Prova Concurso - Administração - 2014-PETROBRAS-ADMINISTRADOR-A-JUNIOR - CESGRANRIO - PETROBRAS - 2014

Prova - Administração - 2014-PETROBRAS-ADMINISTRADOR-A-JUNIOR - CESGRANRIO - PETROBRAS - 2014

Detalhes

Profissão: Administração
Cargo: 2014-PETROBRAS-ADMINISTRADOR-A-JUNIOR
Órgão: PETROBRAS
Banca: CESGRANRIO
Ano: 2014
Nível: Superior

Downloads dos Arquivos

prova.pdf
gabarito.pdf

Provas relacionadas

AGENTE-ADMINISTRATIVO-PREVIDENCIARIOCONCURSOS2018
ASSISTENTE-DE-ADMINISTRACAOFUNPAPA2018
AUXILIAR-DE-ADMINISTRACAOFUNPAPA2018

Gabarito

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-gabarito.pdf-html.html

PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. – PETROBRAS 

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO 

EDITAL N

o

 1

 

- PETROBRAS/PSP RH 2014.2, DE 11

 

DE SETEMBRO

 

DE 2014

 

PROVA REALIZADA EM 07/12/2014

 

 

NÍVEL MÉDIO – CONHECIMENTOS BÁSICOS 

LÍNGUA PORTUGUESA 

1-  E 

2-  D 

3-  D 

4-  B 

5-  C 

6-  C 

7-  E 

8-  E 

9-  B 

10-  D 

MATEMÁTICA 

11-  C 

12-  B 

13-  C 

14-  A 

15-  B 

16-  B 

17-  E 

18-  A 

19-  D 

20-  E 

NÍVEL MÉDIO – CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

TÉCNICO(A) AMBIENTAL JÚNIOR 

TÉCNICO(A) DE ADMINISTRAÇÃO E 

CONTROLE JÚNIOR 

TÉCNICO(A) DE COMERCIALIZAÇÃO E 

LOGÍSTICA JÚNIOR 

TÉCNICO(A) DE ENFERMAGEM DO 

TRABALHO JÚNIOR 

TÉCNICO(A) DE 

ESTABILIDADE JÚNIOR 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

21-  E 

31-  E 

21-  C 

31-  B 

21-  C 

31-  D 

21-  D 

31-  A 

21-  E 

31-  D 

22-  B 

32-  E 

22-  C 

32-  A 

22-  B 

32-  C 

22-  A 

32-  E 

22-  B 

32-  B 

23-  D 

33-  E 

23-  D 

33-  A 

23-  A 

33-  B 

23-  C 

33-  B 

23-  C 

33-  C 

24-  D 

34-  B 

24-  A 

34-  B 

24-  B 

34-  D 

24-  E 

34-  E 

24-  A 

34-  C 

25-  C 

35-  A 

25-  D 

35-  C 

25-  C 

35-  E 

25-  C 

35-  A 

25-  A 

35-  D 

26-  A 

36-  E 

26-  E 

36-  D 

26-  A 

36-  E 

26-  D 

36-  A 

26-  C 

36-  A 

27-  D 

37-  C 

27-  B 

37-  B 

27-  D 

37-  A 

27-  E 

37-  A 

27-  E 

37-  B 

28-  A 

38-  A 

28-  D 

38-  C 

28-  E 

38-  D 

28-  E 

38-  B 

28-  A 

38-  E 

29-  C 

39-  C 

29-  D 

39-  E 

29-  E 

39-  A 

29-  E 

39-  D 

29-  E 

39-  D 

30-  E 

40-  D 

30-  A 

40-  E 

30-  E 

40-  E 

30-  A 

40-  E 

30-  B 

40-  E 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

41-  D 

46-  E 

41-  D 

46-  E 

41-  A 

46-  C 

41-  D 

46-  D 

41-  B 

46-  A 

42-  B 

47-  A 

42-  B 

47-  E 

42-  E 

47-  D 

42-  C 

47-  B 

42-  D 

47-  C 

43-  B 

48-  D 

43-  B 

48-  E 

43-  D 

48-  E 

43-  A 

48-  C 

43-  C 

48-  D 

44-  A 

49-  E 

44-  E 

49-  D 

44-  A 

49-  D 

44-  E 

49-  E 

44-  E 

49-  B 

45-  C 

50-  E 

45-  D 

50-  E 

45-  B 

50-  C 

45-  B 

50-  E 

45-  B 

50-  E 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

51-  E 

56-  A 

51-  C 

56-  D 

51-  A 

56-  A 

51-  E 

56-  D 

51-  C 

56-  B 

52-  A 

57-  B 

52-  E 

57-  E 

52-  B 

57-  C 

52-  E 

57-  E 

52-  E 

57-  D 

53-  C 

58-  E 

53-  B 

58-  A 

53-  B 

58-  D 

53-  E 

58-  A 

53-  C 

58-  E 

54-  E 

59-  A 

54-  C 

59-  E 

54-  C 

59-  B 

54-  E 

59-  D 

54-  E 

59-  C 

55-  E 

60-  E 

55-  A 

60-  D 

55-  E 

60-  C 

55-  B 

60-  C 

55-  B 

60-  A 

 

 

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-gabarito.pdf-html.html

PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. – PETROBRAS 

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO 

EDITAL N

o

 1

 

- PETROBRAS/PSP RH 2014.2, DE 11

 

DE SETEMBRO

 

DE 2014

 

PROVA REALIZADA EM 07/12/2014

 

 

NÍVEL MÉDIO – CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

10 

TÉCNICO(A) DE EXPLORAÇÃO DE 

PETRÓLEO JÚNIOR - GEODÉSIA 

TÉCNICO(A) DE EXPLORAÇÃO DE 

PETRÓLEO JÚNIOR - GEOLOGIA 

TÉCNICO(A) DE EXPLORAÇÃO DE 

PETRÓLEO JÚNIOR - INFORMÁTICA 

TÉCNICO(A) DE INFORMÁTICA JÚNIOR 

TÉCNICO(A) DE INSPEÇÃO DE 

EQUIPAMENTOS E 

INSTALAÇÕES JÚNIOR 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

21-  B 

31-  D 

21-  E 

31-  E 

21-  D 

31-  D 

21-  E 

31-  B 

21-  D 

31-  E 

22-  D 

32-  C 

22-  A 

32-  D 

22-  B 

32-  A 

22-  C 

32-  E 

22-  A 

32-  D 

23-  B 

33-  E 

23-  C 

33-  E 

23-  C 

33-  D 

23-  B 

33-  D 

23-  E 

33-  B 

24-  B 

34-  B 

24-  E 

34-  A 

24-  C 

34-  C 

24-  B 

34-  E 

24-  C 

34-  D 

25-  E 

35-  E 

25-  A 

35-  B 

25-  D 

35-  A 

25-  A 

35-  C 

25-  B 

35-  E 

26-  D 

36-  C 

26-  A 

36-  E 

26-  E 

36-  C 

26-  D 

36-  D 

26-  E 

36-  A 

27-  D 

37-  A 

27-  B 

37-  C 

27-  A 

37-  B 

27-  B 

37-  D 

27-  D 

37-  D 

28-  C 

38-  A 

28-  C 

38-  A 

28-  C 

38-  D 

28-  A 

38-  C 

28-  A 

38-  D 

29-  A 

39-  B 

29-  A 

39-  D 

29-  D 

39-  C 

29-  C 

39-  B 

29-  C 

39-  D 

30-  A 

40-  D 

30-  D 

40-  E 

30-  A 

40-  A 

30-  D 

40-  E 

30-  B 

40-  B 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

41-  A 

46-  E 

41-  A 

46-  B 

41-  A 

46-  E 

41-  C 

46-  E 

41-  B 

46-  B 

42-  E 

47-  B 

42-  B 

47-  E 

42-  A 

47-  C 

42-  C 

47-  A 

42-  C 

47-  C 

43-  D 

48-  C 

43-  B 

48-  D 

43-  A 

48-  B 

43-  A 

48-  C 

43-  E 

48-  A 

44-  E 

49-  B 

44-  D 

49-  C 

44-  B 

49-  E 

44-  B 

49-  B 

44-  B 

49-  B 

45-  A 

50-  D 

45-  B 

50-  D 

45-  E 

50-  B 

45-  E 

50-  C 

45-  C 

50-  E 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

51-  C 

56-  A 

51-  E 

56-  B 

51-  C 

56-  E 

51-  E 

56-  A 

51-  C 

56-  C 

52-  E 

57-  A 

52-  B 

57-  C 

52-  E 

57-  C 

52-  A 

57-  A 

52-  B 

57-  E 

53-  B 

58-  B 

53-  D 

58-  C 

53-  C 

58-  D 

53-  A 

58-  C 

53-  E 

58-  D 

54-  E 

59-  C 

54-  E 

59-  D 

54-  B 

59-  B 

54-  E 

59-  A 

54-  A 

59-  B 

55-  C 

60-  E 

55-  E 

60-  A 

55-  C 

60-  A 

55-  E 

60-  D 

55-  B 

60-  D 

 

 

 

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-gabarito.pdf-html.html

PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. – PETROBRAS 

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO 

EDITAL N

o

 1

 

- PETROBRAS/PSP RH 2014.2, DE 11

 

DE SETEMBRO

 

DE 2014

 

PROVA REALIZADA EM 07/12/2014

 

 

NÍVEL MÉDIO – CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

11 

12 

13 

14 

15 

TÉCNICO(A) DE LOGÍSTICA DE 

TRANSPORTE JÚNIOR - CONTROLE 

TÉCNICO(A) DE LOGÍSTICA DE 

TRANSPORTE JÚNIOR - OPERAÇÃO 

TÉCNICO(A) DE MANUTENÇÃO JÚNIOR  

CALDEIRARIA 

TÉCNICO(A) DE MANUTENÇÃO JÚNIOR  

ELÉTRICA 

TÉCNICO(A) DE MANUTENÇÃO 

JÚNIOR - ELETRÔNICA 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

21-  B 

31-  E 

21-  B 

31-  B 

21-  B 

31-  E 

21-  A 

31-  D 

21-  B 

31-  D 

22-  A 

32-  C 

22-  B 

32-  D 

22-  A 

32-  D 

22-  C 

32-  C 

22-  B 

32-  C 

23-  B 

33-  E 

23-  B 

33-  A 

23-  D 

33-  D 

23-  A 

33-  D 

23-  D 

33-  C 

24-  A 

34-  A 

24-  C 

34-  E 

24-  A 

34-  E 

24-  B 

34-  B 

24-  C 

34-  C 

25-  D 

35-  E 

25-  D 

35-  E 

25-  D 

35-  B 

25-  E 

35-  B 

25-  A 

35-  D 

26-  B 

36-  D 

26-  D 

36-  C 

26-  D 

36-  E 

26-  C 

36-  C 

26-  C 

36-  E 

27-  C 

37-  C 

27-  A 

37-  C 

27-  C 

37-  A 

27-  C 

37-  C 

27-  C 

37-  C 

28-  E 

38-  C 

28-  E 

38-  C 

28-  E 

38-  A 

28-  B 

38-  D 

28-  B 

38-  A 

29-  D 

39-  B 

29-  C 

39-  D 

29-  B 

39-  E 

29-  A 

39-  E 

29-  A 

39-  D 

30-  D 

40-  E 

30-  B 

40-  B 

30-  C 

40-  E 

30-  A 

40-  A 

30-  E 

40-  E 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

41-  C 

46-  E 

41-  A 

46-  D 

41-  A 

46-  B 

41-  A 

46-  D 

41-  D 

46-  A 

42-  A 

47-  C 

42-  E 

47-  C 

42-  D 

47-  C 

42-  C 

47-  A 

42-  D 

47-  B 

43-  D 

48-  D 

43-  D 

48-  E 

43-  E 

48-  D 

43-  C 

48-  E 

43-  D 

48-  A 

44-  A 

49-  E 

44-  B 

49-  C 

44-  E 

49-  B 

44-  D 

49-  A 

44-  D 

49-  E 

45-  B 

50-  B 

45-  B 

50-  B 

45-  D 

50-  C 

45-  B 

50-  C 

45-  C 

50-  B 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

51-  E 

56-  E 

51-  E 

56-  A 

51-  A 

56-  C 

51-  D 

56-  A 

51-  C 

56-  D 

52-  A 

57-  E 

52-  A 

57-  D 

52-  D 

57-  C 

52-  D 

57-  C 

52-  B 

57-  C 

53-  B 

58-  D 

53-  C 

58-  B 

53-  A 

58-  B 

53-  E 

58-  E 

53-  D 

58-  E 

54-  B 

59-  D 

54-  A 

59-  E 

54-  B 

59-  D 

54-  C 

59-  A 

54-  B 

59-  B 

55-  C 

60-  A 

55-  A 

60-  B 

55-  C 

60-  C 

55-  E 

60-  D 

55-  B 

60-  C 

 

