Prova Concurso - Arquitetura - 2012-UFBA-ARQUITETO - UFBA - UFBA - 2012

Prova - Arquitetura - 2012-UFBA-ARQUITETO - UFBA - UFBA - 2012

Detalhes

Profissão: Arquitetura
Cargo: 2012-UFBA-ARQUITETO
Órgão: UFBA
Banca: UFBA
Ano: 2012
Nível: Superior

Downloads dos Arquivos

prova.pdf
gabarito.pdf

Provas relacionadas

ARQUITETOEBSERH2018
ESPECIALISTA-PORTUARIO-ARQUITETURAEMAP2018
ARQUITETOPREFEITURA2018

Gabarito

ufba-2012-ufba-arquiteto-gabarito.pdf-html.html

 

 

CONCURSO PÚBLICO PARA SERVIDOR TÉCNICO-ADMINISTRATIVO — 2012 / UFBA 

NÍVEL SUPERIOR — GABARITO 

 

CADERNO 3: ARQUITETO E URBANISTA 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Em 23 de abril de 2012 

 
 

Antonia Elisa Caló Oliveira Lopes 

Diretora do SSOA/UFBA 

 

PORTUGUÊS 

Questão 

V / F 

Questão 

V / F 

01 V 11  F 
02 F 12 V 
03 F 13 V 
04 F 14 V 
05 F 15 V 
06 F 16 V 
07 V 17  F 
08 V 18 V 
09 F 19 F 
10 F 20 V 

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 

Questão 

V / F 

Questão 

V / F 

21 V 31 V 
22 V 32 V 
23 F 33 F 
24 F 34 V 
25 F 35 F 
26 F     
27 V     
28 F     
29 F     
30 V     

INFORMÁTICA BÁSICA 

Questão 

V / F 

Questão 

V / F 

36 V 46 V 
37 F 47 F 
38 F 48 F 
39 F 49 V 
40 V 50  F 
41 V     
42 F     
43 V     
44 V     
45 F     

ESPECÍFICAS 

Questão 

V / F 

Questão 

V / F 

51 V 76  F 
52 F 77 V 
53 V 78 V 
54 V 79 V 
55 F 80 V 
56 F 81 F 
57 F 82 F 
58 V 83 V 
59 V 84 V 
60 V 85  F 
61 V 86  F 
62 V 87  F 
63 F 88 

64 V 89  
65 F 90 F 
66 F 91 V 
67 F 92 V 
68 V 93  F 
69 F 94 F 
70 F 95 V 
71 V 96 V 
72 F 97 F 
73 F 98 V 
74 F 99 V 
75 F 100 V 

 

Prova

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

ARQUITETO

3

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

INSTRUÇÕES

Para a realização destas provas, você recebeu este Caderno de Questões e uma Folha de Respostas.
1. Caderno de Questões
• Verifique se este Caderno de Questões contém as seguintes provas:

PORTUGUÊS  ––  Questões de 01 a  20
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA  ––  Questões de  21 a 35
INFORMÁTICA BÁSICA  ––  Questões de 36 a 50

      CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS — Questões de 51 a 100
• Qualquer irregularidade constatada neste Caderno de Questões deve ser imediatamente

comunicada ao Fiscal de sala.

• Neste Caderno, você encontra apenas um tipo de questão: objetiva de proposição simples.

Identifique a resposta correta, marcando na coluna correspondente da Folha de Respostas:

V, se a proposição é verdadeira;
F, se a proposição é falsa.

2. Folha de Respostas
• A Folha de Respostas é  pré-identificada; confira os dados registrados no cabeçalho e assine-o

com caneta esferográfica de tinta PRETA. Não ultrapasse o espaço reservado para esse fim.

• NÃO AMASSE, NÃO  DOBRE, NÃO  SUJE, NÃO  RASURE  ESSA  FOLHA  DE  RESPOSTAS.

• A  marcação  da  resposta  deve  ser  feita  preenchendo-se  o  espaço  correspondente  com

caneta esferográfica de tinta PRETA. Não ultrapasse o espaço reservado para esse fim.

• O tempo disponível para a realização das provas e o preenchimento da Folha de Respostas é de

4 (quatro) horas.

ATENÇÃO: Antes de fazer a marcação, avalie cuidadosamente sua resposta.

LEMBRE-SE:

¾

A resposta correta vale 1 (um), isto é, você ganha 1 (um) ponto.

¾

A resposta errada vale –

 

0,75 (menos setenta e cinco centésimos), isto é, você não ganha

o ponto da questão que errou e ainda perde, em cada resposta errada, 0,75 (setenta e
cinco centésimos) dos pontos ganhos em outras questões que você acertou.

¾

A ausência de marcação e a marcação dupla ou inadequada valem  0  (zero).  Você
não ganha nem perde nada.

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

PROVA DE PORTUGUÊS

Q

UESTÕES de 01 a 20

I

NSTRUÇÃO:

Para cada questão, de 01 20, marque na coluna correspondente da Folha de
Respostas:

V, se a proposição  é verdadeira;
F, se a proposição  é falsa.

A resposta correta vale 1 (um); a resposta errada vale 

−0,75 (menos setenta e

cinco centésimos); a ausência de marcação e a marcação dupla ou inadequada
valem 0 (zero).

Q

UESTÕES de 01 a 09

TEXTO:

Levando-se em consideração muitos aspectos, o século XX se apresenta como

o século da escalada das rupturas, dos deslocamentos em cadeia, em todos os campos:
uma progressão sob o signo da desestabilização, da quebra, da descontinuidade.
Uma dinâmica multifacetada aí se desenvolveu, rompendo os laços e as amarras com

5 –

o velho mundo, o mundo “dos antigos peitoris” de que falava Rimbaud, em um
movimento progressivamente ampliado de desconstrução, de desarticulação, de
desregulamentação. Sob o ponto de vista da longa duração, três grandes ondas
relativas aos domínios da arte, dos costumes e da economia estruturaram/
desestruturaram a organização do mundo e da cultura.

10 –

A primeira fratura é ilustrada pela arte e suas vanguardas iconoclastas, que se

propuseram a destruir não apenas a arte burguesa mas todos os códigos tradicionais
das formas expressivas: na esteira de Rimbaud, tudo será feito para que o barco da
arte se estilhace e afunde no mar. Além das proclamações revolucionárias, foi de fato
um liberalismo artístico total que se afirmou e que, daí em diante, triunfa através do

15 – que se convencionou chamar “arte contemporânea”.

