Prova Concurso - Administração - 2009-FUNASA-ADMINISTRADOR - CESGRANRIO - FUNASA - 2009

Prova - Administração - 2009-FUNASA-ADMINISTRADOR - CESGRANRIO - FUNASA - 2009

Detalhes

Profissão: Administração
Cargo: 2009-FUNASA-ADMINISTRADOR
Órgão: FUNASA
Banca: CESGRANRIO
Ano: 2009
Nível: Superior

Downloads dos Arquivos

prova.pdf
gabarito.pdf

Provas relacionadas

AGENTE-ADMINISTRATIVO-PREVIDENCIARIOCONCURSOS2018
ASSISTENTE-DE-ADMINISTRACAOFUNPAPA2018
AUXILIAR-DE-ADMINISTRACAOFUNPAPA2018

Gabarito

cesgranrio-2009-funasa-administrador-gabarito.pdf-html.html

 

CONCURSO PÚBLICO – EDITAL 001/2009

 

 

GABARITOS DO DIA 21/06/2009 

 

NÍVEL MÉDIO 

 

AGENTE ADMINISTRATIVO 

GABARITO 1 – 

PROVA 

AZUL 

GABARITO 2 – 

PROVA 

AMARELA 

GABARITO 3 – 

PROVA 

BRANCA 

GABARITO 4 – 

PROVA 

VERDE 

LÍNGUA PORTUGUESA I 

1 – D 

6 – D 

1 – D 

6 – C 

1 – D 

6 – A 

1 – D 

6 – B 

2 – A 

7 – C 

2 – B 

7 – D 

2 – E 

7 – B 

2 – D 

7 – A 

3 – B 

8 – E 

3 – B 

8 – C 

3 – B 

8 – A 

3 – B 

8 – D 

4 – A 

9 – B 

4 – E 

9 – E 

4 – B 

9 – C 

4 – C 

9 – A 

5 – C 

  10 – B 

5 – A 

  10 – D 

5 – D 

  10 – C 

5 – E 

   10 – E 

CONHECIMENTOS GERAIS I 

11 – E 

21 – C 

11 – D 

21 – B 

11 – A 

21 – C 

11 – B 

21 – D 

12 – D 

22 – B 

12 – B 

22 – A 

12 – E 

22 – D 

12 – C 

22 – E 

13 – B 

23 – A 

13 – A 

23 – C 

13 – C 

23 – D 

13 – D 

23 – B 

14 – A 

24 – B 

14 – E 

24 – D 

14 – A 

24 – A 

14 – E 

24 – C 

15 – D 

25 – C 

15 – C 

25 – E 

15 – B 

25 – B 

15 – E 

25 – D 

16 – E 

26 – C 

16 – E 

26 – D 

16 – A 

26 – E 

16 – A 

26 – B 

17 – A 

27 – D 

17 – C 

27 – B 

17 – D 

27 – C 

17 – B 

27 – E 

18 – C 

28 – B 

18 – A 

28 – A 

18 – B 

28 – B 

18 – D 

28 – C 

19 – D 

29 – E 

19 – C 

29 – B 

19 – B 

29 – D 

19 – A 

29 – A 

20 – A 

30 – C 

20 – E 

30 – B 

20 – E 

30 - C 

20 – A 

30 – D 

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

31 – C 

41 – B 

31 – A 

41 – A 

31 – B 

41 – D 

31 – E 

41 – E 

32 – B 

42 – C 

32 – D 

42 – D 

32 – A 

42 – B 

32 – E 

42 – A 

33 – C 

43 – E 

33 – D 

43 – C 

33 – E 

43 – A 

33 – B 

43 – D 

34 – E 

44 – A 

34 – C 

44 – E 

34 – D 

44 – C 

34 – A 

44 – B 

35 – A 

45 – C 

35 – E 

45 – B 

35 – B 

45 – E 

35 – C 

45 – D 

36 – B 

46 – E 

36 – A 

46 – D 

36 – C 

46 – A 

36 – B 

46 – C 

37 – E 

47 – D 

37 – B 

47 – C 

37 – A 

47 – B 

37 – D 

47 – E 

38 – B 

48 – B 

38 – C 

48 – B 

38 – D 

48 – D 

38 – B 

48 – D 

39 – D 

49 – E 

39 – B 

49 – A 

39 – E 

49 – C 

39 – C 

49 – B 

40 – D 

50 – B 

40 – E 

50 – A 

40 – C 

50 – D 

40 – A 

50 – E 

 

cesgranrio-2009-funasa-administrador-gabarito.pdf-html.html

 

CONCURSO PÚBLICO – EDITAL 001/2009

 

 
 

GABARITOS DO DIA 21/06/2009 

 

NÍVEL MÉDIO 

 

TÉCNICO DE CONTABILIDADE 

LÍNGUA PORTUGUESA I 

 

1 – D 

 

2 – A 

3 – B 

4 – A 

5 – C 

6 – D 

7 – C 

8 – E 

9 – B 

10 – B 

CONHECIMENTOS GERAIS I 

 

11 – A 

 

12 – D 

13 – E 

14 – A 

15 – C 

16 – E 

17 – A 

18 – B 

19 – E 

20 – A 

 

21 – C 

 

22 – B 

23 – A 

24 – B 

25 – C 

26 – C 

27 – D 

28 – B 

29 – E 

30 – C 

CONHECIMENTOS  ESPECÍFICOS 

 

31 – C 

 

32 – B 

33 – E 

34 – C 

35 – E 

36 – C 

37 – A 

38 – D 

39 – B 

40 – B 

 

41 – A 

 

42 – D 

43 – B 

44 – C 

45 – C 

46 – D 

47 – E 

48 – A 

49 – A 

50 – C 

 

cesgranrio-2009-funasa-administrador-gabarito.pdf-html.html

 

CONCURSO PÚBLICO – EDITAL 001/2009

 

 
 

GABARITOS DO DIA 21/06/2009 

 

NÍVEL SUPERIOR 

LÍNGUA PORTUGUESA II

 

(PARA TODOS OS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR)

 

 

1 – A 

 

2 – D 

3 – D 

4 – B 

5 – E 

6 – E 

7 – E 

8 – D 

9 – D 

10 – C 

CONHECIMENTOS GERAIS II

 

(PARA TODOS OS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR, 

EXCETO PARA O CARGO DE ANALISTA DE SUPORTE DE SISTEMAS)

 

 

11 – B 

 

12 – D 

13 – E 

14 – C 

15 – B 

16 – E 

17 – E 

18 – B 

19 – B 

20 – E 

 

21 – B 

 

22 – E 

23 – A 

24 – B 

25 – D 

26 – C 

27 – E 

28 – A 

29 – D 

30 – B 

CONHECIMENTOS  ESPECÍFICOS 

A

D

M

IN

IS

T

RA

DOR 

A

R

QU

IT

ET

AR

Q

U

IVI

S

T

A

 

AU

D

ITO

R

 

BI

B

L

IO

T

E

C

Á

R

IO

 

B

IÓL

O

G

CO

NT

A

D

O

R

 

E

N

G

E

NHE

IR

O

 

ES

TATÍ

S

T

IC

O

 

FARM

A

C

Ê

U

T

IC

O

 

B

IOQUÍMICO

 

GE

Ó

L

OG

O

 

SA

NI

T

A

RISTA

 

CN

IC

O E

M

 

A

SSU

NT

OS

 

E

D

UC

AC

IO

NAI

S

 

31 – B  31 – B  31 – B  31 – B  31 – B  31 – B  31 – B  31 – B  31 – B  31 – B  31 – B  31 – B  31 – B 
32 – C  32 – C  32 – C  32 – C  32 – C  32 – C  32 – C  32 – C  32 – C  32 – C  32 – C  32 – C  32 – C 