 

 

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-gabarito.pdf-html.html

PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. – PETROBRAS 

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO 

EDITAL N

o

 1

 

- PETROBRAS/PSP RH 2014.2, DE 11

 

DE SETEMBRO

 

DE 2014

 

PROVA REALIZADA EM 07/12/2014

 

 

NÍVEL MÉDIO – CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

16 

17 

18 

19 

20 

TÉCNICO(A) DE MANUTENÇÃO JÚNIOR  

INSTRUMENTAÇÃO 

TÉCNICO(A) DE MANUTENÇÃO JÚNIOR  

MECÂNICA 

TÉCNICO(A) DE OPERAÇÃO JÚNIOR 

TÉCNICO(A) DE PERFURAÇÃO E 

POÇOS JÚNIOR 

TÉCNICO(A) DE PROJETOS  

CONSTRUÇÃO E MONTAGEM 

JÚNIOR - EDIFICAÇÕES 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

21-  D 

31-  C 

21-  B 

31-  A 

21-  B 

31-  B 

21-  C 

31-  C 

21-  D 

31-  D 

22-  E 

32-  D 

22-  A 

32-  D 

22-  C 

32-  E 

22-  D 

32-  B 

22-  E 

32-  C 

23-  C 

33-  B 

23-  C 

33-  E 

23-  C 

33-  A 

23-  D 

33-  C 

23-  D 

33-  A 

24-  C 

34-  B 

24-  D 

34-  B 

24-  B 

34-  A 

24-  C 

34-  C 

24-  C 

34-  D 

25-  E 

35-  C 

25-  D 

35-  A 

25-  D 

35-  C 

25-  D 

35-  A 

25-  E 

35-  E 

26-  A 

36-  E 

26-  A 

36-  B 

26-  B 

36-  E 

26-  E 

36-  C 

26-  E 

36-  D 

27-  B 

37-  A 

27-  C 

37-  E 

27-  D 

37-  D 

27-  D 

37-  A 

27-  D 

37-  E 

28-  E 

38-  D 

28-  D 

38-  E 

28-  A 

38-  E 

28-  B 

38-  E 

28-  A 

38-  A 

29-  C 

39-  E 

29-  C 

39-  A 

29-  A 

39-  A 

29-  D 

39-  E 

29-  B 

39-  E 

30-  A 

40-  B 

30-  D 

40-  C 

30-  D 

40-  B 

30-  D 

40-  C 

30-  B 

40-  C 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

41-  A 

46-  A 

41-  D 

46-  C 

41-  A 

46-  A 

41-  C 

46-  C 

41-  D 

46-  D 

42-  B 

47-  E 

42-  C 

47-  D 

42-  B 

47-  D 

42-  B 

47-  D 

42-  B 

47-  B 

43-  C 

48-  D 

43-  B 

48-  E 

43-  E 

48-  C 

43-  A 

48-  B 

43-  E 

48-  C 

44-  B 

49-  B 

44-  A 

49-  E 

44-  C 

49-  D 

44-  D 

49-  E 

44-  A 

49-  C 

45-  D 

50-  D 

45-  B 

50-  E 

45-  B 

50-  C 

45-  B 

50-  E 

45-  B 

50-  A 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

51-  C 

56-  A 

51-  E 

56-  C 

51-  E 

56-  A 

51-  B 

56-  A 

51-  D 

56-  B 

52-  C 

57-  A 

52-  A 

57-  B 

52-  A 

57-  E 

52-  C 

57-  E 

52-  A 

57-  C 

53-  E 

58-  A 

53-  C 

58-  E 

53-  B 

58-  C 

53-  B 

58-  B 

53-  D 

58-  B 

54-  B 

59-  C 

54-  A 

59-  B 

54-  E 

59-  E 

54-  C 

59-  D 

54-  A 

59-  D 

55-  D 

60-  E 

55-  B 

60-  D 

55-  D 

60-  B 

55-  A 

60-  C 

55-  B 

60-  E 

 

 

 

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-gabarito.pdf-html.html

PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. – PETROBRAS 

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO 

EDITAL N

o

 1

 

- PETROBRAS/PSP RH 2014.2, DE 11

 

DE SETEMBRO

 

DE 2014

 

PROVA REALIZADA EM 07/12/2014

 

 

NÍVEL MÉDIO – CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

21 

22 

23 

24 

25 

TÉCNICO(A) DE PROJETOS  

CONSTRUÇÃO E MONTAGEM JÚNIOR 

ELÉTRICA 

TÉCNICO(A) DE PROJETOS  

CONSTRUÇÃO E MONTAGEM JÚNIOR 

ELETRÔNICA 

TÉCNICO(A) DE PROJETOS  

CONSTRUÇÃO E MONTAGEM JÚNIOR 

ESTRUTURAS NAVAIS 

TÉCNICO(A) DE PROJETOS  

CONSTRUÇÃO E MONTAGEM JÚNIOR 

 INSTRUMENTAÇÃO 

TÉCNICO(A) DE PROJETOS  

CONSTRUÇÃO E MONTAGEM 

JÚNIOR - MECÂNICA 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

21-  D 

31-  C 

21-  B 

31-  D 

21-  C 

31-  C 

21-  D 

31-  A 

21-  A 

31-  E 

22-  A 

32-  B 

22-  D 

32-  C 

22-  E 

32-  D 

22-  C 

32-  B 

22-  D 

32-  A 

23-  B 

33-  E 

23-  D 

33-  D 

23-  E 

33-  A 

23-  E 

33-  C 

23-  E 

33-  D 

24-  C 

34-  A 

24-  E 

34-  C 

24-  D 

34-  D 

24-  E 

34-  E 

24-  C 

34-  A 

25-  A 

35-  C 

25-  E 

35-  E 

25-  B 

35-  B 

25-  D 

35-  E 

25-  E 

35-  C 

26-  C 

36-  D 

26-  C 

36-  C 

26-  B 

36-  C 

26-  D 

36-  D 

26-  D 

36-  D 

27-  A 

37-  B 

27-  A 

37-  C 

27-  B 

37-  D 

27-  C 

37-  D 

27-  B 

37-  D 

28-  E 

38-  E 

28-  B 

38-  B 

28-  D 

38-  C 

28-  A 

38-  D 

28-  B 

38-  E 

29-  B 

39-  E 

29-  B 

39-  A 

29-  A 

39-  A 

29-  E 

39-  C 

29-  B 

39-  A 

30-  D 

40-  B 

30-  D 

40-  E 

30-  E 

40-  A 

30-  A 

40-  B 

30-  C 

40-  D 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

41-  D 

46-  A 

41-  A 

46-  D 

41-  A 

46-  B 

41-  B 

46-  D 

41-  B 

46-  E 

42-  B 

47-  C 

42-  C 

47-  C 

42-  D 

47-  C 

42-  C 

47-  B 

42-  C 

47-  B 

43-  B 

48-  B 

43-  E 

48-  A 

43-  C 

48-  E 

43-  A 

48-  A 

43-  B 

48-  C 

44-  E 

49-  E 

44-  A 

49-  C 

44-  B 

49-  B 

44-  C 

49-  A 

44-  A 

49-  B 

45-  C 

50-  D 

45-  E 

50-  B 

45-  A 

50-  A 

45-  D 

50-  B 

45-  D 

50-  E 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

51-  C 

56-  B 

51-  D 

56-  A 

51-  C 

56-  A 

51-  E 

56-  D 

51-  D 

56-  A 

52-  D 

57-  D 

52-  B 

57-  D 

52-  C 

57-  E 

52-  A 

57-  C 

52-  C 

57-  E 

53-  E 

58-  C 

53-  C 

58-  E 

53-  B 

58-  C 

53-  E 

58-  A 

53-  D 

58-  A 

54-  A 

59-  D 

54-  A 

59-  E 

54-  D 

59-  D 

54-  E 

59-  E 

54-  A 

59-  C 

55-  D 

60-  E 

55-  C 

60-  D 

55-  E 

60-  A 

55-  C 

60-  D 

55-  B 

60-  B 

 

 

 

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-gabarito.pdf-html.html

PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. – PETROBRAS 

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO 

EDITAL N

o

 1

 

- PETROBRAS/PSP RH 2014.2, DE 11

 

DE SETEMBRO

 

DE 2014

 

PROVA REALIZADA EM 07/12/2014

 

 

NÍVEL MÉDIO – CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

26 

27 

28 

29 

30 

TÉCNICO(A) DE SEGURANÇA JÚNIOR 

TÉCNICO(A) DE SUPRIMENTO DE 

BENS E SERVIÇOS JÚNIOR 

ADMINISTRAÇÃO 

TÉCNICO(A) DE SUPRIMENTO DE 

BENS E SERVIÇOS JÚNIOR - ELÉTRICA 

TÉCNICO(A) DE SUPRIMENTO DE 

BENS E SERVIÇOS JÚNIOR 

MECÂNICA 

TÉCNICO(A) QUÍMICO(A) DE 

PETRÓLEO JÚNIOR 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

21-  A 

31-  D 

21-  C 

31-  D 

21-  A 

31-  C 

21-  C 

31-  A 

21-  E 

31-  E 

22-  C 

32-  A 

22-  E 

32-  A 

22-  B 

32-  E 

22-  B 

32-  C 

22-  C 

32-  B 

23-  C 

33-  A 

23-  E 

33-  B 

23-  C 

33-  D 

23-  A 

33-  B 

23-  B 

33-  E 

24-  D 

34-  C 

24-  B 

34-  C 

24-  C 

34-  D 

24-  C 

34-  D 

24-  A 

34-  C 

25-  B 

35-  E 

25-  A 

35-  B 

25-  E 

35-  A 

25-  D 

35-  B 

25-  E 

35-  D 

26-  E 

36-  E 

26-  E 

36-  C 

26-  D 

36-  E 

26-  A 

36-  A 

26-  D 

36-  A 

27-  B 

37-  D 

27-  B 

37-  C 

27-  B 

37-  D 

27-  B 

37-  D 

27-  E 

37-  E 

28-  A 

38-  B 

28-  E 

38-  D 

28-  A 

38-  B 

28-  D 

38-  E 

28-  C 

38-  D 

29-  E 

39-  C 

29-  D 

39-  E 

29-  B 

39-  B 

29-  E 

39-  E 

29-  D 

39-  A 

30-  D 

40-  E 

30-  A 

40-  D 

30-  D 

40-  B 

30-  E 

40-  A 

30-  A 

40-  B 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

41-  B 

46-  B 

41-  A 

46-  A 

41-  A 

46-  A 

41-  A 

46-  A 

41-  E 

46-  B 

42-  C 

47-  A 

42-  E 

47-  C 

42-  E 

47-  C 

42-  E 

47-  C 

42-  B 

47-  A 

43-  D 

48-  C 

43-  D 

48-  B 

43-  B 

48-  B 

43-  D 

48-  B 

43-  B 

48-  C 

44-  A 

49-  E 

44-  C 

49-  D 

44-  C 

49-  D 

44-  C 

49-  D 

44-  A 

49-  D 

45-  C 

50-  A 

45-  B 

50-  B 

45-  B 

50-  B 

45-  B 

50-  B 

45-  D 

50-  D 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

51-  E 

56-  D 

51-  A 

56-  D 

51-  A 

56-  D 

51-  A 

56-  D 

51-  E 

56-  B 

52-  E 

57-  D 

52-  C 

57-  C 

52-  C 

57-  C 

52-  C 

57-  C 

52-  E 

57-  A 

53-  D 

58-  D 

53-  D 

58-  B 

53-  D 

58-  B 

53-  D 

58-  B 

53-  C 

58-  D 

54-  B 

59-  E 

54-  E 

59-  C 

54-  E 

59-  C 

54-  E 

59-  C 

54-  A 

59-  A 

55-  A 

60-  C 

55-  E 

60-  A 

55-  E 

60-  A 

55-  E 

60-  A 

55-  D 

60-  C 

 

 

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-gabarito.pdf-html.html

PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. – PETROBRAS 

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO 

EDITAL N

o

 1

 

- PETROBRAS/PSP RH 2014.2, DE 11

 

DE SETEMBRO

 

DE 2014

 

PROVA REALIZADA EM 07/12/2014

 

 

NÍVEL SUPERIOR – CONHECIMENTOS BÁSICOS 

LÍNGUA PORTUGUESA 

1-  E 

2-  B 

3-  D 

4-  B 

5-  A 

6-  C 

7-  B 

8-  B 

9-  B 

10-  A 

LÍNGUA INGLESA 

11-  B 

12-  A 

13-  E 

14-  B 

15-  E 

16-  A 

17-  C 

18-  C 

19-  D 

20-  E 

NÍVEL SUPERIOR – CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

31 

32 

33 

34 

ADMINISTRADOR(A) JÚNIOR 

ANALISTA DE COMERCIALIZAÇÃO E LOGÍSTICA 

JÚNIOR - TRANSPORTE MARÍTIMO 

CONTADOR(A) JÚNIOR 

ENFERMEIRO(A) DO TRABALHO JÚNIOR 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

