Prova Concurso - Administração - 2008-UFF-ADMINISTRADOR - UFF - UFF - 2008

Prova - Administração - 2008-UFF-ADMINISTRADOR - UFF - UFF - 2008

Detalhes

Profissão: Administração
Cargo: 2008-UFF-ADMINISTRADOR
Órgão: UFF
Banca: UFF
Ano: 2008
Nível: Superior

Downloads dos Arquivos

prova.pdf
gabarito.pdf

Provas relacionadas

AGENTE-ADMINISTRATIVO-PREVIDENCIARIOCONCURSOS2018
ASSISTENTE-DE-ADMINISTRACAOFUNPAPA2018
AUXILIAR-DE-ADMINISTRACAOFUNPAPA2018

Gabarito

uff-2008-uff-administrador-gabarito.pdf-html.html

              

UFF – UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE 

CONCURSO PARA PROVIMENTO DE CARGO - UFF/ 2008  

 

 

 
 

 

PARTE II: 

GABARITO PROVA DE  

MÚLTIPLA ESCOLHA ADMINISTRADOR 

 

21 

41 

22 

42 

23 

43 

24 

44 

25 

45 

26 

46 

27 

47 

28 

48 

29 

49 

30 

50 

31 

51 

32 

52 

33 

53 

34 

54 

35 

55 

36 

56 

37 

57 

38 

58 

39 

59 

40 

60 

 
 
 

Prof.

O

  PAULO GOMES LIMA 

Sub-Coordenador da COSEAC 

 
 

Prova

uff-2008-uff-administrador-prova.pdf-html.html

 

101 

 
 
 
 
 
 
 

 

        CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE 

 

              CARGO: ADMINISTRADOR

 

 

    

 

Instruções ao candidato 

 

?  Além deste caderno, você deverá ter recebido o cartão destinado às respostas das questões 

formuladas na prova; caso não tenha recebido o cartão, peça-o ao fiscal. Em seguida, verifique se 

este caderno contém enunciadas sessenta questões. 

 

?  Verifique se seu nome e número de inscrição  conferem com os que aparecem no CARTÃO DE 

RESPOSTAS; em caso afirmativo, assine-o e leia atentamente as instruções para o seu 

preenchimento; caso contrário, notifique imediatamente ao fiscal. 

 

?  Cada questão proposta apresenta cinco alternativas de resposta, sendo apenas uma delas a 

correta. No cartão de respostas, atribuir-se-á pontuação zero a toda questão com mais de uma 

alternativa assinalada, ainda que dentre elas se encontre a correta.  

 

?  Não é permitido fazer uso de instrumentos auxiliares para o cálculo e o desenho, portar material que 

sirva de consulta, nem copiar as alternativas assinaladas no CARTÃO DE RESPOSTAS. 

 

?  O tempo disponível para esta prova, incluindo o preenchimento do cartão de respostas, é de quatro 

horas. 

 

?  Reserve os vinte minutos finais para preencher o cartão de respostas, caneta esferográfica de corpo 

transparente e de ponta média com tinta azul ou preta. 

 

?  Quando terminar, entregue ao fiscal o CADERNO DE QUESTÕES e o CARTÃO DE RESPOSTAS, 

que poderá ser invalidado se você não o assinar. 

 

?  O candidato que retirar-se do local de realização desta prova após três horas do início da  mesma 

poderá levar seu Caderno de Questões. 

 

 

Após o aviso para início das provas, você deverá permanecer  no 

local de realização das mesmas por, no mínimo,              

 

noventa minutos. 

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE 

Superintendência de Recursos Humanos

DDRH-Departamento de Desenvolvimento de Recursos Humanos

uff-2008-uff-administrador-prova.pdf-html.html

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

uff-2008-uff-administrador-prova.pdf-html.html

 

Parte I: Língua Portuguesa  

TEXTO I 

Amanhecer em Copacabana 

Por Antônio Maria

 

Amanhece, em Copacabana, e estamos todos cansados. Todos, no mesmo banco 

de praia. Todos, que somos eu, meus olhos, meus braços e minhas pernas, meu 
pensamento e minha vontade. O coração, se não está vazio, sobra lugar que não acaba 
mais. Ah, que coisa insuportável, a lucidez das pessoas fatigadas! Mil vezes a obscuridade  
dos que amam, dos que cegam de ciúmes, dos que sentem falta e saudade. Nós somos um 
imenso vácuo, que o pensamento ocupa friamente. E, isso, no amanhecer de Copacabana. 
As pessoas e as coisas começaram a movimentar-se. A moça feia, com o seu caniche de 
olhos ternos. O homem de roupão, que desce à praia e faz ginástica sueca. O bêbado, que 
vem caminhando com um esparadrapo na boca e a lapela suja de sangue. Automóveis, com 
oficiais do Exército Nacional, a caminho da batalha. Ônibus colegiais e, lá dentro, os nossos 
filhos, com cara de sono. O 
banhista gordo, de pernas 
brancas, vai ao mar cedinho, 
porque as pessoas da manhã 
são poucas e enfrentam, sem 
receios, o seu aspecto. Um 
automóvel deixou uma mulher 
à porta do prédio de 
apartamentos  — pelo estado 
em que se encontra a 
maquillage, andou fazendo o 
que não devia. Os ruídos 
crescem e se misturam. 
Bondes, lotações, lambretas e, 
do mar, que se vinha 
escutando algum rumor, não se 
tem o que ouvir. 
       Enerva-me o tom de ironia 
que não consigo evitar nestas 
anotações. Em vezes outras, quando aqui estive, no lugar destas censuras, achei sempre 
que tudo estava lindo e não descobri os receios do homem gordo, que vem à praia de 
manhã cedinho. E Copacabana é a mesma. Nós é que estamos burríssimos aqui, neste 
banco de praia. Nós é que estamos velhíssimos, à beira-mar. Nós é que estamos sem 
ressonância para a beleza e perdemos o poder de descobrir o lado interessante de cada 
banalidade. Um homem assim não tem direito ao amanhecer de sua cidade. Deve levantar-
se do banco de praia e ir-se embora, para não entediar os outros, com a descabida má-
vontade dos seus ares. 

