Prova Concurso - Engenharia - 2005-CASA-DA-MOEDA-ENGENHEIRO-CIVIL - CESGRANRIO - CASA - 2005

Prova - Engenharia - 2005-CASA-DA-MOEDA-ENGENHEIRO-CIVIL - CESGRANRIO - CASA - 2005

Detalhes

Profissão: Engenharia
Cargo: 2005-CASA-DA-MOEDA-ENGENHEIRO-CIVIL
Órgão: CASA
Banca: CESGRANRIO
Ano: 2005
Nível: Superior

Downloads dos Arquivos

prova.pdf
gabarito.pdf

Provas relacionadas

ENGENHEIRO-NUCLEARAMAZUL2018
ENGENHEIRO-AREA-MECANICAUFPA2018
ENGENHEIRO-ENGENHARIA-MECANICAUFPA2018

Gabarito

cesgranrio-2005-casa-da-moeda-engenheiro-civil-gabarito.pdf-html.html

 

CASA DA MOEDA DO BRASIL - PROCESSO SELETIVO N º 01/05 

NÍVEL DE ENSINO SUPERIOR – PROVA REALIZADA EM 11/09/2005 - GABARITO 

 
 

PORTUGUÊS III 

1- E 

2- A 

3- D 

4- C 

5- C 

6- B 

7- A 

8- B 

9- C 

10- E 

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

ANALISTA DE NÍVEL SUPERIOR 

ENGENHEIRO 

PROJETISTA 

DE VALORES 

ADVOGA

D

ASSISTENTE S

O

CIAL 

C

O

NT

AB

IL

ID

AD

FINA

NÇAS 

JORN

ALISM

O

 

PLANEJAME

N

TO 

PCP 

ANÁLISE DE SISTEMAS 

SUPORTE DE INFORMÁTICA 

SUPRIMENTOS

 

TREINA

MENTO 

VENDAS 

AUDI

TOR 

BIBLI

O

TE

CÁRI

CIVIL 

ELETRÔNICO 

MECÂNIC

O

 

DE PROD

Ã

O

 

QUÍMI

CO 

DE SEGUR

ANÇ

A DO 

TRA

BALH

O

 

