Prova Concurso - Administração - 2008-IMBEL-CHEFE-DE-SECAO-ADMINISTRATIVO - COSEAC - IMBEL - 2008

Prova - Administração - 2008-IMBEL-CHEFE-DE-SECAO-ADMINISTRATIVO - COSEAC - IMBEL - 2008

Detalhes

Profissão: Administração
Cargo: 2008-IMBEL-CHEFE-DE-SECAO-ADMINISTRATIVO
Órgão: IMBEL
Banca: COSEAC
Ano: 2008
Nível: Superior

Downloads dos Arquivos

prova.pdf
gabarito.pdf

Provas relacionadas

AGENTE-ADMINISTRATIVO-PREVIDENCIARIOCONCURSOS2018
ASSISTENTE-DE-ADMINISTRACAOFUNPAPA2018
AUXILIAR-DE-ADMINISTRACAOFUNPAPA2018

Gabarito

coseac-2008-imbel-chefe-de-secao-administrativo-gabarito.pdf-html.html

UFF – UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE 
IMBEL – INDÚSTRIA DE MATERIAL BÉLICO DO BRASIL 
PROAC-PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ACADÊMICOS 
COSEAC-COORDENADORIA DE SELEÇÃO 
 
CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS PARA FORMAÇÃO DE CADASTRO RESERVA DE PESSOAL 

 

 

 

GABARITO PROVA DE  

 

CHEFE DE SEÇÃO (ADMINISTRATIVO) 

 

Língua 

Portuguesa 

Informática 

Conhecimentos 

Específicos 

01 

16 

21 

02 

17 

22 

03 

18 

23 

04 

19 

24 

05 

20 

25 

06 

 

 

26 

07 

 

 

27 

08 

 

 

28 

09 

 

 

29 

10 

 

 

30 

11 

 

 

31 

12 

 

 

32 

Anulada 

13 

 

 

33 

14 

 

 

34 

15 

 

 

35 

 

 

 

 

36 

 

 

 

 

37 

 

 

 

 

38 

 

 

 

 

39 

 

 

 

 

40 

 
 
 
 

Prof.

O

 PAULO GOMES LIMA 

Sub-Coordenador da COSEAC 

 
 

Prova

coseac-2008-imbel-chefe-de-secao-administrativo-prova.pdf-html.html

1

 UFF – UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

  IMBEL – INDÚSTRIA DE MATERIAL BÉLICO DO BRASIL

 PROAC- PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ACADÊMICOS
 COSEAC – COORDENADORIA DE SELEÇÃO

CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS PARA FORMAÇÃO DE

CADASTRO RESERVA DE PESSOAL

PROVA S9

Prova a ser realizada pelos candidatos ao seguinte cargo:

CHEFE DE SEÇÃO (ADMINISTRATIVO)

INSTRUÇÕES AO CANDIDATO

§ 

Além deste caderno, você deverá ter recebido o cartão destinado às respostas das questões formuladas
na prova; caso não tenha recebido o cartão, peça-o ao fiscal. Em seguida, verifique se este caderno
contém enunciadas quarenta questões.

§ 

Verifique se o número do seu documento de identificação e seu nome conferem com os que aparecem
no  CARTÃO DE RESPOSTAS; em caso afirmativo, assine-o e leia atentamente as instruções para seu
preenchimento; caso contrário, notifique imediatamente ao fiscal.

§ 

Cada questão proposta apresenta cinco alternativas de resposta, sendo apenas uma delas a correta. No
cartão de respostas, atribuir-se-á pontuação zero a toda questão com mais de uma alternativa
assinalada, ainda que dentre elas se encontre a correta.

§ 

Não é permitido portar ou fazer uso de aparelhos de recebimento central de mensagens (pagers),
aparelho de telefonia celular, qualquer tipo de aparelho que permita intercomunicação, nem material que
sirva para consulta.

§ 

Não é permitido copiar as alternativas assinaladas no cartão de respostas.

§ 

O tempo disponível para esta prova, incluindo o preenchimento do cartão de respostas, é de
quatro horas.

§ 

Reserve os quinze minutos finais para preencher o cartão de respostas usando, exclusivamente, caneta
esferográfica de corpo transparente e de ponta média com tinta azul.

§ 

Certifique-se de ter assinado a lista de presença.

§ 

Quando terminar, entregue ao fiscal o CADERNO DE QUESTÕES e o CARTÃO DE RESPOSTAS, que
poderá ser invalidado se você não o assinar.

