Prova Concurso - Administração - 2011-INFRAERO-ANALISTA-DE-SISTEMAS-ADMINISTRADOR-DE-BANCO-DE-DADOS - FCC - INFRAERO - 2011

Prova - Administração - 2011-INFRAERO-ANALISTA-DE-SISTEMAS-ADMINISTRADOR-DE-BANCO-DE-DADOS - FCC - INFRAERO - 2011

Detalhes

Profissão: Administração
Cargo: 2011-INFRAERO-ANALISTA-DE-SISTEMAS-ADMINISTRADOR-DE-BANCO-DE-DADOS
Órgão: INFRAERO
Banca: FCC
Ano: 2011
Nível: Superior

Downloads dos Arquivos

prova.pdf
gabarito.pdf

Provas relacionadas

AGENTE-ADMINISTRATIVO-PREVIDENCIARIOCONCURSOS2018
ASSISTENTE-DE-ADMINISTRACAOFUNPAPA2018
AUXILIAR-DE-ADMINISTRACAOFUNPAPA2018

Gabarito

fcc-2011-infraero-analista-de-sistemas-administrador-de-banco-de-dados-gabarito.pdf-html.html

Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária - Infraero 

Diversos Cargos - Nível Sênior 

 
 

Divulgação do Gabarito Preliminar 

 

 

PROVAS OBJETIVAS/ESTUDO DE CASO 
Cargo ou opção 05 - AS III - ANALISTA DE SIST -ADM DE BCO DE DADOS 
Tipo gabarito 1  

 

001 - C 
002 - E 
003 - B 
004 - A 
005 - D 
006 - B 
007 - D 
008 - C 
009 - B 
010 - C 

 

011 - A 
012 - B 
013 - E 
014 - D 
015 - E 
016 - D 
017 - A 
018 - E 
019 - A 
020 - C 

 

021 - C 
022 - E 
023 - D 
024 - B 
025 - D 
026 - E 
027 - A 
028 - A 
029 - C 
030 - B 

 

031 - D 
032 - C 
033 - B 
034 - E 
035 - A 
036 - A 
037 - B 
038 - D 
039 - E 
040 - C 

 

041 - C 
042 - B 
043 - C 
044 - A 
045 - D 
046 - E 
047 - E 
048 - B 
049 - D 
050 - A 

 

051 - A 
052 - C 
053 - B 
054 - D 
055 - E 
056 - E 
057 - D 
058 - C 
059 - A 
060 - B 

 

Prova

fcc-2011-infraero-analista-de-sistemas-administrador-de-banco-de-dados-prova.pdf-html.html

N do Caderno

o

N de Inscrição

o

ASSINATURA DO CANDIDATO

N do Documento

o

Nome do Candidato

Conhecimentos Básicos
Conhecimentos Específicos
Estudo de Caso

P R O V A

Maio/2011

EMPRESA BRASILEIRA DE INFRAESTRUTURA
AEROPORTUÁRIA - INFRAERO

Concurso Público para provimento de cargos de

Analista Superior III

Analista de Sistemas - Administrador de Banco de Dados

INSTRUÇÕES

VOCÊ DEVE

ATENÇÃO

- Verifique se este caderno:

- corresponde à sua opção de cargo.

- contém 60 questões, numeradas de 1 a 60.

- contém as questões e espaços para o rascunho do estudo de caso.

Caso contrário, reclame ao fiscal da sala um outro caderno.

Não serão aceitas reclamações posteriores.

- Para cada questão existe apenas UMA resposta certa.

- Você deve ler cuidadosamente cada uma das questões e escolher a resposta certa.

- Essa resposta deve ser marcada na FOLHA DE RESPOSTAS que você recebeu.

- Procurar, na FOLHA DE RESPOSTAS, o número da questão que você está respondendo.

- Verificar no caderno de prova qual a letra (A,B,C,D,E) da resposta que você escolheu.

- Marcar essa letra na FOLHA DE RESPOSTAS, conforme o exemplo:

- Ler o que se pede na Prova de Estudo de Caso e utilizar, caso julgue necessário, os espaços para rascunho.

- Marque as respostas primeiro a lápis e depois cubra com caneta esferográfica de tinta preta.

- Marque apenas uma letra para cada questão, mais de uma letra assinalada implicará anulação dessa questão.

- Responda a todas as questões.

- Não será permitida qualquer espécie de consulta, nem o uso de máquina calculadora.

- Você deverá escrever as respostas do Estudo de Caso, a tinta, no Caderno de Respostas. Os rascunhos não serão

considerados em nenhuma hipótese.

- Você terá o total de 5 horas para responder a todas as questões, preencher a Folha de Respostas e fazer a Prova de

Estudo de Caso (rascunho e Caderno de Respostas).

- Ao término da prova devolva este caderno de prova ao aplicador, juntamente com sua Folha de Respostas e o

Caderno de Respostas do Estudo de Caso.

- Proibida a divulgação ou impressão parcial ou total da presente prova. Direitos Reservados.

A

C D E

Caderno de Prova ’05’, Tipo 001

MODELO

0000000000000000

MODELO1

00001−0001−0001

fcc-2011-infraero-analista-de-sistemas-administrador-de-banco-de-dados-prova.pdf-html.html

 

INFRAERO-Conh.Básicos

1

 

 

CONHECIMENTOS BÁSICOS 

 

Português 

 

Atenção:    

As questões de números 1 a 3 referem-se ao texto 
abaixo. 

 

Primeiras estórias é, certamente, o melhor livro para 

começar a entender Guimarães Rosa. Com uma variedade de 

temas e situações onde se encontram exemplares de vários 

tipos de conto 

 do fantástico ao anedótico, passando pelo psi-

cológico, o autobiográfico e o satírico 

 Guimarães Rosa man-

tém seu estilo próprio com uma estrutura mais assimilável pelo 

leitor, em consequência do próprio gênero conto. O tratamento 

que é dado aos temas também é diversificado: ora patético, ora 

jocoso, ora sarcástico, lírico, erudito e popular. 

A maioria dos contos desenrola-se numa região não 

especificada, mas reconhecível como a das obras anteriores, 

embora seu cenário seja apenas esboçado. E isso porque, co-

mo há um estilo Guimarães Rosa, há também um mundo, um 

universo Guimarães Rosa perfeitamente identificável, no sentido 

de que sua obra criou um âmbito próprio, um espaço geográfico 

e temporal que não se demarca por latitudes e longitudes, nem 

pelo calendário. É o espaço que circunscreve seus míticos per-

sonagens, e tão amplo como aquele outro, o mundo real, de 

cujos habitantes esses personagens são outras tantas facetas.  

(Adaptado do texto de apresentação de Primeiras estórias
de Guimarães Rosa, retirado da quarta capa da 26

a

 edi-

ção 

 Ed. Nova Fronteira) 

 
 
1. 

De acordo com o texto, é correto afirmar: 

 

(A)  Ao qualificar de míticos  os personagens do livro, o 

autor sugere não terem eles qualquer vínculo com 
as pessoas que de fato existem. 

 
(B)  Primeiras estórias é considerado pelo autor do 

texto como o melhor dos livros publicados por Gui-
marães Rosa. 

 
(C)  A diversidade presente em Primeiras estórias não 

se restringe à temática, mas se estende à composi-
ção dos próprios contos. 

