Prova Concurso - Engenharia - 2011-COPERGAS-PE-ENGENHEIRO-CIVIL - FCC - COPERGAS - 2011

Prova - Engenharia - 2011-COPERGAS-PE-ENGENHEIRO-CIVIL - FCC - COPERGAS - 2011

Detalhes

Profissão: Engenharia
Cargo: 2011-COPERGAS-PE-ENGENHEIRO-CIVIL
Órgão: COPERGAS
Banca: FCC
Ano: 2011
Nível: Superior

Downloads dos Arquivos

prova.pdf
gabarito.pdf

Provas relacionadas

ENGENHEIRO-NUCLEARAMAZUL2018
ENGENHEIRO-AREA-MECANICAUFPA2018
ENGENHEIRO-ENGENHARIA-MECANICAUFPA2018

Gabarito

fcc-2011-copergas-pe-engenheiro-civil-gabarito.pdf-html.html

C. GERAIS/C. ESPECÍFICOS 

Cargo ou opção A01 - ENGENHEIRO CIVIL 

Tipo gabarito 1 

 

C. GERAIS/C. ESPECÍFICOS 

Cargo ou opção B02 - ENGENHEIRO MECÂNICO 

Tipo gabarito 1 

 

C. GERAIS/C. ESPECÍFICOS 

Cargo ou opção C03 - ENGENHEIRO QUÍMICO 

Tipo gabarito 1 

 

C. GERAIS/C. ESPECÍFICOS 

Cargo ou opção D04 - ANALISTA ADMINISTRADOR 

Tipo gabarito 1 

 

001 - B 
002 - E 
003 - A 
004 - C 
005 - D
006 - B 
007 - A 
008 - D
009 - E 
010 - A 

 

011 - D
012 - C 
013 - B 
014 - B 
015 - D
016 - B 
017 - C 

018 - E 

019 - A 
020 - B 

 

021 - E 
022 - C 
023 - B 

024 - D
025 - A 
026 - A 
027 - C 
028 - B 

029 - E 

030 - A 

 

031 - B 
032 - C 
033 - E 
034 - D
035 - A 
036 - E 
037 - D
038 - C 
039 - B 
040 - A 

 

041 - E 
042 - C 
043 - B 
044 - C 

045 - A 

046 - E 

047 - D
048 - B 

049 - E 

050 - A 

 

051 - C 
052 - D
053 - B 
054 - A 
055 - A 
056 - C 
057 - E 
058 - A 
059 - D
060 - B 

 

001 - B 
002 - E 
003 - A 
004 - C 
005 - D
006 - B 
007 - A 
008 - D
009 - E 
010 - A 

 

011 - D
012 - C 
013 - B 
014 - B 
015 - D
016 - B 
017 - C 

018 - E 

019 - A 
020 - B 

 

021 - E 
022 - C 
023 - B 

024 - D
025 - A 
026 - A 
027 - C 
028 - B 

029 - E 

030 - A 

 

031 - B 
032 - C 
033 - E 
034 - A 
035 - D
036 - E 
037 - B 
038 - C 
039 - D
040 - E 

 

041 - E 
042 - B 

043 - A 
044 - C 
045 - D

046 - E 
047 - B 
048 - E 
049 - C 
050 - B 

 

051 - A 
052 - C 
053 - D
054 - C 
055 - D
056 - A 

057 - E 

058 - A 
059 - D
060 - B 

 

001 - B 
002 - E 
003 - A 
004 - C 
005 - D
006 - B 
007 - A 
008 - D
009 - E 
010 - A 

 

011 - D
012 - C 
013 - B 
014 - B 
015 - D
016 - B 
017 - C 

018 - E 

019 - A 
020 - B 

 

021 - E 
022 - C 
023 - B 

024 - D
025 - A 
026 - A 
027 - C 
028 - B 

029 - E 

030 - A 

 

031 - B 
032 - C 
033 - E 
034 - A 
035 - B 
036 - E 
037 - C 
038 - B 
039 - D
040 - A 

 

041 - E 

042 - A 
043 - C 

044 - E 
045 - C 
046 - B 

047 - A 
048 - D
049 - B 

050 - E 

 

051 - A 
052 - C 
053 - D
054 - C 
055 - A 
056 - A 

057 - E 

058 - A 
059 - D
060 - B 

 

001 - B 
002 - E 
003 - A 
004 - C 
005 - D
006 - B 
007 - A 
008 - D
009 - E 
010 - A 

 

011 - D
012 - C 
013 - B 
014 - B 
015 - D
016 - B 
017 - C 

018 - E 

019 - A 
020 - B 

 

021 - E 
022 - C 
023 - B 

024 - D
025 - A 
026 - A 
027 - C 
028 - B 

029 - E 

030 - A 

 

031 - B 
032 - C 
033 - E 
034 - A 
035 - B 
036 - E 
037 - C 
038 - D
039 - E 
040 - D

 

041 - C 
042 - E 
043 - B 
044 - B 
045 - D
046 - C 
047 - A 
048 - D
049 - B 
050 - A 

 

051 - D

052 - E 

053 - A 
054 - C 
055 - C 

056 - E 

057 - D
058 - A 
059 - B 

060 - E 

 

fcc-2011-copergas-pe-engenheiro-civil-gabarito.pdf-html.html

C. GERAIS/C. ESPECÍFICOS 

Cargo ou opção E05 - ANALISTA CONTADOR 

Tipo gabarito 1 

 

C. GERAIS/C. ESPECÍFICOS 

Cargo ou opção F06 - ANALISTA ECONOMISTA 

Tipo gabarito 1 

 

C. GERAIS/C. ESPECÍFICOS 

Cargo ou opção G07 - ANALISTA DE SISTEMAS 

Tipo gabarito 1 

 

C. GERAIS/C. ESPECÍFICOS 

Cargo ou opção H08 - AUXILIAR TÉCNICO ADMINISTRATIVO 

Tipo gabarito 1 

 

001 - B 
002 - E 
003 - A 
004 - C 
005 - D
006 - B 
007 - A 
008 - D
009 - E 
010 - A 

 

011 - D
012 - C 
013 - B 
014 - B 
015 - D
016 - B 
017 - C 

018 - E 

019 - A 
020 - B 

 

021 - E 
022 - C 
023 - B 

024 - D
025 - A 
026 - A 
027 - C 
028 - B 

029 - E 

030 - A 

 

031 - B 
032 - C 
033 - E 
034 - A 
035 - D
036 - B 
037 - C 
038 - E 
039 - D
040 - A 

 

041 - C 
042 - E 
043 - B 
044 - D
045 - E 
046 - D
047 - A 
048 - B 
049 - A 
050 - C 

 

051 - B 
052 - E 
053 - B 
054 - D
055 - C 
056 - A 
057 - C 
058 - D
059 - A 
060 - E 

 

001 - B 
002 - E 
003 - A 
004 - C 
005 - D
006 - B 
007 - A 
008 - D
009 - E 
010 - A 

 

011 - D
012 - C 
013 - B 
014 - B 
015 - D
016 - B 
017 - C 

018 - E 

019 - A 
020 - B 

 

021 - E 
022 - C 
023 - B 

024 - D
025 - A 
026 - A 
027 - C 
028 - B 

029 - E 

030 - A 

 

031 - B 
032 - C 
033 - E 
034 - B 
035 - C 
036 - A 
037 - C 
038 - B 
039 - D
040 - A 

 

041 - E 

042 - D
043 - A 
044 - B 
045 - C 
046 - D
047 - B 

048 - E 

049 - A 
050 - D

 

051 - E 
052 - C 
053 - E 

054 - A 

055 - E 

056 - D
057 - B 
058 - A 
059 - D

060 - E 

 

001 - B 
002 - E 
003 - A 
004 - C 
005 - D
006 - B 
007 - A 
008 - D
009 - E 
010 - A 

 

011 - D
012 - C 
013 - B 
014 - B 
015 - D
016 - A 

017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - C 

 

021 - B 
022 - C 
023 - E 
024 - A 
025 - B 
026 - A 
027 - C 
028 - B 
029 - E 
030 - A 

 

031 - B 
032 - C 
033 - E 
034 - D
035 - E 
036 - B 
037 - D
038 - A 
039 - C 
040 - C 

 

