Prova Concurso - Arquitetura - 2012-TRT-6-REGIAO-PE-ANALISTA-JUDICIARIO-ARQUITETURA - FCC - TRT - 2012

Prova - Arquitetura - 2012-TRT-6-REGIAO-PE-ANALISTA-JUDICIARIO-ARQUITETURA - FCC - TRT - 2012

Detalhes

Profissão: Arquitetura
Cargo: 2012-TRT-6-REGIAO-PE-ANALISTA-JUDICIARIO-ARQUITETURA
Órgão: TRT
Banca: FCC
Ano: 2012
Nível: Superior

Downloads dos Arquivos

prova.pdf
gabarito.pdf

Provas relacionadas

ARQUITETOEBSERH2018
ESPECIALISTA-PORTUARIO-ARQUITETURAEMAP2018
ARQUITETOPREFEITURA2018

Gabarito

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-gabarito.pdf-html.html

Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região 

Pernambuco - Analista e Técnico Judiciário 

 

 

Gabaritos Preliminares – Prova em 27/05/12 

 

C. Gerais/C. Específ./Redação 
Cargo ou opção E05 - AN JUD-ÁREA APOIO ESP - ESP ARQUITETURA 
Tipo gabarito 1  

 

001 - C 
002 - E 
003 - D 
004 - A 
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - D 
009 - A 
010 - B 

 

011 - D 
012 - A 
013 - B 
014 - E 
015 - C 
016 - E 
017 - B 
018 - C 
019 - A 
020 - D 

 

021 - D 
022 - E 
023 - C 
024 - A 
025 - B 
026 - A 
027 - D 
028 - E 
029 - C 
030 - E 

 

031 - C 
032 - B 
033 - A 
034 - D 
035 - D 
036 - E 
037 - B 
038 - D 
039 - C 
040 - A 

 

041 - E 
042 - C 
043 - E 
044 - B 
045 - C 
046 - E 
047 - A 
048 - D 
049 - D 
050 - A 

 

051 - D 
052 - C 
053 - A 
054 - B 
055 - E 
056 - D 
057 - B 
058 - A 
059 - C 
060 - A 

 

Prova

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

N do Caderno

o

N de Inscrição

o

ASSINATURA DO CANDIDATO

N do Documento

o

Nome do Candidato

Conhecimentos Gerais
Conhecimentos Específicos
Discursiva - Redação

P R O V A

INSTRUÇÕES

VOCÊ DEVE

ATENÇÃO

- Verifique se este caderno:

- corresponde a sua opção de cargo.

- contém 60 questões, numeradas de 1 a 60.

- contém a proposta e o espaço para o rascunho da redação.

Caso contrário, reclame ao fiscal da sala um outro caderno.

Não serão aceitas reclamações posteriores.

- Para cada questão existe apenas UMA resposta certa.

- Você deve ler cuidadosamente cada uma das questões e escolher a resposta certa.

- Essa resposta deve ser marcada na FOLHA DE RESPOSTAS que você recebeu.

- Procurar, na FOLHA DE RESPOSTAS, o número da questão que você está respondendo.

- Verificar no caderno de prova qual a letra (A,B,C,D,E) da resposta que você escolheu.

- Marcar essa letra na FOLHA DE RESPOSTAS, conforme o exemplo:

- Ler o que se pede na Prova Discursiva - Redação e utilizar, se necessário, o espaço para rascunho.

- Marque as respostas primeiro a lápis e depois cubra com caneta esferográfica de tinta preta.

- Marque apenas uma letra para cada questão, mais de uma letra assinalada implicará anulação dessa questão.

- Responda a todas as questões.

- Não será permitida qualquer espécie de consulta, nem o uso de máquina calculadora.

- Você deverá transcrever a redação, a tinta, na folha apropriada. Os rascunhos não serão considerados em

nenhuma hipótese.

- Você terá 4 horas e 30 minutos para responder a todas as questões, preencher a Folha de Respostas e fazer a

Prova Discursiva - Redação (rascunho e transcrição).

- Ao término da prova devolva este caderno ao aplicador, juntamente com sua Folha de Respostas e a folha de

transcrição da Prova Discursiva - Redação.

- Proibida a divulgação ou impressão parcial ou total da presente prova. Direitos Reservados.

A

C D E

Concurso Público para provimento de cargos de

Maio/2012

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 6 REGIÃO

a

Analista Judiciário - Área Apoio Especializado

Especialidade Arquitetura

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001

MODELO

0000000000000000

MODELO1

00001−0001−0001

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

 

TRT6R-Conhecimentos Gerais

2

 

 

CONHECIMENTOS GERAIS 

 

Língua Portuguesa 

 
Atenção:    As questões de números 1 a 10 referem-se ao texto 

seguinte. 

 

Economia religiosa 

 

Concordo plenamente com Dom Tarcísio Scaramussa, 

da CNBB, quando ele afirma que não faz sentido nem obrigar 

uma pessoa a rezar nem proibi-la de fazê-lo. A declaração do 

prelado vem como crítica à professora de uma escola pública de 

Minas Gerais que hostilizou um aluno ateu que se recusara a 

rezar o pai-nosso em sua aula. 

É uma boa ocasião para discutir o ensino religioso na 

rede pública, do qual a CNBB é entusiasta. Como ateu, não 

abraço nenhuma religião, mas, como liberal, não pretendo que 

todos pensem do mesmo modo. Admitamos, para efeitos de 

argumentação, que seja do interesse do Estado que os jovens 

sejam desde cedo expostos ao ensino religioso. Deve-se então 

perguntar se essa é uma tarefa que cabe à escola pública ou se 

as próprias organizações são capazes de supri-la, com seus 

programas de catequese, escolas dominicais etc. 

A minha impressão é a de que não faltam oportunidades 

para conhecer as mais diversas mensagens religiosas, onipre-

sentes em rádios, TVs e também nas ruas. Na cidade de São 

Paulo, por exemplo, existem mais templos (algo em torno de 

4.000) do que escolas públicas (cerca de 1.700). Creio que aqui 

vale a regra econômica, segundo a qual o Estado deve ficar fora 

das atividades de que o setor privado já dá conta. 

Outro ponto importante é o dos custos. Não me parece 

que faça muito sentido gastar recursos com professores de re-

ligião, quando faltam os de matemática, português etc. Ao con-

trário do que se dá com a religião, é difícil aprender física na 

esquina. 

Até 1997, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação acer-

tadamente estabelecia que o ensino religioso nas escolas ofi-

ciais não poderia representar ônus para os cofres públicos. A 

bancada religiosa emendou a lei para empurrar essa conta para 

o Estado. Não deixa de ser um caso de esmola com o chapéu 

alheio. 

(Hélio Schwartsman. Folha de S. Paulo, 06/04/2012) 

 
 
1. 

No que diz respeito ao ensino religioso na escola pública, 
o autor mantém-se 

 
(A)  esquivo, pois arrola tanto argumentos que defendem 

a obrigatoriedade como o caráter facultativo da 
implementação desse ensino. 

 
(B)  intransigente, uma vez que enumera uma série de 

razões morais para que se proíba o Estado de le-
gislar sobre quaisquer matérias religiosas. 

 
(C)  pragmático, já que na base de sua argumentação 

contra o ensino religioso na escola pública estão 
razões de ordem jurídica e econômica. 

 
(D)  intolerante, dado que deixa de reconhecer, como 

ateu declarado, o direito que têm as pessoas de 
decidir sobre essa matéria. 

 
(E)  prudente, pois evita pronunciar-se a favor da obriga-

toriedade desse ensino, lembrando que ele já vem 
sendo ministrado por muitas entidades. 

2. 

Atente para estas afirmações: 

 
 

I

.  Ao se declarar um cidadão ao mesmo tempo ateu e 

liberal, o autor enaltece essa sua dupla condição 
pessoal valendo-se do exemplo da própria CNBB. 

 
 

II

.  A falta de oportunidade para se acessarem mensa-

gens religiosas poderia ser suprida, segundo o au-
tor, pela criação de redes de comunicação voltadas 
para esse fim. 

 
 

III

.  Nos dois últimos parágrafos, o autor mostra não 

reconhecer nem legitimidade nem prioridade para a 
implementação do ensino religioso na escola pú-
blica. 

 
Em relação ao texto, está correto o que se afirma em 
 

(A) 

I

II

 e 

III

 
(B) 

I

 e 

II

, apenas. 

 
(C) 

II

 e 

III

, apenas. 

 
(D) 

I

 e 

III

, apenas. 

 
(E) 

III

, apenas. 

_________________________________________________________ 

 

3. 

Pode-se inferir, com base numa afirmação do texto, que 
 

(A)  o ensino religioso demanda profissionais altamente 

qualificados, que o Estado não teria como contratar. 

