Postagens

26 MAY

Concursos Públicos abertos com vagas para Engenheiro Civil - 2020

2B Educação

Concursos Públicos abertos com vagas para Engenheiro Civil - 2019
Veja aqui a lista de todos os concursos para Engenheiro Civil no Brasil. Uma seleção especial para profissinais de Engenharia Civil.

 

Concurso Engenharia Civil 2020: Clique no que desejar e saiba as vagas, salários e requisitos dos concursos públicos abertos. Nós sempre atualizamos a nossa lista de concursos públicos para engenheiros civis que buscam se inserir no mercado de trabalho em 2020.

Vale ressaltar que sempre buscamos concursos públicos com inscrições abertas e/ou edital divulgado com vagas para engenheiros civis consurseiros, em todo o Brasil, mostrando a vocês as inúmeras áreas de atuação em um concurso de engenharia civil.

Na realidade econômica do nosso país, fazer um concurso público é ideal pois ele oferece salário através de vagas de emprego e não exige experiência na área para aqueles que tem formação como engenheiro civil.


Buscaremos concursos de engenharia civill com vagas para em todos os lugares: Marinha, Exército, Prefeituras, Petrobrás, Universidades, Institutos Federais e muito mais!

Você que tem vontade de passar em um concurso com vaga para Engenheiro Civil nesse ano de 2020, deve ficar ligado no nosso blog! Com certeza você encontrará o concurso dos seus sonhos por aqui!

Você que está se preparando para concursos na área de Engenharia Civil já tem algum edital em mente? Ainda não? Que tal fazer isso hoje?

- Receba dicas em seu e-mail, materiais de estudos e notícias sobre os editais que virão, se inscreva na Lista VIP 2B: Clique aqui e inscreva-se já
 

Materiais de estudos que todo Engenheiro Civil concurseiro deve ter!


Lista dos Concursos abertos com vagas para Engenheiro em 2020.


SETEC - Campinas (SP)
- Remuneração: R$ 7.561,40 + benefícios 
- Inscrição: até 28/05
 - Vagas: 01
- Edital e mais informações: clique aqui
Materais de estudo


Prefeitura de Jacutinga (RS)
- Remuneração: R$ 4.520,28
- Inscrição: 04/05/2020 a 29/05/2020
 - Vagas: 01
- Edital e mais informações: clique aqui
Materais de estudo


Concurso da Prefeitura de Vinhedo (SP)
- Remuneração: R$ 4.852,12
- Inscrição: 27/04/2020 a 08/06/2020
 - Vagas: 01 + CR
- Edital e mais informações: clique aqui
Materais de estudo


Prefeitura de Monte Santo de Minas - MG
- Remuneração: R$ 2.834,29
- Inscrição: 13/07/2020 a 14/08/2020
 - Vagas: 01
- Edital e mais informações: clique aqui
Materais de estudo


Prefeitura de Bambuí (MG)
- Remuneração: R$ 2.826,01
- Inscrição: 17/06/2020 a 17/07/2020
 - Vagas: 02
- Edital e mais informações: clique aqui
Materais de estudo


ADASA (DF) - Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do Distrito Federal
- Remuneração: R$10.000,00
- Inscrição: 09/04/2020 a 19/05/2020
 - Vagas: 04 + 08 CR
- Edital e mais informações: clique aqui
Materais de estudo


Prefeitura de Santa Luzia D'Oeste (RO)
- Remuneração: R$ 3.000,00 (20 horas semanais)
- Inscrição: até 02/06/2020
 - Vagas: 01 + CR
- Edital e mais informações: clique aqui
Materais de estudo


Centrais de Abastecimento de Campinas S/A (CEASA)
- Remuneração: R$ 7.310,79
- Inscrição: 14/04/2020 a 06/05/2020
 - Vagas: 01
- Edital e mais informações: clique aqui
Materais de estudo


Prefeitura de Diadema (SP)
- Remuneração: R$ 4.727,28
- Inscrição: 27/04/2020 a 30/05/2020
 - Vagas: 01
- Edital e mais informações: clique aqui
Materais de estudo


Prefeitura de Paracatu (MG)
- Remuneração: R$ 3.983,54
- Inscrição: Das 08h do dia 23/04/2020 às 17h do dia 28/05/2020
 - Vagas: 01
- Edital e mais informações: clique aqui
Materais de estudo


Prefeitura de Carmo da Mata (MG)
- Remuneração: R$ 2.525,52 (20 horas semanais)
- Inscrição: 17/04/2020 a 18/05/2020
 - Vagas: 01
- Edital e mais informações: clique aqui
Material de estudo




Quer ter acesso a um banco de provas de concursos de engenharia civil? Basta clicar na imagem abaixo!


Materiais de apoio aos seus estudos:

- Super Livro de engenharia para concursos: Acessar Material
- 2B Civil: Curso Online de Engenharia Civil para Concursos: Acessar Material

- Quer receber dicas em seu e-mail, materiais de estudos e notícias sobre os editais que virão? Lista VIP 2B: Clique aqui e inscreva-se já

 
*Leia também: 7 matérias mais cobradas em concursos de Engenharia Civil.

 
30 MAR

7 matérias mais cobradas em concursos de Engenharia Civil

2B Educação

 

A aprovação em concurso público é um desejo em comum entre muitos de nós, e por vezes não sabemos por onde começar – ou em quais matérias focar. Então, como você já sabe, a 2B Educação está aqui para te ajudar! Confira essas dicas sobre as matérias mais cobradas em concursos para Engenharia Civil.

Confira também a lista de concursos abertos no Brasil! Clique aqui.
 
 
 

7 MATÉRIAS MAIS COBRADAS EM CONCURSOS DE ENGENHARIA CIVIL

 


O mundo atual é inimaginável sem a construção civil. A expansão urbana ao longo das décadas e a capacidade de gerar empregos e movimentar a economia fazem da Engenharia Civil uma área de suma importância. Você, engenheiro(a) civil, faz parte deste cenário.


Ter desenvoltura e dominância nos conteúdos que abrangem a área em que você trabalha faz um bom profissional.

Mas, quando se trata de concursos públicos, devemos dominar mais do que a nossa própria área de atuação. Por isso, separamos as sete matérias mais cobradas para concursos de engenharia civil:

 

1. Estruturas de Concreto

 

De acordo com a norma técnica NBR 6118:2014, item 5.1.1, as estruturas de concreto devem atender a requisitos mínimos de qualidade, durante a construção e utilização, classificados em três grupos:
 
• Grupo 1 - Capacidade resistente: relativos à segurança da estrutura à ruptura, ou seja, ao Estado Limite Último da estrutura;
 
• Grupo 2 – Desempenho em serviço: consiste na capacidade de a estrutura manter-se em condições plenas de utilização, não devendo apresentar deformações excessivas e vibrações indesejáveis. Ou seja, deve atender aos requisitos do Estado Limite de Serviço;
 
• Grupo 3 – Durabilidade: é a capacidade de a estrutura resistir às influências ambientais previstas, sem necessidade de reparos de alto custo, ao longo de sua vida útil.
 
A garantia de qualidade de projeto visa assegurar um nível de segurança em que o projeto satisfaça aos requisitos de qualidade que foram fixados em suas referências, podendo estas serem arquitetônicas, construtivas, estruturais etc.
 
Os requisitos de qualidade de um projeto estrutural referem-se a dois aspectos distintos: qualidade da solução adotada e qualidade de descrição da solução.
 
Estes aspectos visam a solução estrutural adotada em projeto, que deve atender aos requisitos de qualidade estabelecidos nas normas técnicas relativas à capacidade resistente, ao desempenho em serviço, à durabilidade da estrutura, além das condições de integração com os demais projetos da obra e econômicas.
 

1.2 Propriedade dos Materiais:

 
Em relação ao Concreto, são importantes:

Critérios de massa específica, propriedades do concreto fresco (consistência, trabalhabilidade, homogeneidade) e as características do concreto endurecido (resistência à compressão, resistência à tração, módulo de elasticidade, diagrama Tensão x Deformação). Estes são pontos muito importantes!
 
Em relação ao Aço, são importantes:

Configuração geométrica (Aço Ca-25, Ca-50 ou Ca-60) e Ensaio a tração (resistência característica ao escoamento, limite de resistência, alongamento na ruptura) são assuntos que você precisa dominar para concursos públicos!

 

1.3 Critérios de Projeto - Durabilidade:

 
Mecanismos de deterioração:
 
Os mecanismos de envelhecimento e deterioração de estruturas de concreto armado são vários e complexos. No entanto, para fins de projetos executivos, podem ser considerados apenas os três principais, que se referem ao concreto, à armadura e à estrutura propriamente dita.
 
As três principais causas de deterioração do concreto são devidas à lixiviação, expansão por sulfatos e reação álcali-agregados.

 

 
 

2. Construção Civil

 

2.1 Qualidade e controle da obra

 

A norma ABNT NBR 16280:2015 – Reforma em edificações – Sistema de gestão de reformas define parâmetros para a execução de obras de reforma em imóveis.

Segundo esta norma, uma reforma de edificação é uma alteração nas condições da edificação existente, com ou sem mudança de função, visando recuperar, melhorar ou ampliar suas condições de habitabilidade, uso ou segurança e que não seja manutenção.

Quando essas alterações forem realizadas dentro das unidades autônomas e podendo afetar a estrutura, a vedação ou quaisquer outros sistemas da área privativa ou da edificação, deverão possuir um responsável técnico (engenheiro ou arquiteto) e a respectiva Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) e/ou o Registro de Responsabilidade Técnica (RRT).

Nos casos das reformas que não apresentem riscos à segurança (ex. pintura), deverão ser apenas documentadas e seguir as regras internas do condomínio.