041 - D

042 - E 
043 - B 

044 - A 
045 - C 
046 - B 
047 - D

048 - E 
049 - C 

050 - A 

 

051 - C 
052 - B 
053 - A 
054 - D
055 - E 
056 - A 
057 - C 
058 - D
059 - E 
060 - B 

 

001 - C 
002 - A 
003 - C 
004 - D
005 - E 
006 - D
007 - C 
008 - A 
009 - B 
010 - E 

 

011 - D
012 - B 

013 - E 

014 - A 
015 - C 
016 - C 
017 - D
018 - A 
019 - B 

020 - E 

 

021 - B 
022 - E 
023 - C 
024 - A 
025 - E 
026 - C 
027 - D
028 - B 
029 - E 
030 - C 

 

031 - B 
032 - E 
033 - A 
034 - D
035 - B 
036 - C 
037 - E 
038 - A 
039 - D
040 - C 

 

041 - A 
042 - C 
043 - A 
044 - B 
045 - D
046 - D

047 - E 
048 - C 

049 - D
050 - B 

 

fcc-2011-copergas-pe-engenheiro-civil-gabarito.pdf-html.html

C. GERAIS/C. ESPECÍFICOS 

Cargo ou opção I09 - AUXILIAR TÉCNICO OPERACIONAL 

Tipo gabarito 1 

 

C. GERAIS/C. ESPECÍFICOS 

Cargo ou opção J10 - TÉCNICO OPERACIONAL - EDIFICAÇÕES 

Tipo gabarito 1 

 

C. GERAIS/C. ESPECÍFICOS 

Cargo ou opção K11 - TÉCNICO OPERACIONAL - ELETRÔNICO 

Tipo gabarito 1 

 

C. GERAIS/C. ESPECÍFICOS 

Cargo ou opção L12 - TÉCNICO OPERACIONAL - MECÂNICO 

Tipo gabarito 1 

 

001 - D
002 - C 
003 - A 
004 - B 

005 - E 
006 - E 

007 - D
008 - A 

009 - E 
010 - B 

 

011 - B 
012 - C 
013 - C 
014 - D
015 - B 
016 - C 
017 - D
018 - A 
019 - B 
020 - E 

 

021 - B 
022 - E 
023 - C 
024 - A 
025 - E 
026 - C 
027 - B 
028 - D
029 - A 
030 - C 

 

031 - B 
032 - E 
033 - D
034 - C 
035 - D
036 - A 
037 - B 
038 - A 
039 - E 
040 - D

 

041 - A 
042 - C 

043 - E 

044 - D
045 - A 
046 - B 

047 - E 

048 - D
049 - B 
050 - C 

 

001 - D
002 - C 
003 - A 
004 - B 

005 - E 
006 - E 

007 - D
008 - A 

009 - E 
010 - B 

 

011 - B 
012 - C 
013 - C 
014 - D
015 - B 
016 - C 
017 - D
018 - A 
019 - B 
020 - E 

 

021 - B 
022 - E 
023 - C 
024 - A 
025 - E 
026 - C 
027 - A 
028 - D
029 - D
030 - B 

 

031 - C 
032 - E 
033 - B 
034 - A 
035 - C 
036 - E 
037 - B 
038 - D
039 - D
040 - A 

 

041 - B 
042 - A 
043 - C 
044 - D
045 - E 
046 - A 
047 - E 
048 - D
049 - B 
050 - C 

 

001 - D
002 - C 
003 - A 
004 - B 

005 - E 
006 - E 

007 - D
008 - A 

009 - E 
010 - B 

 

011 - B 
012 - C 
013 - C 
014 - D
015 - B 
016 - C 
017 - D
018 - A 
019 - B 
020 - E 

 

021 - B 
022 - E 
023 - C 
024 - A 
025 - E 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A 
030 - A 

 

031 - D
032 - B 

033 - E 
034 - B 
035 - E 
036 - C 

037 - D

038 - E 

039 - D
040 - A 

 

041 - E 
042 - C 

043 - D
044 - A 
045 - C 
046 - B 

047 - E 

048 - D
049 - B 
050 - C 

 

001 - D
002 - C 
003 - A 
004 - B 

005 - E 
006 - E 

007 - D
008 - A 

009 - E 
010 - B 

 

011 - B 
012 - C 
013 - C 
014 - D
015 - B 
016 - C 
017 - D
018 - A 
019 - B 
020 - E 

 

021 - B 
022 - E 
023 - C 
024 - A 
025 - E 
026 - C 
027 - D
028 - B 
029 - E 
030 - A 

 

031 - D
032 - B 
033 - C 
034 - A 

035 - E 

036 - D
037 - B 
038 - C 
039 - D
040 - A 

 

041 - A 
042 - D

043 - E 
044 - C 

045 - A 
046 - B 

047 - E 

048 - D
049 - B 
050 - C 

 

fcc-2011-copergas-pe-engenheiro-civil-gabarito.pdf-html.html

C. GERAIS/C. ESPECÍFICOS 

Cargo ou opção M13 - TÉCNICO OPERACIONAL - SEGURANÇA DO TRABALHO 

Tipo gabarito 1 

 

001 - D
002 - C 
003 - A 
004 - B 

005 - E 
006 - E 

007 - D
008 - A 

009 - E 
010 - B 

 

011 - B 
012 - C 
013 - C 
014 - D
015 - B 
016 - C 
017 - D
018 - A 
019 - B 
020 - E 

 

021 - B 
022 - E 
023 - C 
024 - A 
025 - E 
026 - C 
027 - E 
028 - A 
029 - C 
030 - A 

 

031 - B 
032 - E 
033 - D
034 - C 
035 - B 
036 - D
037 - E 
038 - A 
039 - D
040 - E 

 

041 - C 
042 - A 
043 - B 
044 - A 
045 - D
046 - B 
047 - E 
048 - D
049 - B 
050 - C 

 

Prova

fcc-2011-copergas-pe-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

N do Caderno

o

N de Inscrição

o

ASSINATURA DO CANDIDATO

N do Documento

o

Nome do Candidato

Novembro/2011

Engenheiro Civil

Concurso Público para provimento do cargo de

COMPANHIA PERNAMBUCANA DE GÁS - COPERGÁS

Conhecimentos Gerais
Conhecimentos Específicos

P R O V A

INSTRUÇÕES

VOCÊ DEVE

ATENÇÃO

- Verifique se este caderno:

- corresponde a sua opção de cargo.

- contém 60 questões, numeradas de 1 a 60.

Caso contrário, reclame ao fiscal da sala um outro caderno.

Não serão aceitas reclamações posteriores.

- Para cada questão existe apenas UMA resposta certa.

- Você deve ler cuidadosamente cada uma das questões e escolher a resposta certa.

- Essa resposta deve ser marcada na FOLHA DE RESPOSTAS que você recebeu.

- Procurar, na FOLHA DE RESPOSTAS, o número da questão que você está respondendo.

- Verificar no caderno de prova qual a letra (A,B,C,D,E) da resposta que você escolheu.

- Marcar essa letra na FOLHA DE RESPOSTAS, conforme o exemplo:

- Marque as respostas primeiro a lápis e depois cubra com caneta esferográfica de tinta preta.

- Marque apenas uma letra para cada questão, mais de uma letra assinalada implicará anulação dessa questão.

- Responda a todas as questões.

- Não será permitida qualquer espécie de consulta, nem o uso de máquina calculadora.

- A duração da prova é de 3 horas, para responder a todas as questões e preencher a Folha de Respostas.

- Ao término da prova, devolva este caderno de prova ao aplicador, juntamente com sua Folha de Respostas.

- Proibida a divulgação ou impressão parcial ou total da presente prova. Direitos Reservados.

A

C D E

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

MODELO

0000000000000000

MODELO1

00001−0001−0001

fcc-2011-copergas-pe-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

 

COPER-Conhecimentos Gerais

1

 

 

CONHECIMENTOS GERAIS 

 

Português 

 

Atenção:  Considere o texto a seguir para responder às ques-

tões de números 1 a 5. 