21-  B 

26-  E 

31-  B 

36-  E 

21-  B 

26-  A 

31-  A 

36-  D 

21-  B 

26-  A 

31-  E 

36-  D 

21-  E 

26-  A 

31-  C 

36-  B 

22-  C 

27-  A 

32-  E 

37-  D 

22-  E 

27-  D 

32-  E 

37-  B 

22-  B 

27-  E 

32-  E 

37-  C 

22-  C 

27-  E 

32-  C 

37-  B 

23-  D 

28-  D 

33-  B 

38-  E 

23-  B 

28-  A 

33-  E 

38-  A 

23-  B 

28-  C 

33-  D 

38-  C 

23-  D 

28-  B 

33-  B 

38-  D 

24-  C 

29-  B 

34-  A 

39-  D 

24-  A 

29-  E 

34-  C 

39-  C 

24-  E 

29-  B 

34-  D 

39-  E 

24-  C 

29-  A 

34-  D 

39-  B 

25-  A 

30-  E 

35-  B 

40-  A 

25-  D 

30-  B 

35-  B 

40-  A 

25-  E 

30-  A 

35-  B 

40-  D 

25-  E 

30-  C 

35-  E 

40-  B 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

41- 

46- 

51- 

41- 

46- 

51- 

41- 

46- 

51- 

41- 

46- 

51- 

42- 

47- 

52- 

42- 

47- 

52- 

42- 

47- 

52- 

42- 

47- 

52- 

43- 

48- 

53- 

43- 

48- 

53- 

43- 

48- 

53- 

43- 

48- 

53- 

44- 

49- 

54- 

44- 

49- 

54- 

44- 

49- 

54- 

44- 

49- 

54- 

45- 

50- 

55- 

45- 

50- 

55- 

45- 

50- 

55- 

45- 

50- 

55- 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

56- 

61- 

66- 

56- 

61- 

66- 

56- 

61- 

66- 

56- 

61- 

66- 

57- 

62- 

67- 

57- 

62- 

67- 

57- 

62- 

67- 

57- 

62- 

67- 

58- 

63- 

68- 

58- 

63- 

68- 

58- 

63- 

68- 

58- 

63- 

68- 

59- 

64- 

69- 

59- 

64- 

69- 

59- 

64- 

69- 

59- 

64- 

69- 

60- 

65- 

70- 

60- 

65- 

70- 

60- 

65- 

70- 

60- 

65- 

70- 

 

 

 

 

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-gabarito.pdf-html.html

PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. – PETROBRAS 

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO 

EDITAL N

o

 1

 

- PETROBRAS/PSP RH 2014.2, DE 11

 

DE SETEMBRO

 

DE 2014

 

PROVA REALIZADA EM 07/12/2014

 

 

NÍVEL SUPERIOR – CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

35 

36 

37 

38 

ENGENHEIRO(A) CIVIL JÚNIOR 

ENGENHEIRO(A) DE EQUIPAMENTOS JÚNIOR 

ELÉTRICA 

ENGENHEIRO(A) DE EQUIPAMENTOS JÚNIOR 

 ELETRÔNICA 

ENGENHEIRO(A) DE EQUIPAMENTOS JÚNIOR 

 INSPEÇÃO 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

21-  A 

26-  B 

31-  C 

36-  B 

21-  A 

26-  B 

31-  C 

36-  A 

21-  E 

26-  C 

31-  B 

36-  B 

21-  C 

26-  E 

31-  E 

36-  E 

22-  B 

27-  A 

32-  D 

37-  C 

22-  D 

27-  C 

32-  B 

37-  D 

22-  B 

27-  C 

32-  D 

37-  C 

22-  A 

27-  D 

32-  C 

37-  B 

23-  B 

28-  E 

33-  C 

38-  B 

23-  A 

28-  D 

33-  C 

38-  D 

23-  D 

28-  D 

33-  B 

38-  C 

23-  B 

28-  E 

33-  C 

38-  B 

24-  D 

29-  B 

34-  B 

39-  D 

24-  C 

29-  E 

34-  E 

39-  C 

24-  D 

29-  E 

34-  B 

39-  A 

24-  B 

29-  B 

34-  B 

39-  C 

25-  A 

30-  D 

35-  E 

40-  E 

25-  E 

30-  D 

35-  B 

40-  B 

25-  A 

30-  E 

35-  D 

40-  A 

25-  D 

30-  B 

35-  D 

40-  C 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

41- 

46- 

51- 

41- 

46- 

51- 

41- 

46- 

51- 

41- 

46- 

51- 

42- 

47- 

52- 

42- 

47- 

52- 

42- 

47- 

52- 

42- 

47- 

52- 

43- 

48- 

53- 

43- 

48- 

53- 

43- 

48- 

53- 

43- 

48- 

53- 

44- 

49- 

54- 

44- 

49- 

54- 

44- 

49- 

54- 

44- 

49- 

54- 

45- 

50- 

55- 

45- 

50- 

55- 

45- 

50- 

55- 

45- 

50- 

55- 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

56- 

61- 

66- 

56- 

61- 

66- 

56- 

61- 

66- 

56- 

61- 

66- 

57- 

62- 

67- 

57- 

62- 

67- 

57- 

62- 

67- 

57- 

62- 

67- 

58- 

63- 

68- 

58- 

63- 

68- 

58- 

63- 

68- 

58- 

63- 

68- 

59- 

64- 

69- 

59- 

64- 

69- 

59- 

64- 

69- 

59- 

64- 

69- 

60- 

65- 

70- 

60- 

65- 

70- 

60- 

65- 

70- 

60- 

65- 

70- 

 

 

 

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-gabarito.pdf-html.html

PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. – PETROBRAS 

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO 

EDITAL N

o

 1

 

- PETROBRAS/PSP RH 2014.2, DE 11

 

DE SETEMBRO

 

DE 2014

 

PROVA REALIZADA EM 07/12/2014

 

 

NÍVEL SUPERIOR – CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

39 

40 

41 

42 

ENGENHEIRO(A) DE EQUIPAMENTOS JÚNIOR 

MECÂNICA 

ENGENHEIRO(A) DE PETRÓLEO JÚNIOR 

ENGENHEIRO(A) DE PROCESSAMENTO JÚNIOR 

ENGENHEIRO(A) DE PRODUÇÃO JÚNIOR 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

21-  B 

26-  E 

31-  B 

36-  C 

21-  E 

26-  A 

31-  B 

36-  A 

21-  E 

26-  A 

31-  E 

36-  C 

21-  D 

26-  E 

31-  B 

36-  B 

22-  E 

27-  C 

32-  E 

37-  C 

22-  C 

27-  D 

32-  D 

37-  A 

22-  D 

27-  B 

32-  D 

37-  E 

22-  D 

27-  E 

32-  C 

37-  D 

23-  D 

28-  C 

33-  A 

38-  E 

23-  B 

28-  E 

33-  B 

38-  B 

23-  E 

28-  E 

33-  B 

38-  A 

23-  A 

28-  C 

33-  A 

38-  E 

24-  A 

29-  A 

34-  D 

39-  D 

24-  A 

29-  A 

34-  D 

39-  E 

24-  B 

29-  B 

34-  D 

39-  C 

24-  D 

29-  E 

34-  D 

39-  A 

25-  B 

30-  D 

35-  A 

40-  E 

25-  D 

30-  C 

35-  B 

40-  C 

25-  B 

30-  B 

35-  A 

40-  C 

25-  B 

30-  A 

35-  E 

40-  C 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

41- 

46- 

51- 

41- 

46- 

51- 

41- 

46- 

51- 

41- 

46- 

51- 

42- 

47- 

52- 

42- 

47- 

52- 

42- 

47- 

52- 

42- 

47- 

52- 

43- 

48- 

53- 

43- 

48- 

53- 

43- 

48- 

53- 

43- 

48- 

53- 

44- 

49- 

54- 

44- 

49- 

54- 

44- 

49- 

54- 

44- 

49- 

54- 

45- 

50- 

55- 

45- 

50- 

55- 

45- 

50- 

55- 

45- 

50- 

55- 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

56- 

61- 

66- 

56- 

61- 

66- 

56- 

61- 

66- 

56- 

61- 

66- 

57- 

62- 

67- 

57- 

62- 

67- 

57- 

62- 

67- 

57- 

62- 

67- 

58- 

63- 

68- 

58- 

63- 

68- 

58- 

63- 

68- 

58- 

63- 

68- 

59- 

64- 

69- 

59- 

64- 

69- 

59- 

64- 

69- 

59- 

64- 

69- 

60- 

65- 

70- 

60- 

65- 

70- 

60- 

65- 

70- 

60- 

65- 

70- 

 

 

 

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-gabarito.pdf-html.html

PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. – PETROBRAS 

PROCESSO SELETIVO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS E FORMAÇÃO DE CADASTRO EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO 

EDITAL N

o

 1

 

- PETROBRAS/PSP RH 2014.2, DE 11

 

DE SETEMBRO

 

DE 2014

 

PROVA REALIZADA EM 07/12/2014

 

 

NÍVEL SUPERIOR – CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

43 

44 

45 

46 

ENGENHEIRO(A) DE SEGURANÇA JÚNIOR 

GEOFÍSICO(A) JÚNIOR - GEOLOGIA 

MÉDICO(A) DO TRABALHO JÚNIOR 

PROFISSIONAL DE COMUNICAÇÃO SOCIAL 

JÚNIOR - RELAÇÕES PÚBLICAS 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

Bloco 1 

21-  A 

26-  C 

31-  B 

36-  D 

21-  D 

26-  B 

31-  C 

36-  B 

21-  D 

26-  C 

31-  A 

36-  C 

21-  A 

26-  B 

31-  A 

36-  E 

22-  E 

27-  E 

32-  E 

37-  A 

22-  B 

27-  B 

32-  C 

37-  C 

22-  C 

27-  D 

32-  C 

37-  E 

22-  B 

27-  D 

32-  B 

37-  B 

23-  C 

28-  C 

33-  E 

38-  C 

23-  D 

28-  A 

33-  D 

38-  C 

23-  B 

28-  C 

33-  D 

38-  B 

23-  C 

28-  C 

33-  B 

38-  A 

24-  D 

29-  B 

34-  E 

39-  E 

24-  E 

29-  C 

34-  E 

39-  E 

24-  D 

29-  A 

34-  A 

39-  D 

24-  E 

29-  E 

34-  E 

39-  B 

25-  C 

30-  D 

35-  B 

40-  C 

25-  A 

30-  E 

35-  A 

40-  B 

25-  E 

30-  E 

35-  E 

40-  E 

25-  C 

30-  D 

35-  D 

40-  D 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

Bloco 2 

41- 

46- 

51- 

41- 

46- 

51- 

41- 

46- 

51- 

41- 

46- 

51- 

42- 

47- 

52- 

42- 

47- 

52- 

42- 

47- 

52- 

42- 

47- 

52- 

43- 

48- 

53- 

43- 

48- 

53- 

43- 

48- 

53- 

43- 

48- 

53- 

44- 

49- 

54- 

44- 

49- 

54- 

44- 

49- 

54- 

44- 

49- 

54- 

45- 

50- 

55- 

45- 

50- 

55- 

45- 

50- 

55- 

45- 

50- 

55- 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

Bloco 3 

56- 

61- 

66- 

56- 

61- 

66- 

56- 

61- 

66- 

56- 

61- 

66- 

57- 

62- 

67- 

57- 

62- 

67- 

57- 

62- 

67- 

57- 

62- 

67- 

58- 

63- 

68- 

58- 

63- 

68- 

58- 

63- 

68- 

58- 

63- 

68- 

59- 

64- 

69- 

59- 

64- 

69- 

59- 

64- 

69- 

59- 

64- 

69- 

60- 

65- 

70- 

60- 

65- 

70- 

60- 

65- 

70- 

60- 

65- 

70- 

 

Prova

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-prova.pdf-html.html

LEIA  ATENTAMENTE  AS  INSTRUÇÕES  ABAIXO.

01 -  O candidato recebeu do fiscal o seguinte material:

a) este CADERNO DE QUESTÕES, com o enunciado das 70 (setenta) questões objetivas, sem repetição ou falha, com a 

seguinte distribuição:

CONHECIMENTOS BÁSICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

LÍNGUA

PORTUGUESA

LÍNGUA INGLESA

Bloco 1

Bloco 2

Bloco 3

Questões

Pontuação

Questões

Pontuação

Questões

Pontuação

Questões

Pontuação

Questões

Pontuação

1 a 10

1,0 cada

11 a 20

1,0 cada

21 a 40

1,0 cada

41 a 55

1,0 cada

56 a 70

1,0 cada

b)  CARTÃO-RESPOSTA destinado às respostas das questões objetivas formuladas nas provas. 

