Prova Concurso - Arquitetura - 2014-TJ-AP-ANALISTA-JUDICIARIO-AREA-APOIO-ESPECIALIZADO-ARQUITETURA - FCC - TJ - 2014

Prova - Arquitetura - 2014-TJ-AP-ANALISTA-JUDICIARIO-AREA-APOIO-ESPECIALIZADO-ARQUITETURA - FCC - TJ - 2014

Detalhes

Profissão: Arquitetura
Cargo: 2014-TJ-AP-ANALISTA-JUDICIARIO-AREA-APOIO-ESPECIALIZADO-ARQUITETURA
Órgão: TJ
Banca: FCC
Ano: 2014
Nível: Superior

Downloads dos Arquivos

prova.pdf
gabarito.pdf

Provas relacionadas

ARQUITETOEBSERH2018
ESPECIALISTA-PORTUARIO-ARQUITETURAEMAP2018
ARQUITETOPREFEITURA2018

Gabarito

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-gabarito.pdf-html.html

 

Tribunal de Justiça do Estado do Amapá 

Diversos Cargos 

 

Relação dos gabaritos 

 

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 01 - ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA JUDICIÁRIA E ADM 

Tipo gabarito 1 

 

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 02 - ANA JUD - ÁREA JUDICIÁRIA-ESP EXECUÇÃO DE 

MANDADOS 

Tipo gabarito 1 

 

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 03 - ANA JUD - ÁREA ADMINISTRATIVA - ESP 

ADMINISTRAÇÃO 

Tipo gabarito 1 

 

 

001 - D
002 - B 
003 - D
004 - E 
005 - A
006 - C 
007 - A
008 - C 
009 - E 
010 - B 

 

011 - D
012 - C 
013 - B 
014 - A
015 - C 
016 - E 
017 - D
018 - E 
019 - A
020 - B 

 

021 - B 
022 - D
023 - C 
024 - A
025 - B 
026 - E 
027 - D
028 - E 
029 - B 
030 - A

 

031 - A
032 - E 
033 - B 
034 - C 
035 - D
036 - E 
037 - B 
038 - D
039 - C 
040 - C 

 

041 - C 
042 - D
043 - B 
044 - A
045 - E 
046 - A
047 - D
048 - B 
049 - A
050 - C 

 

051 - E 
052 - B 
053 - D
054 - B 
055 - E 
056 - A
057 - C 
058 - B 
059 - E 
060 - D

 

001 - D
002 - B 
003 - D
004 - E 
005 - A
006 - C 
007 - A
008 - C 
009 - E 
010 - B 

 

011 - D
012 - C 
013 - B 
014 - A
015 - C 
016 - E 
017 - D
018 - E 
019 - A
020 - B 

 

021 - B 
022 - D
023 - C 
024 - A
025 - B 
026 - E 
027 - D
028 - E 
029 - B 
030 - A

 

031 - B 
032 - C 
033 - A
034 - E 
035 - D
036 - C 
037 - D
038 - A
039 - E 
040 - B 

 

041 - C 
042 - B 
043 - E 
044 - B 
045 - A
046 - D
047 - A
048 - B 
049 - D
050 - C 

 

051 - E 
052 - E 
053 - B 
054 - E 
055 - A
056 - C 
057 - E 
058 - A
059 - C 
060 - D

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - C 
032 - A
033 - A
034 - C 
035 - E 
036 - D
037 - E 
038 - B 
039 - D
040 - B 

 

041 - C 
042 - B 
043 - E 
044 - A
045 - C 
046 - D
047 - E 
048 - C 
049 - A
050 - B 

 

051 - D
052 - E 
053 - B 
054 - A
055 - C 
056 - A
057 - A
058 - B 
059 - E 
060 - A

 

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-gabarito.pdf-html.html

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 04 - ANA JUD - APOIO - ESP ARQUITETURA 

Tipo gabarito 1 

 

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 05 - ANA JUD - APOIO - ESP ARQUIVOLOGIA 

Tipo gabarito 1 

 

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 06 - ANA JUD - APOIO - ESP CONTABILIDADE 

Tipo gabarito 1 

 

 

 

 

 

 

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - D
032 - C 
033 - E 
034 - B 
035 - A
036 - C 
037 - B 
038 - B 
039 - D
040 - E 

 

041 - C 
042 - E 
043 - A
044 - D
045 - A
046 - C 
047 - E 
048 - A
049 - B 
050 - D

 

051 - B 
052 - C 
053 - E 
054 - B 
055 - A
056 - D
057 - A
058 - E 
059 - A
060 - C 

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - A
032 - B 
033 - C 
034 - A
035 - D
036 - B 
037 - E 
038 - D
039 - A
040 - D

 

041 - E 
042 - B 
043 - B 
044 - C 
045 - C 
046 - E 
047 - C 
048 - A
049 - D
050 - E 

 

