Prova Concurso - Engenharia - 2005-PETROBRAS-ENGENHEIRO-CIVIL-JUNIOR - CESGRANRIO - PETROBRAS - 2005

Prova - Engenharia - 2005-PETROBRAS-ENGENHEIRO-CIVIL-JUNIOR - CESGRANRIO - PETROBRAS - 2005

Detalhes

Profissão: Engenharia
Cargo: 2005-PETROBRAS-ENGENHEIRO-CIVIL-JUNIOR
Órgão: PETROBRAS
Banca: CESGRANRIO
Ano: 2005
Nível: Superior

Downloads dos Arquivos

prova.pdf
gabarito.pdf

Provas relacionadas

ENGENHEIRO-NUCLEARAMAZUL2018
ENGENHEIRO-AREA-MECANICAUFPA2018
ENGENHEIRO-ENGENHARIA-MECANICAUFPA2018

Gabarito

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-gabarito.pdf-html.html

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO 

EDITAL PETROBRAS / PSP – RH – 1 / 2005

PROVA REALIZADA EM 18/12/2005 - GABARITO 

 

NÍVEL MÉDIO 

AUXILIAR DE SEGURANÇA INTERNA 

OPERADOR(A) I 

SUPRIDOR(A) 

TÉCNICO(A) DE CONTABILIDADE I 

 

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

LÍNGUA PORTUGUESA I 

AUXILIAR DE 

SEGURANÇA INTERNA 

OPERADOR(A) I 

SUPRIDOR(A) 

TÉCNICO(A) 

DE CONTABILIDADE I 

1 – D 

31 – B 

31 – C 

31 – E 

31 – C 

2 – E 

32 – A 

32 – B 

32 – C 

32 – B 

3 – C 

33 – B 

33 – C 

33 – D 

33 – A 

4 – B 

34 – B 

34 – C 

34 – A 

34 – D 

5 – D 

35 – B 

35 – D 

35 – D 

35 – B 

6 – A 

36 – E 

36 – D 

36 – B 

36 – E 

7 – C 

37 – D 

37 – E 

37 – E 

37 – C 

8 – A 

38 – E 

38 – A 

38 – D 

38 – D 

9 – D 

39 – A 

39 – B 

39 – B 

39 – B 

10 – B  

40 – E 

40 – B 

40 – A 

40 – E 

MATEMÁTICA

 

41 – D 

41 – A 

41 – E 

41 – E 

11 – D 

42 – C 

42 – E 

42 – B 

42 – D 

12 – D 

43 – A 

43 – E 

43 – C 

43 – E 

13 – B 

44 – C 

44 – A 

44 – A 

44 – E 

14 – C 

45 – A 

45 – B 

45 – D 

45 – A 

15 – A 

46 – C 

46 – D 

46 – A 

46 – A 

16 – B 

47 – E 

47 – B 

47 – E 

47 – C 

17 – A 

48 – D 

48 – C 

48 – B 

48 – D 

18 – E 

49 – C 

49 – B 

49 – C 

49 – C 

19 – D 

50 – B 

50 – B 

50 – B 

50 – D 

20 – E 

51 – D 

51 – D 

51 – C 

51 – B 

ATUALIDADES

 

52 – E 

52 – E 

52 – A 

52 – A 

21 – A 

53 – C 

53 – D 

53 – D 

53 – B 

22 – E 

54 – E 

54 – D 

54 – C 

54 – D 

23 – B 

55 – A 

55 – C 

55 – E 

55 – C 

24 – C 

56 – C 

56 – B 

56 – A 

56 – B 

25 – B 

57 – E 

57 – A 

57 – C 

57 – E 

26 – C 

58 – E 

58 – D 

58 – E 

58 – E 

27 – D 

59 – C 

59 – B 

59 – C 

59 – C 

28 – D 

60 – D 

60 – D 

60 – B 

60 – B 

29 – A 

61 – A 

61 – E 

61 – C 

61 – A 

30 – E 

62 – B 

62 – B 

62 – D 

62 – E 

 

63 – A 

63 – E 

63 – A 

63 – A 

 

64 – E 

64 – E 

64 – E 

64 – C 

 

65 – C 

65 – A 

65 – D 

65 – A 

 

66 – D 

66 – A 

66 – D 

66 – B 

 

67 – B 

67 – D 

67 – A 

67 – E 

 

68 – D 

68 – B 

68 – C 

68 – D 

 

69 – A 

69 – A 

69 – B 

69 – B 

 

70 – B 

70 – C 

70 – E 

70 - C 

 

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-gabarito.pdf-html.html

 

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO - EDITAL PETROBRAS / PSP – RH – 1 / 2005

PROVA REALIZADA EM 18/12/2005 - GABARITO

 

 

CALDEIREIRO ESPECIALIZADO / CONTROLADOR(A) DE MOVIMENTAÇÃO E TRANSPORTE 

OPERADOR(A) DE MOVIMENTAÇÃO E TRANSPORTE I / TÉCNICO(A) DE ENFERMAGEM 

TÉCNICO(A)  DE INSPEÇÃO DE EQUIPAMENTOS E INSTALAÇÕES I – MECÂNICA E METALURGIA 

TÉCNICO(A) DE SEGURANÇA I / TÉCNICO(A) QUÍMICO DE PETRÓLEO I 

 

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

LÍNGUA 

PORTUGUESA

I

CALDEIREIRO 

ESPECIAL. 

CONTROLADOR(A) 

DE

MOVIMENTAÇÃO 

E

TRANSPORTE

OPERADOR(A) 

DE

MOVIMENTAÇÃO 

E

TRANSPORTE I 

TÉCNICO(A) 

DE

ENFERMAGEM

TÉCNICO(A)  DE 

INSPEÇÃO DE 

EQUIPAM. E 

INSTALAÇÕES I 

– MECÂNICA E 

METALURGIA 

TÉCNICO(A) 

DE

SEGURANÇA

I

TÉCNICO(A) 

QUÍMICO 

DE

PETRÓLEO

I

1 – E 

31 – C 

31 – E 

31 – B 

31 – A 

31 – E 

31 – D 

31 – D 

2 – A 

32 – A 

32 – E 

32 – C 

32 – A 

32 – D 

32 – B 

32 – C 

3 – C 

33 – B 

33 – A 

33 – E 

33 – D 

33 – B 

33 – E 

33 – E 

4 – B 

34 – C 

34 – D 

34 – D 

34 – B 

34 – C 

34 – E 

34 – B 

5 – A 

35 – D 

35 – B 

35 - 

ANULADA

35 – E 

35 – A 

35 – D 

35 – B 

6 – C 

36 – B 

36 – A 

36 – E 

36 – C 

36 – A 

36 – A 

36 – B 

7 – D 

37 – D 

37 – D 

37 – A 

37 – A 

37 – C 

37 – A 

37 – E 

8 – D 

38 – C 

38 – C 

38 – B 

38 – D 

38 – C 

38 – D 

38 – A 

9 – D 

39 – B 

39 – D 

39 – C 

39 – D 

39 – D 

39 – B 

39 – E 

10 – C 

40 – C 

40 – C 

40 – E 

40 – A 

40 – B 

40 – C 

40 – D 

MATEMÁTICA 

41 – B 

41 – D 

41 – A 

41 – C 

41 – D 

41 – B 

41 – D 

11 – B 

42 – E 

42 – E 

42 – C 

42 – A 

42 – E 

42 – A 

42 – A 

12 – C 

43 – D 

43 – C 

43 – A 

43 – D 

43 – C 

43 – C 

43 – E 

13 – A 

44 – D 

44 – E 

44 – E 

44 – C 

44 – A 

44 – D 

44 – E 

14 – D 

45 – A 

45 – B 

45 – B 

45 – E 

45 – B 

45 – E 

45 – A 

15 – E 

46 – B 

46 – E 

46 – E 

46 – A 

46 – B 

46 – A 

46 – E 

16 – E 

47 – B 

47 – C 

47 – C 

47 – B 

47 – C 

47 – E 

47 – A 

17 – D 

48 – D 

48 – A 

48 – A 

48 – B 

48 – C 

48 – C 

48 – C 

18 – C 

49 – E 

49 – B 

49 – B 

49 – E 

49 – B 

49 – B 

49 – A 

19 – C 

50 – A 

50 – D 

50 – D 

50 – C 

50 – E 

50 – D 

50 – B 

20 – A 

51 – E 

51 – B 

51 – B 

51 – B 

51 – D 

51 – B 

51 – D 

ATUALIDADES 

52 – D 

52 – D 

52 – D 

52 – C 

52 – A 

52 – B 

52 – C 

21 – C 

53 – B 

53 – C 

53 – C 

53 – E 

53 – D 

53 – D 

53 – C 

22 – D 

54 – D 

54 – E 

54 – E 

54 – D 

54 – E 

54 – E 

54 – A 

23 – A 

55 – C 

55 – D 

55 – D 

55 – E 

55 – B 

55 – E 

55 – D 

24 – B 

56 – A 

56 – E 

56 – E 

56 – B 

56 – E 

56 – B 

56 – B 

25 – E 

57 – A 

57 – C 

57 – C 

57 – C 

57 – C 

57 – C 

57 – C 

26 – D 

58 – C 

58 – D 

58 – D 

58 – D 

58 – A 

58 – C 

58 – B 

27 – A 

59 – B 

59 – A 

59 – A 

59 – B 

59 – D 

59 – A 

59 – D 

28 – B 

60 – C 

60 – C 

60 – C 

60 – D 

60 – C 

60 – C 

60 – B 

29 – C 

61 – E 

61 – B 

61 – B 

61 – A 

61 – B 

61 – C 

61 – B 

30 – A 

62 – B 

62 – D 

62 – D 

62 – C 

62 – A 

62 – E 

62 – C 

 

63 – D 

63 – A 

63 – A 

63 – A 

63 – D 

63 – A 

63 – B 

 

64 – B 

64 – B 

64 – B 

64 – B 

64 – C 

64 – A 

64 – A 

 

65 – D 

65 – A 

65 – A 

65 – E 

65 – C 

65 – E 

65 – D 

 

66 – B 

66 – E 

66 – E 

66 – E 

66 – A 

66 – A 

66 – E 

 

67 – E 

67 – E 

67 – E 

67 – C 

67 – E 

67 – D 

67 – E 

 

68 – A 

68 – D 

68 – D 

68 – D 

68 – E 

68 – D 

68 – A 

 

69 – E 

69 – C 

69 – C 

69 – D 

69 – B 

69 – C 

69 – D 

 