 
 

[Joaquim] Nabuco sentiu que, sendo produtor de riqueza, 

e portanto esteio da sociedade, o escravo era um trabalhador 

submetido à espoliação máxima; e que os interesses da oli-

garquia levavam não apenas a querer manter o regime escra-

vista, mas a transformá-lo numa espécie de modelo per-

manente do trabalho. Esta verdadeira descoberta levou-o a 

sentir que os projetos de imigração, sobretudo chinesa, ou os 

de recrutamento do homem livre para trabalho rural a prazo fixo, 

eram manifestações de uma mentalidade que procurava 

extrapolar o sistema escravista e estender as suas caracterís-

ticas a todo trabalhador, considerado como máquina humana à 

disposição integral do senhor, ou do patrão. 

Ele viu que, sendo a massa produtora, o trabalhador 

escravo era o grosso do povo, e portanto tinha direito de atuar 

na vida política. Ora, este direito lhe era negado não só porque 

ele estava excluído da cidadania, mas porque mesmo o 

trabalhador livre, portanto um cidadão, ficava excluído do voto 

pelos requisitos censitários, que restringiam ao máximo o alis-

tamento eleitoral. Segundo Nabuco, o trabalhador não era nada, 

mas deveria ser tudo no futuro. 

Essa visão lúcida e avançada correspondia a uma 

concepção realista da sociedade brasileira, que era então com-

posta na maioria de negros e mestiços, isto é, escravos, antigos 

escravos, descendentes totais ou parciais de escravos. 

(Fragmento extraído de Antonio Candido. Radicalismos. Vários 
escritos. 3.ed. S.Paulo: Duas Cidades, 1995. p.271-2) 

 
 
1. 

Segundo Antonio Candido, Joaquim Nabuco considerava 
que 

 

(A)  o trabalho do imigrante e do homem livre, em função 

da maior produtividade em relação ao trabalho es-
cravo, conduzia ao fim da propriedade baseada no 
sistema escravista. 

 
(B)  a oligarquia objetivava estender ao trabalhador livre, 

proveniente dos projetos de imigração ou recrutado 
para trabalho a prazo fixo, a exploração desumana a 
que os escravos eram submetidos. 

 
(C)  as restrições impostas aos escravos quanto à partici-

pação na vida política justificavam-se plenamente na 
medida em que nem mesmo os trabalhadores livres 
podiam votar. 

 
(D)  a própria oligarquia já havia defendido o fim do 

trabalho escravo, que deveria ser substituído pelo 
trabalho de homens livres, a quem seriam franquea-
dos todos os direitos políticos. 

 
(E)  a superação das condições desumanas a que era 

submetido o escravo somente poderia se dar com a 
imigração de trabalhadores de outros países ou o 
recrutamento dos homens livres no Brasil. 

2. 

O segmento cujo sentido está corretamente expresso em 
outras palavras é: 

 

(A)  requisitos censitários 

=

 oficiais dos cartórios eleito-

rais 

 

(B)  visão lúcida e avançada 

=

 concepção intuitiva e pre-

vidente 

 

(C)  submetido à espoliação máxima 

=

 vítima  da  maior 

crueldade 

 

(D)  interesses da oligarquia 

=

 demandas da burguesia 

 

(E)  esteio da sociedade 

=

 sustentáculo da coletividade 

_________________________________________________________ 

 

3. 

O verbo que admite transposição para a voz PASSIVA 
está em: 

 

(A)  ... que restringiam ao máximo o alistamento eleitoral. 
 

(B)  ... que os projetos de imigração [...]  eram manifes-

tações ... 

 

(C)  ... não só porque ele estava excluído da cidadania ... 
 

(D)  Essa visão lúcida e avançada correspondia a uma 

concepção realista ... 

 

(E)  ... mesmo o trabalhador livre [...]  ficava excluído do 

voto ... 

_________________________________________________________ 

 

4. 

Os segmentos que apresentam verbos conjugados nos 
mesmos tempo e modo estão em: 

 

(A)  mas deveria ser tudo no futuro ... / que restringiam 

ao máximo o alistamento eleitoral. 

 

(B)  Nabuco sentiu que ... / ele estava excluído da cida-

dania ... 

 

(C)  Essa visão lúcida e avançada correspondia a uma 

concepção ... / o trabalhador escravo era o grosso 
do povo ... 

 

(D)  Esta verdadeira descoberta levou-o ... / e portanto 

tinha direito de atuar na vida política. 

 

(E)  Segundo

 

Nabuco,

 

o

 

trabalhador

 

não era nada ... / Ele 

viu que, sendo a massa produtora, o trabalhador 
escravo ...
 

_________________________________________________________ 

 

5. 

A substituição do elemento grifado pelo pronome cor-
respondente, com os necessários ajustes, foi realizada de 
modo INCORRETO em: 

 

(A)  manter o regime escravista 

=

 mantê-lo 

 
(B)  procurava extrapolar o sistema escravista 

=

 procura-

va extrapolá-lo 

 
(C)  restringiam o alistamento eleitoral 

=

 restringiam-no 

 
(D)  atuar na vida política 

=

 atuá-la 

 
(E)  estender as suas características 

=

 estendê-las 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2011-copergas-pe-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

 

COPER-Conhecimentos Gerais

1

 

Atenção:  Considere o texto a seguir para responder às ques-

tões de números 6 a 10. 

 
 

As artes plásticas apresentam-se a nós no espaço: 

recebemos uma impressão global antes de detectar os de-

talhes, pouco a pouco e em nosso ritmo próprio. A música, 

porém, baseia-se numa sucessão temporal, e exige uma me-

mória alerta. Sendo assim, a música é uma arte cronológica

assim como a pintura é uma arte espacial. A música pressupõe, 

antes de tudo, certa organização do tempo, uma crononomia, se 

me permitem esse neologismo. 

As leis que regulam o movimento dos sons exigem a 

presença de um valor mensurável e constante: a métrica

elemento puramente material, através do qual o ritmo, elemento 

puramente formal, se realiza. Em outras palavras, a métrica 

resolve a questão de em quantas partes iguais será dividida a 

unidade musical que denominamos compasso, enquanto o ritmo 

resolve a questão de como essas partes iguais serão agrupadas 

dentro de um determinado compasso. [...]  

Vemos portanto que a métrica – já que intrinsecamente 

oferece apenas elementos de simetria, sendo inevitavelmente 

composta de quantidades iguais – é necessariamente utilizada 

pelo ritmo, cuja função é estabelecer a ordem no movimento 

dividindo as quantidades fornecidas pelo compasso. 

(Fragmento extraído de Igor Stravinsky. Poética musical. Trad. 
Luiz Paulo Horta. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1996. p.35) 

 
 
6. 

Atente para as seguintes afirmações. 

 
 

I

.  A apreciação da pintura dá-se sempre de modo 

global, ao passo que a fruição da música só ocorre 
nos detalhes. 

 
 

II

.  A métrica está para a segmentação e a quantidade 

assim como o ritmo está para o arranjo e a dis-
posição. 

 
 

III

.  O ritmo é o elemento que propicia que o compasso 

possa ser dividido em partes iguais. 

 

De acordo com o texto, está correto SOMENTE o que se 
afirma em 

 

(A) 

I

 
(B) 

II

 
(C) 

I

 e 

II

 
(D) 

I

 e 

III

 
(E) 

II

 e 

III

7. 

Com relação à pontuação empregada no texto, é correto 
afirmar: 

 

(A)  Os travessões que isolam o segmento já que intrin-

secamente oferece ... quantidades iguais (terceiro 
parágrafo) poderiam ser substituídos por parênteses, 
sem prejuízo para o sentido original e a correção. 

 
(B) Em 

As artes plásticas apresentam-se a nós no espa-

ço: recebemos ... (início do primeiro parágrafo), a 
substituição dos dois-pontos pelo travessão implicaria 
prejuízo para a lógica e a correção. 

 
(C) Em 

As leis que regulam o movimento dos sons exi-

gem a presença de um valor mensurável e cons-
tante
 (segundo parágrafo), a  inserção de uma vír-
gula imediatamente depois da palavra sons manteria 
a correção e daria maior clareza à frase. 

 
(D)  A substituição por travessões das vírgulas que iso-

lam o segmento antes de tudo (final do primeiro pa-
rágrafo) redundaria em prejuízo para a correção da 
frase. 

 
(E) Em 

utilizada pelo ritmo, cuja função é estabelecer a 

ordem no movimento (terceiro parágrafo), a vírgula 
poderia ser retirada sem prejuízo para o sentido 
original e a correção. 