051 - D
052 - B 
053 - A
054 - C 
055 - A
056 - E 
057 - B 
058 - C 
059 - D
060 - E 

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - B 
032 - C 
033 - D
034 - B 
035 - C 
036 - D
037 - E 
038 - C 
039 - B 
040 - A

 

041 - E 
042 - D
043 - A
044 - A
045 - C 
046 - D
047 - B 
048 - D
049 - A
050 - E 

 

051 - A
052 - B 
053 - C 
054 - E 
055 - B 
056 - C 
057 - E 
058 - A
059 - D
060 - A

 

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-gabarito.pdf-html.html

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 07 - ANA JUD - APOIO - ESP 

BIBLIOTECONOMIA/DOCUMENTAÇÃO 

Tipo gabarito 1 

 

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 08 - ANA JUD - APOIO - ESP ENFERMAGEM 

Tipo gabarito 1 

 

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 09 - ANA JUD - APOIO - ESP ENGENHARIA CIVIL 

Tipo gabarito 1 

 

 

 

 

 

 

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - C 
032 - E 
033 - B 
034 - A
035 - D
036 - C 
037 - B 
038 - E 
039 - D
040 - A

 

041 - B 
042 - C 
043 - E 
044 - D
045 - A
046 - B 
047 - D
048 - C 
049 - A
050 - E 

 

051 - B 
052 - A
053 - C 
054 - E 
055 - B 
056 - E 
057 - C 
058 - D
059 - D
060 - E 

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - A
032 - D
033 - B 
034 - C 
035 - B 
036 - E 
037 - C 
038 - A
039 - E 
040 - B 

 

041 - C 
042 - D
043 - E 
044 - E 
045 - A
046 - B 
047 - C 
048 - A
049 - E 
050 - B 

 

051 - A
052 - D
053 - E 
054 - C 
055 - D
056 - C 
057 - D
058 - A
059 - B 
060 - D

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - C 
032 - A
033 - D
034 - E 
035 - B 
036 - A
037 - B 
038 - E 
039 - C 
040 - A

 

041 - D
042 - D
043 - B 
044 - E 
045 - A
046 - D
047 - C 
048 - E 
049 - B 
050 - B 

 

051 - A
052 - D
053 - C 
054 - A
055 - E 
056 - D
057 - B 
058 - D
059 - E 
060 - A

 

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-gabarito.pdf-html.html

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 10 - ANA JUD - APOIO - ESP ENGENHARIA ELÉTRICA 

Tipo gabarito 1 

 

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 11 - ANA JUD - APOIO - ESP HISTÓRIA 

Tipo gabarito 1 

 

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 12 - ANA JUD - APOIO - ESP JORNALISMO 

Tipo gabarito 1 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - D
032 - B 
033 - C 
034 - A
035 - D
036 - E 
037 - D
038 - B 
039 - A
040 - E 

 

041 - C 
042 - A
043 - E 
044 - D
045 - B 
046 - B 
047 - A
048 - C 
049 - D
050 - C 

 

051 - B 
052 - E 
053 - D
054 - A
055 - E 
056 - E 
057 - C 
058 - B 
059 - A
060 - D

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - C 
032 - E 
033 - C 
034 - A
035 - B 
036 - B 
037 - D
038 - C 
039 - E 
040 - A

 

041 - D
042 - A
043 - B 
044 - C 
045 - E 
046 - A
047 - E 
048 - C 
049 - B 
050 - D

 

051 - A
052 - C 
053 - B 
054 - C 
055 - D
056 - E 
057 - D
058 - A
059 - E 
060 - C 

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - B 
032 - E 
033 - D
034 - E 
035 - B 
036 - C 
037 - E 
038 - C 
039 - D
040 - E 

 

041 - C 
042 - B 
043 - E 
044 - B 
045 - A
046 - D
047 - A
048 - E 
049 - D
050 - C 

 

051 - E 
052 - D
053 - B 
054 - A
055 - B 
056 - C 
057 - A
058 - B 
059 - A
060 - C 

 

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-gabarito.pdf-html.html

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 13 - ANA JUD - APOIO - ESP MEDICINA (MED. DO 

TRABALHO) 

Tipo gabarito 1 

 

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 14 - ANA JUD - APOIO - ESP MEDICINA (PERÍCIA MÉDICA) 

Tipo gabarito 1 

 

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 15 - ANA JUD - APOIO - ESP MEDICINA (PSIQUIATRIA) 

Tipo gabarito 1 

 

 

 

 

 

 

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - C 
032 - D
033 - A
034 - E 
035 - B 
036 - A
037 - B 
038 - B 
039 - E 
040 - C 

 

041 - A
042 - C 
043 - E 
044 - A
045 - D
046 - C 
047 - C 
048 - B 
049 - A
050 - B 

 

051 - E 
052 - E 
053 - D
054 - D
055 - A
056 - B 
057 - E 
058 - C 
059 - D
060 - A

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - B 
032 - A
033 - D
034 - C 
035 - B 
036 - C 
037 - B 
038 - D
039 - A
040 - E 