33 – A  33 – A  33 – A  33 – A  33 – A  33 – A  33 – A  33 – A  33 – A  33 – A  33 – A  33 – A  33 – A 

34 – B  34 – A  34 – E  34 – A  34 – C  34 – B  34 – D  34 – D  34 – C  34 – C  34 – A  34 – D  34 – B 

35 – A  35 – C  35 – C  35 – D  35 – B  35 – E  35 – A  35 – B  35 – B  35 – A  35 – C  35 – B  35 – A 
36 – A  36 – D  36 – D  36 – C  36 – D  36 – D  36 – D  36 – C  36 – E  36 – E  36 – D  36 – A  36 – C 
37 – C  37 – C  37 – C  37 – E  37 – A  37 – A  37 – E  37 – D  37 – D  37 – D  37 – C  37 – D  37 – E 
38 – C  38 – C  38 – A  38 – A  38 – A  38 – C  38 – B  38 – A  38 – A  38 – A  38 – E  38 – C  38 – D 

39 – B  39 – D  39 – B  39 – B  39 – E  39 – C  39 – A  39 – C  39 – A  39 – B  39 – E  39 – C  39 – A 

40 – A  40 – A  40 – E  40 – A  40 – C  40 – B  40 – C  40 – B  40 – B  40 – B  40 – B  40 – D  40 – E 

41 – E  41 – A  41 – C  41 – E  41 – D  41 – D  41 – C  41 – E  41 – B  41 – D  41 – B  41 – E  41 – D 

42 – C  42 – E  42 – B  42 – E  42 – A  42 – E  42 – B  42 – C  42 – C  42 – C  42 – C  42 – C  42 – E 
43 – A  43 – B  43 – A  43 – C  43 – B  43 – C  43 – D  43 – E  43 – A  43 – B  43 – B  43 – B  43 – B 
44 – B  44 – E  44 – E  44 – D  44 – E  44 – A  44 – E  44 – B  44 – E  44 – E  44 – C  44 – A  44 – D 

45 - C  45 – E  45 – C  45 – C  45 – D  45 – B  45 – D  45 – A  45 – E  45 – B  45 – E  45 – A  45 – E 

46 – E  46 – B  46 – A  46 – C  46 – C  46 – C  46 – D  46 – B  46 – C  46 – C  46 – A  46 – B  46 – C 
47 – E  47 – D  47 – D  47 – A  47 – E  47 – C  47 – A  47 – D  47 – D  47 – C  47 – B  47 – B  47 – D 
48 – B  48 – C  48 – B  48 – D  48 – C  48 – D  48 – E  48 – A  48 – C  48 – A  48 – B  48 – E  48 – B 
49 – E  49 – D  49 – D  49 – A  49 – A  49 – A  49 – B  49 – E  49 – D  49 – D  49 – E  49 – A  49 – D 

50 – D  50 – C  50 – A  50 – B  50 – A  50 – A  50 – E  50 – C  50 – E  50 – A  50 – E  50 – E  50 – E 
51 – D  51 – D  51 – B  51 – B  51 – D  51 – E  51 – C  51 – C  51 – A  51 – D  51 – D  51 – C  51 – B 
52 – A  52 – B  52 – D  52 – C  52 – A  52 – B  52 – A  52 – D  52 – A  52 – E  52 – A  52 – C  52 – A 

53 – B  53 – B  53 – C  53 – E  53 – B  53 – E  53 – D  53 – A  53 – B  53 – C  53 – D  53 – D  53 – C 
54 – C  54 – E  54 – D  54 – A  54 – B   54 – E   54 – B  54 – E   54 – C  54 – D  54 – E  54 – D  54 – C 
55 – B  55 – B  55 – A  55 – D  55 – E   55 – E  55 – A  55 – D  55 – D  55 – A  55 – E  55 – B  55 – C 

cesgranrio-2009-funasa-administrador-gabarito.pdf-html.html

 

CONCURSO PÚBLICO – EDITAL 001/2009

 

 

NÍVEL SUPERIOR 

 

ANALISTA DE SUPORTE DE SISTEMAS 

CONHECIMENTOS GERAIS II 

 

11 – B 

 

12 – D 

13 – E 

14 – C 

15 – E 

16 – A 

17 – C 

18 – B 

19 – B 

20 – E 

 

21 – B 

 

22 – E 

23 – A 

24 – B 

25 – D 

26 – C 

27 – E 

28 – A 

29 – D 

30 – B 

CONHECIMENTOS  ESPECÍFICOS 

 

31 – B 

 

32 – C  33 – A  34 – D  35 – B  36 – C  37 – A  38 – B  39 – A  40 – D  41 – A  42 – C 

 

43 – E 

 

44 –A  45 – C  46 –D  47 – E  48 –A  49 – E  50 – C  51 –A  52 – B  53 – E  54 –D  55 –D 

 
 

Prova

cesgranrio-2009-funasa-administrador-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR

JUNHO / 2009

LÍNGUA

PORTUGUESA II

CONHECIMENTOS GERAIS II

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

Questões

Pontos

Questões

Pontos

Questões

Pontos

Questões

Pontos

Questões

Pontos

1 a 5

1,5

11 a 15

0,5

21 a 25

1,5

31 a 35

1,8

46 a 50

2,4

6 a 10

2,5

16 a 20

1,0

26 a 30

2,0

36 a 40

2,0

51 a 55

2,6

41 a 45

2,2

1

LEIA  ATENTAMENTE  AS  INSTRUÇÕES  ABAIXO.

01    -

Você recebeu do fiscal o seguinte material:

a) este caderno, com o enunciado das 55 questões das Provas Objetivas e das 2 (duas) questões da Prova

Discursiva, sem repetição ou falha, com a seguinte distribuição:

b) Um Caderno de Respostas para o desenvolvimento da Prova Discursiva, grampeado ao  CARTÃO-RESPOSTA destinado

às respostas às questões objetivas formuladas nas provas.

02    -

Verifique se este material está em ordem e se o seu nome e número de inscrição conferem com os que aparecem no CARTÃO-
RESPOSTA
. Caso contrário, notifique IMEDIATAMENTE o fiscal.

03    -

Após a conferência, o candidato deverá assinar no espaço próprio do CARTÃO-RESPOSTA, preferivelmente a caneta
esferográfica de tinta na cor preta.

04    -

No CARTÃO-RESPOSTA, a marcação das letras correspondentes às respostas certas deve ser feita cobrindo a letra e
preenchendo todo o espaço compreendido pelos círculos, a caneta esferográfica de tinta na cor preta, de forma
contínua e densa. A LEITORA ÓTICA é sensível a marcas escuras; portanto, preencha os campos de marcação
completamente, sem deixar claros.

Exemplo:

05    -

Tenha muito cuidado com o CARTÃO-RESPOSTA, para não o  DOBRAR,  AMASSAR  ou  MANCHAR.
CARTÃO-RESPOSTA SOMENTE poderá ser substituído caso esteja danificado em suas margens superior ou inferior -
BARRA DE RECONHECIMENTO PARA LEITURA ÓTICA.

06    -

Para cada uma das questões objetivas, são apresentadas 5 alternativas classificadas com as letras (A), (B), (C), (D) e (E);
só uma responde adequadamente ao quesito proposto. Você só deve assinalar UMA RESPOSTA: a marcação em
mais de uma alternativa anula a questão, MESMO QUE UMA DAS RESPOSTAS ESTEJA CORRETA.

07    -

As questões objetivas são identificadas pelo número que se situa acima de seu enunciado.

08    -

SERÁ ELIMINADO do Concurso Público o candidato que:

a) se utilizar, durante a realização das provas, de máquinas e/ou relógios de calcular, bem como de rádios gravadores,

headphones, telefones celulares ou fontes de consulta de qualquer espécie;

b) se ausentar da sala em que se realizam as provas levando consigo o Caderno de Questões e/ou o CARTÃO-RESPOSTA

grampeado ao Caderno de Respostas da Prova Discursiva;

c) se recusar a entregar o Caderno de Questões e/ou o CARTÃO-RESPOSTA grampeado ao Caderno de Respostas da

Prova Discursiva quando terminar o tempo estabelecido.