_________________________________________________________ 

 

8. 

A música pressupõe, antes de tudo, certa organização do 
tempo 
... 

 

O verbo que também é empregado com a mesma regên-
cia do grifado acima está em: 

 

(A)  A música, porém, baseia-se numa sucessão tempo-

ral ... 

 
(B)  ... cuja função é estabelecer a ordem no movimen- 

to ... 

 
(C)  ... sendo inevitavelmente composta de quantidades 

iguais ... 

 
(D)  ... recebemos uma impressão global antes de ... 
 
(E)  ... se me permitem esse neologismo. 

_________________________________________________________ 

 

9. 

As artes plásticas apresentam-se a nós no espaço. 

 
A música, porém, baseia-se numa sucessão temporal. 
 
As frases acima articulam-se em um único período, com 
lógica e correção em: 

 

(A)  Apresentando-se a nós no espaço, as artes plásticas 

são o contrário da música que se baseia numa su-
cessão temporal. 

 
(B)  Ao passo em que a música baseia-se numa suces-

são temporal, as artes plásticas, contudo, apresen-
tam-se a nós no espaço. 

 
(C)  Conquanto se apresentem a nós no espaço, as artes 

plásticas não se baseiam numa sucessão temporal 
como a música. 

 
(D)  Não se apresentando a nós no espaço, a música, 

como as artes plásticas, baseando-se, entretanto, 
numa sucessão temporal. 

 
(E)  Diferentemente das artes plásticas, que se apresen-

tam a nós no espaço, a música baseia-se numa 
sucessão temporal. 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2011-copergas-pe-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

 

COPER-Conhecimentos Gerais

1

 

10.  A frase redigida inteiramente de acordo com as normas de 

concordância verbal e nominal está em: 

 

(A)  A diferença fundamental entre as artes plásticas e a 

música, a que se refere Stravinsky, não implica a 
inexistência de afinidades entre as duas formas de 
expressão, como o sugere o título de uma compo-
sição de outro compositor russo, “Quadros de uma 
exposição”. 

 
(B)  Com todas as diferenças existentes entre a música e 

as artes plásticas, não há como imaginar músicos, 
qualquer que seja o estilo, indiferente à pintura, e 
pintores, de qualquer época, que não tenha se en-
cantado com a música. 

 
(C)  Não devem haver muitos compositores que, como 

Stravinsky, aliam a genialidade na criação musical 
ao talento para falar sobre a música, de modo a se 
fazer entendido até mesmo por quem nada entende 
de ritmo e compasso. 

 
(D)  A menção de Stravinsky às leis a que se submetem 

o movimento dos sons só podem surpreender aque-
les que ingenuamente acreditam na suficiência do 
espontaneísmo e da inspiração na criação musical. 

 
(E)  Nem mesmo um campo tão estruturado como a 

música, sobre a qual tem sido escritos tantos tra-
tados, por um sem-número de diferentes teóricos, 
podem dispensar um neologismo, como aquele que 
Stravinsky propõe. 

_________________________________________________________ 

 

Atenção:  Considere o texto a seguir para responder às ques-

tões de números 11 a 15. 

 

Texto 

I

 

 

A natureza das vidas que as pessoas podem levar tem 

sido objeto de atenção dos analistas sociais ao longo da 

história. Mesmo que os principais índices econômicos do 

progresso tendam a se concentrar no melhoramento de objetos 

inanimados de conveniência (por exemplo, no produto interno 

bruto, PIB), essa concentração poderia ser justificada, em última 

instância, apenas através do que esses objetos produzem nas 

vidas humanas que podem direta ou indiretamente influenciar. 

Temos excelentes razões para não confundir os meios com os 

fins, e para não considerarmos os rendimentos e a opulência 

como importantes em si, em vez de valorizá-los pelo que 

ajudam as pessoas a realizar, incluindo uma vida boa e que 

valha a pena. 

A opulência econômica e a liberdade substantiva, em-

bora não sejam desconectadas, frequentemente podem divergir. 

Mesmo com relação à liberdade de viver vidas longas (livres de 

doenças evitáveis), é notável que o grau de privação de grupos 

socialmente desfavorecidos em países muito ricos pode ser 

comparável ao das regiões mais pobres. A liberdade de evitar a 

morte prematura é incrementada por uma renda elevada (isso 

não se discute), mas ela também depende de outros fatores, em 

particular da organização social, incluindo a saúde pública e a 

garantia de assistência médica. Faz diferença se olharmos 

apenas para os recursos financeiros, em vez de considerarmos 

as vidas que as pessoas conseguem levar. 

Ao avaliarmos nossas vidas, há razões para estarmos 

interessados na liberdade que realmente temos para escolher 

entre diferentes estilos de vida. O reconhecimento de que a 

liberdade é importante também pode ampliar nossa respon-

sabilidade. Poderíamos usar nossa liberdade para investir em 

muitos objetivos que não são parte de nossas próprias vidas em 

um sentido restrito (por exemplo, a preservação de espécies 

ameaçadas). Trata-se de um tema importante na abordagem de 

questões como o desenvolvimento sustentável. 

 
(Adaptado de Amartya Sen. A ideia de Justiça. São Paulo, Cia. 
das Letras, 2011. p.259-61) 

 
 
11.  Segundo o texto, 
 

(A)  a liberdade de escolher um determinado modo de 

viver está diretamente ligada ao poder econômico do 
país em que se vive. 

 
(B)  uma vida que possa ser considerada saudável, em 

que se tenha acesso irrestrito à saúde, está ga-
rantida a partir de uma renda mensal considerável. 

 
(C)  quanto maior for o PIB de uma nação, maior a ex-

pectativa de vida, o grau de educação e a satisfação 
pessoal de seus habitantes. 

 
(D)  os indicadores econômicos, isoladamente, demons-

tram ser insuficientes para medir o grau de satis-
fação da vida das pessoas em uma nação. 

 
(E)  o desenvolvimento sustentável e a preservação da 

fauna dependem de as pessoas terem a liberdade 
de fazer um melhor investimento em suas vidas. 

_________________________________________________________ 

 

12.  O principal assunto do texto está expresso no seguinte 

segmento: 

 

(A)  A natureza das vidas que as pessoas podem levar 

tem sido objeto de atenção dos analistas sociais ao 
longo da história.
 

 
(B)  A liberdade de evitar a morte prematura é incre-

mentada por uma renda elevada... 

 
(C)  A opulência econômica e a liberdade substantiva (...) 

frequentemente podem divergir. 

 
(D)  ... é notável que o grau de privação de grupos so-

cialmente desfavorecidos em países muito ricos po-
de ser comparável ao das regiões mais pobres.
 

 
(E)  O reconhecimento de que a liberdade é importante 

também pode ampliar nossa responsabilidade. 

_________________________________________________________ 

 

13.  Temos excelentes razões para não confundir os meios 

com os fins, e para não considerarmos os rendimentos e a 
opulência como importantes em si, em vez de valorizá-los 
pelo que ajudam as pessoas a realizar... (1

o

  parágrafo) 

 

Com o uso do pronome grifado acima, evita-se a des-
necessária repetição de 

 

(A)  objetos inanimados. 
(B)  os rendimentos e a opulência. 
(C)  os meios. 
(D)  os fins. 
(E)  os principais índices econômicos. 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2011-copergas-pe-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

 

COPER-Conhecimentos Gerais

1

 

14.  Poderíamos usar nossa liberdade para investir em muitos 

objetivos que não são parte de nossas próprias vidas em 
um sentido restrito

 
A frase acima se encontra corretamente reescrita na voz 
passiva
 em: 
 
(A)  Muitos objetivos que não são parte de nossas pró-

prias vidas em um sentido restrito poderiam ser usa-
dos para melhorar nossa liberdade. 

 
(B)  Nossa liberdade poderia ser usada para investirmos 

em muitos objetivos que não são parte de nossas 
próprias vidas em um sentido restrito. 

 
(C)  Nossa liberdade poderia ser investida para usar em 

muitos objetivos que não são parte de nossas pró-
prias vidas em um sentido restrito. 

 
(D)  Muitos objetivos poderiam ser usados para investir-

mos em nossa liberdade, que não são parte de 
nossas próprias vidas em um sentido restrito. 