APÓS O AVISO PARA INÍCIO DA PROVA, VOCÊ
DEVERÁ PERMANECER NO LOCAL DE REALIZAÇÃO

                      DA MESMA POR, NO MÍNIMO, NOVENTA MINUTOS.

coseac-2008-imbel-chefe-de-secao-administrativo-prova.pdf-html.html

2

coseac-2008-imbel-chefe-de-secao-administrativo-prova.pdf-html.html

3

Parte I: Língua Portuguesa

OS TUMULTOS DA PAZ

                                                                              Hélio Pellegrino

Costuma-se confundir paz com imobilismo  quietista ou, o que é pior: costuma-se desfigurá-la a

ponto de enxergar nela um sinônimo de conformismo submisso, onde a ausência de conflito é valorizada
como virtude, e a tibieza celebrada como valor. Na realidade, paz nunca é pasmaceira. Nem turbulência
coagulada pela força do arbítrio. Nem muito menos silêncio das tumbas. Ao contrário, paz é tensão
criadora, e implica agonia ativa e apaixonada vigília. Não há paz sem contradição e contraditação dialéticas.
Paz é, portanto, possibilidade de comunicação autêntica, de diálogo, de palavra plena. Nada em si mesmo é
completo, acima e além  da contingência, do movimento, da transformação. Todas as coisas – mergulhadas
no rio  heraclítico – trazem em si os  seus contrários e, nesta medida, nascem, vivem e morrem, para dar
lugar a novos nascimentos, novas vidas, novas mortes É do embate de opostos que surge o
desvendamento da verdade, através do ballet célebre: tese, antítese, síntese.

Para que se possa chegar à síntese – ponto de partida para novas contradições, que irão dividi-la –

é preciso que a tese e a antítese tenham garantido o seu direito à palavra, ao debate sem medo e sem
coação. Não há paz sem liberdade. Não há progresso sem liberdade. Não há nada de verdadeiramente
humano, sem liberdade. Para que exista paz, é necessário que haja humildade, transparência, paciente
busca da justiça. Se quero construir a paz com os outros seres humanos, tenho que saber que não sou nem
onipotente, nem perfeito. Paz é virtude coletiva, política, edificada com os outros. Ela implica, portanto, e de
maneira radical, respeito ao Próximo, escuta atenta, modéstia.
..................................................................................................................................................................

Ao postular a necessidade do amor ao Próximo, nem por isto me exponho ao mundo de artérias

abertas, nem abro mão do investimento  narcísico fundamental que constitui a base de minha coesão
psíquica. O amor ao Próximo está longe de representar um devaneio beato e piedoso, conto da carochinha
para embair crianças, desavisados e inquilinos da sacristia.
...................................................................................................................................................................

Amar ao Próximo como a si mesmo é, por excelência, a regra de ouro, cânon fundador da única

prática pela qual poderemos chegar a um pleno amor por nós próprios. Sou o primeiro e mais íntimo
Próximo de mim, e esta relação de mim para comigo passa, inevitavelmente, pela existência do Outro. Este
é o termo terceiro, a referência transcendente por cuja mediação passo a construir a minha auto-estima.

Eis aí o modelo da paz. Minha abertura ao Outro constitui – sem nenhum pieguismo! – um ato de

gratidão por ele existir, dando-me a possibilidade de minha própria existência. Ao defender o direito que tem
o Outro de ser, afirmo – e confirmo – o meu direito de existir. O contrário da paz é o ódio ao Próximo ou a si
mesmo, seja em nome do que for. O ódio me destrói sempre, na medida em que visa a destruir meu irmão,
meu vizinho, meu contendor – meu inimigo.
..................................................................................................................................................................

Paz, finalmente, é a assunção – mais do que dolorosa, porque  crucificadora – de que nós, os

humanos, somos carcaças feitas de tempo, marcados pela  finitude, que constitui nossa dimensão mais
radical. Paz é a possibilidade de nos sabermos sem rancor excessivo, falíveis, finitos, limitados,
necessariamente ultrapassáveis. Ela exige, portanto, aceitação – e reverência – do que é novo e
dessemelhante, pela consciência que devemos ter de que jamais possuiremos, a respeito de coisa alguma,
a última palavra. Paz é coragem de pôr-se de acordo com a verdade, a justiça, a liberdade. E como a
verdade, a justiça e a liberdade implicam a existência dos outros, paz é coragem de con-sentir na existência
deles, inferno muitas vezes, escândalo quase sempre, mas porto e destino de tudo o que é humano.