02 -  O candidato deve verificar se este material está em ordem e se o seu nome e número de inscrição conferem com os que 

aparecem no CARTÃO-RESPOSTA. Caso não esteja nessas condições, o fato deve ser IMEDIATAMENTE notificado ao 
fiscal.

03 -  Após a conferência, o candidato deverá assinar, no espaço próprio do CARTÃO-RESPOSTA, com caneta esferográfica de 

tinta preta, fabricada em material transparente.

04 - No 

CARTÃO-RESPOSTA, a marcação das letras correspondentes às respostas certas deve ser feita cobrindo a letra e 

preenchendo todo o espaço compreendido pelos círculos, com caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material 
transparente, de forma contínua e densa. A leitura ótica do CARTÃO-RESPOSTA é sensível a marcas escuras, portanto, 
os campos de marcação devem ser preenchidos completamente, sem deixar claros.

Exemplo:  

05 -  O candidato deve ter muito cuidado com o CARTÃO-RESPOSTA, para não o DOBRAR, AMASSAR ou MANCHAR. O 

CARTÃO-RESPOSTA SOMENTE poderá ser substituído se, no ato da entrega ao candidato, já estiver danificado em suas 
margens superior e/ou inferior - DELIMITADOR DE RECONHECIMENTO PARA LEITURA ÓTICA.

06  

-  Para cada uma das questões objetivas, são apresentadas 5 alternativas classificadas com as letras (A), (B), (C), (D) e (E); só 

uma responde adequadamente ao quesito proposto. O candidato só deve assinalar UMA RESPOSTA: a marcação em mais 
de uma alternativa anula a questão, MESMO QUE UMA DAS RESPOSTAS ESTEJA CORRETA.

07 -  As questões objetivas são identificadas pelo número que se situa acima de seu enunciado. 

08  

-  SERÁ ELIMINADO deste Processo Seletivo Público o candidato que:

a)  se utilizar, durante a realização das provas, de aparelhos sonoros, fonográficos, de comunicação ou de registro, ele-

trônicos ou não, tais como agendas, relógios não analógicos, notebook, transmissor de dados e mensagens, máquina 
fotográfica, telefones celulares, pagers, microcomputadores portáteis e/ou similares;

b)  se ausentar da sala em que se realizam as provas levando consigo o CADERNO DE QUESTÕES e/ou o CARTÃO-RESPOSTA;
c)  se recusar a entregar o CADERNO DE QUESTÕES e/ou o CARTÃO-RESPOSTA, quando terminar o tempo estabelecido;
d)  não assinar a LISTA DE PRESENÇA e/ou o CARTÃO-RESPOSTA.
Obs.  
O candidato só poderá ausentar-se do recinto das provas após 1 (uma) hora contada a partir do efetivo início das 

mesmas. Por motivos de segurança, o candidato NÃO PODERÁ LEVAR O CADERNO DE QUESTÕES, a qualquer 
momento. 

09 -  O candidato deve reservar os 30 (trinta) minutos finais para marcar seu CARTÃO-RESPOSTA. Os rascunhos e as marca-

ções assinaladas no CADERNO DE QUESTÕES NÃO SERÃO LEVADOS EM CONTA.

10 -  O candidato deve, ao terminar as provas, entregar ao fiscal o CADERNO DE QUESTÕES e o CARTÃO-RESPOSTA  e 

ASSINAR A LISTA DE PRESENÇA.

11 -  O TEMPO DISPONÍVEL PARA ESTAS PROVAS DE QUESTÕES OBJETIVAS É DE 4 (QUATRO) HORAS E 30 (TRINTA) 

MINUTOS, já incluído o tempo para marcação do seu CARTÃO-RESPOSTA, findo o qual o candidato deverá, obrigatoria-
mente, entregar o CARTÃO-RESPOSTA e o CADERNO DE QUESTÕES

.  

12 -  As questões e os gabaritos das Provas Objetivas serão divulgados no primeiro dia útil após sua realização, no endereço 

eletrônico da FUNDAÇÃO CESGRANRIO (http://www.cesgranrio.org.br).

PROCESSO SELETIVO

PÚBLICO - EDIT

AL

 N

o

 1

PETROBRAS/PSP

RH 2014.2 DE 1

1/09/2014

ADMINISTRADOR(A) JÚNIOR

31

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR(A) JÚNIOR

2

CONHECIMENTOS BÁSICOS

LÍNGUA PORTUGUESA

Aprendo porque amo

Recordo a Adélia Prado: “Não quero faca nem 

queijo; quero é fome”. Se estou com fome e gosto de 
queijo, eu como queijo... Mas e se eu não gostar de 
queijo? Procuro outra coisa de que goste: banana, 
pão com manteiga, chocolate... Mas as coisas mu-
dam de figura se minha namorada for mineira, gostar 
de queijo e for da opinião que gostar de queijo é uma 
questão de caráter. Aí, por amor à minha namorada, 
eu trato de aprender a gostar de queijo.

Lembro-me do filme “Assédio”, de Bernardo Ber-

tolucci. A história se passa numa cidade do norte da 
Itália ou da Suíça. Um pianista vivia sozinho numa 
casa imensa que havia recebido como herança. Ele 
não conseguia cuidar da casa sozinho nem tinha di-
nheiro para pagar uma faxineira. Aí ele propôs uma 
troca: ofereceu moradia para quem se dispusesse a 
fazer os serviços de limpeza.

Apresentou-se uma jovem negra, recém-vinda 

da África, estudante de medicina. Linda! A jovem fa-
zia medicina ocidental com a cabeça, mas o seu co-
ração estava na música da sua terra, os atabaques, 
o ritmo, a dança. Enquanto varria e limpava, sofria 
ouvindo o pianista tocando uma música horrível: 
Bach, Brahms, Debussy... Aconteceu que o pianista 
se apaixonou por ela. Mas ela não quis saber de na-
moro. Achou que se tratava de assédio sexual e des-
pachou o pianista falando sobre o horror da música 
que ele tocava.

O pobre pianista, humilhado, recolheu-se à sua 

desilusão, mas uma grande transformação aconte-
ceu: ele começou a frequentar os lugares onde se 
tocava música africana. Até que aquela música dife-
rente entrou no seu corpo e deslizou para os seus de-
dos. De repente, a jovem de vassoura na mão come-
çou a ouvir uma música diferente, música que mexia 
com o seu corpo e suas memórias... E foi assim que 
se iniciou uma estória de amor atravessado: ele, por 
causa do seu amor pela jovem, aprendendo a amar 
uma música de que nunca gostara, e a jovem, por 
causa do seu amor pela música africana, aprendendo 
a amar o pianista que não amara. Sabedoria da psi-
canálise: frequentemente, a gente aprende a gostar 
de queijo por meio do amor pela namorada que gosta 
de queijo...

Isso me remete a uma inesquecível experiência 

infantil. Eu estava no primeiro ano do grupo. A profes-
sora era a dona Clotilde. Ela fazia o seguinte: senta-
va-se numa cadeira bem no meio da sala, num lugar 
onde todos a viam — acho que fazia de propósito, por 
maldade —, desabotoava a blusa até o estômago, 
enfiava a mão dentro dela e puxava para fora um seio 

lindo, liso, branco, aquele mamilo atrevido... E nós, 
meninos, de boca aberta... Mas isso durava não mais 
que cinco segundos, porque ela logo pegava o ne-
nezinho e o punha para mamar. E lá ficávamos nós, 
sentindo coisas estranhas que não entendíamos: o 
corpo sabe coisas que a cabeça não sabe.

Terminada a aula, os meninos faziam fila junto 

à dona Clotilde, pedindo para carregar sua pasta. 
Quem recebia a pasta era um felizardo, invejado. 
Como diz o velho ditado, “quem não tem seio car-
rega pasta”... Mas tem mais: o pai da dona Clotilde 
era dono de um botequim onde se vendia um doce 
chamado “mata-fome”, de que nunca gostei. Mas eu 
comprava um mata-fome e ia para casa comendo o 
mata-fome bem devagarzinho... Poeticamente, tra-
ta-se de uma metonímia: o “mata-fome” era o seio 
da dona Clotilde...

Ridendo dicere severum: rindo, dizer as coisas 

sérias... Pois rindo estou dizendo que frequentemen-
te se aprende uma coisa de que não se gosta por se 
gostar da pessoa que a ensina. E isso porque — lição 
da psicanálise e da poesia — o amor faz a magia 
de ligar coisas separadas, até mesmo contraditórias. 
Pois a gente não guarda e agrada uma coisa que 
pertenceu à pessoa amada? Mas a “coisa” não é a 
pessoa amada! “É sim!”, dizem poesia, psicanálise e 
magia: a “coisa” ficou contagiada com a aura da pes-
soa amada.

[...]
A dona Clotilde nos dá a lição de pedagogia: 

quem deseja o seio, mas não pode prová-lo, realiza 
o seu amor poeticamente, por metonímia: carrega a 
pasta e come “mata-fome”...

ALVES, R. O desejo de ensinar e a arte de aprender. São Paulo: 
Fundação Educar, 2007. p. 30.

5

10

15

20

25

30

35

40

45

50

55

60

65

70

75

80

1

Verifica-se como recurso fundamental à tese advogada 
pelo autor o uso da conotação, favorecida pelo emprego 
de elementos simbólicos.
Constitui exemplo dessa afirmativa o seguinte período:
(A) “Aí ele propôs uma troca: ofereceu moradia para 

quem se dispusesse a fazer os serviços de limpeza.” 
(

. 15-17)

(B) “A  jovem fazia medicina ocidental com a cabeça, 

mas o seu coração estava na música da sua terra” 
(

. 19-21)

(C) “E foi assim que se iniciou uma estória de amor atra-

vessado: ele, por causa do seu amor pela jovem, 
aprendendo a amar uma música de que nunca gosta-
ra, e a jovem, por causa do seu amor pela música afri-
cana, aprendendo a amar o pianista que não amara.” 
(

. 36-41)

(D) “Ela fazia o seguinte: sentava-se numa cadeira bem 

no meio da sala, num lugar onde todos a viam — acho 
que fazia de propósito, por maldade —, desabotoava 
a blusa até o estômago, enfiava a mão dentro dela e 
puxava para fora um seio lindo, liso, branco” (

. 47-52)

(E) “carrega a pasta e come ‘mata-fome...’” (

. 83-84) 

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR(A) JÚNIOR

3

2

Por meio da leitura integral do texto, é possível inferir que 
o gosto pelo conhecimento 

(A) é inerente a todos os indivíduos.
(B) se constitui num processo de afetividade.
(C) tem o desinteresse por consequência.
(D) se vincula ao desejo efêmero de ensinar.
(E) se forma a partir da autonomia do sujeito.

3

As reticências utilizadas pelo autor no trecho “desaboto-
ava a blusa até o estômago, enfiava a mão dentro dela 
e puxava para fora um seio lindo, liso, branco, aquele 
mamilo atrevido... E nós, meninos, de boca aberta...” 
(

. 50-53) assinalam uma determinada sensação.

O trecho em que semelhante sensação se verifica é:

(A) “Se estou com fome e gosto de queijo, eu como 

queijo...” (

. 2-3)

(B) “Procuro outra coisa de que goste: banana, pão com 

manteiga, chocolate...” (

. 4-5)

(C) “Enquanto varria e limpava, sofria ouvindo o pia-

nista tocando uma música horrível: Bach, Brahms, 
Debussy...” (

. 22-24)

(D) “Mas eu comprava um mata-fome e ia para casa co-

mendo o mata-fome bem devagarzinho...” (

. 64-66)

(E) “Ridendo dicere severum: rindo, dizer as coisas sé-

rias...” (

. 69-70)

4

O acento grave está empregado de acordo com a norma-
-padrão em:

(A) Ensinar implica à necessidade de também aprender.
(B) Os professores sempre visam à evolução dos alunos.
(C) A educação se constrói à duras penas.
(D) Recorrer à métodos pedagógicos alternativos é fun-

damental. 

(E) É importante criar discussões àcerca do ensino.

5

O período “Terminada a aula, os meninos faziam fila 
junto à dona Clotilde, pedindo para carregar sua pasta.” 
(

. 58-59) pode ser reescrito, mantendo-se o sentido origi-

nal e respeitando-se os aspectos de coesão e coerência, 
da seguinte forma:

(A)  Quando terminava a aula, os meninos faziam fila junto 

à dona Clotilde e pediam para carregar sua pasta.

(B) Porque terminava a aula, os meninos faziam fila junto à 

dona Clotilde, além de pedir para carregar sua pasta.

(C)  Ao terminar a aula, os meninos faziam fila junto à dona 

Clotilde, apesar de pedirem para carregar sua pasta.

(D) Terminando a aula, os meninos faziam fila junto à 

dona Clotilde, que pedia para carregar sua pasta. 