                                                                                    Rio, 12/09/59           

http://www.releituras.com/i_orlandeli_antoniomaria.asp

 

 

Vocabulário: 
CANICHE 

1 

raça de cães de luxo com uma variedade de pêlo lanoso anelado e outra de pêlo crespo, branco ou 
castanho Obs.: cf. poodle 

2 

Derivação: por metonímia

.  

cão dessa raça 

                                                                                  Houaiss eletrônico 

10 

15 

20 

25 

30 

35 

uff-2008-uff-administrador-prova.pdf-html.html

 

01 

    Identifique o comentário de natureza 

sintático-semântica adequado à produção de 
sentido da seguinte passagem: 
 
         “Os ruídos crescem e se misturam. Bondes, 
lotações, lambretas e, do mar, que se vinha 
escutando algum rumor, não se tem o que ouvir.” 
(linhas 22-27)  
 

(A)  

O pronome relativo “que” em “que se vinha 
escutando algum rumor” retoma, de forma 
enfática, o nome substantivo “lambretas”. 

(B) 

A enumeração “Bondes, lotações, lambretas” 
explica o sentido do período anterior: “Os 
ruídos crescem e se misturam.” 

(C) 

A expressão “algum rumor” estabelece com a 
locução verbal “vinha escutando” uma 
relação de causa-conseqüência. 

(D) 

A expressão adverbial “do mar” enfatiza o 
significado das formas verbais “escutando” e 
“ouvir”. 

(E) 

A locução verbal “vinha escutando” situa 
vagamente no tempo uma ação não habitual. 

 
 

02

 

“Nós é  que estamos velhíssimos, à beira-

mar.” (linha 32) 
 
  

O acento grave  em “à beira-mar” indica um 

fenômeno de: 
 

(A)  

concordância estilística       

(B) 

concordância nominal 

(C) 

regência nominal  

(D) 

concordância verbal 

(E) 

regência verbal 

 
 

03

 

Assinale a passagem em que o narrador 

busca a adesão do leitor à idéia de que é o olhar do 
homem que modifica o cenário. 

 

(A)  

Nós é que estamos sem ressonância para a 
beleza e perdemos o poder de descobrir o 
lado interessante de cada banalidade. (linhas 
32-34) 

(B) 

Amanhece, em Copacabana, e estamos 
todos cansados. (linha 1)  

(C) 

Nós somos um imenso vácuo, que o 
pensamento ocupa friamente. (linhas 5-6)      

(D) 

As pessoas e as coisas começaram a 
movimentar-se. (linha-7) 

(E) 

O bêbado, que vem caminhando com um 
esparadrapo na boca e a lapela suja de 
sangue. (linhas 8-9) 

04

 

Assinale a passagem em que o narrador 

expressa, de forma contundente, a sua vontade de 
ter um outro olhar sobre o mundo à sua volta. 
 

(A)  

Amanhece, em Copacabana, e estamos 
todos cansados. (linha 1) 

(B) 

Mil vezes a obscuridade  dos que amam, dos 
que cegam de ciúmes, dos que sentem falta 
e saudade. (linhas 4-5) 

(C) 

A moça feia, com o seu caniche de olhos 
ternos.  (linhas 7-8) 

(D) 

As pessoas e as coisas começaram a 
movimentar-se.  (linha-7) 

(E) 

Nós é que estamos sem ressonância para a 
beleza e perdemos o poder de descobrir o 
lado interessante de cada banalidade.  (linhas 
32-34) 

 

05

 

A expressão grifada na passagem “que se 

vinha escutando algum rumor “(linhas 25-26) 
exprime uma idéia de: 
 

(A)  

causalidade da ação 

(B) 

início de ação 

(C) 

ação habitual 

(D) 

comparação da ação 

(E) 

ação posterior 

 

06

 

Assinale a opção em que a palavra grifada 

estabelece a coesão textual,  retomando  uma idéia 
anteriormente expressa. 
 

(A) 

Um automóvel deixou  uma mulher à porta do 
prédio de apartamentos —  (linhas 16-19)      

(B) 

Todos, que somos eu, meus olhos, meus 
braços e minhas pernas, meu pensamento e 
minha vontade. (linhas 2-3) 

(C) 

Ah,  que coisa insuportável, a lucidez das 
pessoas fatigadas!  (linha 4) 

(D) 

Ônibus colegiais e, lá dentro, os  nossos 
filhos, com cara de sono.  (linhas 10-11) 

(E) 

Enerva-me o tom de ironia  que não consigo 
evitar nestas anotações. (linhas 28-30) 

 

07

 

“Um homem  assim não tem direito ao 

amanhecer de sua cidade.” (linha 34) 

 

 

A palavra grifada no trecho acima produz um 

efeito de sentido de: 

 

(A)  

contraste 

(B) 

atenuação 

(C) 

conclusão 

(D) 

exemplificação 

(E) 

inclusão  

uff-2008-uff-administrador-prova.pdf-html.html

 

08

 

Identifique o  procedimento predominante no 

desenvolvimento do segundo parágrafo do texto. 
 

(A)  

exemplificação 

(B) 

descrição 

(C) 

argumentação 

(D) 

contraste 

(E) 

enumeração 

 

09

 

No fragmento “Deve levantar-se do banco de 

praia e ir-se embora,  para não entediar os outros, 
com a descabida má-vontade dos seus ares”.  
(linhas 35-37), a expressão grifada estabelece uma 
relação de: 

 

(A)  

finalidade 

(B) 

causalidade 

(C) 

conseqüência 

(D) 

concessão 

(E) 

tempo 

 

10

 

Assinale a passagem em que a palavra 

grifada aponta proximidade no espaço. 