70 – B 

70 – D 

70 – D 

70 – C 

70 – A 

70 – B 

70 – C 

 

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-gabarito.pdf-html.html

 

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO - EDITAL PETROBRAS / PSP – RH – 1 / 2005

PROVA REALIZADA EM 18/12/2005 - GABARITO

 

 

ELETRICISTA ESPECIALIZADO / INSPETOR(A) DE PRODUTOS 

MECÂNICO(A) ESPECIALIZADO / TÉCNICO(A) DE EXPLORAÇÃO DE PETRÓLEO I – AGRÍCOLA 

TÉCNICO(A) DE EXPLORAÇÃO DE PETRÓLEO I – ELETRÔNICA 

TÉCNICO(A) DE EXPLORAÇÃO DE PETRÓLEO I – GEODÉSIA 

TÉCNICO(A) DE EXPLORAÇÃO DE PETRÓLEO I – GEOLOGIA 

TÉCNICO(A) DE INSTRUMENTAÇÃO 

 
 

LÍNGUA 

PORTUGUESA I 

E
A

C

B

A

C
D
D

D

C

MATEMÁTICA

B

C

A

D

E
E

D

ATUALIDADES

C
D

A
B
E

D

A

LÍNGUA 

INGLESA I 

D

B

D

E

C

B

 

 

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

TÉCNICO(A) DE EXPLORAÇÃO DE PETRÓLEO I 

ELETRI

CI

STA 

ESPECI

ALI

ZADO 

IN

SPETOR(

A)

 DE 

PRODUTOS

MECÂNI

CO(

A)

 

ESPECI

ALI

ZADO 

AGRÍ

COLA

ELETRÔNI

CA

 

GEODÉSI

GEOLOGI

TÉCNI

CO(

A)

 DE 

IN

STRUMENTAÇÃO 

C

E

C

E

D

E

C

D

B

C

A

C

B

C

E

C

B

A

E

A

D

E

D

A

E

D

C

D

D

E

A

A

A

E

D

B

D

A

B

D

D

B

C

A

B

C

D

E

D

E

A

A

D

B

A

B

A

B

D

E

D

D

C

E

D

C

B

B

A

A

B

C

C

A

E

D

C

D

B

D

E

D

B

C

B

D

E

C

B

E

C

B

A

C

B

B

A

B

D

C

B

A

C

B

C

D

A

D

D

D

A

A

A

C

A

E

B

C

E

E

B

D

E

B

B

D

E

E

A

B

E

B

A

B

D

B

D

D

B

E

E

B

D

C

C

B

D

D

A

A

D

A

A

D

A

A

E

B

C

B

C

E

D

C

B

E

A

C

E

A

E

D

E

C

D

C

E

C

D

B

E

B

A

E

E

A

C

C

C

C

A

A

E

B

D

B

E

E

C

C

C

C

C

A

E

A

E

D

A

A

D

C

A

C

E

A

D

E

D

E

B

B

D

B

D

D

E

A

A

A

C

E

B

B

A

B

A

B

A

D

B

E

C

E

E

B

B

A

C

E

C

D

C

E

E

E

D

B

D

C

C

D

B

A

E

D

B

A

B

E

C

E

A

C

E

D

E

A

D

B

C

E

B

E

E

E

D

C

E

C

B

C

C

C

E

D

D

D

A

A

C

B

E

D

B

A

E

D

C

A

A

A

D

B

C

E

D

D

A

C

 

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-gabarito.pdf-html.html

 

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO - EDITAL PETROBRAS / PSP – RH – 1 / 2005

PROVA REALIZADA EM 18/12/2005 - GABARITO

 

 

TÉCNICO(A) DE MANUTENÇÃO I 

TÉCNICO(A) DE PROJETO, CONSTRUÇÃO E MONTAGEM  I 

• CALDEIRARIA 

• COMPLEMENTAR 

• ELÉTRICA 

• ELETRÕNICA 

• ELETRÔNICA – TURBOMÁQUINAS 

• MECÂNICA 

• MECÂNICA – TURBOMÁQUINAS 

• EDIFICAÇÕES 

• ELÉTRICA 

• ELETRÕNICA 

• INSTRUMENTAÇÃO 

• MECÃNICA 

 

 

LÍNGUA 

PORTUGUESA I 

E
A

C

B
A

C
D

D
D

C

MATEMÁTICA

B

C

A

D

E

E

D

ATUALIDADES

C

D

A
B
E

D

A

LÍNGUA 

INGLESA I 

D

B

D

E

C

B

 

 

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

TÉCNICO(A) DE MANUTENÇÃO I 

TÉCNICO(A) DE PROJETO, 

CONSTRUÇÃO E MONTAGEM I 

CALDEI

RARI

COMPLEMENTAR

ELÉTRI

CA 

ELETRÕNI

CA 

ELETRÔNI

CA –

 

TURBOMÁQUI

NAS 

MECÂNI

CA 

MECÂNI

CA –

 

TURBOMÁQUI

NAS 

EDI

FI

CAÇÕES 

ELÉTRI

CA 

ELETRÕNI

CA 

IN

STRUMENTAÇÃO 

MECÃNI

CA 

A

E

B

D

C

C

D

A

C

D

A

E

B

D

D

B

B

A

E

B

C

D

D

B

C

C

B

A

C

A

A

E

D

B

E

D

A

A

C

E

E

B

A

C

B

A

D

D

A

A

E

C

A

B

B

C

D

D

C

D

B

E

A

D

D

E

B

D

B

A

A

E

D

D

B

E

B

B

D

D

C

C

A

A

B

C

A

E

C

E

E

B

B

A

E

A

B

E

B

C

D

E

A

D

A

B

B

B

A

D

B

C

A

C

B

A

A

D

C

C

D

B

A

A

E

E

D

D

E

A

E

A

E

B

D

E

E

D

B

E

B

D

E

D

B

D

C

B

D

A

E

B

C

E

E

B

D

B

E

A

D

A

A

E

B

D

B

D

B

D

E

C

A

E

A

B

C

A

C

E

A

A

E

B

E

E

E

A

E

D

C

C

B

D

E

E

C

D

D

D

D

E

D

E

D

B

A

B

A

A

E

C

B

A

B

C

D

B

C

C

C

C

D

B

E

C

A

E

C

A

C

C

B

C

C

C

A

C

C

D

C

D

D

B

D

A

E

A

B

E

A

B

C

C

D

D

A

B

E

A

D

E

A

C

B

B

A

A

B

B

A

A

A

A

D

D

E

D

D

C

C

E

B

E

E

E

C

B

E

C

A

E

E

C

D

E

E

B

B

A

A

C

B

A

D

C

B

B

B

A

B

A

A

D

E

B

E

C

C

C

D

B

E

C

D

D

D

D

D

B

D

E

C

C

D

D

A

B

A

E

B

E

A

B

A

E

C

D

D

D

C

B

B

C

B

E

C

C

B

E

C

A

E

A

C

B

D

B

A

D

C

A

E

B

B

B

A

A

E

C

E

E

B

C

E

A

A

D

E

B

E

D

A

D

E

B

D

E

E

D

B

E

B

E

E

B

B

C

E

A

C

A

A

B

D

D

E

B

D

E

E

E

A

D

C

B

C

C

B

C

E

B

E

B

E

C

B

D

B

B

B

C

C

A

D

D

D

A

D

D

A

C

C

B

B

E

B

E

B

C

A

D

C

E

E

B

A

E

C

E

C

B

C

A

B

A

D

D

E

B

 

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-gabarito.pdf-html.html

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO - EDITAL PETROBRAS / PSP – RH – 1 / 2005

PROVA REALIZADA EM 18/12/2005 – GABARITO – NÍVEL SUPERIOR

 

 

 

CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR 

LÍNGUA PORTUGUESA II E LÍNGUA INGLESA II 

 

LÍNGUA 

PORTUGUESA II 

1 – E 
2 – B 

3 – C 
4 – D 
5 – C 

6 – B 
7 – A 
8 – A 

9 – D 

10 – E 

LÍNGUA INGLESA II 

11 – C 
12 – C 
13 – D 

14 – E 

15 – C 
16 – D 

17 – B 
18 – A 
19 – B 
20 – E 

 

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-gabarito.pdf-html.html

 

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO - EDITAL PETROBRAS / PSP – RH – 1 / 2005 

PROVA REALIZADA EM 18/12/2005 – CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS - CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR

 

ANALISTA DE SISTEMAS JR 

ECONOMISTA 

ENG. CIVIL 

ADM

INIS

T

PL

EN

O

 

DESENV 

 DE 

SOLUÇÕES 

SUPORTE 

DE 

INFRA-ESTRUT. 

A

SSIST

S

O

CIAL

 J

R

 

CO

NT

ADO

R

 

PL

EN

O

 

DE

NT

IS

T

A

 

PL

EN

O

 

JR

 

PL

EN

O

 

EN

F

E

R

M

 

JR

 

EN

G

AG

N. J

R

 

JR

 

PL

EN

O

 