 
(D)  Ainda que não tragam uma precisa demarcação 

geográfica 

 latitudes e longitudes 

, todos os contos 

do livro se passam em torno da cidade onde nasceu 
Guimarães Rosa. 

 
(E)  A linguagem de Primeiras estórias é mais intrin-

cada do que aquela utilizada nos outros livros de 
Guimarães Rosa. 

2. 

A substituição do elemento grifado pelo pronome corres-
pondente, com os necessários ajustes, foi realizada de 
modo INCORRETO em: 

 

(A)  O tratamento que é dado aos temas 

=

 O tratamento 

que lhes é dado. 

 
(B)  que circunscreve seus míticos personagens 

=

 que os 

circunscreve. 

 
(C)  para começar a entender Guimarães Rosa 

=

  para 

começar a entendê-lo. 

 
(D)  sua obra criou um âmbito próprio 

=

 sua obra criou-o.  

 
(E)  Guimarães Rosa mantém seu estilo próprio 

=

  Gui-

marães Rosa lhe mantém. 

_________________________________________________________ 

 

3. 

O verbo empregado pelo autor do texto no singular e que 
poderia igualmente ter sido empregado no plural, mantidos 
o sentido e a correção da frase, está em: 

 

(A)  ... um espaço geográfico e temporal que não se 

demarca por latitudes e longitudes ... 

 
(B)  A maioria dos contos desenrola-se numa região não 

especificada ... 

 
(C)  ... sua obra criou um âmbito próprio, um espaço 

geográfico e temporal ... 

 
(D)  ... espaço que circunscreve seus míticos perso-

nagens ... 

 
(E)  ... há também um mundo, um universo Guimarães 

Rosa ... 

_________________________________________________________ 

 

4. 

Leia o texto abaixo e as afirmações 

I

II

 e 

III

 feitas em 

seguida. 

 

Panorama é o nome dado, grosso modo, a qualquer vista 
abrangente de um espaço físico, ou seja, é uma ampla 
vista geral de uma 
paisagem, território, cidade ou de parte 
destes elementos, normalmente vistos de um ponto 
elevado ou relativamente distante. 
A palavra foi originalmente cunhada na segunda metade 

do século 

XVIII

 pelo pintor irlandês Robert Barker para 

descrever suas pinturas "panorâmicas" de Edimburgo. O 
vocábulo é formado por dois termos do grego antigo – pan, 
que significa "total", e órama, que significa "vista". 

(Adaptado de http://pt.wikipedia.org/wiki/Panorama, aces-
sado em 09/03/2011) 

 

 

I

. A 

expressão 

grosso  modo equivale a de modo 

genérico. 

 
 

II

. O segmento originalmente  cunhada  poderia ser 

substituído, preservando-se o sentido e a correção, 
por gravada de modo original. 

 
 

III

. Em 

normalmente vistos de um ponto elevado ou re-

lativamente distante, a utilização do termo normal-
mente
 indica serem os pontos de observação men-
cionados os únicos que permitem caracterizar uma 
imagem como panorâmica. 

 

Tendo como base o texto acima, está correto o que consta 
em 

 

(A) 

I

, somente. 

(B) 

I

 e 

II

, somente. 

(C) 

II

 e 

III

, somente. 

(D) 

III

, somente. 

(E) 

I

II

 e 

III

Caderno de Prova ’05’, Tipo 001

fcc-2011-infraero-analista-de-sistemas-administrador-de-banco-de-dados-prova.pdf-html.html

 

INFRAERO-Conh.Básicos

1

 

5. 

Leia os quadrinhos da tirinha abaixo. 

 

NÍQUEL NÁUSEA

  FERNANDO GONSALES

 

(Folha de S.Paulo, ilustrada, 24.03.2011, p. E13) 

 

É correto afirmar que o humor da tira provém principalmente 

 

(A)  do fato de o cavalo concordar com a observação do 

homem de chapéu de que um cavalo assistindo à 
corrida de cavalo 
é mesmo um absurdo. 

 
(B)  do uso equivocado da palavra absurdo, pois o leitor 

sabe que não há nada de inusitado ou incomum no 
envolvimento com o trabalho de quem está de férias.  

 
(C)  da posição dos dois personagens, que conversam so-

bre a corrida de cavalos, mas estão voltados de costas 
para ela, o que só é revelado no último quadrinho. 

 
(D)  da quebra das expectativas do leitor ao dar-se conta, 

no último quadrinho, de que o absurdo  aludido no 
primeiro tem sentido diverso do imaginado. 

 
(E)  do jogo de palavras que se estabelece entre o 

absurdo referido no primeiro quadrinho e a última 
frase dita pelo cavalo, no último 

 Faz sentido! 

_________________________________________________________ 

 

6. 

Analise as frases abaixo do ponto de vista da redação. 

 
 

I

.  A Gestão por Competências, alternativa aos mode-

los gerenciais tradicionalmente utilizados pelas or-
ganizações, propõem-se a orientar esforços para 
planejar, captar, desenvolver e avaliar, nos dife-
rentes niveis da organização, as competências ne-
cessárias à consecussão de seus objetivos. 

 
 

II

.  A proposta da Gestão por Competências é com-

preender quais são as competências organizacionais 
críticas para o sucesso empresarial, desdobrá-las em 
termos de competências profissionais e desenvolvê-
las junto ao quadro de funcionários internos.  

 
 

III

.  Na Gestão por Competências, direcionam-se as 

ações prioritariamente para o gerenciamento da la-
cuna de competências eventualmente existente na 
organização ou equipe, procurando suprimi-la ou 
minimizá-la.  

 
 

IV

.  Minimizar eventuais lacunas de competências signi-

ficam orientar e estimular os profissionais a eliminar 
as discrepânsias entre o que eles são capazes de 
fazer e o que a organização espera que eles façam. 

 
(Adaptado de “Gestão por competências”,  
http://pt.wikipedia.org/wiki/Gest%C3%A3o_por_compet%C3% 

AAncias, acessado em 01/04/2011) 

 
Estão redigidas de acordo com a norma culta APENAS as 
frases 

 
(A) 

I

 e 

III

(B) 

II

 e 

III

(C) 

I

 e 

IV

(D) 

I

II

 e 

IV

(E) 

II

III

 e 

IV

Atenção:    As questões de números 7 e 8 referem-se ao texto 

abaixo. 

 

Electra 

II

 

 
(...) 
 
Electra 

II

 é 

para mim 

ponte-aérea 

Rio-S. Paulo 

é cartão 

de embarque 
na mão e vento 
nos cabelos 

é 

subir a escada 
e voar 
 
 

Electra 

II

 

para mim 
é a cidade 
do alto a ponte 
e a salgada 
baía 

e a Ilha 

Fiscal 
antes de pousar 
 
(...) 
 

Natural pois 

encontrá-lo 

no aeroporto 
Santos Dumont 

 
mas nunca 
na rua Paula Matos 
ainda que 

acima da minha 

cabeça (e 
das casas) 

espiando 

entre os ramos 
 
como se me buscasse 
pela cidade 
 
(...) 

 

 O mais famoso avião a operar, durante muitos anos, a ponte 

aérea Rio-São Paulo. 

Ferreira Gullar 

 
(Muitas vozes. 2.ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1999, 
p. 4-8) 

 
7. Os 

segmentos 

Natural pois mas nunca aludem, respecti-

vamente, 

 

(A)  ao que é próprio da natureza e ao que é artificial. 