 

(A)  

Nós somos um imenso vácuo,  que o 
pensamento ocupa friamente.  (linhas 4-5)     

(B) 

Nós é que estamos sem ressonância para a 
beleza (linha 33  ) 

(C) 

e ir-se embora, para não entediar os  outros, 
com a descabida má-vontade dos seus ares. 
(linhas 36-37) 

(D) 

O coração, se não está vazio, sobra  lugar 
que não acaba mais. (linhas 3-4) 

(E) 

Nós é que estamos burríssimos aqui,  neste 
banco de praia. (linhas 31-33) 

 

11

 

Assinale o fragmento em que a locução verbal 

grifada exprime um processo em sua fase inicial. 
 

(A)  

Bondes, lotações, lambretas e, do mar, que 
se  vinha escutando algum rumor, não se tem 
o que ouvir. (linhas 24-27) 

(B) 

O bêbado, que  vem caminhando com um 
esparadrapo na boca e a lapela suja de 
sangue. (linhas 8-9) 

(C) 

Um automóvel deixou uma mulher à porta do 
prédio de apartamentos  — pelo estado em 
que se encontra a maquillage, andou fazendo 
o que não devia. (linha 16-22) 

(D) 

As pessoas e as coisas  começaram a 
movimentar-se. (linha 7) 

(E) 

Deve levantar-se do banco de praia e ir-se 
embora, para não entediar os outros, com a 
descabida má-vontade dos seus ares.(linhas 
35-37) 

12

 

Em relaç ão à sintaxe do texto, pode-se 

afirmar que: 
 

(A)  

na passagem “Nós é que estamos 
burríssimos aqui, neste banco de praia” 
(linhas 32-33),a forma verbal  é introduz um 
predicado nominal na construção do período. 

(B) 

na passagem  “Nós somos um imenso vácuo, 
que o pensamento ocupa friamente” (linhas 
5-6), o pronome relativo  que funciona 
sintaticamente como sujeito do verbo ocupar. 

(C) 

na passagem ” Mil vezes a obscuridade  dos 
que amam, dos que cegam de ciúmes, dos 
que sentem falta e saudade” (linhas 4-5), o 
pronome relativo  que retoma o pronome 
demonstrativo  os  que aponta um referente 
fora do texto. 

(D) 

na passagem “Amanhece, em Copacabana, e 
estamos todos cansados” (linha 1), o 
emprego do pronome  todos, em registro 
formal, implicaria o uso do verbo na terceira 
pessoa do plural. 

(E) 

na passagem  “Os ruídos crescem e se 
misturam” (linhas 22-23), o valor da 
conjunção e é adversativo. 

 
 

 13

 

No primeiro parágrafo, as expressões: “a 

moça feia” (linha 7); “o homem de roupão”(linha 8); 
“automóveis” (linha 9); “o banhista gordo” (linhas  
11-12);  “um automóvel” (linhas 16-17)  introduzem, 
sob o ponto de vista estilístico, a progressão textual 
por meio de: 
 

(A)  

comparação 

(B) 

contraste 

(C) 

explicação 

(D) 

gradação 

(E) 

enumeração 

 

14

 

O comentário do eu-lírico a respeito dos 

sentimentos sobre o cenário (Copacabana)   traduz 
uma estratégia de: 
 

(A)  

atitude crítico-irônica 

(B) 

ênfase nos aspectos urbanísticos 

(C) 

explicação sobre mudanças sociais 

(D) 

análise socioeconômica 

(E) 

atitude mágico-contemplativa 

 
 
 
 
 
 

uff-2008-uff-administrador-prova.pdf-html.html

 

Cidade multicultural, uma verdadeira obra de arte. A criatividade ímpar 
vem de grandes artistas ou de pequenos artesãos. Está por todos os 
lados, por todos os cantos. Está em cada traço de um lugar chamado 

Recife. 

 

Prefeitura do Recife 

A grande obra é cuidar das pessoas 

www.recife.pe.gov.br

                                  

                                                             Revista ÉPOCA, dez.2007 

 

15

 

O uso recorrente do presente do indicativo no 

texto “Amanhecer em Copacabana” se justifica por:  
 

(A)  

expressar um fato futuro, mas que o narrador 
deseja apresentá-lo como certo e próximo. 

(B) 

expressar um fato atual, isto é, que ocorre no 
momento em que se narra. 

(C) 

indicar ações e estados permanentes ou 
assim considerados como seja uma verdade 
incontestável. 

(D) 

expressar uma ação habitual ou uma 
faculdade do sujeito ainda que não estejam 
sendo exercidas no momento da narrativa. 

(E) 

dar vivacidade a fatos ocorridos no passado e 
aproximá-los do leitor. 

 
 

16

 

A palavra grifada em “E Copacabana é a 

mesma” (linha 32) produz um efeito de sentido de: 
 

(A)  

atenuação 

(B) 

conclusão 

(C) 

concessão 

(D) 

inclusão 

(E) 

explicação 

 
 

                                    TEXTO II 

 
      
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A CULTURA 
DO RECIFE 

TE QUER. 

uff-2008-uff-administrador-prova.pdf-html.html

 

17

 

Em relação aos textos I e II, pode-se afirmar 

que: 
 

(A)  

o texto I se  estrutura em dois parágrafos que 
expressam as condições ambientais de 
Copacabana e uma análise sentimental das 
memórias do bairro. 

(B) 

o texto I é uma crônica que enfatiza a 
multiplicidade de aspectos do cotidiano de 
Copacabana e o texto II é uma peça 
publicitária institucional. 

(C) 

o texto II descreve minuciosamente as 
características culturais e econômicas da 
cidade de Recife. 

(D) 

os textos I e II apresentam um mecanismo 
lingüístico de persuasão próprio de matérias 
publicitárias. 