(E) Embora terminada a aula, os meninos faziam fila junto 

à dona Clotilde, cujos pediam para carregar sua pasta.

6

No trecho “Ele não conseguia cuidar da casa sozinho nem 
tinha dinheiro para pagar uma faxineira. Aí ele propôs 
uma troca: ofereceu moradia para quem se dispusesse 
a fazer os serviços de limpeza.” (

. 13-17), a repetição do 

pronome ele denota um(a)

(A) crítica implícita do autor ao referente do termo.
(B) tentativa de enaltecer o feito do personagem.
(C) busca de aproximar o texto da linguagem oral.
(D) desejo de transgredir a norma-padrão. 
(E) descuido do autor com os aspectos coesivos.

7

No trecho “Eu estava no primeiro ano do grupo. A profes-
sora era a dona Clotilde. Ela fazia o seguinte: sentava-
-se numa cadeira bem no meio da sala, num lugar onde 
todos a viam — acho que fazia de propósito, por malda-
de —, desabotoava a blusa até o estômago, enfiava a 
mão dentro dela e puxava para fora um seio lindo, liso, 
branco, aquele mamilo atrevido...” (

. 46-52), observa-se 

a predominância do processo sintático de coordenação 
entre as orações. 

Tal escolha confere à narrativa um caráter de

(A) dúvida
(B) suspense
(C) terror
(D) incredibilidade
(E) carinho

8

No trecho “lugares onde se tocava música africana.” 
(

. 31-32), a colocação do pronome em destaque se justi-

fica pela mesma regra que determina sua colocação em:

(A) O aluno se sentiu inebriado ao ver o seio da professora.
(B) Os professores que se envolvem com o ensino devem 

ser respeitados.

(C) Recorrer-se ao amor é uma estratégia para garantir a 

aprendizagem.

(D) Muitos educadores lembram-se sempre de sua mis-

são em sala de aula. 

(E) O pianista se deve entregar de corpo e alma a sua 

arte.

9

A concordância verbal NÃO está em consonância com a 
norma-padrão em:

(A) A maior parte dos alunos admiram seus professores.
(B) Fazem anos que a educação brasileira tem buscado 

novos métodos.

(C) Não sou dos que acreditam em uma educação tradi-

cional.

(D) Foi dona Clotilde quem despertou o desejo dos alunos 

por aprender. 

(E) Prezar e amar é fundamental para o processo de en-

sino-aprendizagem.

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR(A) JÚNIOR

4

10

Na frase a seguir, a regência da forma verbal em desta-
que está adequada à norma-padrão da língua:

(A) Lembro-me perfeitamente de minha professora, a 

dona Clotilde.

(B) Os professores devem assistir às crianças, investin-

do, com isso, em nosso futuro.

(C) Devemos aspirar professores que tenham amor pelo 

ensino.

(D) Ensinar é um ato que obedece a lei do amor. 
(E) Informei a todos do que ocorreu na sala com dona 

Clotilde.

LÍNGUA INGLESA

Text I

World oil market prospects

for the second half of the year

[...]
World oil demand in 2H14 is anticipated to 

increase by 1.2 mb/d over the same period last 
year to average 92.1 mb/d. OECD (Organisation for 
Economic Co-operation and Development) demand 
is projected to decline by around 60 tb/d, despite 
positive growth in OECD Americas, mainly due to 
a general improvement in the US economy. OECD 
Europe and OECD Asia Pacific are expected to see 
a lesser contraction than a year earlier. However, oil 
demand growth in OECD Asia Pacific will largely be 
impacted by any restart of nuclear power plants in 
Japan. Non-OECD countries are projected to lead oil 
demand growth this year and forecast to add 1.3 mb/d 
in 2H14 compared to the same period a year ago. 
Nevertheless, risks to the forecast include the pace 
of economic growth in major economies in the OECD, 
China, India and Russia, as well as policy reforms in 
retail prices and substitution toward natural gas.  

On the supply side, non-OPEC oil supply in the 

second half of the year is expected to increase by 
1.2 mb/d over the same period last year to average 
around 55.9 mb/d, with the US being the main 
driver for growth, followed by Canada. Production 
in Russia and Brazil is also expected to increase in 
2H14. However, oil output from the UK and Mexico 
is projected to continue to decline. The forecast for 
non-OPEC supply growth for 2H14 is seen lower than 
in the first half of the year, but could increase given 
forecasts for a mild hurricane season in the US Gulf. 
Less field maintenance in the North Sea and easing 
geopolitical tensions could also add further barrels 
in the coming two quarters. OPEC NGLs are also 
projected to continue to increase, adding 0.2 mb/d in 
2H14 to stand at 5.9 mb/d. 

Taking these developments into account, the 

supply-demand balance for 2H14 shows that the 
demand for OPEC crude in the second half of the 
year stands at around 30.3 mb/d, slightly higher than 
in the first half of the year. This compares to OPEC 
production, according to secondary sources, of close 
to 30.0 mb/d in May. Global inventories are at sufficient 
levels, with OECD commercial stocks in days of 
forward cover at around 58 days in April. Moreover, 
inventories in the US – the only OECD country with 
positive demand growth – stand at high levels. Non-
OECD inventories are also on the rise, especially in 
China, which has been building Strategic Petroleum 
Reserves (SPR) at a time when apparent demand is 
weakening due to slowing economic activities. [...]

Available at: <http://www.opec.org/opec_web/static_fi les_project/
media/download/publications/MOMR_June_2014.pdf>. Retrieved 
on: 15 June 2014. Adapted.  

5

10

15

20

25

30

35

40

45

50

RASCUNHO

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR(A) JÚNIOR

5

11

According to Text I, world oil demand in 2H13 was

(A) 1.2 mb/d
(B) 90.9 mb/d 
(C) 92.04 mb/d 
(D) 92.1 mb/d
(E) 93.3 9 mb/d

12

According to Text I, the statement “OECD Europe and 
OECD Asia Pacific are expected to see a lesser contraction 
than a year earlier” (lines 8-10) implies that the oil demand 
in those countries 

(A) will decrease less in 2H14 than it did in 2H13. 
(B)  will contribute to the demand growth of OECD countries 

in 2H14.

(C) will contribute to the movement toward natural gas. 
(D) will contribute to the restart of nuclear power plants in 

Japan. 

(E) was affected by a general improvement in the US 

economy.

13

According to Text I, the statement “On the supply side, 
non-OPEC oil supply in the second half of the year is 
expected to increase by 1.2 mb/d over the same period 
last year to average around 55.9 mb/d, with the US being 
the main driver for growth, followed by Canada” (lines 
20-24) implies that

(A) Canada will need more oil than the US.
(B) Canada will be the second largest OPEC country to 

need oil in 2H14. 

(C) OPEC countries will need a larger amount of oil in 

2H14 than they did in 2H13. 

(D) Non-OPEC countries will need a larger amount of oil in 

2H14 than they did in 2H13. 

(E) Non-OPEC countries will produce a larger amount of 

oil in 2H14 than they did in 2H13.

14

In the fragments of Text I “World oil demand in 2H14 is 
anticipated
 to increase” (lines 2-3), “OECD (Organisation 
for Economic Co-operation and Development) demand 
is projected to decline” (lines 5-6), “oil demand growth in 
OECD Asia Pacific will largely be impacted” (lines 11-12), 
“Production in Russia and Brazil is also expected to increase” 
(lines 24-25) the boldfaced verb forms indicate

(A) past time 
(B) present time and future time 
(C) the author’s desire for the future 
(D) the author’s promise for the future 
(E) the author’s commitment to the future 

15 

The words of Text I: output (line 26), mild (line 30), balance 
(line 37) and inventories (line 42) may be replaced, without 
change in meaning, respectively, by: 

(A) product, gentle, average, and lists
(B) product, gentle, equilibrium and stocks
(C) product, sufficient, equilibrium and lists
(D) stocks, gentle, equilibrium and sources
(E) product, gentle, equilibrium and lists

16

In the following fragment of Text I: “Less field maintenance 
in the North Sea and easing geopolitical tensions could 
also add further barrels in the coming two quarters.” (lines 
31-33) the word quarters means a(an)

(A) time unit equivalent to the fourth part of a year 
(B) time unit equivalent to the fourth part of an hour
(C) time unit equivalent to four months of the year 
(D) volume measure unit equivalent to the fourth part of a 

gallon

(E) American coin worth 25 cents of a dollar

17

In the fragment of Text I “Less field maintenance in the 
North Sea and easing geopolitical tensions could also 
add further barrels in the coming two quarters.” (lines 
31-33), the expression easing geopolitical tensions 
means geopolitical tensions that are 

(A) harmful
(B) enhanced 
(C) alleviated
(D) jeopardized
(E) fun to deal with

RASCUNHO

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR(A) JÚNIOR

6

Text II

Medium-Term Oil Market Report 2013 - Market Trends 

and Projections to 2018

The global oil market will undergo sweeping 

changes over the next five years. The 2013 Medium-
Term Oil Market Report evaluates the impact of these 
changes on the global oil system by 2018 based 
on all that we know today – current expectations of 
economic growth, existing or announced policies and 
regulations, commercially proven technologies, field 
decline rates, investment programmes (upstream, 
midstream and downstream), etc. The five-year 
forecast period corresponds to the length of the 
typical investment cycle and as such is critical to 
policymakers and market participants.

This Report shows, in detailed but concise 

terms, why the ongoing North American hydrocarbon 
revolution is a ‘game changer’. The region’s expected 
contribution to supply growth, however impressive, 
is only part of the story: Crude quality, infrastructure 
requirements, current regulations, and the potential 
for replication elsewhere are bound to spark a chain 
reaction that will leave few links in the global oil supply 
chain unaffected.

While North America is expected to lead medium-

term supply growth, the East-of- Suez region is in the 
lead on the demand side. Non-OECD oil demand, led 
by Asia and the Middle East, looks set to overtake 
the OECD for the first time as early as 2Q13 and will 
widen its lead afterwards. Non-OECD economies are 
already home to over half global refining capacity. 
With that share only expected to grow by 2018, the 
non-OECD region will be firmly entrenched as the 
world’s largest crude importer.

These and other changes are carefully laid 

out in this Report, which also examines recent and 
future changes in global oil storage, shifts in OPEC 
production capacity and crude and product trade, and 
the consequences of the ongoing refinery construction 
boom in emerging markets and developing economies.

It is required reading for anyone engaged in 

policy or investment decision-making in the energy 
sphere, and those more broadly interested in the oil 
market and the global economy.

Available at: <http://www.iea.org/publications/freepublications/
publication/name-104933-en.html>.  Retrieved on: 20 June, 
2014. Adapted.

5

10

15

20

25

30

35

40

18

The expression from Text II upstream, midstream 
and downstream
 (lines 8-9) implies that investment 
programmes will be respectively directed to costs that 
involve

(A)  oil transportation by boat against water flow / oil storing 

in the middle of the river journey / oil transportation by 
boat following water flow.

(B)  oil transportation by boat following water flow / oil storing 

in the middle of the river journey / oil transportation by 
boat against water flow. 

(C) oil exploration and production / oil processing, storing, 

transporting and marketing / oil operations after the 
production phase through to the point of sale. 

(D) oil exploration and production / oil operations after 

the production phase through to the point of sale / oil 
processing, storing, transporting and marketing.

(E) oil processing, storing, transporting and marketing / 

oil exploration and production / oil operations after the 
production phase through to the point of sale.

19

According to Text II, the statement “ongoing North American 
hydrocarbon revolution is a ‘game changer’.” (lines 14-15) 
suggests that the hydrocarbon revolution represents a 

(A) virtually endless source of energy 
(B) cost-benefit uninteresting source of energy 
(C) traditional technological stage in energy production
(D) great economical switch associated with this source of 

energy 

(E) groundbreaking ecological stage in energy production

20

Comparing the excerpt from Text I “Non-OECD countries 
are projected to lead oil demand growth this year and 
forecast to add 1.3 mb/d in 2H14 compared to the same 
period a year ago” (lines 13-15) to the excerpt from Text II 
“Non-OECD oil demand, led by Asia and the Middle East, 
looks set to overtake the OECD for the first time as early 
as 2Q13 and will widen its lead afterwards” (lines 24-27),  
one states that Text number 

(A) 1’s forecast is based on non-OECD countries’ oil 

demand in the 1Q13.

(B) 1’s forecast is based on non-OECD countries’ oil 

demand in the 2Q12. 

(C) 2’s forecast is based on OECD countries’ oil demand 

in the 2H12.

(D) 2’s forecast is based on OECD countries’ oil demand 

in the 1H12.

(E)  1 and number 2 make similar forecasts for non-OECD 

countries’ oil demand.