GRAV

AD

OR D

E VALORES 

MÉDICO DO TR

ABA

LH

NUTRICI

ONISTA 

PRODUTOS E PROCESSOS 

PROJETOS ARTÍSTICOS 

PSICÓLOGO 

11- D  11- A  11- C  11- C  11- D  11- C  11- E 

11- E  11- C  11- E 

11- B  11- E 

11- D  11- D  11- C  11- ANUL  11- A  11- A  11- A  11- D  11- D 

11- C 

11- C 

11- D 

11- A  11- A 

12- A  12- B  12- A  12- A  12- C  12- C  12- B  12- D  12- B  12- E 

12- C  12- C 

12- A  12- E  12- C 

12- A 

12- B  12- D  12- D  12- A  12- E 

12- B 

12- C 

12- A 

12- E 

12- A 

13- E  13- C  13- D  13- D  13- D  13- E 

13- C  13- C  13- A  13- A  13- A  13- B 

13- E  13- C  13- D 

13- C 

13- E  13- B  13- C  13- D  13- A 

13- B 

13- E 

13- B 

13- C  13- D 

14- E  14- E  14- E  14- C  14- E  14- D  14- A  14- A  14- E 

14- C  14- E  14- E 

14- B  14- A  14- A 

14- E 

14- A  14- E 

14- B  14- B  14- B 

14- E 

14- D 

14- A 

14- B  14- B 

15- B  15- D  15- E  15- E  15- C  15- C  15- C  15- C  15- B  15- E 

15- C  15- D 

15- C  15- D  15- C 

15- D 

15- B  15- C  15- D  15- E  15- A 

15- C 

15- A 

15- C 

15- E 

15- E 

16- C  16- A  16- D  16- B  16- D  16- D  16- A  16- B  16- C  16- B  16- E  16- C 

16- D  16- B  16- A 

16- B 

16- D  16- C 

16- E  16- C  16- E 

16- C 

16- B 

16- E 

16- A  16- A 

17- B  17- E  17- C  17- C  17- E  17- E 

17- E 

17- B  17- C  17- B  17- D  17- A 

17- B  17- D  17- E 

17- A 

17- D  17- C  17- C  17- A  17- D 

17- D 

17- B 

17- D 

17- C  17- B 

18- A  18- B  18- E  18- B  18- C  18- A  18- A  18- C  18- D  18- D  18- B  18- C 

18- B  18- A  18- A 

18- E 

18- C  18- E 

18- D  18- C  18- E 

18- A 

18- E 

18- B 

18- D 

18- E 

19- D  19- C  19- A  19- B  19- A  19- C  19- B  19- D  19- D  19- B  19- E  19- B 

19- C  19- D  19- E 

19- C 

19- B  19- E 

19- A  19- A  19- C 

19- A 

19- C 

19- B 

19- A  19- A 

20- A  20- C  20- B  20- A  20- C  20- D  20- C  20- B  20- C  20- B  20- A  20- D 

20- A  20- B  20- D 

20- B 

20- E  20- D  20- B  20- B  20- B 

20- C 

20- B 

20- A 

20- D  20- D 

21- B  21- B  21- B  21- E  21- A  21- B  21- D  21- A  21- A  21- E 

21- E  21- B 

21- C  21- C  21- B 

21- A 

21- C  21- E 

21- E  21- E  21- B 

21- D 

21- E 

21- C 

21- E 

21- A 

22- D  22- A  22- B  22- A  22- B  22- B  22- D  22- A  22- B  22- D  22- E  22- D 

22- C  22- E  22- B 

22- D 

22- D  22- D  22- B  22- E  22- C 

22- E 

22- D 

22- E 

22- B  22- C 

23- C  23- E  23- A  23- A  23- C  23- A  23- D  23- C  23- B  23- C  23- C  23- A 

23- A  23- A  23- C 

23- D 

23- A  23- A  23- C  23- C  23- B 

23- B 

23- A 

23- B 

23- C 

23- E 

24- D  24- C  24- D  24- C  24- E  24- D  24- E 

24- E  24- A  24- A  24- C  24- A 

24- C  24- E  24- D 

24- C 

24- A  24- C  24- C  24- E  24- B 

24- C 

24- C 

24- E 

24- A 

24- E 

25- A  25- D  25- A  25- B  25- A  25- E 

25- A  25- D  25- E 

25- B  25- A  25- E 

25- B  25- C  25- C 

25- C 

25- E  25- A  25- C  25- D  25- E 

25- D 

25- B 

25- C 

25- D  25- C 

26- B  26- A  26- B  26- E  26- E  26- B  26- A  26- E  26- E 

26- D  26- C  26- C 

26- D  26- C  26- B 

26- C 

26- C  26- B  26- B  26- D  26- C 

26- C 

26- E 

26- D 

26- D  26- B 

27- E  27- C  27- C  27- D  27- C  27- A  27- B  27- A  27- D  27- D  27- C  27- D 

27- E  27- C  27- E 

27- D 

27- E  27- D 

27- E  27- C  27- D 

27- D 

27- D 

27- C 

27- B  27- C 

28- C  28- D  28- A  28- D  28- B  28- B  28- B  28- A  28- C  28- A  28- D  28- D 

28- A  28- B  28- C 

28- E 

28- D  28- A  28- A  28- A  28- E 

28- B 

28- D 

28- D 

28- B  28- B 

29- C  29- D  29- D  29- D  29- A  29- B  29- B  29- D  29- D  29- C  29- D  29- C 

29- D  29- A  29- B 

29- E 

29- C  29- C  29- B  29- B  29- A 

29- E 

29- A 

29- E 

29- E 

29- D 

30- A  30- E  30- D  30- B  30- C  30- A  30- D  30- E  30- B  30- B  30- A  30- C 

30- E  30- B  30- E 

30- A 

30- C  30- B  30- A  30- C  30- C 

30- E 

30- A 

30- C 

30- C  30- C 

 

Prova

cesgranrio-2005-casa-da-moeda-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO CIVIL

ENGENHEIRO CIVIL

ENGENHEIRO CIVIL

ENGENHEIRO CIVIL

ENGENHEIRO CIVIL

SETEMBRO  2005

CASA DA MOEDA DO BRASIL

LEIA  ATENTAMENTE  AS  INSTRUÇÕES  ABAIXO.