A segunda onda de descontinuidade abalou, a partir dos anos 1960, as normas

da vida cotidiana, os valores burgueses e familiares, as relações entre os sexos.
Lançando seus sutiãs por cima das barricadas, buscando sob o asfalto a praia do
prazer e do sexo, derrubando a autoridade dos mestres, rompendo os tabus de um

20 – moralismo conformista, as jovens e os jovens de 1968, de Berkeley a Praga ou ao

Quartier Latin, fazem soprar a ventania do liberalismo cultural. Este será um instrumento
importante na escalada do hiperindividualismo.

É na virada dos anos 1970-80 que se inicia a terceira grande onda de

desregulamentação, esta econômica, que, com o neoliberalismo, procura desmantelar

25 – o sistema de regulamentações, os controles administrativos e as barreiras

protecionistas, santificando um capitalismo desenquadrado, um mercado-rei liberto
dos antigos entraves. Sociedade neoliberal que, após cerca de vinte anos, está no
centro de uma hipermodernidade marcada por um movimento de hiperbolização dos

UFBA – 2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – PORTUGUÊS / Superior –  1

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

próprios princípios da modernidade. A sociedade hipermoderna assinala-se, com efeito,

30 – pelo enorme crescimento dos fenômenos bolsistas, digitais, urbanos, midiáticos,

artísticos, tecnológicos, consumistas: hipertrofia que é a nova figura da dinâmica
desreguladora da modernidade.

LIPOVETSKY, Gilles; SERROY, Jean. A cultura-mundo: resposta a uma sociedade desorientada. Tradução Maria Lúcia
Machado. São Paulo: Companhia das Letras, 2011. p. 193-194.

Q

uestão 01

O texto põe em cena causas e consequências diversas da desestruturação que foi
implementada no mundo, durante o século passado.

Q

uestão 02

Fica subentendido, no primeiro parágrafo, que houve necessidade, no século XX, de se
dotar a sociedade de meios restritivos, como regras de comportamento, normas e sanções
mais rígidas.

Q

uestão 03

O texto destaca uma multiplicidade de valores humanos que se tornaram imprescindíveis a
partir do século XX.

Q

uestão 04

Da leitura do texto pode-se inferir o desejo do enunciador de retorno ao tempo do equilíbrio
e da certeza, anterior ao momento retratado.

Q

uestão 05

Os termos “das rupturas” (l. 2) e “da descontinuidade” (l. 3) complementam o significado de
“século” (l. 2).

Q

uestão 06

Os dois pontos usados nas linhas 2 e 12 marcam uma consequência daquilo que antes foi
enunciado nos respectivos contextos.

Q

uestão 07

Em “Sob o ponto de vista da longa duração, três grandes ondas relativas aos domínios da
arte, dos costumes e da economia estruturaram/desestruturaram a organização do mundo
e da cultura.” (l. 7-9), ocorre, implicitamente, a contraposição de duas realidades.

Q

uestão 08

O fragmento “que se propuseram a destruir não apenas a arte burguesa mas todos os
códigos tradicionais das formas expressivas” (l. 10-12) pode ser reescrito assim: “

que se

propuseram a destruir não apenas a arte burguesa como também todos os códigos

tradicionais das formas expressivas”.

UFBA – 2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – PORTUGUÊS / Superior –  2

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

Q

uestão 09

As formas verbais “abalou” (l. 16) e “procura desmantelar” (l. 24) expressam, nos respectivos
contextos, um processo em desenvolvimento no presente.

Q

uestão 12

A imagem da mãe emoldurada na fotografia é, simbolicamente, a da mulher limitada no seu
silêncio.

Q

UESTÕES de 10 a 20

TEXTO:

FOTOGRAFIA

Quando minha mãe posou
para este que foi seu único retrato,
mal consentiu em ter as têmporas curvas.
Contudo, há um desejo de beleza no seu rosto

5 –

que uma doutrina dura fez contido.
A boca é conspícua,
mas as orelhas se mostram.
O vestido é preto e fechado.
O temor de Deus circunda seu semblante,

10 – como cadeia. Luminosa. Mas cadeia.

Seria um retrato triste
se não visse em seus olhos um jardim.
Não daqui. Mas jardim.

PRADO, Adélia. Fotografia. O coração disparado. Rio de Janeiro / S. Paulo: Record, 2006. p. 45.

Q

uestão 11

A figura da mãe do sujeito lírico aparece no poema como a de uma mulher capaz de despertar
o pecado no homem.

Q

uestão 10

O eu poético manifesta desejo de libertar-se da imagem maternal.

Q

uestão 13

A filha, no poema, estabelece, com a figura da mãe, um contato visual.

Q

uestão 14

A doutrina religiosa à qual a figura materna se submete ofusca o seu “desejo de beleza”.

UFBA – 2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – PORTUGUÊS / Superior –  3

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

Q

uestão 16

Os olhos silenciosos da figura feminina retratada sugerem a existência de uma realidade
idealizada.

Q

uestão 17

O termo “mal” (v. 3) denota ideia de tempo.

 

Q

uestão 18

As expressões “seu rosto” (v. 4) e “seu semblante” (v. 9) apresentam proximidade semântica
no poema.

Q

uestão 19

O termo “contido” (v. 5) funciona como elemento adjetivador de “rosto” (v. 4).

Q

uestão 20

Nos versos “Seria um retrato triste/se não visse em seus olhos um jardim.” (v. 11-12), as
formas verbais expressam uma qualidade possível e uma ação condicional.

Q

uestão 15

Está implícita no poema a ideia da mulher em seu comedimento, em suas limitações como
ser feminino.

UFBA – 2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – PORTUGUÊS / Superior –  4

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

PROVA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Q

UESTÕES de 21 a 35

I

NSTRUÇÃO:

Para cada questão, de 21 a 35, marque na coluna correspondente da Folha de
Respostas:

V, se a proposição  é verdadeira;
F, se a proposição  é falsa.

A resposta correta vale 1 (um); a resposta errada vale 

−0,75 (menos setenta e

cinco centésimos); a ausência de marcação e a marcação dupla ou inadequada
valem 0 (zero).