E

A

E

D

E

D

D

D

E

B

D

B

D

E

A

C

E

B

E

D

B

B

A

E

C

E

E

E

D

B

C

C

D

D

C

A

A

B

C

E

C

C

D

A

E

A

E

D

B

B

D

A

B

A

B

E

C

E

D

A

D

A

B

B

D

D

A

E

B

B

E

E

A

E

D

B

C

C

E

D

C

B

D

D

E

C

B

C

B

A

B

A

A

D

C

C

C

D

A

E

B

B

A

A

C

A

B

C

B

D

B

A

A

E

C

D

D

A

A

A

E

B

B

B

C

B

D

C

D

E

D

B

D

E

E

C

E

D

B

B

A

A

C

B

B

A

A

D

E

E

B

E

E

E

B

E

D

E

D

B

D

C

B

D

B

D

A

E

A

A

C

E

A

D

E

B

B

A

E

C

C

E

E

A

C

E

C

E

A

D

B

E

E

B

A

B

C

A

B

C

D

E

B

A

D

E

A

C

D

D

C

B

C

C

C

B

A

A

A

E

E

B

B

B

A

D

C

D

B

C

A

E

B

D

A

A

D

C

A

E

C

E

E

D

C

A

D

E

E

E

E

B

A

A

B

C

C

D

A

D

E

B

B

C

D

C

B

B

D

B

A

B

E

A

E

B

C

D

A

A

B

B

C

C

A

B

B

D

B

E

A

A

D

E

A

B

B

A

B

D

A

D

E

D

D

E

D

C

A

C

D

C

C

C

D

A

A

D

A

C

A

E

D

E

E

A

E

A

B

A

D

D

D

D

B

B

B

E

A

C

D

B

E

A

B

A

C

A

D

E

E

D

A

C

B

E

B

D

D

D

A

C

C

E

C

E

E

C

C

C

E

C

B

D

B

B

D

B

E

D

E

E

D

C

A

A

C

D

E

A

C

E

C

A

A

A

C

B

A

E

D

D

A

C

E

D

E

A

D

B

E

B

C

E

D

E

C

D

C

B

D

E

C

C

E

D

D

C

D

E

C

E

C

A

E

D

D

B

B

B

D

B

A

D

B

C

D

B

B

D

E

C

B

A

D

D

C

A

B

D

C

E

D

A

D

A

C

C

C

B

B

E

E

C

C

D

A

B

B

D

E

D

D

A

A

C

B

D

E

C

E

C

B

B

D

A

A

B

C

B

A

E

A

D

E

C

A

D

B

E

C

B

D

B

C

B

E

C

D

E

E

A

C

B

E

B

B

B

D

B

C

A

C

E

A

B

B

C

B

A

B

D

C

B

B

E

A

D

A

E

D

C

A

B

A

D

A

D

C

B

C

C

B

E

D

B

C

C

E

E

E

C

B

D

A

B

B

D

A

B

B

A

B

D

C

E

E

E

E

A

D

C

A

A

B

E

A

C

D

B

A

D

B

B

A

B

D

B

B

D

A

C

B

C

E

A

E

A

D

C

D

A

D

E

A

D

C

C

E

E

E

B

C

D

D

D

D

C

D

D

A

B

C

E

A

D

B

B

A

C

C

B

A

E

C

D

D

A

B

D

C

C

B

A

D

D

A

A

C

D

E

C

A

B

C

B

A

A

A

A

A

D

D

A

D

D

B

B

B

E

D

A

E

C

E

C

E

D

D

C

B

C

B

A

C

B

A

D

B

C

C

A

B

C

B

E

E

C

D

B

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-gabarito.pdf-html.html

 

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO - EDITAL PETROBRAS / PSP – RH – 1 / 2005 

PROVA REALIZADA EM 18/12/2005 – CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS - CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR

 

ENG. DE EQUIPAMENTOS PLENO 

ENG DE PRODUÇÃO 

ELÉTRICA INSPEÇÃO MECÂNICA 

ENG. DE 

GEODÉSIA 

JR

ENG. DE MEIO 

AMBIENTE JR 

ENG. DE 

MINAS JR 

ENG. DE PETRÓLEO 

JR – GRAD. EM ENG. 

DE PETRÓLEO 

ENG. DE 

PROC. 

PLENO 

JÚNIOR PLENO 

E

E

B

B

D

B

D

D

B

A

C

C

A

B

C

B

A

D

E

C

B

A

B

D

E

C

E

A

E

E

A

E

E

A

B

E

D

B

A

D

C

D

D

D

D

A

C

C

D

E

A

B

E

D

A

A

C

E

B

A

A

A

A

A

B

C

D

B

D

B

C

B

C

D

E

A

A

A

C

E

D

C

D

E

C

E

B

A

E

B

C

E

C

E

B

E

C

C

A

D

D

E

D

A

B

B

B

B

B

B

C

E

B

E

B

D

E

A

D

D

E

C

A

A

C

D

B

C

C

C

C

C

D

C

A

D

C

D

B

A

D

C

D

B

B

B

C

E

D

A

B

A

B

C

B

C

D

E

E

C

E

D

E

D

E

E

A

B

A

A

E

B

A

C

D

B

B

C

A

D

D

B

A

B

C

A

B

A

E

E

C

D

D

C

A

D

E

D

E

C

B

B

C

D

C

D

A

D

D

C

A

C

B

E

D

E

E

A

B

E

A

C

A

C

D

C

E

C

B

D

B

C

D

A

E

C

A

E

A

E

B

B

E

B

E

B

C

A

E

C

B

B

C

A

D

A

B

D

C

D

B

B

C

B

B

E

A

B

B

A

B

A

E

C

A

A

B

D

C

D

C

D

A

E

C

B

D

E

D

A

B

A

D

E

E

B

D

B

C

B

E

C

E

E

D

C

C

E

A

B

D

B

A

E

D

A

C

E

C

C

C

A

E

B

A

E

A

A

E

D

B

E

D

A

C

D

D

B

A

C

E

D

E

D

B

D

D

D

B

B

D

B

A

B

E

B

A

E

C

D

A

D

B

B

A

E

E

A

B

E

C

D

C

C

D

E

D

C

C

E

E

A

E

E

C

C

B

A

B

C

E

D

B

E

B

D

C

C

D

E

A

A

B

C

D

C

C

E

D

E

D

E

C

A

A

C

B

D

A

B

C

B

A

B

E

B

D

B

E

B

C

E

E

D

A

C

A

B

A

A

B

D

B

E

C

A

E

C

C

A

C

B

D

A

D

B

C

E

D

C

C

C

C

A

B

D

D

C

A

D

D

E

B

D

B

E

A

B

E

D

C

A

A

E

D

B

B

A

C

A

A

D

C

E

C

C

E

B

A

B

B

D

B

C

B

C

E

D

D

C

D

E

E

B

E

D

D

C

B

E

A

A

C

B

A

D

C

A

A

B

A

C

E

D

A

E

E

D

E

A

D

E

E

B

C

A

C

E

E

C

E

E

A

C

C

B

B

B

C

C

E

A

C

D

E

C

C

C

D

B

D

B

A

B

E

B

A

E

C

A

D

E

C

B

E

A

D

C

D

D

E

D

D

C

D

A

D

E

A

B

 

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-gabarito.pdf-html.html

 

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO - EDITAL PETROBRAS / PSP – RH – 1 / 2005 

PROVA REALIZADA EM 18/12/2005 – CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS - CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR

 

ENG. DE SEGURANÇA 

ENG. NAVAL 

JÚNIOR PLENO 

ENG. DE 

TERMINAIS E 

DUTOS JR 

JÚNIOR PLENO 

ESTATÍSTICO(A)

JR

GEOFÍSICO(A)

JR

GEOFÍSICO(A)

PLENO 

RESERVAT. 

GEÓLOGO(A)

JR

GEÓLOGO(A)

PLENO 

RESERVAT 

D

B

B

A

A

C

A

C

D

E

A

E

E

B

D

E

B

B

C

A

A

B

C

C

B

A

C

A

A

D

C

B

B

A

C

E

A

D

D

D

C

B

A

E

C

D

A

B

B

B

B

D

D

E

B

A

D

E

E

E

D

C

E

D

E

C

E

B

B

A

C

D

C

C

C

B

D

C

A

E

B

C

C

E

D

B

A

D

A

B

E

E

E

B

D

D

D

A

C

E

C

A

D

A

A

A

A

E

E

C

E

B

A

A

A

A

C

E

B

D

D

C

B

B

E

C

D

C

C

C

A

B

C

A

B

D

E

A

D

B

A

E

A

B

D

E

E

D

A

D

A

C

B

A

B

E

D

B

E

A

B

C

D

B

C

E

A

E

B

C

A

E

D

C

B

C

B

C

D

C

A

D

A

E

D

B

A

E

C

B

B

A

D

E

A

B

E

E

E

E

B

E

A

A

E

C

D

D

C

A

E

B

D

C

C

D

A

B

D

E

D

D

B

A

D

A

C

B

D

B

C

A

C

C

E

C

E

E

B

E

C

D

D

D

A

B

D

A

A

B

E

C

C

B

D

D

C

C

A

C

B

D

B

A

B

C

D

B

A

E

C

C

C

D

E

E

C

D

E

C

B

C

D

D

A

A

A

E

B

A

A

A

B

E

E

E

D

D

B

A

A

A

A

E

C

E

B

A

E

D

D

A

D

E

B

C

E

E

E

E

C

D

A

C

B

B

B

D

B

E

E

B

A

D

D

A

A

B

A

C

B

C

C

D

A

D

C

B

A

A

E

E

E

E

E

E

E

A

C

D

C

E

E

E

D

A

B

C

C

D

E

A

E

A

B

B

D

D

D

C

D

E

A

D

C

E

A

B

E

E

C

A

E

D

A

D

E

C

C

A

C

B

B

E

E

C

B

A

C

B

A

B

A

D

D

C

E

E

E

A

B

A

B

B

A

B

C

A

B

B

B

E

D

C

B

D

D

B

C

B

E

D

E

C

D

E

A

E

B

D

A

D

E

A

E

A

D

D

D

C

A

D

E

D

C

C

A

A

A

D

D

C

C

B

A

B

E

E

E

B

E

D

A

B

A

D

B

D

B

B

E

C

B

B

D

B

E

A

B

C

A

C

D

E

C

A

B

A

C

E

C

B

C

C

E

D

E

B

C

A

E

C

B

B

B

C

C

E

A

B

B

C

A

D

E

B

E

C

B

D

D

E

B

C

D

A

D

D

A

E

C

A

D

D

B

B

C

D

B

A

B

B

C

A

C

E

B

C

D

A

E

A

C

D

A

D

C

B

A

D

D

D

A

C

D

E

B

E

C

A

D

E

B

C

A

E

B

C

B

C

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-gabarito.pdf-html.html

 

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO - EDITAL PETROBRAS / PSP – RH – 1 / 2005 

PROVA REALIZADA EM 18/12/2005 – CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS - CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR

 

PROFISSIONAL DE COMUNICAÇÃO SOCIAL JR 

MÉDICO(A) 

PLENO 

NUTRICIONISTA 

JR

JORNALISMO 

PUBLICIDADE E 

PROPAGANDA 

RELAÇÕES 

PÚBLICAS 

PROFISSIONAL

JR

(OCEANÓGRAFO)

PSICÓLOGO(A)