(E) 

os textos I e II tratam das características 
singulares dos aspectos turísticos da praia de 
Copacabana e da cidade do Recife.  

 
 

18

 

Uma das características lingüísticas 

comuns no texto publicitário e exemplificado no 
texto II é: 
 
 

(A)  

emprego do modo imperativo. 

(B) 

emprego reiterado do vocativo. 

(C) 

uso estilístico da pontuação. 

(D) 

uso constante de linguagem figurada. 

(E) 

emprego reiterado de verbos de ligação. 

 
 

19

 

Pode-se afirmar quanto ao emprego dos 

pronomes, no texto II: 
 
 

(A)  

o pronome pessoal de segunda pessoa  te 
pode ser substituído, no padrão culto, por lhe  
sem alteração de formalidade. 

(B) 

o pronome indefinido  todos limita aspectos 
relevantes da paisagem do Recife. 

(C) 

o pronome  cada aponta uma situação 
precária em relação a aspectos culturais do 
Recife.  

(D) 

o pronome pessoal de segunda pessoa  te é 
um recurso lingüístico para promover a 
interlocução. 

(E) 

o pronome indefinido 

todos usado 

estilisticamente reitera a noção de 
particularidade. 

 
 
 
 
 
 

20

 

Na língua portuguesa, tradicionalmente, o 

adjetivo se pospõe ao substantivo. No entanto, no 
texto II, há usos de adjetivos antepostos ao 
substantivo. Tal fato se explica por tratar-se de: 
 

(A)  

recurso poético em “cidade multicultural” e 
uso metafórico em “ criatividade ímpar”. 

(B) 

recurso de linguagem apelativa em  
“pequenos artesãos” e uso enfático em  
“cidade multicultural”. 

(C) 

uso de linguagem referencial em “verdadeira 
obra de arte” e necessário para a produção 
de sentido metafórico do texto em “pequenos 
artesãos”. 

(D) 

recurso da linguagem afetiva em “verdadeira 
obra de arte” e uso necessário para produção 
de sentido figurado em “pequenos artesãos”. 

(E) 

emprego da linguagem denotativa em 
“grandes artistas” e emprego de linguagem 
conotativa em “criatividade ímpar”. 

 
 

uff-2008-uff-administrador-prova.pdf-html.html

 

Parte II: Conhecimentos Específicos 

 
 
 

 

21

 

Tratando de cultura organizacional, indique os 

artefatos que ajudam a esboçar a realidade dentro 
da organização. 
 

(A)  

 Regras, plano anual, objetivos, missões, 

descrições de cargo e procedimentos 
operacionais padronizados. 

(B) 

 Estrutura matricial, regras, políticas, 

objetivos, missões, descrições de cargo e 
procedimentos operacionais padronizados. 

(C) 

 Estrutura matricial, regras, políticas, 

objetivos, missões, estatísticas de produção, 
descrições de cargo e procedimentos 
operacionais padronizados. 

(D) 

 Regras, políticas, objetivos, missões, 

descrições de cargo e procedimentos 
operacionais padronizados. 

(E) 

 Estrutura organizacional, regras, políticas, 

objetivos, missões, descrições de cargo e 
procedimentos operacionais padronizados. 

 

22

 

Desempenho é. 

 

(A)  

o resultado obtido em trabalho compartilhado 

em dada organização. 

(B) 

o produto obtido ao longo de uma jornada de 

trabalho industrial. 

(C) 

o resultado que uma pessoa consegue com a 

aplicação de algum esforço intelectual ou 
físico.  

(D) 

a relação entre o rendimento de uma jornada 

de trabalho e o tempo de trabalho 
despendido. 

(E) 

o trabalho cristalizado, gerado pela mais-valia 

do trabalhador industrial, comercial, rural ou 
de serviço. 

 

23

    Segundo a hierarquia das necessidades de 

Maslow, a motivação pode-se verificar por 
necessidades 
 

(A)  

fisiológicas, de segurança, sociais, do ego e 

de auto-conhecimento. 

(B) 

físicas, de estabilidade, sociais, pessoais e de 

auto-realização. 

(C) 

físicas, de segurança, sociais, do ego e de 

auto-conhecimento. 

(D) 

fisiológicas, de seguridade, sociais, do ego e 

de auto-realização. 

(E) 

fisiológicas, de segurança, sociais, do ego e 

de auto-realização. 

24 

Os Fatores Higiênicos da Teoria dos dois 

Fatores referem-se  a 
 

(A)  

fatores que dizem respeito ao contexto do 

trabalho.  

(B) 

fatores relacionados com os cuidados 

pessoais dos trabalhadores.  

(C) 

fatores associados  às condições de vida 

doméstica do trabalhador. 

(D) 

fatores condicionadores de hábitos de higiene 

e cuidados do trabalhador, no ambiente do 
trabalho e de moradia. 

(E) 

fatores sujeitos a alterações de acordo com o 

clima e as condições meteorológicas, que 
afetam a saúde do trabalhador. 

 

25 

O risco em um processo decisório existe, 

quando a probabilidade de uma ação ser bem 
sucedida é 
 

(A)  

Menor que ¼ das probabilidades mais 

positivas. 

(B) 

Menor que 90%. 

(C) 

Menor que  50%. 

(D) 

Menor que 100%.  

(E) 

Tendente para zero. 

 
 

26 

Reengenharia pode ser definida como: 

 
 

(A)  

O processo de automação e reorganização da 

produção, com base em métodos avançados 
e estruturas tecnológicas contemporâneas. 

(B) 

A revisão radical dos procedimentos e 

técnicas de organização da empresa, visando 
a desfazer-se de tudo que constitui fatores de 
risco e custos desnecessários. 

(C) 

O reexame dos métodos de gestão, tendo em 

vista introduzir a cultura de combate ao 
desperdício e  a adoção das melhores 
práticas industriais. 