 

(B)  a bancada religiosa, tal como qualificada no último 

parágrafo, partilha do mesmo radicalismo de Dom 
Tarcísio Scaramussa. 

 

(C) as instituições públicas de ensino devem 

complementar o que já fazem os templos, a exemplo 
do que ocorre na cidade de São Paulo. 

 

(D)  o aprendizado de uma religião não requer instrução 

tão especializada como a que exigem as ciências 
exatas. 

 

(E)  os membros da bancada religiosa, sobretudo os libe-

rais, buscam favorecer o setor privado na imple-
mentação do ensino religioso. 

_________________________________________________________ 

 

4. 

Considerando-se o contexto, traduz-se adequadamente 
um segmento em: 
 

(A)  A declaração do prelado vem como crítica (1

o

 pará-

grafo) 

=

 o pronunciamento do dignitário eclesiástico 

surge como censura 

 

(B)  Admitamos, para efeitos de argumentação (2

o

 pa-

rágrafo) 

=

 Consignemos, a fim de especulação 

 

(C)  sejam desde cedo expostos ao ensino religioso (2

o

 

parágrafo) 

=

 venham prematuramente a expor-se no 

ensino clerical 

 

(D)  onipresentes em rádios (3

parágrafo) 

=

 discri-

minadas por emissoras de rádio 

 

(E)  não poderia representar ônus (5

parágrafo) 

=

 impli-

caria que se acarretasse prejuízo 

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

 

TRT6R-Conhecimentos Gerais

2

 

5. 

Está clara e correta a redação deste livre comentário 
sobre o texto: O articulista da Folha de S. Paulo 

 

(A)  propugna de que tanto o liberalismo quanto o ateís-

mo podem convergir, para propiciar a questão do 
ensino público da religião. 

 

(B)  defende a tese de que não cabe ao Estado, inclusive 

por razões econômicas, promover o ensino religioso 
nas escolas públicas. 

 

(C)  propõe que se estenda à bancada religiosa a de-

cisão de aceitar ou rejeitar, segundo seus interes-
ses, o ensino privado da religião. 

 

(D)  argumenta que no caso do ensino religioso, acatado 

pelos liberais, não se trata de ser a favor ou contra, 
mas arguir a real competência. 

 

(E)  insinua que o ensino público da religião já se faz a 

contento, por que as emissoras de comunicação 
intentam-no em grande escala. 

_________________________________________________________ 

 

6. 

A concordância verbal está plenamente observada na 
frase: 

 

(A)  Provocam muitas polêmicas, entre crentes e ma-

terialistas, o posicionamento de alguns religiosos e 
parlamentares acerca da educação religiosa nas 
escolas públicas. 

 

(B)  Sempre deverão haver bons motivos, junto àqueles 

que são contra a obrigatoriedade do ensino religioso, 
para se reservar essa prática a setores da iniciativa 
privada. 

 

(C)  Um dos argumentos trazidos pelo autor do texto, 

contra os que votam a favor do ensino religioso na 
escola pública, consistem nos altos custos econô-
micos que acarretarão tal medida. 

 

(D)  O número de templos em atividade na cidade de 

São Paulo vêm gradativamente aumentando, em 
proporção maior do que ocorrem com o número de 
escolas públicas. 

 

(E)  Tanto a Lei de Diretrizes e Bases da Educação 

como a regulação natural do mercado sinalizam para 
as inconveniências que adviriam da adoção do en-
sino religioso nas escolas públicas. 

_________________________________________________________ 

 

7. 

O Estado deve ficar fora das atividades de que o setor 
privado já dá conta

 
A nova redação da frase acima estará correta caso se 
substitua o elemento sublinhado por 

 

(A)  a que o setor privado já vem colaborando. 
 

(B)  com as quais o setor privado já vem cuidando. 
 

(C)  nas quais o setor privado já vem interferindo. 
 

(D)  em cujas o setor privado já vem demonstrando inte-

resse. 

 

(E)  pelas quais o setor privado já vem administrando. 

8. (...) 

ele afirma que não faz sentido nem obrigar uma 

pessoa a rezar nem proibi-la de fazê-lo

 

Mantém-se, corretamente, o sentido da frase acima substi-
tuindo-se o segmento sublinhado por: 

 

(A)  nem impor a alguém que reze, nem impedi-la de 

fazer o mesmo. 

 
(B)  deixar de obrigar uma pessoa a rezar, ou lhe proibir 

de o fazer. 

 
(C)  seja obrigar que uma pessoa reze, ou mesmo que o 

deixe de o praticar. 

 
(D)  coagir alguém a que reze, ou impedi-lo de o fazer. 

 
(E)  forçar uma pessoa para que reze, ou não fazê-la de 

modo algum.  

_________________________________________________________ 

 

9. 

A pontuação está plenamente adequada no período: 

 

(A)  Muito se debate, nos dias de hoje, acerca do espaço 

que o ensino religioso deve ou não ocupar dentro ou 
fora das escolas públicas; há quem não admita in-
terferência do Estado nas questões de fé, como há 
quem lembre a obrigação que ele tem de orientar as 
crianças em idade escolar. 

 
(B)  Muito se debate nos dias de hoje, acerca do espaço, 

que o ensino religioso deve ou não ocupar dentro ou 
fora das escolas públicas: há quem não admita in-
terferência do Estado, nas questões de fé, como há 
quem lembre, a obrigação que ele tem de orientar as 
crianças em idade escolar. 

 
(C)  Muito se debate nos dias de hoje, acerca do espaço 

que o ensino religioso, deve ou não ocupar dentro 
ou fora das escolas públicas, há quem não admita 
interferência do Estado nas questões de fé, como há 
quem lembre a obrigação: que ele tem de orientar as 
crianças em idade escolar. 

 
(D)  Muito se debate, nos dias de hoje, acerca do espaço 

que o ensino religioso deve, ou não, ocupar dentro, 
ou fora, das escolas públicas; há quem não admita 
interferência, do Estado, nas questões de fé; como 
há quem lembre a obrigação, que ele tem de orientar 
as crianças em idade escolar. 

 
(E)  Muito se debate, nos dias de hoje acerca do espaço 

que o ensino religioso deve, ou não, ocupar dentro 
ou fora das escolas públicas: há quem não admita 
interferência do Estado, nas questões de fé, como 
há quem lembre, a obrigação, que ele tem de orien-
tar as crianças, em idade escolar. 

_________________________________________________________ 

 

10.  Transpondo-se para a voz passiva a frase Sempre haverá 

quem rejeite a interferência do Estado nas questões 
religiosas
, mantendo-se a correta correlação entre tem-
pos e modos verbais, ela ficará: 

 

(A)  Terá havido sempre quem tem rejeitado que o Es-

tado interferisse nas questões religiosas. 

 
(B)  A interferência do Estado nas questões religiosas 

sempre haverá de ser rejeitada por alguém. 

 
(C)  Sempre haverá de ter quem rejeite que o Estado in-

terferisse nas questões religiosas. 

 
(D)  A interferência do Estado nas questões religiosas 

sempre tem encontrado quem a rejeita. 

 
(E)  As questões religiosas sempre haverão de rejeitar 

que o Estado venha a interferir nelas. 

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

 

TRT6R-Conhecimentos Gerais

2

 

 

Matemática e Raciocínio Lógico-Matemático  

 

11.  Para fazer um trabalho, um professor vai dividir os seus 86 alunos em 15 grupos, alguns formados por cinco, outros formados 

por seis alunos. Dessa forma, sendo C o número de grupos formados por cinco e S o número de grupos formados por seis 
alunos, o produto C

S será igual a 

 

(A) 56. 
 
 
(B) 54. 
 
 
(C) 50. 
 
 
(D) 44. 
 
 
(E) 36. 

 
 
12.  Uma faculdade possui cinco salas equipadas para a projeção de filmes (

I

II

III

IV

 e 

V

). As salas 

I

 e 

II

 têm capacidade 

para 200 pessoas e as salas 

III

IV

 e 

V

, para 100 pessoas. Durante um festival de cinema, as cinco salas serão usadas para 

a projeção do mesmo filme. Os alunos serão distribuídos entre elas conforme a ordem de chegada, seguindo o padrão descrito 
abaixo: 

 

1

a

 pessoa: sala 

I

 

2

a

 pessoa: sala 

III

 

3

a

 pessoa: sala 

II

 

4

a

 pessoa: sala 

IV

 

5

a

 pessoa: sala 

I

 

6

a

 pessoa: sala 

V

 

7

a

 pessoa: sala 

II

 

 

A partir da 8

a

 pessoa, o padrão se repete (

I

III

II

IV

I

V

II

...). Nessas condições, a 496

a

 pessoa a chegar assistirá ao 

filme na sala 

 

(A) 

V

 
 
(B) 

IV

 
 
(C) 

III

 
 
(D) 

II

 
 
(E) 

I

 
 
13.  Em um determinado ano, o mês de abril, que possui um total de 30 dias, teve mais domingos do que sábados. Nesse ano, o 

feriado de 1

o

 de maio ocorreu numa 

 

(A) segunda-feira. 
 