                             02/04/87

05

10

15

20

25

30

35

40

coseac-2008-imbel-chefe-de-secao-administrativo-prova.pdf-html.html

4

VOCABULÁRIO:

HERACLÍTICO
relativo a Heráclito, filósofo grego pré-socrático (540-480 a.C.), ou próprio de sua cosmologia, segundo a qual a matéria-prima
essencial de um universo ordenado é o fogo.

CONTRADITAÇÃO
contestação, impugnação, contradição.

DIALÉTICA
em sentido bastante genérico, oposição, conflito originado pela contradição entre princípios teóricos ou fenômenos empíricos.

CONTINGÊNCIA
ato imprevisível ou fortuito que escapa ao controle; eventualidade.

EMBAIR
induzir deliberadamente em erro; lograr, iludir, seduzir.

TIBIEZA
estado de fraqueza, de frouxidão, de debilidade.

CÂNON- CÂNONE
maneira de agir; modelo, padrão.

ASSUNÇÃO
ato ou efeito de assumir.

01 

Identifique o comentário de natureza sintático-semântica adequado à produção de sentido da seguinte

passagem:

 

Todas as coisas – mergulhadas no rio heraclítico – trazem em si os seus contrários e, nesta medida,

nascem, vivem e morrem, para dar lugar a novos nascimentos, novas vidas, novas mortes. (linhas 8-10)

(A) 

O emprego do verbo “trazer” no presente indica um fato duvidoso e habitual.

(B) 

A adjetivação  repetida traduz uma contradição entre vida e morte.

(C) 

A expressão “nesta medida” produz um efeito de sentido de conseqüência em relação à idéia que
vem sendo desenvolvida.

(D) 

O uso dos travessões implica uma intercalação conclusiva.

(E) 

O período se desenvolve por pergunta retórica.

02 

Em “Se quero construir a paz com os outros seres humanos, tenho que saber que não sou nem

onipotente, nem perfeito” (linhas 16-17), o conectivo grifado e o emprego do verbo no modo indicativo
produzem, no contexto, uma relação de:

(A) 

finalidade.

(B) 

causalidade.

(C) 

conseqüência.

(D) 

concessão.

(E) 

tempo.

coseac-2008-imbel-chefe-de-secao-administrativo-prova.pdf-html.html

5

03 

Para que se possa chegar à síntese –  ponto de partida para novas contradições, que irão dividi-la – é

preciso que a tese  e a antítese tenham garantido o seu direito à palavra. (linhas 12-13)

    

Minha abertura ao Outro constitui – sem nenhum pieguismo! – um ato de gratidão por ele existir.

(linhas 29-30)

 

O emprego dos travessões, nos dois fragmentos, se justifica por constituir uma intervenção do locutor

que explicita respectivamente:

(A) 

inclusão referencial /  retificação anafórica

(B) 

exemplificação anafórica /  apelo contundente

(C) 

conclusão óbvia /  contraste afetivo

(D) 

intercalação explicativa / ressalva emotiva

(E) 

enumeração conclusiva /  evocação resumitiva

04 

Assinale o fragmento em que a locução verbal  grifada exprime uma possibilidade a ser concretizada:

(A) 

Amar ao próximo como a si mesmo é, por excelência, a regra de ouro, cânon fundador da única
prática pela qual poderemos chegar a um pleno amor por nós próprios. (linhas 24-25)

(B) 

Costuma-se confundir paz com imobilismo quietista  ou, o que é pior (linhas 1-2)

(C) 

Se quero construir a paz com outros seres humanos, tenho que saber que não sou nem onipotente,
nem perfeito. (linhas 16-17)

(D) 

O ódio me destrói sempre na medida em que visa destruir meu irmão, meu vizinho, meu contendor –
meu inimigo. (linhas 32-33)

(E) 

Ela exige, portanto, aceitação e reverência – do que é novo e dessemelhante, pela consciência que
devemos ter de que jamais possuiremos, a respeito de coisa alguma, a última palavra. (linhas 37-39)

05 

No fragmento “Para que exista paz, é necessário que haja humildade, transparência, paciente busca

da justiça” (linhas 15-16), a expressão grifada  estabelece uma relação de:

(A) 

proporcionalidade.

(B) 

causalidade.

(C) 

tempo.

(D) 

concessão.

(E) 

finalidade.

06 

No fragmento “Não há paz sem liberdade. Não há progresso sem liberdade. Não

 

há nada de

verdadeiramente humano, sem liberdade” (linhas 14-15), o mecanismo lingüístico de ênfase é:

(A) 

metáfora.

(B) 

anáfora.