09    -

Reserve os 30 (trinta) minutos finais para marcar seu CARTÃO-RESPOSTA. Os rascunhos e as marcações assinaladas no

Caderno de Questões NÃO SERÃO LEVADOS EM CONTA.

10    -

Quando terminar, entregue ao fiscal  O CADERNO DE QUESTÕES E O CARTÃO-RESPOSTA grampeado ao Caderno
de Respostas da Prova Discursiva e ASSINE A LISTA DE PRESENÇA.
Obs. 
O candidato só poderá se ausentar do recinto das provas após 1 (uma) hora contada a partir do efetivo início das
mesmas. Por motivo de segurança, o candidato não poderá levar o Caderno de Questões, a qualquer momento.

11        -

O   T E M P O   D I S P O N Í V E L   P A R A   E S T A S   P R O V A S   D E   Q U E S T Õ E S   O B J E T I V A S   E   D I S C U R S I V A S  É   D E

4  (QUATRO) HORAS E 30 (TRINTA) MINUTOS, findo o qual o candidato deverá, obrigatoriamente, entregar
o Caderno de Questões e o CARTÃO-RESPOSTA grampeado ao Caderno de Respostas da Prova Discursiva.

12   -

As questões e os gabaritos das Provas Objetivas serão divulgados no primeiro dia útil após a realização das

mesmas, no endereço eletrônico da FUNDAÇÃO CESGRANRIO (http://www.cesgranrio.org.br).

A

C

D

E

cesgranrio-2009-funasa-administrador-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR

2

cesgranrio-2009-funasa-administrador-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR

3

A vida de quem fuma só piora no Brasil e no

mundo. Mas agora, em São Paulo, fumar virou um
inferno. Daqui para a frente, será proibido acender
cigarros, cachimbos e charutos em qualquer ambiente
coletivo fechado em todo o estado. Isso significa que:
1) restaurantes não poderão mais ter alas para
fumantes; 2) bares terão de aposentar seus cinzeiros;
3) hotéis passarão a fiscalizar seus hóspedes; e
4) empresas serão obrigadas a fechar as acinzentadas
salinhas conhecidas como fumódromos. Quem quiser
dar suas tragadas só poderá fazê-lo em casa, no
carro ou ao ar livre. A lei é tão rigorosa que mesmo
ambientes com teto alto e sem paredes, como
marquises, serão vetados ao tabaco. Os empresários
que não se adequarem à lei em noventa dias poderão
ser multados em até 3,2 milhões de reais. É para deixar
qualquer um sem fôlego. (...)

No Palácio dos Bandeirantes quem quer fumar

um cigarro precisa andar 500 metros, cruzar o portão e
sair para a rua. “Quando chove é pior, porque a gente
precisa usar o guarda-chuva para chegar lá”, conta um
funcionário da Casa Civil do governo. “Ficou tão difícil
fumar que até decidi parar”, diz ele. (...)

Quem considera a lei exagerada deve saber que

São Paulo apenas se alinha a uma tendência mundial.
Em Londres, desde 2007 não se pode fumar em
espaços fechados, como pubs, cafés, restaurantes e
escritórios. Lá, também foram extintos os fumódromos.
Em Nova York, já é proibido fumar em lugares
fecha dos, desde 2003. No estado americano da
Califórnia, a lei é ainda mais dura. Há mais de um ano é
vetado fumar dentro dos carros se um dos passageiros
tiver menos de 18 anos. Na cidade de Belmont,
também na Califórnia, a restrição chega aos lares.
Não se podem acender cigarros em apartamentos que
dividam chão, teto ou parede com outros. Os fumantes
americanos têm outro problema com que se preocupar:
eles pagam, em média, 25% a mais pelo plano de
saúde, já que o cigarro está associado a um sem-
número de doenças. O caso mais radical é o do Butão,
pequeno país espremido entre a Índia e a China, que
simplesmente baniu a venda de tabaco em 2004.
A brasa do tabagismo está-se apagando mundo afora.
E a maioria não fumante não quer deixar que ela seja
reavivada.

BRASIL, Sandra. Revista Veja, 15 abr. 2009. (Adaptado)

LÍNGUA PORTUGUESA II

Texto I

O Cerco Total aos Fumantes

O estado de São Paulo aprova a lei antifumo mais

restritiva do país. É um grande passo para tentar

apagar o cigarro da vida moderna.

1

Na segunda frase do Texto I, (A. 2-3) o autor emprega

uma imagem coloquial e impactante que tem como

objetivo

(A) atrair a atenção do leitor ao apresentar, logo no

princípio, uma opinião defendida na matéria.

(B) contrastar de maneira jocosa o teor científico da

matéria e a leveza do veículo utilizado.

(C) ironizar a postura adotada em São Paulo acerca do

fumo.

(D) apresentar o argumento dos países estrangeiros

para, em seguida, contrapô-lo.

(E) revelar opiniões divergentes sobre o assunto

proibição do fumo no Brasil.

2

O Texto I é uma matéria jornalística. Entretanto, emprega

na sua estrutura construções que revelam um teor

expressivo por meio do uso de figuras de linguagem,

trocadilhos e ambiguidades. A passagem que NÃO serve

de exemplo para essa afirmação é

(A) “Mas agora, em São Paulo, fumar virou um inferno.”

(A. 2-3)

(B) “bares terão de aposentar seus cinzeiros;” (A. 7)

(C) “É para deixar qualquer um sem fôlego.” (A. 16-17)

(D) “Em Nova York, já é proibido fumar em lugares

fechados, desde 2003.” (A. 29-30)

(E) “A brasa do tabagismo está-se apagando mundo afora.”

(A. 43)

3

Na passagem “Os empresários que não se adequarem

à lei em noventa dias poderão ser multados em até

3,2 milhões de reais.” (A. 14-16), o termo que apresenta a

mesma classe gramatical que em

(A) “A lei é tão rigorosa que mesmo ambientes com teto

alto e sem paredes,” (A. 12-13)

(B) “ ‘Ficou tão difícil fumar que até decidi parar’,” (A. 22-23)

(C) “Quem considera a lei exagerada deve saber que São

Paulo apenas se alinha a uma tendência mundial.”

(A. 24-25)

(D) “Os fumantes americanos têm outro problema com que

se preocupar:” (A. 36-37)

(E) “E a maioria não fumante não quer deixar que ela seja

reavivada.” (A. 44-45)

10

5

15

20

25

30

35

40

45

cesgranrio-2009-funasa-administrador-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR

4

A charge é um gênero textual que apresenta um caráter

burlesco e caricatural, em que se satiriza um fato
específico, em geral de caráter político e que é do

conhecimento público.

4

No plano linguístico, o humor da charge

(A) tem como foco a imagem antagônica entre a palavra

riqueza e a figura do homem maltrapilho.

(B) baseia-se no jogo polissêmico da palavra economia,

ora empregada como ciência, ora como conter gastos.

(C) baseia-se na linguagem não verbal, que apresenta um

homem subnutrido como um exemplo de brasileiro.

(D) está centrado na ironia com que é tratada a produção

de riquezas no Brasil.

(E) reside na ideia de um morador de rua saber falar tão

bem sobre assuntos como política, saúde e economia.

5

A primeira frase do personagem pode ser lida como
uma hipótese formulada a partir da fala que faz a seguir.

Apesar de não estarem ligadas por um conectivo, pode-se

perceber a relação estabelecida entre as duas orações.
O conectivo que deve ser usado para unir essas duas

orações, mantendo o sentido, é

(A) embora.
(B) entretanto.