 
(B)  à Ilha Fiscal e ao Electra 

II

 
(C)  ao acidental ou episódico e ao acontecimento pre-

visto, rotineiro. 

 
(D)  ao previsto ou esperado e à súbita e inesperada 

aparição. 

 
(E)  à ponte aérea Rio-S. Paulo e ao aeroporto Santos 

Dumont. 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 001

fcc-2011-infraero-analista-de-sistemas-administrador-de-banco-de-dados-prova.pdf-html.html

 

INFRAERO-Conh.Básicos

1

 

8. 

Considere os versos abaixo. 

 

Natural pois 

encontrá-lo 
no aeroporto 
Santos Dumont... 

 
mas nunca 
na rua Paula Matos 
ainda que 

acima da minha 

cabeça (e 
das casas) 

espiando 

entre os ramos 
 
como se me buscasse 
pela cidade 

 

Reorganizados num único período em prosa, apresenta 
pontuação inteiramente adequada: 

 

(A)  Natural, pois encontrá-lo no aeroporto Santos 

Dumont, mas, nunca na rua Paula Matos, ainda que 
acima da minha cabeça (e das casas): espiando, 
entre os ramos como se me buscasse pela cidade. 

 
(B)  Natural pois, encontrá-lo no aeroporto Santos 

Dumont, mas nunca na rua Paula Matos, ainda que 
acima da minha cabeça (e das casas) espiando, 
entre os ramos como se me buscasse pela cidade. 

 
(C)  Natural, pois, encontrá-lo no aeroporto Santos 

Dumont, mas nunca na rua Paula Matos, ainda que 
acima da minha cabeça (e das casas), espiando 
entre os ramos como se me buscasse pela cidade. 

 
(D)  Natural, pois, encontrá-lo no aeroporto Santos 

Dumont mas, nunca na rua Paula Matos ainda que, 
acima da minha cabeça (e das casas), espiando 
entre os ramos: como se me buscasse pela cidade. 

 
(E)  Natural pois, encontrá-lo no aeroporto Santos 

Dumont, mas nunca, na rua Paula Matos, ainda que 
acima da minha cabeça (e das casas), espiando 
entre os ramos como se me buscasse 

 pela cidade. 

_________________________________________________________ 

 

Atenção:    As questões de números 9 a 12 referem-se ao texto 

abaixo. 

 

Ingres é o mais contraditório dos pintores. Defendia va-

lores eternos, imutáveis e, num certo sentido, retrógrados. Mas, 

de maneira involuntária, perverteu os princípios clássicos que 

proclamava e foi essencial para artistas da modernidade, como 

Picasso ou Matisse. Quando houve, em 1911, uma exposição 

de Ingres em Paris, Degas prestou-lhe uma homenagem única: 

já velho e cego, foi, ainda assim, para pelo menos passar a mão 

sobre a superfície das telas do grande mestre. 

Ingres concedia tanta intensidade formal ao estampado 

de um vestido, a um leque ou a um vaso, quanto aos braços, às 

espáduas, aos rostos. Nessa ausência de hierarquia, nesse uni-

verso de eternidades estáticas e objetivadas, instala-se o des-

compasso, o bizarro, o desconforto para o olhar. Não há pintor 

tão enigmático quanto esse mestre, que se queria conservador, 

claro e clássico. 

(Adaptado de Jorge Coli. Ponto de FugaUm estranho mes-
tre. 
São Paulo, Perspectiva, 2004, p. 189) 

9. ... 

se queria conservador, claro e clássico. (2

o

 parágrafo) 

 

Com a afirmativa acima, o autor 

 

(A)  explica a razão por que nas obras de Ingres há 

excesso de intensidade formal, tendendo para o 
bizarro

 
(B)  reitera a observação feita anteriormente de que 

Ingres era adepto de valores eternos, imutáveis
que, no entanto, não se refletiam em suas obras. 

 
(C)  ironiza preceitos difundidos por escolas de Belas Ar-

tes do passado, que tolhiam a criatividade de artistas 
que cultivavam um relativo desconforto para o olhar

 
(D)  indica as principais qualidades formais da obra de 

Ingres, que, opondo-se aos modernistas, criava em 
suas obras um universo de eternidades estáticas

 
(E)  esclarece o fato de Ingres ter sido apenas tardia-

mente consagrado e reconhecido como grande mes-
tre
 por artistas como Picasso e Matisse. 

_________________________________________________________ 

 

10. ... 

os princípios clássicos que proclamava ... 

 

O verbo que se encontra flexionado nos mesmos tempo e 
modo que o da frase acima está em: 

 

(A)  Não há pintor tão enigmático ... 
 
(B)  ... foi essencial para artistas ... 
 
(C)  Defendia valores eternos ... 
 
(D)  ... pelo menos passar a mão sobre ... 
 
(E)  Quando houve, em 1911 ... 

_________________________________________________________ 

 

11.  Ingres concedia tanta intensidade formal ao estampado de 

um vestido ... 

 

O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o 
da frase acima se encontra em:  

 

(A)  Degas prestou-lhe uma homenagem única ... 
 
(B)  Ingres é o mais contraditório dos pintores. 
 
(C)  ... já velho e cego, foi, ainda assim ... 
 
(D)  ... perverteu os princípios clássicos ... 
 
(E)  Defendia valores eternos, imutáveis ... 

_________________________________________________________ 

 

12.  Diferentemente de outros pintores impressionistas de sua 

época, que, no entanto respeitava imensamente, Degas 
dedicou-se ...... estudar os efeitos que a luz artificial, em 
oposição ...... natural, impunha ...... cenas que retratava. 

 

Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, na 
ordem dada: 

 

(A) a - a  - às 
 
(B) a - à  - às 
 
(C) à -  a  - as 
 
(D) à 

 -  à  - as 

 
(E) a 

 - à - as 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 001

fcc-2011-infraero-analista-de-sistemas-administrador-de-banco-de-dados-prova.pdf-html.html

 

INFRAERO-Conh.Básicos

1

 

Atenção:   As questões de números 13 a 15 referem-se ao 

texto abaixo. 

 

O modo de ser da personagem Ricardo 

II

, da peça 

tragédia do rei Ricardo 

II

, de William Shakespeare, parece ela-

borado para ilustrar a oscilação entre a pessoa e a sua função 
política. Em Ricardo a divisão interior é consubstancial, isto é, 
algo inerente ao seu modo de ser, podendo representar com 
maior clareza a dicotomia entre o 
eu e o outro, pressuposta na 
estrutura do mando. Quando alguém assume papel político, in-
corpora esse outro, que é quem precisa dos critérios de legiti-
mação do mando. Mandar é tê-lo em si; quando ele se anula o 
sujeito fica reduzido à condição comum. Ao mesmo tempo arro-
gante e humilhado, Ricardo alterna a prepotência com a 
submissão e passa da confiança cega ao desalento, a ponto de 
abdicar antes que a abdicação lhe seja imposta. O processo se 
resolve na cena da abdicação, porque a dualidade da face e do 
seu reflexo é desfeita pela destruição do espelho. O homem 
absorveu o rei, como antes o rei absorvera o homem.
 

(Adaptado de Antonio Candido. “A culpa dos reis: mando e 
transgressão no Ricardo 

II

”.  Ética. São Paulo, Companhia 

das Letras, 1992, p. 98) 

 
 
13.  Depreende-se da análise de Antonio Candido da peça de 

Shakespeare que o eu e o outro  mencionados são, 
respectivamente, o 

 

(A)  rei que é deposto de seu trono e o rei que é alçado 

ao poder.  

