Prova Concurso - Engenharia - 2013-RIOPREVIDENCIA-ESPECIALISTA-EM-PREVIDENCIA-SOCIAL-ENGENHARIA-CIVIL - CEPERJ - RIOPREVIDENCIA - 2013

Prova - Engenharia - 2013-RIOPREVIDENCIA-ESPECIALISTA-EM-PREVIDENCIA-SOCIAL-ENGENHARIA-CIVIL - CEPERJ - RIOPREVIDENCIA - 2013

Detalhes

Profissão: Engenharia
Cargo: 2013-RIOPREVIDENCIA-ESPECIALISTA-EM-PREVIDENCIA-SOCIAL-ENGENHARIA-CIVIL
Órgão: RIOPREVIDENCIA
Banca: CEPERJ
Ano: 2013
Nível: Superior

Downloads dos Arquivos

prova.pdf
gabarito.pdf

Provas relacionadas

ENGENHEIRO-NUCLEARAMAZUL2018
ENGENHEIRO-AREA-MECANICAUFPA2018
ENGENHEIRO-ENGENHARIA-MECANICAUFPA2018

Gabarito

ceperj-2013-rioprevidencia-especialista-em-previdencia-social-engenharia-civil-gabarito.pdf-html.html

 

Fundação Centro de Estatísticas, Pesquisas e Formação de Servidores Públicos do Rio de Janeiro 

Diretoria de Concursos e Processos Seletivos (DCPS) 
Coordenadoria Pedagógica 

– COPED 

 

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 

FUNDO ÚNICO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO ESTADO  

DO RIO DE JANEIRO (RIOPREVIDÊNCIA) 

 

EDITAL 

 

O  DIRETOR-PRESIDENTE  DO  FUNDO  ÚNICO  DE  PREVIDÊNCIA  SOCIAL  DO  ESTADO  DO  RIO  DE 
JANEIRO (RIOPREVIDÊNCIA), no uso das atribuições conferidas pela legislação em vigor, e tendo em vista o 
comunicado da CEPERJ RJ, torna público o Gabarito das Provas Objetivas de Nível Superior, do Concurso 
Público para provimento dos cargos efetivos da carreira de ESPECIALISTA EM PREVIDÊNCIA SOCIAL - EPS
realizadas no dia 09 de dezembro de 2012. 
 

NÍVEL SUPERIOR 

ESPECIALISTA EM PREVIDÊNCIA SOCIAL - EPS  

QUALQUER ÁREA DE FORMAÇÃO 

CONHECIMENTOS GERAIS 

Língua 

Portuguesa 

Informática 

Raciocínio 

Lógico-Quantitativo 

Dir. Constitucional e 

Administrativo 

Dir. Previdenciário e 

Previdência Social 

01- D  

11- B   

16- C   

21- E   

31- C    

02- B   

12- C  

17- C  

22- A  

32- A 

03- B   

13- A  

18- B 

23- B  

33- E 

04- A    

14- D  

19- C 

24- A  

34- A   

05- E   

15- E  

20- A 

25- D  

35- E  

06- D   

 

 

26- C 

36- D 

07- C   

 

 

27- D 

37- C 

08- E   

 

 

28- C 

38- D 

09- A   

 

 

29- E 

39- B 

10- B   

 

 

30- B 

40- B 

 
 

NÍVEL SUPERIOR 

ESPECIALISTA EM PREVIDÊNCIA SOCIAL - EPS  

QUALQUER ÁREA DE FORMAÇÃO 

CONHECIMENTOS GERAIS 

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

Economia e Fund. 

de Finanças 

Administração 

Pública 

Estatística e 

Fund. de Atuária 

Previdência Social 

Finanças Públicas 

41- A 

46- A   

56- B  

61- C  

71- A  

42- E 

47- D 

57- A  

62- D 

72- D  

43- B 

48- C 

58- E  

63- B 

73- E 

44- B 

49- E 

59- D  

64- A  

74- B   

45- A 

50- A 

60- C 

65- E  

75- C  

 

51- B  

 

66- D  

76- C 

 

52- E 

 

67- B 

77- E  

 

53- D 

 

68- A 

78- D  

 

54- B 

 

69- C 

79- B 

 

55- A 

 

70- E 

80- A  

 
 
 
 
 
 

ceperj-2013-rioprevidencia-especialista-em-previdencia-social-engenharia-civil-gabarito.pdf-html.html

 

NÍVEL SUPERIOR 

ESPECIALISTA EM PREVIDÊNCIA SOCIAL - EPS   

FORMAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS 

CONHECIMENTOS GERAIS 

Língua 

Portuguesa 

Informática 

Raciocínio 

Lógico-Quantitativo 

Dir. Constitucional e 

Administrativo 

Dir. Previdenciário e 

Previdência Social 

01- D  

11- B   

16- B  

21- E   

31- C    

02- B   

12- C  

17- C  

22- A  

32- A 

03- B   

13- A  

18- B 

23- B  

33- E 

04- A    

14- D  

19- C 

24- A  

34- A   

05- E   

15- E  

20- B 

25- D  

35- E  

06- D   

 

 

26- C 

36- D 

07- C   

 

 

27- D 

37- C 

08- E   

 

 

28- C 

38- D 

09- A   

 

 

29- E 

39- B 

10- B   

 

 

30- B 

40- B 

 
 

NÍVEL SUPERIOR 

ESPECIALISTA EM PREVIDÊNCIA SOCIAL - FORMAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS  

CONHECIMENTOS GERAIS 

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

Economia e Fund. 

de Finanças 

Administração 

Pública 

Estatística e 

Fund. de Atuária 

Contabilidade 

Pública 

Contabilidade 

Geral 

41- D 

46- A   

56- D  

61- C  

71- B  

42- E 

47- D 

57- B 

62- B 

72- D  

43- C 

48- C 

58- C 

63- E 

73- A 

44- E 

49- E 

59- A 

64- D 

74- C 

45- C 

50- A 

60- D 

65- A 

75- E 

 

51- B  

 

66- B 

76- D 

 

52- E 

 

67- C 

77- C 

 

53- D 

 

68- D 

78- B 

 

54- B 

 

69- E 

79- E 

 

55- A 

 

70- A 

80- A 

 
 