(D) 

A transformação gradual e profunda dos 

métodos adotados pela empresa, de modo a 
promover a introdução de práticas gerenciais, 
de acordo com os padrões  contemporâneos 
de gestão. 

(E) 

O repensar fundamental e a reestruturação 

radical dos processos empresariais, que 
visam  a  alcançar drásticas melhorias em 
indicadores críticos e contemporâneos de 
desempenho.  

 
 

uff-2008-uff-administrador-prova.pdf-html.html

 

27 

No planejamento estratégico, a Visão é: 

 

(A)  

 Percepção  de algo que se encontra distante. 

(B) 

 Idealização de um futuro desejado para a 

empresa. 

(C) 

Olhar percuciente sobre os aspectos mais 

graves da empresa. 

(D) 

 Divisar os problemas que podem advir para a 

empresa em dado tempo. 

(E) 

 Capacidade de perceber as questões mais 

importantes de um plano. 

 

28 

Porter descreve cinco forças que determinam 

a atratividade de um negócio, as características da 
competição nesse negócio e suas causas. São elas: 

 

(A)  

A entrada de novos competidores, a ameaça 

de produtos importados, o poder de 
negociação dos compradores, o poder de 
negociação dos fornecedores e a rivalidade 
entre os concorrentes. 

(B) 

A entrada de importados, a ameaça de 

produtos substitutivos, o poder de negociação 
dos compradores, o poder de negociação dos 
fornecedores e a rivalidade entre os 
concorrentes. 

(C) 

A entrada de produtos importados, a ameaça 

de produtos semelhantes, o poder de 
negociação dos clientes, o poder de 
negociação dos fornecedores e a rivalidade 
entre os concorrentes. 

(D) 

A entrada de novos competidores, a ameaça 

de produtos substitutivos, o poder de 
negociação dos compradores, o poder de 
negociação dos fornecedores e a rivalidade 
entre os concorrentes. 

(E) 

A entrada de novos competidores, a ameaça 

de produtos importados,  a relação dos 
importadores com o governo, o poder de 
negociação dos fornecedores e a rivalidade 
entre os concorrentes. 

 

29 

O Ciclo PDCA significa 

 

(A)  

o processo que compreende um movimento 

contínuo, constituído de planeja-mento, 
organização, comando e controle.  

(B) 

o processo que compreende um movimento 

contínuo, constituído 

de planejamento, 

organização, comando e coordenação. 

(C) 

o processo que compreende um movimento 

contínuo, constituído de planejamento, 
implementação, observação dos efeitos e 
estudo dos resultados. 

(D) 

o processo que compreende um movimento 

contínuo, constituído de planejamento, 
organização, comando e revisão. 

(E) 

o processo que compreende um movimento 

contínuo, constituído de planejamento, 
organização, comando, controle e 
coordenação. 

 
 

30 

A Missão da empresa significa: 

 

(A)  

Fato histórico relacionado com a presença 
dos jesuítas na região dos 7 Povos das 
Missões. 

(B) 

O objetivo central da empresa. 

(C) 

A tarefa atribuída a uma empresa para um 
tempo definido e com resultados esperados. 

(D) 

O caráter religioso de uma empresa com 
objetivos sociais. 

(E) 

A determinação do motivo central da 
existência de uma empresa. 

 

31 

A delegação é necessária 

 

(A)  

 no momento em que um serviço se realiza 

por via do contrato de terceiros. 

(B) 

 no momento em que um serviço se realiza à 

distância. 

(C) 

 no momento em que um serviço se torna 

muito complexo, diversificado ou de nível 
inferior. 

(D) 

 no momento em que um serviço se torna 

urgente e não conta com a presença 
decisória da autoridade. 

(E) 

 no momento em que um serviço se torna 

muito complexo, diversificado ou volumoso.  

 

32 

Os grupos têm status diferentes nas 

organizações. O status  dos grupos depende de 
alguns fatores. Estes fatores são: 
 

(A)  

A importância da tarefa designada, o nível de 

êxito do grupo, o status dos participantes do 
grupo, a natureza das recompensas 
recebidas pelos membros do grupo e as 
relações do grupo com os superiores. 

(B) 

A importância da tarefa designada, o nível de 

êxito do grupo, o status dos participantes do 
grupo, a natureza das recompensas 
recebidas pelos membros do grupo e o status 
externo percebido.  

(C) 

A posição ocupada na estrutura hierárquica, o 

nível de êxito do grupo, o status dos 
participantes do grupo, a natureza das 
recompensas recebidas pelos membros do 
grupo e o status externo percebido. 

uff-2008-uff-administrador-prova.pdf-html.html

 

10 

(D) 

A importância da tarefa designada, o nível de 

êxito do grupo, o status dos participantes do 
grupo, as relações internas entre os membros 
do grupo  e o status externo percebido.  

(E) 

A importância da tarefa designada, o nível de 

êxito do grupo, as relações do grupo com os 
superiores, as relações internas entre os 
membros do grupo e o status externo 
percebido. 

 

33 

No processo de seleção, uma das fases é a 

entrevista com o candidato. Há três formatos gerais 
de entrevista: 

 

(A)  

Entrevista estruturada, entrevista não-

estruturada e entrevista semi-estruturada. 

(B) 

Entrevista coletiva, entrevista individual e 

entrevista grupal. 

(C) 

Entrevista coletiva, entrevista individual e 

entrevista organizacional. 

(D) 

Entrevista estruturada, entrevista não-

estruturada e entrevista de stress. 

(E) 

Entrevista presencial, entrevista à distância e 

entrevista mista. 

 

34 

Na relação chefe/subordinado, há uma teoria 

conhecida como teoria da aceitação da autoridade. 
Esta teoria significa que 

 

(A)  

os funcionários determinam se uma ordem 

gerencial é legítima e aceitável.  

(B) 

os funcionários precisam considerar que a 

autoridade deve encontrar aceitação entre 
eles. 

