, a avaliação possui a tarefa de:
A) acompanhar a forma como o aluno aprende e orientar o professor para ajustar suas ações pedagógicas.
B) selecionar os alunos que estão aprendendo para que se orientem no processo de aprendizagem.
C) orientar os professores para que possam tomar decisões quanto à hierarquização das aprendizagens dos alunos.
D) regular os processos de aprendizagem para que a escola possa formar as turmas por meio de mérito.
E) ajudar na comparação das aprendizagens a partir dos processos de seleção e classificação que ela possibilita.

Grau de dificuldade: Médio
Dica do autor: Todas as questões incorretas se referem à perspectiva classificatória da avaliação.

ALTERNATIVA A – CORRETA – A abordagem formativa pressupõe conhecer as diferentes fases de aprendizagem do aluno, suas formas de aprender e quais possibilidades de intervenções podem favorecer a aprendizagem.

ALTERNATIVA B – INCORRETA – A avaliação formativa não tem a pretensão de selecionar, mas de contribuir com o desenvolvimento do aluno. A avaliação meramente quantitativa limita-se a classificar e selecionar.

ALTERNATIVA C – INCORRETA – Mais uma vez, o enfoque a classificatório, noção que não se inclui na perspectiva formativa. Para Ribeiro (2011), avaliação formativa contribui com o desenvolvimento integral do aluno (ZABALA, 1998), o que envolve capacitá-los para aprender a aprender.

ALTERNATIVA D – INCORRETA – A formação de turmas por mérito valida a perspectiva da avaliação classificatória, seletiva e excludente. A avaliação formativa é reguladora, mas não possui essa finalidade de segregação, apresenta-se para o professor, como possibilidade de regular o seu ensino e a sua aprendizagem, bem como, a aprendizagem do aluno. Além disso, apresenta-se para o aluno como instrumento que possibilita o desenvolvimento das suas competências metacognitivas, de suas competências de autoavaliação e também de autocontrole (FERNANDES, 2009).

 ALTERNATIVA E – INCORRETA – A avaliação formativa não visa a comparação, nem tão pouco tem a intensão de selecionar ou classificar, estes pré-requisitos se enquadram perspectiva do exame. “Com os exames, o sistema de ensino e o educador tem em suas mãos um instrumento de poder, cuja autoridade pode ser exacerbada em autoritarismo; infelizmente, essa tem sido a tendência e a prática em nossas escolas. Com os exames em mãos, os educadores, representando o sistema social, no geral, têm se servido desse recurso para controlar disciplinarmente os educandos“ (LUCKESI, 2005, p.17).

 E aí, acertou? Essa e outras 299 questões você encontra no livro 300 questões comentadas de Provas e Concursos em Pedagogia:

                

Encontre informações sobre concursos: Pedagoga Concurseira.
 
28 DEC

E se a Prova Online fosse hoje? Confira a resposta! [5]

Mundo Trainee



FOLHA DE S. PAULO (2014) 

Para percorrer os 72 km da Rodovia dos Imigrantes um motorista em um carro de passeio deve pagar R$ 22 – a praça de pedágio mais cara do país. Supondo uma viagem de ida e volta (a volta não é cobrada), quanto o motorista gastou por quilômetro rodado com pedágio?
 
a) R$ 0,15
b) R$ 0,31
c) R$ 1,52
d) R$ 3,05
e) R$ 0,52
 
GRAU DE DIFICULDADE: Fácil
 
DICA DO AUTOR: É só fazer a conta de divisão e chegamos ao valor pago por quilômetro rodado.

Resolução:
Paga-se R$ 22 para percorrer 72 km de rodovia.
Isso é o mesmo que pagar 22 ÷ 72 = aprox. R$ 0,31 por quilômetro rodado.
Resposta: Letra B


 
28 DEC

CONTADOR, e se a Prova fosse hoje? Confira a resposta! [16]

Contador Concurseiro


(CONTADOR – DPE MT – 2015 – FGV - 74)

De acordo com a Lei nº 4.320/64, são classificado(a)s como despesas correntes:
(A) as subvenções sociais e econômicas.
(B) as aquisições de imóveis.
(C) o aumento do capital social de entidades industriais ou agrícolas.
(D) os auxílios para obras públicas.
(E) as concessões de empréstimos.
                                  
COMENTÁRIO:
Grau de dificuldade: Fácil
 
Alternativa A: CORRETA. Os arts. 16 e 18 da Lei nº 4.320/64 destacam que as subvenções sociais e econômicas são classificadas como despesa corrente.
Alternativa B: INCORRETA. Um imóvel é classificado como um ativo não circulante na contabilidade pública (NBC SP 16.2), portanto, conforme classificação orçamentária, a aquisição de um imóvel é uma despesa de capital. (Ver art. 105, §2º).
Alternativa C. INCORRETA. O aumento de capital social de empresas com recursos públicos é, por definição legal/normativa, uma despesa de capital neste caso da alternativa, qual seja o capital social de entidades industriais ou agrícolas. Não é classificada como despesa de capital a aquisição de capital/ações de entidades comerciais, por exemplo, enquadrando-se, nesse caso, como despesa corrente.
Alternativa D: INCORRETA. O auxílio para obras públicas deverá ser classificado como uma despesa de capital. A obra pública, inclusive todas as despesas necessárias para sua realização, é classificada como uma despesa de capital pela sua natureza.
Alternativa E: INCORRETA. A concessão de empréstimo também é classificada como uma despesa de capital, portanto não é uma despesa corrente.

?
E aí, acertou? Essa e outras 499 questões você encontra no livro 500 questões comentadas de Provas e Concursos em Contabilidade:


Encontre informações sobre concursos: Contador Concurseiro