(C) logo.

(D) se.
(E) pois.

6

Para descrever a sensação do personagem em salvar a
criança, no 4

o

 parágrafo, o narrador emprega algumas

estratégias como o uso de adjetivos, comparações, além
de imagens poéticas.

Qual dos substantivos a seguir expressa tal sensação do
personagem?
(A) Cansaço
(B) Angústia
(C) Certeza
(D) Empáfia
(E) Alívio

7

Sinais de pontuação ajudam a revelar a expressividade
de um texto. A exclamação presente no terceiro parágrafo
(A.12) do Texto III é empregada, sobretudo, para revelar
(A) assombro.
(B) indignação.
(C) surpresa.
(D) tensão.
(E) admiração.

Texto II

WILLY. Tribuna da Imprensa (RJ), 02 abr. 05.

Texto III

Olívia se aproximou de Eugênio e com um

lenço enxugou-lhe o suor da testa. Estava terminada
a traqueostomia. A enfermeira juntava os ferros.
Ruído de metais tinindo, de mesas se arrastando.
Eugênio tirou as luvas e foi tomar o pulso do
pequeno paciente. A criança como que ressuscitava.
A  r e s p i r a ç ã o   v o l ta v a   l e n ta m e n t e ,   a   p r i n c í p i o
superficial, depois mais funda e visível. O rosto perdia
aos poucos a rigidez cianótica.

Eugênio examinava-lhe as mudanças do rosto

com comovida atenção.

Vencera! Salvara a vida de uma criança!
A vida é boa! – pensava Eugênio. Ele tinha

salvo uma criança. Começou a cantarolar baixinho
uma canção antiga que julgava esquecida. Sorvia
com delícia o refresco impregnado do cheiro da
gasolina queimada. Sentia-se leve e aéreo. Era como
se dentro dele as nuvens de tempestade se tivessem
despejado em chuva e sua alma agora estivesse
límpida, fresca e estrelada como a noite.

– Por que será – perguntou ele a Olívia – por que

será que às vezes de repente a gente tem a
impressão de que acabou de nascer... ou de que o
mundo ainda está fresquinho, recém-saído das mãos
de quem o fez?

VERÍSSIMO, Érico. Olhai os lírios do campo. Rio de Janeiro:

Globo, 1987. (Fragmento)

10

5

15

20

25

cesgranrio-2009-funasa-administrador-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR

5

8

A Gramática da Língua Portuguesa prevê que o emprego
do acento grave para indicar a ocorrência de crase pode
ser facultativo em alguns casos.

Em qual das passagens transcritas do texto há a
ocorrência da crase, e o emprego do acento grave é
facultativo?
(A) “Estava terminada a traqueostomia.” (A. 2-3)
(B) “A respiração voltava lentamente, a princípio superficial,

depois mais funda e visível.” (A. 7-8)

(C) “Começou  a cantarolar baixinho uma canção antiga

que julgava esquecida.” (A. 14-15)

(D) “– Por que será – perguntou ele a Olívia –” (A. 21)
(E) “...a gente tem a impressão de que acabou de

nascer...” (A. 22-23)

9

Na passagem “Eugênio examinava-lhe as mudanças do
rosto com comovida atenção.” (A. 10-11), o pronome
oblíquo  lhe exerce função sintática idêntica ao termo
destacado em
(A) “Olívia se aproximou de Eugênio...” (A. 1)
(B) “A enfermeira juntava os ferros.” (A. 3)
(C) “A respiração voltava lentamente,” (A. 7)
(D) “Vencera! Salvara a vida de uma criança!” (A. 12)
(E) “Sentia-se leve e aéreo.” (A. 17)

Texto IV

10

Na propaganda apresentada, o texto verbal que sintetiza
corretamente as ideias presentes estritamente na imagem
é que o cigarro é um(a)
(A) vício que leva as pessoas à morte.
(B) instrumento de prazer e desgosto, ao mesmo tempo.
(C) arma, e por meio dela você está se matando.
(D) forma de sociabilização das pessoas, mas mata.
(E) marca do desequilíbrio das pessoas, antes de tudo.

Disponível em: http://www.clickmarket.com.br

CONHECIMENTOS GERAIS II

11

Qual é a negação da proposição “Alguma lâmpada está
acesa e todas as portas estão fechadas”?
(A) Todas as lâmpadas estão apagadas e alguma porta

está aberta.

(B) Todas as lâmpadas estão apagadas ou alguma porta

está aberta.

(C) Alguma lâmpada está apagada e nenhuma porta está

aberta.

(D) Alguma lâmpada está apagada ou nenhuma porta está

aberta.

(E) Alguma lâmpada está apagada e todas as portas

estão abertas.

12

Em uma urna há 5 bolas pretas, 4 bolas brancas e 3 bolas
verdes. Deseja-se retirar, aleatoriamente, certa quantidade
de bolas dessa urna. O número mínimo de bolas que
devem ser retiradas para que se tenha certeza de que
entre elas haverá 2 de mesma cor é
(A) 8

(B) 7

(C) 5

(D) 4

(E) 3

13

Considere a pergunta e as três informações apresentadas
a seguir.

Pergunta: Duílio é mais alto do que Alberto?
1

a

 informação: Alberto é mais alto que Bruno.

2

a

 informação: Alberto é mais alto que Carlos.

3

a

 informação: Duílio é mais alto que Bruno.

A partir desses dados, conclui-se que
(A) a primeira informação e a segunda informação, em

conjunto, são suficientes para que se responda
corretamente à pergunta.

(B) a primeira informação e a terceira informação, em

conjunto, são suficientes para que se responda
corretamente à pergunta.

(C) a segunda informação e a terceira informação, em

conjunto, são suficientes para que se responda
corretamente à pergunta.

(D) as três informações, em conjunto, são suficientes para

que se responda corretamente à pergunta.

(E) as três informações, em conjunto, são insuficientes para

que se responda corretamente à pergunta.

14

O gráfico acima classifica 12 mulheres em função da
quantidade de filhos. Juntando-se todos os filhos dessas
mulheres, tem-se um total de filhos igual a
(A) 8

(B) 10

(C) 11

(D) 12

(E) 15

5

4

3

0

1

2

número de mulheres

número de filhos

cesgranrio-2009-funasa-administrador-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR

6

16

Considere a tabela ao lado em uma planilha do Microsoft
Excel, que apresenta a quantidade de empregados por setor
de uma empresa.

A respeito do Excel e de seus recursos, são feitas as
afirmativas a seguir.

I

– Para somar a quantidade de empregados da

empresa, deve-se digitar, na célula B6, a fórmula

=SOMA(B2:B5).

II

– Através do ícone 

, o usuário pode classificar os

setores da empresa, em ordem alfabética crescente.

III – O ícone 

 pode ser utilizado para definir bordas

para as células da planilha.

Está(ão) correta(s) a(s) afirmativa(s)

15

A figura ao lado apresenta uma página sendo visualizada

no Microsoft Internet Explorer em sua configuração padrão.

Sobre a figura acima e os recursos do Microsoft Internet

Explorer é FALSO afirmar que

(A) o ícone 

 é utilizado para acessar o Windows

Messenger.

(B) a figura apresenta o Microsoft Internet Explorer com

quatro guias abertas.

(C) os Favoritos são páginas cujos links foram salvos pelo

usuário para posterior acesso.

(D) no campo Endereço pode ser digitado a URL do site

que o usuário deseja navegar.

(E) através do Microsoft Internet Explorer é possível

navegar em sites que não são seguros.

(A) I, somente.

(B) II, somente.

(C) I e II, somente.

(D) II e III, somente.

(E) I, II e III.