 

041 - A
042 - C 
043 - D
044 - E 
045 - C 
046 - A
047 - D
048 - B 
049 - D
050 - C 

 

051 - E 
052 - A
053 - B 
054 - E 
055 - E 
056 - C 
057 - A
058 - B 
059 - D
060 - B 

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - A
032 - D
033 - C 
034 - E 
035 - D
036 - A
037 - C 
038 - B 
039 - E 
040 - B 

 

041 - A
042 - E 
043 - C 
044 - D
045 - E 
046 - B 
047 - E 
048 - A
049 - B 
050 - D

 

051 - C 
052 - B 
053 - E 
054 - A
055 - C 
056 - E 
057 - B 
058 - D
059 - C 
060 - A

 

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-gabarito.pdf-html.html

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 16 - ANA JUD - APOIO - ESP MUSEOLOGIA 

Tipo gabarito 1 

 

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 17 - ANA JUD - APOIO - ESP PSICOLOGIA 

Tipo gabarito 1 

 

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 18 - ANA JUD - APOIO - ESP REVISÃO DE TEXTO 

Tipo gabarito 1 

 

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 19 - ANA JUD - APOIO - ESP SERVIÇO SOCIAL 

Tipo gabarito 1 

 

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - D
032 - A
033 - E 
034 - B 
035 - B 
036 - C 
037 - D
038 - C 
039 - E 
040 - A

 

041 - E 
042 - D
043 - B 
044 - D
045 - A
046 - B 
047 - C 
048 - B 
049 - E 
050 - A

 

051 - D
052 - D
053 - C 
054 - E 
055 - C 
056 - B 
057 - A
058 - E 
059 - C 
060 - A

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - D
032 - C 
033 - E 
034 - A
035 - B 
036 - C 
037 - D
038 - C 
039 - B 
040 - C 

 

041 - D
042 - A
043 - C 
044 - A
045 - E 
046 - D
047 - A
048 - C 
049 - E 
050 - B 

 

051 - B 
052 - D
053 - B 
054 - A
055 - C 
056 - E 
057 - D
058 - A
059 - D
060 - E 

 

001 - A
002 - B 
003 - E 
004 - B 
005 - A
006 - D
007 - E 
008 - A
009 - D
010 - C 

 

011 - D
012 - A
013 - C 
014 - D
015 - E 
016 - C 
017 - E 
018 - B 
019 - C 
020 - C 

 

021 - B 
022 - D
023 - C 
024 - A
025 - E 
026 - D
027 - B 
028 - A
029 - B 
030 - E 

 

031 - D
032 - C 
033 - A
034 - B 
035 - D
036 - E 
037 - A
038 - E 
039 - C 
040 - B 

 

041 - C 
042 - D
043 - B 
044 - E 
045 - D
046 - A
047 - C 
048 - B 
049 - A
050 - C 

 

051 - D
052 - E 
053 - B 
054 - D
055 - B 
056 - C 
057 - D
058 - E 
059 - D
060 - E 

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - B 
032 - C 
033 - A
034 - B 
035 - C 
036 - B 
037 - A
038 - D
039 - C 
040 - E 

 

041 - B 
042 - D
043 - A
044 - E 
045 - B 
046 - E 
047 - C 
048 - B 
049 - C 
050 - D

 

051 - E 
052 - D
053 - A
054 - B 
055 - A
056 - D
057 - C 
058 - A
059 - D
060 - E 

 

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-gabarito.pdf-html.html

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 20 - ANA JUD - APOIO - ESP TAQUIGRAFIA 

Tipo gabarito 1 

 

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 21 - ANA JUD - APOIO - ESP TEC INF-ADM EM REDES DE 

COMP 

Tipo gabarito 1 

 

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 22 - ANA JUD - APOIO - ESP TEC INF-BANCO DE DADOS-

DBA 

Tipo gabarito 1 

 

 

 

 

 

 

 

001 - A
002 - B 
003 - E 
004 - B 
005 - A
006 - D
007 - E 
008 - A
009 - D
010 - C 

 

011 - D
012 - A
013 - C 
014 - D
015 - E 
016 - C 
017 - E 
018 - B 
019 - C 
020 - C 

 

021 - B 
022 - D
023 - C 
024 - A
025 - E 
026 - D
027 - B 
028 - A
029 - B 
030 - E 

 

031 - D
032 - C 
033 - A
034 - E 
035 - B 
036 - D
037 - C 
038 - D
039 - B 
040 - E 

 

041 - C 
042 - D
043 - B 
044 - E 
045 - D
046 - A
047 - C 
048 - B 
049 - A
050 - C 

 

051 - D
052 - E 
053 - B 
054 - D
055 - B 
056 - C 
057 - D
058 - E 
059 - D
060 - E 

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - A
032 - B 
033 - E 
034 - C 
035 - B 
036 - A
037 - D
038 - C 
039 - D
040 - A