JR

C

D

E

C

D

A

E

D

B

D

B

A

E

D

B

D

E

E

A

D

B

A

D

E

D

C

B

C

D

D

A

D

E

B

A

B

E

D

D

C

A

E

E

D

A

C

E

D

A

E

D

A

B

B

B

A

A

A

B

A

D

A

E

E

A

B

D

C

B

B

A

D

C

A

B

D

A

A

A

E

A

D

B

A

C

D

B

D

C

A

C

A

A

B

A

A

C

E

D

B

C

D

E

B

C

C

C

A

E

C

B

A

C

C

D

C

B

C

E

E

C

B

A

D

A

B

C

C

E

B

C

C

B

D

E

E

C

E

D

D

B

C

C

E

D

A

E

A

A

B

C

E

E

E

E

B

B

A

B

C

A

A

B

A

D

A

D

C

B

C

E

A

D

B

E

A

A

D

E

C

E

B

E

C

B

B

B

B

E

B

E

D

E

D

E

E

C

C

B

E

B

A

B

E

B

B

E

B

A

D

C

E

A

A

A

B

B

E

D

B

C

A

E

D

E

B

C

D

C

C

C

D

B

D

D

E

D

B

A

A

C

B

B

D

A

D

E

E

E

D

C

C

C

C

A

A

A

D

C

A

A

B

D

E

A

C

C

B

C

B

C

D

B

A

A

D

C

C

D

D

B

D

E

A

B

E

D

D

E

C

A

D

C

E

A

C

E

E

E

E

B

B

B

A

C

B

D

C

C

D

A

E

D

C

D

D

E

E

A

A

B

D

D

E

A

B

C

A

C

B

C

B

D

A

B

D

B

E

D

B

B

B

D

D

B

C

A

A

C

C

C

B

A

E

B

E

A

D

A

C

C

E

C

A

E

A

C

B

D

E

D

B

D

D

E

C

C

B

C

C

E

A

E

A

C

E

B

A

D

E

D

A

A

D

B

B

B

E

E

E

C

B

E

E

E

D

B

E

B

C

B

A

B

E

E

D

A

E

C

D

Prova

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-prova.pdf-html.html

LÍNGUA

PORTUGUESA II

LÍNGUA

INGLESA II

CONHECIMENTOS

ESPECÍFICOS

Questões

1 a 10

Questões

11 a 20

Questões

21 a 80

ENGENHEIRO(A) CIVIL JÚNIOR

DEZEMBRO / 2005

LEIA  ATENTAMENTE  AS  INSTRUÇÕES  ABAIXO.

01    -

Você recebeu do fiscal o seguinte material:

a) este caderno, com o enunciado das 80 questões das Provas Objetivas, todas com valor de 1,0 ponto, sem

repetição ou falha, assim distribuídas:

b) 1 CARTÃO-RESPOSTA destinado às respostas às questões objetivas formuladas nas provas.

02    -

Verifique se este material está em ordem e se o seu nome e número de inscrição conferem com os que aparecem no
CARTÃO-RESPOSTA. Caso contrário, notifique IMEDIATAMENTE o fiscal.

03    -

Após a conferência, o candidato deverá assinar no espaço próprio do CARTÃO-RESPOSTA, preferivelmente a caneta
esferográfica de tinta na cor preta.

04    -

No CARTÃO-RESPOSTA, a marcação das letras correspondentes às respostas certas deve ser feita cobrindo a letra e
preenchendo todo o espaço compreendido pelos círculos, a caneta esferográfica de tinta na cor preta, de forma
contínua e densa. A LEITORA ÓTICA é sensível a marcas escuras; portanto, preencha os campos de marcação
completamente, sem deixar claros.

Exemplo:

05

-

Tenha muito cuidado com o CARTÃO-RESPOSTA, para não o  DOBRAR,  AMASSAR  ou  MANCHAR.
CARTÃO-RESPOSTA SOMENTE poderá ser substituído caso esteja danificado em suas margens superior ou inferior
-BARRA DE RECONHECIMENTO PARA LEITURA ÓTICA.

06    -

Para cada uma das questões objetivas, são apresentadas 5 alternativas classificadas com as letras (A), (B), (C), (D) e (E);
só uma responde adequadamente ao quesito proposto. Você só deve assinalar UMA RESPOSTA: a marcação em
mais de uma alternativa anula a questão, MESMO QUE UMA DAS RESPOSTAS ESTEJA CORRETA.

07    -

As questões objetivas são identificadas pelo número que se situa acima de seu enunciado.

08    -

SERÁ ELIMINADO do Processo Seletivo Público o candidato que:

a) se utilizar, durante a realização das provas, de máquinas e/ou relógios de calcular, bem como de rádios gravadores,

headphones, telefones celulares ou fontes de consulta de qualquer espécie;

b) se ausentar da sala em que se realizam as provas levando consigo o Caderno de Questões e/ou o CARTÃO-RESPOSTA.

09    -

Reserve os 30 (trinta) minutos finais para marcar seu CARTÃO-RESPOSTA. Os rascunhos e as marcações assinaladas

no Caderno de Questões NÃO SERÃO LEVADOS EM CONTA.

10    -

Quando terminar, entregue ao fiscal O CADERNO DE QUESTÕES E O CARTÃO-RESPOSTA e ASSINE A LISTA DE
PRESENÇA.
Obs. 
O candidato só poderá se ausentar do recinto das provas após 1 (uma) hora contada a partir do efetivo início das
mesmas. Por razões de segurança, o candidato não poderá levar o Caderno de Questões.

11    -

O TEMPO DISPONÍVEL PARA ESTAS PROVAS DE QUESTÕES OBJETIVAS É DE 4 (QUATRO) HORAS.

12   -

As questões e os gabaritos das Provas Objetivas serão divulgados no segundo dia útil após a realização das

provas na página da FUNDAÇÃO CESGRANRIO (www.cesgranrio.org.br).

A

C

D

E

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO(A) CIVIL JÚNIOR

2

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO(A) CIVIL JÚNIOR

3

LÍNGUA PORTUGUESA II

Miopia coletiva

Qual é a relação entre contrair um empréstimo e o dilema
de devorar uma sobremesa calórica? O que têm em
comum as atividades do Banco Central e a decisão de
consumir drogas? O economista Eduardo Giannetti da
Fonseca enxerga em todos esses dilemas a lógica dos
juros. Segundo ele, ao comer a sobremesa, desfruta-se
o momento e pagam-se os juros depois, na forma de exer-
cícios físicos. Para desfrutar alguns momentos de prazer
extático, o drogado muitas vezes sacrifica seu patrimônio
cerebral futuro. Torna-se agiota de si mesmo. Professor
do Ibmec São Paulo, Giannetti acaba de lançar 

O Valor

do Amanhã,

 uma das mais valiosas e legíveis obras já

escritas sobre um assunto tão complexo e aparentemente
árido como os juros. Sua tese central, exposta na entre-
vista que se segue, é a de que o mecanismo dos juros
encontra similar na vida cotidiana das pessoas, na crença
religiosa e até no metabolismo humano. A mesma lógica
define o comportamento dos indivíduos e das socieda-
des. As que atribuem valor exagerado ao presente sujei-
tam-se a juros elevados. As que se preocupam demais
com o futuro deixam passar boas oportunidades de
investir e desfrutar o presente. Integrante do primeiro
grupo de países, o Brasil padeceria do que Giannetti
apelidou de miopia temporal – uma anomalia, alimentada
pela impaciência, que leva o país a subestimar os desa-
fios ambientais e sociais e a tentar resolver tudo a carim-
badas e canetadas.
Veja –

Como o senhor concluiu que o pagamento de

juros não se restringe ao mundo das finanças?

Giannetti – As leis da economia descrevem muito bem o
que ocorre na natureza. Não foi à toa que Charles Darwin,
como ele próprio relata, vislumbrou a teoria da evolução
lendo o economista Thomas Malthus. A luta para manter-se
vivo e se reproduzir é uma forma de economia, e todos os
seres vivos, inclusive os vegetais, precisam de algum
modo decidir entre usar recursos agora e poupá-los para
o futuro. As folhas das árvores captam renda solar para
formar um estoque de energia que produzirá frutos e
sementes na estação propícia. Toda vez que se abre mão
de algo no presente em prol de um benefício futuro (ou
vice-versa) está implícita a ocorrência de juros.
Veja –

Como se dão o acúmulo de poupança e o paga-

mento de juros no mundo biológico?

Giannetti – Em várias situações. Toda vez que come-
mos em demasia, nosso organismo cria uma poupança
automática na forma de gordura. Pode não parecer correto
para quem quer emagrecer, mas, evolucionariamente, faz
muito sentido. A existência dessa poupança na forma de
gordura permite a um animal fazer um consumo pontual
concentrado de energia sem precisar parar a fim de
alimentar-se. Daí que o exercício físico “queima” gordura.
Mas essa poupança tem custos. Você perde agilidade,
perde mobilidade e precisa mantê-la apta para consumo.
Mas traz benefícios. Serve de reserva para situações
de atividade intensa e permite que um animal mantenha
o nível calórico por algum tempo, mesmo que esteja
atravessando um período de “vacas magras”. É o que,
em economia, chamamos de poupança precaucionária. 

(Extraído da Revista Veja, 9 nov. 2005)

1

Indique a opção que reproduz a tese central do texto.
(A) Deve ser feito investimento no futuro para que haja

prazer, em qualquer setor da vida.

(B) A economia pode fornecer matéria para se analisarem

aspectos da vida humana.

(C) Há uma estreita relação entre os juros, a crença religiosa

e o metabolismo humano.

(D) A excessiva preocupação com o futuro deve ser substi-

tuída pela vivência do presente.

(E) Identifica-se, no cotidiano, o processo de pagar no futuro

o uso de bem no presente.

2

Os termos “miopia” e “juros” usados figuradamente no texto
mantêm em comum com os sentidos originais os seguintes
aspectos:
(A) “alteração perceptual, que produz deformação da

realidade” e “perda de bem no futuro por causa de uso
indevido no presente”.

(B) “perda de algum grau de visão para longe” e “taxa a

ser paga posteriormente por uso de benefício tomado
no presente”.

(C) “anomalia que compromete a visão da sociedade”

e “percentual estipulado previamente a ser pago por
empréstimo”.

(D) “deficiência visual que prejudica a visão de perto”

e “fração previamente combinada a ser paga pelo tomador
de numerário”.

(E) “incapacidade de visão baseada na impaciência”

e “pagamento a ser feito por utilização imprópria de
algum bem”.

1 0

5

1 5

2 0

2 5

3 0

3 5

4 0

4 5

5 0

5 5

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO(A) CIVIL JÚNIOR

4

3

O conceito de economia adotado no texto NÃO comporta a
noção de:
(A) valor.
(B) poupança.
(C) livre mercado.
(D) captação de recurso.
(E) relação custo/benefício.