Q

UESTÕES de 21 a 23

A Administração Pública gerencial está baseada em uma concepção de Estado e
de sociedade democrática e plural [...], pensa a sociedade como um campo de
conflito, cooperação e incerteza, na qual os cidadãos defendem seus interesses
e afirmam suas posições ideológicas, que afinal se expressam na Administração
Pública. Nestes termos, o problema não é o de alcançar a racionalidade perfeita,
mas de definir, nas instituições, práticas administrativas suficientemente abertas
e transparentes, de forma a garantir que o interesse coletivo na produção de
bens públicos ou quasi-publicos  pelo Estado seja razoavelmente atendido.
(JUND, 2006, p. 11).

Com base nas informações do texto, pode-se afirmar:

Q

uestão 21

As práticas administrativas abertas e transparentes do serviço público expressam os
princípios da publicidade  e da legalidade  previstos na Constituição Federal.

Q

uestão 22

O fundamento da produção de bens públicos para atender ao interesse coletivo corresponde
ao princípio da impessoalidade, apesar de, numa sociedade democrática, os indivíduos
terem garantido o direito de defender os seus interesses.

Q

uestão 23

O trecho de Jund, em destaque, remete ao significado de governança e governabilidade no
setor público, entendendo-os como sinônimos, uma vez que as atitudes abertas e
transparentes são básicas num processo de governança.

UFBA – 2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA / Superior – 5

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

Q

uestão 24

Uma pessoa aprovada em concurso público, após a publicação em Diário Oficial,

submeteu-se à prévia inspeção médica oficial.
Os resultados dos exames médicos são, no ato da posse, a condição necessária e suficiente
para o concursado assumir sua função pública.

Q

uestão 25

O esposo de uma servidora que se encontra em estágio probatório em Instituição

Pública foi transferido para outro país. A servidora entrou com um requerimento no Setor de
Pessoal da Instituição, solicitando licença para acompanhar o cônjuge.
A concessão de licença para acompanhar o cônjuge ou companheiro que foi deslocado
para o exterior é vedada ao servidor em estágio probatório, sob pena de exoneração do
cargo empossado.

Q

uestão 27

É dever do servidor público zelar, no exercício do direito de greve, pelas exigências
específicas da defesa da vida e da segurança coletiva.

Q

uestão 26

VI – A função pública deve ser tida como exercício profissional e, portanto, se integra

na vida particular de cada servidor público. Assim, os fatos e atos verificados na conduta do
dia a dia em sua vida privada poderão acrescer ou diminuir o seu bom conceito na vida
funcional. (Lei n

o

 1.171 de 22/06/1994).

Essa afirmativa lembra ao servidor público seu compromisso com a ética em suas atividades
laborais, independentemente das demais ações de sua vida.

Q

uestão 28

À Universidade Federal da Bahia (UFBA), é permitido alienar, permutar e adquirir bens,
visando à valorização do seu patrimônio, desde que tenha a permissão do Ministério da
Educação.

Q

uestão 29

É vedada a participação de membros do corpo técnico-administrativo no Conselho de
Curadores da UFBA, um dos órgãos de fiscalização e controle das ações universitárias.

Q

UESTÕES 30 e 31

Um aluno entrou com um processo de permanência no curso, e o relator do processo,

para emitir seu parecer, necessitava entrevistar o estudante a fim de conhecer melhor a
problemática que o conduziu a essa situação e perceber o grau de comprometimento do
requerente. Desse modo, solicitou à Secretária do Colegiado que telefonasse para o aluno
na véspera da reunião do Colegiado, convidando-o a comparecer e expor suas justificativas.
O estudante não compareceu, e o relator emitiu o seu parecer, indeferindo o pleito.

Com base nessas informações, pode-se afirmar:

UFBA – 2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA  / Superior – 6

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

Q

uestão 30

O aluno, ao conhecer o resultado do processo, tem o direito de recorrer da decisão, porque
a Lei n

o

 9.784, de 29/01/1999, estabelece que a intimação observará a antecedência mínima

de três dias úteis em relação à data de comparecimento.

Q

uestão 31

A intimação não deveria ter sido efetuada por telefone, uma vez que a lei estabelece que
esse ato seja realizado através de um meio que assegure a certeza da ciência do interessado.

Q

uestão 32

De acordo com as características das atividades públicas, pode-se afirmar que os serviços
prestados de forma contínua requerem um sistema de acumulação de custos por processo.

Q

uestão 33

Segundo a Lei n

o

 8.666, de 21/06/1993, a contratação de obras, serviços e compras,

alienações e concessões serão necessariamente precedidas de licitação, enquanto as
permissões e locações da Administração Pública são ações realizadas de acordo com o
interesse da administração, livres do processo licitatório.

Q

uestão 34

Como qualquer atividade administrativa, o controle precisa ser planejado,
considerando certas peculiaridades da entidade, bem como questões para as
quais devem ser obtidas respostas claras e precisas que irão interessar ao gestor
do patrimônio e a outras pessoas do ambiente externo em que a entidade atua.
Assim, a fim de que o controle seja executado em toda a sua plenitude, e com
eficiência, é preciso que os integrantes da sua Administração, bem como os que
fazem parte das atividades intermediárias e operacionais, se conscientizem da
sua necessidade para que metas e objetivos sejam plenamente alcançados. (JUND,
2006, p. 425).

Considerando-se as informações do texto, pode-se afirmar:

A contabilidade, o orçamento e a auditoria são três instrumentos que merecem a atenção
da Administração no planejamento do controle.

Q

uestão 35

O Estado, para honrar as despesas realizadas no desempenho de suas finalidades, adota
métodos reconhecidos universalmente como tributos, ou seja: guerras de conquistas,
extorsão de outros povos e exigência de empréstimos.

UFBA – 2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA  / Superior – 7

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

PROVA DE INFORMÁTICA BÁSICA

Q

UESTÕES de 36 a 50

I

NSTRUÇÃO:

Para cada questão, de 36 a 50, marque na coluna correspondente da Folha de
Respostas:

V, se a proposição  é verdadeira;
F, se a proposição  é falsa.

A resposta correta vale 1 (um); a resposta errada vale 

−0,75 (menos setenta e

cinco centésimos); a ausência de marcação e a marcação dupla ou inadequada
valem 0 (zero).

Q

uestão 36

Um cookie é um arquivo de texto contendo informações básicas do usuário, que é colocado
no computador quando se acessa um site.

Q

uestão 37

Bluetooth é uma tecnologia para conexão de equipamentos sem a necessidade de fios e
com um alcance de, aproximadamente, dez quilômetros.