17

Para que possam funcionar, os microcomputadores devem estar dotados de recursos de hardware e de software. A
esse respeito, é correto afirmar que a(o)
(A) memória RAM é o software no qual o hardware de sistema operacional é processado.
(B) unidade de DVD é um software que serve para gravar os arquivos usados pelo microcomputador.
(C) Firefox é um conjunto de componentes eletrônicos, circuitos integrados e placas, que se comunicam através de

barramentos.

(D) Mapa de Caracteres do Windows XP é um hardware utilizado para gerenciar discos rígidos do microcomputador.
(E) modem é um hardware que pode ser utilizado para fazer a comunicação entre o microcomputador e a Internet.

cesgranrio-2009-funasa-administrador-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR

7

18

A Segurança da Informação se refere à proteção existente
sobre as informações de uma determinada empresa ou
pessoa, aplicando-se tanto às informações corporativas
quanto às pessoais. Abaixo, são apresentadas algumas
propriedades básicas que, atualmente, orientam a
análise, o planejamento e a implementação da segurança
para um determinado grupo de informações que se
deseja proteger.
Relacione as propriedades apresentadas na coluna da es-
querda com as respectivas descrições, na coluna da direita.

Estão corretas as associações:
(A) I – Q; II – R
(B) I – Q; III – R
(C) I – R; II – Q
(D) II – Q; III – R
(E) II – R; III – Q

19

Nos termos da Lei n

o

 8.080/90 (Art. 6, I, a), inclui-se no

campo de atuação do SUS, dentre outras, a execução de
ações de vigilância sanitária. A este respeito, considere
as afirmativas a seguir.

I

– À União é vedada a execução de ações e serviços

de vigilância sanitária, cabendo à direção nacional
apenas definir e coordenar os sistemas de vigilân-
cia sanitária.

II

– A execução de ações e serviços de vigilância sani-

tária é de competência dos Municípios, podendo ser
exercida, em caráter complementar, pelos Estados.

III – Aos Municípios é vedada a execução de ações e

serviços de vigilância sanitária em portos, aeropor-
tos e fronteiras.

Está(ão) correta(s) APENAS a(s) afirmativa(s)
(A) I.

(B) II.

(C) III.

(D) I e II.

(E) I e III.

20

De acordo com o Art. 199 da Constituição Federal,
“a assistência à saúde é livre à iniciativa privada”.
No entanto,
(A) só poderão participar do Sistema Único de Saúde as

entidades privadas que sejam filantrópicas ou sem fins
lucrativos.

(B) é vedada a destinação de recursos públicos para

subvenções às instituições privadas.

(C) é vedada a participação de empresas estrangeiras na

assistência à saúde no País.

(D) as instituições privadas só poderão participar do

Sistema Único de Saúde de forma complementar
e em condições de igualdade entre si.

(E) a participação das instituições privadas, incluindo as

entidades filantrópicas e as sem fins lucrativos, só ocor-
rerá mediante contrato de direito público ou convênio.

21

A Lei n

o

 9.836/99 acrescentou à Lei n

o

 8.080/90 dispositi-

vos que tratam do Subsistema de Atenção à Saúde Indí-
gena. Sobre este Subsistema, é INCORRETO afirmar que
(A) será financiado pela União, com recursos próprios,

podendo Estados e Municípios atuar complementar-
mente no custeio e execução das ações.

(B) será centralizado na União, podendo contar com a

participação de instituições governamentais e não
governamentais.

(C) será descentralizado, hierarquizado e regionalizado, tal

como o SUS.

(D) atuará de forma articulada com os órgãos responsá-

veis pela Política Indígena do País.

(E) deverá obrigatoriamente levar em consideração a

realidade local e as especificidades da cultura dos
povos indígenas.

22

A respeito dos direitos e garantias fundamentais previstos
na Constituição Federal, considere as afirmativas a seguir.

I

– São gratuitos para os reconhecidamente pobres, na

forma da lei, o registro civil de nascimento, a
certidão de casamento e a certidão de óbito.

II

– Qualquer cidadão pode ajuizar uma ação popular

para anular ato lesivo ao patrimônio público e à
moralidade administrativa.

III – Todos têm direito a receber dos órgãos públicos

informações de seu interesse particular, salvo as
informações cujo sigilo seja imprescindível à segu-
rança da sociedade e do Estado.

Está(ão) correta(s) APENAS a(s) afirmativa(s)
(A) I.

(B) II.

(C) I e II.

(D) I e III.

(E) II e III.

Propriedade

I – Confidencialidade

II – Disponibilidade

III – Integridade

Descrição

(Q) Propriedade que limita o

acesso à informação tão so-
mente às entidades legíti-
mas, ou seja, àquelas auto-
rizadas pelo proprietário da
informação.

(R) Propriedade que garante

que a informação manipula-
da mantenha todas as carac-
terísticas originais estabele-
cidas pelo proprietário da
informação, incluindo contro-
le de mudanças e garantia do
seu ciclo de vida (nascimen-
to, manutenção e destruição).

cesgranrio-2009-funasa-administrador-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR

8

23

Suponha que seja aprovada uma lei estadual que
estabeleça normas específicas sobre proteção e defesa
da saúde. Esta lei será considerada
(A) constitucional, porque é competência dos Estados

editar normas específicas sobre proteção e defesa da
saúde.

(B) constitucional, porque são reservadas aos Estados as

competências que não lhes são vedadas pela Consti-
tuição.

(C) inconstitucional, porque é competência privativa da

União legislar sobre proteção e defesa da saúde.

(D) inconstitucional, porque é competência privativa dos

Municípios editar normas específicas sobre proteção e
defesa da saúde.

(E) inconstitucional, porque é competência concorrente

da União, dos Estados e dos Municípios legislar sobre
proteção e defesa da saúde.

24

Considerando o Art. 2

o

 da Lei Federal n

o

 4.717/65,

que regula a ação popular, são elementos do ato adminis-
trativo:
(A) a vinculação, a discricionariedade e a controlabilidade.
(B) a competência, a forma, o objeto, a finalidade e o

motivo.

(C) a competência, a forma, a vinculação e a presunção

de legalidade.

(D) a presunção de legitimidade e a heteroexecutoriedade.
(E) a presunção de legalidade, a economicidade e a

eficiência.

25

Um candidato a um concurso buscou informações a
respeito do provimento de cargos públicos. Ao consultar a
Lei Federal n

o

 8.112/90, que dispõe sobre o Regime

Jurídico dos Servidores Públicos Federais, verificou que
(A) os cargos públicos são acessíveis a todos os brasi-

leiros e somente podem ser criados por lei comple-
mentar, com denominação própria e vencimento pago
pelo Tesouro.

(B) o provimento de cargos comissionados depende de

prévio procedimento público seletivo, e a exoneração
é decisão discricionária da autoridade nomeante.

(C) o concurso público terá validade de até três anos,

podendo ser prorrogado uma única vez, por igual
período.

(D) é vedada a abertura de novo concurso público enquanto

houver candidato aprovado em concurso anterior com
prazo de validade não expirado.

(E) é livre a nomeação para cargos em comissão, e a

exoneração depende de processo administrativo em
que seja assegurada ao servidor ampla defesa.

26

No que tange ao regime jurídico dos servidores públicos,
analise as afirmativas abaixo.

I

– O servidor público responde civil, penal e adminis-

trativamente pelo exercício irregular de suas atribui-
ções.

II

– Os atos de improbidade administrativa importarão a

cassação de direitos políticos, a perda da função
pública, a indisponibilidade dos bens e o ressarci-
mento ao erário.

III – A responsabilidade civil decorre de ato omissivo ou

comissivo, doloso ou culposo, que importe prejuízo
ao patrimônio do Estado ou de terceiros.

IV – A ação disciplinar prescreve em cinco anos, seja qual

for a natureza da infração administrativa cometida
pelo servidor.

É(São) correta(s) APENAS a(s) afirmativa(s)
(A) I.

(B) III.

