Prova Concurso - Administração - 2012-MPE-AP-ANALISTA-MINISTERIAL-ADMINISTRACAO - FCC - MPE - 2012

Prova - Administração - 2012-MPE-AP-ANALISTA-MINISTERIAL-ADMINISTRACAO - FCC - MPE - 2012

Detalhes

Profissão: Administração
Cargo: 2012-MPE-AP-ANALISTA-MINISTERIAL-ADMINISTRACAO
Órgão: MPE
Banca: FCC
Ano: 2012
Nível: Superior

Downloads dos Arquivos

prova.pdf
gabarito.pdf

Provas relacionadas

AGENTE-ADMINISTRATIVO-PREVIDENCIARIOCONCURSOS2018
ASSISTENTE-DE-ADMINISTRACAOFUNPAPA2018
AUXILIAR-DE-ADMINISTRACAOFUNPAPA2018

Gabarito

fcc-2012-mpe-ap-analista-ministerial-administracao-gabarito.pdf-html.html

Ministério Público do Estado do Amapá 

Analista e Técnico Ministerial 

 

Gabaritos Preliminares – Prova em 05/08/12 

 

C. Gerais / C. Específicos 
Cargo ou opção A01 - ANALISTA MINISTERIAL - ÁREA ADMINISTRAÇÃO 
Tipo gabarito 1  

 

001 - D 
002 - A 
003 - A 
004 - B 
005 - B 
006 - C 
007 - B 
008 - C 
009 - E 
010 - A 

 

011 - D 
012 - B 
013 - E 
014 - D 
015 - C 
016 - D 
017 - C 
018 - E 
019 - B 
020 - A 

 

021 - C 
022 - D 
023 - D 
024 - E 
025 - C 
026 - B 
027 - C 
028 - B 
029 - C 
030 - A 

 

031 - D 
032 - B 
033 - E 
034 - A 
035 - A 
036 - B 
037 - A 
038 - E 
039 - D 
040 - E 

 

041 - A 
042 - B 
043 - A 
044 - E 
045 - D 
046 - C 
047 - A 
048 - C 
049 - D 
050 - C 

 

051 - B 
052 - E 
053 - C 
054 - A 
055 - D 
056 - B 
057 - B 
058 - E 
059 - D 
060 - E 

 

Prova

fcc-2012-mpe-ap-analista-ministerial-administracao-prova.pdf-html.html

N do Caderno

o

N de Inscrição

o

ASSINATURA DO CANDIDATO

N do Documento

o

Nome do Candidato

INSTRUÇÕES

VOCÊ DEVE

ATENÇÃO

- Verifique se este caderno:

- corresponde a sua opção de cargo.

- contém 60 questões, numeradas de 1 a 60.

Caso contrário, reclame ao fiscal da sala um outro caderno.

Não serão aceitas reclamações posteriores.

- Para cada questão existe apenas UMA resposta certa.

- Você deve ler cuidadosamente cada uma das questões e escolher a resposta certa.

- Essa resposta deve ser marcada na FOLHA DE RESPOSTAS que você recebeu.

- Procurar, na FOLHA DE RESPOSTAS, o número da questão que você está respondendo.

- Verificar no caderno de prova qual a letra (A,B,C,D,E) da resposta que você escolheu.

- Marcar essa letra na FOLHA DE RESPOSTAS, conforme o exemplo:

- Marque as respostas primeiro a lápis e depois cubra com caneta esferográfica de material transparente de tinta

preta.

- Marque apenas uma letra para cada questão, mais de uma letra assinalada implicará anulação dessa questão.

- Responda a todas as questões.

- Não será permitida qualquer espécie de consulta, nem o uso de máquina calculadora.

- Você terá 3 horas para responder a todas as questões e preencher a Folha de Respostas.

- Ao término da prova, chame o fiscal da sala para devolver o Caderno de Questões e a sua Folha de Respostas.

- Proibida a divulgação ou impressão parcial ou total da presente prova. Direitos Reservados.

A

C D E

Analista Ministerial

Área Administração

Concurso Público para provimento de vagas de

Conhecimentos Gerais
Conhecimentos Específicos

P R O VA O B J E T I VA

Agosto/2012

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO AMAPÁ

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

MODELO

0000000000000000

MODELO1

00001−0001−0001

fcc-2012-mpe-ap-analista-ministerial-administracao-prova.pdf-html.html

 

MPEAP-Conh.Gerais

1

 

 

CONHECIMENTOS GERAIS 

 

Língua Portuguesa 

 

Atenção: 

As questões de números 1 a 7 referem-se ao texto 

 abaixo. 
 
 

Quando, em 1890, Vincent van Gogh (1853-1890) se 

dispôs a pintar uma noite estrelada e se pôs diante da tela em 

branco, nada ali indicava por onde começar. Mas acordara, 

naquele dia, decidido a inventar uma noite delirantemente 

estrelada, como imaginava frequentemente e não se atrevia a 

fazê-lo não se sabe se por temer errar a mão e pôr a perder o 

sonho ou se porque preferia guardá-lo como uma possibilidade 

encantadora, uma esperança que o mantinha vivo. 

Aliás, já tentara antes expressar na tela seu fascínio pelo 

céu constelado. Um ano antes, pintara duas telas em que fixava 

a beleza do céu noturno 

 uma dessas telas mostra a entrada 

de um café com mesas na calçada e, ao fundo, no alto, o céu 

negro ponteado de estrelas; a outra tela é uma paisagem 

campestre sob as estrelas. Mas eram como ensaios, tentativas 

de aproximação do tema que continuava a exigir dele a 

expressão plena, ou melhor, extrema, como era próprio de sua 

personalidade passional. 

Vincent van Gogh era uma personalidade difícil de 

explicar, mas um pintor genial ele foi, sem dúvida. E uma de 

suas obras-primas é, certamente, aquela "Noite Estrelada" de 

1889. 

Imagino o momento em que se dispôs a pintá-la: tem 

diante de si a tela em branco e pode ser que esteja ao ar livre 

em plena noite. Mas a noite real é pouca. A noite que deseja 

pintar é outra, mais bela e mais feérica que a real. Por isso, a 

tela em branco é um abismo. Um abismo de possibilidades 

infinitas, já que a noite que gostaria de pintar não existe, mas 

deveria existir, pois o seu sonho a deseja. 

Como começar a pintá-la, se ela não existe? Diante da 

tela em branco, tudo é possível e, por isso mesmo, nada é 

possível, a menos que se atreva a começá-la. E assim, num 

impulso, lança a primeira pincelada que, embora imprevista, 

reduz a probabilidade infinita do vazio e dá começo à obra. 

E assim foi que a sucessão de pinceladas, de linhas e 

cores, aos poucos definiu uma paisagem noturna que era mais 

céu que terra: um pinheiro que liga o chão ao céu e, lá adiante, 

a pequena vila sobre a qual uma avassaladora tormenta 

cósmica se estende, como se assistíssemos ao nascer do 

Universo. 

(Adaptado de Ferreira Gullar. Folha de S. Paulo, 17/06/12) 

 

1. 

É INCORRETO afirmar que o autor  

 

(A)  aborda o tema da dificuldade do artista em iniciar 

uma obra. 

 
(B)  expõe a admiração que sente pela produção artística 

de van Gogh. 

 
(C)  destaca a relevância da tela "Noite Estrelada" na 

trajetória artística de van Gogh. 