01    -

Você recebeu do fiscal o seguinte material:

a)  este caderno, com o enunciado das 30 questões das Provas Objetivas, sem repetição ou falha, assim

distribuídas:

b) CARTÃO-RESPOSTA destinado às respostas às questões objetivas formuladas nas provas.

02    -

Verifique se este material está em ordem e se o seu nome e número de inscrição conferem com os que aparecem no
CARTÃO-RESPOSTA. Caso contrário, notifique IMEDIATAMENTE o fiscal.

03    -

Após a conferência, o candidato deverá assinar no espaço próprio do CARTÃO-RESPOSTA, preferivelmente a caneta
esferográfica de tinta na cor preta.

04    -

No CARTÃO-RESPOSTA, a marcação das letras correspondentes às respostas certas deve ser feita cobrindo a letra e
preenchendo todo o espaço compreendido pelos círculos, a caneta esferográfica de tinta na cor preta, de forma
contínua e densa. A LEITORA ÓTICA é sensível a marcas escuras; portanto, preencha os campos de marcação
completamente, sem deixar claros.

Exemplo:

A

B

C

D

E

05    -

Tenha muito cuidado com o CARTÃO-RESPOSTA, para não o  DOBRAR,  AMASSAR  ou  MANCHAR.
CARTÃO-RESPOSTA SOMENTE poderá ser substituído caso esteja danificado em suas margens superior ou inferior
BARRA DE RECONHECIMENTO PARA LEITURA ÓTICA.

06    -

Para cada uma das questões objetivas, são apresentadas 5 alternativas classificadas com as letras (A), (B), (C), (D) e (E);
só uma responde adequadamente ao quesito proposto. Você só deve assinalar UMA RESPOSTA: a marcação em
mais de uma alternativa anula a questão, MESMO QUE UMA DAS RESPOSTAS ESTEJA CORRETA.

07    -

As questões objetivas são identificadas pelo número que se situa acima de seu enunciado.

08    -

SERÁ ELIMINADO do Processo Seletivo Público o candidato que:

a) se utilizar, durante a realização das provas, de máquinas e/ou relógios de calcular, bem como de rádios gravadores,

headphones, telefones celulares ou fontes de consulta de qualquer espécie;

b) se ausentar da sala em que se realizam as provas levando consigo o Caderno de Questões e/ou o CARTÃO-RESPOSTA.

09    -

Reserve os 30 (trinta) minutos finais para marcar seu CARTÃO-RESPOSTA. Os rascunhos e as marcações assinaladas

no Caderno de Questões NÃO SERÃO LEVADOS EM CONTA.

10    -

Quando terminar, entregue ao fiscal  O CADERNO DE QUESTÕES E O CARTÃO-RESPOSTA , E ASSINE A LISTA DE
PRESENÇA.
Obs. 
Por razões de segurança, o candidato somente poderá levar o Caderno de Questões se permanecer na sala
até 30 (trinta) minutos antes do encerramento das provas.

11        -

O TEMPO DISPONÍVEL PARA ESTAS PROVAS DE QUESTÕES OBJETIVAS É DE 2 (DUAS) HORAS E (TRINTA)

MINUTOS.

12   -

As questões e os gabaritos das Provas Objetivas serão divulgados no segundo dia útil após a realização das

provas na página da FUNDAÇÃO CESGRANRIO (www.cesgranrio.org.br).

Questões

11 a 15
16 a 20
21 a 25
26 a 30

Pontos

2,0
3,0
4,0
5,0

PORTUGUÊS III

Questões

1 a 5

6 a 10

Pontos

2,0
4,0

CONHECIMENTOS

ESPECÍFICOS

cesgranrio-2005-casa-da-moeda-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO CIVIL

2

cesgranrio-2005-casa-da-moeda-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO CIVIL