Q

uestão 38

S-Vídeo é uma das saídas de vídeo que, nas configurações atuais, geralmente é on-board,
sendo usada para fazer cargas de vídeos para a web.

Q

uestão 39

O tamanho máximo de um arquivo, usando-se uma estrutura de sistema de arquivo FAT32,
é 128 KB.

Q

uestão 40

Criptografia é uma das características do sistema de arquivo NTFS.

Q

uestão 41

Quando o sistema Windows  é colocado para hibernar, entre as tarefas realizadas está a
gravação de todo o conteúdo da memória principal em um arquivo no disco rígido.

Q

uestão 42

A função de “Contar Palavras”, do Word, só pode realizar a sua tarefa se não existir nenhuma
imagem no documento do Word.

UFBA – 2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – INFORMÁTICA BÁSICA / Superior – 8

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

Q

uestão 47

Sabendo-se que o conteúdo da célula H1=I1+J1 foi copiado e colado na célula H5, pode-se
concluir que a expressão que representa a célula H5 é I1+I5.

Q

uestão 50

Em uma mensagem de e-mail, o remetente, ao usar como indicador um ícone seta azul para
baixo, está classificando essa mensagem como sendo de alta prioridade.

Q

uestão 46

Letra capitular é uma letra maiúscula, geralmente utilizada em tamanho de fonte superior,
localizada no início do parágrafo.

Q

uestão 44

As marcas d’água são frases ou imagens que aparecem sob o texto do documento, no
Word, visíveis no modo de exibição “Layout de Impressão” e no modo de exibição “Leitura
de Tela Inteira” ou, ainda, em um documento impresso.

Q

uestão 43

  

 é utilizado, entre outras finalidades, para inserir números de página no documento.

Q

uestão 48

Supondo-se que a data corrente seja 10/06/2001 e que se coloque a expressão =HOJE()+10
em célula de uma planilha do Excel, obtém-se como resultado 19/06/2001.

Q

uestão 49

Ao ser colocada a expressão =6^3 em uma célula de uma planilha do Excel, obtém-se 216.

Q

uestão 45

O “Zoom” do Word  é usado para aumentar ou diminuir a visualização do documento e,
como resultado, pode-se modificar, no texto, o tamanho da fonte utilizada.

UFBA – 2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – INFORMÁTICA BÁSICA / Superior – 9

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

UFBA –  2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – ARQUITETO E URBANISTA / Superior –  10

Q

uestão 51

A Lei n

o

 12.378, de 31 de dezembro de 2010, que regulamenta o exercício de Arquitetura

e Urbanismo, cria o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil — CAU/BR — e os
Conselhos de Arquitetura e Urbanismo dos Estados e do Distrito Federal — CAUs — e  dá
outras providências, entrou integralmente em vigor em 1

o

 de janeiro de 2012, após a posse

do Presidente e dos Conselheiros do CAU/BR. Em um de seus artigos, essa lei trata sobre
o Registro de Responsabilidade Técnica — RRT.

Sobre o RRT, é correto afirmar que, mesmo sem obrigatoriedade, é possível que o
profissional possa realizá-lo, como forma de comprovar autoria ou para composição de
seu acervo técnico, pois o registro determina o profissional responsável técnico, sendo
que, para a sua efetivação, é necessário o recolhimento prévio da taxa correspondente.

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

ARQUITETO E URBANISTA

Q

UESTÕES de 51 a 100

I

NSTRUÇÃO:

Para cada questão, de 51 100, marque na coluna correspondente da Folha de
Respostas:

V, se a proposição  é verdadeira;
F, se a proposição  é falsa.

A resposta correta vale 1 (um ponto); a resposta errada vale 

−0,75 (menos setenta

e cinco centésimos); a ausência de marcação e a marcação dupla ou inadequada
valem 0 (zero).

Q

uestão 52

No meio técnico, tem-se notícia sobre o descolamento de revestimentos cerâmicos

de fachada em edifícios residenciais e comerciais com certa frequência. As causas podem
ser as mais diversas, como erros de projeto ou especificação dos materiais, problemas nos
materiais ou falhas na execução dos serviços.

Considere essas informações e a seguinte situação: uma placa de cerâmica

desprende-se da fachada, atingindo um transeunte e causando-lhe ferimentos.  Realizada
a perícia, os ensaios apontaram que a argamassa colante especificada pelo projetista era
inadequada para uso em fachada.

Nesse caso, o arquiteto responsável técnico pelo projeto e pela execução da fachada
assumirá as responsabilidades técnica, civil, penal/criminal e trabalhista do ocorrido.

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

UFBA –  2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – ARQUITETO E URBANISTA / Superior –  11

Q

uestão 54

Na prestação de serviços de arquitetura, para o setor público ou privado, é sempre

necessário firmar um contrato que estabeleça as condições acordadas para o trabalho a
ser executado.

Nesse sentido, em um contrato, deve-se prever, entre outros aspectos, a descrição dos
serviços a serem executados, a definição do valor total e a forma de pagamento dos
honorários.

Q

uestão 53

As Normas de Conduta Profissional do Arquiteto, aprovadas pela Assembleia Nacional do
Instituto de Arquitetos do Brasil — IAB —, no item Publicidade e Placas, dispõem que o
arquiteto não pode requerer, provocar ou recomendar publicidade dos seus méritos ou
atividades, sendo vedada a divulgação de doações de projetos, mas consentida a fixação
de placas no edifício com a indicação dos autores do projeto, com respectivo número de
inscrição no Conselho Profissional.

Q

uestão 55

Em geral, a circulação vertical de edifícios pode ser feita por escadas, rampas ou

elevadores. O cálculo desses elementos leva em conta o desnível entre os dois pavimentos
que se pretende conectar. A fórmula de Blondel é conhecida por considerar o conforto
físico de uma pessoa ao subir os degraus num ritmo normal.

Sobre esse projeto e a representação da escada na figura, pode-se inferir que, no pavimento
inferior, os degraus acima do plano de corte estão representados corretamente, em linhas
de projeção superior, e o desenho da escada, no pavimento superior, está representado
corretamente, em linhas contínuas.

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

Q

uestão 57

Segundo o Roteiro de Desenvolvimento de Projeto do IAB, as plantas baixas “definem,

no plano horizontal, a compartimentação interna da obra, indicando a designação, a localização,
o interrelacionamento e o dimensionamento finais de todos os pisos, dos ambientes, das
circulações e dos acessos”.