(C) 

os funcionários aceitam a autoridade, desde 

que haja reconhecimento legal. 

(D) 

os funcionários tendem a aceitar a 

autoridade, uma vez ela formule ordens bem 
sucedidas. 

(E) 

os funcionários podem aceitar a autoridade,  

caso a autoridade seja reconhecida como tal. 

 

35 

As negociações coletivas são um contrato por 

escrito que cobrem duas áreas: 

 
 

(A)  

As regras e normas para decidir questões ou 

disputas relativas à interpretação do acordo e 
da data do novo dissídio trabalhista. 

(B) 

As condições de trabalho, tais como salários, 

carga horária, tempo de serviço, folga  e, em 
segundo lugar, a cobertura dos dias parados 
de greve. 

(C) 

As condições de trabalho, tais como salários, 

carga horária, tempo de serviço, folga e, em 
segundo lugar, as regras e normas para 
decidir questões ou disputas relativas à 
interpretação do acordo.  

(D) 

As regras e normas para decidir questões 

trabalhistas que envolvam o sindicato e 

assuntos relativos à política econômica que 
dizem respeito à categoria. 

(E) 

As regras de conduta do sindicato e das 

empresas e o salário negociado. 

 
 

36 

No processo decisório, a intuição é vista por 

alguns autores como um recurso importante porque: 
 

(A)  

Elimina a influência das experiências 

negativas. 

(B) 

Produz as decisões acertadas. 

(C) 

Produz  os raciocínios rápidos e acertados . 

(D) 

Capta o pensamento do conjunto. 

(E) 

Produz a visão global.  

 

37 

A perspectiva da liderança por base de 

influência leva em conta comportamentos e 
posturas típicas em relação ao 
 

(A)  

uso da força, forma de manifestar a 

influência, forma de manter a influência, 
forma de manter o status e postura esperada 
do subordinado. 

(B) 

uso do poder, forma de manifestar a 

influência, forma de manter a influência, 
forma de expressar a ordem e postura 
esperada do subordinado. 

(C) 

uso do poder, forma de manifestar a 

influência, forma de manter a influência, 
forma de manter o status e postura esperada 
do subordinado.  

(D) 

uso do poder, forma de manifestar a 

influência, forma de manter a influência, 
forma de manter o status e maneira de julgar 
os erros. 

(E) 

uso do poder, forma de manifestar a 

influência, forma de manter a influência, 
forma de dialogar e postura esperada do 
subordinado. 

 

38 

No que diz respeito à flexibilidade 

organizacional, tem-se que a organização 
atomizada e holográfica possui cinco 
características: 
 

(A)  

Baseada em especialistas, descentralizada e 

autonomista, redundante, diferenciada por 
objetivos e por área geográfica e integrada 
por comunicação intensiva. 

(B) 

Baseada em equipe, descentralizada e 

autonomista, redundante, diferenciada por 
objetivos e por área geográfica e integrada 
por comunicação intensiva.  

(C) 

Baseada em equipe, descentralizada e 

autonomista, redundante, diferenciada por 
objetivos e por área geográfica e integrada 
por redes neurais e verticais. 

uff-2008-uff-administrador-prova.pdf-html.html

 

11 

(D) 

Baseada em equipe, descentralizada, mas 

não autônoma, redundante, diferenciada por 
objetivos e por área geográfica e integrada 
por comunicação intensiva. 

(E) 

Baseada em equipe, descentralizada e 

autonomista,não-redundante, diferenciada 
por objetivos e por área geográfica e 
integrada por comunicação intensiva.  

 

39 

No planejamento empresarial estratégico, o 

diagnóstico se realiza através da 
 

(A)  

análise dos fatores internos à luz das 

informações técnicas, advindas do setor de 
planejamento. 

(B) 

análise microeconômica, incluindo 

considerações técnicas e antropológicas. 

(C) 

análise social, política e filosófica, tendo em 

conta o histórico da empresa. 

(D) 

análise macroeconômica, incluindo 

considerações sociais e políticas. 

(E) 

análise dos resultados obtidos, em 

comparação com o previsto.   

 

40 

As organizações são consideradas por vários 

autores como sistemas dinâmicos, em constante 
adaptação e mudança, buscando o equilíbrio. Este 
fenômeno é conhecido como  
 

(A)  

sinergia. 

(B) 

entropia. 

(C) 

holismo. 

(D) 

homeostase.   

(E) 

metamorfose. 

 

41 

Deming, um dos formuladores da teoria da 

qualidade, está associado à: 
 

(A)  

Corrente de clientes, fazer certo da primeira 

vez, 14 princípios e círculos de qualidade. 

(B) 

Corrente de clientes, fazer certo da primeira 

vez, 14 princípios e ciclo PDCA.  

(C) 

Diagrama de Causa e Efeito, fazer certo da 

primeira vez, 14 princípios e ciclo PDCA. 

(D) 

Corrente de clientes, Diagrama Espinha de 

Peixe, 14 princípios, ciclo PDCA. 

(E) 

Corrente de clientes, fazer certo da primeira 

vez, círculo de qualidade e ciclo PDCA. 

 
 

42 

As principais técnicas para desenvolver 

equipes diz respeito a 
 

(A)  

ouvir, desenvolver conhecimento mútuo, 

criação de identidade e clima de abertura 
intelectual. 

(B) 

ouvir e falar, desenvolver conhecimento 

mútuo, criação de identidade e clima de 
abertura intelectual.  

(C) 

falar francamente, desenvolver conheci-

mento mútuo, criação de interatividade e 
clima de abertura intelectual. 

(D) 

ouvir e falar, desenvolver amizades, criação de 

identidade e clima de abertura democrática. 

(E) 

ouvir e falar, desenvolver conhecimento mútuo, 

respeitabilidade e clima de diálogo e amizade.  