3

Ao longo de uma vida inteiramente dedicada ao estudo e
à análise da ética enquanto base da convivência huma-
na, e de uma permanente reflexão sobre o papel da ética
na conquista de um autoconhecimento, pode o profes-
sor Gabriel Chalita ser considerado hoje como o
propugnador máximo de uma transformação ética do país,
só ela capaz de resolver os grandes problemas que o
Brasil vem enfrentando há séculos.(...)
ZS: Qual foi o ponto de partida para seu livro (Os dez
mandamentos da ética
) sobre ética?
GC: Foi minha permanente observação de que o ser hu-
mano está cada vez mais distante da ética e do equilíbrio.
O que vemos é a agressividade quase gratuita que se tra-
duz em brigas, violência no trânsito e no radicalismo exa-
cerbado gerador dos conflitos de ordem política, social e
religiosa, bem como dos vários tipos de preconceito e de
discriminação. São valores, concepções e ações equivo-
cadas, distorcidas e arcaicas que vêm prejudicando a
humanidade, como um todo, em vários momentos da sua
História. Essas atitudes e pensamentos estão na contra-
mão do que se espera de um mundo marcado pela forte
simbologia do novo milênio e de um novo século que, em
tese, deveriam trazer mais evolução, mais conscientização,
mais compreensão a respeito das coisas. Neste contexto,
creio que o resgate e/ou fortalecimento de valores essen-
ciais à vida em comunidade, tais como: honestidade, res-
peito às diferenças, tolerância, amor e solidariedade —
cada vez mais necessários nos dias de hoje — estão
profundamente vinculados e dependentes da apreensão
da ética e do seu exercício contínuo. Por isso, este livro
— fruto de anos como estudioso da filosofia, educador e
observador do comportamento humano — visa a colaborar
para o fortalecimento destas virtudes e para a reflexão em
torno delas.(...)
ZS: Acha que a melhor compreensão da ética ajudaria a
encurtar o abismo entre o discurso e a prática política?
GC: Sem dúvida. Muitos representantes da classe políti-
ca precisam compreender melhor o que é o chamado
“caminho do bem” — magistralmente descrito por
Aristóteles — bem como o que é a ciência do bem co-
mum. Dessa forma, certamente agiriam de maneira mui-
to mais comprometida e responsável.
Estou convencido de que o resultado de suas ações se-
ria muito melhor se refletissem mais a respeito da gran-
de responsabilidade social que têm nas mãos quando
ocupam um cargo. Outra reflexão essencial para eles
seria sobre o aspecto transitório do poder e o modo como
a brevidade dessa passagem impõe seriedade, princí-
pios éticos e uma postura correta em relação às pessoas
e às suas necessidades mais prementes.

Jornal de Letras, n

o

 72, RJ, ago. 2004.

PORTUGUÊS III

O texto a seguir é parte de uma entrevista concedida por
Gabriel Chalita a Zora Seljan e publicada no Jornal de
Letras.

5

1 0

1 5

2 0

2 5

3 0

3 5

4 0

4 5

5 0

1

Segundo o texto, a ética, para Gabriel Chalita, pode promover:

I - maior compreensão do indivíduo sobre si mesmo;
II - relacionamento positivo entre os homens;
III - solução das crises e conflitos brasileiros.

Está(ão) correta(s) o(s) item(ns):
(A) I, somente.

(B) II, somente.

(C) III, somente.

(D) I e II, somente.

(E) I, II e III.

2

No trecho “...radicalismo exacerbado gerador dos confli-
tos...” (l.14-15), a palavra destacada significa que o radica-
lismo se tornou mais:
(A) intenso.
(B) intempestivo.
(C) inusitado.
(D) inconseqüente.
(E) incompreensível.

3

Ao introduzir mais um período, a expressão “Neste con-
texto” (l. 24) refere-se à(ao):
(A) prática cotidiana da ética pelos cidadãos.
(B) comparação estabelecida entre ética e equilíbrio.
(C) pleno exercício da ética num grande país.
(D) afastamento de valores imprescindíveis ao convívio social.
(E) reconhecimento da importância de valores equivocados.

4

Segundo o autor, espera-se também dos políticos que aten-
dam a princípios éticos, tendo em vista a:
(A) certeza da reeleição.
(B) extensão do mandato.
(C) transitoriedade do poder.
(D) inconstância dos valores.
(E) responsabilidade dos eleitores.

5

No trecho “... que, em tese, deveriam trazer mais evolução,”
(l. 22-23), o verbo dever está na forma de plural porque
concorda com:
(A) a humanidade.
(B) ações equivocadas.
(C) novo milênio e novo século.
(D) essas atitudes e pensamentos.
(E) vários momentos da sua História.

cesgranrio-2005-casa-da-moeda-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO CIVIL

4

6

“São valores, concepções e ações equivocadas, distorcidas
e arcaicas que vêm prejudicando...” (l.17-18). Na forma ver-
bal assinalada está o verbo:
(A)

vir, na terceira pessoa do plural do presente do subjuntivo.