 

041 - E 
042 - A
043 - B 
044 - D
045 - E 
046 - C 
047 - D
048 - E 
049 - B 
050 - C 

 

051 - E 
052 - A
053 - D
054 - C 
055 - D
056 - C 
057 - B 
058 - A
059 - B 
060 - E 

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - B 
032 - C 
033 - B 
034 - C 
035 - D
036 - E 
037 - D
038 - E 
039 - A
040 - C 

 

041 - A
042 - D
043 - A
044 - E 
045 - B 
046 - C 
047 - D
048 - B 
049 - E 
050 - C 

 

051 - D
052 - A
053 - B 
054 - C 
055 - D
056 - A
057 - E 
058 - A
059 - B 
060 - D

 

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-gabarito.pdf-html.html

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 23 - ANA JUD - APOIO - ESP TEC INF-DESENV DE 

SISTEMAS 

Tipo gabarito 1 

 

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 24 - ANA JUD - APOIO - ESP TEC INF-SEG. DA 

INFORMAÇÃO 

Tipo gabarito 1 

 

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 25 - ANA JUD - APOIO - ESP TEC INF - 

TELECOMUNICAÇÕES 

Tipo gabarito 1 

 

 

 

 

 

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - C 
032 - E 
033 - D
034 - B 
035 - D
036 - A
037 - E 
038 - A
039 - D
040 - C 

 

041 - B 
042 - A
043 - B 
044 - C 
045 - D
046 - A
047 - E 
048 - D
049 - B 
050 - E 

 

051 - B 
052 - C 
053 - A
054 - E 
055 - D
056 - C 
057 - E 
058 - A
059 - B 
060 - C 

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - D
032 - A
033 - B 
034 - E 
035 - B 
036 - E 
037 - A
038 - C 
039 - E 
040 - C 

 

041 - A
042 - D
043 - C 
044 - E 
045 - B 
046 - D
047 - A
048 - B 
049 - A
050 - D

 

051 - B 
052 - C 
053 - E 
054 - D
055 - C 
056 - E 
057 - A
058 - D
059 - C 
060 - D

 

001 - A
002 - C 
003 - B 
004 - D
005 - B 
006 - E 
007 - C 
008 - A
009 - B 
010 - E 

 

011 - B 
012 - D
013 - A
014 - E 
015 - D
016 - C 
017 - E 
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - A
022 - D
023 - D
024 - B 
025 - C 
026 - C 
027 - B 
028 - C 
029 - A
030 - E 

 

031 - A
032 - B 
033 - E 
034 - B 
035 - C 
036 - A
037 - D
038 - C 
039 - E 
040 - B 

 

041 - D
042 - A
043 - C 
044 - D
045 - B 
046 - C 
047 - E 
048 - B 
049 - A
050 - D

 

051 - E 
052 - A
053 - D
054 - C 
055 - D
056 - C 
057 - B 
058 - A
059 - B 
060 - E 

 

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-gabarito.pdf-html.html

Conhecimentos Gerais / Conhec. Específicos 

Cargo ou opção 26 - TÉCNICO JUDICIÁRIO - ÁREA JUDICIÁRIA E ADM 

Tipo gabarito 1 

 

 

001 - C 
002 - B 
003 - D
004 - A
005 - C 
006 - E 
007 - D
008 - B 
009 - B 
010 - A

 

011 - C 
012 - A
013 - B 
014 - E 
015 - E 
016 - A
017 - D
018 - C 
019 - E 
020 - E 

 

021 - C 
022 - D
023 - B 
024 - C 
025 - D
026 - B 
027 - C 
028 - A
029 - E 
030 - D

 

031 - C 
032 - B 
033 - A
034 - E 
035 - E 
036 - D
037 - D
038 - C 
039 - A
040 - B 

 

041 - E 
042 - C 
043 - D
044 - B 
045 - E 
046 - D
047 - A
048 - E 
049 - C 
050 - A

 

051 - B 
052 - D
053 - C 
054 - A
055 - B 
056 - D
057 - B 
058 - C 
059 - E 
060 - C 

 

Prova

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-prova.pdf-html.html

N do Caderno

o

N de Inscrição

o

ASSINATURA DO CANDIDATO

N do Documento

o

Nome do Candidato

Dezembro/2014

Analista Judiciário - Área Apoio Especializado

Especialidade: Arquitetura

Concurso Público para provimento de cargos de

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAPÁ

P R O VA O B J E T I VA

Conhecimentos Gerais
Conhecimentos Específicos

INSTRUÇÕES

VOCÊ DEVE

ATENÇÃO

- Verifique se este caderno:

- corresponde a sua opção de cargo.

- contém 60 questões, numeradas de 1 a 60.

- Caso contrário, reclame ao fiscal da sala um outro caderno.

- Não serão aceitas reclamações posteriores.