NÍVEL SUPERIOR 

ESPECIALISTA EM PREVIDÊNCIA SOCIAL - EPS  

FORMAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL OU ARQUITETURA 

CONHECIMENTOS GERAIS 

Língua 

Portuguesa 

Informática 

Raciocínio 

Lógico-Quantitativo 

Dir. Constitucional e 

Administrativo 

Dir. Previdenciário e 

Previdência Social 

01- D  

11- B   

16- D  

21- E   

31- C    

02- B   

12- C  

17- E 

22- A  

32- A 

03- B   

13- A  

18- D 

23- B  

33- E 

04- A    

14- D  

19- C 

24- A  

34- A   

05- E   

15- E  

20- D 

25- D  

35- E  

06- D   

 

 

26- C 

36- D 

07- C   

 

 

27- D 

37- C 

08- E   

 

 

28- C 

38- D 

09- A   

 

 

29- E 

39- B 

10- B   

 

 

30- B 

40- B 

 
 
 
 

ceperj-2013-rioprevidencia-especialista-em-previdencia-social-engenharia-civil-gabarito.pdf-html.html

 

NÍVEL SUPERIOR 

ESPECIALISTA EM PREVIDÊNCIA SOCIAL 

– EPS 

FORMAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL OU AQUITETURA 

CONHECIMENTOS GERAIS 

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

Economia e Fund. 

de Finanças 

Administração 

Pública 

Estatística e 

Fund. de Atuária 

Obras 

– Planejamento, Normas, 

Fiscalização e Legislação 

41- B  

46- A   

56- E  

61- B  

71- A   

42- D 

47- D 

57- B  

62- E  

72- C  

43- C 

48- C 

58- A  

63- A  

73- D 

44- A 

49- E 

59- C  

64- C  

74- E 

45- A 

50- A 

60- B 

65- B 

75- C 

 

51- B  

 

66- B 

76- A 

 

52- E 

 

67- E 

77- B  

 

53- D 

 

68- D 

78- D  

 

54- B 

 

69- C 

79- C 

 

55- A 

 

70- B 

80- E 

 
 

NÍVEL SUPERIOR 

ESPECECIALISTA EM PREVIDÊNCIA SOCIAL 

– EPS  

FORMAÇÃO EM CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO OU CORRELATAS 

CONHECIMENTOS GERAIS 

Língua 

Portuguesa 

Informática 

Raciocínio 

Lógico-Quantitativo 

Dir. Constitucional e 

Administrativo 

Dir. Previdenciário e 

Previdência Social 

01- D  

11- B   

16- A  

21- E   

31- C    

02- B   

12- C  

17- D  

22- A  

32- A 

03- B   

13- A  

18- B 

23- B  

33- E 

04- A    

14- D  

19- C 

24- A  

34- A   

05- E   

15- E  

20- A 

25- D  

35- E  

06- D   

 

 

26- C 

36- D 

07- C   

 

 

27- D 

37- C 

08- E   

 

 

28- C 

38- D 

09- A   

 

 

29- E 

39- B 

10- B   

 

 

30- B 

40- B 

 
 

NÍVEL SUPERIOR 

ESPECIALISTA EM PREVIDÊNCIA SOCIAL - EPS  

FORMAÇÃO EM CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO OU CORRELATAS 

CONHECIMENTOS GERAIS 

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

Economia e Fund. 

de Finanças 

Administração 

Pública 

Estatística e 

Fund. de Atuária 

Gestão Tecnologia 

da Informação 

Sistema de 

Computação 

41- C 

46- A   

56- B  

61- D  

71- B  

42- B 

47- D 

57- E  

62- B 

72- C  

43- A 

48- C 

58- C  

63- C 

73- C 

44- B 

49- E 

59- A 

64- E 

74- E 

45- C 

50- A 

60- A 

65- A 

75- A 

 

51- B  

 

66- C 

76- E 

 

52- E 

 

67- A 

77- A  

 

53- D 

 

68- D 

78- D  

 

54- B 

 

69- B 

79- B 

 

55- A 

 

70- E 

80- D 

 

Prova

ceperj-2013-rioprevidencia-especialista-em-previdencia-social-engenharia-civil-prova.pdf-html.html

sac@ceperj.rj.gov.br         

www.ceperj.rj.gov.br         

Caro(a) Candidato(a), leia atentamente e siga as instruções abaixo.

01-  A lista de presença deve, obrigatoriamente, ser assinada no recebimento do Cartão de Respostas e assinada novamente na 

sua entrega, na presença e nos locais indicados pelo fi scal da sala.

02-  Você recebeu do fi scal o seguinte material:

 a) 

Este 

Caderno, com 60 (sessenta) questões da Prova Objetiva de Conhecimentos Gerais, sem repetição ou falha, assim distribuídas:

  

Língua Informática 

Raciocínio 

Direito 

Direito  

Economia e   Administração  Estatística e

  

Portuguesa 

 

Lógico Constitucional 

Previdenciário e  Fundamentos 

Pública 

Fundamentos

  

 

 

Quantitativo 

e Administrativo  Previdência Social  de Finanças   de 

Atuária

 

 

01 a 10 

11 a 15 

16 a 20 

21 a 30 

31 a 40 

41 a 45 

46 a 55 

56 a 60 

 b) 

Um 

Cartão de Respostas destinado às respostas das questões objetivas formuladas nas provas.

03- Verifi que se este material está em ordem e se o seu nome e número de inscrição conferem com os que aparecem no Cartão de 

Respostas. Caso contrário, notifi que imediatamente o fi scal.

04-  Após a conferência, o candidato deverá assinar no espaço próprio do Cartão de Respostas, com caneta esferográfi ca de tinta 

na cor azul ou preta.

05- No Cartão de Respostas, a marcação da alternativa correta deve ser feita cobrindo a letra e preenchendo todo o espaço interno 

do quadrado, com caneta esferográfi ca de tinta na cor azul ou preta, de forma contínua e densa. 

 Exemplo:

06-  Para cada uma das questões objetivas, são apresentadas 5 (cinco) alternativas classifi cadas com as letras (A, B, C, D e E), mas 

só uma responde adequadamente à questão proposta. Você só deve assinalar uma alternativa. A marcação em mais de uma 
alternativa anula a questão, mesmo que uma das respostas esteja correta.