 
(B) terça-feira. 
 
 
(C) quarta-feira. 
 
 
(D) quinta-feira. 
 
 
(E) sexta-feira. 

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

 

TRT6R-Conhecimentos Gerais

2

 

14.  Em um torneio de futebol, as equipes ganham 3 pontos por vitória, 1 ponto por empate e nenhum ponto em caso de derrota. Na 

1

a

 fase desse torneio, as equipes são divididas em grupos de quatro, realizando um total de seis jogos (dois contra cada um dos 

outros três times do grupo). Classificam-se para a 2

a

 fase as duas equipes com o maior número de pontos. Em caso de empate 

no número de pontos entre duas equipes, prevalece aquela com o maior número de vitórias. 

 
 

A tabela resume o desempenho dos times de um dos grupos do torneio, após cada um ter 
disputado cinco jogos. 

 

Equipe 

Jogos realizados 

Vitórias 

Empates 

Derrotas 

Arranca Toco 

Bola Murcha 

Canela Fina 

Espanta Sapo 

 

 

Sabendo que, na última rodada desse grupo, serão realizados os jogos Arranca Toco X Espanta Sapo e Bola Murcha X Canela 
Fina, avalie as afirmações a seguir. 
 

 

I

.  A equipe Arranca Toco já está classificada para a 2

a

 fase, independentemente dos resultados da última rodada. 

 
 

II

.  Para que a equipe Canela Fina se classifique para a 2

a

 fase, é necessário que ela vença sua partida, mas pode não ser 

suficiente. 

 
 

III

.  Para que a equipe Espanta Sapo se classifique para a 2

a

 fase, é necessário que ela vença sua partida, mas pode não ser 

suficiente. 

 
 

Está correto o que se afirma em 
 
 
(A) 

I

II

 e 

III

 
 
 
(B) 

I

, apenas. 

 
 
 
(C) 

I

 e 

II

, apenas. 

 
 
 
(D) 

II

 e 

III

, apenas. 

 
 
 
(E) 

I

 e 

III

, apenas. 

 
 
15.  Em um edifício, 40% dos condôminos são homens e 60% são mulheres. Dentre os homens, 80% são favoráveis à construção de 

uma quadra de futebol. Para que a construção seja aprovada, pelo menos a metade dos condôminos deve ser a favor. Supondo 
que nenhum homem mude de opinião, para que a construção seja aprovada, o percentual de mulheres favoráveis deve ser, no 
mínimo, 

 

(A) 20%. 
 
 
 
(B) 25%. 
 
 
 
(C) 30%. 
 
 
 
(D) 35%. 
 
 
 
(E) 50%. 

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

 

TRT6R-Conhecimentos Gerais

2

 

 

Noções de Gestão Pública 

 
16.  O processo de monitoramento de programas de governo pressupõe 

 

(A)  o acompanhamento contábil da implantação do programa, com relatórios semanais. 

 
(B)  uma checagem diária das condições formais da organização, em termos de qualificação dos recursos humanos. 

 
(C)  o acompanhamento contínuo, cotidiano, por parte de gestores e gerentes, do desenvolvimento dos programas e políticas 

em relação a seus objetivos e metas. 

 
(D)  avaliações executadas por instituições externas, com pesquisas que procurem responder a perguntas específicas. 

 
(E)  a construção de indicadores, produzidos regularmente com base em diferentes fontes de dados, que dão aos gestores 

informações sobre o desempenho de programas.

 

 
 
17.  Como uma das dimensões do Estado contemporâneo empreendedor, o princípio da desconcentração se efetiva por meio 

 

(A)  da racionalização de custos de empresas públicas. 

(B)  da delegação de competências. 

(C)  da coordenação intersetorial de programas. 

(D)  do planejamento estratégico situacional. 

(E)  da reengenharia de processos na administração direta. 

 
 
18.  Com relação às características inovadoras do Plano Plurianual 

 PPA no ciclo orçamentário brasileiro, considere: 

 
 

I

.  É aprovado por lei anual, sujeita a prazos e ritos ordinários de tramitação. Tem vigência do primeiro ano de um mandato 

presidencial até o último ano do respectivo mandato. 

 
 

II

.  O PPA é dividido em planos de ações, e cada plano deverá conter indicadores que representem a situação que o plano 

visa a alterar, necessidade de bens e serviços para a correta efetivação do previsto, ações não previstas no orçamento da 
União e regionalização do plano. 

 
 

III

.  Os programas não serão executados por uma unidade responsável competente, pois durante a execução dos trabalhos 

várias unidades da esfera pública serão envolvidas. 

 
 

IV

.  O PPA prevê que sempre se deva buscar a integração das várias esferas do poder público (federal, estadual e municipal), 

e também destas com o setor privado. 

 
 

V

.  Prevê a atuação do governo, durante o período mencionado, em programas de duração continuada já instituídos ou a 

instituir no médio prazo. 

 
 

Está correto o que se afirma APENAS em 

 

(A) 

I

II

III

 e 

V

(B) 

I

 e 

III

(C) 

II

IV

 e 

V

(D) 

III

IV

, e 

V

(E) 

II

 e 

IV

 
 
19.  O estilo tradicional de direção (Teoria X) está apoiado numa concepção da natureza humana que enfatiza 

 

(A)  o caráter egocêntrico dos homens e a oposição entre os objetivos pessoais e os objetivos da organização. 

 
(B)  o caráter naturalmente empreendedor e ativo dos homens quando motivados por objetivos organizacionais ambiciosos. 

 
(C)  a natureza independente, a predisposição ao autocontrole e facilidade ao comportamento disciplinado. 

 
(D)  a capacidade de imaginação e de criatividade na solução de problemas como atributo comum à maioria dos homens. 

 
(E)  a responsabilidade da administração em proporcionar condições para que as pessoas reconheçam e desenvolvam suas 

potencialidades. 

 
 
20.  O comportamento ético na gestão pública exige que se valorize 

 
(A)  a presteza acima da formalidade legal. 

(B)  a eficiência mais do que a eficácia. 

(C)  o consenso acima do conflito. 

(D)  o interesse público antes dos interesses privados. 

(E)  a impessoalidade contra a afabilidade. 

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

TRT6R-Anal.Jud-Arquitetura-E05

 

 

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

 

21.  As áreas urbanas centrais são estratégicas para as políticas de renovação urbana, na medida em que estabelecem processos 

de gestão de ações integradas, públicas e privadas, com os propósitos de 

 

(A)  apoiar as ações de investidores privados interessados no fortalecimento da capacidade competitiva da cidade com base na 

renovação e modernização tanto da infraestrutura, como do conjunto edificado, mediante a substituição da população 
residente de baixa renda. 

 
(B)  contribuir para a redução do déficit habitacional mediante a manutenção de usos, aumento da taxa de ocupação e 

recuperação por meio da demolição de conjuntos subutilizados, degradados e desocupados. 

 
(C)  promover essencialmente as atividades de comércio e serviços e otimizar a estrutura viária e fundiária existentes com 

atividades associadas ao desenvolvimento urbano e econômico. 

 
(D)  reverter os processos de evasão e degradação do ambiente urbano, compreendendo a recuperação e reutilização de 

espaços e edificações ociosas, vazias ou deterioradas, através da melhoria dos serviços públicos, da infraestrutura e da 
acessibilidade e além da promoção da diversidade de usos.  

 
(E)  estimular o investimento imobiliário em áreas dotadas de infraestrutura e ampliar as ofertas de emprego na construção civil 

por meio do incentivo às novas construções, exclusivamente voltadas ao uso habitacional. 

 
 
22.  O tombamento de bens culturais é um ato administrativo realizado pelo poder público, nos níveis federal, estadual ou municipal. 

Os tombamentos federais são da responsabilidade do IPHAN 

 Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Sobre esse 

instrumento de preservação é correto afirmar que 

 

(A)  pode ser aplicado aos bens móveis e imóveis de interesse cultural e ambiental, desde que estes mantenham intactas suas 

características e feições originais. 

 
(B)  pode ser aplicado exclusivamente aos bens imóveis de interesse cultural e ambiental, excetuando os bens móveis como 

livros, mobiliário e obras de arte. 