Planta Baixa do pavimento de uma residência

Q

uestão 56

 NOME

DESCRIÇÃO

FUNÇÃO

 Beiral

É a distância entre a parte interna da

Propicia acumular umidade

parede e a extremidade do telhado.

nas paredes.

 Platibanda

É a parede de pouca altura e acima

Destina-se a encobrir a frente

da cobertura.

do telhado.

 Rufo

É a peça de arremate entre as telhas

Veda e evita infiltração de

ou calhas e a parede.

água.

 Calha

É o cano pelo qual desce a água do

Recebe as águas pluviais,

telhado.

especialmente as do telhado.

Observando-se o quadro, é possível afirmar que se trata da descrição e da função corretas
das partes componentes de um subsistema de cobertura.

UFBA –  2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – ARQUITETO E URBANISTA / Superior –  12

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

UFBA –  2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – ARQUITETO E URBANISTA / Superior –  13

Q

uestão 58

A elaboração da Planta Baixa de um projeto arquitetônico torna-se mais organizada,

ao utilizar-se o comando de camadas ou Layer. Um bom planejamento dessas camadas é
fundamental para se aproveitar a potencialidade do desenho digital.

Para que seja satisfatório o planejamento das camadas, é preciso estabelecer a sua
quantidade, além de definir o nome de cada camada, referente a um elemento arquitetônico,
a cor das camadas, o tipo de linha, de acordo com a NBR8403 e de acordo com a espessura
de linha desejada.

Q

uestão 59

Com a utilização de um sistema digital, o desenho pode ser gerado utilizando os comandos
próprios para desenhar (line, polyline, circle, etc.), e por meio de comandos de edição ou
modificadores (move, copy, mirror, array, etc.), que trabalham transformando a geometria
definida.

A Planta Baixa representada pela figura oferece todas as informações necessárias para
elaboração dos cortes e fachadas e apresenta, corretamente, as informações do nome e
da área dos ambientes, das cotas de nível e de peitoril das janelas, além de estarem
adequadas as hachuras de áreas molhadas e a locação de equipamentos fixos.

Q

uestão 60

Os programas, para fazer 3D na Arquitetura, existem desde o começo dos anos 90,

principalmente para produzir imagens finais de apresentação de projetos. Aos poucos, os
arquitetos começaram a utilizar programas 3D nas etapas iniciais, provando serem também
úteis no apoio à concepção do projeto. No entanto, a geometria produzida nesses programas
não contém informações ou propriedades construtivas indexadas. Mais recentemente, a
plataforma BIM (Building Information Modeling) veio revolucionar a informática aplicada à
Arquitetura.

Sobre a plataforma BIM, é correto afirmar que se pode incorporar informações dentro do
projeto e extrair dos desenhos os dados inerentes ao modelo, a exemplo do custo e,
diferente de um software de modelagem 3D, a plataforma BIM tem a capacidade de gerar
objetos paramétricos.

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

Q

uestão 64

A Lei n

o

 7.400/2008, que dispõe sobre o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano

do Município do Salvador e dá outras providências, define, no Anexo I — Glossário —,
alguns índices e coeficientes.

De acordo com o Anexo I, o Índice de Ocupação (Io) atende à relação entre a área da
projeção da edificação e a área total do terreno ou lote em que está edificada; e o Índice
de Permeabilidade (Ip) define a relação entre a área permeável, que permite absorver
líquidos, e a área total do terreno ou lote.

Q

uestão 62

Sobre as áreas de vivência previstas na NR 18 — Condições e Meio Ambiente de Trabalho
na Indústria da Construção —, tem-se que os canteiros de obras devem dispor de
instalações sanitárias, vestiário, local de refeições, cozinha, quando houver preparo de
refeições, e também ambulatório, quando se tratar de frentes de trabalho com 50 (cinquenta)
ou mais trabalhadores, alojamento, lavanderia, área de lazer, sendo os três últimos exigidos,
apenas, quando houver trabalhadores alojados.

Q

uestão 63

A NBR 13 532/95 dispõe sobre a elaboração de projetos de edificações em Arquitetura

e estabelece as etapas do projeto.

Considerando-se essas etapas, a ordem correta para o desenvolvimento do projeto, do
início ao final dos trabalhos, é a seguinte: estudo preliminar de arquitetura, programa de
necessidade de arquitetura, levantamento de dados para arquitetura, estudo de viabilidade
para arquitetura, anteprojeto de arquitetura, projeto legal de arquitetura e projeto para
execução de arquitetura.

Q

uestão 61

Para proteger o trabalhador da indústria da construção nas suas atividades,

encontram-se em vigor as Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e Emprego
e, dentre elas, a NR 18 — Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da
Construção e a NR 6 —  Equipamento de Proteção Individual — EPI. Essas normas
recomendam, para a proteção do trabalhador, a eliminação do risco, a proteção coletiva e
a proteção individual.

Sendo assim, é correto afirmar que a empresa é obrigada a fornecer aos empregados,
gratuitamente e em perfeito estado de conservação e funcionamento, EPIs apropriados ao
risco ao qual o trabalhador estará submetido.

UFBA –  2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – ARQUITETO E URBANISTA / Superior –  14

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

UFBA –  2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – ARQUITETO E URBANISTA / Superior –  15

Q

uestão 66

A localização da escola dentro da malha viária urbana é de fundamental
importância para a segurança dos escolares. Assim, no planejamento de um
novo prédio escolar, deve-se tentar localizá-lo em via com baixo volume de
tráfego e que permita o acesso sem a travessia em vias perigosas.
Cabe ao técnico responsável pela aprovação do empreendimento avaliar o sistema
viário do entorno, segundo a função de cada via, definida pelo papel que
desempenha no sistema de circulação da cidade [...]. Este sistema deve ser
objeto de legislação específica.  (MANUAL Brasileiro de Sinalização de Trânsito
do Denatran, 2000, p. 15).

O conhecimento sobre a malha viária é de fundamental importância para a implantação

de edifícios escolares, auxiliando o projetista na escolha e na localização dos acessos. O
Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano do Município do Salvador (Lei n

o

 7.400/2008)

define as características funcionais das vias, segundo categorias.

Utilizando-se o parâmetro de velocidade diretriz e considerando-a da maior para a menor, a
ordem correta das vias é a seguinte: via expressa – via coletora – via arterial – via local.