 
(E)  Nossa liberdade seria usada em um sentido restrito 

para investirmos em muitos objetivos que não são 
parte de nossas próprias vidas. 

_________________________________________________________ 

 

15. Considere 

Texto 

II

 abaixo e também o Texto 

I

 para 

responder à questão de número 15. 

 

Texto 

II 

 

Em uma entrevista, o professor de economia José Eli 

da Veiga afirmou: “O PIB usado como indicador de qualidade de 

vida, de bem-estar, de prosperidade, de progresso é um 

equívoco. Um país do Oriente Médio, com PIB muito alto porque 

tem petróleo, pode apresentar maus indicadores em educação, 

pelo fato de discriminar as mulheres.  Quando se substitui uma 

energia fóssil por uma renovável, o tamanho da economia pode 

não estar aumentando, necessariamente, mas a sociedade está 

melhorando.” 

(http://www.institutoagropolos.org.br/blog/editorias/categoria/ 
noticias/pib-para-medir-qualidade-de-vida-e-um-equivoco-total

com adaptações. Acessado em 12/10/11) 

 
 

I

.  Se comparadas, as opiniões expostas no Texto 

I

 e 

as de José Eli da Veiga apresentam grande seme-
lhança a respeito da ocasional divergência entre os 
indicadores abstratos de riqueza e a real qualidade 
de vida das pessoas. 

 

 

II

.  Ao contrapor a discriminação das mulheres à 

prosperidade advinda da exploração do petróleo no 
Oriente Médio, para exemplificar o seu ponto de 
vista, José Eli da Veiga adota um posicionamento 
semelhante ao daquele expresso no Texto 

I

 quan-

to aos efeitos nem sempre positivos da riqueza de 
um país sobre a qualidade de vida de seu povo. 

 

 

III

.  Para José Eli da Veiga, ações que se traduzam em 

um desenvolvimento sustentável constituem o meio 
mais eficaz para aumentar o poderio econômico e, 
portanto, a qualidade de vida da população de uma 
determinada nação. 

 
Está correto o que se afirma SOMENTE em 
 
(A) 

I

(B) 

II

(C) 

II

 e 

III

(D) 

I

 e 

II

(E) 

I

 e 

III

 

Raciocínio Lógico 

 

16.  Se 5 homens, com a mesma capacidade de trabalho, pro-

duzem 5 m

2

 de tecido em 5 minutos, quantos homens, 

com a mesma capacidade de trabalho dos primeiros, 
produzirão 45 m

2

 do mesmo tecido em 15 minutos? 

 
(A) 10 
 

(B) 15 
 

(C) 20 
 

(D) 25 
 

(E) 45 

_________________________________________________________ 

 

17.  Leonardo doou a seus 4 filhos todos os livros raros de sua  

 

 

biblioteca. Ao mais velho, doou 

4

1

 do total desses livros e 

mais a quarta parte de um desses livros; ao segundo, 

3

1

  

 
do número de livros restantes e mais a terça parte de um  

 

desses livros; ao terceiro, doou 

2

1

 do novo resto e mais a  

 
metade de um desses livros; ao último, igualmente, doou  

 

2

1

 da nova sobra e mais a metade de um desses livros,  

 
ficando então sem nenhum livro raro. Quantos livros raros 
 
Leonardo possuía em sua biblioteca?  (Como livros raros 
 
são

 

valiosos

 

e

 

é

 

evidente

 

que

 

nenhum

 

deles foi partido, es- 

 
sa redação expressa uma equivalência.) 
 
(A) 11 
 

(B)    9 
 

(C)    7 
 

(D)    5 
 

(E)    3 

_________________________________________________________ 

 

18.  Um relógio faz coincidir os ponteiros de minuto e hora, 

exatamente um sobre o outro, a cada 65 minutos. Reflita 
sobre essa situação e assinale a opção correta. 
 
(A)  Tal relógio é regulado, isto é, marca as horas e 

minutos acertadamente. 

 
(B)  Tal relógio atrasa, mas faltam dados para se de-

terminar o atraso. 

 
(C)  Tal relógio adianta, mas faltam dados para se de-

terminar o quanto. 

 
(D)  É um relógio que atrasa e com a informação dada é 

possível calcular o atraso. 

 
(E)  É um relógio que adianta e com a informação dada é 

possível calcular o quanto. 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2011-copergas-pe-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

 

COPER-Conhecimentos Gerais

1

 

19. No 

País dos Números, onde todos os habitantes perten-

cem apenas ao sistema decimal de numeração, dois 
algarismos não nulos, “a” e “b”, passeavam a uma veloci-
dade constante. Às 16h:01min, já haviam percorrido “ab” 
metros; às 16h:43min, “ba” metros e às 17h:01min, “a0b” 
metros” (note que o algarismo das dezenas é zero). Com 
base nessas informações, é correto afirmar que tal pas-
seio iniciou-se às 

 
 

(A)  15 horas e 49 minutos. 
 

 
(B)  15 horas e 13 minutos. 
 
 

(C)  15 horas e 55 minutos. 
 
 

(D)  15 horas e 37 minutos. 
 

 
(E)  15 horas e 25 minutos. 

_________________________________________________________ 

 

20.  Aldo, Bia e Carlota foram passear num belo parque gra-

mado e logo notaram que o caminho a ser percorrido era 
composto de lajotas espaçadas entre si e numeradas 
sucessivamente por 1, 2, 3, ... . Considere as seguintes 
declarações, que cada um deles fez: 

 
 

Aldo: 

  Todas as segundas lajotas, contadas a partir 

daquelas marcadas com um múltiplo de 3 

possuem uma faixa vermelha. 

 

 
Bia:  

  Isso é curioso, pois se observarmos todas as 

segundas lajotas, contadas a partir daquelas  

marcadas com um múltiplo de 5, veremos que 

possuem uma faixa preta. 

 

 
Carlota:  

  Já as que possuem uma faixa branca são 

todas as quintas lajotas que sucedem aquelas 

marcadas com um múltiplo de 7. 

 

 
Com base nessas declarações, é correto concluir que as 

três primeiras lajotas tricolores são as de números 

 
 

(A)  45, 150 e 255. 
 

 
(B)  47, 152 e 257. 
 

 
(C)  49, 154 e 259. 
 
 

(D)  51, 156 e 261. 
 
 

(E)  53, 158 e 263. 

 

Noções de Informática 

 

21. Considere 

tabela: 

 

Definição Elemento 

D1.  Protocolo do serviço de páginas 

E1 

 SSL 

D2.  Linguagem de marcação de hipertexto 

E2 

 HTTP 

D3. Protocolo de segurança 

E3 

 HTML 

 

Está correta a correspondência entre a Definição e o 
Elemento em 
 
(A)  D1-E2;  D2-E1;  D3;E3. 

(B)  D1-E3;  D2-E2;  D3-E1. 

(C)  D1-E1;  D2-E2;  D3-E3. 

(D)  D1-E3;  D2-E1;  D3-E2. 

(E)  D1-E2;  D2-E3;  D3-E1. 

_________________________________________________________ 

 

22.  Na Internet, o cenário no qual o emissor e o receptor estão 

on-line para que se estabeleça uma conversação, é co-
nhecido como comunicação síncrona 

 SIN. Do contrário, a 

comunicação

 

é

 

assíncrona 

 ASI.

 

Desta

 

forma,

 

Messenger, 

pagamento de conta bancária e e-mail são, respectiva-
mente: 

 

(A)  ASI; SIN e SIN. 

(B)  SIN; ASI e SIN. 

(C)  SIN; SIN e ASI. 

(D)  ASI; ASI e SIN. 

(E)  SIN; ASI e ASI. 

_________________________________________________________ 

 

23.  Uma das formas de se fazer upload de um arquivo hos-

pedado em um computador local para um computador 
servidor remoto é por intermédio do protocolo 

 

(A) POP3. 

(B) FTP. 

(C) SMTP. 

(D) HTML. 

(E) DNS. 

_________________________________________________________ 

 

24.  No MS-Word 2003, o controle de linhas órfãs/viúvas é feito 

em quebras de linha e de página, realizável por meio de 

 

(A) Editar 

Parágrafo. 

(B) Inserir 

Quebra. 

(C) Formatar 

Fonte. 