Nesse caso, não haverá necessidade de apresentação de responsável técnico.

Os requisitos estabelecidos por esta norma para os sistemas de gestão de reforma devem atender a um plano formal de diretrizes que contemple:

a) preservação de sistemas de segurança;

b) apresentação de modificações à construtora/incorporadora e ao projetista;

c) apresentação de modificações ao responsável legal;

d) meios de proteção aos usuários e à vizinhança;

e) descrição dos processos para realização das obras;

f) aprovação nos órgãos competentes;

g) definição de responsáveis e suas atribuições nas diversas etapas;

h) previsão de recursos para atender interferências, prevenir ou mitigar riscos;

i) garantia da continuidade da manutenção nos pós reforma.

Para a realização de reformas, o plano deve atender às seguintes condições:

a) apresentação de projetos e escopo dos serviços;

b) apresentação do cronograma;

c) identificação de empresas e responsáveis técnicos;

d) identificação de profissionais envolvidos na execução dos serviços;

e) atendimento às legislações vigentes e normas técnicas aplicáveis;

f) estudo sobre segurança durante a realização dos serviços;

g) identificação de impactos na edificação e no entorno durante e após a reforma (ruídos, materiais perigosos, sobrecargas, alterações de sistemas etc.);

h) definição de horários de trabalho;


i) definição de procedimentos para entrada, circulação e armazenamento de insumos;

j) definição de procedimentos para circulação, armazenamento e descarte de resíduos;

k) identificação de alterações no manual de uso, operação e manutenção e de interferências em planos ou procedimentos de manutenção.

 

2.2 Fiscalização, contratos e licitações 

 

A Lei nº 8.666/93 estabelece normas gerais sobre licitações e contratos administrativos pertinentes a obras, serviços, inclusive de publicidade, compras, alienações e locações no âmbito dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.

A Lei no 8.666/93 determina que as licitações para a execução de obras obedecerão à seguinte sequência:

I. Projeto básico;

II. Projeto executivo;

III. Execução das obras e serviços.

As obras e os serviços somente poderão ser licitados quando:

I. houver projeto básico aprovado pela autoridade competente e disponível para exame dos interessados em participar do processo licitatório;

II. existir orçamento detalhado em planilhas que expressem a composição de todos os seus custos unitários;

III. houver previsão de recursos orçamentários que assegurem o pagamento das obrigações decorrentes de obras ou serviços a serem executados no exercício financeiro em curso, de acordo com o respectivo cronograma;

IV. O produto dela esperado estiver contemplado nas metas estabelecidas no Plano Plurianual de que trata o art. 165 da Constituição Federal, quando for o caso.

O Projeto Básico constitui um conjunto de elementos necessários e suficientes, com nível de precisão adequado, para caracterizar a obra ou serviço, ou complexo de obras ou serviços objeto da licitação, elaborado com base nas indicações dos estudos técnicos preliminares, que assegurem a viabilidade técnica e o adequado tratamento do impacto ambiental do empreendimento, e que possibilite a avaliação do custo da obra e a definição dos métodos e do prazo de execução, devendo conter os seguintes elementos:

a) desenvolvimento da solução escolhida de forma a fornecer visão global da obra e identificar todos os seus elementos constitutivos com clareza;

b) soluções técnicas globais e localizadas, suficientemente detalhadas, de forma a minimizar a necessidade de reformulação ou de variantes durante as fases de elaboração do projeto executivo e de realização das obras e montagem;

c) identificação dos tipos de serviços a executar e de materiais e equipamentos a incorporar à obra, bem como suas especificações que assegurem os melhores resultados para o empreendimento, sem frustrar o caráter competitivo para a sua execução;

d) informações que possibilitem o estudo e a dedução de métodos construtivos, instalações provisórias e condições organizacionais para a obra, sem frustrar o caráter competitivo para a sua execução;

e) subsídios para montagem do plano de licitação e gestão da obra, compreendendo a sua programação, a estratégia de suprimentos, as normas de fiscalização e outros dados necessários em cada caso;

f) orçamento detalhado do custo global da obra, fundamentado em quantitativos de serviços e fornecimentos propriamente avaliados.

 

2.3 Medidas de proteção e segurança da construção


NORMA REGULAMENTADORA 18 – NR 18: esta Norma Regulamentadora estabelece diretrizes de ordem administrativa, de planejamento e de organização, que objetivam a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos de segurança nos processos, nas condições e no meio ambiente de trabalho na Indústria da Construção.

 

ABNT NBR 6494:1990: norma que trata da segurança nos andaimes.

 

2.4 Orçamentação de Obras


Existem três graus de detalhamento do orçamento:


• estimativa de custo;

• orçamento preliminar; e

• orçamento detalhado.

A estimativa de custos ou orçamento paramétrico é uma avaliação feita com base em históricos de custos e comparação com projetos similares, a partir da indicação de valores padronizados que servem para uma primeira avaliação do custo da obra.

No caso de edificações, um indicador bastante utilizado nas fases de estudo de viabilidade e anteprojeto é o custo unitário por metro quadrado construído.

Uma das referências mais utilizadas para isso é o CUB (Custo Unitário Básico), que representa o custo da construção, por m2, de cada um dos padrões de imóvel estabelecidos.

Com um grau de detalhamento um pouco maior do que a estimativa de custos, o orçamento preliminar requer o levantamento expedito de alguns quantitativos.

Geralmente é feito depois da elaboração do anteprojeto e antes do desenvolvimento dos projetos básicos.

O orçamento analítico ou detalhado é a maneira mais precisa e detalhada de estimar os custos efetivos de uma obra.

Ele é feito a partir de composições de custos e de uma pesquisa minuciosa de preços dos insumos, procurando chegar sempre a um valor bem próximo do custo “real” e com uma pequena margem de incerteza
.

 
 



 
 

3. Instalação Elétrica


O projeto de Instalações Elétricas deve seguir os requisitos explicitados na NBR 5410 – Instalações Elétricas de Baixa Tensão, NBR 5419 – Proteção de estruturas contra descargas elétricas e NBR 5444 – Símbolos Gráficos para Instalações Elétricas.

Ao passar pelo medidor, o cabo vai para o quadro de distribuição e a partir dele saem os circuitos que alimentarão os pontos elétricos.
 
A instalação poderá ser monofásica, caso potência de até 9kW, bifásica, caso potência de até 15kW, ou trifásica, caso potência superior a 15kW e inferior a 75kW, limite para instalações de baixa tensão.
 
A concessionária realizará a ligação com base na potência instalada ou potência de demanda.
 
A primeira etapa para realização do projeto de instalações elétricas é conhecer o empreendimento, para que o projeto atenda às necessidades do cliente. Em seguida, deve-se saber onde é o poste mais próximo da edificação para melhor alocar o medidor.
 

3.1 Quadro de distribuição


O quadro de distribuição normalmente fica localizado em locais de fácil acesso, porém discretos, como cozinhas ou áreas de serviço. O condutor que vai do medidor ao quadro de distribuição chega com um neutro, um de proteção e a quantidade de fases estabelecidas anteriormente.

Ao chegar no quadro de distribuição, o fio de proteção deve ser diretamente ligado ao barramento de proteção. Enquanto isso, o neutro e as fases vão para o dispositivo de proteção contra surtos do quadro, seguido pelo disjuntor diferencial residual e logo após os disjuntores de cada circuito.

 
 


 
 

4. Fundações


A matéria cobra inúmeros pontos, mas os mais cobrados são os tipos de fundações, investigação geotécnica, tensão e carga admissível.

Segundo a NBR 6122:2010, as fundações podem ser classificadas em estruturas que transmitem o carregamento para o solo de forma direta, indireta ou por ambas as formas. Assim, temos o grupo de fundações denominadas de superficiais (rasas ou diretas) e fundações profundas.
 

4.1 Fundações superficiais


São estruturas que transmitem o carregamento para o solo de forma direta, ou seja, apenas pela base da fundação. Sua profundida de assentamento é menor que duas vezes a sua menor dimensão.

De maneira complementar, recomenda-se o embutimento da fundação superficial em pelo menos 1m de profundidade, a fim de melhorar a sua estabilidade.

Outro ponto é que não devem possuir dimensão menor do que 60 cm, em planta.

Por possuir baixa profundidade de assentamento, as tensões propagadas no solo não retornam para o fuste do elemento de fundação, não ocorrendo, assim, resistência por atrito lateral ou fuste, como proposto por Terzaghi (1943) no seu modelo de cunha de ruptura para solos homogêneos.

 

4.2 Fundações profundas


São elementos que transmitem seu carregamento pela ponta, pelo fuste ou por ambos, e seu assentamento tem que ser maior que duas vezes sua menor dimensão e igual ou superior a 3 m.

Decorrente da profundidade de assentamento, as tensões propagadas no solo retornam para o fuste do elemento de fundação, ocorrendo, assim, resistência por atrito lateral ou fuste.

Fundações profundas têm uma vasta utilização na construção civil, devido ao seu porte de carga e por ajudar a solucionar problemas de solos com baixa resistência, visto que há a possibilidade de perfurar o solo até achar o solo residual com resistência.

Além disso, é a categoria de fundações em que mais há avanço tecnológico e, consequentemente, tipos de fundações existentes. Estes tipos são definidas pela NBR 6122:2010.

 
 

5. Língua Portuguesa


Um erro comum dos candidatos é negligenciar a Língua Portuguesa, seja porque sentem-se confiantes de que não terão dificuldades, seja por esquecimento.

A realidade é que grande maioria dos concursos públicos cobra questões de Português, e o seu objetivo deve ser gabaritar estas questões!

Isto porque a Língua Portuguesa é composta principalmente de regras e macetes que, se estudados, dificilmente te causarão dificuldade. O maior erro dos concurseiros é sequer tentar absorver o conteúdo.