 
(D)  assinala que o artista prescinde de técnica para dar 

vazão à criatividade. 

 
(E)  narra, em certos momentos, o processo de criação 

do pintor como se o tivesse presenciado de fato. 

2. ... 

mais bela e mais feérica que a real. (4

o

 parágrafo) 

 

 

Mantendo-se a correção e a lógica, o termo grifado acima 
pode ser substituído por: 

 
(A) ofuscante. 
(B) manifesta. 
(C) humilde. 
(D) controversa. 
(E) transparente. 

_________________________________________________________ 

 

3. 

Fazendo-se as alterações necessárias, o termo grifado foi 
corretamente substituído por um pronome em:  

 
(A)  decidido a inventar uma noite 

=

 decidido a inventá-la  

 
(B)  expressar  [...]  seu fascínio pelo céu constelado 

=

 

expressar-lhe 

 
(C)  tem diante de si a tela em branco 

=

 tem-a diante de si 

 
(D)  Imagino o momento 

=

 Imagino-lhe 

 
(E)  definiu uma paisagem noturna 

=

 definiu-na 

_________________________________________________________ 

 

4. 

... ou se porque preferia guardá-lo... 

 
 

O verbo flexionado nos mesmos tempo e modo que o 
grifado acima está também grifado em: 

 
(A)  ... se dispôs a pintar uma noite estrelada... 
(B)  ... em que fixava a beleza do céu noturno... 
(C)  ...se assistíssemos ao nascer do Universo. 
(D)  ... acordara, naquele dia... 
(E)  ... mas deveria existir... 

_________________________________________________________ 

 

5. 

E assim, num impulso, lança a primeira pincelada... 

 

 

Transpondo-se a frase acima para a voz passiva, a forma 
verbal resultante será: 

 
(A) foi 

lançada. 

(B) é 

lançada. 

(C) fora 

lançada. 

(D) lançaram-se. 
(E) era 

lançada. 

_________________________________________________________ 

 

6. 

E assim, num impulso, lança a primeira pincelada que, 
embora imprevista.... 

 

 

Mantendo-se a correção e a lógica, sem que nenhuma 
outra alteração seja feita na frase, o elemento grifado 
acima pode ser substituído por: 

 
(A) contudo. 
(B) entretanto. 
(C) apesar 

de. 

(D) porém. 
(E) enquanto 

que. 

_________________________________________________________ 

 

7. 

Substituindo-se o segmento grifado pelo que está entre 
parênteses, o verbo que deverá flexionar-se em uma 
forma do plural está em: 

 
(A) ... 

o momento em que se dispôs a pintá-la... (os 

momentos) 

 
(B) ... 

sobre a qual uma avassaladora tormenta cósmica 

se estende... (avassaladoras tormentas cósmicas) 

 
(C) ... 

uma dessas telas mostra a entrada de um café 

com mesas na calçada... (cafés com mesas na 
calçada) 

 
(D) ... 

a sucessão de pinceladas, de linhas e cores, aos 

poucos definiu uma paisagem noturna... (as paisa-
gens noturnas) 

 
(E) ... 

tem  diante de si a tela em branco... (telas em 

branco) 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2012-mpe-ap-analista-ministerial-administracao-prova.pdf-html.html

 

MPEAP-Conh.Gerais

1

 

Atenção: 

As questões de números 8 a 15 referem-se ao texto 

 abaixo. 
 
 

A ocupação econômica das terras americanas constitui 

um episódio da expansão comercial da Europa. Não se trata de 

deslocamentos de população provocados por pressão demo-

gráfica ou de grandes movimentos de povos determinados pela 

ruptura de um sistema cujo equilíbrio se mantivesse pela força. 

O comércio interno europeu, em intenso crescimento a partir do 

século 

XI

, havia alcançado um elevado grau de desenvol-

vimento no século 

XV

, quando as invasões turcas começaram a 

criar dificuldades crescentes às linhas orientais de abasteci-

mento de produtos de alta qualidade, inclusive manufaturas. O 

restabelecimento dessas linhas, contornando o obstáculo oto-

mano, constitui sem dúvida alguma a maior realização dos 

europeus na segunda metade desse século. 

A descoberta das terras americanas é, basicamente, um 

episódio dessa obra ingente. De início pareceu ser episódio 

secundário. E na verdade o foi para os portugueses durante 

todo um meio século. Aos espanhóis revertem em sua tota-

lidade os primeiros frutos, que são também os mais fáceis de 

colher. O ouro acumulado pelas velhas civilizações da meseta 

mexicana e do altiplano andino é a razão de ser da América, 

como objetivo dos europeus, em sua primeira etapa de exis-

tência histórica. A legenda de riquezas inapreciáveis por des-

cobrir corre a Europa e suscita um enorme interesse por novas 

terras. Esse interesse contrapõe Espanha e Portugal, “donos” 

dessas terras, às demais nações europeias. A partir desse 

momento a ocupação da América deixa de ser um problema 

exclusivamente comercial: intervêm nele importantes fatores 

políticos. A Espanha 

 a quem coubera um tesouro como até 

então não se conhecera no mundo 

 tratará de transformar os 

seus domínios numa imensa cidadela. Outros países tentarão 

estabelecer-se em posições fortes. 

O início da ocupação econômica do território brasileiro é 

em boa medida uma consequência da pressão política exercida 

sobre Portugal e Espanha pelas demais nações europeias. 

(Fragmento adaptado de Celso Furtado. Formação Econômica 
do Brasil
. 34. ed. S.Paulo: Cia. das Letras, 2007. p. 25) 

 
 
8. 

O fato de a descoberta da América ter parecido, num 
primeiro momento, um episódio secundário explica-se, se-
gundo o autor, 

 

(A)  por conta das disputas entre Portugal e Espanha, de 

um lado, e os demais países europeus, de outro, 
pela descoberta de novas terras no oriente. 

 
(B)  em função dos embates políticos entre os países 

europeus, mais preocupados em estabelecer posi-
ções de força na própria Europa do que com as no-
vas terras. 

 
(C)  por estar inserida no contexto maior da expansão do 

comércio europeu e, particularmente, das relações 
comerciais da Europa com o oriente.  

 
(D)  porque inicialmente coube apenas aos espanhóis o 

estabelecimento de relações comerciais intensas 
com os povos americanos, ricos em ouro. 

 
(E)  pela maior preocupação que tinham os europeus 

com as invasões turcas, que ameaçavam a própria 
independência de países como Portugal e Espanha. 

9. 

O segmento do texto corretamente expresso em outras 
palavras está em: 
 
 
(A)  provocados por pressão demográfica 

=

 demanda-

dos por movimentos civis e democráticos 

 
 
(B)  numa imensa cidadela 

=

 num município gigantesco 

 
 
(C)  legenda de riquezas inapreciáveis 

=

 descrição de 

tesouros inacessíveis 

 
 
(D)  a razão de ser da América 

=

 o maior motivo 

americano 

 
 
(E)  um episódio dessa obra ingente 

=

 um evento desse 

trabalho  grandioso 

_________________________________________________________ 

 

10.  Atente para as afirmações abaixo sobre a construção do 

texto. 

 
 

I

.  Não se trata de deslocamentos de população pro-

vocados por pressão demográfica ou de grandes 
movimentos de povos determinados pela ruptura de 
um sistema cujo equilíbrio se mantivesse pela for-
ça.   
(1

o

 parágrafo) 

 
 

  Com essa frase, o autor procura reforçar o argu-

mento inicial sobre o caráter comercial da ocupação 
das terras americanas e, ao mesmo tempo, diferen-
ciá-la de ocupações determinadas por outras razões. 