07-  Será eliminado do Processo Seletivo o candidato que:

 a) 

Utilizar 

ou consultar cadernos, livros, notas de estudo, calculadoras, telefones celulares, pagers, walkmans, réguas, esquadros, 

transferidores, compassos, MP3, Ipod, Ipad e quaisquer outros recursos analógicos.

 

b)   Ausentar-se da sala, a qualquer tempo, portando o Cartão de Respostas.

Observações: Por motivo de segurança, o candidato só poderá retirar-se da sala após 1 (uma) hora a partir do início da prova.

 

O candidato que optar por se retirar sem levar seu Caderno de Questões não poderá copiar sua marcação de 
respostas, em qualquer hipótese ou meio
O descumprimento dessa determinação será registrado em ata, 
acarretando a eliminação do candidato

 

Somente decorridas 2 horas e 30 minutos de prova, o candidato poderá retirar-se levando o seu Caderno de Questões.

08- Reserve os 30 (trinta) minutos fi nais para marcar seu Cartão de Respostas. Os rascunhos e as marcações assinaladas no 

Caderno de Questões não serão levados em conta.

A

B

C

D

E

Data: 09/12/2012 - Manhã 

Duração: 3 horas e 30 minutos

C

ONHECIMENTOS

 G

ERAIS

Concurso Público

ESPECIALISTA EM PREVIDÊNCIA SOCIAL

ENGENHARIA CIVIL OU

ARQUITETURA

ceperj-2013-rioprevidencia-especialista-em-previdencia-social-engenharia-civil-prova.pdf-html.html

ESPECIALISTA EM PREVIDÊNCIA SOCIAL - ENGENHARIA CIVIL OU ARQUITETURA - CONHECIMENTOS GERAIS

2

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - Fundo Único de Previdência Social do Estado do Rio de Janeiro - RIOPREVIDÊNCIA
Fundação Centro Estadual de Estatística, Pesquisa e Formação de Servidores Públicos do Rio de Janeiro - CEPERJ

LÍNGUA PORTUGUESA

F

UNDO

 

PÚBLICO

 

E

 

POLÍTICAS

 

SOCIAIS

 

NA

 

CRISE

 

DO

 

CAPITALISMO

O Brasil não foi poupado da crise fi nanceira internacional, contu-

do, foi um dos últimos atingidos e um dos primeiros a sair dela. Isto 
por diversos motivos, entre eles menor endividamento comparado 
com as economias mais ricas do planeta e por ser grande produtor 
de  commodities, que cresceram consideravelmente no segundo 
semestre de 2009, puxadas pelas importações da China (hoje o 
maior parceiro comercial do Brasil).

(...)

No âmbito das políticas monetárias e fi scais, o governo brasileiro 

agiu rápido no socorro ao grande capital, especialmente o fi nan-
ceiro. Considerando as medidas de combate à crise, que não têm 
impacto direto no caixa do governo (orçamento público), o montante 
de recursos que foi despendido alcançou R$ 475 bilhões. Nesse 
valor estão, sobretudo, as medidas adotadas no campo da política 
monetária, destacadamente as mudanças nas regras do depósito 
compulsório, leilões com dólar e a linha de troca de moeda com o 
Federal Reserve (FED), que somaram R$ 284 bilhões. Com isso, 
o Banco Central socorreu os bancos mais uma vez.

A fl exibilização nas regras dos depósitos compulsórios foi também 

uma oportunidade para que algumas instituições fi nanceiras pudes-
sem elevar os recursos que têm em caixa com a venda de ativos para 
os maiores bancos. De forma que o fundo público no Brasil atuou 
no âmbito das políticas monetárias no sentido de liberar recursos 
para as instituições fi nanceiras, sem quaisquer contrapartidas de 
manutenção ou ampliação de postos de trabalhos e dos direitos 
sociais. A rapidez e a agilidade do fundo público brasileiro usadas 
para socorrer o mercado fi nanceiro são mais uma amostra da infl u-
ência dos bancos no domínio da agenda econômica do nosso país.

 (...)

Em relação às despesas públicas, é importante dizer que se 

constitui um mito a afi rmação de que há um descontrole nas des-
pesas com pessoal, pois os gastos públicos com ativos, aposen-
tados e pensionistas, que representavam 5,36% do PIB em 1995, 
reduziram-se para 4,76% em 2009, conforme dados da Secretaria 
do Tesouro Nacional (STN). Além disso, as despesas com saúde 
e educação estão bem abaixo dos padrões internacionais dos 
países do OCDE. Assim como a Previdência Social está distante 
da universalização no Brasil, pois metade dos trabalhadores ativos 
está fora do sistema.

Uma questão importante a ser destacada é que as medidas de 

desonerações tributárias adotadas para combater a crise afetaram o 
fi nanciamento do orçamento da seguridade social, enfraquecendo a 
capacidade deste orçamento para cobrir com suas receitas exclusi-
vas as despesas previdenciárias, de assistência social e de saúde.

De acordo com a Secretaria da Receita Federal do Brasil (SRFB), 

ao longo de 2009, o desempenho da arrecadação tributária em 
relação a 2008 encolheu 3,05%. Em termos reais, em valores defl a-
cionados pelo IPCA, o equivalente a uma perda de R$ 21,5 bilhões. 
Os tributos que mais contribuíram para essa queda de arrecadação 
foram a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social 
(Cofi ns) e a contribuição social para o PIS/Pasep, que são fontes 
importantes no fi nanciamento da seguridade social brasileira, res-
pondendo por 49% do declínio da arrecadação tributária em 2009.

Essa queda na arrecadação da Cofi ns e do PIS/Pasep é atri-

buída pela Receita Federal a uma conjunção de fatores relacio-
nados, em grande parte, à crise econômica. Em decorrência da 
crise ocorreu uma piora dos indicadores macroeconômicos, que 
infl uenciaram diretamente a arrecadação tributária, entre eles a 
produção industrial, a lucratividade das empresas e a queda no 
volume geral de vendas no varejo no ano de 2009 em relação a 
2008. E, destacadamente, as desonerações tributárias estimadas 
em R$ 24,9 bilhões.