 
(C)  tem início pelo pedido de abertura de processo, por iniciativa exclusiva de um técnico ou especialista no campo da 

preservação cultural. 

 
(D)  tem por objetivo preservar bens materiais de interesse para a preservação da memória coletiva, mediante a 

desapropriação do bem sob proteção legal, que passa a ser de propriedade pública. 

 
(E)  tem por objetivo preservar bens de valor histórico, cultural, arquitetônico, ambiental e também de valor afetivo para a 

população, impedindo a destruição e/ou descaracterização de tais bens. 

 
 
23.  Com relação à capacidade de suporte do sistema de circulação, a implantação de equipamentos públicos deve obedecer a 

critérios de planejamento urbano que, além de atender às diretrizes de regulação do uso do solo, priorizem os locais 

 

(A)  movimentados com grande intensidade de circulação de tráfego de veículos. 
(B)  indicados por meio das pesquisas científicas de origem e destino de tráfego. 
(C)  em que a acessibilidade seja viabilizada principalmente por corredores de transporte coletivo de modalidades diversas. 
(D)  mais tranquilos de um bairro com alto grau de mobilidade e baixa capacidade de circulação. 
(E)  em que o índice de mobilidade das pessoas e dos meios de transporte utilizados sejam reduzidos. 

 
 
24.  Na decisão de escolha de um terreno ou de um imóvel, a questão das orientações solares é de grande importância para 

conhecer os níveis de insolação diária a que estarão sujeitas as fachadas e respectivas aberturas da edificação. Para quem vive 
no Hemisfério Sul, 

 

(A)  as fachadas voltadas para o Norte, no inverno, recebem insolação na maior parte do dia, pois o sol forma um ângulo 

pequeno em relação à superfície da terra em seu percurso. 

 
(B)  o ângulo que o sol forma com a superfície da Terra é pequeno, no verão, o que determina a insolação na maior parte do 

dia das fachadas voltadas para o Norte. 

 
(C)  a orientação Norte é a mais desfavorável em relação às principais demandas dos usuários pelo nível mínimo de insolação 

diária das aberturas voltadas para essa orientação, durante o inverno. 

 
(D)  a orientação Sul é a mais desfavorável pelo fato de receber sol nas primeiras horas da tarde, no verão, o que determina 

excesso de calor em ambientes voltados para essa orientação. 

 
(E)  a orientação Norte é a mais favorável pelo fato de, no verão, receber sol exclusivamente no período da manhã, o que 

determina temperaturas amenas para os ambientes voltados para essa orientação. 

 
 
25.  A verificação da orientação magnética em plantas do levantamento planialtimétrico é necessária para obter dados a respeito 

 

(A)  da contaminação do solo. 
(B)  da incidência de luz natural. 
(C)  da quantidade de radiação presente no solo. 
(D)  do índice de magnetismo presente na composição do solo. 
(E)  de fenômenos de atração produzidos por correntes elétricas. 

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

TRT6R-Anal.Jud-Arquitetura-E05

 

26.  Em relação ao clima, os fatores mais importantes que afetam o padrão de conforto de um ambiente são: 

 
 

I

.  a radiação solar. 

 
 

II

.  a temperatura e a umidade do ar. 

 
 

III

.  a temperatura radiante média das paredes e tetos. 

 
 

IV

.  o movimento do ar. 

 

Está correto o que se afirma em 

 

(A) 

I

II

III

 e 

IV

 
(B) 

I

II

 e 

IV

, apenas. 

 
(C) 

I

 e 

II

, apenas. 

 
(D) 

II

 e 

IV

, apenas. 

 
(E) 

I

 e 

IV

, apenas. 

 
 
27.  O edifício do Ministério da Educação e Saúde Pública do Rio de Janeiro, atual Palácio Gustavo Capanema (ver figura), 

representa o advento da arquitetura moderna brasileira, em 1936, e o pioneirismo na adoção dos dispositivos conhecidos pela 
denominação de origem francesa, brises-soleil.  

 

 

 

Edifício do Ministério da Educação e Saúde Públi-

ca, Rio de Janeiro, 1936. Affonso Eduardo Reidy, 
Carlos Leão, Ernani Vasconcellos, Jorge Machado 
Moreira e Oscar Niemeyer. Fonte: WISNIK, Gui-
lherme.  Lucio Costa.São Paulo: Cosac & Naify, 
2001, p. 52.

 

 

A aplicação desses elementos permite 

 

(A)  ampliar a ventilação cruzada entre as fachadas norte e sul. 

 
(B)  contribuir para um ganho térmico na fachada sul. 

 
(C)  garantir uma considerável circulação do ar combinada com o sistema de ar condicionado. 

 
(D)  propiciar uma boa regulação de luminosidade e melhor controle na transmissão de luz e calor para o interior do edifício. 

 
(E)  eliminar a vedação de cortina de vidro, substituindo-a por um sistema de lâminas fixas que controlam a transmissão de 

calor para o interior do edifício. 

 
 
28.  O coeficiente de condutibilidade térmica de um material de construção é função 

 

(A)  da densidade, da composição química, da umidade e da temperatura. 

 
(B)  do peso, da massa, da espessura e da capacidade de absorção. 

 
(C)  do peso, da massa, da composição química e da temperatura. 

 
(D)  da troca de temperatura, da umidade, da refletância e da capacidade de absorção. 

 
(E)  da área, da densidade, da espessura e da capacidade de absorção. 

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

TRT6R-Anal.Jud-Arquitetura-E05

 

29.  A presença de vegetação é fundamental para a ambiência urbana e para a qualificação dos espaços abertos no interior dos lotes 

tanto pelo condicionamento do microclima, quanto pelos agradáveis estímulos sensoriais despertados nos usuários. Se a função 
da vegetação for o sombreamento, os principais critérios de escolha das espécies devem considerar a 

 

(A)  combinação de espécies arbustivas de crescimento lento com outras de crescimento rápido e de porte menor. 

 
(B)  eliminação de espécies de crescimento rápido e pequeno porte, considerando apenas as de crescimento lento e copa 

densa. 

 
(C)  combinação de árvores de crescimento lento e copa densa com outras de crescimento rápido e de porte menor. 

 
(D)  combinação de espécies arbustivas com outras altas como as palmeiras. 

 
(E)  eliminação das espécies de crescimento lento e copa densa, considerando apenas as de crescimento rápido e porte 

menor. 

 
 
30.  A respeito dos efeitos benéficos da arborização e do paisagismo no microclima urbano, é correto afirmar que ocorre: 
 
 

I

.  purificação do ar por meio da fixação de poeiras e gases tóxicos e pela reciclagem de gases através dos mecanismos 

fotossintéticos. 

 
 

II

.  melhoria do micro clima do ambiente, por meio da retenção de umidade do solo e do ar e pela geração de sombra, 

evitando que os raios solares incidam diretamente sobre as pessoas. 

 
 

III

.  redução da velocidade do vento, ampliação da emissão de partículas e gases poluentes e amortecimento da infiltração da 

água no solo. 

 
 

IV

.  amortecimento de ruídos, represamento da drenagem, tolerância à erosão do solo. 

 

Está correto o que se afirma em 
 
(A) 

I

II

 e 

III

 apenas. 

(B) 

I

II

III

 e 

IV

(C) 

I

 e 

IV

 apenas. 

(D) 

II

 e 

III

 apenas. 

(E) 

I

 e 

II

 apenas. 

 
 
31.  Considere as ilustrações abaixo, do projeto da sede provisória da Prefeitura de Salvador (1986) de João Filgueiras Lima, 

conhecido como Lelé. 

 

     

 

(Ferraz, Marcelo Carvalho. João Filgueiras Lima 

 Lelé. Lisboa: Editorial Blau: Instituto Lina Bo e P. M. Bardi, p. 173) 

 
 No 

projeto, 

 

(A)  o sistema de ar condicionado foi substituído por um dispositivo de exaustão mecânica montado na cobertura que conta, 

ainda, com a instalação de chapas metálicas com a função de proteger as fachadas da insolação. 

 
(B)  a solução emprega um sistema misto de vigas vierandel no sentido longitudinal e vigotas simples no sentido transversal 

para garantir um travamento da estrutura do piso com balanços de 3,45 m. 

 
(C)  a solução proposta em pré-fabricado metálico é constituída por um vigamento principal no sentido longitudinal e vigas 

secundárias transversais; o vão entre os pilares é de 9,20 m no sentido transversal, criando um balanço nas extremidades. 

 
(D)  a estrutura em peças metálicas pré-fabricadas possibilitou a rapidez de construção, mas não permitiu a desmontagem e 

transferência do edifício para outro local sem danos em seus componentes. 