 
(B)  sujeito que detém a autoridade e o mando, e o sujei-

to submisso que obedece àquele. 

 
(C)  monarca autoritário e prepotente, e aquele que é fra-

co e submisso aos súditos. 

 
(D)  homem equilibrado e seguro, e o sujeito deprimido e 

entregue às circunstâncias adversas.  

 
(E)  homem dotado de humanidade e o sujeito revestido 

da autoridade decorrente de sua posição. 

_________________________________________________________ 

 

14. ... 

 

como antes o rei absorvera o homem

 

Passando-se a frase acima para a voz passiva, a forma 
verbal resultante será: 

 

(A) seria 

absorvido. 

(B) é 

absorvido. 

(C) absorveu-se. 
(D) fora 

absorvido. 

(E)  havia de absorver. 

_________________________________________________________ 

 

15.  Considere as frases abaixo, construídas com palavras reti-

radas do texto (grafadas em negrito). A frase cuja redação 
está inteiramente de acordo com a norma culta é: 

 

(A)  Alguns acreditam que com o advento da chamada 

globalização o mundo foi reduzido entre uma pe-
quena aldeia. 

 
(B) É 

notável 

submissão de certos animais acerca do 

dono. 

 
(C)  Não se pode afirmar que não haja legitimação so-

bre regras morais na sociedade contemporânea. 

 
(D)  Parece razoável propor que em todas as áreas do 

conhecimento há certa dicotomia à teoria e prática. 

 
(E)  Alguns críticos acreditam que a sensibilidade é 

inerente nos grandes artistas.  

 

Legislação 

 

16.  De acordo com a Lei n

o

 8.666/1993, a declaração de nuli-

dade do contrato administrativo 

 

(A)  não desconstitui qualquer efeito jurídico já produ-

zido, tendo em vista que estes já são considerados 
atos jurídicos perfeitos. 

 
(B)  opera retroativamente, impedindo os efeitos jurídicos 

que ele, ordinariamente, deveria produzir, mas não 
desconstitui os já produzidos nos 180 dias ante-
riores. 

 
(C)  não opera retroativamente, uma vez que os efeitos 

jurídicos ordinários já foram produzidos. 

 
(D)  opera retroativamente, impedindo os efeitos jurídicos 

que ele, ordinariamente, deveria produzir, além de 
desconstituir os já produzidos. 

 
(E)  opera retroativamente, impedindo os efeitos jurídicos 

que ele, ordinariamente, deveria produzir até o limite 
de 24 meses, mas não desconstitui os já produzidos. 

_________________________________________________________ 

 

17.  De acordo com a Lei n

o

 8.666/1993, a licitação, na moda-

lidade Convite, 

 

(A)  terá no mínimo três participantes escolhidos e convi-

dados pela unidade administrativa dentre interessa-
dos, cadastrados ou não. 

 
(B)  ocorre entre interessados devidamente cadastrados 

ou que atenderem a todas as condições exigidas 
para cadastramento até o terceiro dia anterior à data 
do recebimento das propostas, observada a neces-
sária qualificação. 

 
(C)  poderá ter o convite estendido a participantes ca-

dastrados ou não que manifestarem seu interesse 
com antecedência de até doze horas da apresen-
tação das propostas. 

 
(D)  terá no mínimo cinco participantes escolhidos e con-

vidados pela unidade administrativa dentre interes-
sados, cadastrados ou não. 

 
(E)  ocorre entre quaisquer interessados que, na fase ini-

cial de habilitação preliminar, comprovem possuir os 
requisitos mínimos de qualificação exigidos no edital 
para execução de seu objeto. 

_________________________________________________________ 

 

18.  Mario, comandante de aeronave, recebeu de órgão con-

trolador de voo ordem para pousar. Posteriormente, ficou 
comprovado que a autoridade aeronáutica excedeu suas 
atribuições e, sem motivos relevantes, expediu esta or-
dem. Neste caso, a autoridade aeronáutica que expediu a 
ordem de pouso está sujeita à penalidade de 

 

(A)  advertência escrita e multa administrativa. 
 
(B)  suspensão por prazo que variará de 15 a 60 dias, 

conversíveis em multa. 

 
(C)  suspensão por prazo que variará de 60 a 120 dias, 

conversíveis em multa. 

 
(D) advertência 

escrita, 

somente. 

 
(E)  suspensão por prazo que variará de 30 a 90 dias, 

conversíveis em multa. 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 001

fcc-2011-infraero-analista-de-sistemas-administrador-de-banco-de-dados-prova.pdf-html.html

 

INFRAERO-Conh.Básicos

1

 

19.  Considere as seguintes assertivas a respeito da entrada e 

saída do Espaço Aéreo Brasileiro: 

 
 

I

.  Toda aeronave proveniente do exterior fará, res-

pectivamente, o primeiro pouso ou a última decola-
gem em aeroporto internacional. 

 
 

II

.  A lista de aeroportos internacionais será publicada 

pela autoridade aeronáutica, sendo que suas de-
nominações poderão ser modificadas mediante lei 
estadual, quando houver necessidade técnica des-
sa alteração. 

 
 

III

.  Os aeroportos situados na linha fronteiriça do terri-

tório brasileiro não poderão ser autorizados a aten-
der ao tráfego regional, entre os países limítrofes, 
com serviços de infraestrutura aeronáutica comuns. 

 
 

IV

.  As aeronaves brasileiras poderão ser autorizadas a 

utilizar aeroportos situados em países vizinhos, na 
linha fronteiriça ao Território Nacional, com serviços 
de infraestrutura aeronáutica comuns ou comparti-
lhados. 

 

De acordo com o Código Brasileiro de Aeronáutica, está 
correto o que consta APENAS em 

 

(A) 

I

 e 

IV

(B) 

I

II

 e 

III

(C) 

I

 e 

III

(D) 

I

II

 e 

IV

(E) 

II

 e 

IV

_________________________________________________________ 

 

20.  De acordo com o Código Brasileiro de Aeronáutica, os 

aeródromos 

 

(A)  públicos e privados serão abertos ao tráfego através 

de autorização administrativa do Ministro da Defesa. 

 
(B)  civis poderão ser utilizados por aeronaves militares, 

mas os aeródromos militares não poderão ser utili-
zados por aeronaves civis, por expressa vedação le-
gal. 

 
(C)  públicos poderão ser construídos, mantidos e explo-

rados por concessão ou autorização. 

 
(D)  privados só poderão ser utilizados com permissão 

de seu proprietário, permitida a exploração comer-
cial. 

 
(E)  públicos, enquanto mantida a sua destinação espe-

cífica pela União, constituem universidades e patri-
mônios autônomos, dependentes do titular do domí-
nio dos imóveis onde estão situados. 

_________________________________________________________ 

 

21.  O Plano Básico de Zona de Proteção de Aeródromos, o 

Plano Básico de Zoneamento de Ruído, o Plano de Zona 
de Proteção de Helipontos e os Planos de Zona de Pro-
teção e Auxílios à Navegação Aérea serão aprovados por 
ato do 

 

(A) Ministro 

da 

Justiça. 

(B)  Ministro da Defesa. 

(C)  Presidente da República. 

(D)  Ministro da Aeronáutica. 

(E)  Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão. 