(C) 

metonímia.

(D) 

eufemismo.

coseac-2008-imbel-chefe-de-secao-administrativo-prova.pdf-html.html

6

(E) 

símile.

07    

Para que se possa chegar à síntese – ponto de partida para novas contradições, que irão dividi-la – é

preciso que a tese e a antítese  tenham garantido o seu direito à palavra, ao debate sem medo e sem
coação. (linhas 12-14)

 

A forma verbal grifada exprime um fato:

(A) 

anterior a outro fato passado.

(B) 

futuro terminado em relação a outro fato futuro.

(C) 

passado, supostamente concluído.

(D) 

passado, freqüentemente inconcluso.

(E) 

provável em relação a fatos futuros.

08 

Assinale a opção em que a palavra grifada estabelece a coesão textual, retomando uma idéia

expressa em parágrafo anterior:

(A) 

Eis  aí o modelo da paz. Minha abertura ao Outro constitui – sem nenhum pieguismo! – um ato de
gratidão por ele existir, dando-me a possibilidade de minha própria existência. (linhas           29-30)

(B) 

Ao postular a necessidade  do amor ao Próximo, nem por isto me exponho ao mundo de artérias
abertas, nem abro mão do investimento narcísico fundamental que constitui a base de minha coesão
psíquica. (linhas 20-22)

(C) 

Este é o termo terceiro, a referência transcendente por cuja mediação passo a construir a minha auto-
estima. (linhas  27-28)

(D) 

É do embate de opostos  que surge o desvendamento da verdade, através do  ballet   célebre: tese,
antítese, síntese. (linhas 10-11)

(E) 

Todas as coisas – mergulhadas no rio heraclítico – trazem em si os seus contrários e, nesta medida,
nascem, vivem e morrem, para dar lugar a novos nascimentos, novas vidas, novas mortes. (linhas  8-
10)

09 

O ódio me destrói sempre, na medida em que visa a destruir meu irmão, meu vizinho, meu contendor

– meu inimigo. (linhas  32-33)

A expressão grifada pode ser substituída, sem alteração significativa do sentido de proporção

por:

(A) 

desde que

(B) 

quando

(C) 

se bem que

(D) 

enquanto

(E) 

caso

10 

Assinale a passagem em que o locutor expande sua idéia como uma verdade indiscutível, englobando

todos os homens:

(A) 

Para que exista paz, é necessário que haja humildade, transparência, paciente busca da justiça.
(linhas  15-16)

(B) 

Paz é, portanto, possibilidade de comunicação autêntica, de diálogo, de palavra plena. (linhas 6-7)

coseac-2008-imbel-chefe-de-secao-administrativo-prova.pdf-html.html

7

(C) 

Não há paz sem liberdade. Não há progresso sem liberdade. Não nada de verdadeiramente humano,
sem liberdade. (linhas 14-15)

(D) 

Paz é coragem de pôr-se de acordo com a verdade, a justiça, a liberdade. (linha 39)

(E) 

Paz é a possibilidade de nos sabermos sem rancor excessivo, falíveis, finitos, limitados,
necessariamente ultrapassáveis. (linhas 36-37)

11

 A construção do primeiro parágrafo configura  predominantemente uma estrutura de:

(A) 

enumeração e descrição de idéias.

(B) 

explicação e negação de idéias.

(C) 

generalização e contraste de idéias.

(D) 

exposição e narração de idéias.

(E) 

descrição e apresentação de idéias.

12

O texto, quanto ao modo de organização discursiva, exemplifica:

(A) 

ensaio.

(B) 

artigo.

(C) 

publicidade.

(D) 

carta de leitor.

(E) 

notícia.

13

Ao defender o direito que tem o Outro de ser, afirmo – e confirmo – o  meu direito de existir.(linhas

30-31).
 

A expressão grifada estabelece uma relação de:

(A) 

conseqüência.

(B) 

condição.

(C) 

finalidade.

(D) 

tempo.

(E) 

concessão.

14

 

Assinale a passagem em que a preposição atualiza o valor de movimento no espaço virtual.

(A) 

Para que se possa chegar à síntese (linha 12)

(B) 

Costuma-se confundir paz com imobilismo quietista  (linha 1)

(C) 

Ao contrário, paz é tensão criadora (linhas 4-5)

(D) 

Não há paz sem contradição (linhas 5-6)

(E) 

nem abro mão do investimento narcísico fundamental (linha 21)

coseac-2008-imbel-chefe-de-secao-administrativo-prova.pdf-html.html

8

15

 

“Minha abertura ao outro constitui – sem nenhum pieguismo! –  um ato de gratidão por ele existir,

dando-me a possibilidade de minha própria existência.” (linhas 29-30)

A oração adverbial reduzida de gerúndio, em destaque no fragmento acima, tem o valor de:

(A) 

finalidade.