(C) I e III.

(D) I e IV.

(E) I, II e III.

27

Em processos administrativos, a exigência de interpreta-
ção da norma administrativa da forma que melhor garanta
o atendimento do fim público a que se dirige, vedada a
aplicação retroativa de nova interpretação, decorre da
aplicação do princípio de
(A) ampla defesa.

(B) publicidade.

(C) razoabilidade.

(D) motivação.

(E) segurança jurídica.

Considere a proposição abaixo para responder às
questões de n

os

 28 e 29.

O Estatuto da Fundação Nacional de Saúde – FUNASA
(Decreto Federal n

o

 4.727/2003) – regula uma série de

procedimentos e de competências.

28

De acordo com seu Estatuto, a FUNASA é
(A) fundação pública vinculada ao Ministério da Saúde,

constituindo entidade de promoção e proteção à saúde.

(B) fundação pública regida inteiramente pelo Direito

Privado, à qual compete fomentar soluções de sanea-
mento para prevenção e  controle de doenças.

(C) fundação pública independente, com competência para

baixar normas de vigilância sanitária.

(D) autarquia pública vinculada ao Ministério da Saúde,

à qual compete promover políticas de prevenção e
controle de doenças e outros agravos à saúde.

(E) agência reguladora vinculada ao Ministério da Saúde,

à qual compete baixar normas de vigilância sanitária.

cesgranrio-2009-funasa-administrador-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR

9

29

Analise as seguintes atribuições:

I

– prevenir e controlar doenças e outros agravos à

saúde;

II

– assegurar a saúde dos povos indígenas;

III – administrar e arrecadar a taxa de fiscalização de

vigilância sanitária;

IV – fomentar soluções de saneamento para prevenção

e controle de doenças.

Competem à FUNASA as atribuições
(A) I e IV, apenas.
(B) II e III, apenas.
(C) I, II e III, apenas.
(D) I, II e IV, apenas.
(E) I, II, III e IV.

30

No âmbito da FUNASA, a instauração de processos
administrativos disciplinares e de Tomada de Contas
Especiais compete à(ao)
(A) Procuradoria Federal.
(B) Auditoria Interna.
(C) Departamento de Planejamento e Desenvolvimento

Institucional.

(D) Departamento de Engenharia de Serviço Público.
(E) Departamento de Administração.

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

31

A proposta de Reforma do Estado desenvolvida pelo
governo federal, contendo o Plano Diretor da Reforma do
Aparelho do Estado de 1995, identificava claramente a
necessidade de redefinição do papel do Estado, apontando
um quadro de crise que se diferenciava em várias
dimensões, dentre elas, a crise fiscal, definida por
(A) uso clientelista das instituições públicas.
(B) perda de crédito público e por poupança pública

negativa.

(C) esgotamento do modelo protecionista de substituição

de importações em vigor desde os anos 30.

(D) desprofissionalização dos quadros de pessoal e

extremo enrijecimento burocrático.

(E) fracasso do modelo de Estado de bem-estar inspirado

em valores da social-democracia européia.

32

Accountability, Governabilidade e Governança são cate-
gorias muito utilizadas pelos cientistas políticos e por pro-
fissionais especializados na área de administração públi-
ca, cujos conceitos são importantes para a compreensão
da formulação e da implementação das políticas públicas.
Nesse contexto, como se caracteriza o conceito de
Governabilidade?
(A) Conjunto dos mecanismos e procedimentos para lidar

com a dimensão participativa e plural da sociedade, o
que implica expandir e aperfeiçoar os meios de
interlocução e de administração do jogo de interesses.

(B) Capacidade governativa em sentido amplo, envolven-

do a capacidade de ação estatal na formulação e
implementação das políticas, tendo em vista a conse-
cução de metas coletivas.

(C) Condições sistêmicas mais gerais sob as quais se dá

o exercício do poder numa dada sociedade, refletindo
características do sistema político, como a forma do
governo, as relações entre os poderes, o sistema par-
tidário e de intermediação de interesses.

(D) Efetividade das políticas públicas elaboradas por

governos, caracterizadas pelo rigor dos mecanismos
que induzem os decisores a prestar contas dos
resultados de suas ações, garantindo a transparência.

(E) Prestação de contas pelo governo à Sociedade como

fator de exposição pública das políticas.

33

Uma das grandes questões a serem enfrentadas pelas
metrópoles nos dias de hoje é como tornar viável uma
administração mais próxima dos cidadãos, como nos
pequenos Municípios. Boa parte dos estudiosos converge
para uma mesma solução, que estaria na descentralização
e na criação de canais de participação popular. Entretanto,
o tema, em geral, é tratado como se descentralização e
participação fossem meras categorias administrativas.
Nesta perspectiva, conceitua-se descentralização como
(A) categoria administrativa voltada para a democratiza-

ção do processo decisório cuja tônica se encontra na
delegação de autoridade e autonomia.

(B) prática de aproximar as estruturas prestadoras de

serviços municipais dos cidadãos, situando-as nos
locais de demanda destes serviços.

(C) participação organizada dos cidadãos na tomada de

decisões sobre as políticas públicas municipais.

(D) criação de mecanismos que permitam o desenvolvi-

mento de parceria entre governo e sociedade.

(E) criação de mecanismos que permitam a participação

dos cidadãos na elaboração do orçamento.

cesgranrio-2009-funasa-administrador-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR

10

34

Uma das atividades básicas da administração diz respeito
à estruturação organizacional das empresas. Dentre os
vários critérios que podem ser utilizados para isto, um dos
principais diz respeito à subordinação. Sob este ponto de
vista, identifique os três tipos da estrutura orgânica.
(A) Linha, por produto e por clientela.
(B) Linha, assessoria e funcional.
(C) Linha, funcional e informal.
(D) Funcional, formal e por processo.
(E) Assessoria, matricial e por clientela.

35

O critério de departamentalização organizacional que se
caracteriza pela combinação de estruturas por função e
produto é denominado critério por
(A) projeto.

(B) território.

(C) processo.

(D) cliente.

(E) produto.

36

A Teoria Clássica, desenvolvida a partir dos estudos de
Frederick W. Taylor e Henri Fayol, caracteriza-se principal-
mente por sua preocupação com a departamentalização
organizacional e com a racionalização de tempos e movi-
mentos e, ainda, por uma visão que se convencionou
denominar de “mecanicista”, partindo de uma concepção
de Homem
(A) Econômico – cujo comportamento estaria pautado na

conquista de melhores condições econômicas de
vida, sendo fortemente influenciado por recompensas
salariais e materiais.

(B) Social – para o qual os estímulos psicológicos e sociais

são mais importantes do que as condições de ordem
material ou econômica.

(C) Funcional – quando cumpre uma função dentro das

organizações, se inter-relacionando com os demais
indivíduos.

(D) Organizacional – que se caracteriza pelo desempenho

de papéis em diferentes organizações.

(E) Administrativo – o qual se caracteriza por procurar

apenas a maneira satisfatória, em vez de a melhor
maneira de se fazer um trabalho.

37

Uma das principais características das organizações é sua
capacidade de perseguir permanentemente “um equilíbrio
dinâmico”, a partir da capacidade dos sistemas manterem
certas variáveis dentro de limites, ainda que estímulos
externos as forcem a assumir valores que ultrapassem
estes limites. Nesta perspectiva, ocorrem ações de
autorregulação ou autocontrole que conduzem à tendência
dos sistemas à adaptação, em busca de equilíbrio interno,
face às mudanças externas do meio ambiente.
Esta característica é denominada
(A) entropia.

(B) feedback.

(C) homeostase.

(D) morfogênese.

(E) entropia negativa.