 
 

 

II

.  A descoberta das terras americanas é, basicamen-

te, um episódio dessa obra ingente.   (2

o

 parágrafo) 

 
 

  Essa frase introduz um novo tópico, a ser desen-

volvido ao longo do parágrafo, com a qual o autor 
procura relativizar algumas das afirmações feitas no 
primeiro. 

 
 

 

III

.  O início da ocupação econômica do território bra-

sileiro é em boa medida uma consequência da 
pressão política exercida sobre Portugal e Espanha 
pelas demais nações europeias.   
(3

o

 parágrafo) 

 
 

  A frase final contrapõe-se à afirmação inicial do 

texto, de modo a separar claramente os fatores que 
levaram à ocupação das terras brasileiras da-
queles que resultaram na ocupação da América 
espanhola. 

 
 

Está correto o que se afirma em 

 

(A) 

I

, apenas. 

 
 
(B) 

III

, apenas. 

 
 
(C) 

II

 e 

III

, apenas. 

 
 
(D) 

I

II

 e 

III

 
 
(E) 

I

 e 

II

, apenas. 

 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2012-mpe-ap-analista-ministerial-administracao-prova.pdf-html.html

 

MPEAP-Conh.Gerais

1

 

11.  Aos espanhóis revertem em sua totalidade os primeiros 

frutos... 

 
 

O verbo grifado acima tem o mesmo tipo de complemento 
que o verbo empregado em: 

 

(A)  A descoberta das terras americanas é, basicamente, 

um episódio dessa obra ingente. 

 

(B)  ... e suscita um enorme interesse por novas terras. 
 

(C)  O restabelecimento dessas linhas [...] constitui sem 

dúvida alguma a maior realização dos europeus...  

 

(D)  Não se trata de deslocamentos de população... 
 

(E)  Esse interesse contrapõe Espanha e Portugal, 

“donos” dessas terras, às demais nações europeias. 

_________________________________________________________ 

 

12. ... 

intervêm nele importantes fatores políticos. 

 
 

O segmento em destaque exerce na frase acima a mesma 
função sintática que o elemento grifado exerce em: 

 

(A)  A partir desse momento a ocupação da América dei-

xa de ser um problema exclusivamente comercial... 

 

(B)  A ocupação econômica das terras americanas cons-

titui um episódio da expansão comercial da Europa.  

 

(C)  A legenda de riquezas inapreciáveis por descobrir 

corre a Europa...  

 

(D)  O comércio interno europeu [...] havia alcançado um 

elevado grau de desenvolvimento no século 

XV

... 

 

(E)  Outros países tentarão estabelecer-se em posições 

fortes. 

_________________________________________________________ 

 

13.  A afirmação INCORRETA sobre a pontuação empregada 

em um segmento do segundo parágrafo do texto é: 

 

(A) Em 

A descoberta das terras americanas é, basi-

camente, um episódio dessa obra ingente, a retirada 
simultânea das vírgulas manteria, em linhas gerais, 
o sentido da frase. 

 

(B) Em 

De início pareceu ser episódio secundário, uma 

vírgula poderia ser colocada imediatamente depois 
do termo início, sem prejuízo para a correção e a 
lógica. 

 

(C) Em 

A Espanha 

 a quem coubera um tesouro como 

até então não se conhecera no mundo 

 tratará de 

transformar os seus domínios numa imensa cida-
dela
, os travessões poderiam ser substituídos por 
vírgulas, sem prejuízo para a correção e a lógica. 

 

(D) Em 

Esse interesse contrapõe Espanha e Portugal, 

“donos” dessas terras, às demais nações europeias
o emprego das aspas denota a atribuição de um 
sentido particular ao termo destacado. 

 

(E) Em 

A partir desse momento a ocupação da Améri- 

ca deixa de ser um problema exclusivamente co-
mercial: intervêm nele importantes fatores políticos

os dois-pontos indicam uma quebra da sequência 
das ideias. 

14.  A Espanha 

 a quem coubera um tesouro como até então 

não se conhecera no mundo 

 tratará de transformar os 

seus domínios numa imensa cidadela.  

 
 

A correção da frase acima será mantida caso, sem qual-
quer outra alteração, os elementos sublinhados sejam 
substituídos, respectivamente, por: 

 

(A) buscará 

alterar 

 

(B) fará 

conformar 

 

(C) insistirá 

modificar 

 

(D) cuidará 

converter 

 

(E) não 

deixará 

fazer 

_________________________________________________________ 

 

15.  O comércio interno europeu, em intenso crescimento a 

partir do século 

XI

, havia alcançado um elevado grau de 

desenvolvimento no século 

XV

, quando as invasões turcas 

começaram a criar dificuldades crescentes às linhas orien-
tais de abastecimento de produtos de alta qualidade, 
inclusive manufaturas.
 

 
 

Uma nova redação para a frase acima que mantém a 
correção e, em linhas gerais, o sentido original é: 

 

(A)  Tendo alcançado um elevado grau de desenvol-

vimento no século 

XV

, o comércio interno europeu, 

que estava em intenso crescimento mesmo a partir 
do século 

XI

, já começando as invasões turcas a 

criarem dificuldades crescentes aos produtos de alta 
qualidade, inclusive manufatura, em suas linhas 
orientais de abastecimento. 

 

(B)  A partir do século 

XI

, o comércio interno europeu, 

em intenso crescimento, alcançou um elevado grau 
de desenvolvimento quando, no século 

XV

, haviam 

dificuldades crescentes, que começaram a serem 
criadas pelas invasões turcas, com as linhas orien-
tais de abastecimento de produtos de alta qualidade, 
inclusive manufaturas. 

 

(C) No 

século 

XV

, no momento em que dificuldades 

crescentes às linhas orientais de abastecimento de 
produtos de alta qualidade, inclusive manufaturas, 
começaram a ser criadas pelas invasões turcas, já 
havia alcançado o comércio europeu, em intenso 
crescimento desde o século 

XI

, um elevado grau de 

desenvolvimento. 

 

(D)  Quando no século 

XV

 começou-se a criar dificul-

dades crescentes às linhas orientais de abasteci-
mento de produtos de alta qualidade, mesmo manu-
faturas, com as invasões turcas, à medida em que 
havia alcançado o comércio europeu, em intenso 
crescimento desde o século 

XI

, um elevado grau de 

desenvolvimento. 

 

(E)  Ao começar as invasões turcas, no século 

XV

criando dificuldades crescentes às linhas orientais 
de abastecimento de produtos de alta qualidade, 
inclusive as manufaturas, o comércio interno euro-
peu, em cujo intenso crescimento já havia alcança- 
do um alto grau de desenvolvimento, desde o sé- 
culo 

XI

. 

 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2012-mpe-ap-analista-ministerial-administracao-prova.pdf-html.html

 

MPEAP-Conh.Gerais

1

 

 
 

Legislação Aplicada ao Ministério Público do  

Estado do Amapá 

 
 

16.  De acordo com a Lei Orgânica do Ministério Público do 

Estado do Amapá (Lei Complementar n

o

 0009/1994 e alte-

rações posteriores), no que concerne à autonomia fun-
cional, é INCORRETO afirmar que cabe ao Ministério Pú-
blico do Estado do Amapá 

 

(A)  propor ao Poder Legislativo a criação dos cargos de 

seus serviços auxiliares, bem como a fixação e o 
reajuste dos respectivos vencimentos. 