22.  O contrato de arrendamento de aeronave deverá ser feito 

por instrumento  

 

(A)  público obrigatório, com a assinatura de uma teste-

munha, e inscrito no Registro Aeronáutico Brasileiro. 

 
(B)  público obrigatório, com a assinatura de três testemu-

nhas, e inscrito no Registro Aeronáutico Brasileiro. 

 
(C)  público ou particular, com a assinatura de duas tes-

temunhas, e registrado no Cartório de Títulos e Do-
cumentos competente. 

 
(D)  público obrigatório, com a assinatura de duas testemu-

nhas, facultado o seu Registro Aeronáutico Brasileiro. 

 
(E)  público ou particular, com a assinatura de duas teste-

munhas, e inscrito no Registro Aeronáutico Brasileiro. 

_________________________________________________________ 

 

23.  A natureza de autarquia especial conferida à Agência Na-

cional de Aviação Civil 

 ANAC é caracterizada, dentre 

outras, pelas seguintes particularidades: 

 

(A)  dirigentes sem mandato fixo e independência admi-

nistrativa. 

 
(B)  dependência financeira e dirigentes com mandato 

fixo. 

 
(C)  subordinação hierárquica e autonomia financeira. 
 
(D)  independência administrativa e ausência de subordi-

nação hierárquica. 

 
(E)  subordinação hierárquica e dependência financeira. 

_________________________________________________________ 

 

24.  NÃO constitui competência da Agência Nacional de Avia-

ção Civil 

 ANAC: 

 

(A)  negociar, realizar intercâmbio e articular-se com au-

toridades aeronáuticas estrangeiras, para validação 
recíproca de atividades relativas ao sistema de se-
gurança de voo, inclusive quando envolvam certifi-
cação de produtos aeronáuticos, de empresas pres-
tadoras de serviços e fabricantes de produtos aero-
náuticos, para a aviação civil.  

 
(B)  representar o País junto aos organismos internacio-

nais de aviação civil, inclusive nos assuntos relativos 
ao sistema de controle do espaço aéreo e ao siste-
ma de investigação e prevenção de acidentes aero-
náuticos.  

 
(C)  proceder à homologação e emitir certificados, atesta-

dos, aprovações e autorizações, relativos às ativida-
des de competência do sistema de segurança de 
voo da aviação civil, bem como licenças de tripulan-
tes e certificados de habilitação técnica e de capaci-
dade física e mental, observados os padrões e nor-
mas por ela estabelecidos.  

 
(D)  deliberar, na esfera administrativa, quanto à interpre-

tação da legislação, sobre serviços aéreos e de 
infraestrutura aeronáutica e aeroportuária, inclusive 
casos omissos, quando não houver orientação nor-
mativa da Advocacia-Geral da União. 

 
(E)  firmar convênios de cooperação técnica e adminis-

trativa com órgãos e entidades governamentais, na-
cionais ou estrangeiros, tendo em vista a descentra-
lização e fiscalização eficiente dos setores de avia-
ção civil e infraestrutura aeronáutica e aeroportuária.  

Caderno de Prova ’05’, Tipo 001

fcc-2011-infraero-analista-de-sistemas-administrador-de-banco-de-dados-prova.pdf-html.html

 

INFRAERO-Conh.Básicos

1

 

25.  João, servidor público civil do Poder Executivo Federal, 

retirou da repartição pública, sem estar legalmente auto-
rizado, documento pertencente ao patrimônio público. Já 
Maria, também servidora pública civil do Poder Executivo 
Federal, deixou de utilizar avanços técnicos e científicos 
do seu conhecimento para atendimento do seu mister.  
Sobre os fatos narrados, é correto afirmar que 

 

(A)  nenhuma das condutas narradas constitui vedação 

prevista no Código de Ética Profissional do Servidor 
Público Civil do Poder Executivo Federal. 

 
(B)  apenas João cometeu conduta vedada pelo Código 

de Ética Profissional do Servidor Público Civil do 
Poder Executivo Federal. 

 
(C)  apenas Maria cometeu conduta vedada pelo Código 

de Ética Profissional do Servidor Público Civil do 
Poder Executivo Federal. 

 
(D)  ambos praticaram condutas vedadas pelo Código de 

Ética Profissional do Servidor Público Civil do Poder 
Executivo Federal.  

 
(E)  João e Maria não estão sujeitos a Código de Ética; 

portanto, suas condutas, ainda que eventualmente 
irregulares, deverão ser apreciadas na seara própria. 

_________________________________________________________ 

 

26.  No que concerne aos serviços aéreos, 

 

(A)  as concessões ou autorizações para os serviços 

aéreos públicos serão regulamentadas pelo Poder 
Legislativo, através de sua competência exclusiva, e 
somente poderão ser cedidas ou transferidas me-
diante anuência da autoridade competente. 

 
(B)  os serviços aéreos privados são os realizados, com 

remuneração, em benefício do próprio operador, 
compreendendo, dentre outras, as atividades aéreas 
de recreio ou desportivas. 

 
(C)  os proprietários ou operadores de aeronaves desti-

nadas a serviços aéreos privados, sem fins comer-
ciais, necessitam de autorização para suas ativida-
des aéreas, fornecida após recebimento das infor-
mações prévias sobre voo planejado. 

 
(D)  a exploração de serviços aéreos públicos dependerá 

sempre da prévia concessão, quando se tratar de 
transporte aéreo não regular, ou de autorização no 
caso de transporte aéreo regular. 

 
(E)  o transporte aéreo de mala postal poderá ser feito, 

com igualdade de tratamento, por todas as empre-
sas de transporte aéreo regular, em suas linhas, 
atendendo às conveniências de horário, ou mediante 
fretamento especial. 

_________________________________________________________ 

 

27.  Nos termos do Código Brasileiro de Aeronáutica, o explo-

rador da aeronave responde pelos danos a terceiros na 
superfície, causados, diretamente, por aeronave em voo. 
Considere hipótese específica em que quem pilotava a 
aeronave, causadora dos danos a terceiros na superfície, 
era o preposto do explorador, inexistindo qualquer causa 
legal excludente de responsabilidade. 
Acerca do fato narrado, 

 

(A)  responderá pelos danos o explorador. 

 
(B)  trata-se de hipótese de responsabilidade subsidiária, 

isto é, o explorador somente responderá caso os da-
nos não possam ser ressarcidos pelo preposto. 

 
(C)  responderá pelos danos o preposto, não havendo 

qualquer responsabilidade por parte do explorador. 

 
(D)  o explorador e o preposto responderão em igualdade 

de condições, isto é, cada um arcará com metade 
dos prejuízos causados. 

 
(E)  trata-se de hipótese em que inexiste qualquer res-

ponsabilidade pelos danos causados. 

28.  O atraso injustificado na execução do contrato administra-

tivo sujeitará o contratado à multa de mora, na forma pre-
vista no instrumento convocatório ou no contrato. Referida 
multa 

 

(A)  pode ser descontada de pagamentos eventualmente 

devidos pela Administração Pública ao contratado. 

 
 
(B)  não corresponde à sanção administrativa prevista na 

Lei n

o

 8.666/1993. 

 
 
(C)  impede que a Administração Pública aplique outras 

sanções previstas na Lei n

o

 8.666/1993. 

 
 
(D)  não pode ser superior ao valor da garantia prestada 

pelo contratado. 