4

Pela leitura do primeiro par de pergunta/resposta, só NÃO
se pode dizer que a teoria da evolução:
(A) remete à sobrevivência das espécies.
(B) se refere a acontecimentos naturais.
(C) teve inspiração na economia.
(D) foi vislumbrada por Thomas Malthus.
(E) foi criada por Charles Darwin.

5

Indique a única opção que está em desacordo com a
expressão “carimbadas e canetadas”.
(A) Burocracia.
(B) Imediatismo.
(C) Planejamento.
(D) Imprevidência.
(E) Autoridade.

6

Para o Professor Giannetti, poupança precaucionária
corresponde a:
(A) calorias acumuladas quando as pessoas se alimentam

em excesso.

(B) fundo acumulado para épocas em que se tem pouco

dinheiro.

(C) verba poupada para pagamento de cauções futuras.
(D) gordura armazenada para uso em atividades intensas.
(E) benefício de quem sabe economizar dinheiro.

7

Assinale a opção em que a concordância segue a norma
culta da língua.
(A) Dos dois cientistas consultados, nem um nem outro

aceitou o cargo.

(B) Cada um dos jornalistas fizeram uma pergunta ao entre-

vistado.

(C) Resta ainda muitas dúvidas sobre o cálculo dos juros.
(D) Fazem dois meses que o cientista concedeu uma entrevista.
(E) Os drogados não parecem perceberem o mal que fazem

a si mesmos.

8

Assinale a opção que traz, respectivamente, sinônimos de
“extático” e “anomalia”.
(A) Enlevado, anormalidade.
(B) Exagerado, irregularidade.
(C) Absorto, estranhamento.
(D) Imóvel, aberração.
(E) Histérico, desigualdade.

9

“Como o senhor concluiu que o pagamento de juros não se
restringe ao mundo das finanças?” (l.28-29)

Assinale a opção que reescreve  a pergunta na forma afirma-
tiva, de acordo com a norma culta e mantendo seu sentido
original.
(A) A conclusão a que se chega é que, no mundo das finan-

ças, não há restrição de pagamento de juros.

(B) A conclusão de que o mundo das finanças não restringe

o pagamento de juros é mostrada.

(C) A não-limitação do pagamento de juros no mundo das

finanças é a conclusão do economista.

(D) A conclusão aduzida é que pagamento de juros não se

reduz só ao mundo das finanças.

(E) A falta de delimitação do pagamento de juros para o

mundo das finanças é o que é deduzido.

”Giannetti apelidou de miopia temporal – uma anomalia,” (l.23-24)

”...vislumbrou  a teoria da evolução lendo o economista

Thomas Malthus...” ( l.32-33)

”A luta para manter-se vivo e se reproduzir ...” (l.33-34)

”Como se dão o acúmulo de poupança e o pagamento de

juros...?” (l.42-43)

”...permite a um animal fazer um consumo pontual concen-

trado de energia...” (l.49-50)

Giannetti apelidou de miopia temporal: uma anomalia...

...vislumbrou  a teoria da evolução ao ler o economista

Thomas Malthus

A luta para se manter vivo e reproduzir-se...

Como se dá o acúmulo de poupança e o pagamento de

juros...

...permite a um animal fazer um consumo pontual,

concentrado de energia,...

(A)

(B)

(C)

(D)

(E)

10

Nas opções a seguir encontram-se colunas, que contêm, à esquerda, frases ou expressões do texto e, à direita, novas
redações  para elas. Indique em qual há ERRO nas reescrituras, de acordo com a norma culta  e com o sentido original.

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO(A) CIVIL JÚNIOR

5

LÍNGUA INGLESA II

Text 1

WHY DO WE NEED OIL AND GAS?

Oil and natural gas are an important part of your

everyday life. Not only do they give us mobility, they heat
and cool our homes and provide electricity. Millions of
products are made from oil and gas, including plastics,
life-saving medications, clothing, cosmetics, and many
other items you may use daily.

In the United States, 97% of the energy that drives

the transportation sector (cars, buses, subways, railroads,
airplanes, etc.) comes from fuels made from oil. Auto
manufacturers are developing cars to run on alternate
fuels such as electricity, hydrogen and ethanol. However,
the electric batteries need to be charged and the fuel to
generate the electricity could be oil or gas. The hydrogen
needed for fuel cells may be generated from natural gas
or petroleum-based products. Even as alternative fuels
are developed, oil will be crucially important to assuring
that people can get where they need to be and want to
go for the foreseeable future. Unless there is an increase
in the penetration of new technologies, alternative fuels
are not expected to become competitive with oil for
transportation before 2025.

World population is currently around 6 billion people,

but is expected to grow to approximately 7.6 billion by
2020. That will mean a huge increase in the demand for
transportation fuels, electricity, and many other consumer
products made from oil and natural gas.

The world economy runs on these fuels. They

improve your quality of life by providing you with
transportation, warmth, light, and many everyday products.
They enable you to get where you need to go, they supply
products you need, and they create jobs. Without them,
quality of life would decline and people in developing
nations would not be able to improve their standard of
living.

http://www.spe.org/spe/jsp/basic/0,1104_1008218_1108884,00.html

11

The main purpose of Text 1 is to:
(A) analyze in detail how global economy works.
(B) provide all available data on world population growth.
(C) explain the importance of oil and gas in our daily routines.
(D) criticize auto manufacturers in the U.S. for using fuels

made from oil.

(E) warn against the explosive population growth expected

in the near future.

5

1 0

1 5

2 0

2 5

3 0

12

Mark the only true statement according to the second
paragraph of Text 1.

(A) By the year 2025 oil fuels will no longer be used in the

transportation sector.

(B) In the U.S., less than half of the energy used for

transportation derives from oil.

(C) Alternative fuels may become competitive with oil for

transportation from 2025 on.

(D) In the near future all American-made cars will run on

alternative fuels such as hydrogen.

(E) Manufacturers have developed battery-powered cars,

whose batteries do not need recharging.

13

Mark the correct statement concerning reference.

(A) “Your” (line 1) refers to “oil and natural gas”.

(B) “They” (line 17) refers to “alternative fuels”.

(C) “That” (line 24) refers to “6 billion people”.

(D) “These fuels” (line 27) refers to “oil and natural gas”.
(E) “They” in “they enable you” (line 30) refers to “everyday

products”.

14

In the Text 1, the words “daily” (line 6) and “currently” (line 22)

could be replaced with, respectively:
(A) “seldom” and “actually”.

(B) “frequently” and “now”.

(C) “in daytime” and “today”.

(D) “habitually” and “generally”.

(E) “every day” and “presently”.

15

Check the item in which there is a correct correspondence

between the underlined words and the idea in italics.

(A) “Not only do they give…” (line 2) – 

Condition

.

(B) “alternate fuels such as electricity” (lines 10 -11) –

Addition

.

(C) “However, the electric batteries…” (lines 11 -12) –

Contrast

.

(D) “Even as alternative fuels are developed”. (lines 15 -16)

Cause

.

(E) “…but is expected to grow to…” (line 23) – 

Result

.

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO(A) CIVIL JÚNIOR

6

Text 2

CONCEPTS OF LEADERSHIP

Good leaders are made, not born. If you have the

desire and willpower, you can become an effective leader.
Good leaders develop through a never ending process of
self-study, education, training, and experience.

To inspire your workers into higher levels of teamwork,

there are certain things you must be, know, and do. These
do not come naturally, but are acquired through continual
work and study. Good leaders are continually working
and studying to improve their leadership skills.

Before we get started, let’s define leadership.

Leadership is a process by which a person influences
others to accomplish an objective and directs the
organization in a way that makes it more cohesive and
coherent. Leaders carry out this process by applying their
leadership attributes, such as beliefs, values, ethics,
character, knowledge, and skills. Although your position
as a manager, supervisor, lead, etc. gives you the authority
to accomplish certain tasks and objectives in the
organization, this power does not make you a leader...it
simply makes you the boss. Leadership differs in that it
makes the followers want to achieve high goals, rather
than simply bossing people around.

The basis of good leadership is honorable character

and selfless service to your organization. In your
employees’ eyes, your leadership is everything you do
that effects the organization’s objectives and their well
being. Respected leaders concentrate on what they are
(such as beliefs and character), what they know (such
as job, tasks, and human nature), and what they do (such
as implementing, motivating, and providing direction).

http://www.nwlink.com/~donclark/leader/leadcon.html

16

Text 2 affirms that good leaders:

(A) believe that the skills and abilities necessary to

leadership are innate.

(B) should never let themselves be influenced by their

subordinates or co-workers.

(C) must continually teach their co-workers how to develop

leadership skills.

(D) keep on improving their skills through continuous work

and education.

(E) would acquire more work experience if they had greater

willpower.

5

1 0

1 5

2 0

2 5

3 0

17

“To inspire your workers into higher levels of teamwork” (Text

2, line 5) means to:

(A) advise your subordinates to form different groups within

the organization.

(B) encourage people under your lead to improve their ability

to work together.

(C) urge all the workers to do their best to achieve higher

positions in the company.

(D) teach your employees how to work cooperatively to

increase profits.

(E) convince the organization’s employees that they must

work in teams.

18

According to Text 2 (lines 16 - 22), the difference between

bosses and leaders is that:

(A) leaders are more influential and inspiring to their workers.

(B) leaders are not usually allowed to give orders to people.

(C) leaders often seem more authoritarian and demanding

than bosses.

(D) bosses tend to be selfish and to neglect the workers’

well-being.

(E) bosses are not fully respected by their employees and

peers.

19

In the sentence, “Leaders carry out this process by applying

their leadership attributes, such as beliefs, values…and skills”

(lines 14 -16), the underlined expression means the same as:

(A) plan.

(B) conduct.

(C) evaluate.

(D) call off.

(E) put an end to.

20

Texts 1 and 2 have in common the fact that they are:

(A) alarming and ironical.

(B) pessimistic and hopeless.

(C) distressing and discouraging.

(D) indifferent and cynical.

(E) informative and objective.

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO(A) CIVIL JÚNIOR

7

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

21

Considerado-se Q como a resultante das cargas oriundas da
viga e que a estrutura de apoio da figura acima representada
tem tensão admissível à compressão de 0,2 MPa, o menor
valor de x, em centímetros, sem qualquer majoração ou
minoração, para atender à situação apresentada deverá ser:
(A) 5

(B) 10

(C) 20

(D) 25

(E) 40

22

No estudo das propriedades dos corpos sólidos, a capacida-
de que têm os corpos de se reduzirem a fios sem se rompe-
rem refere-se a:
(A) ductilidade.