38

Liderança é uma característica importantíssima da ação
gerencial. Há várias classificações de tipos de liderança
propostas por autores no campo da administração, como
Kurt Lewin, R. Lippit e Likert, entre outros.
A liderança democrática é um desses tipos, caracterizada
como aquela em que o líder
(A) atua de maneira impositiva.
(B) dispensa uma coordenação efetiva.
(C) consulta e orienta subordinados.
(D) foca a atenção na tarefa e nos resultados.
(E) preocupa-se com aspectos humanos e com a unidade

da equipe.

39

Em um processo de avaliação de desempenho podem
ocorrer disfunções de percepção. No que diz respeito aos
objetivos, um vício de avaliação é o denominado “Tendência
Central”. Dentre as descrições abaixo, qual delas se
enquadra nesta categoria?
(A) Crença de que a avaliação seja um procedimento

dispensável e que desqualifica o aproveitamento dos
recursos humanos da empresa.

(B) Recusa de assumir valores extremos por receio de pre-

judicar os mais fracos e supervalorizar os excelentes.

(C) Desconhecimento das principais características da ava-

liação, emitindo julgamentos por meio do bom senso.

(D) Contaminação de julgamentos, quer pela influência de

um aspecto geral que afete a classificação de cada
característica em si, quer pelas contaminações de um
prognosticador sobre o outro.

(E) Atribuição de qualidades e defeitos ao avaliado que são

próprios do observador ou do avaliador.

40

Dentre as avaliações possíveis de serem realizadas, a
Avaliação de Potencial, que pode ser entendida como
uma inferência sobre as possibilidades de realização de
um funcionário, a partir do conhecimento de seus recursos
pessoais, toma particular importância num processo de
planejamento de carreira.
Os recursos pessoais que devem ser avaliados em termos
de potenciais são
(A) hábitos, valores, conhecimentos e aptidões.
(B) hábitos, nível de comprometimento com a instituição e

expectativas de desenvolvimento.

(C) valores, cargo ou função em exercício e inteligência.
(D) graus de inteligência, tecnologia e tempo de serviço
(E) níveis de inteligência, valores e tempo de serviço.

cesgranrio-2009-funasa-administrador-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR

11

41

Vários critérios podem ser utilizados para a especificação
de um cargo. Para alguns autores, estes critérios podem
ser agrupados em quatro grandes áreas: mental, de
responsabilidades, física e de condições de trabalho.
A descrição que corresponde à denominada “área de
responsabilidades” é a que determina os(as)
(A) conhecimentos práticos e os riscos a que está subme-

tido o ocupante do cargo.

(B) conhecimentos teóricos ou práticos necessários para

que o ocupante do cargo desempenhe adequadamente
suas funções.

(C) desgastes físicos impostos ao ocupante do cargo

em decorrência de tensões, movimentos, posições
assumidas, etc.

(D) riscos a que está submetido o ocupante do cargo e o

ambiente onde é desenvolvido o trabalho.

(E) exigências impostas ao ocupante do cargo para

impedir danos à produção, ao patrimônio e à imagem
da empresa.

42

A avaliação de cargos é fundamental para o desenvolvi-
mento de uma estrutura de cargos & salários, a fim de que
seja possível estruturá-la de forma racional e metódica.
Dentre os fatores utilizados em avaliação, são exclusiva-
mente relativos à avaliação de cargos:
(A) risco, experiência e tecnologia.
(B) conhecimentos, experiência e tecnologia.
(C) conhecimento, experiência e iniciativa.
(D) experiência, esforço mental e nível educacional.
(E) condições de trabalho, nível educacional e tecnologia.

43

Vários métodos podem ser utilizados para a avaliação de
cargos. Merril R. Lott desenvolveu um método que é
considerado o mais preciso, objetivo e de fácil aplicação.
Ele considera que devem ser selecionados, para
avaliação, fatores comuns à maioria dos cargos de um
determinado Grupo Ocupacional, que sejam capazes
de demonstrar as peculiaridades de cada um, sendo
graduados e recebendo uma pontuação.
Das etapas do desenvolvimento deste método apresenta-
das a seguir, qual está descrita de forma INCORRETA?
(A) Seleção de cargos-chave – identificação dos cargos

hierarquicamente mais importantes da organização
para avaliação.

(B) Avaliação dos cargos-chave – avaliação através de

Comitê de Avaliação, fator por fator, garantindo a
comparação dos cargos a cada fator.

(C) Avaliação dos demais cargos do plano ou grupo

ocupacional – aplicação do sistema de pontos criado
aos demais cargos de um mesmo grupo ocupacional.

(D) Graduação dos fatores de avaliação – determinação

da extensão da mensuração do fator, sendo necessá-
ria para avaliar as diferentes exigências de cada cargo
do plano.

(E) Ponderação dos fatores de avaliação – atribuição de

pontos aos fatores, determinando o peso relativo de
cada um deles.

44

As trajetórias de carreiras podem ser classificadas como:
por especialização, generalista e em Y, entre outras.
A trajetória em Y é aquela que
(A) se dá por meio da ocupação de cargos técnicos e/ou de

chefia, sem uma opção exclusiva por uma destas linhas.

(B) oferece ao empregado, a partir de um determinado

estágio, a opção de carreira técnica, sem acesso a
cargos de chefia.

(C) permite ao empregado percorrer várias áreas da orga-

nização e escolher a que mais se adapta ao seu perfil.

(D) possibilita exercer cargos de direção em várias áreas

da organização.

(E) prevê que o crescimento do empregado se dê unica-

mente em cargos de chefia.

45

Uma das teorias sobre motivação mais conhecidas é a
desenvolvida por Maslow. Para ele, é possível ordenar as
necessidades humanas em uma hierarquia de influenciação
e importância, que contém as características a seguir.

I

– Necessidades sociais.

II

– Necessidades fisiológicas.

III – Necessidades de estima.
IV – Necessidades de segurança.
V

– Necessidades de autorrealização.

A sequência correta dessa hierarquia é
(A) I, II, V, IV e III

(B) I, III, IV, V e II

(C) II, IV, I, III e V

(D) IV, V, II, I e III

(E) V, I, III, II e IV

46

Uma das abordagens descritas na Teoria Geral da
Administração salienta que não se atinge a eficácia
organizacional seguindo um único e exclusivo modelo, ou
seja, que não existe uma forma única que seja a melhor
para organizar, no sentido de serem alcançados os
objetivos altamente variados das organizações dentro de
um ambiente também variado.
A abordagem correspondente a esta descrição é a
(A) Teoria dos Sistemas.

(B) Teoria Estruturalista.

(C) Teoria Clássica.

(D) Teoria Comportamental.

(E) Abordagem Contingencial.

47

Na Teoria Geral da Administração é possível identificar
conceitos bastante distintos entre as Escolas tidas como
tradicionalistas (Clássica, por exemplo) e as Escolas
behavioristas (Comportamental, por exemplo). Em relação
aos conceitos de liderança, eficiência, autoridade, decisão
e controle, a Escola Behaviorista se caracteriza por
(A) autoridade exercida de cima para baixo.
(B) organização como estrutura burocrática.
(C) utilização de incentivos sociais ou financeiros.
(D) controle exercido através do comando vertical e sobre

pessoas.

(E) liderança sob a influência da relação íntima entre o

grupo e o meio ambiente.

cesgranrio-2009-funasa-administrador-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR

12

48

Idalberto Chiavenato afirma que “o desenho organizacional
deve reunir e compatibilizar quatro características
principais: diferenciação, formalização, centralização e
integração”.
Qual das descrições abaixo se refere à característica da
formalização?
(A) Divisão do trabalho organizacional em departamentos

ou subsistemas e em camadas de níveis hierárquicos.

(B) Existência de regras e regulamentos para prescrever

como, quando e por quem as tarefas serão executadas.

(C) Localização e distribuição da autoridade para a

tomada de decisões em todos os níveis.

(D) Coordenação e entrosamento entre as partes da

organização.