 
(E)  os elementos da estrutura são de aço autoprotegido pela própria oxidação; a posição dos pilares dispostos em dois níveis 

não coincide com os pilares existentes no piso inferior. 

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

10 

TRT6R-Anal.Jud-Arquitetura-E05

 

32.  As instalações dos sistemas de tubulações de esgotos sanitários de uma edificação devem ser projetadas de modo a 
 

(A)  garantir o escoamento rápido dos despejos, impedir a formação de gases e depósitos no interior do sistema, excluir 

vazamentos e impedir que os ramais de esgotos recebam despejos de mais de um ramal de descarga. 

 
(B)  garantir o escoamento rápido de despejos, prever acessibilidade às tubulações para eventual desobstrução, não permitir 

vazamentos e impedir a formação de depósitos e escapamento de gases no interior do sistema. 

 
(C)  garantir o escoamento rápido dos despejos, impedir as perdas e contaminação de água potável e facilitar a manutenção e 

unificação dos sistemas de esgotos primários, secundários e águas pluviais. 

 
(D)  impedir a contaminação da água potável, facilitar a manutenção, manter as inclinações mínimas de 2% nos trechos de 

diâmetro menor ou inferior a 75 mm e de 1% nos trechos de diâmetros iguais ou superiores a 100 mm. 

 
(E)  impedir a contaminação de água potável, estabelecer a separação entre os ramais de esgoto primário e de águas pluviais, 

mantendo conexão direta entre os coletores secundários e o coletor público. 

 
 
33.  Na falta de informações específicas, a Norma Brasileira estabelece os níveis de ruído permissíveis, decorrentes da instalação de 

condicionamento de ar para escritórios em geral, na faixa de (dBa) 

 

(A)  40 a 50. 

 
(B)  20 a 30. 

 
(C)  25 a 35. 

 
(D)  30 a 40. 

 
(E)  35 a 45. 

 
 
34.  A fiscalização dos serviços relativos à locação da obra corresponde ao controle, entre outros, da 
 

(A)  verificação da referência de nível, da malha de nivelamento e da cota de alagamento. 

 
(B)  medição da cota de soleira, colocação de escoras, guias e travessas necessárias ao cimbramento. 

 
(C)  colocação de guias mestras, tensores de amarração e referências para o nivelamento de superfícies. 

 
(D)  aferição de medidas e ângulos, identificação de empecilhos, colocação dos marcos, proteção e amarração dos marcos de 

locação. 

 
(E)  verificação do rebaixamento de lençol freático e o escalonamento dos níveis de assentamento das fundações. 

 
 
35.  No AutoCAD a partir da versão 2006, pode-se criar blocos inteligentes e flexíveis. Esse novo recurso, chamado Blocos 

Dinâmicos, permite que se modifique blocos dentro de limitações específicas. A biblioteca de blocos pode, por exemplo, ter 
dezenas de janelas. Com Blocos Dinâmicos, pode-se criar um bloco que toma o lugar de todos esses blocos e ter certeza de 
que as modificações correspondem às dimensões de seus objetos do mundo real. Como resultado, o processo de encontrar o 
bloco correto é muito mais eficiente. A inserção e edição do bloco ocorrem praticamente livres de erros. Esse recurso do 
AutoCAD NÃO permite 

 

(A)  esticar uma porta para aumentar a sua largura, sem aumentar a sua espessura. 

 
(B)  mudar uma cama de solteiro para uma de casal, tendo o número de travesseiros ajustado adequadamente. 

 
(C)  transformar qualquer bloco existente em dinâmico, adicionando características dinâmicas. 

 
(D)  ser comparado a um bloco regular, pois um bloco dinâmico geralmente tem dois itens adicionais, um de parâmetro e um de 

ação, e deve ser inserido como xref. 

 
(E)  considerar que um equipamento (como um telefone ou um monitor de computador) possa assumir uma das várias formas 

escolhidas de uma lista drop-down. 

 
 
36.  A norma relativa ao mobiliário dos postos de trabalho atém-se, em particular, ao trabalho que pode ser executado na posição 

sentada ou àquele que tenha de ser feito em pé.  

 

Nesse sentido, é correto afirmar que 

 

(A)  a altura dos assentos utilizados nos postos de trabalho deve ser compatível com a média da estatura dos trabalhadores. 

 
(B)  o encosto dos assentos deve ser de material rígido, conformação retangular abaulada e superfície côncava, para proteção 

da região lombar. 

 
(C)  bancadas, mesas e escrivaninhas devem ter mecanismos que permitam, ao menos, três posicionamentos distintos, 

adequados às diferentes alturas dos indivíduos. 

 
(D)  os assentos utilizados devem atender, ao menos, os  requisitos: altura ajustável à estatura do trabalhador e encosto de 

material rígido, para proteção da região lombar. 

 
(E)  devem ser colocados assentos para descanso, em relação aos trabalhos realizados em pé, em locais em que possam ser 

utilizados por todos os trabalhadores durante as pausas. 

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

TRT6R-Anal.Jud-Arquitetura-E05

 

11 

37.  O emprego da madeira na construção civil pode ter compromisso com a sustentabilidade ambiental, desde que sua extração 

considere a preservação da biodiversidade, das espécies raras de crescimento lento e  seja realizado a partir de madeiras 
nativas de origem legal. Sobre o uso sustentável da madeira na construção civil, é correto afirmar que 

 

(A)  optar pelo uso da madeira na construção civil colabora para limitar o consumo da principal fonte de energia utilizada no 

mundo, o petróleo, matéria orgânica retida na terra sob a forma de compostos de carbono.  

 
(B)  escolher uma árvore madura, próxima do declínio, para a utilização na construção civil, possibilita manter por mais tempo o 

carbono aprisionado em seu interior, evitando que seja devolvido à atmosfera ao ser queimado ou ao se decompor 
naturalmente. 

 
(C)  praticar o manejo da madeira pressupõe a exploração e corte em intervalos cada vez mais curtos, como forma de 

valorização e de aproveitamento racional dos recursos florestais.  

 
(D)  comparar o uso da madeira com o do cimento, da areia, do aço e da pedra permite reconhecer que, apesar de exigir pouca 

energia para a sua produção e transformação, não é renovável. 

 
(E)  reduzir o impacto ambiental através do controle do desperdício, da exploração legal e não predatória, do uso racional dos 

componentes da construção, pode ser considerada uma visão preservacionista romântica. 

 
 
38.  Um dos aspectos fundamentais da arquitetura modernista brasileira foi a capacidade de os arquitetos, em grande parte, 

adaptarem os ideais formulados na Europa e Estados Unidos à realidade do país. 

 

      

 

 

Colégio Brasil-Paraguai, Assunção, Paraguai, 1952. Affonso Eduardo Reidy. 

 

(Ferraz, Marcelo Carvalho. (coord.) Affonso Eduardo Reidy. Lisboa: Editorial Blau: Instituto Lina Bo e P. M. Bardi, 2000, p. 159) 

 
 

Considerando as obras dos principais arquitetos nacionais alinhados com o ideário do Movimento Moderno, é possível identificar a 

 

(A)  simplificação dos detalhes construtivos e a incongruência entre a estrutura e a concepção plástica da arquitetura. 
 
(B)  ênfase nos sistemas construtivos e a independência completa entre estrutura e a expressão plástica da arquitetura. 
 
(C)  variação dos sistemas construtivos e a exclusão da estrutura como elemento definidor do caráter da arquitetura. 
 
(D)  ênfase na expressão tectônica e a utilização da estrutura como elemento gerador do espaço arquitetônico e definidor da 

concepção plástica da arquitetura. 

 
(E)  padronização dos sistemas construtivos e a ênfase na alta tecnologia como elemento gerador da concepção plástica da 

arquitetura. 

 
 
39.  Quando um importante arquiteto brasileiro faz menção aos princípios "da planta de dentro para fora, do ângulo reto, da máquina 

de habitar”, refere-se 

 

(A)  aos ideais nacionalistas em contraposição às influências da arquitetura contemporânea internacional. 
 
(B)  às premissas estilísticas das correntes conservadoras contra as influências internacionais. 
 
(C)  às premissas das correntes modernistas brasileiras em contato com as aspirações de inovação daquele contexto cultural 

internacional. 

 
(D)  às relações entre as tradições construtivas e a arquitetura contemporânea. 
 
(E)  às imposições da visão saudosista do passado à arquitetura contemporânea. 

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

12 

TRT6R-Anal.Jud-Arquitetura-E05

 

40.  Nas edificações e equipamentos públicos, a acessibilidade figura como condição fundamental que deve ser equacionada, 

conforme regula a ABNT 

 NBR 9050. 