(B) 

comparação.

(C) 

condição.

(D) 

concessão.

(E) 

concomitância.

Parte II: Informática

16 

No que diz respeito a FTP, pode-se afirmar que:

(A) 

é um protocolo utilizado para recebimento de mensagens de correio eletrônico.

(B) 

é um protocolo utilizado por programas que fazem transferências de arquivos entre computadores.

(C) 

é um protocolo utilizado para envio de mensagens de correio eletrônico.

(D) 

é um tipo de programa usado para bate-papo (chat).

(E) 

é um exemplo de “navegador” (browser).

17 

Para obter-se, no Windows XP, uma lista que contenha exclusivamente os arquivos de extensão

“EXE” presentes na pasta “Arquivos de Programas”, deve-se fazer o seguinte:

(A) 

a partir do “menu iniciar”, clicar em “pesquisar”, depois em “todos os arquivos e pastas”. No menu
“examinar em” selecionar a pasta “Arquivos de Programas” e no campo “Todo ou parte do nome do
arquivo” digitar “exe”

(B) 

a partir do “menu iniciar”, clicar em “pesquisar”, depois em “todos os arquivos e pastas”. No menu
“examinar em” selecionar a pasta “Arquivos de Programas” e no campo “Todo ou parte do nome do
arquivo” digitar “.exe”

(C) 

a partir do “menu iniciar”, clicar em “pesquisar”, depois em “todos os arquivos e pastas”. No menu
“examinar em” selecionar a pasta “Arquivos de Programas” e no campo “Todo ou parte do nome do
arquivo” digitar “*.exe”

(D) 

a partir do “menu iniciar”, clicar em “pesquisar”, depois em “todos os arquivos e pastas”. No menu
“examinar em” selecionar o disco rígido “C:” e no campo “Todo ou parte do nome do arquivo” digitar
“*.exe”

(E) 

a partir do “menu iniciar”, clicar em “pesquisar”, depois em “todos os arquivos e pastas”. No menu
“examinar em” selecionar o disco rígido “C:” e no campo “Todo ou parte do nome do arquivo” digitar
“.exe”

18 

Considere a planilha abaixo confeccionada no Microsoft Excel 2003:

A

B

C

D

E

F

G

H

1

200

100

60

coseac-2008-imbel-chefe-de-secao-administrativo-prova.pdf-html.html

9

2

10

80

3

30

4

80

80

5

40

50

6

10

7

Se digitarmos a expressão:

=SE(MÁXIMO(C1:C3)*E4/B5>=A1;A1/B6+F2;MÍNIMO(G1;A4;D5)),

na célula H7, poderá ocorrer que:

(A) 

a célula H7 exibirá a string “#VALOR?”.

(B) 

a célula H7 exibirá o valor 50.

(C) 

a célula H7 exibirá o valor 200.

(D) 

a célula H7 exibirá o valor 100.

(E) 

a célula A1 exibirá o valor 20.

19 

No Microsoft Word, caso se queira escrever a expressão   x²+4   0,   deve-se:

(A) 

teclar “x”; pressionar as teclas “CTRL”,  “Shift” e  “+”     simultaneamente; teclar “2”; pressionar as
teclas “CTRL”,  “Shift” e “+” simultaneamente; teclar “+”; teclar “4”; clicar no menu “Inserir”, depois em
“Símbolo”, selecionar o símbolo “ ”, clicar em “Inserir”; clicar em “Fechar”; finalmente teclar “0”.

(B) 

teclar “2”; pressionar as teclas “CTRL” e “X” simultaneamente; teclar “+”; teclar “4”; teclar “>”; teclar
“=”; finalmente teclar “0”.

(C) 

teclar “x”; pressionar as teclas “CTRL” e “=” simultaneamente; teclar “2”; teclar “+”; teclar “4”; teclar
“>”; teclar “=”; finalmente teclar “0”.

(D) 

teclar “x”; pressionar as teclas “SHIFT” e “2” simultaneamente; teclar “+”; teclar “4”; clicar no menu
“Inserir”, depois em “Símbolo”, selecionar o símbolo “ ” e clicar em “Inserir”; finalmente teclar “0”.