Acontece que o orçamento da seguridade social continua 

perdendo recursos de suas fontes tributárias “exclusivas” devido 
à transferência de recursos para o orçamento fi scal por meio da 
Desvinculação das Receitas da União (DRU). A DRU transforma 
os recursos destinados ao fi nanciamento da seguridade social 
em recursos fi cais para a composição do superávit primário e, por 
consequência, a sua utilização em pagamento de juros da dívida.

O “Relatório resumido da execução orçamentária do governo 

federal e outros demonstrativos” divulgado pela Secretaria do 
Tesouro Nacional, com dados de 2009, revela que a DRU desviou 
do Orçamento da Seguridade Social para o Orçamento Fiscal o 
montante de R$ 39,2 bilhões. Já foram surrupiados desde 2000 
mais de R$ 300 bilhões da seguridade social.

Além disso, com os recursos da seguridade social o governo 

também paga os benefícios previdenciários dos servidores públicos 
federais que, por princípios constitucionais, não incluiriam esse tipo 
de gasto. Apesar de legítimas, as despesas com inativos e com 
pensionistas da União devem pertencer ao Orçamento Geral, o qual 
é fi nanciado por tributos, e não por recursos exclusivos da política 
de proteção social. A União transferiu para a responsabilidade 
do orçamento da seguridade social um estoque de gastos com 
aposentadorias e pensões dos servidores públicos federais que 
deveriam ser honrados pelo caixa do orçamento fi scal. As despe-
sas com inativos e pensionistas da União pagas com recursos da 
seguridade social superam R$ 50 bilhões, o que representa 15% 
do montante gasto nas funções orçamentárias de previdência, 
assistência social e saúde.

                       Evilásio Salvador (adaptado de: http://www.scielo.br/scielo.

php?script=sci_arttext&pid=S0101-66282010000400002)

01.

 “o governo brasileiro agiu rápido no socorro ao grande capital, 

especialmente o fi nanceiro”. Segundo o texto, um dos impactos 
gerados por iniciativas desse tipo é:

A) ampliação da efi cácia no controle sobre os gastos públicos, 

promovendo redução de despesa com pessoal

B)  desoneração da carga tributária sobre instituições fi nanceiras, 

gerando contrapartida social relevante

C)  aumento da carga tributária para provimento  de recursos pú-

blicos e pagamento de juros e serviços de dívida externa

D)  redução das fontes constitucionalmente previstas para fi nan-

ciamento da previdência 

E)  ampliação da capacidade de investimento privado de infraes-

trutura 

02.

 No último parágrafo do texto, a conclusão apresentada indica:

A) retifi cação das análises anteriores a respeito da capacida-

de de pressão das instituições fi nanceiras sobre o governo 
brasileiro

B)  crítica à utilização de mecanismo que altera destinação de 

dotações orçamentárias da Seguridade Social

C)  defesa da necessidade de mecanismos previstos, como a 

Desvinculação de Receitas da União

D)  contradição entre a Constituição e a demanda corporativa dos 

servidores públicos federais

E)  sugestão de mecanismo constitucional a ser implementado pelo 

governo federal na resolução de impasses fi nanceiros

03.

 O texto lido é um artigo acadêmico. A única característica 

desse gênero não observada no texto é:

A)  uso do registro formal da língua
B)  predomínio de sequências descritivas
C)  citação explícita atribuída a outras fontes
D)  emprego da função referencial
E)  utilização de estratégias argumentativas diversas

ceperj-2013-rioprevidencia-especialista-em-previdencia-social-engenharia-civil-prova.pdf-html.html

ESPECIALISTA EM PREVIDÊNCIA SOCIAL - ENGENHARIA CIVIL OU ARQUITETURA - CONHECIMENTOS GERAIS

3

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - Fundo Único de Previdência Social do Estado do Rio de Janeiro - RIOPREVIDÊNCIA
Fundação Centro Estadual de Estatística, Pesquisa e Formação de Servidores Públicos do Rio de Janeiro - CEPERJ

04.

 O modo de organização textual adotado no quarto parágrafo é:

A)  dedutivo, sustentando afi rmação geral com dados
B)  dialético, reforçando a tese do autor por meio de antíteses 
C)  narrativo,considerando um relato de fatos históricos recentes
D)  contraditório, apresentando ideia oposta à defendida pelo autor
E)  indutivo, partindo de opinião particular para informações gerais

05. 

A palavra formada por acréscimo de um prefi xo é:

A) recurso
B) despesas
C) seguridade
D) execução
E) desonerações

06.

 Observe o seguinte período composto, adaptado do texto: 

Apesar de serem legítimas, as despesas com inativos e com 
pensionistas da União devem pertencer ao Orçamento Geral
. O 
conectivo “apesar de” expressa o valor semântico de:

A) causa
B) modo
C) adição
D) concessão
E) consequência

07. 

O emprego da vírgula delimita fronteira entre orações em:

A)  “No âmbito das políticas monetárias e fi scais, o governo brasi-

leiro agiu rápido”

B)  “Nesse valor estão, sobretudo, as medidas adotadas no campo 

da política monetária”

C)  “ocorreu uma piora dos indicadores macroeconômicos, que 

infl uenciaram diretamente a arrecadação tributária”

D)  “Em termos reais, em valores defl acionados pelo IPCA, o equi-

valente a uma perda de R$ 21,5 bilhões”

E)  “entre eles a produção industrial, a lucratividade das empresas 

e a queda no volume geral de vendas”

08.

 O pronome relativo tem por função retomar elemento expresso 

anteriormente. A palavra “que” possui essa função em:

A)  “Acontece que o orçamento da seguridade social continua 

perdendo recursos” (8º parágrafo)

B)  “revela que a DRU desviou do Orçamento da Seguridade Social 

para o Orçamento Fiscal” (9º parágrafo)

C)  “Uma questão importante a ser destacada é que as medidas 

de desonerações tributárias adotadas” (5º parágrafo)

D)  “Em relação às despesas públicas, é importante dizer que se 

constitui um mito” (4º parágrafo)

E) “algumas instituições fi nanceiras pudessem elevar os recursos 

que têm em caixa” (3º parágrafo)

09. 