 

Em relação às condições gerais de acesso, é correto afirmar que 

 

(A)  pelo menos um acesso de rota acessível, nas reformas e adaptações de edifícios existentes, deve ser vinculado à 

circulação principal e às circulações de emergência, quando estas existirem. 

 
(B)  rotas acessíveis incluem o trajeto entre o estacionamento de veículos e a(s) entrada(s) principal(is). Na impossibilidade de 

tal solução, deve ser prevista ao menos uma nova entrada que atenda a essa condição. 

 
(C)  dispositivos de segurança de ingresso que limitam o acesso, como portas giratórias e outros, devem ser redimensionados 

para atender os padrões de desenho universal. 

 
(D)  pelo menos uma catraca e/ou cancela, em cada conjunto de edificações, deve atender às dimensões necessárias para 

manobra de cadeiras de roda com deslocamento. 

 
(E)  desníveis de piso de até 10 mm não requerem solução especial. Quando superiores a este valor, devem ser tratados em 

forma de rampa. 

 
 
41.  As condições de trabalho incluem aspectos relacionados ao levantamento, transporte e descarga de materiais, ao mobiliário, aos 

equipamentos, às condições ambientais do posto de trabalho, assim como à própria organização do trabalho, conforme 
estabelecido na NR-17. 

 

É correto afirmar que 

 

(A)  deve ser consultada a tabela padrão que relaciona as principais características psicofisiológicas do trabalhador, a carga 

máxima possível de ser levantada, transportada e descarregada pelo mesmo, e o tempo esperado para realizar a 
atividade. 

 
(B)  o trabalhador, em relação ao transporte manual de cargas, deverá ser informado do total correto do peso das mesmas, de 

modo que ele possa decidir a subdivisão das cargas e o número de viagens necessário ao cumprimento da função. 

 
(C)  é necessário que o trabalhador receba treinamento ou instruções satisfatórias quanto aos métodos de trabalho a serem 

utilizados, reduzindo-se assim o comprometimento da empresa com futuros danos à saúde e à segurança do trabalhador. 

 
(D)  a responsabilidade da organização do trabalho face aos distúrbios causados à saúde dos trabalhadores deve ser 

minimizada, considerando-se que falta aos mesmos cuidados e precauções regulares para a prevenção de acidentes. 

 
(E)  a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores é avaliada pelo empregador, 

por meio da análise ergonômica do trabalho, e esta  deve contemplar as condições de trabalho estabelecidas na NR-17. 

 
 
42.  A programação das atividades a serem realizadas para a construção, assim como a previsão dos valores que serão gastos, ao 

longo do tempo de execução da obra, são expressos através de cronograma físico-financeiro, que permite 

 

(A)  delimitar as principais etapas de execução, prazos gerais e respectivos desembolsos proporcionais, pois um maior 

detalhamento é contraproducente, considerando-se os imprevistos de toda obra.  

 
(B)  impedir rigorosamente qualquer alteração da programação realizada, para que não haja prejuízo em relação à previsão do 

tempo de execução da obra e dos valores finais. 

 
(C)  verificar, com agilidade, o andamento das frentes de serviço, alterando prioridades de maneira a concentrar esforços na 

etapa ou equipe que estiver defasada da meta. 

 
(D)  evitar a correção de valores a serem pagos para aquelas atividades que ultrapassaram o tempo de execução previsto, 

através da supressão de elementos do projeto. 

 
(E)  planejar compras de materiais anteriores às previsões do cronograma, como forma de garantir o maior estoque antecipado 

no canteiro. 

 
 
43.  Para a elaboração de um projeto, o arquiteto necessita de um conjunto de informações técnicas (dados, desenhos e 

documentos) imprescindíveis ao desenvolvimento do mesmo. O programa de necessidades deve, necessariamente, preceder o 
início do projeto, sendo composto tanto por informações  fornecidas  pelo cliente, quanto por pesquisa realizada pelo arquiteto. 
Esse programa, geralmente, descreve 

 

(A)  a finalidade da obra, o objetivo do cliente, o sistema construtivo e os materiais, os recuos e afastamentos legais, e o 

quadro geral das áreas a serem construídas e das  áreas livres. 

 
(B)  a finalidade da obra, os documentos e as especificações que permitam caracterizar a solução desejada, os croquis, e os 

estudos da viabilidade econômico 

 financeira. 

 
(C)  o objetivo do cliente, os elementos e dados que permitam aferir a viabilidade  técnico 

 legal  arquitetônica do projeto, e o 

quadro geral das áreas a serem construídas. 

 
(D)  o objetivo do cliente e as finalidades da obra, os padrões de construção e acabamento, os acessos, a posição e orientação 

da edificação e os principais elementos arquitetônicos solicitados. 

 
(E)  a finalidade da obra, as atividades que irá abrigar, os dimensionamentos, os padrões de qualidade da construção e 

acabamentos, os prazos e os recursos disponíveis para a execução. 

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

TRT6R-Anal.Jud-Arquitetura-E05

 

13 

44.  As imagens abaixo referem-se a uma escola típica do Centro Integrado de Educação Pública 

 CIEP, concepção de Oscar 

Niemeyer para o Rio de Janeiro, na década de 80. 

 

 

 

Croqui do esquema de concepção dos CIEPS 

 

Arquiteto Oscar Niemeyer 

(http://www.ufrj.br/fau. Acesso em 15/04/12)

 

 

 

 

Vista de uma Escola do CIEP 

(http://www.ufrj.br/fau. Acesso: 15/07/11)

 

 

 

Planta tipo da organização funcional de um CIEP. 

(http://www.ufrj.br/fau. Acesso em 15/04/12) 

 

 

Vista de uma Escola do CIEP 

(http://geografiaatualidade.blogspot.com.br/2010/09/102-anos 
html.
 Acesso: 15/07/11 

 

Observando-se as imagens, é correto afirmar APENAS que 

 

(A)  os edifícios foram concebidos para o sistema tradicional de construção, embora com uso rigoroso de estrutura modular. 

 

(B)  o arquiteto desenvolveu um projeto racionalizado, com componentes pré-fabricados. 

 

(C)  o projeto, devido à tecnologia disponível na época, valeu-se apenas de alguns componentes industrializados: vigas, 

consolos e escadarias. 

 

(D)  a liberdade da arquitetura de Niemeyer permanece vinculada à construção tradicional, impedindo projetos racionalizados. 

 

(E)  o emprego racionalizado tanto de painéis leves em argamassa armada quanto do sistema viga-pilar-laje, evidencia-se 

nessa obra. 

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

14 

TRT6R-Anal.Jud-Arquitetura-E05

 

45.  Considere a planta de curvas de nível abaixo. 
 
 

2. PLANTA APRESENTANDO AS INCLINAÇÕES EXISTENTES

0% - 30%

30% - 60%

60% - 90%

 

 
 

Sobre ela, é correto afirmar: 

 

(A)  As curvas de nível são classificadas em curvas mestras, intermediárias e secundárias. O traçado das mesmas com o 

método de interpolação pode ser feito por meio de interpolação gráfica, interpolação calculada e interpolação derivada. 

 

(B)  Esta representação tem o nome de planta topográfica. A finalidade da Topografia é representar graficamente o contorno, 

as dimensões, e a posição relativa de uma pequena parte da superfície terrestre, visando fornecer a área, e as posições 
altimétrica e topológica. 

 

(C)  Na planta topográfica acima, as áreas mais escuras significam os trechos de maior declividade. O corte executado no 

terreno, formando taludes muito abruptos em direção ao trecho plano, deverá ser protegido com arrimos e vegetação. 

 

(D)  À medida que a declividade vai aumentando, principalmente a partir de 18%, o escoamento superficial vai se tornando 

mais rápido e o terreno fica sujeito à erosão hídrica em função da suscetibilidade da composição do solo. 

 

(E)  Nas áreas com as maiores declividades, se os taludes forem tratados com vegetação, esta pode constituir-se na medida 

preventiva suficiente para se evitar problemas futuros com  deslizamentos de terra. 

 
 
46.  No dimensionamento de saídas de emergência, a largura mínima admissível para as ocupações em geral, em m, será 
 

(A) 0,70. 
 

(B) 0,80. 
 

(C) 0,90. 
 

(D) 1,00. 
 

(E) 1,10. 

 
 
47.  Especificamente em relação ao clima, os fatores mais importantes que afetam o padrão de conforto de um ambiente são: a 
 

(A)  radiação solar, a temperatura e a umidade do ar, a temperatura radiante média das paredes e tetos, e o movimento do ar. 
 

(B)  radiação solar, a temperatura e a umidade do ar, o movimento do ar, e a reflexão atmosférica. 
 