- Para cada questão existe apenas UMA resposta certa.

- Você deve ler cuidadosamente cada uma das questões e escolher a resposta certa.

- Essa resposta deve ser marcada na FOLHA DE RESPOSTAS que você recebeu.

- Procurar, na FOLHA DE RESPOSTAS, o número da questão que você está respondendo.

- Verificar no caderno de prova qual a letra (A,B,C,D,E) da resposta que você escolheu.

- Marcar essa letra na FOLHA DE RESPOSTAS, conforme o exemplo:

- Marque as respostas com caneta esferográfica de material transparente de tinta preta ou azul. Não será permitido o

uso de lápis, lapiseira, marca-texto ou borracha.

- Marque apenas uma letra para cada questão, mais de uma letra assinalada implicará anulação dessa questão.

- Responda a todas as questões.

- Não será permitida qualquer espécie de consulta, nem o uso de máquina calculadora ou similar.

- A duração da prova é de 4 horas, para responder a todas as questões e preencher a Folha de Respostas.

- Ao término da prova, chame o fiscal da sala e devolva todo o material recebido.

- Proibida a divulgação ou impressão parcial ou total da presente prova. Direitos Reservados.

A

C D E

Caderno de Prova ’04’, Tipo 001

MODELO

0000000000000000

MODELO1

00001−0001−0001

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

 

TJUAP-Conhecimentos Gerais

2

 

 

CONHECIMENTOS GERAIS 

 

Língua Portuguesa 

 

Atenção:   Considere o texto abaixo para responder às 

questões de números 1 a 6. 

 
 
A expressão “política indigenista” foi utilizada por muito 

tempo como sinônimo de toda e qualquer ação política gover-
namental que tivesse as populações indígenas como objeto. As 
diversas mudanças no campo do indigenismo nos últimos anos, 
no entanto, exigem que estabeleçamos uma definição mais pre-
cisa e menos ambígua do que seja a política indigenista.  

Primeiramente temos como agentes principais os próprios 

povos indígenas, seus representantes e organizações. O ama-
durecimento progressivo do movimento indígena desde a déca-
da de 1970, e o consequente crescimento no número e diversi-
dade de organizações nativas, dirigidas pelos próprios índios, 
sugere uma primeira distinção no campo indigenista: a “política 
indígena”, aquela protagonizada pelos próprios índios, não se 
confunde com a política indigenista e nem a ela está submetida. 
Entretanto, boa parte das organizações e lideranças indígenas 
vêm aumentando sua participação na formulação e execução 
das políticas para os povos indígenas. 

Numa segunda distinção, encontramos outros segmentos 

que interagem com os povos indígenas e que também, como 
eles, têm aumentado sua participação na formulação e execu-
ção de políticas indigenistas, antes atribuídas exclusivamente 
ao Estado brasileiro. Nesse conjunto encontramos principal-
mente as organizações não governamentais. Somam-se a 
este universo de agentes não indígenas as organizações religio-
sas que se relacionam com os povos indígenas em diversos 
campos de atuação.  

Contemporaneamente, portanto, temos um quadro comple-

xo no qual a política indigenista oficial (formulada e executada 
pelo Estado) tem sido formulada e implementada a partir de par-
cerias formais estabelecidas entre setores governamentais, or-
ganizações indígenas, organizações não governamentais e 
missões religiosas.  

(Disponível em: pib.socioambiental.org. Acesso em 03/10/14. 
Com adaptações)  

 
 
1. 

Depreende-se corretamente do texto que  

 

(A)  a distinção entre a política indigenista e a política 

indígena está centrada no fato de que a primeira é 
implementada pelo Estado enquanto a segunda é 
colocada em prática pelos próprios índios. 

 
(B) a 

expressão 

política indigenista deixou de ser apro-

priada na medida em que uma diversidade de orga-
nizações nativas, dirigidas pelos próprios índios,
 
passou a prevalecer sobre as práticas governamen-
tais. 

 
(C)  a tentativa de estabelecer uma definição menos am-

bígua do que seja a política indigenista mostrou-se 
inconclusa, dada a complexidade da situação atual 
em que a política indígena tem sido formulada. 

 
(D)  os povos indígenas amadureceram nas últimas dé-

cadas, o que fez com que demandas antigas do mo-
vimento indígena, aquelas protagonizada[s]  pelos 
próprios índios,
 fossem abandonadas. 

 
(E) os 

agentes não indígenas, apesar dos avanços atin-

gidos desde a década de 1970, deixaram de pôr em 
prática diversos projetos que tratavam de interesses 
específicos dos índios, nos vários setores em que 
atuam. 

2. 