(D) Formatar 

Parágrafo. 

(E) Formatar 

Quebra. 

_________________________________________________________ 

 

25.  No MS-Excel 2003, a função que calcula o número de 

células não vazias em um intervalo que corresponde a 
uma determinada condição é 

 

(A) cont.se. 

(B) cont.num. 

(C) cont.valores. 

(D) contar.vazio. 

(E) somase. 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2011-copergas-pe-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

 

 

COPER-Eng.Civil-A01

 

 

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

 

Atenção:    As questões de números 26 a 29 referem-se a No-

ções de Gás Natural. 

 
26.  No sistema de distribuição de gás natural, com pressão 

maior que 7 bar, são utilizados, em sua maioria, tubos de 

 

(A) aço 

carbono. 

(B) ferro 

fundido. 

(C) PVC. 
(D) aço 

inoxidável. 

(E) polipropileno. 

_________________________________________________________ 

 

27.  O gás natural passa por uma etapa em que é feita a sepa-

ração dos componentes mais pesados, garantindo a espe-
cificação técnica adequada para a comercialização. Esta 
etapa é chamada de 

 

(A) transporte. 
(B) armazenamento. 
(C) processamento. 
(D) produção. 
(E) distribuição. 

_________________________________________________________ 

 

28.  Grande parte de um sistema de distribuição de gás natural 

é construído em forma de anel, que tem a função principal 
de distribuir o gás 

 

(A)  em baixa vazão e em redes de pequenos diâmetros, 

por serem considerados mais seguros. 

 
(B) de

 

forma

 

que

 

a

 

alimentação

 

seja

 

feita em mais de um 

ponto,

 

para

 

garantir

 

a

 

continuidade

 

do

 

abastecimen-

to. 

 
(C)  com pressões bem mais baixas, em comparação 

com os dutos de transporte. 

 
(D)  com sistemas de segurança para garantir o bloqueio 

do fluxo de gás e o desabastecimento da rede. 

 
(E)  com vazão e pressão da rede de gás suficiente para 

atender a demanda atual. 

_________________________________________________________ 

 

29.  É permitida a instalação da tubulação da rede de distri-

buição interna de gás em 

 

(A)  duto de ventilação de ar condicionado. 
(B) compartimento

 

de

 

equipamento

 

ou

 

dispositivo

 

elétrico. 

(C)  poço ou vazio de elevador. 
(D)  cisterna e reservatório de água. 
(E)  paredes ou muros em posição embutida. 

_________________________________________________________ 

 

Atenção:    As questões de números 30 a 33 referem-se a No-

ções de Direito Administrativo. 

 
30.  As empresas públicas e sociedades de economia mista 

exploradoras de atividade econômica submetem-se 

 

(A)  aos princípios aplicáveis à Administração Pública e 

ao regime jurídico próprio das empresas privadas. 

 
(B)  ao mesmo regime da Administração Direta, exceto 

em matéria tributária. 

 
(C)  ao regime jurídico próprio das empresas privadas, 

exceto em matéria trabalhista. 

 
(D)  ao regime jurídico privado, gozando, porém, de imu-

nidade tributária. 

 
(E)  aos princípios aplicáveis à Administração Pública, 

exceto no que diz respeito à licitação e à contratação 
de pessoal, obras e serviços. 

31.  Determinada sociedade de economia mista contratou a re-

forma de seu edifício sede. No curso da execução dos ser-
viços, constatou a necessidade de acréscimos quantita-
tivos em relação ao objeto inicialmente contratado. De 
acordo com a legislação aplicável, poderá aditar o contrato 
 
(A)  apenas se contar com a concordância da empresa 

contratada e em montante que não ultrapasse 50% 
do valor inicial do contrato. 

 
(B)  até o limite de 50% do valor inicial do contrato, inde-

pendentemente da concordância da empresa contra-
tada. 

 
(C)  até o limite de 25% do valor inicial do contrato, inde-

pendentemente da concordância da empresa contra-
tada. 

 
(D)  até o limite de 25% do valor inicial do contrato, des-

de que conte com a concordância da empresa con-
tratada. 

 
(E)  até o limite de 50% do valor inicial do contrato, inde-

pendentemente da concordância da empresa contra-
tada, e acima deste valor apenas se contar com a 
expressa concordância da contratada. 

_________________________________________________________ 

 

32.  O Estado concedeu a exploração de rodovia, remune-

rando-se a empresa concessionária mediante a cobrança 
de tarifa (pedágio) dos usuários. No decorrer do contrato 
de concessão, ocorreu majoração de imposto sobre os 
serviços prestados pela concessionária. Diante dessa si-
tuação, a concessionária 

 

(A)  não tem direito a qualquer recomposição financeira, 

eis que a concessão pressupõe a exploração do ser-
viço por conta e risco da concessionária. 

 
(B)  terá direito à correspondente compensação finan-

ceira somente na hipótese de tratar-se de imposto 
estadual. 

 
(C)  tem direito ao reequilíbrio econômico-financeiro do 

contrato, que poderá se dar mediante o aumento da 
tarifa. 

 
(D) tem

 

direito

 

ao

 

reequilíbrio

 

econômico-financeiro

 

do 

contrato, mediante pagamento de indenização cor-
respondente pelo Estado, vedada a majoração da ta-
rifa. 

 
(E)  não tem direito à recomposição do equilíbrio econô-

mico-financeiro do contrato, mas sim à concessão 
de imunidade tributária na condição de prestadora 
de serviço público. 

_________________________________________________________ 

 

33.  Os atos administrativos 
 

(A)  são passíveis de anulação pela própria Adminis-

tração, por razões de conveniência e oportunida- 
de. 

 
(B)  não podem ser anulados pelo Poder Judiciário, em 

face da presunção de legitimidade de que gozam. 

 
(C)  podem ser anulados pelo Poder Judiciário somente 

se constatado desvio de finalidade. 

 
(D)  podem ser revogados pelo Poder Judiciário quando 

verificado vício de legalidade. 

 
(E)  são passíveis de revogação pela própria Admi-

nistração, ressalvados os direitos adquiridos. 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2011-copergas-pe-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

 

 

COPER-Eng.Civil-A01

 

34.  Brocas são dispositivos de fundação executados in loco, sem molde, por perfuração no terreno com o auxílio de um trado, sendo 

o furo posteriormente preenchido com o concreto apiloado. NÃO se inclui, entre as características das brocas, a 

 

(A)  utilização de concreto fabricado in situ. 
 
(B)  baixa capacidade de carga. 
 
(C)  escavação unicamente acima do lençol freático. 
 
(D)  garantia de verticalidade. 
 
(E)  perfuração por meio da rotação e compressão do tubo. 

 
 
Instruções:  Considere a figura a seguir para responder às questões de números 35 e 36. 
 
 

A

B

q (kN/m)

L(m)

 

 

 
 
35.  A figura representa uma viga biapoiada com extensão (L) sendo solicitada por um carregamento uniformemente distribuído (q). 

Analisando a viga, verifica-se que os apoios A e B correspondem, respectivamente, a 

 

(A)  apoio móvel e apoio fixo. 
 
(B)  apoio móvel e apoio móvel. 
 
(C)  apoio engaste e apoio fixo. 
 
(D)  apoio móvel e apoio engaste. 
 
(E)  apoio fixo e apoio fixo. 

 
 
36.  Considerando a extensão da viga igual a 2 m e o carregamento uniformemente distribuído a 15 kN/m, o valor dos esforços 

internos no centro da viga: o momento fletor máximo e esforço cortante estão corretamente expressos em: 

 
 

 

Momento fletor máximo 

Esforço cortante 

(

A

)

 

30 N/m  

(

B

)

 

     7,5 N/m 

(

C

)

 

15 N.m 

       7,5 N 

(

D

)

 

30 N.m 

  15 N 

(

E

)

 

7,5 N.m 

 
 
37.  Seja uma distribuição normal caracterizada por média (

µ

) igual a 12 e variância (

σ

2

) igual a 9, a probabilidade de ocorrência de 

valores superiores a 18 é 

 

(A) exatamente 

97%. 

 
(B) exatamente 

95%. 

 
(C) exatamente 

90%. 

 
(D) inferior 

98%. 