(C)  radiação solar, a reflexão atmosférica,  a temperatura e a umidade do ar, e o fator de adensamento calórico. 
 

(D)  temperatura e a umidade do ar, o movimento do ar e o fator de adensamento calórico. 
 

(E)  radiação solar, a temperatura e a umidade do ar, o movimento do ar e o fator de adensamento calórico. 

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

TRT6R-Anal.Jud-Arquitetura-E05

 

15 

48.  Considere a figura abaixo. 
 

planta

H

H

parede = tubo rígido

parede

vigia

pilar

 

 

(Yopanan, C.P: Rebello. A concepção estrutural e a 
arquitetura
. São Paulo: Zigurate Editores, 2000, p.181) 

 

É solução frequente em edifícios verticais, 

 

(A)  a associação entre pares de sistemas estruturais, correspondentes às paredes de escadas e de elevadores. 
 
(B)  o reforço estrutural  no poço de elevadores, que é distribuído pelas paredes laterais. 
 
(C)  os pilares pouco espaçados e vigas invertidas, para enrijecimento das paredes de suporte. 
 
(D)  as paredes de escadas e elevadores utilizadas no travamento vertical de edifício. 
 
(E)  a subdivisão de pilares e vigas internamente às paredes da caixa de circulação vertical. 

 
 
49.  A vida útil das tubulações depende de um conjunto de fatores tais como a natureza do material dos tubos e conexões;  tipo de 

junta; natureza e temperatura do líquido e condições de exposição das tubulações, isto é, se a instalação é aparente, com e sem 
incidência de radiação solar e se é embutida em alvenaria.  

 

É correto afirmar que 

 

(A)  são características apresentadas pelos tubos plásticos: elevada resistência à corrosão ou oxidação, baixa condutividade 

térmica e elétrica, baixa resistência ao calor; baixa resistência mecânica; elevada dilatação térmica unitária; facilidade de 
manuseio; pouca acumulação de detritos; menor custo de aquisição. 

 
(B)  são características apresentadas pela tubulação metálica: alta resistência à pressão interna, ao calor e aos efeitos de 

fadiga mecânica e térmica; alta flexibilidade e elasticidade; elevada condutividade térmica; baixa transmissão acústica; 
maior custo de aquisição. 

 
(C)  a substituição das tubulações de uma edificação é mais difícil nos trechos embutidos em alvenaria e dentro de canaletas e 

rebaixos de pisos. Essa situação, no entanto, é alterada nos edifícios que apresentam lajes rebaixadas, solução 
construtiva apropriada para acessar às tubulações. 

 
(D)  situações favoráveis ao reparo ou substituição, pela maior facilidade de acesso e consequente diminuição de tempo e 

recursos gastos, são aquelas em que as tubulações verticais estão alojadas em shafts e as horizontais (em boa parte) 
localizadas internamente aos forros falsos. 

 
(E)  a tubulação de PVC tem sido largamente utilizada em instalações prediais de esgoto sanitário, nas redes de coleta de 

águas pluviais, na distribuição predial de água potável, na condução de água quente, embora os tubos PVC e PPR sejam 
mais recomendados pela maior flexibilidade que apresentam. 

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

16 

TRT6R-Anal.Jud-Arquitetura-E05

 

50.  Considere as imagens do edifício de apartamentos localizado em Belo Horizonte, projetado por Oscar Niemeyer. 

 

 

 

Vistas do térreo do edifício 

 

 

   

 

       Vista da relação do edifício e com o declive do terreno   

 

 

Vista geral do edifício 

 

 

Sobre elas, é correto afirmar: 

 

(A)  O uso do concreto, novo material à época, aliado à decisão de integração do edifício com o entorno, foram decisivos na 

concepção do projeto. 

 

(B)  A menor dimensão do terreno e as características de lote em esquina limitaram a solução do térreo, optando-se pela 

apropriação visual da paisagem do contexto. 

 

(C)  Essa obra antecipa a arquitetura minimalista dos anos 80, ao realizar importante intervenção no meio. 

 

(D)  Essa obra permite compreender que Niemeyer usou uma série de vocabulários autônomos, interligados pela trama tecida 

com elementos extraídos do entorno. 

 

(E)  Trata-se de um projeto modernista que investiga o uso do concreto, novo material à época, na expressão conferida aos 

pilares, mesmo com o prejuízo da ocupação do térreo. 

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

TRT6R-Anal.Jud-Arquitetura-E05

 

17 

51.  Imagens e os desenhos a seguir referem-se ao conjunto Veracruz, do escritório Higuera + Sánchez, implantado na Cidade do 

México. O escritório aproveita alguns vazios urbanos no centro da cidade para intervir com projetos, reforçando o valor da  pré-
existência  na área. É composto por 4 edifícios construídos recentemente e uma edificação existente, considerada patrimônio 
histórico, que foi restaurada e requalificada pelo escritório. 

 

     

Av

en

ida

 Ve

rac

ru

z

 

 

Vista da implantação do conjunto Veracruz e vista do espaço aberto interno do conjunto  

 

(Higuera

+

Sánchez, 2005) 

 
 

Veracruz 91
(1999-2000)

Patrimônio

Veracruz 81
(1998)

Veracruz 83
(2002-2003)

Veracruz 85
(1999-2000)

Veracruz79
(1996)

 

 

Perspectiva do conjunto, Veracruz com os quatros novos 

edifícios e o edifício do patrimônio 

 

(Higuera

+

Sánchez, 2005) 

 
 

 

 

Vista do conjunto Veracruz e do edifício tombado 

 

(Higuera

+

Sánchez, 2005)

 

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

18 

TRT6R-Anal.Jud-Arquitetura-E05

 

 

 

Vista do edifício 79 e vista do edifício 81 

 

(Higuera

+

Sánchez, 2005) 

 
 

 

 

Vista do edifício 83 e vista do edifício 85 

 

(Higuera

+

Sánchez, 2005) 

 

Considerando as imagens, é correto afirmar: 

 

(A)  O conjunto Veracruz cria, a partir da arquitetura, um meio de distinguir diversas partes do cenário urbano, ao mesmo 

tempo que subentende continuidade. Nesse sentido, é antagônico à teoria da Gestalt, para a qual o conhecimento de um 
todo somente é adquirido por meio da apreensão de suas partes, pois o todo equivale à reunião das partes.  

 
(B)  O projeto demonstra uma crítica aos grandes projetos de especulação imobiliária atuais, cujos empreendimentos 

compreendem toda uma quadra com diversidade de tipologia, ainda que por vezes com a mesma linguagem. A produção 
dessa arquitetura homogênea consegue estabelecer relações com o entorno urbano. 

 
(C)  Contrapondo-se à concepção do “mercado”, Higuera e Sánchez demonstram, com a solução proposta, entendimento da 

complexidade que constitui o espaço urbano, pois criam um conjunto com diversidade de tipologias que, mesmo estranho 
à malha urbana local, assegura  a identidade da mesma. 

 
(D)  A solução dada ao conjunto Veracruz entende a arquitetura como intervenção em uma preexistência e retoma 

características essenciais do bairro para induzir o observador a recordar a fonte, ao mesmo tempo em que desfruta do 
contemporâneo.

 

O conjunto ganha significado, pois seu valor é dado a partir da analogia com o preexistente. 

 
(E)  Os espaços semi-públicos no térreo do complexo demonstram a vontade de assegurar tais espaços para uso restrito dos 

moradores. A solução do pátio interno, que se conecta com a rua, incide no fortalecimento da segurança social, na escala 
do pedestre. Explorando esse conceito, a proposta atém-se à preexistência. 

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

TRT6R-Anal.Jud-Arquitetura-E05

 

19 

52.  Imagens e dados abaixo referem-se ao Ipê Amarelo, uma das árvores mais bonitas, considerada símbolo do Brasil. A florada 

exuberante, que surge entre os meses de julho e setembro, embora de pouquíssima duração, proporciona um belo espetáculo 
marcando o final do inverno.  

 
 

Forma: altura / diâmetro

Folha

Sombra

Simbologia

6m

Média

6m

 

 
 

 

 

Árvore do Ipê Amarelo, em espaço público. 

 

(http://www.quinariverde.com.br/e-agora-em-senador 
guiomard-o-ipe-amarelo-comecou-a-florir/ipe-amare 
lo1/. 
Acesso: 16/04/2012)

 

 

 

 

Flor do Ipê Amarelo 

 

(http://www.flickriver.com/photos/aviao/2678178952/
Acesso: 15/04/2012)

 

NÃO se inclui dentre as características e usos apropriados dessa árvore: 

 
(A)  Além da beleza, os Ipês Amarelos apresentam-se como boa alternativa para barreiras vegetais translúcidas e para 

sombreamentos leves em jardins, praças e demais espaços abertos. 