Não estamos dizendo que necessariamente as provas de Português serão fáceis, mas a maioria delas pode ser resolvida sem maiores dificuldades se precedida de um estudo certeiro e assertivo.

Dentro dessa matéria, os pontos mais cobrados são:

- interpretação de texto;

- acentuação (cuidado com a crase!);

- concordância;

 
- regência.
 
 

6. Raciocínio Lógico

 

Sabe aquelas questões que parecem "bobas", mas que, se não tomarmos cuidado, podem se tornar o nosso “bicho papão”? Na maioria das vezes, isto ocorre com Raciocínio Lógico.

Não cometa o erro de não estudar Raciocínio Lógico! Resolver questões de concurso pode ser uma excelente forma de adquirir a prática e não ter problema com estas disciplinas, afinal, muitas questões se baseiam em um mesmo raciocínio (ou assunto); se você souber utilizá-lo uma vez, provavelmente o fará sem problemas em todas as outras.

Baixe o nosso minicurso gratuito de Matemática e Raciocínio Lógico e comece a se preparar agora! Clique aqui!

Atente-se principalmente para estes assuntos:

- porcentagem;

- regra de três;

- conjuntos.

 

 

7. Informática


Informática é um assunto muito presente nos mais diversos Concursos Públicos realizados em todo o Brasil.
 
Apesar da quantidade de questões geralmente não ser tão relevante em relação à quantidade total de questões de uma prova de concurso, deixar de acertar uma questão pode fazer toda a diferença na sua classificação e consequente aprovação.

Nas provas de Informática, costumam cair:

- Aplicativos de Escritório;

- Sistemas operacionais;

- Internet;

- Redes;

- Segurança da Informação;

- Hardware e Software em geral.

Se liga nesse pequeno resumo de um dos temas mais cobrados dentro do assunto Aplicativos de Escritório, as funções mais importantes do Microsoft Excel e do Libre Office:


MICROSOFT EXCEL

SOMA – Use esta função para somar os valores nas células.

SE – Use esta função para retornar um valor se uma condição for verdadeira e outro valor se for falsa.

PROC – Use esta função quando for necessário analisar uma única linha ou coluna e localizar um valor na mesma posição em uma segunda linha ou coluna.

PROCV – Use esta função quando precisar localizar coisas em linhas de uma tabela ou de um intervalo. Por exemplo, procurar pelo sobrenome de uma funcionária por seu número de identificação ou encontrar seu telefone pesquisando seu sobrenome (como um catálogo de telefone).

CORRESP – Use esta função para procurar um item em um intervalo de células e então retornar a posição relativa desse item no intervalo. Por exemplo, se o intervalo A1:A3 contiver os valores 5, 7 e 38, a fórmula =CORRESP(7,A1:A3,0) retorna o número 2, pois 7 é o segundo item no intervalo.


LIBRE OFFICE

= ARREDONDAR – Exibe o conteúdo da célula arredondada para uma casa decimal.

= MÉDIA – A função MÉDIA calcula a média de um intervalo de valores.

= SOMA – Calcula soma das células.

= AGORA – A função AGORA () retorna a data e a hora atual do sistema.

= ÉERROS – A função ÉERROS retorna VERDADEIRO caso o argumento avaliado seja um erro ou retorna FALSO caso o argumento avaliado seja um resultado válido.

= ALEATÓRIO – A função ALEATÓRIO retorna um número qualquer entre 0 e 1 como resultado.

 

 
 
 
 
 
14 FEB

Concurso da Marinha 2020: aprenda Análise Estrutural

2B Educação

 
O edital do concurso da Marinha prevê, entre outros assuntos, a Análise Estrutural. O assunto possui algumas regras e especificidades que podem te confundir caso você não estude. Como não queremos que isso aconteça, preparamos este material para você.
 
Escrevemos uma série de matérias sobre o concurso da Marinha de 2020, então, se quiser saber mais, é só clicar:
 
 
A melhor dica de todas vem agora: prepare-se com o nosso CURSO ONLINE PREPARATÓRIO PARA A PRIMEIRA FASE DO CONCURSO DA MARINHA, totalmente focado para este Concurso! Já pensou começar 2020 já ganhando quase 9 mil reais?! Clique aqui e adquira o seu!
 
Vamos começar a estudar Análise Estrutural?
 

CARACTERÍSTICAS - TRAÇADO DOS DIAGRAMAS DE VIGAS

 
Vigas são elementos longos e retos que suportam carregamentos aplicados perpendicularmente a seu eixo longitudinal. Em virtude dos carregamentos aplicados, as vigas desenvolvem uma força de cisalhamento interna e momento fletor que, em geral, variam ao longo do eixo da viga.
 
Os diagramas de força cortante e momento fletor são as representações gráficas das funções de cisalhamento e de momento. Essas funções devem ser determinadas para cada região da viga localizada entre quaisquer duas descontinuidades de carregamento.
 
Os diagramas fornecem informações detalhadas sobre a variação do cisalhamento (V) e do momento (M) ao longo do eixo da viga, bem como os valores máximos de V e M.
 
Por convenção, as direções positivas são: a carga distribuída age para baixo; a força cortante interna provoca uma rotação em sentido horário no segmento de viga sob ação da carga; e o momento interno causa tração nas fibras inferiores (HIBBELER, 2009).
 
 
A construção dos diagramas de força cortante e de momento fletor podem seguir um método gráfico baseado em duas relações diferenciais entre a carga distribuída, cisalhamento e momento fletor.
 
Simplificadamente, as características dos diagramas são:
 
• Em regiões com carregamento uniformemente distribuído
Cortante será linear e o momento fletor será uma parábola.
 
• Em regiões com carregamento linearmente distribuído
Cortante e momento serão parábolas.
 
Em regiões de força e momento concentrados
Se a força F age para baixo, o esforço cortante saltará para baixo na intensidade de F. Se F age para cima, o salto do cortante será de F para cima.
 
Se o momento M for aplicado no sentido horário, o diagrama de momentos saltará para cima. De maneira semelhante, se M for aplicado no sentido anti-horário, o diagrama saltará para baixo.
 
Os movimentos das vigas são restringidos (ou permitidos) através do tipo de apoio que vinculam a estrutura. Estes apoios podem ser divididos em três classificações, de acordo com o grau de restrição ao movimento da estrutura.
 
O apoio de primeiro gênero, também chamado de apoio móvel ou rolete, restringe um movimento de translação da estrutura.
 

 
O apoio de segundo gênero, também chamado de apoio fixo ou pino, restringe dois movimentos de translação da estrutura
 

 
O apoio de terceiro gênero, também chamado de apoio engastado, restringe dois movimentos de translação e um movimento de rotação da estrutura.
 

 
Os diagramas de força cortante e momento fletor de uma viga podem ser construídos de acordo com o procedimento a seguir.
 
Adquira o Curso Online Preparatório para a Primeira Fase da Marinha clicando aqui.
 
Determinação das reações nos apoios
 
• Decompor todos os carregamentos atuantes em termos de suas forças resultantes que atuam perpendicular e paralelamente ao eixo da viga;
 
• Utilizar as equações de equilíbrio estático para encontrar os valores das forças de reações e momentos.
 
Por exemplo, em vigas biapoiadas com apoios extremos, os momentos são nulos nos apoios.
 
Determinação do diagrama de força cortante
 
• A força cortante é obtida pela soma das forças que atuam perpendicularmente ao eixo da viga;
 
• Deve ser obedecida a convenção de sinais e os valores positivos devem ser marcados acima do eixo da viga.
 
Determinação do diagrama de momento fletor
 
O momento fletor é obtido pela soma dos momentos (força resultante multiplicada pela distância) em torno da extremidade de uma seção.
 
Por convenção, os momentos positivos tracionam as fibras inferiores e comprimem as fibras superiores. Portanto, os valores positivos devem ser marcados abaixo do eixo da viga.
 
 

FLECHAS E DESLOCAMENTOS

 
O diagrama da deflexão do eixo longitudinal de uma viga é chamado de linha elástica. Ela mostra o deslocamento da viga sob atuação dos carregamentos que incidem sobre a estrutura.
 
A maneira mais rápida e intuitiva de traçar o rascunho da linha elástica é pelo traçado do diagrama de momento fletor da viga. Um momento interno positivo tende a curvar a viga com a concavidade para cima (tração nas fibras inferiores e compressão nas fibras superiores).

De forma semelhante, o momento interno negativo tende a curvar a viga com a concavidade para baixo (tração nas fibras superiores e compressão nas fibras inferiores.

 


 
A curva da linha elástica para uma viga pode ser representada pela equação diferencial de segunda ordem, que relaciona o momento interno da vigam em função de x.
 
 
Adquira o Curso Online Preparatório para a Primeira Fase da Marinha clicando aqui.

 

TRELIÇAS PLANAS
 

Treliças são estruturas reticuladas compostas por barras interligadas em suas extremidades através de pinos, soldas, rebites, parafusos etc., formando uma estrutura rígida capaz de suportar grandes cargas de esforços normais e vencer grandes vãos.

Os materiais mais comuns nesse tipo de estrutura são a madeira, o metal e o alumínio

A relação entre o número de barras, nós e reações de apoio de uma treliça fornece informações acerca do grau de estaticidade da estrutura. O sistema rígido mais simples é constituído por três barras articuladas entre si.

endo b o número de barras e n o número de nós, a condição necessária – mas não suficiente – para a estabilidade interna da treliça é dada pela relação b+3=2?n. A estaticidade externa é garantida pela restrição dos três graus de liberdade através das condições de apoio da estrutura.
 