Empregam-se somente formas verbais regulares em:

A)  “com os recursos da seguridade social o governo também paga 

os benefícios previdenciários dos servidores públicos federais” 

B)  “um mito a afi rmação de que há um descontrole nas despesas 

com pessoal”

C)  “Os tributos que mais contribuíram para essa queda de arre-

cadação foram a Contribuição para o Financiamento da Segu-
ridade Social”

D)  “O Brasil não foi poupado da crise fi nanceira  internacional, 

contudo, foi um dos últimos atingidos”

E)  “Uma questão importante a ser destacada é que as medidas 

de desonerações tributárias adotadas”

10. 

A palavra “países” recebe acento gráfi co pelo mesmo motivo de:

A) dívida
B) saúde 
C) depósitos
D) monetárias
E) transferência

INFORMÁTICA

11.

 No sistema operacional Windows 7 BR, pressionar as teclas 

Windows 

 e E, em sequência, equivale a executar um 

atalho de teclado, com o objetivo de abrir :

A) o Paint
B)  o Windows Explorer
C)  a caixa de diálogo Executar
D)  o Internet Explorer
E) a Lixeira

12.

 Observe a fi gura abaixo, que é mostrada na tela de um monitor 

de vídeo, quando se clica em um ícone no Word 2010 BR, com a 
fi nalidade de se alterar o espaçamento entre as linhas do texto.

                                                                 
O ícone é:

A) 

B) 

C) 

D) 

E) 

13.

 A fi gura representa uma planilha criada no Excel 2010 BR, 

utilizada em um processo de licitação.

Na planilha, em G5, G6, G7 e G8, são mostrados os  menores entre 
os preços dos fornecedores F1, F2 e F3, para os itens indicados na 
coluna B. Para se obter o valor mostrado em G5, deve ser inserida 
nessa célula uma das expressões indicadas na seguinte alternativa:

A)  =MENOR(D5:F5;1) ou =MÍNIMO(D5:F5)
B)  =MENOR(D5:F5) ou =MÍNIMO(D5:F5;1)
C)  =MENOR(D5:F5;1) ou =MÍNIMO(D5:F5;1)
D)  =MENOR(D5&F5;1) ou =MÍNIMO(D5&F5)
E)  =MENOR(D5&F5) ou =MÍNIMO(D5&F5;1)

 

 

 

 

 

ceperj-2013-rioprevidencia-especialista-em-previdencia-social-engenharia-civil-prova.pdf-html.html

ESPECIALISTA EM PREVIDÊNCIA SOCIAL - ENGENHARIA CIVIL OU ARQUITETURA - CONHECIMENTOS GERAIS

4

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - Fundo Único de Previdência Social do Estado do Rio de Janeiro - RIOPREVIDÊNCIA
Fundação Centro Estadual de Estatística, Pesquisa e Formação de Servidores Públicos do Rio de Janeiro - CEPERJ

19. 

Observe a fi gura abaixo:

O valor da altura h vale:

A) 9,5
B) 11,0
C) 12,5
D) 14,0
E) 15,0

20.

 Na equação 

x

x

20

25

)

2

(

2

, o valor de  x  é:

A) 1/5
B) 3/2
C) 2
D) 5/2
E) 4
 

14.

 Para fechar a janela do browser Google Chrome, pode-se 

clicar num ícone ou executar um atalho de teclado. O ícone e o 
atalho de teclado são, respectivamente:

A)    

e   Alt + F7  

B)    

e   Alt + F4  

C)   

e   Alt + F1  

D)    

e   Alt + F4  

E)    

e   Alt + F7  

15.

 No MSOffi ce Outlook 2010 BR, o acionamento da tecla de 

função F9 tem por signifi cado:

A)  abrir o catálogo de endereços
B)  esvaziar a pasta de itens excluídos
C)  excluir e-mails da pasta de entrada
D)  alterar modo de exibição do software
E)  enviar e receber mensagens de e-mail 

 

 

 

 

 

DIREITO CONSTITUCIONAL E ADMINISTRATIVO

21. 

A Constituição brasileira de 1937, estabelecida pelo Estado 

Novo, presidido por Getúlio Vargas, pode ser classifi cada de acordo 
com a Teoria da Constituição em:

A)  popular quanto ao conteúdo 
B)  fl exível quanto à estabilidade
C)  não escrita quanto à forma
D)  histórica quanto ao modo de elaboração
E)  outorgada quanto à origem

22.

 O Prefeito do Município XY, assumindo o seu primeiro mandato 

e cioso da manutenção de correta atividade administrativa, resolveu 
procurar o Juiz de Direito da Comarca, para postular auxílio na 
administração, estabelecendo que todos os atos do Executivo local 
somente seriam publicados após a chancela do magistrado. Tais 
fatos caracterizam, no tocante aos poderes, afronta ao princípio da:

A) independência
B) harmonia
C) colaboração
D) internalização
E)  fi xação

23. 

Nos últimos anos, a nomeação para Ministro do Supremo 

Tribunal Federal recaiu sobre dois Ministros oriundos do Superior 
Tribunal de Justiça e uma Ministra egressa do Tribunal Superior do 
Trabalho. No sistema brasileiro, quanto à nomeação para o referido 
cargo, é correta a seguinte afi rmativa:

A)  existe a indicação de membro de tribunal superior, pelo sistema 

de rodízio

B)  pode a escolha recair sobre qualquer jurista, respeitada a idade 

mínima

C)  havendo a nomeação, a candidatura é submetida à Câmara 

dos Deputados

D)  cabe ao Presidente da República indicar membro de Tribunal Federal
E)  recai sobre o Senado Federal a competência para indicar lista 

tríplice para a vaga

RACIOCÍNIO-LÓGICO QUANTITATIVO

16. 

Duas funções f e g são defi nidas por

 

 

 

 

e

O produto entre f(g(x)) e g(f(x)) para x igual a 4 é:

A) e

4

B) ln(4)
C) 4
D) 16
E) e

16

17. 

O termo a, na posição n de uma progressão aritmética, é 

dado pela expressão a

n

= 100+2n. A soma de todos os termos dessa 

progressão aritmética entre o termo 50 e o termo 100, incluindo 
esses dois termos, vale:

A) 10000
B) 11500
C) 11750
D) 12000
E) 12750

18. 