 
 
(B)  praticar atos de gestão, bem como praticar atos e 

decidir sobre a situação funcional e administrativa do 
pessoal, ativo e inativo da carreira e dos serviços 
auxiliares, organizados em quadros próprios. 

 
 
(C)  elaborar sua folha de pagamento e expedir os com-

petentes demonstrativos, bem como adquirir bens e 
contratar serviços, efetuando a respectiva conta-
bilização. 

 
 
(D)  elaborar sua proposta orçamentária, dentro dos 

limites estabelecidos pela Lei de Diretrizes Orça-
mentárias e encaminhá-la ao Secretário de Estado 
dos Negócios da Justiça, o qual, após os ajustes e 
apreciações que entender cabíveis, a enviará ao Go-
vernador do Estado.  

 
 
(E)  prover os cargos iniciais da carreira e dos serviços 

auxiliares, bem como nos casos de remoção, pro-
moção e demais formas de provimento derivado. 

_________________________________________________________ 

 

17.  De acordo com a Lei Complementar n

o

 0047/2008, que 

dispõe sobre a Estrutura organizacional do Ministério Pú-
blico do Estado do Amapá, a Seção de Consignação, a 
Divisão de Engenharia e Arquitetura e o Departamento de 
Finanças e Contabilidade pertencem, respectivamente,  

 

(A)  ao Departamento de Apoio Administrativo, ao De-

partamento de Recursos Humanos e à Diretoria Ge-
ral. 

 
 
(B)  à Diretoria Geral, ao Departamento de Apoio Admi-

nistrativo e ao Departamento de Recursos Humanos.  

 
 
(C)  ao Departamento de Recursos Humanos, ao De-

partamento de Apoio Administrativo e à Diretoria 
Geral. 

 
 
(D)  à Diretoria Geral, ao Departamento de Recursos Hu-

manos e ao Departamento de Apoio Administrativo. 

 
 
(E)  ao Departamento de Apoio Administrativo, à Di-

retoria Geral e ao Departamento de Recursos Hu-
manos. 

18.  De acordo com a Lei Complementar n

o

 0046/2008, que 

dispõe sobre o plano de carreira, cargos e remuneração 
dos servidores efetivos, bem como dos cargos comis-
sionados do Ministério Público do Estado do Amapá, será 
exercido privativamente por Bacharel em Direito nomeado 
dentre os integrantes do Quadro de Pessoal dos Serviços 
Auxiliares do Ministério Público do Amapá o cargo em 
comissão de 

 

(A)  Diretor do Departamento de Finanças e Conta-

bilidade. 

 
(B) Diretor-Geral. 

 

 
(C)  Diretor de Assessoria de Controle Interno. 

 
(D)  Chefe de Gabinete do Procurador-Geral de Justiça. 

 
(E)  Diretor da Assessoria de Procedimentos Cíveis e 

Criminais de 1

o

 e 2

o

 graus. 

_________________________________________________________ 

 

19.  De acordo com a Lei n

o

 0066/1993, que dispõe sobre o 

Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis do Estado 
do Amapá, a Administração Pública poderá deferir, 
quando do interesse público, a seu juízo, conversão de 1/3 
(um terço) de férias em abono pecuniário, se requerido 
pelo servidor,  

 

(A)  a qualquer tempo, desde que de forma funda-

mentada. 

 
(B)  no período mínimo de 60 dias de antecedência do 

início do gozo. 

 
(C)  no período mínimo de 30 dias de antecedência do 

início do gozo. 

 
(D)  no período mínimo de 45 dias de antecedência do 

início do gozo. 

 
(E)  a qualquer tempo, desde que faça o requerimento 

diretamente para a Corregedoria Geral. 

_________________________________________________________ 

 

20.  No que concerne às Procuradorias de Justiça, considere: 
 
 

I

.  É obrigatória a presença de Procurador de Justiça 

nas sessões de julgamento dos processos da res-
pectiva Procuradoria. 

 

 

II

.  Os Procuradores de Justiça não têm atribuição para 

exercer inspeção permanente dos serviços dos 
Promotores de Justiça nos autos em que oficiem, 
por tratar-se de atribuição privativa da Corre-
gedoria-Geral do Ministério Público. 

 

 

III

.  Os Procuradores de Justiça das procuradorias de 

Justiça cíveis e criminais que oficiem junto ao 
mesmo Tribunal, reunir-se-ão para fixar orientação 
jurídica, com caráter vinculativo, encaminhando-as 
ao Procurador-Geral de Justiça. 

 

 

IV

.  À Procuradoria de Justiça compete, dentre outras 

atribuições, escolher o Procurador de Justiça res-
ponsável pelos serviços administrativos da Pro-
curadoria. 

 
 

De acordo com a Lei Orgânica do Ministério Público do 
Estado do Amapá (Lei Complementar n

o

 0009/1994 e alte-

rações posteriores), está correto o que se afirma APENAS 
em 

 
(A) 

I

 e 

IV

 
(B) 

II

 e 

III

 
(C) 

I

 e 

III

 
(D) 

II

 e 

IV

 
(E)

 

I

II

 e 

IV

. 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2012-mpe-ap-analista-ministerial-administracao-prova.pdf-html.html

 

MPEAP-An.Min.-Administração-A01

 

 

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

 

21.  Dotar uma empresa ou órgão público de tudo o que é ne-

cessário para seu funcionamento: como matérias-primas, 
utensílios, capital e pessoas é a função de Administração 
definida por Fayol como 

 

(A) prever. 
 
(B) comandar. 
 
(C) organizar. 
 
(D) coordenar. 
 
(E) controlar. 

_________________________________________________________ 

 

22.  Harmonizar todos os atos da empresa ou do órgão públi-

co, com o objetivo de facilitar seu funcionamento, é a fun-
ção definida por Fayol como  

 

(A) prever. 
 
(B) comandar. 
 
(C) organizar. 
 
(D) coordenar. 
 
(E) controlar. 

_________________________________________________________ 

 

23.  Funcionários da própria empresa, banco de dados interno, 

indicações, escolas e universidades, mídia, entre outros, são 

 

(A)  orientadores para definir a necessidade de promoções. 
 
(B)  orientadores que determinam os custos de um pro-

cesso. 

 
(C)  variáveis de tempo que determinam o treinamento 

de pessoas.  

 
(D)  fontes a explorar na busca de recursos humanos. 
 
(E)  fontes para desenhar os cargos da empresa. 

_________________________________________________________ 

 

24.  Um fator indicativo de resultados de um módulo de treina-

mento é: 

 

(A) material 

didático. 

 
(B) horas 

do 

instrutor. 

 
(C) despesas 

com 

pessoal. 

 
(D) inteligência 

emocional. 

 
(E) aumento 

da 

produtividade. 

_________________________________________________________ 

 

25.  Há quatro campos a serem analisados para determinar o 

universo de exigências geralmente encontrados nos con-
tornos de um cargo. São eles: requisitos mentais, requisi-
tos físicos, 

 

(A)  cargos preenchidos e cargos vagos. 
 
(B)  cargos ocupados e cargos potenciais. 
 
(C)  responsabilidades e condições de trabalho. 
 
(D)  responsabilidades sociais e condicionamento físico. 
 
(E)  tempo de casa e escolaridade. 