(E) 

teclar “x”; pressionar as teclas “CTRL”,  “Shift” e  “+”     simultaneamente; teclar “2”;  teclar “+”; teclar
“4”; clicar no menu “Inserir”, depois em “Símbolo”, selecionar o símbolo “ ” e clicar em “Inserir”; clicar
em “Fechar”; finalmente teclar “0”.

20 

Considerando-se con@microsoft.co.uk um endereço eletrônico, a opção que identifica corretamente o

que representam, respectivamente, as expressões “con”, “microsoft”, “co” e “uk” é:

(A) 

nome da instituição, tipo da instituição, nome de um usuário e país.

(B) 

nome de um usuário, nome da instituição, país e tipo da instituição.

(C) 

nome de um usuário, país, tipo da instituição e nome da instituição.

(D) 

nome da instituição, nome de um usuário, tipo da instituição e país.

(E) 

nome de um usuário, nome da instituição, tipo da instituição e país.

coseac-2008-imbel-chefe-de-secao-administrativo-prova.pdf-html.html

10

Parte III: Conhecimentos Específicos

21 

Segundo a hierarquia das necessidades de Maslow, a motivação pode resultar das necessidades:

(A) 

fisiológicas, de segurança, sociais, do ego e de auto-realização.

(B) 

físicas, de estabilidade, sociais, pessoais e de auto-realização.

(C) 

físicas, de segurança, sociais, do ego e de auto-conhecimento.

(D) 

fisiológicas, de seguridade, sociais, do ego e de auto-realização.

(E) 

fisiológicas, de segurança, sociais, do ego e de auto-conhecimento.

22 

Marque a opção que se refere aos Fatores Higiênicos da Teoria dos dois Fatores.

(A) 

Fatores relacionados com os cuidados pessoais dos trabalhadores.

(B) 

Fatores que dizem respeito ao contexto do trabalho.

(C) 

Fatores associados às condições de vida doméstica do trabalhador.

(D) 

Fatores condicionadores de hábitos de higiene e cuidados do trabalhador no ambiente do trabalho e
de moradia.

(E) 

Fatores sujeitos a alterações de acordo com o clima e as condições meteorológicas, que afetam a
saúde do trabalhador.

23 

Reengenharia pode ser definida como:

(A) 

o transformar gradual e profundo dos métodos adotados pela empresa, de modo a promover a
introdução de práticas gerenciais, de acordo com os padrões contemporâneos de gestão.

(B) 

o revisar radical dos procedimentos e técnicas de organização da empresa, visando a  desfazer-se de
tudo que constitui fatores de risco e custos desnecessários.

(C) 

o reexaminar dos métodos de gestão, tendo em vista introduzir a cultura de combate ao desperdício e
a adoção das melhores práticas industriais.

(D) 

o repensar fundamental e a reestruturação radical dos processos empresariais, que visam a  alcançar
drásticas melhorias em indicadores críticos e contemporâneos de desempenho.

(E) 

o processar de automação e reorganização da produção com base em métodos avançados e
estruturas tecnológicas contemporâneas.

coseac-2008-imbel-chefe-de-secao-administrativo-prova.pdf-html.html

11

24 

O Ciclo PDCA significa:

(A) 

o processo que compreende um movimento contínuo, constituído de planejamento, organização,
comando e controle.

(B) 

o processo que compreende um movimento contínuo, constituído de planejamento, organização,
comando e coordenação.

(C) 

o processo que compreende um movimento contínuo, constituído de planejamento, implementação,
observação dos efeitos e estudo dos resultados.

(D) 

o processo que compreende um movimento contínuo, constituído de planejamento, organização,
comando e revisão.

(E) 

o processo que compreende um movimento contínuo, constituído de planejamento, organização,
comando, controle e coordenação.

25 

Na relação chefe/subordinado há uma teoria conhecida como teoria da aceitação da autoridade.

Assinale a opção que apresenta o significado dessa teoria.

(A) 

Os funcionários podem aceitar a autoridade, caso essa seja reconhecida como tal.

(B) 

Os funcionários precisam considerar que a autoridade deve encontrar aceitação entre eles.

(C) 

Os funcionários aceitam a autoridade, desde que haja reconhecimento legal.

(D) 

Os funcionários tendem a aceitar a autoridade, uma vez que ela formule ordens bem sucedidas.

(E) 

Os funcionários determinam se uma ordem gerencial é legítima e aceitável.

26 

 No que diz respeito à flexibilidade organizacional, tem-se que a organização atomizada e holográfica

possui cinco características.

Assinale a opção que apresenta essas cinco características.