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-prova.pdf-html.html

7

ADMINISTRADOR(A) JÚNIOR

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

BLOCO 1

21

As organizações, buscando maior competitividade, compreenderam que os seus empregados, de maneira geral, são os 
elementos principais na conquista de novos mercados, de novos clientes e na expansão do negócio quando são bem 
geridos. 
Assim, vários são os mecanismos que as organizações passaram a utilizar com o objetivo de desenvolver seus emprega-
dos, adotando estratégias que os tornem mais produtivos.
O processo de elaboração das estratégias para os recursos humanos (RH) das empresas exige que alguns requisitos 
básicos sejam atendidos.

Fazem parte de tais requisitos que a(s) 

(A) estratégia seja elaborada pela área de RH e que a implantação fique a cargo do nível operacional, aumentando, assim, 

a produtividade.

(B) área de RH aja com a colaboração de todos os empregados, e que as estratégias de recursos humanos estejam dire-

tamente ligadas à estratégia corporativa.

(C) responsabilidade pela elaboração e implantação das estratégias seja dos empregados operacionais, porque o objetivo 

é aumentar a sua capacitação.

(D) estratégias sejam focadas na produção, porque o nível tático da empresa é que atua diretamente na execução das 

atividades.

(E) estratégias sejam individualizadas, tendo em vista que cada ser humano é único e não se pode dar a ele um tratamento 

padronizado.

22

O ambiente empresarial, de maneira geral, está cada vez mais competitivo, em função das constantes mudanças, sejam 
elas no ambiente macroeconômico, nas relações de trabalho, nas relações sociais ou mesmo na complexidade do ser 
humano.
As empresas compreenderam que empregados pressionados, insatisfeitos ou desestimulados têm queda na sua produti-
vidade, afetando significativamente o seu desempenho.
Nos últimos anos, visando a promover a motivação e a produtividade dos empregados, as empresas têm implantado 
práticas que promovem a Qualidade de Vida no Trabalho (QVT). Os programas de QVT apresentam visões diferentes, de 
acordo com a cultura e objetivos das empresas.

Uma das visões a respeito de QVT existente no mundo organizacional é 

(A) paternalista – cumpre as regras legais e outras que existem relativas às obrigações da empresa, com o objetivo de que 

o empregado perceba o comprometimento da empresa.

(B) legalista – implementa práticas de trabalho com o objetivo de fazer com que o empregado se perceba como indivíduo 

e se sinta prestigiado em seu ambiente laboral.

(C) estratégica – os programas implantados e as práticas institucionais são atrelados ao planejamento institucional e aos 

resultados desejados pela organização.

(D) estrutural – as práticas implantadas têm o suporte das gerências existentes na empresa e são definidas pelas diferen-

tes áreas da organização, atendendo às particularidades da área.

(E) individualista – as práticas existentes na empresa são individualizadas e particularizadas de acordo com o perfil inter-

pessoal do empregado, possibilitando o seu reconhecimento como indivíduo.

23

As empresas lidam diariamente com diversas pessoas: empregados, clientes, fornecedores e diversos atores que, de 
alguma forma, mantêm contato com a empresa. Alguns desses atores têm maior interação com a empresa, como é o caso 
dos empregados. Em algumas ocasiões esse relacionamento passa por situações difíceis que interferem no desempenho 
do empregado, o que afeta também o desempenho da organização.

Quando algum dos empregados passa por situações que afetam seu desempenho, o gestor deve 

(A) agir com defensividade e resistência, porque problemas pessoais não podem afetar o desempenho profissional. 
(B) procurar as razões pessoais dos problemas que estão interferindo no desempenho do empregado e atuar diretamente 

para eliminá-los.

(C) ser tolerante com o empregado e tratá-lo de forma diferenciada, porque todos, em algum momento, também passarão 

por problemas.

(D) fazer o empregado identificar o problema e, juntos, desenvolverem um plano de ação para corrigi-lo.
(E) permitir que o empregado solucione os problemas no tempo que achar adequado, sem pressioná-lo e sem estabelecer 

prazo para isso.

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR(A) JÚNIOR

8

24

Um gestor de uma grande empresa atua em uma área 
em que existem muitos funcionários e muitas atividades 
diferentes que se integram para a produção do produto 
final. Na organização das atividades a serem realizadas 
com o objetivo de conseguir um bom desempenho para a 
sua área e manter um fluxo de comunicação e de produ-
ção eficientes, este gestor formará várias equipes que se 
integram.

Para conseguir formar boas equipes e atingir os seus ob-
jetivos, o gestor deverá considerar que cada equipe

(A) deverá ser monodisciplinar, porque isto trará uma di-

versidade de conhecimentos, possibilitando a integra-
ção das diferentes equipes.

(B) será constituída livremente pelos funcionários, e cada 

um escolherá em qual equipe deseja trabalhar. 

(C) precisará ter sinergia, e seus membros integrarão 

seus conhecimentos e suas habilidades, para atingir 
os propósitos organizacionais.

(D) possibilitará que cada membro, individualmente, es-

tabeleça seus objetivos e metas, gerando, assim, o 
comprometimento de toda a equipe. 

(E) compartilhará a visão da organização, que se reflete 

nos objetivos e valores pessoais na busca pelos resul-
tados individualizados.

25

Um diretor de uma empresa que atua por projetos tem 
encontrado algumas dificuldades no relacionamento com 
suas equipes. Para resolver o problema e conseguir que 
os projetos sob sua responsabilidade fossem realizados 
dentro do tempo acordado e com a qualidade necessária, 
que é um dos diferenciais de sua empresa, contratou um 
consultor.
O diagnóstico do consultor é que lhe falta liderança, fato 
identificado nas entrevistas realizadas com os seus fun-
cionários. O diretor indagou, então, do consultor, quais 
seriam os tipos de liderança e as principais características 
de cada um deles, para que ele pudesse adequar-se ao 
estilo que considerasse mais apropriado ao seu perfil e ao 
seu trabalho.

No estilo de liderança  

(A) democrática, as diretrizes, as formas de execução e 

as tarefas de cada um são debatidas e decididas pelo 
grupo, com o apoio e estímulo do líder. 

(B) autocrática, as formas de execução e as tarefas de 

cada um são decididas exclusivamente pelo grupo, 
sem a participação do líder.

(C) liberal, o líder fixa as diretrizes, as formas de execução 

das tarefas e as atribuições de cada um no grupo.

(D) participativa, o indivíduo está ligado ao líder como um 

meio de satisfazer suas necessidades ou de proteger 
seus interesses.

(E) carismática, o líder informa sobre as decisões to-

madas relativas às diretrizes estabelecidas e escuta 
atentamente as opiniões do grupo.

26

Uma empresa do setor hospitalar está estruturando um 
sistema de avaliação de desempenho para que possa 
estimular os empregados e providenciar as ações neces-
sárias de acordo com as evidências obtidas através da 
avaliação.

Para que um sistema de avaliação de desempenho contri-
bua positivamente para a melhoria do desempenho orga-
nizacional, é necessário que 

(A)  a avaliação seja realizada pelo departamento de re-

cursos humanos, que é o responsável pela admissão 
e demissão dos empregados. 

(B)  o método utilizado seja o de autoavaliação, que possi-

bilita a avaliação de 180º na organização.

(C)  

o formulário utilizado seja informatizado, para que 
possibilite a divulgação dos resultados na organiza-
ção através da intranet.

(D)  os resultados da avaliação sejam utilizados para a de-

missão de empregados com desempenho abaixo do 
esperado.

(E)  um trabalho de conscientização na organização seja 

realizado, pois a implantação desse processo requer 
técnica, treinamento e preparação.

27

O mundo organizacional, apesar de utilizar vários recur-
sos materiais para a conquista de maior competitividade 
no mercado, depende, em grande parte, das pessoas, 
para atingir suas metas e cumprir sua missão. Com essa 
constatação, as organizações passaram a se ocupar mais 
com o desenvolvimento de seus empregados, buscando 
maior eficiência, produtividade e competitividade. A pró-
pria nomenclatura acompanhou a mudança: com uma 
concepção fundamentada em uma visão mais complexa, 
passou-se de recursos humanos para parceria.

Na visão de parceria, os empregados de uma empresa 
passam a

(A) investir seu tempo, sua dedicação, sua responsabili-

dade e seu comprometimento, na organização, com 
expectativa de retornos profissionais e pessoais.

(B) dedicar seu tempo às atividades da empresa, melho-

rando seu desempenho isoladamente, na expectativa 
de recompensas monetárias.

(C) aumentar seu grau de especialização nas atividades 

que executam em seus cargos, com a expectativa de 
se manterem na empresa.

(D) ter maior dependência da chefia direta, que é a res-

ponsável pela definição do seu desenvolvimento den-
tro da organização.

(E) ter suas atividades determinadas por normas e regras 

que devem ser seguidas indiscriminadamente.

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR(A) JÚNIOR

9

28

Dois empreendedores estavam conversando sobre 
algumas questões relativas à gestão de suas empresas. 
Um deles estava explicando ao outro que a remuneração 
do empregado consistia em seu salário mais a carga 
tributária referente ao salário, que compõe o custo total 
do empregado para a empresa.

A explicação do empreendedor relativa à remuneração 
dos empregados está ERRADA, porque a

(A)  carga tributária relativa aos salários pagos pelas em-

presas não compõe o custo do empregado para a em-
presa. 

(B)  remuneração do empregado consiste somente no sa-

lário que lhe é pago, já que o pagamento dos tributos 
é uma obrigação legal da empresa.

(C)  remuneração do empregado se refere somente aos be-

nefícios que a empresa lhe concede voluntariamente.

(D)  remuneração do empregado inclui o salário e benefí-

cios agregados que a empresa dá em reconhecimento 
ao seu valor como empregado.

(E)  remuneração do empregado se refere à participação 

nos lucros da empresa e independe do salário recebi-
do pelo empregado.

29

Uma empresa do setor alimentício está elaborando um 
plano para seus empregados com o objetivo de motivá-
-los. O plano será direcionado para o nível gerencial da 
empresa, e a prática empresarial que poderá contribuir 
para a motivação dos empregados é

(A)  estabelecer como parâmetro para os salários que se-

rão pagos aos empregados a média de mercado no 
setor. 

(B)  delegar responsabilidades aos empregados, enfati-

zando, na gestão, a comunicação transparente.

(C)  centralizar as decisões no nível estratégico, delegan-

do ao nível gerencial a execução das atividades.

(D)  incentivar a permanência dos empregados nos mes-

mos cargos ao longo do tempo, porque isso melhora o 
seu desempenho.

(E)  contratar pessoas de fora da organização para ocupar 

os cargos mais altos da hierarquia.

30

Algumas empresas têm aspectos culturais que possibili-
tam o incentivo ao aprendizado organizacional; outras di-
ficultam esse aprendizado.

Constitui-se em um aspecto dominante na empresa que 
facilita o aprendizado organizacional

(A) o fluxo de informações top-down
(B) a visão voltada essencialmente para a obtenção de lucro.
(C) a competição individualizada.
(D) as atividades voltadas com ênfase para a resolução 

de problemas.

(E) as experiências compartilhadas na busca pela melhoria.

31

Ao longo do tempo, o capital intelectual conquistou um 
papel de destaque no desenvolvimento das organizações.

As empresas mais modernas e bem sucedidas, com o 
objetivo de desenvolver seus empregados, fazem uso de 
diferentes práticas, objetivando permitir que o empregado  

(A) adote uma concepção racionalista de seu desempe-

nho, com foco nas atividades técnicas e operacionais. 

(B) amplie a sua visão, focando na carreira e nos cargos 

que poderão ser ocupados por ele a médio e a longo 
prazos.

(C) tenha foco no presente e nos objetivos de curto prazo, 

centralizando suas ações no âmbito da empresa. 

(D) tenha uma visão focada essencialmente nas suas ati-

vidades atuais, visando ao seu desempenho individual.

(E) desempenhe suas atividades com base nos princípios 

da divisão do trabalho e da unidade de comando.

32

Uma empresa do setor de energia está passando por uma 
reestruturação para que possa tornar-se mais competitiva 
e ágil em relação às demandas do mercado em que atua.
O consultor que está conduzindo esse processo identifi-
cou alguns elementos que dificultam as mudanças. Esses 
elementos compõem a cultura organizacional.

A cultura organizacional é composta por três níveis:

(A) a estrutura organizacional, o porte da empresa e o 

setor em que atua.

(B) o porte da empresa, o mercado em que atua e o seu 

público-alvo. 

(C) os membros da organização, o mercado em que a em-

presa atua e o seu público-alvo.

(D) os membros da organização, os valores compartilha-

dos e os seus clientes.

(E) os artefatos, os valores compartilhados e os pressu-

postos básicos.

RASCUNHO

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-prova.pdf-html.html

10

ADMINISTRADOR(A) JÚNIOR

33

A Tabela abaixo foi elaborada por um instituto de pesquisa, a pedido de uma rede de lojas de conveniência estabelecida 
em postos de gasolina em um país da América do Sul. O objetivo da pesquisa foi relacionar a participação das mulheres 
na população economicamente ativa (PEA) com as despesas da família em alimentação.