Q

uestão 67

Atualmente, as áreas de encosta, em Salvador, representam grande parte das áreas

a serem ocupadas, gerando a necessidade de se estudar e identificar soluções viáveis
para sua estabilização.

Sendo assim, para a estabilização de uma encosta, deve-se realizar seu retaludamento e
sua proteção superficial através do plantio de árvores de grande porte.

Q

uestão 65

A Resolução Conama n

o

 307/2002, que “estabelece diretrizes, critérios e

procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil”, busca, entre outras coisas,
incentivar a reutilização e a reciclagem desses resíduos. Segundo essa Resolução, os
grandes geradores de resíduos de construção, que são, em geral, empresas formais de
médio e grande porte, devem elaborar Projetos de Gerenciamento de Resíduos da
Construção Civil de seus empreendimentos, contemplando caracterização e quantificação
dos resíduos, sua triagem, seu acondicionamento, transporte e destinação, sendo que,
para a fração mineral (Classe A), indicam-se reutilização e reciclagem, como opções
recomendadas.

Os construtores que desejam reutilizar ou reciclar esses resíduos deparam-se com a
inexistência de normas técnicas que deem segurança quanto à aplicação dos agregados
reciclados em serviços da construção.

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

Q

uestão 69

Uma unidade de ensino já existente, com circulação vertical constituída apenas por

escadas para atender a três andares, decidiu instalar um elevador no seu interior, acatando,
assim, as exigências de acessibilidade para pessoas portadoras de deficiências. Após
análise da sondagem do solo e do mapa de cargas da nova proposta, entre outros
parâmetros, optou-se pela utilização de fundação em estacas.

Recomenda-se, nesse caso, a utilização de estacas de concreto pré-moldado ou diafragma.

Q

uestão 70

Em uma parede externa de alvenaria de tijolo maciço de uma igreja construída no

século XVIII e tombada pelo IPHAN 

— 

Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional 

observou-se a presença de umidade ascendente.

Resolve-se esse problema removendo a parte comprometida e substituindo-a por uma
estrutura de concreto armado moldado no local, realizando reparos na cobertura e colocando
calhas exteriores para que a água de chuva não atinja a parede externa.

Q

uestão 71

De acordo com NBR 9050/2004, as dimensões referenciais de largura para a transposição
de obstáculos isolados por pessoas em cadeiras de rodas, como ilustrado na figura, são
as seguintes: os que possuem extensão máxima de 0,40m, largura referencial de 0,80m, e
os que possuem extensão maior que 0,40m, largura referencial de 0,90m.

UFBA –  2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – ARQUITETO E URBANISTA / Superior –  16

Q

uestão 68

O campo de trabalho do arquiteto paisagista se estende pelas três escalas com que

a paisagem se relaciona: o ambiente, a cidade e a arquitetura.

Respectivamente, essas escalas são compreendidas como o planejamento de paisagens
urbanas, a criação e a recuperação de espaços públicos e privados e também os projetos
residenciais e corporativos.

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

UFBA –  2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – ARQUITETO E URBANISTA / Superior –  17

Q

uestão 75

O clima da cidade de Salvador é caracterizado como quente e úmido e, conforme

Lamberts (1997), o conforto térmico, representa 37,8% das horas do ano e o desconforto,
62,1% (58,5% de calor e 3,6% de frio).

Considerando-se essa informação, as principais estratégias para a realização de um projeto
na cidade de Salvador são ventilação, umidificação, massa térmica e aquecimento solar.

Q

uestão 73

Observando-se as composições de sinalização tátil de alerta e direcional, é possível afimar
que somente as indicadas pelos números 1, 2 e 5 estão corretas.

Q

uestão 74

Para locais de trabalho, com atividades laborativo-produtivas que necessitam de boa
acuidade visual (capacidade de enxergar), a contribuição do teto como superfície refletora
de luz não é importante para a quantidade de luz incidente nos planos de trabalho horizontal.

Q

uestão 72

O símbolo internacional de acesso sinaliza a acessibilidade nas edificações, mobiliários,

espaços e equipamentos urbanos. A representação do símbolo internacional de acesso é
definida pela NBR 9050/2004 e consiste em pictograma branco sobre fundo azul (referência
Munsell 10B5/10 ou Pantone 2925 C).

Nesse sentido, é possível afirmar que o símbolo pode, opcionalmente, ser representado em
branco e preto (pictograma branco sobre fundo preto ou pictograma preto sobre fundo branco),
com a figura sempre voltada para o lado direito, além de ser permitida a estilização ou
modificação do símbolo, para adequação ao projeto.

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

Q

uestão 77

A iluminação zenital, ou seja, vinda de aberturas situadas na cobertura das edificações,

tende a proporcionar maior quantidade de luz difusa, assim como uma distribuição mais
uniforme da luz no interior dos ambientes.

O uso desse tipo de iluminação deve ser criterioso em localidades tropicais, uma vez que a
captação da luz está associada à de uma elevada carga térmica para o interior do edifício.

Q

uestão 78

A utilização da luz natural de forma eficiente contribui para a economia de energia e

consequente desoneração do sistema de abastecimento, gerando uma redução na utilização
de recursos naturais para esse fim.

Nessas condições, é correto afirmar que o desempenho luminoso de uma edificação
depende do tamanho e da posição das janelas, da reflexão externa, que, por sua vez,
depende das superfícies do entorno imediato e da reflexão interna, que está sujeita aos
materiais e às cores do revestimento do ambiente interno.

Q

uestão 79

Até mesmo entre os profissionais arquitetos e engenheiros pode ocorrer certa

confusão no uso dos termos isolamento e absorção acústica.

A absorção acústica consiste em reduzir a reflexão da energia sonora que incide sobre
uma superfície, no interior de um ambiente, e o isolamento acústico está relacionado com
a redução da transmissão sonora entre os ambientes.

Q

uestão 76

Em Salvador e em outras localidades situadas entre a Linha do Equador e o Trópico de
Capricórnio, as edificações recebem radiação solar na fachada norte, nos meses de
novembro, dezembro e janeiro, durante todo o dia, mas, nos meses de maio, junho e julho,
o sol não incide nessa direção da fachada.