Na sequência 1, 4, 9, 20, 35, X, 91 o número indicado pela 

letra X é:

A) 50
B) 55
C) 60
D) 66
E) 70

 

 

9 16 

ceperj-2013-rioprevidencia-especialista-em-previdencia-social-engenharia-civil-prova.pdf-html.html

ESPECIALISTA EM PREVIDÊNCIA SOCIAL - ENGENHARIA CIVIL OU ARQUITETURA - CONHECIMENTOS GERAIS

5

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - Fundo Único de Previdência Social do Estado do Rio de Janeiro - RIOPREVIDÊNCIA
Fundação Centro Estadual de Estatística, Pesquisa e Formação de Servidores Públicos do Rio de Janeiro - CEPERJ

24.

 Nos termos da ordem econômica instituída e regulada pela 

Constituição Federal de 1988, é correto afi rmar que:

A)  há a consagração de uma economia de mercado, de natureza 

capitalista

B)  a valorização do trabalho humano induz ao estabelecimento de 

economia socialista

C)  a intervenção do Estado na atividade econômica só ocorre para 

aparar excessos dos empresários

D)  o Estado deve proteger os monopólios e oligopólios, por ine-

rentes ao sistema capitalista

E)  o consumidor deve ser protegido somente em relação a em-

presas transnacionais

25.

 Dentre as competências constitucionais do Senado Federal 

está incluída a arguição pública e aprovação em votação secreta 
do Presidente da seguinte instituição:

A)  Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social
B)  Casa da Moeda do Brasil
C)  Banco do Brasil S/A
D)  Banco Central do Brasil
E)  Caixa Econômica Federal

26. 

Nos termos da legislação federal que regula a atuação das 

Organizações Sociais que podem exercer atividades em contratos 
de gestão pertinentes à execução de serviços públicos em regime 
de parceria, as pessoas qualifi cadas a prestar tais serviços devem 
cumprir a seguinte exigência:

A)  ter personalidade jurídica de direito público
B)  possuir criação por lei formal
C) não possuir fi nalidade lucrativa
D)  destinar-se a atividade econômica empresarial
E)  caracterizar-se pela experiência anterior à prestação 

27. 

O Governo do Estado, apoiando o programa de criação 

das Unidades de Polícia Pacifi cadora, realiza várias outras inter-
venções. Em relação aos pequenos comerciantes locais, atua na 
sua regularização para efeito de futuro recolhimento de impostos, 
bem como da regularidade dos alimentos comercializados. Nesse 
caso, os agentes estaduais atuam em decorrência do seguinte 
tipo de poder:

A) político
B) executivo
C) alimentar
D) de polícia
E) interventivo

28.

 Nos casos em que for enfi teuta, pagando ao proprietário 

as importâncias estabelecidas em lei, o poder público adquire a 
respectiva propriedade, por aquisição de bem público por meio de:

A) compra
B) doação
C) resgate
D) adjudicação
E) arrematação

29.

 O prazo de exercício para o mandado de segurança contra 

ato abusivo de autoridade pública será de:

A)  trinta dias, contado da data da publicação do ato coator
B)  sessenta dias, contado da intimação pessoal do administrado
C)  noventa dias, contado da publicação em órgão de imprensa 

local

D)  cem dias, contado da edição do ato que não necessita ser 

publicado

E)  cento e vinte dias, contado da ciência pessoal do administrado

DIREITO PREVIDENCIÁRIO E PREVIDÊNCIA SOCIAL

31. 

A participação dos empregados, empregadores e aposen-

tados nos órgãos vinculados à Seguridade Social é exemplo de 
aplicação do seguinte princípio:

A) unidade
B) solidariedade
C) democracia
D) autocracia
E) desenvolvimento 

32.

 Ao estabelecer um melhor quinhão de benefícios a classes 

de renda menos elevada, fornecendo benefícios previdenciários de 
maior amplitude e valor, a administração previdenciária obedece 
ao seguinte princípio:

A) seletividade
B) discriminação 
C) legalidade
D) equalização 
E) regionalização 

33.

 A busca por proteção diante dos infortúnios da vida tem sido 

considerada a base da Seguridade Social, cuja responsabilidade 
atualmente é dividida entre o Estado e entidades privadas. Na 
origem da Seguridade Social podem ser identifi cados(as):

A)  os serviços de câmbio
B)  as instituições de doações 
C)  os bancos de penhor
D)  as indústrias extrativas 
E)  as sociedades mutualistas

34.

 No âmbito da Seguridade Social está a proteção à saúde. Para 

ampliar os limites dessa proteção, em obediência aos comandos 
constitucionais, houve a instituição:

A)  do Sistema Único de Saúde, com recursos públicos
B)  da Federação de Casas de Misericórdia, com apoio dos municípios
C)  do Consórcio de Estados e Municípios para a prestação de 

serviços de saúde

D)  do Programa integrado de governos estaduais e municipais
E)  da Sociedade de Pesquisa Coletiva de doenças tropicais

35. 

No âmbito da Assistência Social emendou-se a Constituição 

Federal para permitir-se aos Estados e ao Distrito Federal vincular 
a programa de apoio à inclusão e promoção social percentual da 
receita tributária líquida correspondente a até:

A)  dez por cento (10%)
B)  um por cento (1%)
C)  cinco por cento (5%)
D)  três por cento (3%)
E)  cinco décimos por cento (0,5%)

30.

 Necessitando acessar informações pessoais que estão sob 

a guarda da Secretaria Estadual, o servidor público Mário deve 
proceder da seguinte forma:

A)  ingressar diretamente em Juízo, postulando o acesso às refe-

ridas informações

B)  requerer administrativamente o acesso e, acaso indeferido, 

ingressar com pedido de habeas data

C)  postular o acesso administrativamente e, após um ano de es-

pera, caracterizar a inércia e impetrar mandado de segurança

D)  ingressar diretamente no Poder Judiciário e postular a decla-

ração de lacuna em mandado de injunção

E)  apresentar requerimento administrativo e, ultrapassados trinta 

dias sem resposta, ingressar com habeas corpus

ceperj-2013-rioprevidencia-especialista-em-previdencia-social-engenharia-civil-prova.pdf-html.html

ESPECIALISTA EM PREVIDÊNCIA SOCIAL - ENGENHARIA CIVIL OU ARQUITETURA - CONHECIMENTOS GERAIS

6

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - Fundo Único de Previdência Social do Estado do Rio de Janeiro - RIOPREVIDÊNCIA
Fundação Centro Estadual de Estatística, Pesquisa e Formação de Servidores Públicos do Rio de Janeiro - CEPERJ

ECONOMIA E FUNDAMENTOS DE FINANÇAS 

41.