 

43 

Quando um consenso é formado por um 

grupo, cujos integrantes, individualmente, 
prefeririam tomar uma decisão oposta, diz-se, no 
estudo de grupos e equipes, que houve 
 

(A)  

uma contradição de Herodes. 

(B) 

um paradoxo de Aristóteles. 

(C) 

um paradoxo de Abilene.  

(D) 

uma contradição Grupal. 

(E) 

um falso consenso forçado. 

 

44 

As normas ISO 9000 foram adotadas por 

alguns países, para 
 

(A)  

 garantir a qualidade dos serviços prestados por 

organizações multinacionais. 

(B) 

 impor sua tecnologia de produção aos 

demais países exportadores e aumentar as 
perdas internacionais dos países periféricos, 
desde 1945. 

(C) 

elevar as garantias individuais, quanto a 

preço e mercado de matéria prima. 

(D) 

garantir a qualidade dos produtos importados.  

(E) 

impor normas de conduta aos importa-dores de 

produtos manufaturados. 

 

45 

Na estrutura matricial 

 

(A)  

qualquer pessoa da organização-mãe pode 

ser indicada para o papel de gerente de 
projeto, em regime ad hoc

(B) 

a matriz da organização é descentralizada 

geograficamente. 

(C) 

a matriz da organização responde pelos 

acordos internacionais. 

(D) 

a matriz da organização é a responsável pela 

estruturação dos demais órgãos, a partir de 
uma proposta da governança corporativa. 

(E) 

qualquer pessoa da organização-prima 

(baseada em números primos) pode ser 
indicada para o papel de gerente de projeto. 

 
 
 
 

uff-2008-uff-administrador-prova.pdf-html.html

 

12 

46  

Qualquer coisa que não faz parte nem do 

emissor nem do receptor, mas que distorce a 
mensagem é, na teoria da comunicação, conhecido 
como 
  

(A)  

ruído.  

(B) 

interferência.  

(C) 

osni – objeto sonoro não identificado. 

(D) 

grampo. 

(E) 

estranhamento. 

 

47

   Declarações formalizadas de metas de uma 

organização em termos financeiros é a definição de 
 

(A)  

fluxo de caixa. 

(B) 

plano plurianual.  

(C) 

cronograma físico-financeiro. 

(D) 

orçamento.  

(E) 

programa de desembolso. 

 

48

 

A aplicação da reengenharia geralmente se 

dá em 
 

(A)  

empresas que pretendem garantir o 

desenvolvimento sustentável e reconhecem a 
importância das revisões constantes de 
estrutura. 

(B) 

empresas que buscam agilizar a obtenção do 

seus lucros pela redução do  seu pessoal 
empregado, seguindo as melhores práticas 
japonesas. 

(C) 

empresas que estão em situação calamitosa 

ou que ainda não estão em dificuldades, mas 
cuja gerência prevê problemas.  

(D) 

empresas que pretendem transferir suas 

plantas industriais para os países periféricos. 

(E) 

empresas que se fundem ou incorporam 

outras empresas de capital aberto. 

 

49

 

O crescimento e desenvolvimento econômico 

que atendem às necessidades atuais da 
organização, sem causar danos às possibilidades 
das futuras gerações de satisfazerem suas 
necessidades, é conhecido como 
 

(A)  

ambientalismo econômico. 

(B) 

macro-estratégia de desenvolvimento. 

(C) 

gestão ambiental. 

(D) 

Protocolo de Kioto. 

(E) 

crescimento sustentável.  

 
 
 
 
 
 
 
 

50

 

Os principais tipos de orçamento são 

 

(A)  

de vendas, de compras, de produção, de 

caixa e principal. 

(B) 

de vendas, de produção, de custo de 

produção, de caixa e principal.  

(C) 

de vendas, de produção, de custo de 

produção, de caixa e de bancos. 

(D) 

de vendas, de compras, de produção, de 

bancos, de caixa e principal. 

(E) 

de vendas, de produção, de custo de 

produção, de caixa e diário. 

 

51

 

A participação do processo decisório, na 

teoria organizacional, vem trabalhar principalmente 
duas questões  
 

(A)  

a cooperação e a produtividade. 

(B) 

a cooperação e o conflito.  

(C) 

a produtividade e o conflito. 

(D) 

as relações de trabalho e  os interesses de 

classe. 

(E) 

os valores ideológicos e os interesses dos 

grupos internos. 

 
 

52

 

O  método do  payback,  para avaliação de 

alternativas de investimento, apresenta pelo menos 
três problemas: 
 

(A)  

 Ignora a distribuição dos fluxos de caixa 

dentro do período do  payback , ignora os 
fluxos de caixa após o momento de 
recuperação do investimento e  estabelece 
um padrão arbitrário do período do payback. 

(B) 

Desconta os fluxos de caixa arbitrariamente, 

considera os fluxos após  payback  
estabelece padrão arbitrário do período do 
payback. 

(C) 

Desconta os fluxos de caixa, usando a taxa 

mínima de atratividade, ignora os fluxos de 
caixa após o momento de recuperação do 
investimento e  não estabelece um padrão do 
período de payback. 

(D) 

Considera a distribuição dos fluxos de caixa 

dentro do período do  payback , considera os 
fluxos de caixa após o momento de 
recuperação do investimento e estabelece 
um padrão arbitrário do período do payback. 

(E) 

Ignora a distribuição dos fluxos de caixa após 

o do período do  payback , considera os fluxos 
de caixa antes do momento de recuperação 
do investimento e  estabelece um padrão 
arbitrário do período do payback. 

 
 
 
 
 

uff-2008-uff-administrador-prova.pdf-html.html

 

13 

53

   Sejam as seguintes informações financeiras: 

 

Caixa = $ 1.500,00 
Contas a receber = $ 9.000,00 
Contas a pagar = $ 3.000,00 
Estoques = $ 2500,00 

 
 

Considerando os valores acima colocados, 

podemos afirmar que o capital de giro líquido seria 
 

(A)  

$  5.000,00. 