Para o dimensionamento das barras de uma treliça, é necessário o cálculo dos esforços normais atuantes na estrutura. Os métodos mais utilizados para a resolução dos esforços são o Método dos Nós (ou Método de Cremona) e o Método das Seções (ou Método de Ritter.

 

MÉTODO DOS NÓS


Nó é o encontro de duas ou mais barras de uma treliça. O cálculo dos esforços consiste em verificar o equilíbrio de cada nó da treliça. A resolução pode ser feita seguindo os passos a seguir:
 
- Determinar das reações nos apoios;
 
- Iniciar e prosseguir à verificação pelos nós que possuem apenas duas incógnitas a determinar;
 
- Aplicar as equações de equilíbrio estático em cada nó;
 
- Deve-se ter atenção quanto ao sentido do esforço normal (tração ou compressão) atuante na barra que será transferida aos nós.

 
Esperamos que você tenha aprendido bastante sobre Análise Estrutural! Você pode garantir uma preparação assertiva e de qualidade com o nosso Curso Online Preparatório para a Primeira Fase da Marinha! Se inscreva  clicando aqui.
 
Aprenda com questões comentadas diretamente retiradas das provas anteriores do concurso e passe na frente dos seus concorrentes! É só clicar aqui!

Bons estudos!
29 JAN

Lean Construction

2B Educação


 

Você já parou para pensar na quantidade de material que é desperdiçado em uma obra? Você provavelmente já passou por um canteiro de obras e notou um excesso de material para descarte. E o constante adiamento do prazo para entrega da obra? Sem falar no estouro do orçamento!
 
Bem, para solucionar isso existe o Lean Construction, que nada mais é do que a mentalidade Lean aplicada à construção civil.
 
Mas você pode estar se perguntando: “o que é Lean?”
 
Então, vamos entender um pouco sobre essa metodologia que tem mudado radicalmente a indústria da construção ao redor do mundo, como surgiu o Lean Construction e como a sua utilização tem sido extremamente importante para melhorar o ramo da construção civil.

Clique aqui para baixar o E-book GRATUITO sobre Lean Construction!
 

O que é Lean Construction

 
Talvez você já tenha ouvido falar sobre esse modo de se estruturar a produção, mas ainda não saiba o que realmente é. Pois então, vamos voltar no tempo.
 
Aterrissamos no início do século XX com a produção do modelo T de Henry Ford, sendo isso marcado como o início da produção moderna. Anos depois, com o final da Segunda Guerra e um Japão bem fragilizado e com falta de recursos, a Toyota cria um modelo de sistema de produção baseado na eliminação de desperdícios e uso consciente da matéria-prima.

Esse modelo, chamado de Sistema Toyota de Produção (STP), se tornaria mais tarde em 1990 a base para o que viria a ser conhecido como Lean Manufacturing (Manufatura Enxuta) no livro “A máquina que mudou o mundo” de James P. Womack, Daniel Roos e Daniel T. Jones.

O pensamento Lean começa a ser utilizado fora do ambiente de fábrica, influenciando outros ramos da indústria. Em 1992, Lauri Koskela traz a mentalidade enxuta para a construção civil, adaptando-a para se adequar ao ambiente de um canteiro de obras.

Percebe-se que o Lean Construction possui algumas peculiaridades em relação ao Lean Manufacturing, pois na construção civil o local de trabalho muda a cada empreendimento, a mão de obra que se movimenta ao redor do produto e quase não há repetitividade de empreendimentos.

 
Lean construction ou construção enxuta é o termo que representa a aplicação da filosofia Lean Production ao setor da construção civil. O adjetivo lean significa enxuto, sem gordura; em português. Mas traduziram lean construction como construção “enxuta”.
 
De maneira resumida, a filosofia lean (ou lean thinking, de pensamento enxuto) busca identificar e reduzir os desperdícios que inevitavelmente surgem em qualquer operação produtiva.
 
Assim, o foco é priorizar as atividades que agregam valor no processo de produção. Ou seja, com foco na eliminação de qualquer tipo de trabalho que seja considerado desnecessário na produção de um determinado produto. Sempre a fim de se alcançar aumento de produtividade.

Lean Construction é, portanto, a aplicação dos princípios do lean thinking (pensamento enxuto) às atividades de construção civil, adaptando a metodologia às peculiaridades do setor. É buscar a redução de custos e diminuir ao máximo os prejuízos de uma construção, assim como acelerar o processo para que tudo seja entregue dentro do prazo.

 
 

Diferenças entre Construção Tradicional x Construção Enxuta

 
A diferença entre a construção enxuta e a construção tradicional está no conceito de agregar valor. É o modo como se olha para o processo de produção. Portanto, a construção enxuta considera que só agrega valor no produto ou serviço aquilo que o cliente está propenso a pagar.
 
Enquanto no método tradicional olhamos para o processo e apenas o dividimos em subprocessos, no Lean separamos as atividades que agregam valor das que não agregam.
 
Se o cliente não está disposto a pagar por alguma atividade, então ela não agrega valor. Atividades como movimento, fluxo de materiais, espera e retrabalho não agregam valor ao produto.
 

Desse modo, deslocamentos inúteis, tempo de espera, retrabalho, atrasos, defeitos, são questões que nesse pensamento, não agregam valor algum. Significam sim, perdas de lucratividade das empresas.
 
Pense numa obra cheia de operários se movimentando. Certamente vários desses deslocamentos podem ser aperfeiçoados. Isso pode ser feito de diversas maneiras, pensando até mesmo na logística de canteiro de obras:
 
  • - Diminuindo a distância entre o ponto de armazenamento e o local de aplicação do material;
  • - Mudando o meio de transporte do material (manual, carrinho de mão, caminhão Munck etc.);
  • - Evitando o duplo manuseio (formação de pilha no almoxarifado, depois em frente ao monta-cargas, depois no pavimento).

O pensamento lean consiste justamente em identificar os desperdícios visíveis e ocultos. Mais que isso, medi-los e buscar uma forma de eliminá-los ou pelo menos atenuá-los. O aumento da produtividade e a redução de custos são consequências da utilização desta filosofia.
 
Taiichi Ohno, principal responsável pelo STP, definiu sete tipos de desperdícios; mas publicações posteriores, definiram oito tipos.
São eles:
 
  1. 1. Defeitos e retrabalho;
  2. 2. Excesso de produção;
  3. 3. Processamento impróprio;
  4. 4. Movimentos desnecessários;
  5. 5. Transportes desnecessários;
  6. 6. Estoque;
  7. 7. Espera;
  8. 8. Intelectual (Capacidade das pessoas envolvidas no processo).
 
Entretanto, existem atividades que não agregam valor, mas são necessárias para o processo. O objetivo é tentar eliminar as atividades que não agregam valor e não são necessárias, assim como reduzir os desperdícios nas demais.
 
Para o Lean Construction, o conceito de valor está vinculado diretamente à satisfação do cliente.

Clique aqui para baixar o E-book GRATUITO sobre Lean Construction!
 
Como já vimos, o ponto de partida para a produção enxuta é o conceito de valor percebido pelo cliente. Sendo assim, para uma atividade ser caracterizada como uma que agrega valor, ela precisa cumprir alguns requisitos, como:
 
  • - O cliente deve estar disposto a pagar pela atividade;
  • - A atividade deve transformar de alguma forma o produto ou serviço;
  • - A atividade deve ser feita corretamente desde a primeira vez.
 

Princípios do Lean Construction


O Lean Construction possui 11 princípios elaborados por Koskela, mas vamos destacar os 5 mais importantes e significativos.
São eles:
 
1 – Reduzir atividades que não agregam valor
 
Com certeza, esse é um dos princípios mais fundamentais para a construção enxuta, segundo o qual a eficiência dos processos pode ser melhorada e suas perdas reduzidas não só através da melhoria da eficiência das atividades de conversão e de fluxo, mas também pela eliminação de algumas das atividades de fluxo.

Porém, temos que tomar cuidado para não levarmos esse princípio ao extremo, pois como já vimos, existem atividades que não agregam valor, mas são essenciais para a eficiência global dos processos, como por exemplo, controle dimensional, treinamento da mão de obra e instalação de dispositivos de segurança.

Em geral, o primeiro passo para reduzir essas atividades é explicitar as atividades de fluxo, através da representação do fluxo do processo. Uma vez explicitadas, essas atividades podem ser controladas e, se possível, eliminadas.
 
2 – Aumentar o valor do produto através da consideração das necessidades do cliente
 
Esse princípio está relacionado ao conceito de processo como gerador de valor. Através desse princípio, fica estabelecido que devem ser identificadas claramente as necessidades dos clientes internos e externos e esta informação deve ser considerada no projeto do produto e na gestão da produção.

Para aplicarmos esse princípio, precisamos fazer o mapeamento do processo, identificando sistematicamente os clientes e seus requisitos para cada estágio do mesmo. Para obtermos uma aplicação eficiente desse princípio, temos que ter em mente que cliente não é somente o cliente externo, que encomendou o empreendimento, mas também a equipe de trabalho subsequente, que é o cliente interno.
 
3 – Reduzir a variabilidade
 
Quando se trata de variabilidade, elas podem ser de três tipos: Variabilidade nos processos anteriores: está relacionada aos fornecedores do processo. Exemplo: blocos cerâmicos com grandes variações dimensionais.

Variabilidade no próprio processo: relacionada à execução de um processo. Exemplo: variabilidade na duração da execução de uma determinada atividade, ao longo de vários ciclos.

Variabilidade na demanda: relacionada aos desejos e necessidades dos clientes de um processo. Exemplo: determinados clientes de uma incorporadora solicitam mudanças de projeto da edificação. Mas por que reduzir a variabilidade?