 
(E)  superior a 99%. 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2011-copergas-pe-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

 

 

COPER-Eng.Civil-A01

 

38.  A compactação é um método de estabilização de solos que se dá por aplicação de alguma forma de energia. Seu efeito confere 

ao solo aumento de seu peso específico e resistência ao cisalhamento, diminuição do índice de vazios, permeabilidade e 
compressibilidade. NÃO se configura como uma forma de aplicação de energia 

 

(A) a 

vibração. 

 
(B) o 

impacto. 

 
(C)  a tração estática. 

 
(D)  a compressão estática. 

 
(E)  a compressão dinâmica. 

 
 
39.  Depois de realizado o levantamento planialtimétrico de um terreno, foi produzida a planta a seguir. A representação foi 

executada com curvas de nível com equidistância vertical igual a 1 m. Sabe-se que o ponto A possui cota igual a 20,6 m e o 
ponto B cota igual a 10,1 m. 

 

2

0

15

A

B

120 m

90 m

 

 

 

A declividade média entre os pontos A e B é igual a 

 

(A)    7,33%. 

 
(B)    7%. 

 
(C)    6%. 

 
(D) 11,67%. 

 
(E)    8,75%. 

 
 
40.  Os solos têm origem na decomposição das rochas que constituíam inicialmente a crosta terrestre. Essa decomposição é 

decorrente da ação de agentes físicos e químicos. Por exemplo, variações de temperatura provocam trincas nas quais a água 
penetra e ataca quimicamente os minerais que constituem o solo. Solos transportados são resultado da decomposição de 
matéria e de detritos provenientes de outro lugar. Apresentam características mecânicas inteiramente diferentes dos solos re-
siduais dos quais têm procedência. O agente de transporte de um solo coluvionar é 

 

(A) a 

gravidade. 

 
(B) a 

água. 

 
(C) a 

geleira. 

 
(D) o 

vento. 

 
(E) a 

maré. 

 
 
41.  Para a implantação de uma rodovia, a estrutura de pavimento deve ser dimensionada para suportar o tráfego dos veículos 

comerciais durante o período de projeto. O pavimento é constituído por camadas sobrepostas sobre o solo do subleito. Para a 
execução do projeto de pavimentação, a caracterização do subleito deve ser constituída, no mínimo, por ensaios de 

 

(A)  umidade, CBR e limites de Atterberg. 

 
(B)  compactação, expansão e granulometria. 

 
(C)  CBR, limites de Atterberg e granulometria. 

 
(D)  limites de Atterberg, CBR e densidade. 

 
(E)  compactação, CBR e expansão. 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2011-copergas-pe-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

 

 

10 

COPER-Eng.Civil-A01

 

42.  O fluxo de investimentos de um empreendimento foi determinado por meio da avaliação de alternativas ao longo de um período 

de análise de 10 anos. No projeto alternativo A, a implantação do empreendimento no ano 0 possui custo total de 
R$ 1.000.000,00 e a manutenção anual foi estimada em R$ 50.000,00. O projeto alternativo B contempla a implantação de 50% 
do empreendimento no ano 0 com custo de R$ 500.000,00 e o restante no ano 5, com custo de R$ 550.000,00. Nesta última 
alternativa, a manutenção anual também foi estimada em R$ 50.000,00. Utilizando o método do Valor Presente (VP) e 
considerando uma taxa de atualização de 10% ao ano, o projeto alternativo possui VP 

 

(A)  igual ao do projeto alternativo A
 
(B)  maior que o do projeto alternativo A
 
(C)  menor que o do projeto alternativo A
 
(D)  igual à metade do VP do projeto alternativo A
 
(E)  igual ao dobro do projeto alternativo A

 
 
43.  Em um pavimento asfáltico flexível, a camada de revestimento possui grande importância no desempenho global da estrutura. 

Misturas asfálticas são misturas de Cimento Asfáltico de Petróleo (CAP) com agregados. A mistura asfáltica usinada a quente 
que possui graduação aberta com curva granulométrica uniforme denomina-se 

 

(A) CBUQ 

 Concreto Betuminoso Usinado a Quente. 

 
(B) CPA 

 Camada Porosa de Atrito. 

 
(C)  SMA 

 Stone Matrix Asphalt. 

 
(D) TST 

 Tratamento Superficial Triplo. 

 
(E) MH 

 Macadame Hidráulico. 

 
 
44.  Cimento Portland é o produto obtido pela pulverização de clínquer constituído essencialmente de silicatos hidráulicos de cálcio, 

com certa proporção de sulfato de cálcio natural, contendo, eventualmente, adições de substâncias que modificam suas pro-
priedades ou facilitam seu emprego. Hoje, o cimento Portland é normalizado e existem onze tipos no mercado. O cimento 
Portland de alto-forno contém adição de escória no teor de 35% a 70% em massa o que lhe confere propriedades como: baixo 
calor de hidratação, maior impermeabilidade e durabilidade, sendo recomendado tanto para obras de grande porte e agres-
sividade como também para aplicação geral em argamassas de assentamento e revestimento, estruturas de concreto simples, 
armado ou protendido etc. A norma brasileira que trata deste tipo de cimento é a NBR 5735. Este cimento é denominado 

 

(A) CP-I. 
 
(B) CP-II-F. 
 
(C) CP-III. 
 
(D) CP-IV. 
 
(E) CP-V-ARI. 

 
 
45.  Na execução de pavimentos de concreto (CCP), as placas de CCP são comumente assentadas sobre camadas de sub-base em 

concreto pobre rolado 

 CPR (também chamado de concreto compactado com rolo 

 CCR). Nessa camada, o Concreto Pobre 

Rolado 

 
 

I

.  não oferece um acabamento desempenado. 

 

II

.  o consumo de cimento pode variar entre 400 kg/m

3

 e 600 kg/m

3

 

III

.  a vibração do CCR deve ser executada em até 1 hora do início da concretagem. 

 

IV

.  deve ser transportado em caminhões basculantes e espalhados com motoniveladoras. 

 

Está correto o que se afirma APENAS em 

 

(A) 

I

 e 

IV

 
(B) 

I

 e 

III

 
(C) 

I

II

 e 

IV

 
(D) 

II

 e 

III

 
(E) 

III

 e 

IV

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2011-copergas-pe-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

 

 

COPER-Eng.Civil-A01

 

11 

46.  Considere a figura a seguir: 
 

P

y

x

θ

O

 

 

 

Em um levantamento topográfico foi determinada a localização de um ponto P através da medição de uma distância e do ângulo 

θ

. Considerando a origem do eixo cartesiano na origem do levantamento, o par de coordenadas xy no plano cartesiano, para um 

ângulo 

θ

 igual a 30

°

 e uma distância de 

3

6

, é igual a 

 

(A)  (6 ; 9).  
 

(B) (

3

3

 ; 3). 

 

(C) (

3

6

; 9). 

 

(D) (

3

3

; 9). 

 

(E) (9 

;  3

3

). 

 
 
47.  Sobre um plano horizontal perfeitamente polido está apoiado, em repouso, um corpo de massa m 

=

 1,75 kg. Uma força 

horizontal de 29,4 N passa a agir sobre o corpo. A velocidade desse corpo após 9 s é igual a, em km/h, 

 

(A) 84. 
 

(B) 20,58. 
 

(C) 6,72. 
 

(D) 42. 
 

(E) 151,2. 

 
 
48.  Considere a figura a seguir: 
 
 

 

 
 

A NBR 6492 

 Representação de projetos de arquitetura apresenta recomendações para o projeto arquitetônico e, também, as 

convenções de representação de materiais empregados no projeto. A figura representa a utilização de 

 

(A) concreto 

em 

vista. 

 

(B)  concreto em corte. 
 

(C)  aço em corte. 
 

(D) aço 

em 

vista. 

 

(E)  alvenaria em planta. 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2011-copergas-pe-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

 

 

12 

COPER-Eng.Civil-A01

 

49.  A principal característica das lajes nervuradas é a diminuição da quantidade de concreto na região tracionada, podendo ser 

utilizado um material de enchimento. Além de reduzir o consumo de concreto, há um alívio do peso próprio. Ressalta-se, porém, 
que a resistência do material de enchimento não é considerada no cálculo da laje. Entre os vários tipos de materiais de 
enchimento, podem ser utilizados 

 

(A)  blocos de EPS, blocos de PVC e areia. 
 