UFBA –  2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – ARQUITETO E URBANISTA / Superior –  18

Q

uestão 80

Por agentes extintores entendem-se certas substâncias (sólidas, líquidas e
gasosas) que são utilizadas na extinção do fogo, quer abafando-o, quer
resfriando-o, ou ainda utilizando conjuntamente esses dois processos. Os
agentes extintores devem ser empregados conforme a classe de incêndio, pois,
em alguns casos, sérias consequências poderão ocorrer se empregados
inadequadamente. Os agentes usuais são água, areia, espuma química e espuma
mecânica e pós químicos. (YAZIGI, 2004, p. 417).

A água como agente extintor é utilizada, principalmente, nos incêndios Classe A, que se
propagam em materiais combustíveis sólidos, como papel, madeira e tecido.

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

UFBA –  2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – ARQUITETO E URBANISTA / Superior –  19

Q

uestão 81

Para o alívio das tensões estruturais, são criadas as juntas estruturais. Sua localização

e dimensões devem ser calculadas conforme necessidade do projeto estrutural, definindo
grandes “panos” do edifício.

As juntas estruturais já devem estar demarcadas na estrutura e precisam ser respeitadas ao
longo de todas as camadas que venham em seguida, mantendo a mesma largura e posição
inicial, sendo que sua largura influencia na largura das juntas de assentamento e de movimentação.

Q

uestão 82

As fundações diretas são aquelas que transmitem as cargas para o terreno através

de sua base, pelo apoio da peça ao solo e, em geral, são de execução mais facilitada e
custos mais acessíveis.

Essas fundações apresentam diversos tipos, entre eles, o alicerce, que é constituído de
concreto não armado ou alvenaria e trabalha, principalmente, à compressão, e as brocas
de concreto, que devem ser executadas no local, sem molde, por perfuração no terreno
com auxílio de um trado.

Q

uestão 83

Nas edificações, os defeitos mais comuns decorrentes da penetração de água,
sob a forma líquida ou vapor, podem variar de bolhas e manchas nas paredes até
problemas de ordem estrutural, comprometendo a segurança e a estabilidade
das construções e até a saúde das pessoas. [...]
A umidade ascendente é uma das patologias mais comuns nas edificações. (AS
PATOLOGIAS mais comuns..., 2012).

Sobre essa patologia, é possível afirmar que é causada pela presença de umidade no solo
e pela ausência ou falha do sistema de impermeabilização na fundação, já que a água
ascende através de pequenos canais presentes nos materiais constituintes da parede, o
que é denominado de fenômeno de capilaridade, e, quando a umidade atinge a alvenaria,
provoca deterioração do reboco e estufamento da tinta.

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

Q

uestão 84

São consideradas medidas de segurança contra incêndios aplicáveis a edificações, entre
outras, o acesso de viatura na edificação e áreas de risco, a segurança estrutural nas
edificações, a detecção de incêndio, além do controle de materiais de acabamento, saídas
de emergência e extintores.

Q

uestão 85

Ao se projetar as instalações elétricas de baixa tensão de uma edificação, não é necessário
que o projetista saiba quais serão as medidas de prevenção e combate a incêndio, pois,
caso seja necessária a instalação de hidrantes alimentados por conjunto motor-bomba
elétrico, esse sistema terá alimentação de energia independente das instalações elétricas
da edificação.

UFBA –  2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – ARQUITETO E URBANISTA / Superior –  20

Q

uestão 87

O uso de fossas sépticas, nas instalações de esgoto sanitário, é proibido em edificações
localizadas em zonas residenciais urbanas no Brasil, sendo permitido em zonas rurais e
industriais.

Q

uestão 88

Uma viga biapoiada com um balanço à direita, dimensionada em concreto armado

moldado no local, teve como resultados das áreas de aço relativas à flexão dois ferros de
16 mm para o momento positivo e dois ferros de 10 mm para o momento negativo.

Diante desse contexto, tem-se que os dois ferros de 16 mm estão dispostos,
longitudinalmente, na face inferior da viga, acima do cobrimento.

Q

uestão 86

O uso racional de água em edificações habitacionais multifamiliares pode ser feito

através do reuso da água cinza, proveniente de chuveiros, lavatórios, tanques, lavadoras
de roupa, com exceção da água utilizada em vasos sanitários (pela presença de fezes e
urina) e em pias (pela presença de restos de alimento e óleos). Entretanto, considerando-se
as características físico-químicas desse efluente e os custos de beneficiamento para reuso
em atividades, como lavagens de pátios e irrigação, pode-se baratear o sistema utilizando
a água cinza apenas nos vasos sanitários, o que leva à sobra dessa água, pois a quantidade
gerada de chuveiros, lavatórios, tanques, etc. é muito maior que a usada em descargas
em vasos sanitários.

Nesse caso, pode-se direcionar a água cinza excedente para o sistema de águas pluviais
do edifício, dando-lhe destinação adequada.

Q

uestão 89

É recomendação relativa ao assentamento de fundações em solos de massapé, existentes,
entre outras partes do Brasil, no Recôncavo Baiano e nos arredores de Salvador, a utilização
de vigas de equilíbrio para absorver a excentricidade gerada por esse tipo de solo.

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

UFBA –  2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – ARQUITETO E URBANISTA / Superior –  21

Q

uestão 90

Sabendo-se que a tensão admissível do solo é 1,5 kgf/cm

2

, as dimensões de uma

sapata quadrada, com pilar centrado, com carga total de 15000 kgf, são 300 cm x 300 cm.

Nesse caso, as dimensões da sapata são compatíveis com a carga e a resistência do solo.

Q

uestão 93

Observe a treliça plana metálica.

Levando-se em consideração o Detalhe 1 da figura, pode-se afirmar que as barras da
treliça estão sujeitas à flexotorção e são compostas de perfis laminados, tipo U.

Q

uestão 91

Pode-se afirmar que uma laje isolada, apoiada em quatro vigas, em concreto armado
moldado no local, com vãos teóricos de 4,0 metros e 6,0 metros, é uma laje “em cruz”, com
armaduras positivas principais nas duas direções.

Q

uestão 92

Sobre estruturas metálicas, pode-se afirmar que o aço estrutural possibilita a execução de
estruturas que vencem grandes vãos, sendo sua fabricação feita com precisão milimétrica,
possibilitando um alto controle de qualidade do produto acabado, de modo que há a
possibilidade de sua desmontagem e posterior montagem em outro local.