Bem, obviamente, um produto uniforme em geral traz mais satisfação ao cliente, pois a qualidade do produto corresponde de fato às especificações previamente estabelecidas. Se não seguirmos esse princípio, enfrentaremos problemas na nossa produção, aumentando a parcela das atividades que não agregam valor e o tempo necessário para executar um produto principalmente pelas seguintes razões:

 
  • - Interrupção de fluxos de trabalho, causada pela interferência entre as equipes.
  • - Isso acontece quando uma equipe de trabalho fica parada ou precisa ser deslocada para outra frente de trabalho, em função de atrasos da equipe antecedente.
  • - Não aceitação de produtos fora de especificação pelo cliente, resultando em retrabalhos ou rejeitos.
 
4 – Reduzir o tempo do ciclo de produção
 
Esse é um princípio que tem origem na filosofia Just in Time, criada pelo STP.

O tempo de ciclo pode ser definido como a soma de todos os tempos (transporte, espera, processamento e inspeção) para produzir um determinado produto. A aplicação desse princípio está fortemente relacionada à necessidade de comprimir o tempo disponível como mecanismo de forçar a eliminação das atividades de fluxo.

Para aplicarmos esse recurso, teremos um amplo conjunto de ações envolvidas, tais como:

- Eliminação de atividades de fluxo que fazem parte do ciclo de produção;

- Concentração do esforço de produção em um menor número de unidades (lotes menores), através do planejamento e controle da produção;

- Mudanças nas relações de precedência entre atividades, eliminando interdependências entre as mesmas de forma que possam ser executadas em paralelo.
 
5 – Simplificar através da redução do número de passos ou partes
 
Este princípio é frequentemente utilizado no desenvolvimento de sistemas construtivos racionalizados. Quanto maior o número de componentes ou de passos num processo, maior tende a ser o número de atividades que não agregam valor.

Isto ocorre em função das tarefas auxiliares de preparação e conclusão necessárias para cada passo no processo (por exemplo, montagem de andaimes, limpeza, inspeção final, etc.), e também pelo fato de que, em presença de variabilidade, tende a aumentar a possibilidade de interferências entre as equipes.

Para atingirmos a simplificação, podemos utilizar algumas técnicas, como, por exemplo:

 
  • - Uso de elementos pré-fabricados, reduzindo o número de etapas para a execução de um elemento da edificação.
  • - Uso de equipes polivalentes, ao invés de um maior número de equipes especializadas.
  • - Planejamento eficaz do processo de produção, buscando eliminar interdependências e agregar pequenas tarefas em atividades maiores.
 

Benefícios do Lean Construction
 

O Lean Construction se tornou um dos principais métodos de gestão e gerenciamento de projetos na construção civil. Dentre outros benefícios, sua adoção traz aumento de produtividade, redução de custos e no tempo de entrega do produto final aos clientes, elevando o nível de satisfação e eficiência do mercado.
 
A adoção do Lean Construction é uma forma eficiente de reduzir as etapas de produção na construção civil, reduzindo custos de forma inteligente e sustentável. É importante saber que essa metodologia envolve a busca por melhorias contínuas de todos os processos, e que isso depende de muita organização, disciplina e acompanhamento constante de informações sobre cada projeto.
 
Os princípios do Lean Construction são diretrizes para a otimização das atividades da sua empresa – no entanto, não é preciso seguir todas elas exatamente como são descritas.

A adoção destes métodos irá variar de acordo com a atuação e as necessidades de cada empresa e de cada projeto, e seguir o Lean Construction à risca pode acabar eliminando atividades estratégicas e comprometendo o andamento de obras.

Aqui, o ideal é ter uma visão diferente para cada projeto e avaliar quais são os pontos de melhorias e mudanças mais adequadas em cada um deles.

 
E aí, gostou? Como pudemos ver, a adoção da mentalidade Lean oferece muitos benefícios para todas as partes envolvidas, reduzindo os custos e focando na eliminação de desperdícios, consequentemente reduzindo também o tempo de ciclo do processo.
 
28 JAN

Planejamento de obras: guia definitivo

2B Educação

Planejamento de Obras: Guia Definitivo
Escrito por
Danilo Oliveira, Engenheiro formado pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) com MBA em Gestão de Projetos pela Universidade de São Paulo (USP)

 

Toda obra, por menor que seja, precisa ter um bom planejamento. Além disso, o planejamento de construção ajuda a programar de forma adequada todas as fases do projeto.


Então, se você tem dúvidas de como planejar a construção de um imóvel ou mesmo de uma reforma, este post é para você. Elaboramos um guia definitivo com tudo o que você precisa saber para fazer um bom planejamento de obras.


O que é o planejamento de obras?

 

Primeiramente, o sucesso de uma construção está atrelado a um bom planejamento. Planejar é prever as ações e os recursos que serão necessários para realizar uma atividade em um determinado período de tempo.

Portanto, o
planejamento de obras tem como objetivo principal prever os riscos, inconformidades e os impactos positivos e negativos da construção do projeto, seja para a construtora ou para os clientes envolvidos.


O profissional responsável pelo planejamento de uma obra deve elaborar uma série de estudos e cálculos com a finalidade de avaliar em quais circunstâncias a construção do empreendimento é mais rentável de acordo com as políticas internas da empresa, das leis em vigor na região onde a obra acontecerá e caso seja uma obra pública, em conformidade com as regras do edital.
 

Através de um planejamento holístico, completo e detalhado, a empresa pode ter uma visão real da obra, e que servirá como uma base confiável para a tomada de decisões assertivas ao longo da execução do projeto.


Por isso, é fundamental que os profissionais responsáveis por cada etapa do planejamento conheçam bem as particularidades do setor e saibam gerenciar tarefas e pendências de forma otimizada e inteligente.

Leia também: Etapas do Orçamento de Obras

Comece seus estudos no tema com o Minicurso Gratuito de Orçamento de Obras ministrado pela maior referência no tema, Aldo Dórea Mattos. Clique aqui e acesse!

 

Por que o planejamento de obras é tão importante?

 

O planejamento de obras é muito mais que simplesmente montar e seguir um cronograma. Planejar é uma atividade muito complexa, onde vários ângulos e detalhes devem ser levados em conta para o sucesso do projeto. Trata-se de uma etapa essencial, por menor e mais simples que seja o projeto.
 

Quando se trata da gestão de obras na construção civil, tudo deve ser muito bem feito e calculado. Sem um planejamento adequado da obra, podemos afirmar que é impossível executar de maneira satisfatória qualquer projeto. Afinal, ele é como um guia para todas as etapas da obra, desde as preliminares até a entrega o imóvel.
 

Mas, ainda com todo planejamento executado da forma correta, certamente ainda surgirão imprevistos, é a função do responsável pelo planejamento, justamente tentar prever ao máximo esses riscos e mitiga-los.
 

De fato, iniciar uma construção sem saber ao certo seu tempo de duração ou custo, é muito arriscado. Existem grandes chances de que a obra não ocorra da forma correta, nem em termos de orçamento, tampouco em duração, ou até mesmo, é possível que você nem consiga terminar o que começou.

Podemos dizer que o planejamento de construção possui vários objetivos, dentre eles:

  • - aumentar a eficiência no canteiro de obras;
  • - evitar os gastos desnecessários;
  • - estabelecer e cumprir o cronograma de obra;
  • - garantir a segurança do projeto e de todos aqueles que trabalham ou estão envolvidos nele, evitando possíveis acidentes.

 

O que compõe o planejamento de obras?

 

O planejamento não é um simples documento com coordenadas e orientações para a execução das obras. Ele deve incluir o plano diretor de toda a obra (longo prazo), estudos de viabilidade, orçamento inicial e um plano de ação com foco nas equipes envolvidas, nos prazos e nos serviços necessários em cada etapa da obra.
 

Na hora de executar todas essas atividades, o profissional precisa ir além e pensar todos os resultados com foco na redução de desperdícios e do retrabalho, além de prever possíveis erros e imprevistos que possam comprometer o prazo de conclusão da obra.

 

Como fazer um planejamento de obras?
 

Primeiramente, é necessário observar alguns pontos essenciais na hora de realizar o planejamento, evitando que aconteça problemas comuns em obras.

  • - Orçamento: precisa ser elaborado de forma cuidadosa e deve ser conferido diariamente durante a execução da obra;
  • - Cronograma: tenha um cronograma realista da obra e que preveja os possíveis motivos de atraso: feriados, época de chuvas, número de dias úteis, etc.;
  • - Equipamentos: ferramentas, máquinas e insumos necessários devem estar definidos no planejamento de obras, bem como as datas em que serão utilizados (fiz questão de reiterar isso aqui, porém tudo isso já deve ser pensado no processo de orçamentação da obra);
  • - Mão de obra: dependendo da região e da época do ano, pode ocorrer a falta de mão de obra e isso pode prejudicar todo o cronograma de obra;
  • - Comunicação eficiente: comunicação é o principal problema durante o gerenciamento de um projeto (Fonte FGV) por isso, é muito importante estar atento para os mecanismos e canais de comunicação, para que a mesma flua da forma correta e eficiente.

 

Produtividade

 

Um planejamento de obras bem feito também é primordial para a produtividade do canteiro de obras. Por exemplo, é possível estabelecer o tempo e quantas pessoas serão necessárias para que se conclua determinada etapa da obra. De forma que se consiga o melhor resultado possível com o menor custo.

 

Também é de grande utilidade pensar, durante o planejamento, qual será o layout mais adequado para o canteiro de obras. Isso pode ajudar muito na otimização e produtividade da construção.

 

Viabilidade


De forma resumida, os estudos de viabilidade buscam avaliar se a construção do empreendimento trará lucros ou prejuízos para a construtora. Por vezes esse serviço de estudo de viabilidade é terceirizado para consultorias especializadas no assunto.