 
 
(E)  não pode, em qualquer caso, ser cobrada judicial-

mente. 

_________________________________________________________ 

 

29.  O pregão, previsto na Lei n

o

 10.520/2002, 

 

(A)  não poderá ser adotado para a aquisição de bens e 

serviços comuns. 

 
 
(B)  corresponde à modalidade de licitação em que a dis-

puta não poderá ser feita por meio de propostas e 
lances em sessão pública. 

 
 
(C)  poderá ser realizado por meio da utilização de re-

cursos de tecnologia de informação, nos termos de 
regulamentação específica. 

 
 
(D)  corresponde à modalidade de licitação destinada 

apenas à União Federal. 

 
 
(E)  trata de modalidade licitatória em que não são 

aplicáveis, subsidiariamente, as normas da Lei 
n

o

 8.666/1993, dada a especificidade da disciplina 

legal que lhe é aplicável. 

_________________________________________________________ 

 

30.  O Comandante de Aeronave 
 

(A)  não tem seu nome constante do Diário de Bordo. 
 
 
(B)  poderá, sob sua responsabilidade, adiar ou suspen-

der a partida da aeronave, quando julgar indispensá-
vel à segurança do voo. 

 
 
(C)  poderá delegar a outro membro da tripulação as 

atribuições que se relacionem com a segurança do 
voo. 

 
 
(D)  não é responsável pela guarda de bagagens despa-

chadas, ainda que lhe sejam asseguradas pelo 
proprietário ou explorador condições de verificar a 
quantidade e estado das mesmas. 

 
 
(E)  é responsável pela segurança da aeronave, porém 

não pela operação da mesma. 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 001

fcc-2011-infraero-analista-de-sistemas-administrador-de-banco-de-dados-prova.pdf-html.html

 

INFRAERO-Anal.Sup.

III

-Anal.Sist-Adm.Banco Dados-05

 

 

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

 

31.  No tocante à abrangência do escopo, na sequência do 

mais reduzido e específico para o mais abrangente e 
alinhado à estratégia da organização, encontram-se os 
processos de gerenciamento de 

 

(A)  projeto, de portfólio e de programa. 

 
(B)  programa, de portfólio e de projeto. 

 
(C)  portfólio, de projeto e de programa. 

 
(D)  projeto, de programa e de portfólio. 

 
(E)  programa, de projeto e de portfólio. 

_________________________________________________________ 

 

32.  Os escritórios de gerenciamento de projetos (PMO) po-

dem ser de 

 
 

I

.  esfera departamental para apoio a diversos pro-

jetos simultâneos. 

 
 

II

.  gestão dos projetos interdepartamentais.  

 
 

III

.  planejamento estratégico dos projetos e gestão do 

conhecimento empresarial. 

 
 

IV

.  projeto específico separado das operações da em-

presa. 

 

Um escritório de projeto corporativo atua em  

 

(A) 

III

, apenas. 

 
(B) 

I

 e 

II

, apenas. 

 
(C) 

II

 e 

III

, apenas. 

 
(D) 

I

II

 e 

III

, apenas. 

 
(E) 

I

II

III

 e 

IV

_________________________________________________________ 

 

33.  O Termo de Abertura do Projeto é a saída do processo 

“Desenvolver o termo de abertura do projeto”, que está 
vinculado no PMBOK à uma área de conhecimento 
denominada 

 

(A) Iniciação. 

 
(B) Integração. 

 
(C) Planejamento. 

 
(D) Aquisições. 

 
(E) Escopo. 

_________________________________________________________ 

 

34.  Segundo o PMBOK, o resultado “Atualizações do registro 

dos riscos” NÃO é uma saída do processo: 

 

(A)  monitorar e controlar os riscos. 

 
(B)  planejar as respostas aos riscos. 

 
(C)  realizar a análise quantitativa dos riscos. 

 
(D)  realizar a análise qualitativa dos riscos. 

 
(E)  identificar os riscos. 

_________________________________________________________ 

 

35.  Sobre nível de serviço ITIL, considere: 

 
 

I

.  Acordos de nível de serviço. 

 
 

II

.  Acordos de nível operacional. 

 
 

III

.  Contratos de suporte. 

 
 

IV

.  Processos de gestão de serviços. 

 

O gerenciamento de nível de serviço (SLM) é o processo 
responsável pelo cumprimento das metas acordadas de 
nível de serviço por meio de  

 

(A) 

I

II

III

 e 

IV

(B) 

I

II

 e 

IV

, apenas. 

(C) 

I

III

 e 

IV

, apenas. 

(D) 

I

 e 

III

, apenas. 

(E) 

I

 e 

IV

, apenas. 

36.  Na etapa Estratégia de Serviço do ITIL, para avaliar o custo 

de se possuir um item de configuração no ciclo de vida 
completo, não apenas o custo inicial ou o preço de compra, 
bem como para se obter ajuda na tomada de decisões de 
investimentos, usa-se uma metodologia denominada 

 

(A) TCO 

 Custo total de propriedade. 

(B) TCU 

 Custo total de utilização. 

(C) TCS 

 Custo total do serviço. 

(D) TCI 

 Custo total do investimento. 

(E) ROI 

 Retorno sobre o investimento. 

_________________________________________________________ 

 

37.  No estágio de Melhoria Contínua de Serviço (CSI) do ITIL, 

para uma efetiva implementação da melhoria, são defi-
nidos os processos fundamentais: 

 

(A)  Change Management, Knowledge Management e 

Service Validation and Testing. 

 
(B)  7-Step Improvement Process, Service Measurement 

e Service Reporting. 

 
(C)  7-Step Improvement Process, Service Measurement 

e Knowledge Management. 

 
(D)  7-Step Improvement Process, Knowledge 

Management e Service Validation and Testing. 

 
(E)  Service Measurement, Change Management e 

Knowledge Management. 

_________________________________________________________ 

 

38.  O  princípio  básico  do  modelo  CobiT  estabelece que os  
 

K

K

I

 são gerenciados pelos 

K

K

II

 para atingir os 

K

K

III

 que 

respondem aos 

K

K

IV

  

 

As lacunas 

I

II

III

 e 

IV

 são preenchidas correta e 

respectivamente por: 

 

(A)  requisitos de negócios, objetivos de TI, recursos de 

TI e processos de TI. 

 
(B)  requisitos de negócios, processos de TI, objetivos de 

TI e recursos de TI. 

 
(C)  processos de TI, objetivos de TI, recursos de TI e 

requisitos de negócios. 

 
(D)  recursos de TI, processos de TI, objetivos de TI e 

requisitos de negócios. 

 
(E)  recursos de TI, objetivos de TI, requisitos de ne-

gócios e processos de TI. 

_________________________________________________________ 

 

39.  A transparência dos custos, do valor e dos riscos é 

identificada como uma das mais importantes metas para a 
governança de TI. No CobiT, embora outras áreas con-
tribuam, a transparência é primariamente atingida pela 
área de foco na governança de TI denominada: 

 

(A) Alinhamento 

estratégico. 

(B) Entrega 

de 

valor. 

(C) Gestão 

de 

riscos. 

(D) Gestão 

de 

recursos. 

(E) Mensuração 

de 

desempenho. 

_________________________________________________________ 

 

40.  “As práticas existentes são formalizadas por meio de pro-

cedimentos padronizados, documentados e comunicados 
através de treinamento, porém, desvios não são detectados 
apesar do cumprimento dos processos ser mandatório.” 
Esta situação caracteriza, segundo o CobiT, que os pro-
cessos de TI se encontram no nível de maturidade 

 

(A) 1 

 Inicial/Ad hoc. 