(B)  blocos cerâmicos, blocos de madeira e blocos de EPS. 
 
(C)  placas de madeira, blocos cerâmicos e mantas não tecidas. 
 
(D)  material britado, blocos vazados de concreto e blocos de EPS. 
 
(E)  blocos cerâmicos, blocos vazados de concreto e blocos de EPS. 

 
 
50.  Muros de arrimo são estruturas destinadas a conter massas de solo, cujos parâmentos se aproximam da posição vertical. 

Existem diversos tipos de soluções de muros de arrimo. O tipo no qual os elementos de reforço são tiras metálicas, que recebem 
tratamento especial anticorrosão e são fixadas a blocos de concreto que protegem e evitam o deslocamento excessivo das faces 
é denominado 

 

(A) terra 

armada. 

 
(B) gabião. 
 
(C) cortina 

atirantada. 

 
(D) geossintéticos. 
 
(E) pedra 

argamassada. 

 
 
51.  Geoprocessamento pode ser descrito como um conjunto de tecnologias de coleta, tratamento, manipulação e apresentação de 

informações espaciais voltado para um objetivo específico. Este conjunto possui como principal ferramenta 

 

(A) a 

aerofotogrametria. 

 
(B) o 

global positioning system (GPS). 

 
(C)  o sistema de informação geográfica (SIG). 
 
(D) o 

levantamento 

planialtimétrico. 

 
(E)  as coordenadas UTM. 

 
 
52.  Algumas propriedades são fundamentais para a análise de um fluido e representam a base para o estudo da mecânica dos 

fluidos. Dentre essas propriedades, está o peso específico relativo, que representa a relação entre o peso específico do fluido 
em estudo e 

 

(A)  o peso específico do ar. 
 
(B)  a massa específica da água. 
 
(C)  a massa específica do ar. 
 
(D)  o peso específico da água. 
 
(E)  o peso específico de outro fluido qualquer. 

 
 
53.  O planejamento do canteiro de obras deve ser encarado como um processo gerencial como qualquer outro, incluindo etapas de 

coleta de dados e avaliação do planejamento. Sendo assim, neste processo NÃO inclui-se 
 
(A)  o diagnóstico de canteiros de obra existentes. 
 
(B)  a padronização dos requisitos para terceirização de mão de obra. 
 
(C)  a padronização das instalações e dos procedimentos de planejamento. 
 
(D)  o planejamento do canteiro de obras propriamente dito. 
 
(E)  a manutenção da organização dos canteiros, baseando-se na aplicação dos princípios dos programas 5 s. 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2011-copergas-pe-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

 

 

COPER-Eng.Civil-A01

 

13 

54.  Considere a figura a seguir: 

 

S

I

II

 

 
 

No projeto de instalações elétricas de uma residência são utilizados símbolos gráficos que representam os diversos com-
ponentes da instalação. Os símbolos 

I

 e 

II

 representam, respectivamente, 

 
(A)  interruptor paralelo e campainha. 
 
(B)  tomada simples e interruptor paralelo. 
 
(C)  interruptor paralelo e tomada de uso específico. 
 
(D)  interruptor simples e tomada de uso geral. 
 
(E)  interruptor simples e interruptor paralelo. 

 
 
55.  Considere a figura a seguir: 

 

y

x

 

 

O centro de gravidade ou baricentro de um corpo é o ponto onde pode ser considerada a aplicação da força de gravidade de 
todo o corpo formado por um conjunto de partículas. 

 

Considerando que cada quadrícula possui 15 

×

 15 cm, o par de coordenadas xy do centro de gravidade da seção transversal na 

figura apresentada é: 
 
(A) x 

=

 22,5  e  y 

=

 37,5 

 
(B) x 

=

 12,5  e  y 

=

 22,5 

 
(C) x 

=

 37,5  e  y 

=

 27,5 

 
(D) x 

=

 22,5  e  y 

=

 35,5 

 
(E) x 

=

 22,5  e  y 

=

 32,5 

 
 
56.  A sinalização viária estabelecida através de comunicação visual, por meio de placas, painéis ou dispositivos auxiliares, situados 

na posição vertical, implantados à margem da via ou suspensos sobre ela, tem como finalidade: a regulamentação do uso da 
via, a advertência para situações potencialmente perigosas ou problemáticas do ponto de vista operacional, o fornecimento de 
indicações, orientações e informações aos usuários, além do fornecimento de mensagens educativas. No tocante à 
padronização de cores, o Manual do DNIT (2010) identifica diferentes sinais de acordo com sua categoria funcional, por meio de 
6 (seis) cores da escala cromática. As cores vermelho, amarelo e branco são utilizadas, respectivamente, para os seguintes 
sinais: 
 
(A)  turísticos, advertência e indicação. 
 
(B)  indicação, advertência e serviços auxiliares. 
 
(C)  regulamentação, advertência e educação. 
 
(D)  regulamentação, turísticos e serviços auxiliares. 
 
(E)  serviços auxiliares, regulamentação e turísticos. 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2011-copergas-pe-engenheiro-civil-prova.pdf-html.html

 

 

14 

COPER-Eng.Civil-A01

 

57.  A portaria ANP n

o

 104 de 08/07/2002 estabelece a especificação do gás natural a ser comercializado no território nacional, tanto 

para material de procedência nacional quanto internacional. Pela portaria, o carregador é obrigado a realizar uma série de 
ensaios para controle de qualidade do material, dentre eles o de poder calorífico superior, índice de Wobbe, ponto de orvalho e 
verificação dos teores de componentes químicos. Dentre esses compostos químicos, podem ser identificados o 
 
(A)  metanoato, o etanoato e o propanoato. 
 

 
(B)  metanol, o etanol e o propanol. 
 

 
(C)  metanal, o etanal e o propanal. 
 

 
(D)  ácido metanoico, o ácido etanoico e o ácido propanoico. 
 

 
(E)  metano, o etano e o propano. 

 
 
58.  A norma NBR 14280 fixa os critérios para o registro, comunicação, estatística e análise dos acidentes de trabalho. Dentre as 

causas do acidente, está o denominado “Fator Pessoal de Insegurança” que indica que algo relacionado ao comportamento 
pessoal pode levar à ocorrência do acidente. NÃO pode ser considerado como um Fator Pessoal de Insegurança 
 
(A)  a utilização de equipamento de forma imprópria. 
 
 
(B)  a falta de conhecimento. 
 
 
(C)  a falta de experiência. 
 
 
(D) a 

fadiga. 

 
 
(E)  os vícios em álcool e drogas. 

 
 
59.  A constituição de uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes 

 CIPA 

 tem por objetivo a prevenção de acidentes e 

doenças decorrentes do trabalho. A quantidade de membros da CIPA é estabelecida em função 

 

(A)  da localização da empresa e da quantidade de funcionários. 
 
 
(B)  do setor de atuação da empresa, apenas. 
 
 
(C)  da quantidade de funcionários, apenas. 
 
 
(D)  do setor de atuação da empresa e da quantidade de funcionários. 
 
 
(E)  da localização da empresa, apenas. 

 
 
60.  As atividades insalubres são aquelas que expõem o trabalhador a condições inadequadas de trabalho, como níveis de ruído 

contínuos ou intermitentes acima de um dado limite de tolerância, exposição ao calor e a níveis de iluminação inadequados, 
entre outros fatores. Com relação ao ruído excessivo, a análise conjunta das normas NR-5 e NHO-01 consideram que 

 

(A)  o limite de tolerância para ruído de impacto será de 100 dB (linear).  
 
 
(B)  as atividades que exponham os trabalhadores a níveis de ruído, contínuo ou intermitente, superiores a 115 dB, sem 

proteção adequada, oferecerão risco grave e iminente. 

 
 
(C)  o ruído contínuo ou intermitente abaixo de 82 dB é considerado crítico e requer a adoção de medidas preventivas. 
 

 
(D)  a exposição estará acima do limite se o trabalhador for submetido a ocorrência simultânea de ruído contínuo e intermitente 

e ruído de impacto. 

 
 
(E)  a ocorrência durante a jornada de trabalho de dois ou mais períodos de exposição a ruído de diferentes níveis, o efeito do 

maior deles deve ser considerado para fins de análise. 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001