Orçamento de obras


Já falei em outros artigos, porém vale a pena reiterar: na minha opinião o orçamento é a parte mais importante do planejamento de obras – com um orçamento errado ou incompleto, a empresa pode ter prejuízos enormes ou até mesmo ser obrigada a paralisar os trabalhos no canteiro por falta de verba.

Apesar de extremas, essas duas situações são mais comuns do que se pensa, já o cálculo das variáveis é extenso e depende de itens como o
BDI (Benefícios e Despesas Indiretas), preço final de venda dos imóveis, cronograma físico-financeiro, atividades a serem terceirizadas e encargos trabalhistas dos funcionários.

 

Leia também: Etapas do Orçamento de Obras

Comece seus estudos no tema com o Minicurso Gratuito de Orçamento de Obras ministrado pela maior referência no tema, Aldo Dórea Mattos. Clique aqui e acesse!


Acompanhamento das obras


O planejamento continua à medida que os trabalhos no canteiro de obras avançam. É necessário planejar os serviços, utilização de recursos financeiros e materiais e gerenciar as atividades em tempo real, já que o status da obra se modifica a cada dia de trabalho.

Já falei sobre isso em um artigo anterior, sobre como a tecnologia pode ajudar nós, engenheiros, no nosso dia a dia, aplicando para utilização de softwares especializados para desenvolvimento e acompanhando o orçamento da obra, leia aqui a matéria.

Por isso, é importante pensar no planejamento como um
acompanhamento contínuo do projeto, que pode se modificar de acordo com a disponibilidade da mão de obra e dos níveis de produtividade da mesma.

Para realizar este acompanhamento, os profissionais frequentemente utilizam ferramentas de gestão de tarefas e projetos em diversos níveis – como o OrçaFascio, que proporciona uma visão global e integrada do progresso das obras e da realização de atividades pelos profissionais.


Ferramentas para o planejamento de obras

 

Existem algumas metodologias de gerenciamento de projetos que podem auxiliar os profissionais a elaborar um planejamento de acordo com os objetivos da empresa. Um deles é o Lean Constructionconstrução enxuta, em inglês – onde o objetivo é eliminar todos os desperdícios da obra e maximizar a produtividade da equipe.

Outra metodologia frequentemente utilizada é o manual PMBOK, idealizado pelo Project Management Institute (PMI). O estudo aborda as melhores práticas e os conhecimentos necessários para uma gestão de projetos otimizada, sendo uma referência para os gestores de projetos de construção civil e tecnologia de todo o mundo.

Para completar, também vale a pena dar uma olhada no Construction Extension to the PMBOK® Guide, uma extensão do PMBOK desenvolvida para direcionar as melhores práticas de gerenciamento aplicadas a construção civil.

Leia também: As melhores certificações para engenheiros civis

 

A importância do planejamento de obras

O bom planejamento serve como guia para todas as etapas da obra, desde os estudos preliminares até a execução dos serviços, a alocação de recursos, a troca de informações a venda dos imóveis ou unidades construídas.
 

Então vamos recapitular um pouco do que abordamos neste artigo sobre o planejamento de obras?

Primeiramente, mostramos que toda obra, independentemente do porte, precisa de um bom planejamento. Isso é essencial para uma construção bem sucedida! Pois isso melhora a eficiência no canteiro de obras, garante a segurança de todos os envolvidos e evita gastos desnecessários.

Além disso, ficou claro que o planejamento de construção é mais do que ter um cronograma de obra. Para fazer um plano, é necessário ter conhecimento técnico para fazer os cálculos, elaborar projetos e documentos obrigatórios em qualquer construção, e ainda utilizar metodologias e guias para otimizar a construção.

 

Leia também: Etapas do Orçamento de Obras

 

Então é isso pessoal, espero que tenham gostado. E pra você já começar o seu estudo, entenda o passo a passo do processo de orçamentação de obras, e mais do que isso, com o uso de softwares, de forma a alinhar o conhecimento técnico à prática com foco na tecnologia. Por isso, desenvolvemos o Curso Online de Orçamento de Obras, com o Professor Aldo Dórea Mattos, que além de ser uma referência do tema no Brasil, ele fez questão de utilizar o software OrçaFascio, para alinhar toda a parte teórica à tecnologia que está cada vez mais presente na nossa vida hoje.

Conheça nosso curso e se mantenha atualizado e preparado para a retomada da construção civil em 2020!

Curso Online de Orçamento de Obras: clique aqui e conheça!



Caso queira conhecer um pouco de como vai ser seu curso, acesse um Minicurso GRATUITO de Orçamento de Obras com 6 aulas ministradas pelo Aldo Dórea Mattos.

 

 

27 JAN

O que faz um Engenheiro Civil?

2B Educação
O que faz um Engenheiro Civil?

Você sabe o que faz um Engenheiro Civil? Conhece as funções que exerce e as áreas em que esse profissional da engenheria pode se encaixar no mercado de trabalho? Sabe como está a situação do mercado para o Engenheiro Civil hoje em dia?

Então leia este artigo até o final para saber tudo isso e ficar por dentro de tudo sobre a sua área!

1.    O QUE FAZ UM ENGENHEIRO CIVIL?

Para a pergunta sobre o que faz um engenheiro civil, a resposta pode ser diversificada. Um engenheiro civil poder realizar projetos, fazer gestão qualquer tipo de obra, assim como o planejamento da mesma também.

Uma outra função que o engenheiro civil pode ter é a criação, acompanhamento e execução de obras residenciais, prediais e se for um engenheiro especializado, também poderá projetar e fiscalizar projetos maiores.

Esses projetos maiores podem ser aeroportos, pontes, edifícios de todo tamanho, rodovias e túneis.

Veja algumas das funções que um engenheiro civil pode fazer:

•        Projetar, gerenciar e executar obras civis;

•        Supervisionar e gerencia a equipe com os prazos, qualidade, segurança e os custos;

•        Testa os solos determinando a capacidade de resistência para suportar as estruturas;

•        Emitir laudos e pareceres técnicos;

•        Conduzir as reuniões de alinhamento com fornecedores, clientes e equipes de trabalho;

•        Elaborar relatórios técnicos;

•        Fazer toda a análise com a verificação de medição de serviço e de obra;

•        Elaborar cronogramas em conjunto com a gerência da fábrica e demais engenheiros;

•        Realizar follow-up up com fornecedores quanto a entrega de equipamentos;

Leia também: as melhores certificações para engenheiros(as) civis.

 

2.    QUANTO GANHA UM ENGENHEIRO CIVIL?

O salário pode variar bastante de acordo com o que faz um engenheiro civil, pois as áreas que os engenheiros civis podem atuar são diversas. Assim, de acordo com cada área o salário irá variar.

De acordo com a empresa Catho, um engenheiro civil poderá ganhar em média de R$ 5.000,00 até aproximadamente RR 23.000,00. Porém essa média tem a variação com cada cargo de um engenheiro civil.

Os valores do salário para cada cargo de um engenheiro civil são:

·          Engenheiro civil Junior: R$ 5.000,00 / mês;

·          Engenheiro civil Pleno: R$ 7.737,00 / mês;

·          Engenheiro civil Gerente: R$ 10.295,00 / mês;

·          Engenheiro civil Sênior: R$ 11.744,00 / mês;

·          Engenheiro civil Diretor: R$ 22.873,00 / mês.

3. SOBRE A CARREIRA DO ENGENHEIRO CIVIL

O engenheiro civil tem um campo vasto de atuação, podendo trabalhar em empresas privadas de diversos portes, empreender seu próprio negócio de construção civil e ocupar posições em órgãos públicos. Alguns dos cargos que um engenheiro civil pode ocupar são:

  • Coordenador de manutenção civil

  • Coordenador de projetos imobiliários

  • Coordenador de planejamento e controle de obras

  • Coordenador de obras

  • Coordenador de compras

  • Fiscal de conservação civil

  • Gerente de projeto

  • Gerente de obra

  • Gerente de operações

  • Engenheiro civil

  • Engenheiro orçamentista

  • Engenheiro para manutenção

  • Diretor de engenharia civil

  • Diretor de infraestrutura predial

  • Diretor de operações

  • Diretor de licitações

  • Vendedor técnico

A profissão de engenheiro civil é regulamentada no Brasil desde 1933. Para exercê-la, é necessário fazer o curso superior de engenharia civil, com duração média de cinco anos, e obter registro no CREA – Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia.

A engenharia civil é considerada uma carreira em alta no Brasil. O aumento do poder aquisitivo da população, investimentos de governos federal, estaduais e municipais em infraestrutura e a exploração de petróleo no pré-sal são alguns dos fatores que aqueceram o mercado de engenharia civil nos últimos anos.

A maior demanda por profissionais fez aumentar também a procura pelo curso superior de engenharia civil, que está entre os mais concorridos do vestibular. Apesar de formar cerca de 38 mil engenheiros por ano, ainda se fala em escassez de mão-de-obra qualificada em engenharia para atender as necessidades do mercado.

Leia também: as melhores certificações para engenheiros(as) civis.
 

4.    MERCADO DE TRABALHO PARA O ENGENHEIRO CIVIL

O mercado de trabalho para um engenheiro civil é bem abrangente e se você está pensando em seguir essa carreira, a notícia boa é que em todo o país e ainda fora do Brasil tem mercado de trabalho em diversas áreas.

Atualmente, a região sudoeste do Brasil é a que tem mais mercado de trabalho para engenheiros civis e as principais áreas que estão empregando é nas empresas de construção civil, escritório de elaboração de projetos, em órgãos públicos (concursos públicos) e a indústria.

De acordo com o IPEA, as estatísticas são bem animadoras para o ano de 2017/2018 no mercado da engenharia civil, mesmo com a crise.