26.  O sistema em que o avaliador concentra-se em determinar os 

grandes pontos fortes e fracos de quem está sendo avaliado, 
apontando comportamentos externos e sem analisar especi-
ficamente traços de personalidade, denomina-se método 
 
(A) comparativo. 
 
(B) de 

incidentes 

críticos. 

 
(C)  de escalas gráficas. 
 
(D) de 

escolha 

forçada. 

 
(E) 360 

graus. 

_________________________________________________________ 

 

27.  O posicionamento e a visão de Porter, ao tratar de Estra-

tégia, é conhecido por 
 
(A)  suas capacidades dinâmicas. 

 
(B)  seu foco na sustentação e no desenvolvimento. 

 
(C)  capacidades internas “de dentro para fora”. 

 
(D)  capacidade de absorver a cultura interna predomi-

nante. 

 
(E)  “de fora para dentro”.  

_________________________________________________________ 

 

28.  A abordagem do Boston Consulting Group 

 BCG no 

planejamento “de cima para baixo” está configurada em 
sua matriz de crescimento para determinar os investimen-
tos nos empreendimentos de uma organização. Se há 
produtos ou serviços com baixo crescimento e posição de 
mercado, absorvem caixa e recursos. São pesos que de-
vem ser afastados ou cortados. Na matriz de crescimento 
e participação BCG entende-se que são: 
 
(A) estrela. 

 
(B) cão 

de 

estimação. 

 
(C) vaca 

leiteira. 

 
(D)  ponto de interrogação. 

 
(E) bebê 

ou 

oportunidades. 

_________________________________________________________ 

 

29.  Pode-se formar uma parceria muito formalizada e que 

possui diversos estágios, da comercialização dos produtos 
até a sua produção e comercialização total, desde que se-
guindo todas as regras. Esse tipo de parceria é uma estra-
tégia adotada por muitas empresas e denomina-se 
 
(A) inovação. 

 
(B) diversificação. 

 
(C) franquia. 

 
(D) desinvestimento. 

 
(E) globalização. 

_________________________________________________________ 

 

30.  A cultura organizacional pode ser tratada como uma 

variável. De acordo com Edgar Schein, a organização inte-
gra elementos formais e informais. Por elemento formal 
entende-se 
 
(A)  a cultura oficial da organização. 

 
(B)  subculturas dos membros da organização. 

 
(C)  visões de mundo dos membros da organização. 

 
(D)  a cultura dos parceiros externos. 

 
(E)  a subcultura não oficial da organização. 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2012-mpe-ap-analista-ministerial-administracao-prova.pdf-html.html

 

MPEAP-An.Min.-Administração-A01

 

31.  Não há liderança sem poder. Segundo Galbraith há três 

instrumentos para o exercício do poder. Por detrás desses 
três instrumentos estão três fontes de poder. A fonte mais 
importante nas sociedades modernas está ligada ao poder 
condicionado. Essa fonte de poder é a 

 

(A) personalidade. 
 
(B) propriedade. 
 
(C) riqueza. 
 
(D) organização. 
 
(E) força. 

_________________________________________________________ 

 

32.  Rediscutir toda a empresa sempre que se elaborar o orça-

mento, questionando cada gesto, cada estrutura, buscando 
verificar sua real necessidade é a proposta do orçamento  

 

(A) de 

tendências. 

 
(B) base 

zero. 

 
(C) estático. 
 
(D) flexível. 
 
(E) corrigido. 

_________________________________________________________ 

 

33.  Na análise de demonstrações financeiras, aquela de par-

ticipação percentual ou de estrutura dos elementos dos 
Demonstrativos Contábeis é à de 

 

(A) Indicadores 

Econômico-Financeiros. 

 
(B)  Análise Horizontal Real (AHR). 
 
(C)  Análise Horizontal (AH). 
 
(D)  Análise Prospectiva (AP). 
 
(E)  Análise Vertical (AV). 

_________________________________________________________ 

 

34.  Em atividades de Organização e Métodos há instrumentos 

que possibilitam o cumprimento de uma boa análise orga-
nizacional. O instrumento que permite alcançar melhor os 
objetivos da coleta de dados com um grau de estímulo 
aplicado ao respondente, por ser aplicado de forma pes-
soal, é 

 

(A) a 

entrevista. 

 
(B) a 

observação. 

 
(C) o 

questionário. 

 
(D) a 

simulação. 

 
(E) o 

imaginário. 

_________________________________________________________ 

 

35.  Na distribuição do trabalho, a literatura é unânime em 

apontar que o instrumento que melhor se adapta é 

 

(A)  o quadro de distribuição do trabalho (QDT). 
 
(B)  a análise de cargos (AC). 
 
(C)  a análise de função (AF). 
 
(D)  o quadro de relacionamento de tarefas (QRT). 
 
(E)  o quadro analítico de processos (QAP). 

36.  Sempre que a Norma Internacional ISO se refere à neces-

sidade de haver procedimentos documentados, a empresa 
tem que ter a descrição da atividade em documento con-
trolado e autorizado, ou seja, 
 

(A)  as políticas que a empresa deve adotar. 
 

(B)  os passos a dar para efetuar aquela atividade. 
 

(C)  os cargos devem ser responsabilizados pelos pro-

cessos. 

 

(D)  as funções-chave que controlarão as pessoas exe-

cutantes. 

 

(E)  os conhecimentos da equipe gerencial sobre padrão 

único de desempenho. 

_________________________________________________________ 

 

37. Contempla, 

respectivamente, característica e aperfeiçoamen-

to possível da Lei n

o

 8.666/93: 

 

(A)  Pregão ou pregão eletrônico são uma mesma moda-

lidade licitatória. Há discrepância econômica entre 
grandes e pequenas empresas na lei das licitações. 

 

(B)  Concurso e leilão são modalidades de licitação. A lei 

da licitação discrimina esforços e procedimentos ne-
cessários às compras apenas do Poder Executi- 
vo. 

 

(C)  Concorrência e tomada de preços são modalidades 

previstas para valores elevados. Não há discrepân-
cia entre portes de empresas na lei das licitações. 

 

(D)  As alternativas de julgamento de uma licitação são 

menor preço, melhor técnica, ou um misto destas. 
Há tratamento igualitário entre grandes e pequenas 
empresas pela Lei. 

 

(E)  Pregão ou pregão eletrônico são uma mesma moda-

lidade licitatória. A lei da licitação discrimina esforços 
e procedimentos necessários às compras apenas do 
poder executivo. 

_________________________________________________________ 

 

38.  Ao relacionar os modelos de análise histórica da gestão 

pública ao longo do tempo, é correto afirmar que: 
 

(A)  A etapa patrimonialista da gestão pública perdurou 

por cerca de cinco décadas, circunscrevendo-se ao 
final do período monárquico e início do republica- 
no. 

 

(B)  O modelo burocrático é circunscrito ao início do 

século 

XX

 até os anos 60, dado o necessário contro-

le da coisa pública e o baixo uso de tecnologias de 
informação.  

 

(C)  O modelo patrimonial tem sido imprescindível no iní-

cio deste século, para a efetividade da administração 
pública frente às crises econômicas planetárias.  

 

(D)  O modelo gerencial foi uma etapa importante do de-

senvolvimento da administração pública brasileira, 
surgida no Estado Novo de Getúlio Vargas. 