 De acordo com a teoria econômica, o conceito de renda 

nacional é equivalente ao conceito de produto:

A)  interno bruto a custo de fator.
B)  nacional líquido a custo de fator.
C)  interno bruto a preço de mercado.
D)  nacional bruto a custo de fator.
E)  nacional líquido a preço de mercado.

42. 

Uma economia apresenta défi cit na sua conta corrente e 

superávit no balanço de pagamentos num determinado período. 
Podemos afi rmar que:

A)  o saldo da balança comercial é positivo.
B)  o saldo da balança comercial é negativo.
C)  o saldo da balança de serviços é positivo.
D)  essa economia acumulou reservas no período.
E)  essa economia perdeu reservas no período.

36. 

Na proteção ao defi ciente físico, incapaz de provar a sua 

manutenção, deve ser concedido benefício equivalente ao salário 
mínimo, desde que a renda familiar do benefi ciado corresponda a:

A)  no máximo um salário mínimo per capita
B)  no máximo dois salários mínimos per capita
C)  no máximo 1/2 salário mínimo per capita
D)  1/4 do salário mínimo per capita
E)  1/6 do salário mínimo per capita

37. 

Nos termos das normas constitucionais em vigor, quando o 

servidor público é aposentado por invalidez permanente, a regra 
geral acarreta a aposentadoria com proventos:

A)  integrais, independentemente do tempo de serviço
B)  proporcionais ao tempo de serviço
C)  proporcionais ao tempo de contribuição 
D)  integrais, considerada a idade acima de sessenta anos.
E)  proporcionais na função exercida

38. 

Consoante as regras constitucionais que regem a aposentado-

ria do servidor público, preenchidos os requisitos de idade mínima 
e de cinco anos no cargo efetivo em que se dará, a aposentadoria 
voluntária ocorrerá desde que cumprido o seguinte tempo de efetivo 
exercício no serviço público:

A) dois anos 
B) cinco anos 
C) três anos 
D) dez anos 
E) quinze anos 

39.

 Consoante as regras constitucionais federais, admitem-se 

critérios diferenciadores para a concessão de aposentadoria ao 
servidor que se encontrar na seguinte situação:

A)  idoso com mais de setenta anos de idade
B)  portador de defi ciência física
C)  considerado incapaz por desequilíbrio psíquico
D)  declarado incapaz civilmente por decisão judicial
E)  condenado por crime inafi ançável 

40.

 No regime de aposentadoria dos servidores públicos, caso 

o professor de nível superior possua duas matrículas poderá  
aposentar-se em: 

A)  um dos cargos, tendo em vista o regime de acumulação 
B)  ambos os cargos, se possuir os requisitos exigidos
C)  um dos cargos, utilizando o tempo de serviço cumulado em ambos
D)  ambos os cargos, com contagem especial de tempo de serviço 
E)  um dos cargos, caso possua idade superior ou igual a setenta anos

43. 

Um mercado monopolista apresenta a seguinte característica:

A)  ausência de barreiras à entrada de novas empresas
B)  comercialização de bens homogêneos
C)  tendência a lucros extras no longo prazo
D)  presença de infi nitas fi rmas
E)  ausência de barreiras à saída do mercado

44.

 Não é considerada atribuição do Banco Central do Brasil:

A)  aperfeiçoar os instrumentos fi nanceiros.
B) emitir dinheiro.
C)  negociar a dívida externa.
D)  ser depositário das reservas de ouro e moedas estrangeiras do 

país.

E)  realizar operações de redesconto.

45.

 Os problemas econômicos de 2002 no Brasil refl etiam, em 

parte, uma crise de desconfi ança associada à incerteza em torno 
da política econômica a partir de 2003, com a posse do novo go-
verno. Toda essa incerteza foi capturada pelo seguinte indicador:

A)  aumento da expectativa de infl ação
B)  queda da expectativa de infl ação
C) valorização cambial
D)  queda do risco-país
E)  queda da taxa de juros

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

46.

 Para desenvolver a ética no trabalho, importante aspecto da 

vida funcional de um servidor público, o Instituto Ethos aconselha 
cinco providências, dentre as quais se encontra:

A)  incorporar a ética na avaliação de desempenho do funcionário
B)  examinar se, na formação profi ssional do candidato a funcio-

nário, consta a disciplina de Ética

C)  submeter os funcionários, periodicamente, a um questionário 

sobre situações éticas e não éticas

D)  punir com a demissão por justa causa a quebra da ética no 

ambiente de trabalho

E)  manter Comissão de Ética para acompanhar o comportamento 

dos funcionários, dentro e fora do ambiente de trabalho

47.

 Para atenuar as fl utuações e situações de insufi ciência  de 

demanda efetiva, Keynes recomendava ao Estado:

A)  promover reduções frequentes de tributos, em particular nos 

produtos de grande valor agregado

B)  manter a tranquilidade e aguardar que o mercado regule a 

economia, evitando qualquer intervenção

C)  promover reduções frequentes dos tributos, em particular na 

linha branca

D)  intervir na economia
E)  manter-se fora da economia, mas disponibilizar seus assessores 

para reorganizar as empresas e torná-las mais efi cientes,  a 
exemplo do que fez o governo norte-americano com os bancos 
e a General Motors, na crise de 2008

48.

 Quando se fala de administração pública gerencial, se está 

falando de uma administração pública cuja referência é:

A)  o gerenciamento misto, entre o burocrático e o privado
B)  o gerenciamento das organizações não governamentais
C)  a prática do gerenciamento de empresas privadas
D)  a supressão da burocracia e a adoção da gestão ad-hoe, para 

elevar a efi ciência do serviço público

E)  o tipo de administração a ser adotado nas empresas públicas, 

sociedades de economia mista e organizações não-governa-
mentais do Estado

ceperj-2013-rioprevidencia-especialista-em-previdencia-social-engenharia-civil-prova.pdf-html.html

ESPECIALISTA EM PREVIDÊNCIA SOCIAL - ENGENHARIA CIVIL OU ARQUITETURA - CONHECIMENTOS GERAIS

7

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - Fundo Único de Previdência Social do Estado do Rio de Janeiro - RIOPREVIDÊNCIA
Fundação Centro Estadual de Estatística, Pesquisa e Formação de Servidores Públicos do Rio de Janeiro - CEPERJ

49. 