(B) 2 

 Repetível, porém intuitivo. 

(C) 3 

 Processo definido. 

(D) 4 

 Gerenciado e mensurável. 

(E) 5 

 Otimizado. 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 001

fcc-2011-infraero-analista-de-sistemas-administrador-de-banco-de-dados-prova.pdf-html.html

 

INFRAERO-Anal.Sup.

III

-Anal.Sist-Adm.Banco Dados-05

 

41.  Considere: No contexto da folha de pagamento de uma 

empresa, um funcionário de nome João ocupa o cargo de 
código 05 

 Analista de Sistemas, é registrado na em-

presa sob a identidade 3.428, está alocado no Depar-
tamento de Tecnologia e sua idade é 35 anos.  

 

Em um modelo entidade-relacionamento normalizado, são 
entidade, relacionamento, atributo e chave, respectivamente: 

 

(A)  folha de pagamento, empresa, idade e cargo. 
(B)  funcionário, empresa, cargo e idade. 
(C)  funcionário, alocação, idade e identidade. 
(D)  código, funcionário, empresa e alocação. 
(E)  identidade, alocação, código e funcionário. 

_________________________________________________________ 

 

42.  Cada funcionário da folha de pagamento pode ter de-

pendentes (nenhum, um ou muitos). Quando existem, os 
dependentes são identificados numericamente a partir de 
1 até n, para cada funcionário. Isto significa que 

 

(A)  dependente é entidade associativa. 
(B)  dependente é entidade fraca. 
(C)  funcionário é entidade fraca. 
(D)  funcionário é entidade associativa. 
(E)  funcionário e dependente são entidades fracas. 

_________________________________________________________ 

 

43.  No âmbito da álgebra relacional, os símbolos 

π

 (Pi) e 

σ

 

(Sigma) são utilizados, respectivamente, em operações de  

 

(A)  reunião ou seleção; e intersecção ou projeção. 

 
(B)  projeção ou particionamento horizontal; e seleção ou 

particionamento vertical. 

 
(C)  projeção ou particionamento vertical; e seleção ou 

particionamento horizontal. 

 
(D)  seleção ou particionamento horizontal; e projeção ou 

particionamento vertical. 

 
(E)  seleção ou particionamento vertical; e projeção ou 

particionamento horizontal. 

_________________________________________________________ 

 

44.  Com referência ao diagrama Entidade-Relacionamento 

 

(E-R) do Modelo Global de Dados (MGD) é correto afirmar: 

 

(A)  Não são guardados dados e sim o significado dos 

dados utilizados em outros sistemas. 

 
(B)  São mapeadas somente as informações detalhadas 

do sistema, ou seja, entidades criadas para dar 
suporte à aplicação. 

 
(C)  Diferentemente do E-R convencional, não existe a 

classificação de entidades de domínio e entidades 
de negócio. 

 
(D)  Diferentemente do E-R convencional, não existe a 

classificação de entidades externas e entidades de 
integração. 

 
(E)  As entidades de domínio representam um conteúdo 

mais instável e dinâmico, geralmente composto de 
informações para o dia-a-dia do negócio. 

_________________________________________________________ 

 

45.  Considere: uma entidade A que se relaciona com uma 

entidade B em 1:n, a entidade B que se relaciona com 
uma entidade C em n:m e a entidade C que se relaciona 
com ela mesma em 1:n. 

 

O mapeamento desta situação para o modelo lógico 
relacional normalizado indica a existência de 

 

(A) uma 

tabela. 

(B) duas 

tabelas. 

(C) três 

tabelas. 

(D) quatro 

tabelas. 

(E) cinco 

tabelas. 

46.  São expressões corretas no MS SQL Server, os exemplos: 

 

(A)  DROP COLUMN table_name column_name e 

SELECT FROM table_name 
AVG(column_name) 

 
(B)  DROP INDEX index_name ON table_name e 

SELECT FROM table_name 
AVG(column_name) 

 
(C)  DROP COLUMN table_name column_name e 

SELECT AS alias_name column_name(s) 
FROM table_name 

 
(D)  DROP INDEX index_name ON table_name e 

ALTER COLUMN TABLE table_name 
column_name datatype 

 
(E)  DROP INDEX table_name.index_name e 
 SELECT 

column_name(s) 

FROM table_name WHERE column_name 
IN (value1,value2,...) 

_________________________________________________________ 

 

47.  Nas linguagens DML, DDL, DCL e DTL são usadas, 

respectivamente, as instruções 

 

(A)  Select, Drop, Start Transaction e Create Synonym. 

 
(B)  Delete, Create, Commit e Revoke. 

 
(C)  Create Synonym, Rollback, Select e Commit. 

 
(D)  Select, Delete, Grant e Commit. 

 
(E)  Update, Drop, Revoke e Rollback. 

_________________________________________________________ 

 

48.  ALTER PASSWORD e INSERT são, respectivamente, 

pertinentes à 

 

(A)  DCL e DDL. 

 
(B)  DCL e DML. 

 
(C)  DTL e DCL. 

 
(D)  DTL e DML. 

 
(E)  DDL e DTL. 

_________________________________________________________ 

 

49.  Funcionalidade cujo objetivo é encontrar conjuntos de 

dados que não obedecem ao comportamento ou modelo 
dos dados. Uma vez encontrados, podem ser tratados ou 
descartados para utilização em mining. Trata-se de 

 

(A) descrição. 

 
(B) agrupamento. 

 
(C) visualização. 

 
(D) análise 

de 

outliers. 

 
(E) análise 

de 

associações. 

_________________________________________________________ 

 

50.  No âmbito da descoberta do conhecimento (KDD), a visão 

geral das etapas que constituem o processo KDD 
(Fayyad) e que são executadas de forma interativa e 
iterativa apresenta a seguinte sequência de etapas: 

 

(A)  seleção, pré-processamento, transformação, data 

mining e interpretação/avaliação. 

 
(B)  seleção, transformação, pré-processamento, inter-

pretação/avaliação e data mining

 
(C) data 

warehousingstar modeling, ETL, OLAP e data 

mining

 
(D) ETL, 

data warehousing, pré-processamento, trans-

formação e star modeling. 

 
(E) OLAP, 

ETL, 

star modeling,  data mining e inter-

pretação/avaliação. 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 001

fcc-2011-infraero-analista-de-sistemas-administrador-de-banco-de-dados-prova.pdf-html.html

 

10 

INFRAERO-Anal.Sup.

III

-Anal.Sist-Adm.Banco Dados-05

 

51.  No PostgreSQL, quando da atribuição de privilégios, para 

criar uma tabela com restrição de chave estrangeira, é 
necessário possuir, também na tabela com a chave 
referenciada, o privilégio 

 

(A) REFERENCES. 

 
(B) RULE. 

 
(C) TRIGGER. 

 
(D) GRANT 

OPTION. 

 
(E) PUBLIC. 

_________________________________________________________ 

 

52.  No Oracle/PLSQL, a sintaxe correta para a revogação de 

privilégios em tabelas é: 

 

(A)  apply no privileges on object from user. 

 
(B)  delete privileges on object from user. 

 
(C)  revoke privileges on object from user. 

 
(D)  revoke on object from user privileges. 