(E) Distribuição da autoridade para os níveis de coorde-

nação, visando ao entrosamento entre as partes da
organização.

49

As organizações complexas podem ser compostas por três
cenários: o institucional, o dos processos organizacionais
e o dos processos e métodos de trabalho.
Há indicadores organizacionais que podem ser relaciona-
dos a estes cenários, num processo de análise
organizacional.
Do cenário dos processos institucionais fazem parte
(A) relações gerenciais, cultura organizacional e comuni-

cações administrativas.

(B) áreas de políticas & estratégias, estudos de tempos &

movimentos e processo decisório.

(C) elementos-chave que determinam respostas aos

impactos ambientais, estudos de tempos e movimen-
tos e cultura organizacional.

(D) análise e racionalização do trabalho, fluxogramas e

cultura organizacional.

(E) cultura organizacional, áreas de políticas & estratégias

e elementos-chave que determinam respostas aos
impactos ambientais.

50

Ao se estruturar uma organização são utilizados referenciais
teóricos, modelos e alguns aspectos essenciais ao
processo de departamentalização que, mesmo de caráter
subjetivo, exercem papel fundamental neste processo, tais
como: a cultura organizacional, seus produtos, processo
político, recursos, etc. Dentre os fatores que devem ser
considerados na análise da área formal, estão:
(A) importância das atividades, processo político e treina-

mento dos empregados.

(B) diferenciação e integração, processo de controle e

cultura organizacional.

(C) preparo dos empregados para a mudança, processo

de coordenação e diferenciação e integração.

(D) ênfase na especialização, processo de coordenação e

processo de controle.

(E) processo de coordenação, processo político e processo

de controle.

51

Analise os aspectos que se seguem.

I

– Delegação de poderes.

II

– Amplitude de supervisão.

III – Estrutura informal.
IV – Níveis de centralização e descentralização.
V

– Representação gráfica.

No processo de elaboração do organograma, são consi-
derados APENAS os aspectos
(A) I e II.
(B) I e III.
(C) II e IV.
(D) I, II e IV.
(E) III, IV e V.

52

De acordo com Paulo Roberto Motta e Geraldo Caravantes,
“a capacidade da organização para perceber mudanças em
valores ambientais desejáveis e transformá-los em objetivos
organizacionais relevantes” é o que determina o sucesso da
empresa pública ou particular. Tal afirmação leva, necessari-
amente, a que se dê importância fundamental à atividade de
Planejamento Organizacional.
Segundo esses autores, podem ser desenvolvidos dois tipos
de abordagem sobre o Planejamento Empresarial: a aborda-
gem tradicional, que trata da definição de diretrizes empresa-
riais, e a abordagem moderna ou planejamento estratégico.
Assinale a alternativa que apresenta APENAS caracterís-
ticas do Planejamento Estratégico.
(A) Análise da ambiência em termos da configuração de

cursos alternativos para ação e da missão
socioeconômica da organização e metodologia de aná-
lise decisória baseada na identificação de valores
ambientais que contribuem positiva ou negativamente
para decisões.

(B) Análise microeconômica dos produtos e da estrutura

organizacional e ênfase metodológica na análise de
oportunidades e formulação da estratégia.

(C) Ênfase metodológica no diagnóstico e solução de

problemas e análise da ambiência em termos das
funções de marketing, produção, pessoal e orçamento.

(D) Forma do dimensionamento organizacional ocasional

e avaliação permanente como base para as decisões
diárias e correção dos cursos de ação.

(E) Método de análise decisória baseada na análise

histórica de decisões centrais e ênfase metodológica
no diagnóstico e solução de problemas.

cesgranrio-2009-funasa-administrador-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR

13

53

De acordo com a Constituição Federal, em seu Art. 37,
cinco princípios fundamentais devem nortear a Administração
pública: legalidade (a administração está sujeita à lei);
moralidade (a administração não pode desprezar o ético);
impessoalidade (evitar o favoritismo ou privilégios);
publicidade (divulgação dos atos ao público) e
(A) isonomia (todos são iguais perante a lei, sem distinção

de qualquer natureza).

(B) eficiência (administração com qualidade).
(C) razoabilidade (a Administração Pública deve obedecer

a critérios aceitáveis do ponto de vista racional).

(D) proporcionalidade (o Estado deve procurar sopesar

as vantagens e desvantagens da medida tomada e,
assim, decidir pela tomada ou não do ato).

(E) motivação (a autoridade administrativa deve apresen-

tar as razões que a levaram a tomar uma decisão).

54

A Lei Complementar n

o

 101, de 4 de maio de 2000, intitulada

Lei de Responsabilidade Fiscal, criou condições para a
implantação de uma nova cultura gerencial na gestão
dos recursos públicos e incentivou o exercício pleno da
cidadania, especialmente no que se refere à participação
do contribuinte no processo de acompanhamento da
aplicação dos recursos públicos e de avaliação dos seus
resultados, através do estabelecimento de normas
(A) para o financiamento de partidos políticos.
(B) para a fiscalização dos gastos públicos.
(C) de finanças públicas voltadas para a responsabilidade

na gestão fiscal.

(D) que regulam a transferência de recursos entre a

Federação, os Estados e os Municípios.

(E) que regulamentam a relação do Estado com a

iniciativa privada.

55

O Código de Ética Profissional do Administrador está
fundamentado num conceito de ética direcionado para o
desenvolvimento, servindo, simultaneamente, de estímulo
e parâmetro para que o Administrador amplie sua capaci-
dade de pensar, visualize seu papel e torne sua ação mais
eficaz diante da sociedade.

A tarefa de processar e julgar as transgressões ao Código
de Ética, aplicando as penalidades previstas, cabe ao
(A) Tribunal Regional do Trabalho.
(B) Tribunal Regional de Ética dos Administradores.
(C) Tribunal Superior de Ética dos Administradores.
(D) Tribunal de Ética Profissional.
(E) Sindicato dos Administradores.

cesgranrio-2009-funasa-administrador-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR

14

RASCUNHO

RASCUNHO

QUESTÕES DISCURSIVAS

1

Nas discussões sobre a gestão pública, é cada vez mais presente a caracterização do Município como instância
fundamental no processo de democratização do Estado.
Inúmeros estudos e publicações identificam dois problemas centrais nas grandes cidades: a deterioração da qualidade
de vida e a complexidade crescente da estrutura e dos procedimentos administrativos.
Os defensores dos pequenos Municípios identificam que sua característica principal reside na proximidade entre
população e governo, capaz de transformar a mobilização popular em instrumento essencial de uma administração
moderna e democrática.
Destacam-se, neste sentido, a implementação de programas que levem à descentralização administrativa e à criação de
canais de participação popular como solução para o problema apresentado.
Descentralização e participação, entretanto, não são fáceis de serem implantadas. Nesta perspectiva,

a) explique em que medida as práticas clientelistas são um entrave para que a descentralização e a participação sejam

implementadas nos grandes municípios;

______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

b) indique uma estratégia que incentive e favoreça a participação popular, justificando a sua relevância.

______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

(valor: 10,0 pontos)

cesgranrio-2009-funasa-administrador-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR

15

RASCUNHO

2

Uma longa situação de déficit e endividamento crônico praticamente inviabilizava o Estado brasileiro como provedor de

necessidades básicas indelegáveis, dentre elas a educação, a saúde pública, a previdência e a segurança dos cidadãos.

Para um equilíbrio dessa situação foi criado um mecanismo de exercício de controle fiscal, em 4 de maio de 2000,

quando  foi sancionada a Lei Complementar n

o

 101, intitulada Lei de Responsabilidade Fiscal – LRF.

Descreva os objetivos básicos dessa Lei e identifique duas das antigas e perniciosas práticas da administração pública,

atingidas pela sua aplicação.

(valor: 10,0 pontos)

_______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________________________