Com o avanço da tecnologia, os engenheiros que estiverem por dentro e estiverem se atualizando junto com a tecnologia, o mercado será bem favorável.

Uma das coisas mais legais que tem entrado no mundo da engenharia civil, é as impressoras 3D. Elas estão cada vez mais presentes devido a criação do conceito construção por contornos.

Para se ter uma ideia, nesse segmento, uma impressora 3D é capaz de até levantar prédios com a programação de engenheiros.

Setor público na engenharia civil:

Há diversas possibilidades para atuar em um setor público. Você terá a oportunidade de prestar concursos municipais, estaduais e os federais. Além de ter a possibilidade de escolher se deseja atuar na carreira militar. O setor público diferentemente da área privada, lhe oferece mais segurança e estabilidade.

Atuar no exterior:

Caso você seja uma das pessoas que deseja viajar para fora do país e mesmo assim quer atuar a profissão de engenheiro civil, então temos notícia boa para você.

Você poderá estudar para fora do país se desejar, ou até mesmo atuar como engenheiro.

Há oportunidades tanto na América como também na Europa e você tem a oportunidade de ingressar onde desejar, se tiver as habilidades necessárias para esses cargos internacionais.

Sustentabilidade:

A sustentabilidade está cada vez mais forte no dia a dia e em todas as áreas. A tecnologia está evoluindo e todas empresas estão cada vez mais preocupada com a sustentabilidade.

Um dos conceitos sustentáveis na área civil é o concreto sustentável. Esse tipo de concreto vem dando muito certo nos novos projetos.

O concreto sustentável é produzido a partir de sobras de construções e de resíduos de outros materiais. Isso ajuda com o desperdício e consequentemente com a redução da poluição.

Os tijolos ecológicos são outros itens ideais da construção civil que setá sendo inovador e econômico, e além disso, possui um assentamento mais prático.

Portanto, se você está querendo se recolocar no mercado ou ingressar no mercado de construção civil, então é bom você estar por dentro da tecnologia que também está tomando conta da engenharia civil.

 

5.  CAPACIDADES QUE UM ENGENHEIRO CIVIL DEVE TER

Agora que você já sabe o que faz um engenheiro civil, veja as principais capacidades que um engenheiro civil deve ter e comece a praticar essas habilidades agora mesmo.

• Resolver problemas complexos: Como em qualquer engenharia, o engenheiro civil também tem a função de resolver os problemas mais complexos. São eles quem planejam as infraestruturas de grandes construções como aeroportos, pontes entre outras.

• Tomar decisões: Um engenheiro civil deve ser capaz de tomar as decisões mais difíceis como problemas relacionado a custos de obras, qualidade de materiais e preocupações com segurança.

• Liderança: Sempre o engenheiro será responsável pela obra e saber gerenciar é essencial. O engenheiro tem que ser capaz de gerenciar de forma inteligente o mestre de obras, projetistas e empreiteiras.

• Gestão de projetos: Somente o engenheiro civil poderá assinar os projetos das obras. Sendo assim, verifique se a obra está tudo na conformidade e sempre esteja acompanhando e avaliando o decorrer da obra.

• Escrita: Se você quer ser um engenheiro e pensa que não terá que se preocupar com o português, você está enganado. Como qualquer engenheiro, você terá que ser bom com a escrita e até mesmo com a leitura, para saber se comunicar com os clientes e parceiros.

23 JAN

As habilidades mais exigidas dos engenheiros civis

2B Educação

A retomada na construção civil aumenta a demanda por engenheiros capazes de tocar o dia a dia de uma obra sem perder o foco na eficiência


De 2014 até 2019, o setor de construção civil encolheu 20,5%. Enquanto a crise fiscal derrubou investimentos em infraestrutura, a instabilidade econômica reduziu a compra de imóveis. Agora o segmento ensaia uma lenta retomada.
 

Nesse cenário de recuperação, uma profissão, em especial, vem ganhando notoriedade: a de gestor de obras. Segundo levantamento do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), a ocupação está entre as 30 que terão maior relevância no futuro. Com a tecnologia facilitando o dia a dia das edificações, esse profissional está ganhando um papel cada vez mais estratégico.
 

Entre suas funções, por exemplo, estão o cronograma do projeto, o controle de custos, o gerenciamento da equipe, a logística de compra e entrega de materiais e a fiscalização das exigências de certificações de qualidade.

Leia também: as melhores certificações para engenheiros civis.

 

“Hoje as construtoras buscam engenheiros capazes de ir além dos números, com habilidade para se comunicar, trabalhar em equipe e planejar”, diz Alexandra Justo, responsável pela área de oportunidades de carreira do Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (Seesp).
 

Isis Borge, gerente sênior da divisão de engenharia e supply chain da consultoria Talenses, ressalta que a função se tornou mais complexa após a crise. “Esse profissional passou a responder pela rentabilidade e pelo planejamento estratégico por trás do empreendimento”, diz.
 

Com a reação da construção civil, ela acredita que haverá aumento da demanda por gestores de obras, sobretudo fora dos grandes centros.
 

Ana Paula Campos Rios, de 29 anos, é gestora de obras de uma construtora no interior de São Paulo. Atualmente, coordena, em Pirassununga, a construção de um bairro planejado com ­1 000­ casas populares. São 200 pessoas, entre funcionários e terceirizados, sob seu comando.
 

“Tive de aprender a liderar e a melhorar o desempenho financeiro do negócio”, afirma. Para isso, investiu em uma pós-graduação em administração na Fundação Getulio Vargas. “Numa obra, você precisa tomar decisões assertivas. Quando surgem contratempos, a resposta deve ser rápida.”


Leia também: as melhores certificações para engenheiros civis.


Fonte: Exame S/A

21 JAN

A retomada da construção civil é para todo mundo?

2B Educação
A retomada da construção civil é para todo mundo?
 

Por um lado, sim, tudo indica que este ano será a grande retomada da Construção Civil:

Como fruto do avanço do mercado imobiliário, o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) de 2019 em relação à construção civil cresceu 2%, o que representa um cenário bastante otimista para os engenheiros.

Em 2020, a tendência é que o setor apresente crescimento ainda maior; estima-se que o crescimento do setor no Produto Interno Bruto chegue a 3%.

Tais dados foram divulgados em dezembro de 2019 pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon - SP), em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Além disso, a abertura de vagas também promete melhorar muito: a estimativa é de que o setor feche o ano com 2,33 milhões de trabalhadores empregados, de acordo com Odair Senra, presidente do Sinduscon-SP.

Estamos falando de um aumento de 1,8 por cento em relação ao ano passado!

Isso significa, segundo reportagem do R7 feita neste mês, que a Construção Civil pode gerar 150 mil empregos ainda neste ano. Um crescimento muito relevante, levando em conta todos as 27 quedas consecutivas do setor nos últimos anos.

Por outro lado, isso não significa que será um bom ano para todos que trabalham com Construção Civil....

E isso se deve à resistência que muitos profissionais têm em se atualizar e aderir às novas práticas do setor. Uma pesquisa feita pela Farmer Review mostrou que, nos últimos 20 anos, o setor foi o que menos apresentou aumento de produtividade, ficando atrás da Área Indústrial, Serviços e diversos outros setores da economia.

Segundo Adimilson Moura, Diretor da Construtora Escala, os métodos construtivos do Brasil, no geral, são oriundos de 1960. "É um dos setores com menor nível de evolução no Brasil e no mundo. Toda a cadeia de produção precisa ser repensada", afirma Moura.

Já Pedro Henrique, CEO da Obrazul, afirma que:  "Se a gente ficar sempre com aquele pensamento de que 'o que está funcionando está bom', a gente nunca vai avançar. Daqui a pouco, o que está funcionando vai precisar de uma atualização. E é melhor atualizar antes e sermos pioneiros do que ter que depois correr atrás de tecnologias de outros países que vão cobrar mais caro. Temos mão de obra e pessoas inteligentes para fazer isso no território nacional."

O mercado brasileiro como um todo sofre de um paradoxo quando falamos sobre a inserção de profissionais no mercado de trabalho: muitos profissionais não conseguem uma colocação por causa da concorrência acirrada, enquanto, muitas vezes, sobram vagas quando falamos de cargos que exigem mais capacitação.

Mas esse problema não se resume à contratação na engenharia civil, é uma questão que se estende para o dia a dia de uma empresa no setor. A busca é permanente por mais produtividade e qualidade com menores custos. Isso faz com que haja uma seleção natural, privilegiando os profissionais mais qualificados em detrimento daqueles menos qualificados ou que não buscaram atualizar-se em relação às novas tecnologias e produtos.

Para o mercado, a capacitação profissional hoje é um ponto de partida para o profissional que busca novas oportunidades. Mas, além disso, é principalmente uma forma dele crescer junto a empresa — oferecendo esse conhecimento para atualizar processos e operações e também repassá-lo a todo a equipe.

Quer começar a se capacitar?! Acesse o Minicurso GRATUITO de Orçamento de Obras com 6 aulas ministradas pelo Aldo Dórea Mattos.

A evolução de métodos e sistemas construtivos é permanente e ocorre de forma rápida e abrangente. A indústria pesquisa, desenvolve, adapta e implementa, mudando constantemente o cenário produtivo da construção civil. Dessa forma, é o setor de produção, nas obras, que apresenta maior lacuna em relação à capacitação necessária ao desempenho de suas atividades.

Portanto, é hora de traçar objetivos profissionais tanto para o seu crescimento quanto da sua empresa. Primeiro, vamos falar um pouco sobre como iniciar essa mudança por você.

O segredo de uma boa capacitação na construção civil hoje é não se resumir a habilidades diretas na sua área. A capacitação técnica é primordial, entretanto, é necessário enxergar outras habilidades que, uma vez aprimoradas, contribuam para o resultado final do seu trabalho.