 
(E)  on object from user delete privileges. 

_________________________________________________________ 

 

53.  Clusters são grupos de tabelas que ficam 

K

K

I

 porque 

elas 

K

K

I

I

 que são frequentemente utilizadas em conjunto. 

Isso 

K

K

III

 

Completam correta e respectivamente as lacunas 

I

II

 e 

III

 

(A)  fisicamente armazenadas juntas; possuem a mesma 

quantidade de tuplas; diminui a necessidade de 
espaço em disco. 

 
(B)  fisicamente armazenadas juntas; compartilham co-

lunas comuns; melhora o tempo de acesso a disco. 

 
(C)  logicamente armazenadas juntas; possuem a mes-

ma quantidade de tuplas; diminui a necessidade de 
espaço em disco. 

 
(D)  logicamente armazenadas juntas; compartilham co-

lunas comuns; melhora o tempo de acesso a disco. 

 
(E)  logicamente armazenadas juntas; compartilham co-

lunas comuns; diminui a necessidade de espaço em 
disco. 

_________________________________________________________ 

 

54. Em 

um 

cluster, as 

 

(A)  colunas das tabelas relacionadas são chamadas key 

hashing. 

 
(B)  linhas das tabelas relacionadas são chamadas key 

index. 

 
(C)  colunas das tabelas relacionadas são chamadas 

column key. 

 
(D)  colunas das tabelas relacionadas são chamadas 

cluster key. 

 
(E)  tuplas das tabelas relacionadas são chamadas 

cluster array. 

_________________________________________________________ 

 

55.  A seção do bloco PL/SQL executável e dentro da qual 

ficam instruções procedimentais e SQL é a 

 

(A) EXCEPTION. 

 
(B) SELECTION. 

 
(C) EXECUTE. 

 
(D) DECLARE. 

 
(E) BEGIN. 

56.  Na passagem de parâmetros para Procedures e Funções 

em PL/SQL, o tipo de parâmetro que tem por objetivo 
enviar valores para as stored procedures é: 

 

(A) IN-OFF. 
(B) OUT. 
(C) OFF. 
(D) ON. 
(E) IN. 

_________________________________________________________ 

 

57.  A especificação do IPSec exige o compartilhamento de 

chaves secretas que são utilizadas para autenticação, 
integridade e criptografia dos dados, a qual define um 
conjunto separado de mecanismos para o gerenciamento 
destas chaves. Nesse contexto, o protocolo padrão para o 
gerenciamento de chaves pelo IPSec é o 

 

(A) MD5. 
(B) RSA. 
(C) DES. 
(D) IKE. 
(E) HASH. 

_________________________________________________________ 

 

58.  No contexto da criptografia, preserva todos os caracteres 

de uma mensagem, apenas mudando-os de lugar. É 
baseada no princípio matemático da permutação. Entre os 
diversos tipos dela está a geométrica. Trata-se de uma 
cifra de 

 

(A) esteganografia. 
(B) substituição. 
(C) transposição. 
(D) Bacon. 
(E) Bazeries. 

_________________________________________________________ 

 

59.  No âmbito do Sistema de Gestão de Segurança da Infor-

mação 

 SGSI, o procedimento: Monitorar e analisar criti-

camente o SGSI, recomenda: 

 
 

I

.  Realizar análises críticas regulares da eficácia do 

SGSI independente dos resultados de auditorias de 
segurança da informação.  

 
 

II

.  Medir a eficácia dos controles para verificar que os re-

quisitos de segurança da informação foram atendidos. 

 
 

III

.  Conduzir auditorias internas do SGSI a intervalos 

planejados. 

 

Está INCORRETO o que consta APENAS em 

 

(A) 

I

(B) 

II

(C) 

III

(D) 

I

 e 

II

(E) 

II

 e 

III

_________________________________________________________ 

 

60.  Com respeito às recomendações da norma NBR 

27002:2005, considere: 

 
 

I

.  São fatores críticos de sucesso da segurança da 

informação a provisão de conscientização, treina-
mento e educação adequados. 

 
 

II

.  A segurança da informação é exclusivamente apli-

cável aos negócios do setor público e serve para 
proteger as infraestruturas críticas. 

 
 

III

.  Se os funcionários, fornecedores e terceiros não 

forem conscientizados das suas responsabilidades, 
eles podem causar consideráveis danos para a 
organização. 

 

Está INCORRETO o que consta em 

 

(A) 

I

, apenas. 

(B) 

II

, apenas. 

(C) 

III

, apenas. 

(D) 

II

 e 

III

, apenas. 

(E) 

I

II

 e 

III

Caderno de Prova ’05’, Tipo 001

fcc-2011-infraero-analista-de-sistemas-administrador-de-banco-de-dados-prova.pdf-html.html

 

INFRAERO-Anal.Sup.

III

-Anal.Sist-Adm.Banco Dados-05

 

11 

 

ESTUDO DE CASO 

 
Instruções:  Em conformidade com o Capítulo 

VIII

DA PROVA DE ESTUDO DE CASO PARA TODOS OS CARGOS, constante 

do Edital de Abertura de Inscrições n

o

 01/2011.01, será atribuída nota ZERO à Prova de Estudo de Caso que apre-

sentar qualquer fragmento de texto escrito fora do local apropriado, devendo-se, portanto, observar os limites máximos 
para cada questão, conforme espaços já planejados para eventual rascunho neste Caderno de Questões. 

 

 
Uma organização governamental está reestruturando a área de Tecnologia da Informação e todos os seus processos passam por 
revisões e são reformulados com base nas melhores práticas do mercado, definidas nos frameworks de Governança de TI. 

 
Considerando os dados responda ao que se pede nas Questões 1 e 2. 

 
QUESTÃO 1 

 
As atividades e as ferramentas de trabalho de um administrador de dados (AD) devem ser descritas em um procedimento formal da 
organização. Pede-se descrever os conteúdos abaixo, que farão parte do procedimento estabelecido na organização para a função de 
AD: 

 

  Identificação das atribuições do administrador de dados. 

 

  Identificação e definição da principal ferramenta de trabalho do administrador de dados e dos principais componentes que nela 

definem um item de dados.  

 
Utilize, no máximo, 30 linhas para sua resposta. 

 

1  

2  

3  

4  

5  

6  

7  

8  

9  

10  

11  

12  

13  

14  

15  

16  

17  

18  

19  

20  

21  

22  

23  

24  

25  

26  

27  

28  

29  

30  

 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 001

fcc-2011-infraero-analista-de-sistemas-administrador-de-banco-de-dados-prova.pdf-html.html

 

12 

INFRAERO-Anal.Sup.

III

-Anal.Sist-Adm.Banco Dados-05

 

 
 
 
QUESTÃO 2 
 
 
As tarefas de um administrador de banco de dados ORACLE devem ser descritas em um procedimento formal da organização.  
Pede-se identificar e descrever, em ordem de prioridade, as tarefas para criação, execução e manutenção de um banco de dados 
ORACLE, que farão parte do procedimento estabelecido na organização. 
 
 
 
Utilize, no máximo, 30 linhas para sua resposta. 
 
 
 

1  

2  

3  

4  

5  

6  

7  

8  

9  

10  

11  

12  

13  

14  

15  

16  

17  

18  

19  

20  

21  

22  

23  

24  

25  

26  

27  

28  

29  

30  

 

 
 
 

 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 001