Mantendo-se a correção, o verbo que pode ser flexionado 
no singular, sem que nenhuma outra alteração seja feita 
na frase, está sublinhado em 

 

(A)  ... que interagem com os povos indígenas... (3

o

 pará-

grafo) 

 
(B)  As diversas mudanças no campo do indigenismo [...] 

exigem que estabeleçamos uma definição mais 
precisa...
 (1

o

 parágrafo) 

 
(C)  ...boa parte das organizações e lideranças indígenas 

vêm aumentando sua participação... (2

o

 parágrafo) 

 
(D)  ...têm aumentado sua participação na formulação... 

(3

o

 parágrafo) 

 
(E)  Somam-se a este universo de agentes não indíge-

nas as organizações religiosas ... (3

o

 parágrafo) 

_________________________________________________________ 

 

3. 

Considere as afirmações: 

 
 

I

.  O pronome destacado em ...e que também... (3

o

 pa-

rágrafo) refere-se a outros segmentos

 

 

II

.  Ambos os pronomes aquela  e ela (2

o

 parágrafo) 

referem-se à expressão “política indígena”

 

 

III

.  O pronome destacado em ...como  eles, têm au-

mentado... (3

o

 parágrafo) refere-se a povos indí-

genas

 
 

Está correto o que se afirma APENAS em 

 

(A) 

II

(B) 

I

 e 

III

(C) 

I

 e 

II

(D) 

II

 e 

III

(E) 

III

_________________________________________________________ 

 

4. 

A expressão “política indigenista” foi utilizada por muito 
tempo como sinônimo de toda e qualquer ação política go-
vernamental que...
 

 
 

Transpondo-se a frase acima para a voz passiva sinté-
tica
, a forma verbal resultante será 

 

(A) utilizaram-se. 
(B) utiliza-se. 
(C) utilizaram. 
(D) utilizou-se. 
(E) utilizamos. 

_________________________________________________________ 

 

5. 

Mantendo-se a correção e o sentido, sem que nenhuma 
outra modificação seja feita na frase, substitui-se correta-
mente 

 

(A)  “Entretanto” por “Embora” em Entretanto, boa parte 

das organizações e lideranças indígenas vêm... 
(2

o

 parágrafo) 

 
(B)  “no entanto” por “todavia” em As diversas mudanças 

no campo do indigenismo nos últimos anos, no en-
tanto, exigem que estabeleçamos... 
(1

o

 parágrafo) 

 
(C)  “portanto” por “por certo” em Contemporaneamente, 

portanto, temos... (4

o

 parágrafo) 

 
(D)  “no qual” por “cuja” em temos um quadro complexo 

no qual a política indigenista oficial... (4

o

 parágrafo) 

 
(E)  “a partir de” por “acerca de” em a partir de parcerias 

formais estabelecidas entre setores governamentais, 
organizações indígenas... 
(4

o

 parágrafo) 

Caderno de Prova ’04’, Tipo 001

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

 

TJUAP-Conhecimentos Gerais

2

 

6. 

A frase que se mantém correta após a inserção de uma ou 
mais vírgulas, sem prejuízo do sentido original, está em: 

 

(A)  Entretanto, boa parte das organizações, e lideranças 

indígenas vêm aumentando sua participação na for-
mulação e execução das políticas para os povos in-
dígenas.
 

 
(B)  A expressão “política indigenista” foi utilizada, por 

muito tempo, como sinônimo de toda e qualquer 
ação política governamental, que tivesse as popula-
ções indígenas como objeto.
 

 
(C)  Nesse conjunto, encontramos, principalmente as or-

ganizações não governamentais. 

 
(D)  Somam-se a este universo de agentes não indíge-

nas, as organizações religiosas que se relacionam 
com os povos indígenas, em diversos campos de 
atuação.
 

 
(E)  Primeiramente, temos como agentes principais os 

próprios povos indígenas, seus representantes e or-
ganizações.
 

_________________________________________________________ 

 

Atenção:   Considere o texto abaixo para responder às ques-

tões de números 7 a 18. 

 

Embora a aspiração por justiça seja tão antiga quanto 

os primeiros agrupamentos sociais, seu significado sofreu pro-
fundas alterações no decorrer da história. Apesar das mudan-

ças, um símbolo atravessou os séculos 

 a deusa Têmis 

, im-

ponente figura feminina, com os olhos vendados e carregando 
em uma das mãos uma balança e na outra uma espada. Pou-
cas divindades da mitologia grega sobreviveram tanto tempo. 
Poucos deixariam de reconhecer na imagem o símbolo da jus-
tiça. 

A persistência da representação esconde, contudo, im-

portantes mudanças que ocorreram da Antiguidade grega até 
nossos dias. Tanto os direitos quanto a justiça sofreram grandes 
transformações. 

A moderna ideia de justiça e de direito é inerente ao 

conceito de indivíduo, um ente que tem valor em si mesmo, do-
tado de direitos naturais. Tal doutrina se contrapunha a uma 
concepção orgânica, segundo a qual a sociedade é um todo. 

A liberdade, nesse novo paradigma, deixa de ser uma 

concessão ou uma característica de uma camada social e con-
verte-se em um atributo do próprio homem.  