(B) maleabilidade.

(C) plasticidade.

(D) dureza.

(E) elasticidade.

23

Se um novo projeto de alinhamento para um determinado
logradouro incorporar a esse logradouro uma área perten-
cente a uma propriedade particular, ter-se-á um(a):
(A) afastamento.

(B) alinhamento.

(C) recuo.

(D) zoneamento.

(E) investidura.

24

O Estatuto das Cidades – Lei 10.257 de 2001 utiliza, entre
outros, os seguintes instrumentos jurídicos:
I –

desapropriação;

II – concessão de direito real de uso;
III – regularização fundiária;
IV – usocapião especial de imóvel urbano;
V – tombamento de imóveis ou mobiliário urbano.

Tornam a sentença verdadeira os itens:
(A) I e II, apenas.
(B) I, II e III, apenas.
(C) II, III e V, apenas.
(D) I, II, III e V, apenas.
(E) I, II, III, IV e V.

25

Observe as situações I e II, para a viga bi-apoiada, abaixo
esquematizada.

Analisando a estrutura, na mudança da situação I para a
situação II, excetuando-se os apoios, o momento fletor do
único ponto da viga que se manteve inalterado, em N.m, vale:

(A) Q

2

8

(B) Qa

(C)

Qb

4

(D) Qa

2

(E)

Q

Q

b

a +

2

26

De acordo com as definições da NBR 12721:1999 ( Avalia-
ção de custos unitários e preparo de orçamento de constru-
ção para a incorporação de edifício em condomínio), a medi-
da da superfície de quaisquer dependências cobertas, nela
incluídas as superfícies das projeções de paredes, pilares e
demais elementos construtivos, corresponde à área:
(A) real do pavimento.
(B) real global.
(C) real privativa do pavimento.
(D) real privativa da unidade autônoma.
(E) coberta real.

27

Dentro da análise estrutural, a  NBR 6118: 2003 (Projetos de
estruturas de concreto), define que elementos lineares são
aqueles em que o comprimento longitudinal supera a maior
dimensão da seção transversal em, pelo menos,
(A) 1,0 vez.
(B) 2,0 vezes.
(C) 2,5 vezes.
(D) 3,0 vezes.
(E) 4,0 vezes.

Q = 5.000 N

x

x

Vista

10 cm

Planta

viga

a

a

Q

Q

b

b

Situação I

Situação II

Dados:
• Q em Newton
• a e b em metros
• a < b
•  = a + b

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO(A) CIVIL JÚNIOR

8

28

Os momentos de inércia do retângulo de base b e altura h,
em relação aos eixos baricêntricos acima esquematizados,
são, relativamente ao eixo x

0

 e ao y

0

, respectivamente,

(A) bh

hb

2

2

8

8

e

(B)

bh

hb

3

3

3

3

e

(C) bh

hb

3

3

12

12

e

(D)

hb

bh

3

3

12

12

e

(E)

h

b

3

3

12b

12h

e

29

Os agregados para concreto podem ser classificados con-
forme a densidade aparente do material em leves, médios e
pesados.  Observe os exemplos a seguir:
I –

areias quartzosas;

II – vermiculita;
III – argila expandida;
IV – barita;
V – granito.

São exemplos de agregados leves, apenas:
(A) I e III.
(B) II e III.
(C) III e IV.
(D) II, III e IV.
(E) I, III, IV e V.

30

Para uma pintura de 750 m

²

, um teste comparativo entre os

dois tipos de tinta que foram aprovados apresentou os se-
guintes resultados:

• Tinta 1 :  2 demãos com rendimento por demão de 25m

²

/galão

• Tinta 2 :  3 demãos com rendimento por demão de 30 m

²

/galão

A partir desses dados, é correto afirmar que o consumo da
tinta:
(A) 1 é 20% menor que o da tinta 2.
(B) 1 é 25% menor que o da tinta 2.
(C) 2 é 10% maior que o da tinta 1.
(D) 2 é 15% menor que o da tinta 1.
(E) 2 é igual ao da tinta 1.

31

Um engenheiro desenvolverá duas tarefas distintas, confor-
me abaixo descrito.

• Tarefa 1: constatação de um fato, mediante exame circuns-

tanciado, e descrição minuciosa dos elementos que o cons-
tituem, sem a indagação das causas que o motivaram.

• Tarefa 2:  Determinação técnica do valor qualitativo ou mone-

tário de um bem, de um direito ou de um empreendimento.

De acordo com a Resolução 345 do Confea (Conselho Fede-
ral de Engenharia, Arquitetura e Agronomia), ele realizará,
respectivamente, uma:
(A) perícia e um arbitramento.
(B) perícia e uma avaliação .
(C) vistoria e um arbitramento.
(D) vistoria e uma avaliação.
(E) vistoria e uma perícia.

32

Segundo a NBR14931:2004 (Execução de Estruturas de
Concreto), as barras de aço das armaduras não devem ser
dobradas junto às emendas por solda.  Considerando 

f

 o

diâmetro das barras, a distância mínima permitida é  n 

f

.

O valor de n que atente à norma é:
(A) 2
(B) 5
(C) 10
(D) 15
(E) 20

2

2

b

h

h

x

x

b

y

0

0

y

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO(A) CIVIL JÚNIOR

9

As questões de números 33 a 35 referem-se ao terre-

no com as curvas de nível abaixo representadas.

Dados:
• 5  <  P1  <  10
• Curvas de nível a cada 5 metros
• Algumas curvas de nível não foram cotadas propositada-

mente

• Cota de P6 = 12,00 m
• P8 <  10

33

A cota do ponto P2:
(A) vale 5 m.
(B) vale 10m.
(C) vale 15 m.
(D) é a mesma de P1.
(E) não pode ser definida.

34

A única cota que P3 NÃO pode assumir é:
(A) 5m.
(B) 10m.
(C) 15m.
(D) 20m.
(E) a mesma de P2.

35

É correto afirmar que a cota de :
(A) P4 é sempre diferente da cota de P6.
(B) P4 é sempre diferente da cota de P5.
(C) P5 é sempre menor que a de P6.
(D) P5 pode ser igual à de P1.
(E) P5 pode ser igual à de P7.

36

Segundo a NBR 6118:2003 (Projetos de Estruturas de Con-
creto), em estruturas de concreto, as emendas de barras
por traspasse não são permitidas para tirantes e nem para
barras com bitolas, em milímetros, maiores que:
(A) 40

(B) 32

(C) 25

(D) 16         (E) 12,5

As questões de números 37 e 38 referem-se

ao texto e aos dados abaixo.

No estudo do transporte público urbano de uma cidade, para
identificar o trecho de maior carregamento (seção crítica), foi
realizada uma pesquisa “sobe-desce” entre os pontos inicial
e final de uma linha de ônibus, conforme representam o grá-
fico e os dados fornecidos.

Dados:
Sentido da viagem de ida: P1 

  P7 (início e fim)

  = número de passageiros que embarcam.

  = número de passageiros que desembarcam.

37

A quantidade de passageiros que desceu no ponto final foi:
(A) 14

(B) 51

(C) 71

(D) 122

(E) 193

38

Sabendo-se que os ônibus desta linha possuem 70 lugares
sentados e 50 em pé, e considerando que sempre que um
lugar sentado vagasse, ele era imediatamente ocupado
pode-se afirmar que, no trecho crítico:
(A) sobraram apenas 20 lugares no ônibus.
(B) todos puderam sentar.
(C) apenas 15 pessoas ficaram em pé.
(D) a lotação do ônibus ficou esgotada.
(E) a ocupação foi de 90%.

39

Em uma concretagem, a NBR 14931:2004 (Execução de
Estruturas de Concreto), entre outros cuidados, recomenda
que quando o lançamento for submerso, a dosagem deve
prever um concreto:
(A) coeso, apenas.
(B) plástico, apenas.
(C) auto-adensável, coeso e plástico.
(D) adensável por vibradores de imersão.
(E) seco.

5

10

15

10

8

1

7

2

3

4

6

5

P

P

P

P

P

P

P

P

15

15

P

20

5 30

10

20 10

22 12

14

50

P

P

P

P

P

P

1

2

3

4

5

6

7

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO(A) CIVIL JÚNIOR

10

40

A viga de madeira maciça, alta e esbelta acima representa-
da, em função das cargas indicadas, pode sofrer um tipo de
instabilidade conhecido como:
(A) flambagem lateral.
(B) fibras reversas.
(C) cisalhamento transversal.
(D) flexão invertida.
(E) tração esmoada.

41

Com relação aos aparelhos de apoio fixos utilizados em pon-
tes, pode-se afirmar que:
(A) não permitem o movimento de rotação.
(B) permitem os movimentos de translação.
(C) transmitem esforços verticais, apenas.
(D) transmitem esforços horizontais, apenas.
(E) transmitem esforços horizontais e verticais.

42

Considere as definições abaixo, todas referentes à NBR
6118:2003 (Projetos de Estrutura de Concreto).
I –

Elementos lineares de eixo reto, em que as forças nor-
mais de tração são preponderantes.

II – Elementos lineares em que a flexão é preponderante.
III – Elementos de superfície não plana.

Os nomes dos elementos estruturais para as definições I, II
e III, respectivamente, são:
(A) pilares-parede, cascas e chapas.
(B) tirantes, vigas e cascas.
(C) tirantes, cascas e pilares-parede.
(D) vigas, arcos e chapas.
(E) vigas, tirantes e cascas.

43

Na fase inicial da precipitação, o volume escoado representa
a diferença entre a precipitação total e os volumes retidos,
infiltrados, evaporados e acumulados nas depressões.  Es-
sas águas escoadas têm sentido dado pela linha de maior
declive do terreno e são conhecidas como:
(A) torrentes.
(B) redes de drenagem.
(C) águas sujeitas.
(D) águas subsuperficiais.
(E) águas livres.

44

De acordo com as definições da NBR 6118:2003 (Projetos
de Estruturas de Concreto), em estruturas de concreto, ar-
maduras ativas são armaduras:
(A) de cisalhamento.
(B) de protensão.
(C) longitudinais.
(D) negativas.
(E) positivas.

As questões de números 45 e 46 referem-se aos

dados  e ao PERT/CPM abaixo representado,

que deve ser corretamente completado.

45

Os valores x e y são, respectivamente:
(A) 7 e 7
(B) 7 e 8
(C) 8 e 7
(D) 8 e 8
(E) 9 e 7

46

Observe as afirmativas a seguir.
I –

Se a atividade A atrasar 2 dias,mantidas as demais con-
dições, a obra atrasará 2 dias.