(B)

vir, na terceira pessoa do plural do presente do indicativo.

(C)

vir, na terceira pessoa do singular do presente do
subjuntivo.

(D)

ver, na terceira pessoa do plural do presente do indicativo.

(E)

ver, na terceira pessoa do singular do presente do
indicativo.

7

Dessa forma, certamente agiriam de maneira muito mais
comprometida e responsável.” (l.41-42). A expressão assi-
nalada pode ser substituída, sem alteração de sentido, por:
(A) Assim

(B) Por que

(C) Embora

(D) Porém

(E)

Isto é

8

Dentre as palavras assinaladas, a que NÃO pertence à
mesma classe gramatical das demais é:
(A)

“... uma vida inteiramente dedicada ao estudo...” (l.1)

(B)

“... minha permanente observação ...” (l.11)

(

C)

“... estão profundamente vinculados ...” (l.28-29)

(D)

“... magistralmente descrito ...” (l.39)

(E)

“Dessa forma, certamente agiriam ...” (l.41)

9

A palavra que FOGE à regra de acentuação que as demais
seguem é:
(A) substância.
(B) núcleo.
(C) idéia.
(D) família.
(E) tendências.

10

Assinale a opção em que o item destacado muda de signifi-
cado e passa a pertencer a outra classe de palavras quando
colocado após o substantivo.
(A) Drásticas limitações.
(B) Criativa resistência.
(C) Difíceis tempos.
(D) Negros anos.
(E) Certas leis.

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

11

Assinale a opção que apresenta apenas fundações em esta-
cas moldadas in situ.
(A) Strauss e Mega.
(B) Strauss e Metálica.
(C) Franki e Simplex.
(D) Franki e Metálica.
(E) Metálica e Mega.

12

De acordo com o cronograma de uma obra, o serviço A
está previsto para ser realizado linearmente em dois meses.
Para tanto, foram contratadas 3 equipes de trabalho que
apresentaram a mesma produtividade e, no primeiro mês,
executaram 30% do total geral do serviço.  Consideran-
do a produtividade obtida com estas três equipes inici-
ais, para que não haja atraso na entrega dos trabalhos,
quantas equipes deverão trabalhar no segundo mês?
(A)   4
(B)   6
(C)   7
(D)   8
(E) 10

13

No processo de preparação para montagem de uma estrutura
de madeira, nas peças que forem submetidas a uma
secagem rápida da superfície podem aparecer defeitos
como:
(A) nós.
(B) gretas.
(C) fibras reversas.
(D) fendas.
(E) apodrecimento.

14

Em uma determinada pintura, para baixar a viscosidade
de uma tinta a óleo, devem ser utilizados:
(A) solventes.
(B) pigmentos.
(C) plastificantes.
(D) selantes.
(E) estabilizantes.

cesgranrio-2005-casa-da-moeda-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO CIVIL

5

15

De acordo com a norma NBR 14931 da ABNT, salvo disposi-
ções em contrário, a concretagem deve ser suspensa se as
condições ambientais forem adversas, com temperatura
ambiente superior a ____°C ou ventos acima de____ m/s.
A opção que completa, correta e respectivamente, a
afirmativa é:
(A) 35 e 35

(B) 40 e 20

(C) 40 e 60

(D) 45 e 45

(E) 45 e 50

16

Leia atentamente as afirmativas a seguir sobre a utilização
de andaimes na construção.

I - Sobre o piso de trabalho de andaimes, é proibido

utilizar escadas ou outros meios para se atingir lugares
mais altos.

II - Nos andaimes suspensos mecânicos, é permitido

aumentar o estrado, desde que o trecho em balanço
não ultrapasse 10% do comprimento entre apoios.

III - A cadeira suspensa (balancim individual) deve ser

sustentada por meio de cabo de aço ou de cordas de
fibras naturais ou artificiais.

De acordo com a NR 18 – Condições e Meio Ambiente do
Trabalho na Indústria da Construção, é (são) verdadeira(s)
a(s) afirmativa(s):
(A) I, apenas.