(A) 

Baseada em equipe; descentralizada e autonomista; redundante; diferenciada por objetivos e por
área geográfica e integrada por comunicação intensiva.

(B) 

Baseada em especialistas; descentralizada e autonomista; redundante; diferenciada por objetivos e
por área geográfica e integrada por comunicação intensiva.

(C) 

Baseada em equipe; descentralizada e autonomista; redundante; diferenciada por objetivos e por
área geográfica e integrada por redes neurais e verticais.

(D) 

Baseada em equipe; descentralizada; mas não autônoma; redundante; diferenciada por objetivos e
por área geográfica e integrada por comunicação intensiva.

(E) 

Baseada em equipe; descentralizada e autonomista; não-redundante; diferenciada por objetivos e por
área geográfica e integrada por comunicação intensiva.

27 

 As organizações são consideradas por vários autores como sistemas dinâmicos, em constante

adaptação e mudança, buscando o equilíbrio. Esse fenômeno é conhecido como:

coseac-2008-imbel-chefe-de-secao-administrativo-prova.pdf-html.html

12

(A) 

Holismo.

(B) 

Entropia.

(C) 

Homeostase.

(D) 

Sinergia.

(E) 

Metamorfose.

28 

Deming, um dos formuladores da teoria da qualidade, está associado a:

(A) 

corrente de clientes; Diagrama Espinha de Peixe; 14 princípios; ciclo PDCA.

(B) 

corrente de clientes; fazer certo da primeira vez; 14 princípios e círculos de qualidade.

(C) 

diagrama de Causa e Efeito; fazer certo da primeira vez; 14 princípios e ciclo PDCA.

(D) 

corrente de clientes; fazer certo da primeira vez; 14 princípios e ciclo PDCA.

(E) 

corrente de clientes; fazer certo da primeira vez; círculo de qualidade e ciclo PDCA.

29 

Na estrutura matricial, observa-se que:

(A) 

a matriz da organização é descentralizada geograficamente.

(B) 

os funcionários ficam na situação de dupla subordinação: ao chefe do Departamento e
simultaneamente ao gerente do projeto.

(C) 

a matriz da organização responde pelos acordos internacionais.

(D) 

a matriz da organização é a responsável pela estruturação dos demais órgãos, a partir de uma
proposta da governança corporativa.

(E) 

qualquer pessoa da organização-prima (baseada em números primos) pode ser indicada para o papel
de gerente de projeto.

30 

Declarações formalizadas de metas de uma organização em termos financeiros ou estimativa dos

custos totais das atividades necessárias para realizar objetivos, é a definição de:

(A) 

projeto de desembolso.

(B) 

plano plurianual.

(C) 

cronograma físico-financeiro.

(D) 

fluxo de caixa.

(E) 

orçamento.

31 

A aplicação da reengenharia geralmente se dá em empresas que:

(A) 

pretendem garantir o desenvolvimento sustentável e reconhecem a importância das revisões
constantes de estrutura.

coseac-2008-imbel-chefe-de-secao-administrativo-prova.pdf-html.html

13

(B) 

buscam agilizar a obtenção do seus lucros, pela redução do seu pessoal empregado, seguindo as
melhores práticas japonesas.

(C) 

estão em situação calamitosa ou que ainda não estão em dificuldades, mas cuja gerência prevê
problemas.

(D) 

pretendem transferir suas plantas industriais para os países periféricos.

(E) 

se fundem ou incorporam outras empresas de capital aberto.

32 

 Para descrever os planos, os gerentes têm usado a nomenclatura de curto, médio e longo prazos.

Essa identificação refere-se a um dado tempo de execução do plano e obtenção de resultado.

         Tendo em vista o efeito comprometimento, a identificação se dá, respectivamente:

(A) 

menos de um ano; mais de um ano, até quatro anos; mais de quatro anos, tendo em vista o efeito
comprometimento.

(B) 

menos de um ano; mais de um ano, até cinco; mais de cinco anos, tendo em vista o efeito
comprometimento.

(C) 

menos de um ano; mais de um ano, até dez; mais de dez anos, tendo em vista o efeito
comprometimento.

(D) 

menos de um ano; mais de um ano, até cinco; mais de cinco anos, tendo em vista o efeito
comprometimento.

(E) 

menos de um ano; mais de um ano, até dez anos; mais de dez anos, tendo em vista o efeito
comprometimento.

33 

Os planos que especificam detalhes de como os objetivos globais serão alcançados são chamados de:

(A) 

programas.

(B) 

planos estratégicos.

(C) 

planos táticos.