A tecnologia está trazendo para todas as áreas de trabalho uma busca por otimização combinando processos automatizados, capacidade de lidar com dados e mobilidade na produtividade. Isso significa incluir mais colaboração e tomadas de decisões mais rápidas na rotina de um engenheiro.

Por exemplo na etapa de orçamento, que é extremamente trabalhosa, pois demanda que todas as quantidades sejam levantadas e que todos os preços unitários sejam pesquisados e associados às respectivas quantidades, que englobam:

- os serviços a serem executados;

- os materiais necessários;

- a equipe responsável por cada etapa.
 

Geralmente, o levantamento de quantitativos é feito utilizando projetos no AutoCAD ou até mesmo impressos, e, posteriormente, são inseridos em planilhas.

Em seguida, são incluídas as composições de custo unitário de cada serviço para que seja possível calcular a quantidade de materiais para cada serviço, assim como a quantidade de mão de obra.

Diversas vezes, essas composições de custo unitário são retiradas de fontes como o Sinapi, o que compromete a precisão do orçamento, uma vez que essas fontes oferecem médias.

Além disso, como já foi dito, quando ocorria alguma alteração no projeto, era necessário refazer ou revisar o orçamento realizado para identificar as possíveis interferências e realizar as alterações necessárias.

Portanto, fica evidente que todas essas etapas são muito trabalhosas e o uso de softwares específicos e até mesmo usando BIM pode facilitar muito todo esse processo.

Agora sabendo disso tudo, o que você vai fazer para se atualizar ao máximo em 2020 e colher todos os frutos dos primeiros resquícios dessa grande Reinvenção da Construção Civil?

Uma das nossas maneiras de ajudar profissionais que estão buscando essa capacitação é mantê-lo atualizado quanto ao processo de orçamentação de obras, e mais do que isso, com o uso de softwares, de forma a alinhar o conhecimento técnico à prática com foco na tecnologia. Por isso, desenvolvemos o Curso Online de Orçamento de Obras, com o Professor Aldo Dórea Mattos, que além de ser uma referência do tema no Brasil, ele fez questão de utilizar o software OrçaFascio, para alinhar toda a parte teórica à tecnologia que está cada vez mais presente na nossa vida hoje.

Conheça nosso curso e se mantenha atualizado e preparado para a retomada da construção civil em 2020!

Curso Online de Orçamento de Obras: clique aqui e conheça!

Caso queira conhecer um pouco de como vai ser seu curso, acesse um Minicurso GRATUITO de Orçamento de Obras com 6 aulas ministradas pelo Aldo Dórea Mattos.
 
13 JAN

Concurso da Embasa 2020 - Análise da banca

2B Educação


A publicação do edital do concurso da Embasa (Empresa Baiana de Águas e Saneamento), que promete ofertar mais de 800 vagas, estava prevista para o final de 2019.

 
Como isto não ocorreu, as chances de o edital ser publicado já no início de 2020 são muito grandes, e pode acontecer a qualquer momento! Como a banca do certame já foi definida, preparamos esta matéria para que você saiba desde já com que tipo de prova estará lidando.
 
O concurso da Embasa de 2017 ofertou vagas para Analistas de Saneamento com foco em engenheiros(as) civis, então, existem chances reais de 2020 trazer boas vagas para você!
 
CLIQUE AQUI e adquira o nosso Curso Preparatório do CONCURSO EMBASA 2020 – comece já a se preparar para este concurso!
 
Adiantamos desde já: as perspectivas são boas! Se quiser saber mais sobre a banca organizadora do concurso da Embasa 2020, não saia daqui ainda:
 

Concurso da Embasa 2020 – Instituto AOCP

 
Apesar de ainda estar ganhando espaço como banca organizadora, tendo em vista que não tem muito tempo no mercado (se comparada às demais), o Instituto AOCP organizou concursos de grande importância nos últimos tempos. São exemplos:
 
 - Tribunal de Justiça/MG;
 
- IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística);
 
- Polícia Civil/ES;
 
- e outros.
 
No estado da Bahia, o Instituto AOCP costuma estar presente em concursos públicos para instituições de grande porte (a exemplo do TRT, da Universidade Federal da Bahia e da PRODEB – Companhia de Processamento de Dados).
 
Sendo assim, se você pretende prestar concursos públicos no estado da Bahia (a exemplo do concurso da Embasa 2020), é imprescindível que você conheça o perfil do Instituto AOCP, pois é provável que você se depare com a banca em muitos momentos.
 

Análise da banca – Concurso da Embasa 2020
 

Nós sabemos que algumas bancas são temidas pelo rigor das provas que aplicam, ou mesmo por conta do estilo de prova – é comum que os candidatos não gostem do modelo “Certo ou Errado”, por exemplo.
 
Pode ficar tranquilo(a): a banca do Instituto AOCP não é das piores.
 
Primeiramente, as provas objetivas do Instituto têm, via de regra, questões de múltipla escolha, nas quais você deve marcar somente aquela correta ou incorreta, a depender do enunciado. Nesse aspecto, você não precisa utilizar nenhuma estratégia; basta ler com atenção e marcar.
 
> As questões são compostas, geralmente, por 5 alternativas que você deverá analisar (e marcar só uma!).
 
Além disso, a banca do Instituto AOCP geralmente cobra um nível médio dos assuntos previstos no edital. Se você tiver um conhecimento razoável de todas as disciplinas elencadas no documento, provavelmente não enfrentará grandes dificuldades.
 
Ressaltamos, ainda, que não é comum que a banca utilize enunciados confusos ou que contenham armadilhas; aposta geralmente na literalidade das assertivas.
 
Mas nada é perfeito, não é?
 
Já que a banca examinadora do Concurso da Embasa 2020 não exige dos candidatos uma estratégia mais complexa para realização da prova, você precisa estar muito atento àquele que será o seu maior obstáculo: a concorrência.
 
Os candidatos costumam ficar aliviados quando a banca examinadora não tem um perfil de complexidade alta nas provas, mas isso significa que você precisará atingir uma pontuação mais alta na avaliação.
 
Não entendeu? Nós explicamos: a prova da Embasa 2020, por exemplo, terá complexidade média para você e para os seus concorrentes, então, você precisa garantir que terá a preparação que te garantirá uma quantidade grande de acertos na avaliação.
 
Do contrário, você corre o risco de não alcançar a sua aprovação justamente porque a prova não é complexa – para você e para ninguém! Ironicamente, ela demandará de você um estudo muito minucioso dos temas do edital.

CLIQUE AQUI e adquira o nosso Curso Preparatório do CONCURSO EMBASA 2020 – comece já a se preparar para este concurso!


Como se preparar para a prova do Instituto AOCP – Embasa 2020
 

Apesar de as provas do Instituto AOCP não terem um nível alto de complexidade, se comparadas a algumas bancas examinadoras existentes no país, você precisa conhecer a banca e a forma de cobrança das questões.
 
Nós sabemos que, sem o edital, não há como ter certeza do conteúdo a ser cobrado; mas você já pode aprender agora como o Instituto AOCP costuma fazer provas.
 
Então, em vez de esperar o edital, dê um passo à frente da concorrência e comece a dar uma olhada em provas anteriores do Instituto AOCP. E sabe o que é melhor? Nós podemos te ajudar com isso!
 
>>> Clique aqui para acessar o nosso banco de provas, busque por “AOCP” e veja provas da banca dos últimos anos!
 
Nós também estamos ansiosos pelo edital do Concurso da Embasa 2020, mas acredite, ele sairá a qualquer momento. E você não quer contar com a sorte para a aprovação, não é?
 
Acesse os nossos materiais de estudo e saia na frente dos concorrentes:
 
Não esqueça de CLICAR AQUI e conhecer o nosso Curso Preparatório do CONCURSO EMBASA 2020 – comece já a se preparar para este concurso com o nosso curso online FOCADO nesse concurso!

 

Bons estudos!
10 DEC

Município de Osório (RS) publica edital para concurso público

2B Educação

Concurso Osório 2019

 

Mais concursos abertos na área de:
- Arquitetura: Clique aqui
- Educação Física: Clique aqui
- Engenharia Civil: Clique aqui
- Pedagogia: Clique aqui
- Serviço Social: Clique aqui

Informações do edital

Pedagogia
- Vagas: 14
- Remuneração:
R$ 1.967,18
- Carga horária: 20h semanais
Material de estudo

Engenharia civil
- Vagas: CR
- Remuneração:
R$ 8.537,14
- Carga horária: 40h semanais
Material de estudo

Arquitetura
- Vagas: CR
- Remuneração: R
$ 8.537,14
- Carga horária: 40h semanais
Material de estudo

Serviço Social
- Vagas: CR
- Remuneração:
R$ 2.679,49
- Carga horária: 20h semanais
Material de estudo


Sobre o Edital, inscrições e a Prova:
- Data Inscrições: 10/12/2019 a 24/12/2019
- Qntd. Questões: 40
- Data da prova: 01/03/2019 e 08/03/2019
- Edital: clique aqui


Passe na frente e comece a se preparar agora para este concurso


Confira materiais de estudo!
- Pedagogia
- Serviço Social

- Engenharia Civil
- Arquitetura

Dúvidas sobre os materiais de estudos para este concurso? Entre em contato com a gente via Whatsapp. Clique aqui!

Confira nossa lista VIP 2B:

Ao se inscrever você recebe dicas, materiais de estudo gratuitos e notícias sobre editais que saíram e os que ainda estão por vir em primeira mão.
Inscreva-se agora mesmo e fique por dentro!

- Educação Física
- Pedagogia

- Arquitetura
- Serviço Social
- Engenharia Civil