DESPESAS DE ALIMENTAÇÃO X PARTICIPAÇÃO DAS MULHERES NA PEA

ANO

% de mulheres na 

PEA

Tempo de preparo 

das refeições

% dos gastos familiares em alimentação

Em casa

Fora de casa

1971

23

2 horas

88,3

11,7

97/98

40

30 minutos

80,8

19,2

2001

42,5

30 minutos

78,5

21,5

2003

42,7

15 minutos

75,9

24,1

2004

43,1

15 minutos

74,8

25,2

2007

43,7

15 minutos

71,7

28,3

2009

43,9

15 minutos

71

29,0

2010

44,1

15 minutos

70,4

29,6

2012

45,3

15 minutos

69,7

30,3

2013

45,8

15 minutos

68,9

31,1

Com base nos dados apurados, a direção da rede deverá

(A) ampliar o mix de produtos com carnes, legumes e outros alimentos perecíveis.
(B) aumentar a oferta de produtos congelados, como massas e salgados pré-assados.
(C) diminuir o preço dos produtos, especialmente bebidas alcoólicas e refrigerantes.
(D) investir em propagandas institucionais, em redes nacionais de rádio e televisão.
(E) promover a venda casada de produtos de perfumaria e higiene pessoal.

34

No mercado competitivo atual, é difícil alcançar a liderança (regional ou global) sem constituir alianças com empresas 
locais ou multinacionais.

Qual das afirmativas abaixo NÃO descreve as características ou estruturas dessas alianças estratégicas?

(A) Alianças bem gerenciadas permitem obter um impacto menor nas vendas, em função do custo maior de suas opera-

ções em mercados diversos.

(B) Ao atuar em mercados internacionais, as organizações buscam parceiros que possam complementar suas forças e 

compensar suas fraquezas.

(C) Muitas alianças estratégicas referem-se à área de marketing no desenvolvimento, na promoção, na logística e no preço 

dos produtos.

(D) O ato de fazer negócios com outro país pode exigir o licenciamento de produtos e a formação de uma joint-venture com 

uma empresa local.

(E)  Para manter prósperas suas alianças, as corporações começaram a desenvolver estruturas organizacionais de apoio.

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-prova.pdf-html.html

11

ADMINISTRADOR(A) JÚNIOR

35

Na reunião do planejamento estratégico para o próximo ano, a diretoria apresentou o Quadro abaixo, que separa os grupos 
de clientes da organização em relação à lucratividade potencial e à fidelidade projetada.

L

U
C
R

A
T

I

V

I

D

A

D

E

P

O

T

E

N
C

I

A

L

Alta lucratividade

1

2

Baixa lucratividade

3

4

Clientes de curto prazo

Cliente de longo prazo

FIDELIDADE PROJETADA

A estratégia correta a ser adotada para o seu respectivo grupo é

(A) abrir mão da relação comercial com os clientes do grupo 1.
(B) aumentar a lucratividade nas relações com o grupo 4.
(C) dar prêmios valiosos para os clientes do grupo 1.
(D) fazer contínuos investimentos para encantar os clientes do grupo 3.
(E) não investir nada no tipo de cliente do grupo 2.

36

Em uma palestra para executivos brasileiros, um renomado consultor internacional descreveu as seguintes características, 
ao abordar a maneira como uma grande corporação é administrada atualmente:

1.  A empresa tem diversos negócios isolados, ou um conjunto de negócios relacionados, que podem ser planejados 

separadamente.

2.  Cada negócio tem seu próprio grupo de concorrentes.
3.  A empresa tem um gerente responsável pelo planejamento estratégico e pelo desempenho de cada área, a quem cabe 

o controle da maioria dos fatores que afetam os lucros.

Essas características referem-se às

(A) fases do ciclo de vida dos produtos
(B) forças e fraquezas competitivas
(C) oportunidades e ameaças organizacionais
(D) perspectivas estratégicas corporativas
(E) unidades estratégicas de negócios 

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR(A) JÚNIOR

12

37

Uma indústria que adotou, no último ano, um sistema de 
distribuição por multicanais percebe que vem perdendo 
o controle dos processos mercadológicos, principalmente 
em relação à exposição dos seus produtos nas gôndolas 
dos canais e ao volume baixo de vendas dos seus inter-
mediários.

Ela pode precaver-se dessa desvantagem utilizando fer-
ramentas de

(A) comunicação interna
(B) marketing direto
(C) distribuição própria
(D) promoção nos pontos de vendas
(E) relações públicas

38

Além de atrair e reter os consumidores, uma boa gestão 
pode aumentar a participação das compras, no curto pra-
zo, em cada uma de suas categorias de produto.

Uma ação para aumentar essa participação do cliente é

(A) ampliar o número de pontos de vendas e reforçar o 

apoio aos diversos intermediários nos canais.

(B) aumentar os investimentos em propaganda institucio-

nal, fortalecendo a imagem da organização.

(C) estabelecer descontos nas compras à vista nos pro-

dutos mais vendidos em cada categoria.

(D) promover para os clientes em potencial a combinação 

de ofertas entre produtos que se complementam.

(E) treinar a equipe para realizar vendas incrementais 

com o intuito de negociar mais produtos com os atuais 
clientes.

39

A estratégia organizacional deve levar em conta as ten-
dências e forças que mudam o cenário competitivo, de 
tempos em tempos. Nesse sentido, os gestores devem 
analisar os fatores que compõem o cenário competitivo 
atual.

Nesse contexto, qual dos fatores identificados está 
INCORRETO?

(A) As ações de marketing também se tornaram um ele-

mento importante na estratégia das organizações sem 
fins lucrativos.

(B) As empresas sofrem pressões para assumir uma res-

ponsabilidade maior pelos impactos ambientais e so-
ciais de suas ações.

(C) Em um mundo cada vez menor, muitas empresas es-

tão conectadas globalmente com seus clientes e par-
ceiros de negócios.

(D) Empresas de todos os tipos estão evitando o mercado 

internacional para não esbarrarem com a concorrên-
cia global.

(E) Os avanços nas áreas das telecomunicações, da in-

formação e outras tecnologias criam novas maneiras 
de aprender sobre os clientes e de rastreá-los.

40

João Pedro participa de um processo seletivo para uma 
empresa do setor energético. Ele pesquisa informações 
no site da organização para se preparar para sua entre-
vista de emprego. Lá, João Pedro lê alguns componentes 
da estratégia dessa empresa, entre os quais os valores 
organizacionais, que incluem o(a)

(A) respeito pelos colegas de trabalho e a ética nas rela-

ções com os clientes.

(B) objetivo de ser referência no setor energético daqui a 

cinco anos.

(C) missão de movimentar as empresas e os lares das 

famílias.

(D) economia, a política, a regulação do setor e os aspec-

tos ambientais.

(E) clima organizacional, o departamento de pessoal e o 

setor de recursos humanos.

BLOCO 2

41

Um analista foi designado para calcular o valor presente 
de um determinado fluxo futuro de caixa mensal positi-
vo constante gerado por um ativo de uma empresa. Por 
ser ainda pouco experiente, o analista não estava seguro 
quanto ao prazo de geração de caixa desse ativo e resol-
veu considerar um prazo infinito de meses. 

Considerando que a empresa possui uma taxa de des-
conto mensal (custo de capital) maior que zero, o analista 
encontrará um valor presente para o ativo igual  

(A) a zero
(B) a infinito
(C) ao valor do primeiro fluxo de caixa 
(D) a soma dos valores de todos os fluxos 
(E) ao valor de qualquer um dos fluxos dividido pela taxa

42

Uma empresa pode vender um produto por R$ 100 mil em 
2 parcelas mensais e iguais, sem acréscimo e sem entra-
da, sendo a primeira após 30 dias, ou à vista com des-
conto. Sabe-se que: a empresa possui 100% de capital 
próprio; seu coeficiente Beta utilizado no modelo CAPM é 
igual a 2; o prêmio de risco de mercado é de 6% a.a., e o 
retorno do ativo livre de risco é de 8% a.a.

Nessas condições, qual o desconto percentual máximo 
que a empresa poderia conceder na venda se o paga-
mento fosse à vista, para que as duas opções de venda 
fossem financeiramente equivalentes para a empresa? 

(A) 15,5%
(B) 18,3%
(C) 20,0%
(D) 23,6%
(E) 25,4%

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR(A) JÚNIOR

13

43

Um gestor de projetos defende a aprovação de um projeto 
W, que prevê um investimento inicial de R$ 2.000.000,00 
e apresenta uma Taxa Interna de Retorno - TIR de 21% 
a.a. Ele alega que o projeto Z, concorrente, necessita 
de um investimento inicial 50% maior e apresenta uma 
TIR de 18% a.a. Sabe-se que a empresa havia orçado 
R$ 3.000.000,00 para investir nesse tipo de projeto. 

Nesse caso, o gestor de projetos está

(A) certo, pois o seu projeto exige um investimento menor.
(B) certo, pois a TIR de seu projeto é maior.
(C) certo, pois o orçamento ainda ficará com folga.
(D) errado, pois ele não considerou o custo de capital. 
(E) errado, pois a TIR dos dois projetos são interessantes.

44

Uma empresa de grande porte, que atua sob o regime de 
tributação com base no lucro real, está elaborando seu 
orçamento de longo prazo, e os gestores envolvidos nesse 
processo estão debatendo a importância estratégica do 
custo de capital para a empresa. 

Nesse contexto, endividar-se

(A) pode ser bom para o custo de capital.  
(B) reduz a alavancagem operacional.
(C) mantém a alavancagem operacional.   
(D) reduz a alavancagem financeira.  
(E) mantém a alavancagem financeira.  

45

O orçamento empresarial pode ser entendido como a ex-
pressão quantitativa de um plano de ação futuro da admi-
nistração para um determinado período. O processo de 
orçamento empresarial pode utilizar-se de algumas abor-
dagens, como, por exemplo, a “Beyond Budgeting”, que 
possui algumas características marcantes. 

Uma dessas características é

(A) apresentar metas fixas para os gestores.
(B) apresentar um processo decisório centralizado.
(C) desestimular as equipes a assumirem riscos.   
(D) ser semelhante ao orçamento tradicional.
(E) prover os recursos quando forem necessários.

46

Alguns ativos e passivos circulantes do Balanço Patrimo-
nial de uma empresa possuem características específi-
cas que os identificam como sendo contas patrimoniais 
operacionais. O capital de giro operacional líquido de uma 
empresa não costuma ser constante, podendo variar, por 
exemplo, mensalmente. 

Quanto à variação mensal do capital de giro operacional 
líquido, sendo não nula, no mês em análise, ela sempre

(A) implicará novos financiamentos.
(B) implicará novos investimentos. 
(C) impactará o caixa da empresa. 
(D) resultará em um valor positivo.
(E) resultará em um valor negativo.

47

Uma senha de 5 caracteres distintos deve ser formada 
usando as letras A e O e os números 0, 1, 2. As senhas 
devem começar e terminar com letras, mas não é permiti-
do usar o 0 (zero) ao lado do O (letra o).

Quantas senhas podem-se formar atendendo às regras 
estabelecidas?

(A) 12
(B)   8
(C)   6
(D)   4
(E)   2

48

Para cada valor real x, seja f(x) uma função que assu-
me o menor valor escolhido entre K 

 2x1, R  x2  e 

42x. 

O maior valor que f(x) pode assumir é

(A) 

3

(B) 

1

(C) 0
(D) 1,5
(E) 2

49

Quatro amigos dividiram uma conta de bar de R$120,00. 
O primeiro pagou metade da quantia paga pelos outros 
três juntos; o segundo pagou um terço da quantia paga 
pelos outros três juntos, e o terceiro pagou um quarto da 
quantia paga pelos outros três juntos.

Quantos reais pagou o quarto amigo?

(A) R$ 40,00
(B) R$ 30,00
(C) R$ 20,00
(D) R$ 26,00
(E) R$ 24,00

RASCUNHO

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR(A) JÚNIOR

14

50

Ana e Bia são vendedoras de uma mesma loja. Em certo 

dia, Ana fez 4 vendas nos valores a

1

, a

2

, a

3

 e a

4

, e Bia 

fez 5 vendas nos valores b

1

, b

2

, b

3

, b

e b

5

. Conside-

re x e y números reais tais que (x, a

1

, a

2

, a

3

, a

4

, y) e 

(x, b

1

, b

2

, b

3

, b

4

, b

5

, y) formam progressões aritméticas.

Nessas condições, a fração 

a

4

 

 a

1

b

5

 

 b

1

 é igual a 

(A) 0,1
(B) 0,9
(C) 1
(D) 1,5
(E) 1,8

51

Uma empresa possui um novo produto para o qual o mer-
cado tem tamanho limitado. Além disso, grande parte dos 
consumidores conhece o produto e está disposta a pagar 
um preço alto por ele, e a concorrência potencial não é 
significativa. 