 

(E)  O modelo gerencial é o modelo contemporâneo, que 

enfoca resultados e uma gestão pública pautada em 
competências, além do foco no cliente. 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2012-mpe-ap-analista-ministerial-administracao-prova.pdf-html.html

 

MPEAP-An.Min.-Administração-A01

 

39.  Pode-se esperar que bons serviços públicos possibilitem a 

melhoria da qualidade de vida das pessoas e sejam sus-
tentáveis. Essa promoção de bem-estar coletivo deve ser 
a missão da administração pública, e isso deve ser 
buscado tanto em termos econômicos, como sociais e 
ambientais. Um elemento chave para a interação com o 
cidadão é o governo eletrônico, que é um instrumento 
facilitador do controle civil sobre ações da administração 
pública e de atos de seus gestores, sejam políticos ou 
administradores. Outros benefícios gerados pelo governo 
eletrônico são: 
 
(A) disponibilidade 

de 

atendimento 

on-line e de uso de 

comunicação instantânea (chats) para atender ques-
tões dos cidadãos em quaisquer órgãos e esferas. 

 
(B)  inclusão digital, já que legalmente os órgãos públi-

cos federais possuem equipamentos informáticos e 
acessórios para atender necessidades de seus 
cidadãos. 

 
(C)  melhor acompanhamento de performance profissional, 

visto que o uso de câmeras de vídeo aliada à informáti-
ca, permite acompanhar o trabalho de servidores.  

 
(D)  facilidade no acesso de informações e ampliação de 

canal de comunicação via internet.  

 
(E)  realização de todo tipo de compras de produtos e 

serviços, por meio de mecanismo de licitação, o pre-
gão eletrônico. 

_________________________________________________________ 

 

40.  A tecnologia gerencial que é a mais difundida para revisar 

processos por meio de análise interna e externa, objeti-
vando estabelecer melhorias em um processo ou área de 
trabalho é chamada por: 
 
(A)  Qualidade Total, que com a aplicação de ferramen-

tas consagradas, permite aperfeiçoar o trabalho. 

 
(B)  Produção Enxuta, que adequa recursos e carga de 

trabalho, alinhando estes meios com a utilização de 
tecnologia de informação e robótica. 

 
(C)  Reengenharia, que como modelo, revisa, descons-

trói e restabelece novos processos integrados. 

 
(D)  Organização de Aprendizagem, que molda a ma-

neira de agir, com foco em novos processos de 
pensar e inovar sistemicamente. 

 
(E)  Benchmarking, que aproveita a excelência de pro-

cessos semelhantes, para que se adaptem ou se 
moldem novas formas de realização do trabalho. 

_________________________________________________________ 

 

41.  As Divisões estabelecidas dos Órgãos e Serviços Auxiliares 

de Apoio Administrativo do Ministério Público do Estado do 
Amapá, conforme a Lei Complementar n

o

 0047/2008, são: 

 
(A)  Folha de Pagamento de Membros, Serviços Gerais, 

Tecnologia e Telecomunicação e Finanças.  

 
(B)  Cadastro de Servidores, Controle Patrimonial, Rede 

de Computadores e Controle Financeiro. 

 
(C)  Transporte, Movimentação Orçamentária, Manuten-

ção de Veículos e Projetos e Sistemas. 

 
(D)  Acompanhamento Funcional de Servidores, Arquite-

tura, Banco de Dados e Finanças. 

 
(E)  Treinamento e Aperfeiçoamento, Controle Patrimo-

nial, Rede de Computadores e Controle Financeiro. 

42.  Um político ou um servidor utiliza sua verba de represen-

tação ou cartão corporativo em negócios não previstos à 
sua condição de pessoa pública ou do exercício profis-
sional. Com base nestas informações, os princípios de ad-
ministração pública atingidos são: 
 

(A)  Legalidade e Publicidade. 
 

(B)  Moralidade e Legalidade. 
 

(C) Publicidade 

Finalidade. 

 

(D)  Moralidade e Impessoalidade. 
 

(E)  Impessoalidade e Publicidade. 

_________________________________________________________ 

 

43.  Uma rede pode ser entendida como uma malha de intera-

ção entre todos os pontos que a delineiam. Tal afirmação 
destaca a noção de redes organizacionais, que além das 
relações entre os pontos, possuem outras características. 
São elas: 
 

(A)  participação independente, transposição de frontei-

ras e multiplicidade de líderes. 

 

(B)  interligação voluntária, participação hierarquizada e 

propósito unificador. 

 

(C)  diversidade, transposição de fronteiras e centrali-

zação. 

 

(D)  participação hierarquizada, propósito unificador e 

diversidade. 

 

(E)  interligação voluntária, centralização e participação 

independente. 

_________________________________________________________ 

 

44.  Ao tratar de instituições da área pública, que se caracteri-

zam por serem: 
 

 

I

.  

Pessoas jurídicas de direito privado, cujos funcio-
nários podem ser celetistas. 

 

 

II

.  

Pessoas jurídicas de direito privado, mas de capital 
público. 

 

 

III

.  

Pessoas jurídicas de direito público, sem fins lucra-
tivos. 

 

 

Respectivamente, têm-se de 

I

 a 

III

 as instituições: 

 

(A)  autarquia, empresa pública e agência reguladora.  
 

(B)  empresa pública, fundação pública e sociedade de 

economia mista. 

 

(C)  agência reguladora, fundação pública e sociedade 

de economia mista. 

 

(D)  sociedade de economia mista, empresa pública e 

agência reguladora.  

 

(E)  sociedade de economia mista, empresa pública e 

fundação pública. 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2012-mpe-ap-analista-ministerial-administracao-prova.pdf-html.html

 

MPEAP-An.Min.-Administração-A01

 

45.  A Emenda Constitucional brasileira n

o

 41/2003 que trata de 

aposentadoria, dispõe regras para que servidores públicos 
ingressantes na carreira até o final do ano de 2003, possam 
se aposentar com proventos integrais. As disposições para 
que a aposentadoria possa ocorrer dessa forma são: 

 
(A)  35 anos de contribuição para homens e 28 anos de 

contribuição para mulher. 

 
(B)  15 anos na área pública, 7 anos de carreira e 5 anos 

de efetivo exercício no cargo em que se der a apo-
sentadoria. 

 
(C)  62 anos de idade, se homem, 55 anos de idade, se 

mulher. 

 
(D)  20 anos na área pública, 10 anos de carreira e 

5 anos de efetivo exercício no cargo em que se der a 
aposentadoria.  

 
(E)  30 anos de contribuição para homens e 7 anos de efe-

tivo exercício no cargo em que se der a aposentadoria. 

_________________________________________________________ 

 

46.  Com a Lei n

o

 046/2008, estabeleceu-se o plano de car-

reira dos servidores do Ministério Público do Amapá. O 
teor de dispositivos referentes a esse plano  

 
(A)  estabelece o adicional por qualificação, com acréscimo 

de 1

%

 a 12,5

%

 de acréscimo de remuneração para 

cargos efetivos; reserva o mínimo de 50% dos cargos 
de confiança para provimento entre pessoal efetivo. 

 
(B)  estabelece que o cargo de diretor do departamento 

de finanças e contabilidade, só poderá ser exercido 
por servidores do quadro, com formação compatível; 
reserva o mínimo de 50

%

 dos cargos de confiança 

para provimento entre pessoal efetivo. 

 
(C)  veda a possibilidade de nepotismo, salvo em casos 

restritos de nomeação para cargos em confiança; 
reserva o mínimo de 70

%

 dos cargos de confiança 

para provimento entre pessoal efetivo. 