(B) 

$  8.000,00. 

(C) 

$ 10.000,00.  

(D) 

$ 13.000,00. 

(E) 

$ 14.500,00. 

 

54 

  Para estimar o custo do capital próprio da 

empresa XYZ, usando o Modelo de Precificação de 
Ativos (CAPM), estimou-se  a taxa livre de risco 
igual a 8%, o coeficiente beta 1,1 e a taxa de 
retorno corrente esperada sobre o mercado igual a 
14%.  Portanto, o custo do capital próprio da XYZ é 
 

(A)  

14,6 %.   

(B) 

22,8 %. 

(C) 

23,1 %. 

(D) 

23,4 %. 

(E) 

Nenhuma das anteriores. 

 
 

55 

  Sendo P, o preço de venda médio por 

unidade, igual $ 2,00, V, o  custo variável por 
unidade, igual a $ 1,50 e F, custos operacionais 
fixos, no valor de $ 20.000,00, podemos afirmar que 
o ponto de equilíbrio  é de 
 

(A)  

38.000 unidades. 

(B) 

39.000 unidades. 

(C) 

40.000 unidades.  

(D) 

42.000 unidades. 

(E) 

45.000 unidades. 

 
 

56

   Suponhamos que uma empresa tenha um 

quociente entre capital de terceiros e capital próprio 
igual a 0,6, que o custo de capital de terceiros seja 
de 15,15 %, e que o custo de capital próprio seja de 
20 %.  Se a alíquota do imposto de renda de 
pessoa jurídica for de     34 %, podemos afirmar que 
o custo médio ponderado de capital será igual a 
 

(A)  

15,75 %. 

(B) 

18,00%. 

(C) 

16,25 %.  

(D) 

18,75 %. 

(E) 

20,00 %. 

 

57  

Servidores públicos são todos aqueles que 

mantêm vínculos de trabalho profissional com as 
entidades governamentais, integrados em cargos 
ou empregos 
 

(A)  

da União, dos Estados, Distrito Federal e 

Municípios. 

(B) 

da União, dos Estados, Distrito Federal, 

Municípios, respectivas autarquias, 
fundações de direito público e empresas 
públicas. 

(C) 

da União, dos Estados, Distrito Federal, 

Municípios, respectivas autarquias e 
fundações de direito público, empresas 
públicas e sociedades de economia mista. 

(D) 

da União, dos Estados, Distrito Federal, 

Municípios, respectivas autarquias e 
fundações de direito público.  

(E) 

da União, dos Estados, Municípios, 

respectivas autarquias, fundações de direito 
público e empresas públicas. 

 
 
 

58  

Veda-se a acumulação remunerada de 

cargos, funções ou empregos tanto na 
administração direta como na administração indireta 
ou fundacional, ressalvadas certas hipóteses, a 
saber: 
 

(A)  

Dois cargos de professor, a de um cargo de 

professor com outro técnico ou científico e a 
de dois cargos ou empregos privativos de 
profissionais da saúde, com  profissões 
regulamentadas.  

(B) 

Dois cargos de professor, a de um cargo de 

empresa pública com outro técnico ou 
científico da administração direta e a de dois 
cargos ou empregos privativos de 
profissionais da saúde, com profissões 
regulamentadas.  

(C) 

Dois cargos de professor, a de um  cargo de 

professor com outro técnico ou científico e a 
de dois cargos ou empregos privativos de 
profissionais da saúde e da cultura, com 
profissões regulamentadas.  

(D) 

Dois cargos de professor, a de um cargo de 

professor aposentado com outro técnico ou 
científico e a de dois cargos ou empregos 
privativos de profissionais da saúde, com 
profissões regulamentadas. 

(E) 

Dois cargos de professor, desde que um seja 

ocupado na condição de aposentado, a de 
um cargo de professor com outro técnico ou 
científico e a de dois cargos ou empregos 
privativos de profissionais da saúde, com 
profissões regulamentadas. 

 
 

uff-2008-uff-administrador-prova.pdf-html.html

 

14 

59

   A causa de um ato administrativo é uma 

relação de adequação entre os pressupostos do ato 
e seu objeto. É, pois, no âmbito do ato que se 
examinam dois tópicos extremamente importantes 
para a validade do ato administrativo. Estes tópicos 
são 
 

(A)  

a razoabilidade e a finalidade. 

(B) 

a razoabilidade e a proporcionalidade. 

(C) 

a finalidade e a proporcionalidade. 

(D) 

a adequabilidade e a razoabilidade. 

(E) 

a razoabilidade e a comparabilidade.  

 
 

60

   Em alguns casos a lei atribui dado efeito ao 

silêncio. Portanto, pode-se dizer que o silêncio 
administrativo existe quando: 
 

(A)  

 A administração não se pronuncia, porque 

não deve fazê-lo, considerando-se  indeferida 
a pretensão do administrado. 

(B) 

 A administração não se pronuncia, quando 

deve fazê-lo, considerando-se deferida ou 
indeferida(o que é mais comum) a pretensão 
do administrado.  

(C) 

 A administração não se pronuncia, quando 

deve fazê-lo, considerando-se deferida (o que 
é mais comum) ou indeferida a pretensão do 
administrado. 

(D) 

 A administração não se pronuncia, porque 

não deve fazê-lo, considerando-se deferida  a 
pretensão do administrado. 

(E) 

 A administração não se pronuncia, quando 

deve fazê-lo, considerando-se indeferida a 
pretensão do administrado. 

 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 

uff-2008-uff-administrador-prova.pdf-html.html

 

15 

Espaço reservado para rascunho 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 

uff-2008-uff-administrador-prova.pdf-html.html

 

16 

Espaço reservado para rascunho 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 

uff-2008-uff-administrador-prova.pdf-html.html

 

17