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

UFBA –  2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – ARQUITETO E URBANISTA / Superior –  22

Q

uestão 96

O orçamento é uma peça importante em um empreendimento e deve ser executado

de forma cuidadosa, por um profissional que tenha conhecimento detalhado do serviço a
ser realizado. Esse orçamento nunca será exato, pois é impossível fixar o verdadeiro custo
antecipadamente, embora a utilização de informações confiáveis possa gerar orçamentos
com bom grau de precisão.

Para realização de um bom orçamento, é necessário fazer o levantamento da quantidade
dos materiais, que são medidas lineares, de área ou superfície, volumétricas, de peso e
adimensionais.

Q

uestão 95

Em uma licitação na modalidade de Concurso, que é utilizada quando há necessidade de
algum trabalho intelectual — seja técnico, artístico ou científico —, e seu julgamento é feito
por uma comissão julgadora integrada por servidores públicos, ou não, que apresentem
reconhecido conhecimento sobre o tema em análise, o prêmio (ou remuneração) a ser
concedido ao vencedor deve ser anteriormente fixado.

Q

uestão 94

A Lei de Licitações — Lei n

o

 8.666/1993 — estabelece cinco modalidades de licitação.

A definição da modalidade a ser utilizada depende do tipo de bem a ser licitado e do valor
total da aquisição pretendida pelo poder público. A Lei n

o

 10.520, de 17 de julho de 2002,

instituiu uma sexta modalidade de licitação, que foi juntada às anteriores. O quadro apresenta
as modalidades de licitação para obras e serviços de engenharia, e seus valores-limite.

    Modalidade

    Valores-limite

Concorrência

Acima R$ 1 500 000,00

Tomada de preços

Até R$ 1 500 000,00

Convite

Acima R$ 450 000,00

Concurso

Até R$ 450 000,00

Pregão

Não há limite

Leilão

Até R$ 150 000,00

Conforme a legislação vigente, podem ser consideradas totalmente corretas as informações
apresentadas no quadro.

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

UFBA –  2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – ARQUITETO E URBANISTA / Superior –  23

Q

uestão 97

A tabela indica a composição de custos unitários para o serviço, ou seja, preparo,

transporte, lançamento e adensamento de concreto estrutural fc

k

 = 200 kgf/cm

2

, Unidade m

3

.

   Composição de custos unitários

Considerando-se os dados apresentados na tabela, é possível afirmar que o insumo que
mais incide no custo do serviço é o cimento, sendo que o custo de material corresponde a
62% do total e há uma proporcionalidade de oito serventes para um pedreiro.

Q

uestão 98

O gráfico apresenta a Curva genérica ABC de insumos.

A partir da análise da curva, é correto afirmar que, em termos econômicos, é mais vantajoso
negociar um desconto de um insumo da faixa A do que insumos das faixas B e C e que, na
maioria das vezes, essa mesma faixa A abrange menos insumos do que a B, e esta menos
do que a C.

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

UFBA –  2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – ARQUITETO E URBANISTA / Superior –  24

Q

uestão 99

Observe-se o exemplo de um diagrama de rede de uma determinada atividade da

obra, executado pelo método de flechas.

Analisando-se essa rede, é possível afirmar que a atividade D é considerada crítica, pois,
se seu tempo de execução for alterado de quatro para três dias, o prazo total do projeto
será reduzido de dez para nove dias; já a atividade C se tornará crítica, se a sua duração
for ampliada para cinco dias, porém o prazo total do projeto não sofrerá mudança, se o
tempo de duração da atividade E for de quatro dias.

Q

uestão 100

A visualização das atividades com suas datas de início e fim pode ser conseguida
lançando-se mão do recurso gráfico chamado de cronograma de Gantt, assim
batizado em homenagem ao engenheiro norte-americano Henry Gantt, que
introduziu o cronograma de barras como ferramenta de controle de produção de
atividades, sobretudo na construção de navios cargueiros no início do século XX.
O cronograma de Gantt é um gráfico simples: à esquerda, figuram as atividades
e, à direita, as suas respectivas barras desenhadas em uma escala de tempo. O
comprimento da barra representa a duração da atividade, cujas datas de início e
fim podem ser lidas nas subdivisões da escala de tempo. (MATTOS, 2010,
p. 201).

   Diagrama de rede

Cronograma de barras

A partir das informações do texto e da análise das figuras, conclui-se que o cronograma de
barras é a representação correspondente do diagrama de rede.

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html

UFBA –  2012 – Concurso Público para Servidor Técnico-Administrativo – ARQUITETO E URBANISTA / Superior –  25

REFERÊNCIAS

Questões de 21 a 23
JUND, Sérgio. AFO, administração financeira e orçamentária: teoria e 700 questões. Rio de
Janeiro: Elsevier, 2006. Adaptado.
Questão 34
______. ______.
Questão 66
MANUAL Brasileiro de Sinalização de Trânsito do Denatran. Brasília: Denatran, 2000. Disponível
em: <http://www.denatran.gov.br/publicacoes/download/AreasEscolares.pdf>.  Acesso em: 6 jan. 2012.
Questão 80
YAZIGI, W. A técnica de edificar. 6. ed. rev. e ampl. São Paulo: Pini, 2004.
Questão 83
AS PATOLOGIAS mais comuns pela falta de impermeabilização. Disponível em: <http://
www.ibisp.org.br/?pagid=vrevista_techne&id=12>. Acesso em: 6 jan. 2012.
Questão 100
MATTOS, A. D. Planejamento e controle de obras. São Paulo: Pini, 2010.

Fontes das ilustrações

Questão 57
OBERG, L. Desenho arquitetônico. 22. ed. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1979. p. 25.
Questão 71 e 73
ABNT NBR 9050:2004. Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos
urbanos
. Rio de Janeiro: ABNT, 2004. p. 7 e 35.
Questão 81
JUNTAS estruturais. Disponível em: <http://www.arquitetura.eesc.usp.br/pesquisa/grupos/arqterma/
guiaceramicacompleto/02/content/020604_juntas_estruturais.htm>. Acesso em: 6 jan. 2012.
Questões 97 e 98
MATTOS, A. D. Como preparar orçamentos de obras: dicas para orçamentistas, estudo de
caso, exemplos. São Paulo: Pini, 2006. p. 64 e 175.
Questões 99 e 100
MATTOS, A. D. Planejamento e controle de obras. São Paulo: Pini, 2010. p. 152, 204-205.

ufba-2012-ufba-arquiteto-prova.pdf-html.html