 
(D)  dispõe que integram o quadro de pessoal, funções 

de confiança e cargos em comissão, para o exer-
cício de atribuições de chefia, direção e assessora-
mento; reserva o mínimo de 50

%

 de cargos de 

confiança para provimento entre pessoal efetivo.  

 
(E)  dispõe que integram o quadro funcional parentes até 

3

o

 grau de servidores e de ocupantes de funções de 

confiança ou cargos em comissão; reserva o mínimo 
de 60% dos cargos de confiança para provimento 
entre pessoal efetivo. 

_________________________________________________________ 

 

47.  As chamadas organizações públicas enfrentam limites para 

a atuação empreendedora e pontos de resistência à ação 
inovadora que, na maioria das vezes, impõe-se de fora para 
dentro e por pessoas estranhas ao ambiente organiza-
cional. Nesse sentido, o empreendedorismo, como meio de 
atuação do gestor público, depara-se com fatores que 
devem ser combatidos para alcançar patamares mais altos 
de qualidade na prestação de serviços públicos.
  

 

 

Os fatores que devem ser combatidos são: 

 
(A)  hierarquia excessiva, paternalismo, burocracia e in-

flexibilidade. 

 
(B)  crescimento da área pública, terceirização em áreas 

meio, patrimonialismo e baixa adesão ao e-gov. 

 
(C)  hierarquia excessiva, patamares elevados de gratifica-

ção por resultados, patrimonialismo e inflexibilidade. 

 
(D)  crescimento da área pública, descontinuidade, buro-

cracia e flexibilidade. 

 
(E)  hierarquia excessiva, crescimento da área pública, 

patrimonialismo e baixa adesão ao e-gov. 

48.  Um dos dilemas a tratar em termos de reformas adminis-

trativas é o impulso para organizar governos que fun-
cionem melhor e custem menos. Outro dilema é decidir o 
que o governo deve fazer. São mecanismos utilizados pa-
ra a realização de reformas: 
 
(A)  desconcentração no governo central e centralização 

para governos subnacionais, uso de mecanismos 
burocráticos de controle de processos e privatização 
de serviços públicos.  

 
(B)  uso de mecanismos típicos de mercado, reestati-

zação de serviços públicos e novas atribuições aos 
órgãos da administração central. 

 
(C)  novas atribuições aos órgãos da administração cen-

tral, uso de mecanismos típicos de mercado, des-
concentração no governo central e descentralização 
para governos subnacionais. 

 
(D)  reestatização de serviços públicos, uso de mecanis-

mos burocráticos de controle de processos e limita-
ção das dimensões do terceiro setor. 

 
(E)  programas de demissão voluntária, limitação das di-

mensões do terceiro setor e privatização de serviços 
públicos. 

_________________________________________________________ 

 

49.  De acordo com a reforma do Estado brasileiro de 1995, 

quatro setores integram o aparelho do Estado, com 
reflexos na organização da administração pública: o nú-
cleo estratégico, atividades exclusivas, serviços não exclu-
sivos, produção de bens e serviços. São exemplos dos se-
tores de atividades exclusivas e serviços não exclusivos, 
respectivamente: 
 
(A)  poderes executivo, legislativo, judiciário e telecomu-

nicações. 

 
(B)  educação, controle do meio ambiente e serviço de 

trânsito. 

 
(C)  ministérios do poder executivo e captação de petró-

leo e gás.  

 
(D)  fiscalização sanitária, saúde e educação. 
 
(E)  educação e saúde e policiamento. 

_________________________________________________________ 

 

50.  ICMS e IPVA podem ser tidos, do ponto de vista da arre-

cadação, como os principais tributos estaduais, enquanto 
que ISS e IPTU, podem ser sinônimo do mesmo fato, no 
âmbito municipal. A arrecadação, porém, possui dinamis-
mo próprio, já que há a figura das transferências de 
verbas para estados, distrito federal, municípios e outros 
fundos de fomento ou financiamento. Esse dinamismo per-
mite aos municípios uma capacidade que, em sua maioria, 
não teriam se dependessem apenas de receitas próprias. 
São fundos existentes no país visando à transferência de 
tributos: 
 
(A)  Fundo de Participação Estadual, Fundo de Participação 

dos Municípios, Fundo de Arrecadação Complementar. 

 
(B)  Fundo de Exportação, Fundo de Participação Esta-

dual, Fundo de Participação em Obras Públicas. 

 
(C)  Fundo Regional, Fundo de Participação Estadual, 

Fundo de Exportação. 

 
(D)  Fundo de Participação dos Municípios, Fundo de Ex-

portação, Fundo de Participação em Obras Públicas. 

 
(E)  Fundo de Participação Estadual, Fundo de Partici-

pação em Obras Públicas, Fundo de Exportação. 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2012-mpe-ap-analista-ministerial-administracao-prova.pdf-html.html

 

10 

MPEAP-An.Min.-Administração-A01

 

51.  Um balanço das reformas na administração pública, im-

plementadas ao final dos anos 90 no Brasil, indica que 
avanços e impedimentos fazem parte de seus resultados. 
Avanços houveram no planejamento e no aperfeiçoamen-
to da capacidade de gestão do Estado, em melhorias na 
prestação dos serviços públicos e na inovação. São impe-
dimentos para o desenvolvimento adequado das reformas: 
 
(A)  questões de sustentabilidade econômica, social e 

ambiental; população não aderente ao e-gov

 
(B)  desarticulação e incoerência entre reformas; a von-

tade política de membros do governo. 

 
(C)  oscilação de moedas, gerando dificuldade em balan-

ços de pagamento; baixa capacidade empreendedo-
ra brasileira. 

 
(D)  ausência de sistemas integrados facilitadores da net 

pública; baixa capacitação do pessoal administrativo. 

 
(E)  baixo índice de patentes e pesquisas acadêmicas vol-

tadas à área pública; resistência sindical para de-
missões. 

_________________________________________________________ 

 

52.  Os princípios da Administração Pública brasileira foram 

acrescidos de outro por ocasião de emenda constitucional. 
O novo princípio e seu significado para a gestão pública é: 

 

(A)  Impessoalidade. Refere-se à base da Lei de Res-

ponsabilidade Fiscal, que impõe aos governantes e 
administradores neutralidade em suas ações, valori-
zando equitativamente os atores sociais e o público 
em geral. 

 
(B)  Efetividade. Refere-se à busca de performance maximi-

zada e constante da área pública, no sentido de obter 
resultados com foco nos objetivos e na utilização plena 
e econômica de recursos  humanos e materiais. 

 
(C) Publicidade. Refere-se 

aos atos administrativos de 

levar ao conhecimento público informações e dados 
referentes a processos e performance das esferas de 
governo, independentemente de seu nível hierárquico. 

 
(D)  Impessoalidade. Refere-se ao tipo de tratamento em 

que os agentes públicos devem pautar sua ética, 
tratando de forma indiscriminada cidadãos e usuá-
rios de serviços públicos de qualquer esfera de go-
verno. 

 
(E)  Eficiência. Refere-se à conduta da administração pú-

blica, que deve agir, de maneira rápida, precisa e 
ágil, para produzir resultados que satisfaçam as ne-
cessidades da população, sejam atuais ou futuras. 

_________________________________________________________ 

 

53.  Ao considerar uma curva de distribuição normal, com uma 

média como medida central, temos a variância e o desvio 
padrão referentes a esta média. Em relação a estes 
parâmetros,  

 

(A)  a variância é uma medida cujo significado é a 

metade do desvio padrão. 