II – Se a atividade B durasse 2 dias, mantidas as demais

condições,a obra seria concluída em 9 dias.

III – Mesmo que a atividade C dure 3 dias, mantidas as de-

mais condições,a obra será entregue no prazo.

É(São) verdadeira(s) a(s) afirmação(ões):
(A) I, apenas.
(B) II, apenas.
(C) III, apenas.
(D) II e III, apenas.
(E) I, II e III.

Q

Q

D

C

B

A

3

4

y

x

0

TT (Data mais tarde)

2

1

TC (Data mais cedo)

N do evento

o

Atividade

A
B
C
D

Duração (em dias)

7
5
2
5

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO(A) CIVIL JÚNIOR

11

47

Observe a viga bi-apoiada e os dados abaixo.

Dados:
• M em N.m

 em metros

• q em N/m

Sabendo-se que o valor absoluto de M = 

2

q

- 2

2

, o valor

absoluto, em N, da reação vertical em B vale:

(A) 2q

3

(B)

M

q -

(C)

M - q

2

(D) 2,0

(E) 6,0

48

Leia com atenção as afirmativas a seguir, sobre vertedouros.
I –

Vertedouros podem ser usados na medição de vazão
de pequenos cursos d’água e condutos livres, assim
como no controle do escoamento em galerias e canais.

II – Em vertedouros, a borda horizontal inferior é denomina-

da soleira e a superior, crista.

III – Carga do vertedor é a altura atingida pelas águas, a contar

da soleira do vertedor, medida no meio da parede do
vertedor.

IV – Um vertedor cuja largura seja inferior à do canal em que

se encontra é considerado um vertedor com contração.

De acordo com Azevedo Netto (Manual de Hidráulica), são
verdadeiras, apenas, as afirmativas:
(A) I e II.
(B) I e IV.
(C) II e IV.
(D) I, II e III.
(E) II, III e IV.

As questões de números 49 e 50 referem-se

ao croqui e aos dados da estrutura abaixo.

49

Para as lajes L1 e L2, o esquema estrutural é:

(A)

V

V

V

V

L

L

7

5

5

4

2

1

(B)

V

V

V

V

L

L

5

7

5

4

1

2

(C)

V

V

V

L

L

5

7

5

1

2

(D)

V

V

V

L

L

7

5

5

2

1

(E)

V

V

V

V

L

L

7

5

5

4

2

1

50

O único esquema estrutural correto para a laje L4 é:

(A)

V

V

L

3

2

4

(B)

V

V

L

3

2

4

(C)

V

V

L

6

5

4

(D)

V

V

L

6

5

4

(E)

V

V

L

6

5

4

l

l

M

4

q

B

A

V

V

V

V

V

V

V

L

L

L

L

L

7

6

5

4

3

2

1

4

3

2

1

5

Dados:
• lajes = L1 a L5
• L5 é laje rebaixada
• L1 tem um bordo livre
• todas as lajes são arma-

das em cruz

• vigas = V1 a V7

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO(A) CIVIL JÚNIOR

12

As questões de números 51 a 54 referem-se

a um serviço de pavimentação, conforme

croqui e dados abaixo.

Dados:
• Área a ser pavimentada: 800m

²

• Corte esquemático do serviço a ser realizado:

•Consumos:

•Contrapiso: argamassa c:a (1:3) - m

³

• cimento – 450 kg
• areia      – 1.000 L

• Concreto simples - m³

• cimento – 350 kg
• areia      – 600 L
• brita       – 800 L

• Não considerar perdas ou outros acréscimos.

51

Para a estimativa da compra da areia para o concreto, você
tem que decidir entre cinco fornecedores que cobram em
lotes fechados.  Desta forma, a opção que apresenta o me-
nor preço é a que vende em lotes de:
(A) 500 m

³

 a R$ 20,00/m

³

.

(B) 300 m

³

 a R$ 21,00/m

³

.

(C) 150 m

³

 a R$ 22,00/m

³

.

(D) 100 m

³

 a R$ 23,00/m

³

.

(E)   20 m

³

 a R$ 24,00/m

³

.

52

O estoque de brita no depósito é de 200 m

³

.  Desta forma,

para realizar a concretagem, em relação à brita, será neces-
sário:
(A) adquirir 10 m

³

.

(B) adquirir 80 m

³

.

(C) consumir apenas 10% do estoque.
(D) consumir apenas 80% do estoque.
(E) consumir 100% do estoque.

53

A quantidade total de cimento a ser consumida para realizar
todo o serviço de pavimentação, em sacos de 50 kg, é de:
(A) 1760       (B) 1680       (C) 1400       (D) 360       (E) 100

54

Para realizar o contra-piso, considerando os preços do ci-
mento a R$ 20,00/saco, da areia a R$ 30,00/m³ e da mão-
de-obra do serviço a R$ 10,00/m², o custo total, sem inclu-
são de qualquer outro fator, deste serviço, em reais, é:
(A) 1.200,00

(B) 7.200,00

(C) 8.000,00

(D) 12.600,00

(E) 16.400,00

55

A transição do estado de consistência líquida para o estado
de consistência plástica de um solo é definida como limite
de liquidez.  Observe o gráfico abaixo, que esboça uma cur-
va de liquidez obtida a partir de ensaios em laboratório.

Para este solo, o limite de liquidez, em porcentagem, vale:
(A) 10

(B) 20

(C) 40

(D) 60

(E) 80

56

Segundo a NBR 6118:2003 (Projetos de Estruturas de Con-
creto), a resistência de cálculo do concreto pode ser adota-
da como sendo:

=

f

f

cd

c

ck

onde:
f

cd

 = resistência de cálculo do concreto;

f

ck

 = resistência característica à compressão do concreto;

 c = coeficiente de ponderação da resistência do concreto.

Neste caso específico, a verificação se faz na data j, no sen-
tido de se confirmar o valor do f

ck

 adotado no projeto. Segun-

do a referida norma, o valor de j, em dias, para o rompimento
dos corpos de prova, de maneira que a fórmula possa ser
utilizada, sem nenhum outro coeficiente, é:
(A) 3

(B) 7

(C) 28

(D) 90

(E) 360

25 cm

5 cm

contrapiso c:a (1:3)

concreto simples

15

60

60

100

20

20

40

40

0

30

n (n de golpes)

o

h (%)

25

80

50

10

100

5

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO(A) CIVIL JÚNIOR

13

57

A partir de uma fonte de lançamento de efluentes em um rio
de águas limpas, o trecho a jusante pode ser subdividido em
cinco zonas.  A que se caracteriza pela redução total, ou
quase total, da população de peixes e outros seres aeróbios
e na qual a água se apresenta com menor concentração de
matéria orgânica e maior 

deficit

 de oxigênio é a zona de :

(A) decomposição ativa.
(B) aeração.
(C) degradação.
(D) mistura.
(E) sedimentação.

58

A posição das juntas de concretagem, de acordo com a NBR
14931: 2004 (Execução de Estruturas de Concreto), sempre que
possível deve, em relação aos esforços de compressão, ser:
(A) a 30

o

.

(B) a 45

o

.

(C) a 60

o

.

(D) normal.

(E) paralela.

59

Considere as afirmativas abaixo, todas referentes às aplica-
ções do concreto protendido.
I –

Na indústria dos pré-moldados de concreto, o sistema
pós-tração é o mais utilizado.

II – No sistema pós-tração com protensão aderente, as bai-

nhas metálicas dos cabos recebem a injeção de nata
de cimento antes da operação de protensão.

III – No  sistema não aderente, são utilizadas bainhas de

polietileno.

Está(ão) correta(s) apenas a(s) afirmativa(s):
(A) I.         (B) II.

       (C) III.

    (D) I e II.        (E)II e III.

60

Considere o esquema abaixo, de uma ligação em corrente
contínua.

Para medir a tensão e a corrente, devem ser colocados nos
pontos 1 e 2, respectivamente, um:
(A) amperímetro e um ohmímetro.
(B) amperímetro e um voltímetro.
(C) ohmímetro e um voltímetro.
(D) voltímetro e um amperímetro.
(E) voltímetro e um ohmímetro.

61

As afirmativas abaixo sobre rochas se baseiam na NBR
6502:1995 (Rochas e Solos).  Assinale a única correta.
(A) Rochas sedimentares são originadas pela consolidação

do magma.

(B) Rochas ígneas se apresentam geralmente na forma

estratificada.

(C) Fratura é uma superfície de ruptura com movimento rela-

tivo entre suas faces.

(D) Anticlinal é a forma adquirida pela dobra na rocha, quan-

do as camadas mais jovens estão mais próximas ao
eixo de curvamento.

(E) A ocorrência de corpo de rocha ou solo sem continuida-

de lateral, com variação de espessura e situado no seio
de outra(s) camada(s) é denominada falha.

As questões de números 62 a 64 referem-se ao

croqui e dados abaixo.

Dados:
• Não considerar o condutor terra.
• As salas 1 e 2 inicialmente funcionam independentes e

serão reformadas formando uma única sala após a demoli-
ção da parede indicada.

• Os pontos de luz serão mantidos para atender à nova sala

e a alimentação permanecerá a existente.

• Simbologia:

62

Sendo a sala 1 e a sala 2 independentes, os fios que pas-
sam pelo trecho compreendido entre os dois pontos de luz,
antes da reforma ,são:
(A) fase e neutro.
(B) fase e fase.
(C) fase e retorno.
(D) neutro e retorno.
(E) retorno e retorno.

+

-

Pilha

I

2

1

R

Sala 2

Sala 1

Parede a
ser demolida

b

b

a

a

fase

neutro

retorno

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO(A) CIVIL JÚNIOR

14

63

Após derrubar a parede intermediária, os dois interruptores
simples serão substituídos por interruptores tipo 

three-way

de uma seção, com acendimento simultâneo dos dois pon-
tos de luz.  Desta forma, o controle permanece nas duas
portas.  A menor quantidade de fios que passará no trecho
entre os dois pontos de luz será:
(A) 2

(B) 3

(C) 4

(D) 5

(E) 6

64

Considerando-se que a reforma, além de derrubar a parede
intermediária, também fechasse a porta da sala 2, manten-
do como único ponto de acionamento o interruptor da sala 1,
para atender aos pontos de luz da nova sala, através de um
interruptor de duas seções, os fios que passariam no trecho
compreendido entre os dois pontos de luz são:

(A)

a

(B)

b

(C)

b

a

(D)

b

a

(E)

65

De acordo com a NBR 7229:1993 (Projeto, construção e ope-
ração de sistemas de tanques sépticos), é correto afirmar
que:
(A) escuma é o lodo instável, em início de processo de di-

gestão.