A crença de que os direitos do homem correspondiam a 

uma qualidade intrínseca ao próprio homem implicou enquadrar a 
justiça em um novo paradigma. O justo não é mais correspon-
dente à função designada no corpo social, mas é um bem indivi-
dual, identificado com a felicidade, com os direitos inatos. 

Da igualdade nos direitos naturais derivava-se não só a 

liberdade, mas também as possibilidades de questionar a desi-
gualdade entre os indivíduos, de definir o tipo de organização 
social e o direito à resistência. Toda e qualquer desigualdade 
passa a ser entendida como uma desigualdade provocada pelo 
arranjo social. Nesse paradigma, a sociedade e o Estado não 
são fenômenos dados, mas engendrados pelo homem. A desi-
gualdade e o poder ilimitado deixam, pois, de ser justificados 
como decorrentes da ordem natural das coisas. À lei igual para 
todos incorpora-se o princípio de que desiguais devem ser tra-
tados de forma desigual. Cresce a força de movimentos segun-
do os quais a lei, para cumprir suas funções, deve ser desigual 
para indivíduos que são desiguais na vida real. 

Nesse novo contexto, modifica-se o perfil do poder pú-

blico. O judiciário, segundo tais parâmetros, representa uma for-
ça de emancipação. É a instituição pública encarregada, por ex-
celência, de fazer com que os preceitos da igualdade prevale-
çam na realidade concreta. Assim, os supostos da modernida-
de, particularmente a liberdade e a igualdade, dependem, para 
se materializarem, da força do Judiciário, de um lado, e do 
acesso à justiça, das possibilidades reais de se ingressar em tri-
bunais, de outro. 

Para terminar, volto à deusa Têmis, que enfrentava no 

Olimpo o deus da guerra, Ares. Naquele tempo, como hoje, 
duas armas se enfrentam: a violência, que destrói e vive da de-
sigualdade, e a lei, que constrói e busca a igualdade. 

 

(Adaptado de SADEK, Maria Tereza Aina. “Justiça e direitos: a 
construção da igualdade”. In: Agenda Brasileira. São Paulo, Cia. 
das Letras, 2011, p. 326-333.) 

 
 
7. 

Depreende-se corretamente do texto: 

 

(A)  o direito à felicidade e à liberdade, embora constitu-

tivos do homem, foram formalmente usurpados na 
modernidade, a despeito do fato de que durante a 
Antiguidade tais direitos eram compreendidos como 
inerentes ao corpo social. 

 
(B)  dada a persistência da imagem da deusa Têmis 

como símbolo da justiça ao longo dos séculos, 
ocorreram transformações importantes nos direitos 
do homem da Antiguidade grega até os dias de hoje. 

 
(C)  a evocação da batalha da deusa Têmis contra o 

deus Ares vem corroborar uma das ideias defendi-
das no texto, qual seja, a de que, para se materiali-
zar, na atualidade a justiça deve ser um instrumento 
de combate à desigualdade social. 

 
(D)  o judiciário, cuja função na modernidade é consoli-

dar equanimemente as demandas de diversos gru-
pos sociais, configura-se como a instituição encarre-
gada de fazer com que os princípios da liberdade e 
da igualdade subsistam na realidade concreta.  

 
(E)  a sociedade orgânica, na qual a liberdade individual 

era restrita a alguns estratos sociais, paradoxalmen-
te resultou no fortalecimento de movimentos sociais 
segundo os quais a lei, para cumprir suas funções, 
deveria ser igual para todos os indivíduos. 

_________________________________________________________ 

 

8. 

Identifica-se uma causa e seu efeito, respectivamente, nos 
segmentos que se encontram em: 

 

(A)  A crença de que os direitos do homem correspon-

diam a uma qualidade intrínseca ao próprio homem / 
implicou enquadrar a justiça em um novo paradigma.
 

 
(B)  Embora a aspiração por justiça seja tão antiga quan-

to os primeiros agrupamentos sociais / seu significa-
do sofreu profundas alterações no decorrer da histó-
ria.
 

 
(C)  Apesar das mudanças / um símbolo atravessou os 

séculos 

 a deusa Têmis ... 

 
(D)  À lei igual para todos / incorpora-se o princípio de 

que desiguais devem ser tratados de forma desigual. 

 
(E)  ... para cumprir suas funções / deve ser desigual pa-

ra indivíduos ... 

Caderno de Prova ’04’, Tipo 001

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

 

TJUAP-Conhecimentos Gerais

2

 

9. 

De acordo com o texto, a noção de que a sociedade não é 
“um fenômeno dado” deve-se, entre outras razões, 

 

(A)  à força emancipatória de movimentos sociais origi-

nados na Antiguidade. 

 
(B)  à crença de que os direitos do homem são inerentes 

ao próprio homem. 

 
(C)  à possibilidade concreta de todo cidadão comum in-

gressar em tribunais. 