 
(B)  a variância é calculada com base no dobro do desvio 

padrão. 

 
(C)  o desvio padrão é a raiz quadrada da variância. 
 
(D)  a média dividida pelo desvio padrão forma a va-

riância. 

 
(E)  a variância elevada ao quadrado indica qual é o 

desvio padrão.  

54.  Um fato que vem sendo observado nas reformas adminis-

trativas governamentais em todo o mundo é o de que o 
foco nos resultados é necessário, mas não suficiente. 
Nesse sentido, a Qualidade como modelo de transforma-
ção e aperfeiçoamento organizacional  tem sido largamen-
te utilizada na administração pública. Em termos históri-
cos, no caso brasileiro, isso fez com que se planejasse um 
Programa de Qualidade, dando sustentação às reformas 
que se iniciaram ainda no século passado. 

 

 

Considerando o enunciado, contempla o programa de 
qualidade aplicado ao governo federal brasileiro: 

 

(A)  Programa de Qualidade e Participação, que indica 

uma preocupação do governo em envolver, em cada 
nível, os colaboradores que prestam efetivamente o 
serviço público. 

 
(B)  Programa de Qualidade e Criatividade, que denota o 

esforço governamental em privilegiar esforços e ini-
ciativas empreendedoras, canalizando inovações à 
área pública. 

 
(C)  Programa de Desenvolvimento e Qualidade, que re-

presenta um esforço concentrado do governo federal 
em alinhar seus órgãos de primeira linha aos dita-
mes da Qualidade Total. 

 
(D)  Programa de Qualidade e Produtividade, que na pers-

pectiva gerencial de desenvolvimento de uma gestão 
pública moderna, centra recursos e esforços na capa-
citação de pessoal. 

 
(E)  Programa de Aperfeiçoamento da Qualidade, que se 

pauta em captar, avaliar, premiar e implantar 
projetos ou ideias reveladas por servidores que 
sirvam à efetividade da área pública.   

_________________________________________________________ 

 

55.  João foi dispensado, em março de 2012, sem justa causa 

da empresa em que trabalhava desde 1998. No caso de 
João, seu aviso prévio deverá ser de 

 

(A)  trinta dias na mesma empresa, uma vez que o seu 

contrato de trabalho data de 1998. 

 
(B)  trinta dias acrescidos de três dias por ano de serviço 

prestado na mesma empresa. 

 

(C)  sessenta dias acrescido de três dias por ano de ser-

viço prestado na mesma empresa, até o máximo de 
noventa dias. 

 
(D)  trinta dias acrescido de três dias por ano de serviço 

prestado na mesma empresa, até o máximo de ses-
senta dias, perfazendo um total de noventa dias. 

 
(E)  sessenta dias acrescido de três dias por ano de 

serviço prestado na mesma empresa, até o máximo 
de trinta dias. 

_________________________________________________________ 

 

56.  A inexistência do princípio da publicidade nos atos 

externos da Administração Pública enseja sua anulação 
por ausência de 

 

(A) eficiência 

eficácia. 

 
(B) legitimidade 

moralidade. 

 
(C) impessoalidade 

eficiência. 

 
(D)  interesse público e discricionariedade. 
 
(E)  interesse público e eficiência. 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001

fcc-2012-mpe-ap-analista-ministerial-administracao-prova.pdf-html.html

 

MPEAP-An.Min.-Administração-A01

 

11 

57.  O Fator Acidentário de Prevenção (FAP) que tem o seu fundamento no art. 10 da Lei n

o

 10.666/03, aplica-se reduzindo em até 

50% ou aumentando em até 100% a alíquota de contribuição de 

 

(A)  um e meio ou dois por cento, incidente sobre o faturamento das empresas, destinada ao financiamento da Seguridade 

Social arrecadados de acordo com o total das remunerações pagas aos segurados, avulsos e trabalhadores que prestem 
serviços às empresas. 

 

(B)  um, dois ou três por cento destinadas ao financiamento do benefício da aposentadoria especial ou daqueles concedidos 

em razão do grau de incidência de incapacidade laborativa, decorrente dos riscos ambientais de trabalho. 

 

(C)  de vinte por cento destinada ao financiamento da Seguridade Social incidente sobre o total das remunerações pagas aos 

segurados, avulsos e trabalhadores que prestem serviços às empresas. 

 

(D)  vinte por cento destinada ao financiamento do benefício da aposentadoria especial ou daqueles concedidos em razão do 

grau de incidência de incapacidade laborativa, decorrente dos riscos ambientais de trabalho. 

 

(E)  um e meio ou dois por cento destinada ao financiamento do benefício da aposentadoria especial ou daqueles concedidos 

em razão do grau de incidência de incapacidade laborativa, decorrente dos riscos ambientais de trabalho incidente sobre o 
faturamento da empresa.  

 
 
58.  A empresa X elaborou as suas escriturações contábil e fiscal referentes às suas operações do último trimestre do período-base. 

Enviou as informações constantes nessa escrituração ao Sistema Público de Escrituração Digital (SPED). Todavia, devido à falta 
de recursos financeiros, deixou de recolher os tributos apurados nessa escrituração no prazo previsto, em lei, para o pagamento. 
No caso em tela, a ausência de recolhimento dos tributos no prazo legal corresponde a descumprimento de obrigação 

 

(A)  acessória, decorrente da legislação tributária, cujo objeto consiste em uma prestação positiva no interesse da arrecadação 

de tributos. 

 

(B)  principal, que surge com a ocorrência do fato gerador, cujo objeto é o pagamento de penalidade pecuniária que se 

extingue com o crédito dela decorrente. 

 

(C)  principal, decorrente da legislação tributária, cujo objeto consiste em uma prestação negativa que surge com a ocorrência 

do fato gerador. 

 

(D)  acessória, decorrente da legislação tributária, cujo objeto consiste em uma prestação negativa no interesse da 

arrecadação de tributos. 

 

(E)  principal, que surge com a ocorrência do fato gerador, cujo objeto é o pagamento de tributo que se extingue com o crédito 

dela decorrente. 

 
 

59.  As modalidades de aposentadoria no serviço público são:  
 

(A)  inatividade remunerada, formal e direito de afastamento. 
 

(B)  formal, por inatividade e voluntária. 
 

(C)  por invalidez, formal e inatividade remunerada. 
 

(D)  por invalidez, compulsória e voluntária. 
 

(E)  compulsória, inatividade remunerada e direito de afastamento. 

 
 
60.  O abono de permanência, instituído pela Emenda Constitucional n

o

 41/2003, é regulado da seguinte forma: 

 

(A)  não pode ser requerido para a aposentadoria proporcional, se o direito à ela foi adquirido até o dia trinta de dezembro do 

ano de dois mil e três. 

 

(B)  só pode ser requerido por servidor em regime de aposentadoria voluntária. 
 

(C)  só pode ser requerido por servidor em  regime de aposentadoria compulsória. 
 

(D)  só pode ser requerido por servidores aposentados com mais de vinte anos de contribuição, se mulher, ou trinta anos de 

contribuição se for homem. 

 

(E)  corresponde ao valor da contribuição previdenciária mensal do servidor que o solicitar, desde que este servidor cumpra as 

condições necessárias para a aposentadoria e faça a opção de continuar em atividade. 

Caderno de Prova ’A01’, Tipo 001