(B) III, apenas.

(C) I e II, apenas.

(D) II e III, apenas.

(E) I, II e III.

17

Segundo HÉLIO CREDER, “Cubículo é um tipo especial de
caixa de ____________ porte que pode servir como caixa de
________________________.”

As palavras que completam, correta e respectivamente, a
frase acima sobre instalações telefônicas em edifícios são:
(A) pequeno; distribuição.
(B) pequeno; distribuição geral.
(C) grande; distribuição geral.
(D) grande; distribuição ou de distribuição geral.
(E) grande; distribuição, de distribuição geral ou de passagem.

18

Um vidro transparente que apresente uma leve distorção
das imagens refratadas, corretamente especificado, é
denominado:
(A) liso.

(B) polido.

(C) impresso.

(D) esmaltado.

(E) opaco.

19

Observe os dados e o croqui abaixo, referentes a uma peça
sujeita a um esforço de compressão axial.

Dados:

Q = carga concentrada

A

n

= área da seção transversal

Sem considerar qualquer majoração ou minoração, todos
os valores admissíveis para Q em MN são:
(A)   40
(B)   15
(C)   30
(D)   40
(E)   45

20

Observe as afirmativas a seguir.

I - Em um ensaio de tração, a força que provoca a ruptura

da peça é chamada de carregamento último.

II - Uma peça estrutural deve ser projetada de forma que a

carga última seja consideravelmente menor que o carre-
gamento que a peça irá suportar em condições normais
de utilização.

III  - Coeficiente de segurança é a relação entre o carrega-

mento último e o carregamento admissível.

É (São) verdadeira(s) a(s) afirmativa(s):
(A) I, apenas.

(B) III, apenas.

(C) I e II, apenas.

(D) I e III, apenas.

(E) I, II e III.

n

= tensão máxima admissível à compressão

A = 1,5m

1

2

A = 2,0m

2

2

A = 3,0m

3

2

= 40MPa

1

Q

Q

= 30MPa

2

= 15MPa

3

cesgranrio-2005-casa-da-moeda-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO CIVIL

6

21

Nas estruturas de aço, as tensões de cisalhamento
provocadas pelo esforço cortante constituem um estado de
equilíbrio com as cargas, quando a resultante destas passa
no centro de cisalhamento da seção. Quando a resultante
das cargas não passar no centro de cisalhamento da seção,
além de flexão e esforço cortante, em relação ao eixo da
peça, teremos:
(A) compressão.
(B) momento de torção.
(C) tração.
(D) compressão + torção.
(E) tração + torção.

22

Observe as curvas de nível do levantamento topográfico
representado no croqui abaixo.

Considerando que o retângulo ABCD representa uma esca-
vação com paredes verticais, o volume geométrico de corte,
em metros cúbicos, sem qualquer acréscimo, calculado a
partir da cota 2,0 metros, vale:
(A) 150
(B) 325
(C) 450
(D) 675
(E) 850

23

Em instalações elétricas de baixa tensão, nos esquemas
de condutores vivos em circuitos de corrente alternada,
trifásicos sem neutro e trifásicos com neutro (corr e n t e s
desequilibradas), os números de condutores a considerar,
respectivamente, são:
(A) 2 e 3
(B) 3 e 3
(C) 3 e 4
(D) 4 e 3
(E) 4 e 4

A

B

5m

10m

D

C

10m

3m

4m

5m

24

Considere o quadro engastado e livre abaixo.

Onde:
Q

n

 = carga concentrada aplicada em N

q = carregamento distribuído em N/m

Analisando o diagrama de esforços normais dessa estrutu-
ra, pode-se afirmar que o trecho que apresenta o esforço
normal nulo é, apenas, o:
(A) AB.
(B) AE.
(C) BC.
(D) DF.
(E) EB.

25

Considere os dados e o croqui abaixo, referentes à estrutura
de uma tesoura de telhado.

A altura H da cumeeira, em metros, vale:
(A) 5,00
(B) 6,87
(C) 7,34
(D) 8,25
(E) 9,32

q

D

E

Q

F

B

C

A

1

Q

2

30

O

45

O

20m

H

30°

0,50

0,86

0,58

45°

0,71

0,71

1,00

sen

cos

tan

Dados:

cesgranrio-2005-casa-da-moeda-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO CIVIL

7

26

Considerando os limites para as dimensões das lajes
estabelecidos pela NBR 6118 da ABNT, é INCORRETO
afirmar que:
(A) nas lajes nervuradas, a espessura  das nervuras não deve

ser inferior a 5 cm.