A burocracia é também chamada por Weber de:

A)  sistema de dominação tradicional
B)  sistema administrativo racional
C)  organização racional do trabalho
D)  gestão impessoal e legal
E) sistema racional-legal

50.

 Administração societal é um tipo de administração pública 

que conta com: 

A)  participação da sociedade na gestão pública
B)  administração pública que trata das sociedades que constituem 

as empresas públicas 

C)  participação dos sócios na gestão das organizações sociais 
D)  participação dos acionistas que constituem uma sociedade por 

ação pública, como a PETROBRAS

E)  a administração das obras sociais do governo

51. 

Rousseau, em seu livro o sobre o contrato social, comenta 

que “A coisa mais perigosa que há é a infl uência dos interesses 
privados nos negócios públicos”
. A lei diretamente ligada à tentativa 
de evitar essa infl uência é:

A)  101/2000, da responsabilidade fi scal
B)  8.666/1993, da licitação
C)  12.527/2012, do acesso
D)  131/2009, da transparência
E)  8.112/1990, dos servidores públicos

52. 

Para regular e controlar a atuação das concessionárias do 

serviço público e das empresas privatizadas pode-se dizer que:

A)  são necessários o CADE, as agências reguladoras, o TCU e a CGU 
B)  as agências reguladoras são sufi cientes
C)  as agências reguladoras e a CGU são necessárias 
D)  as agências reguladoras e o TCU são sufi cientes
E)  as agências reguladoras e o CADE são necessários

53. 

As modalidades de licitação são concorrência, tomada de 

preços e:

A)  tomada de decisão, concurso, leilão e pregão
B)  convite, concurso, leilão, pregão e pregão eletrônico  
C)  convite, concurso, leilão e pregão eletrônico  
D)  convite, concurso, leilão e pregão 
E)  seleção, convite, concurso, leilão e pregão 

54. 

Os cargos, empregos e funções públicas no Brasil do ponto 

de vista do acesso:

A)  não são acessíveis aos estrangeiros
B)  são acessíveis aos estrangeiros
C)  são acessíveis apenas aos portugueses, conforme o tratado 

luso-brasileiro

D)  são acessíveis aos estrangeiros fi lhos de brasileiros
E)  são acessíveis aos estrangeiros cujo país de origem tenha 

acordo de cooperação com o Brasil

55.

 Modelo criado na Europa para “contrapor-se aos processos 

econômicos desumanizados, infl exíveis”, sendo uma “aspiração ao 
direito à equidade e um apelo para romper com as estruturas de 
mercado”, uma procura de “identidade entre democracia e liberdade 
econômica”. Esta descrição corresponde ao:

A)  Estado do Bem-Estar Social
B) keynesianismo
C) New-Deal
D) neoliberalismo
E) nacional-socialismo

ESTATÍSTICA E FUNDAMENTOS DE ATUÁRIA

56. 

Em uma obra, 40% do material para concreto é proveniente do 

fornecedor A e 60% de um outro fornecedor B. Dados estatísticos 
indicam que 2,5% do material enviado pelo fornecedor A apresenta 
defeitos em ensaios, enquanto o percentual de defeito é de apenas 
1% para o material proveniente do fornecedor B.

Se determinado material apresentou falha em um ensaio, a proba-
bilidade de ele ter sido enviado pelo fornecedor B é: 

A) 0,010
B) 0,050
C) 0,167
D) 0,200
E) 0,375

57. 

Para realizar uma simulação estocástica, deseja-se sortear 

uma sequência de números reais entre 0 e 1, independentes, de 
acordo com uma distribuição uniforme. Pode-se dizer que, à medida 
que a quantidade de números sorteados aumenta, a proporção de 
números com valor maior do que 0,8 tenderá a ser de:

A) 10%
B) 20%
C) 40%
D) 60%
E) 80%

58.

 Em teoria de seguros, o valor pago pelo segurado à segura-

dora em caso de sinistro denomina-se:

A) franquia 
B) risco
C) cobertura
D) indenização
E) ressarcimento

59.

 Estudos estatísticos mostram que, em uma cidade com 

5.000 veículos, 200 veículos em média apresentam algum tipo 
de sinistro no mês, sendo o custo médio por sinistro em torno de 
R$2000,00. Uma seguradora que pretende atuar nesse mercado 
deverá cobrar pelo prêmio do risco, além do montante necessário 
para cobrir os seus custos administrativos e de mão de obra, um 
valor de, no mínimo:

A) R$ 20,00
B) R$ 40,00
C) R$ 80,00
D) R$ 120,00
E) R$ 16,00

ceperj-2013-rioprevidencia-especialista-em-previdencia-social-engenharia-civil-prova.pdf-html.html

ESPECIALISTA EM PREVIDÊNCIA SOCIAL - ENGENHARIA CIVIL OU ARQUITETURA - CONHECIMENTOS GERAIS

8

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - Fundo Único de Previdência Social do Estado do Rio de Janeiro - RIOPREVIDÊNCIA
Fundação Centro Estadual de Estatística, Pesquisa e Formação de Servidores Públicos do Rio de Janeiro - CEPERJ

60.

 Observe a fi gura abaixo, que mostra um trecho simplifi cado 

de tábua de mortalidade. A coluna “x” indica a idade, em anos, e 
“qx” a probabilidade de morte para uma pessoa daquela idade:

Nessa população, a proporção de pessoas que falecem antes de 
completar 2 anos é, aproximadamente, de:

A) 0,2%
B) 0,3%
C) 0,35%
D) 3,0%
E) 3,5%

x qx 
0 0,0020 
1 0,0010 
2 0,0005 
3 0,0004 
4 0,0003 
5 0,0003 
6 0,0002 
7 0,0002 
8 0,0003 
9 0,0003 

10 0,0004