Limitado a trabalhar apenas com as variáveis preço e 
promoção, o gerente de marketing dessa empresa deve 
lançar o novo produto utilizando a estratégia de

(A) diversificação
(B) skimming lento
(C) penetração rápida
(D) integração vertical
(E) desenvolvimento de retorno

52

Os consumidores sabem que devem esperar variações 
na prestação de serviços de um prestador para o outro. 
Até mesmo por parte do mesmo prestador há variações 
nas prestações de serviços, afinal, uma das característi-
cas dos serviços é a heterogeneidade. 

A diferença entre os níveis de serviço desejado pelo con-
sumidor e aquele que ele considera adequado é denomi-
nada

(A) intangibilidade 
(B) expectativa ideal 
(C) zona de tolerância
(D) promessa explícita 
(E) intensificador transitório

53

O gerente de uma empresa deseja definir qual o número 
ótimo de vendedores para um determinado território cuja 
previsão anual de vendas é da ordem de R$ 3.000.000,00. 
Dados da empresa mostram que a produtividade mínima 
desejável por vendedor é de R$ 200.000,00, e o turnover 
anual de vendedores na empresa é de 20%. 

Utilizando o método do potencial de vendas, o número 
ótimo de vendedores para a empresa é 

(A) 

12 (B) 

13 (C) 

15 (D) 

18 (E) 

21

54

Frente a mercados cada vez mais globalizados, empresas 
locais encontram desafios significativos. Considere o 
caso de uma empresa local que contava com proteção 
governamental e passa a atuar em um mercado mais 
liberalizado como consequência de um acordo de 
integração econômica. Com as reformas realizadas no 
país e a abertura do mercado, essa empresa percebe que 
seus métodos produtivos são ineficientes, e seus produtos, 
ultrapassados, seus ativos competitivos são adequados 
somente à realidade anterior do mercado doméstico. 
Assim, a pressão para globalizar suas atividades elevou-se 
consideravelmente. 

Levando em conta as estratégias competitivas para em-
presas locais, a empresa apresentada é classificada como

(A) dodger 
(B) heater
(C) extensora 
(D) defensora
(E) contendora

55

O gerente de marketing queria testar os produtos de con-
sumo da empresa no mercado. Para tanto, ofereceu o 
produto a um grupo determinado de consumidores. Uma 
semana depois, ofereceu o produto novamente a um pre-
ço pouco mais baixo que o normal. Repetiu o mesmo pro-
cedimento por mais cinco semanas e registrou quantos 
clientes selecionaram novamente o produto da empresa e 
o nível de satisfação desses clientes. 

Esse método de teste de produto de consumo no merca-
do é denominado

(A) pesquisa ininterrupta
(B) mercado-teste simulado
(C) mercado-teste controlado
(D) simulação role playing selling 
(E) pesquisa de onda de vendas

RASCUNHO

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-prova.pdf-html.html

15

ADMINISTRADOR(A) JÚNIOR

BLOCO 3

O enunciado a seguir refere-se às questões de n

os

 56 e 57.

A companhia comercial apresentou as informações a seguir, antes de levantar o Balanço Patrimonial do exercício findo em 

31 de dezembro de 2013. 

1. Saldos das contas patrimoniais (retirados do Livro razão em ordem alfabética)

Amortização Acumulada

400,00

Empréstimos a Diretores

500,00

Aplicação Financeira Liquidez  Imediata

2.800,00

Estoque

3.200,00

Banco conta Empréstimo

1.238,00

Fornecedores

3.000,00

Caixa 1.200,00

Reserva 

Legal

512,00

Capital Social

5.000,00

Terrenos Alugados a Terceiros

2.500,00

Duplicatas a Receber

5.000,00

Veículos

3.200,00

2. Lucro antes do Imposto de Renda 

  Apurado na demonstração do resultado do exercício levantado em 31 de dezembro de 2013 = 8.250,00.

3. Outras informações, relativas ao exercício social de 2013, ainda não contabilizadas.

  • CSLL apurada no LALUR = 642,00

  • Dividendos obrigatórios = 4.286,00

  • Imposto de Renda apurado no LALUR = 1.968,00

  • Reserva Legal, constituída = 282,00

  • Reserva para Contingências, constituída = 1.072,00

56

Considerando exclusivamente as informações apresenta-

das pela companhia, as normas contábeis e a legislação 

societária vigentes, levantado o Balanço Patrimonial de

31 de dezembro de 2013, o total do Passivo Circulante da 

companhia, em reais, é

(A)   4.238,00

(B)   6.848,00

(C)   9.896,00

(D)  11.134,00

(E)  12.206,00

57

Considerando exclusivamente as informações apresen-

tadas pela companhia, as normas contábeis e a legisla-

ção societária vigentes, levantado o Balanço Patrimonial 

de 31 de dezembro de 2013, o valor das Disponibilidades 

da companhia, em reais, é

(A) 1.200,00

(B) 2.438,00

(C) 4.000,00

(D) 5.238,00

(E) 5.738,00

RASCUNHO

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-prova.pdf-html.html

16

ADMINISTRADOR(A) JÚNIOR

O enunciado a seguir refere-se às questões de n

os

 58 e 59.

A indústria K, que adota o método de custeio por absorção, no custeio de seus produtos, anotou a realização dos seguintes 
gastos, num determinado período de tempo, do seu processo produtivo.

Comissão dos vendedores

1.000,00

Salários dos operários (fábrica)

12.000,00

Compra de matéria-prima

20.000,00

Salários dos vendedores

3.500,00

Energia elétrica da fábrica

2.000,00

Frete da matéria-prima

4.500,00

Honorários da diretoria

8.000,00

Frete das vendas

5.500,00

58

Considerando somente os gastos apresentados pela in-
dústria K, para o período produtivo informado, e os fun-
damentos técnico-conceituais da contabilidade de custos, 
relativos à terminologia dos gastos, o total desses gastos 
classificado como custos de produção, em reais, é

(A) 14.000,00
(B) 19.500,00
(C) 38.500,00
(D) 44.000,00
(E) 45.000,00

59

Considerando somente os gastos apresentados pela 
indústria K, para o período produtivo informado, e seu 
respectivo registro contábil, o valor total dos estoques 
(investimentos) da indústria K, pelo enfoque técnico-con-
tábil da contabilidade de custos, em reais, é

(A) 0,00 (zero)
(B) 20.000,00
(C) 24.500,00
(D) 25.500,00
(E) 38.500,00

60
A indústria R, que no custeio de seus produtos e nas avaliações gerenciais para as tomadas de decisão adota o método 
do custeio variável, apresentou as seguintes informações relativas somente a um de seus produtos:
 

• Custo variável unitário 7,00

 

• Despesa variável unitária 2,00

 

• Despesa fixa total 120.000,00

 

• Investimento realizado, exclusivamente para a produção desse produto 500.000,00

 

• Preço de venda unitário 15,00

 

• Retorno mínimo esperado, pela indústria, para o investimento realizado 10%

 

• O produto atinge o ponto de equilíbrio econômico (PEE) na comercialização de 80.000 unidades

Considerando exclusivamente as informações apresentadas pela indústria R, a contabilidade gerencial para a tomada de 
decisões e a relação do custo volume lucro, o total dos custos fixos, suportado pela indústria, referente a tal produto, em 
reais, é

(A) 120.000,00
(B) 170.000,00
(C) 310.000,00
(D) 430.000,00
(E) 480.000,00

61

No planejamento agregado da produção, os gestores da área de operações de uma empresa fabril desenvolvem planos 
de médio prazo sobre como produzirão seus produtos. 

O planejamento agregado, entendido como um processo, geralmente apresenta como primeira atividade

(A)  desenvolver esquemas de recursos alternativos.
(B)  escolher o melhor plano de produção.
(C)  prever vendas para cada produto.
(D)  totalizar as previsões em uma demanda agregada.
(E)  transformar a demanda agregada em recursos produtivos.

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR(A) JÚNIOR

17

62

A maioria dos métodos utilizados para o planejamento 
da produção considera a demanda como sendo fixa. No 
entanto, a cada período, o plano gerado é revisto para 
incorporar as informações de mercado mais recentes. As 
opções existentes para mudar os níveis de produção im-
plicam custos relevantes, sendo o mais difícil de ser esti-
mado o custo de

(A) atraso de entregas 
(B) demissão de pessoal
(C) horas extras 
(D) contratação de pessoal
(E) subcontratações

63

Os fabricantes japoneses ajudaram a desmitificar a cren-
ça na existência da relação entre busca da qualidade e 
baixa produtividade. Eles mostraram ao mundo que, se o 
setor de produção faz certo da primeira vez e produz pro-
dutos e serviços sem defeitos, os desperdícios são

(A) eliminados, e aumentam-se os custos.
(B) eliminados, e reduzem-se os custos.
(C) inexistentes, e mantêm-se os custos.
(D) reduzidos, e aumentam-se os custos.
(E) reduzidos, e mantêm-se os custos.

64

A comunicação entre as partes de uma cadeia de supri-
mentos é de grande relevância; no entanto, certos tipos 
de informação podem gerar impactos em toda uma ca-
deia, gerando o conhecido “Efeito Chicote”. 

NÃO constitui uma causa desse efeito o(a)

(A) alto custo de colocação do pedido
(B) agrupamento de pedidos
(C) racionamento de produtos
(D) estabilidade de preços
(E) previsão da demanda de longo prazo

65

Os gerentes de operações, quando adotam o planeja-
mento das necessidades de materiais – MRP, fazem-no, 
dentre outros motivos, buscando melhorar o serviço ao 
cliente e reduzir investimentos em estoques. 

O sistema MRP apresenta entradas e saídas, e uma de 
suas saídas principais é o(a)

(A) arquivo estrutura analítica do produto
(B) arquivo lista de materiais
(C) arquivo situação do estoque
(D) programa mestre de produção
(E) programação de pedidos

RASCUNHO

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-prova.pdf-html.html

ADMINISTRADOR(A) JÚNIOR

18

66

A empresa ALFA está tentando reduzir custos na aquisi-
ção de determinados insumos de produção. Ela decidiu 
utilizar o modelo de Lote Econômico de Compra – LEC 
– para estimar o volume a ser comprado da peça B17. 
Sabe-se que a sua demanda anual é de 200 peças, o 
custo para manter uma unidade dessa peça em estoque 
durante um ano é de R$ 1,00, e o custo médio para emitir 
um pedido de compra é de R$ 4,00. 

Qual o LEC de peças B17? 

(A) 10 

(B) 20 

(C) 30 

(D) 40 

(E) 50

67

“Kanban” é uma palavra japonesa que significa sinal visí-
vel ou apenas cartão. Uma determinada estação de traba-
lho apresenta um volume de produção de 300 peças por 
hora e leva 15 minutos para receber um contêiner com 
peças a serem processadas. 

Sabendo-se que cada contêiner contém 15 peças, qual 
é o número de kanbans necessários para controlar essa 
produção?

(A) 1 

(B) 2 

(C) 3 

(D) 4 

(E) 5

Esse enunciado refere-se às questões de n

os

 68 e 69.

Um analista observou que a média das remunerações re-
cebidas pelos 100 empregados que responderam a uma 
determinada pesquisa estava muito baixa: R$ 2.380,00. 
Após investigar, verificou que 15% das respostas estavam 
com valor nulo e todas elas eram referentes às respostas 
dos empregados que se recusaram a responder a esse 
quesito, embora recebessem remuneração.

68

Retirando essas observações nulas, a média dos salários 
dos respondentes é, em reais,

(A) 2.380
(B) 2.487
(C) 2.650
(D) 2.737
(E) 2.800

69

Inicialmente, o analista registrou variância dos salários, 
em reais

2

, igual a 2.835.600,00. 

Retirando as observações nulas, a média dos quadrados 
dos salários dos respondentes é, em reais

2

, aproximada-

mente,

(A)  10.000.000,00
(B)   8.500.000,00
(C)   6.300.000,00
(D)   4.400.000,00
(E)   2.800.000,00

RASCUNHO

70

Um candidato a um programa de pós-graduação precisa 
passar por dois tipos de prova: oral e escrita. Os resulta-
dos das provas são independentes, e as probabilidades 
de aprovação são de 1/4 na prova oral, e 3/4, na prova 
escrita. 
A aceitação do aluno está vinculada à aprovação em duas 
provas consecutivas em uma série de três aplicadas na 
ordem: oral, escrita, oral.

Qual é a probabilidade de aprovação do candidato?

(A) 3/64
(B) 9/64
(C) 15/64
(D) 18/64
(E) 21/64    

cesgranrio-2014-petrobras-administrador-a-junior-prova.pdf-html.html

RASCUNHO