 
(B)  A árvore é adaptada ao crescimento em ambientes abertos e expostos à luz direta, possui raiz de sustentação e absorção 

profunda, o que a recomenda para o plantio em calçadas. 

 
(C)  A folhagem é bastante ornamental, destacando-se ao sol pelo tom verde brilhante e pela extensa copa, capaz de fornecer 

sombreado denso, o que indica seu uso também para estacionamentos. 

 
(D)  O Ipê Amarelo é usado com frequência em paisagismo de parques e jardins, tanto pela beleza como pelo porte elegante, e 

para a arborização urbana, por apresentar raiz pivotante. 

 
(E)  A espécie é caducifólia e a queda das folhas coincide com o período de floração, ampliando a beleza da árvore com a 

exposição exclusiva das flores, que atraem principalmente beija-flores. 

 
 
53.  Em uma edificação, nos ambientes que demandam cuidados com proteção de ruídos, os cálculos com o projeto acústico 

envolvem 

 

(A)  planos de reverberação, superfícies de reverberação, constante de absorção do piso e transmissão sonora vertical. 

 
(B)  planos de reverberação, superfícies de reverberação, fator de transmissão sonora vertical e fator de isolamento acústico. 

 
(C)  superfícies de absorção, superfícies de reverberação, constante de absorção do piso e fator de isolamento acústico. 

 
(D)  superfícies de absorção, superfícies de reverberação, transmissão dos sons através das paredes e lajes, e fator de 

isolamento acústico. 

 
(E)  transmissão de sons através das paredes e lajes, constante de absorção do piso e fator de isolamento acústico. 

 
 
54.  A inércia térmica dos vedos de uma edificação é 
 

(A)  composta de amortecimento, resfriamento e reflexão do calor. 

 
(B)  função da densidade, condutibilidade e capacidade calorífica da parede. 

 
(C)  decorrente de peso, espessura e resfriamento dos materiais da parede. 

 
(D)  inversamente proporcional à refletância, à radiação e à exposição ao calor. 

 
(E)  inversamente proporcional à espessura, ao peso e à condutibilidade do material. 

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

20 

TRT6R-Anal.Jud-Arquitetura-E05

 

55.  Segundo o Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (2009), na construção civil no Brasil ainda prevalece  um sistema de 

produção denominado autogestionário, que se caracteriza pela utilização de métodos e técnicas tradicionais. Nesse sentido, é 
correto afirmar que a 

 

(A)  contratação de serviços de profissionais que acumulam múltiplas funções (pedreiro, encarregado, encanador, eletricista, 

etc.) colabora, a custo reduzido,  para a formação de mão de obra especializada. 

 
(B)  manutenção de um menor padrão tecnológico na construção civil evita a necessidade de contratação de pessoal 

especializado (mão de obra com baixa qualificação). 

 
(C)  auto-aprendizagem, que tem no canteiro  de obras o local para o conhecimento de outras áreas de atuação profissional, 

afere  bons resultados em relação ao aperfeiçoamento da mão de obra. 

 
(D)  utilização de métodos e técnicas tradicionais é compensada pelo incremento constante de sistemas de planejamento do 

trabalho que incidem na diminuição de desperdício de materiais.  

 
(E)  falta de investimentos das empresas em técnicas de pré-fabricação, modulação, gerenciamento e implantação de sistemas 

e ferramentas de TI colabora com a permanência de trabalhadores menos qualificados. 

 
 
56.  O relatório de sondagens, elaborado a partir de estudos geotécnicos, trata de um serviço cuja finalidade é 

 

(A)  identificar a situação precisa das coordenadas de qualquer ponto do terreno. 
(B)  reconhecer eventuais falhas geológicas existentes no terreno. 
(C)  estimar as taxas admissíveis de material detrítico do solo. 
(D)  identificar a composição do solo nas suas diferentes camadas. 
(E)  elaborar o diagnóstico a respeito da existência de placas tectônicas.  

 
 
57.  Os elementos do REVIT utilizados para modelagem e representação do modelo podem ser divididos da seguinte forma: Model 

Elements (Elementos de Modelo), View Elements (Elementos de Vista) e Annotations Elements (Elementos de Anotação). Os 
Components Elements são uma subdivisão dos Model Elements. A respeito desta organização, corresponde a Component 
Elements

 

(A)  Floor, wall, roof. 
(B)  Window, door, furniture. 
(C)  Plan view, section, schedules. 
(D)  Levels, grids, reference plane. 
(E)  Texts, dimensions, annotations. 

 
 
58. No 

AutoCad, 

Annotative é uma propriedade que pertence aos objetos comumente usados para anotar desenhos. Esta 

propriedade permite automatizar o processo de fazer anotações em escala. Objetos de anotação são definidos em relação à 
altura do papel e aparecem no paperspace e no modelspace no tamanho determinado pela escala de anotação definido para 
esses espaços. 

 

NÃO atende à propriedade mencionada: 

 

(A)  Lines. 
(B)  Hatchs. 
(C)  Texts. 
(D)  Dimensions. 
(E)  Blocks. 

 
 
59.  A respeito das modalidades licitatórias previstas na Lei n

o

 8.666/93 e legislação correlata, é correto afirmar que se aplica 

 

(A)  concurso, para a contratação de obras e serviços de engenharia de alta complexidade. 
(B)  pregão, para alienação de bens móveis adquiridos pela Administração em procedimento judicial. 
(C)  leilão, para alienação de bens móveis inservíveis para a Administração, independentemente do valor. 
(D)  leilão, para alienação de bens apreendidos ou penhorados, desde que avaliados em até R$ 80.000 (oitenta mil reais). 
(E)  concurso, para escolha de trabalho científico ou artístico, vedada a instituição de prêmio. 

 
 
60.  Sobre a Lei n

o

 8.666/1993, que institui normas para licitações e contratos da Administração Pública, é correto afirmar. 

 

(A)  O contratado fica obrigado a aceitar, nas mesmas condições contratuais, os acréscimos ou supressões que se fizerem nas 

obras novas, até 25% do valor inicial atualizado do contrato. 

 
(B)  As obras e os serviços somente poderão ser licitados quando houver projeto executivo aprovado pela autoridade 

competente e disponível para exame dos interessados em participar do processo licitatório. 

 
(C)  A execução do contrato deverá ser acompanhada e fiscalizada por um representante da Administração especialmente 

designado, vedada a contratação de terceiros para assisti-lo e subsidia-lo de informações pertinentes a essa atribuição. 

 
(D)  Executado o contrato, a obra será recebida definitivamente pelo responsável por seu acompanhamento e fiscalização, 

mediante recibo, assinado pelas partes em até 150 dias da comunicação do contratado. 

 
(E)  A Administração só poderá contratar, pagar, premiar ou receber projeto ou serviço técnico especializado desde que o autor 

ceda os direitos autorais a ele relativos e a Administração possa utiliza-lo de acordo com previsto no regulamento de 
concurso ou no ajuste para sua elaboração. 

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001

fcc-2012-trt-6-regiao-pe-analista-judiciario-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

TRT6R-Anal.Jud-Arquitetura-E05

 

21 

 

DISCURSIVA 

 REDAÇÃO 

 

Atenção:  Na Prova Discursiva 

 Redação, a folha para rascunho é de preenchimento facultativo. Em hipótese alguma o 

rascunho elaborado pelo candidato será considerado na correção pela Banca Examinadora. 

 

A Declaração de Chapultepec é uma carta de princípios e coloca “uma imprensa livre como uma condição fundamental para 

que as sociedades resolvam os seus conflitos, promovam o bem-estar e protejam a sua liberdade. Não deve existir nenhuma lei ou ato 

de poder que restrinja a liberdade de expressão ou de imprensa, seja qual for o meio de comunicação”. O documento foi adotado pela 

Conferência Hemisférica sobre Liberdade de Expressão realizada em Chapultepec, na cidade do México, em 11 de março de 1994. 

(http://www.anj.org.br/programas-e-acoes/liberdade-de-imprensa/declaracao-de-chapultepec) 

 

Ainda que o Brasil tenha assinado a declaração em 1996 e renovado o compromisso em 2006, não é incomum 

a defesa de que limites deveriam ser impostos à liberdade de imprensa, mas até que ponto isso poderia ser feito sem 

prejuízo da liberdade de expressão e do direito à informação? 

 
Considerando o que se afirma acima, redija um texto dissertativo-argumentativo sobre o seguinte tema: 

 
 

Liberdade de imprensa, desenvolvimento da sociedade e direitos individuais 

 

 

 

01

02

03

04

05

06

07

08

09

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

 

Caderno de Prova ’E05’, Tipo 001