(B) é vedado o encaminhamento ao tanque séptico de águas

pluviais e de despejos de piscina e de lavagem de reser-
vatório de água.

(C) o material acumulado na zona de digestão do tanque

séptico, por sedimentação de partículas sólidas
suspensas no esgoto, é denominado crivo.

(D) tanque séptico de câmaras em série é uma unidade com

dois ou mais compartimentos contínuos, dispostos
seqüencialmente no sentido do fluxo do líquido e interli-
gados adequadamente, nos quais devem ocorrer, isola-
da e crescentemente, processos de flotação, sedimen-
tação e digestão.

(E) os tanques sépticos devem ser projetados para períodos

mínimos de detenção, em função da contribuição diária,
sendo 48 horas o menor período permitido.

66

As afirmativas apresentadas referem-se às propriedades físi-
cas do cimento Portland nos concretos.
I –

O aumento da finura diminui a exsudação.

II – O aumento da finura melhora a resistência, principal-

mente a da primeira idade.

III – A redução da finura (aumento do tamanho dos grãos)

aumenta a coesão dos concretos.

É(São) verdadeira(s) apenas a(s) afirmativa(s):
(A) I.

(B) II.

(C) III.

(D) I e II.

(E) II e III.

67

Para um determinado solo e mesmo poder evaporante da
atmosfera,  a evaporação atinge seu nível máximo quando:
(A) não houver lençol freático próximo à superfície do solo.
(B) a zona de saturação do lençol freático atingir a superfí-

cie do solo.

(C) a zona de saturação do lençol freático não atingir a su-

perfície do solo.

(D) o limite superior da zona de aeração do lençol freático

atingir a superfície do solo.

(E) o limite superior da zona de aeração do lençol freático

não atingir a superfície do solo.

68

Considere o croqui e os dados abaixo.

Segundo a NBR 6118:2003 (Projeto de Estrutura de Concre-
to), entre os valores de x, em metros, apresentados, aquele
para o qual a sapata é considerada rígida é:
(A) 1,10
(B) 1,90
(C) 1,95
(D) 2,00
(E) 2,20

h = 45 cm

P1 = 20 cm x 20 cm

x

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO(A) CIVIL JÚNIOR

15

As questões de números 69 e 70 referem-se

ao projeto de telhado e aos dados abaixo.

Dados:
• Cotas em metros
• Caimento de todas as águas = 25%
• O caimento das águas, propositadamente, não está indicado.

69

As linhas  representativas dos trechos P6 P13, P2 P6 e P4 P5,
recebem, respectivamente, os nomes de:
(A) espigão, rincão e rincão.
(B) espigão, rincão e cumeeira.
(C) espigão, espigão e espigão.
(D) rincão, rincão e espigão.
(E) rincão, espigão e espigão.

70

O ponto mais alto deste telhado pode ser encontrado no(s)
trecho(s):
(A) P3 P4.
(B) P5 P6.
(C) P4 P5 e P8 P11.
(D) P5 P6 e P6 P7.
(E) P7 P8 e P8 P11.

71

Nas estruturas de aço, o colapso por rasgamento ao longo
de uma linha de conectores, no caso de perfis de chapas
finas tracionadas e ligadas por conectores, é denominado:
(A) cisalhamento de bloco.
(B) cisalhamento por excentricidade.
(C) estado limite  de deformação elástica.
(D) estado limite de cisalhamento.
(E) índice de esbeltez.

72

Um engenheiro precisa distribuir as caixas de inspeção (CI)
em um projeto de instalação predial de esgoto sanitário.
Consultando a norma NBR8160:1999 (Sistemas Prediais de
Esgoto Sanitário-Projeto e execução), ele verificou que a
maior distância permitida entre duas CI, em metros, é:
(A) 10

(B) 15

(C) 20

(D) 25

(E) 30

As questões de números 73 e 74 referem-se à situa-

ção e aos dados abaixo, pertinentes à transmissão

de calor por condução interna (Lei de Fourier).

Uma parede plana e de faces paralelas, feita de alvenaria,
com 20 cm de espessura, é revestida internamente pela ar-
gamassa A1 e externamente pela argamassa A2, com es-
pessuras de 2,5 cm e 4,0 cm, respectivamente.São dados:

• Q =

D

k S

t

• R =

D

Q

t

onde:
• Q = quantidade de calor transmitida na unidade de tempo

em kcal/h

• k = coeficiente de condutividade interna em kcal/m 

 o

Ch

• S = superfície através da qual se dá a passagem de calor

em m

²

D

 t = diferença de temperatura entre as faces extremas da

parede em 

o

C

•  = espessura da parede em metros

• R = resistência térmica em 

C

o

kcal/h

• valores de k:

73

Para essa situação, o valor por metro quadrado da resistên-

cia térmica, em 

C

o

kcal/h

, é:

(A) 0,05.      (B) 0,10.      (C) 0,15.      (D) 0,40.      (E) 0,80.

2,0

P3

P8

P12

P13

2,0 2,0

4,0

P1

P5

P9

P16

P4

P7

P17

P11

P14

P2

P6

P10

P15

9,0

9,0

2,0

2,0

MATERIAL
Alvenaria
Argamassa A1
Argamassa A2
Material M1
Material M2
Material M3
Material M4
Material M5

k(kcal/m ºC hL

0,80
0,50
0,40
0,20
0,30
0,60
0,70
0,80

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO(A) CIVIL JÚNIOR

16

74

É necessário criar uma nova parede com 15 cm de espessu-
ra, composta de um único material que apresente, para a mes-
ma área, o dobro da resistência térmica da alvenaria.  Entre
os materiais abaixo, o que satisfaz à nova condição é o:
(A) M1.        (B) M2.        (C) M3.        (D) M4.        (E) M5.

75

O empuxo exercido pelo líquido com   = 10x10

³

N/m

³

 sobre

a placa de vidro vertical acima esquematizada, cuja base se
encontra a 3,20m de profundidade, em kN, vale:
(A) 3,48

(B) 3,60

(C) 3,84

(D) 30,00

(E) 32,00

76

Considere uma coluna de água fria alimentando um banhei-
ro, conforme o croqui abaixo.

Dados:
• Os registros de gaveta e de pressão são do tipo roscáveis.
• Toda tubulação é em PVC tipo soldável (cola).
•  A nomenclatura “L” é para superfície colável e “R”, para

roscável.

Após posicionar corretamente os registros em seus devidos
lugares, as peças de adaptação para atender às condições
apresentadas, nos pontos 1, 2, 3 e 4, são, respectivamente:
(A) luva LR, adaptador LR, luva LR e adaptador LR.
(B) bucha LR, luva LR, luva LR e bucha LR.
(C) bucha LL, luva LR, luva LR e luva LR.
(D) flange LR, flange LR, luva LR e bucha LL.
(E) adaptador LR, adaptador LR, adaptador LR e luva LR.

77

Observe o croqui de dois pilares limítrofes de um terreno.

Dados:
• P1 = 300 kN
• P2 = 340 kN
• Fórmula de Boussinesq:

z

5

2

=

3 cos

P

2

z

5

=

3 cos

k

2

Segundo a Fórmula de Boussinesq, o acréscimo de pressão,
devido às cargas dos pilares P1 e P2, no ponto A, situado a
4,0 m de profundidade, em kPa, vale:
(A) 0,05       (B) 0,20       (C) 1,25       (D) 2,00       (E) 3,20

78

Considere os reservatórios 1 e 2 mantidos em níveis cons-
tantes e interligados pela tubulação MNO, na qual N é uma
tomada d’água, conforme abaixo representado.

Nessas condições, é correto afirmar que:
(A) os dois reservatórios podem ser abastecedores ou não,

sendo, neste caso, reservatórios de compensação.

(B) para a cota piezométrica N1, o abastecimento é feito

simultaneamente pelos reservatórios 1 e 2.

(C) para a cota piezométrica N3, o abastecimento é feito

apenas pelo reservatório 1.

(D) se a vazão Q

N

 for zero, a vazão do reservatório 1 chega

integralmente ao reservatório 2.

(E) se XN

2

  for uma linha horizontal, a vazão no trecho MN é

nula.

AF

PVC

4

3

2

Lavatório

1

Chuveiro

cota do fundo
da sapata

P

z

z

P2

P1

A

3 m

3 m

4 m

tg
  k

3,00
  0

1,25
0,05

1,00
0,08

0,60
0,20

0,40
0,30

  0
0,48

40 cm

60

cm

NA

O

Q

n

x

y

N

Reservatório 2

Reservatório 1

M

N3

N2

N1

cesgranrio-2005-petrobras-engenheiro-civil-junior-prova.pdf-html.html

ENGENHEIRO(A) CIVIL JÚNIOR

17

As questões 79 e 80 baseiam-se nos dados e no

croqui do tanque, onde serão pintadas duas
logomarcas da Petrobras, conforme abaixo.

Dados:
•  = 60

o

1

=

120,00

 m (diâmetro do tanque)

2

=

1,50

 m

79

A área das duas faixas que serão pintadas para servir de
base das logomarcas, em m

²

, é:

(A) 80
(B) 40
(C) 20
(D) 720/ 
(E) 4/ 

80

Para a execução dos serviços será montado um conjunto de
torres ao longo de todo o perímetro base indicado, o qual
será posteriormente deslocado para o outro lado.  Considere
que cada torre é composta por peças de 1,00 m x 1,00 m e
que uma torre está montada junto à outra, coforme esquema
abaixo.

Sabendo que são utilizadas 2 pç/m de torre de andaime e
que o topo das torres coincide com a parte superior da faixa
a ser pintada, o número total de peças será:
(A) 336
(B) 420
(C) 640
(D) 672
(E) 840

Perímetro base para facilitar
o alinhamento das torres

Face interna das tores (considerar coincidente com o arco
do perímetro base, ou seja, 2,00 m de arco = 2 torres)

Face externa
das torres

2

1

2

Perímetro base, afastado

do tanque, sobre o qual

serão apoiadas as bases internas das torres dos andaimes.

Faixa da
logomarca (60 )

o

Faixa da
logomarca (60 )

o

Tanque

Perímetro base

PETROBRAS

Vista

20,00 m

2,00 m

4,00 m

Área de pintura

2