(D) 

cronogramas.

(E) 

planos operacionais.

34 

O  crack da Bolsa de Nova York e a Grande Depressão que a ele se seguiu funcionaram como um

desencadeador, um sinal de que o paradigma da administração também necessitava passar por uma
revolução radical.

          Por isso, pode-se associar estes fatos históricos ao desenvolvimento da:

(A) 

Escola Clássica.

(B) 

Escola das Relações Humanas.

(C) 

Teoria dos Sistemas.

(D) 

Teoria Contingencialista.

(E) 

Administração Flexível.

coseac-2008-imbel-chefe-de-secao-administrativo-prova.pdf-html.html

14

35 

Segundo uma influente e respeitada teoria administrativa, a alta rotatividade do pessoal tem

conseqüências negativas sobre o desempenho da organização e o moral dos trabalhadores. Isso se tornou
um princípio de administração.

          Identifique o autor da formulação e  como ela se tornou conhecida:

(A) 

Fayol e o princípio da rotatividade.

(B) 

Taylor e o princípio da estabilidade.

(C) 

Fayol e o princípio da estabilidade.

(D) 

Taylor e o princípio da rotatividade.

(E) 

Ford e o princípio da produtividade.

36 

Para responder em que bases os trabalhos serão agrupados, cabe tratar de:

(A) 

formalização.

(B) 

especialização do trabalho.

(C) 

cadeia de comando.

(D) 

centralização e descentralização.

(E) 

departamentalização.

37 

Para projetar a estrutura de uma organização é preciso considerar os seguintes elementos

fundamentais:

(A) 

especialização do trabalho;  departamentalização; cadeia de comando; margem de controle;
centralização e descentralização e formalização.

(B) 

especialização do trabalho;  departamentalização; cadeia de comando; margem de controle;
centralização e descentralização e hierarquia.

(C) 

 especialização do trabalho; departamentalização; cadeia de comando; margem de controle; equipes
de trabalho e formalização.

(D) 

especialização do trabalho;  departamentalização; cadeia de comando; hierarquia; centralização e
descentralização e formalização.

(E) 

especialização do trabalho;  departamentalização; cadeia de comando; equipes de trabalho;
centralização e descentralização e formalização.

38 

Segundo a Lei de Licitação e Contratos (Lei n.º 8666/1993), os créditos devem ter seus valores

corrigidos de acordo com:

(A) 

a inflação do período anterior.

(B) 

a inflação do período.

(C) 

os critérios previstos no ato convocatório.

(D) 

a taxa selic.

(E) 

a projeção oficial da inflação para o período de execução do serviço ou fornecimento do bem.

coseac-2008-imbel-chefe-de-secao-administrativo-prova.pdf-html.html

15

39 

Segundo, ainda, essa Lei de Licitação e Contratos, assinale a opção correta.

(A) 

Em igualdade de condições, como critério de desempate, será assegurada preferência,
sucessivamente, aos bens e serviços:

I - produzidos ou prestados por empresas brasileiras de capital nacional.
II - produzidos no País.
III - produzidos ou prestados por empresas brasileiras.

(B) 

Em igualdade de condições, como critério de desempate, será assegurada preferência,
sucessivamente, aos bens e serviços:

I - produzidos ou prestados por empresas brasileiras de capital nacional.
II - produzidos no País.
III - produzidos ou prestados por empresas estrangeiras.

(C) 

Em igualdade de condições, como critério de desempate, será assegurada preferência,
sucessivamente, aos bens e serviços:

I - produzidos ou prestados por empresas brasileiras de capital nacional.
II - produzidos no País.
III - produzidos ou prestados por empresas do MERCOSUL.

(D) 

Em igualdade de condições, como critério de desempate, será assegurada preferência,
sucessivamente, aos bens e serviços:

I - produzidos ou prestados por empresas brasileiras de capital nacional.
II - produzidos no País.
III – produzidos ou prestados por empresas multinacionais de capital aberto.

(E) 

Em igualdade de condições, como critério de desempate, será assegurada preferência,
sucessivamente, aos bens e serviços:

I - produzidos ou prestados por empresas brasileiras de capital nacional.
II - produzidos no País.
III - produzidos ou prestados por empresas brasileiras de capital aberto.

40

A organização de um laboratório de pesquisa é predominantemente realizada de acordo com o critério

de:

(A) 

território.

(B) 

projetos.

(C) 

função.

(D) 

produto.

(E) 

processos.

coseac-2008-imbel-chefe-de-secao-administrativo-prova.pdf-html.html

16