(B) nas lajes nervuradas, as nervuras com espessura menor

que 8 cm devem conter armadura de compressão.

(C) nas lajes de piso, a espessura mínima é de 7 cm.
(D) 13 cm  é um valor aceitável para espessura de uma laje

destinada à passagem de veículos.

(E) 10 cm é o limite mínimo para espessura de uma laje que

suporte veículos de peso total menor que 30 kN.

27

Uma empresa de engenharia ganhou uma licitação, na
modalidade convite, para a reforma de salas em um prédio
público e assinou o contrato com valor fixo e irreajustável
de R$ 120.000,00. Durante a execução, verificou-se que a
quantidade de serviços era maior que a estabelecida em
contrato. Com base na Lei 8666/93, para essa situação, é
correto afirmar que:
(A) não pode haver acréscimo de serviços.
(B) pode haver acréscimos até o limite de R$ 12.000,00,

que corresponde a 10% do valor do contrato.

(C) pode haver acréscimos até o limite de R$ 30.000,00,

que corresponde a 25% do valor do contrato.

(D) pode haver acréscimos até o limite de R$ 30.000,00,

totalizando R$ 150.000,00, que é o valor máximo para a
modalidade convite.

(E) pode haver acréscimos até o limite de R$ 60.000,00,

que corresponde a 50% do valor do contrato.

28

Observe o quadro articulado abaixo.

Diante das condições apresentadas, sendo C uma rótula,
é correto afirmar que:
(A) se trata de um quadro isostático.
(B) se trata de uma estrutura hiperestática.
(C) se trata de um quadro hipoestático.
(D) se trata de uma viga Gerber.
(E) esta estrutura não é um quadro triarticulado.

A

B

P

C

x

y

RASCUNHO

)

CONTINUA

cesgranrio-2005-casa-da-moeda-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO CIVIL

8

Diâmetro dos tubos (polegadas)

N

o

 de tubos de ½” com a mesma capacidade

1/2

1

3/4

2,9

1

6,2

1 1/4

10,9

1 1/2

17,4

2

37,8

2 1/2

65,5

3

110,5

4

189

Polegadas

mm

1/2

20

3/4

25

1

32

1 1/4

40

1 1/2

50

2

60

2 1/2

75

3

85

4

110

29

Adote os dados abaixo para o cálculo de um ramal de água fria em uma instalação predial.

Seções equivalentes para dimensionamento dos diâmetros dos ramais

Conversão adotada dos diâmetros em polegadas para mm (tubos soldáveis)

Ramal hidráulico predial:

Considerando os dados apresentados, os diâmetros dos trechos AB e EF, respectivamente, em milímetros, valem:
(A) 20 e 50
(B) 32 e 50
(C) 40 e 60
(D) 50 e 50
(E) 50 e 60

RAMAL

1

E

F

1 ’’

1’’

4

1/2’’

A

B

C

D

G

3/4’’

1/2’’

1/2’’

cesgranrio-2005-casa-da-moeda-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO CIVIL

9

1

3

6

20

160

620

30

40

50

75

100

150

Diâmetro nominal

do tubo

(mm)

N

o

 máximo de

unidades Hunter

de contribuição

30

Adote as tabelas abaixo para o dimensionamento dos ramais de esgoto.

Ramal de esgoto:

Os diâmetros da tubulação de esgoto nos trechos AB, CD e HI, respectivamente, em milímetros,  são:
(A) 100, 40 e 75
(B) 100, 75 e 100
(C) 100, 100 e 150
(D) 150, 100 e 100
(E) 150, 100 e 150

A

B

C

D

E

F

H

I

J

L

MLR

PS

PS

VS VS VS

VS

G

                 Aparelho

Vaso sanitário (VS)

Pia de serviço (PS)

Máquina de lavar roupa (MLR)

Lavatório (L)

N

o

 de unidades Hunter

de contribuição

6

5

14

2

Diâmetro nominal do

ramal de descarga (mm)

100

75

150

40