 
(D)  ao fato de que a felicidade coletiva passou a ser vis-

ta como um direito social. 

 
(E)  ao malogro dos dispositivos sociais para extinguir a 

desigualdade. 

_________________________________________________________ 

 

10.  Tal doutrina se contrapunha a uma concepção orgânica... 
 
 

O verbo flexionado nos mesmos tempo e modo que o da 
frase acima encontra-se sublinhado em: 

 

(A)  Poucos deixariam de reconhecer na imagem... 

 
(B)  Poucas divindades da mitologia grega sobreviveram 

tanto tempo. 

 
(C)  ...e converte-se em um atributo do próprio homem. 

 
(D)  ... para se materializarem... 

 
(E)  ...que enfrentava no Olimpo o deus da guerra, Ares. 

_________________________________________________________ 

 

11.  Sem que nenhuma outra alteração seja feita na frase, o si-

nal indicativo de crase deverá ser mantido caso se substi-
tua o elemento sublinhado pelo que se encontra entre pa-
rênteses em:  

 

(A)  O justo não é mais correspondente à função de-

signada no corpo social... (atividades exercidas) 

 
(B)  À lei igual para todos incorpora-se o princípio de 

que... (integra-se) 

 
(C)  ...e o direito à resistência. (resistir) 

 
(D)  ...e do acesso à justiça... (tribunais) 

 
(E)  Para terminar, volto à deusa Têmis... (evoco) 

_________________________________________________________ 

 

12.  ...que enfrentava no Olimpo o deus da guerra... 

 

...questionar a desigualdade entre os indivíduos... 

 

...um símbolo atravessou os séculos... 

 
 

Fazendo-se as alterações necessárias, os segmentos 
sublinhados acima foram corretamente substituídos por 
um pronome, na ordem dada, em: 

 

(A) o 

enfrentava 

− questionar-lhe  − atravessou-lhes 

(B) enfrentava-lhe 

− a questionar  − os atravessou 

(C) lhe 

enfrentava 

− a questionar  − lhes atravessou 

(D) o 

enfrentava 

− questioná-la  − atravessou-os 

(E) enfrentava-lhe 

− questioná-la 

− os atravessou 

_________________________________________________________ 

 

13.  A desigualdade e o poder ilimitado deixam, pois, de ser jus-

tificados como decorrentes da ordem natural das coisas. 

 
 

O item sublinhado acima estabelece no contexto noção de 

 

(A) conclusão. 

(B) finalidade. 

(C) causa. 

(D) temporalidade. 

(E) concessão. 

14.  A respeito da pontuação do texto, considere: 

 

 

I

.  Sem prejuízo da correção e do sentido, uma vírgula 

pode ser inserida imediatamente após lei, no seg-
mento À lei igual para todos (6

o

 parágrafo). 

 

 

II

.  Mantendo-se a correção e o sentido, uma pontua-

ção alternativa para um segmento do texto é: um 
símbolo atravessou os séculos: a deusa Têmis, im-
ponente figura feminina, com os olhos vendados e 
carregando, em uma das mãos, uma balança e, na 
outra, uma espada...
 (1

o

 parágrafo). 

 

 

III

.  Sem prejuízo da correção, a vírgula empregada ime-

diatamente após individual, no segmento ...mas é um 
bem individual, identificado com a felicidade, com os 
direitos inatos,
 pode ser suprimida. (5

o

 parágrafo) 

 

 

Está correto o que se afirma APENAS em: 
 
(A) 

I

 e 

II

(B) 

I

(C) 

I

 e 

III

(D) 

II

(E) 

II

 e 

III

_________________________________________________________ 

 

15.  ...os supostos da modernidade (...)  dependem, para se 

materializarem, da força do Judiciário... 
 

 

O verbo que possui, no contexto, o mesmo tipo de com-
plemento que o sublinhado acima está empregado em: 
 
(A)  ...os preceitos da igualdade prevaleçam na realidade 

concreta. 

 
(B)  ...carregando em uma das mãos uma balança... 
 
(C)  O justo não é mais correspondente à função... 
 
(D)  ... e vive da desigualdade... 
 
(E)  ... que ocorreram da Antiguidade grega até nossos 

dias. 

_________________________________________________________ 

 

16.  Identifica-se ideia de comparação no segmento que se 

encontra em: 
 
(A)  Assim, os supostos da modernidade... 
 
(B)  ... não só a liberdade, mas também as possibilidades 

de... 

 
(C)  Embora a aspiração por justiça seja tão antiga quan-

to os primeiros agrupamentos... 

 
(D)  A persistência da representação esconde, contudo, 

importantes mudanças... 

 
(E)  ... para indivíduos que são desiguais na vida real

_________________________________________________________ 

 

17.  O segmento em que se restringe o sentido do termo 

imediatamente anterior encontra-se em 
 
(A)  ...imponente figura feminina... (1

o

 parágrafo) 

 
(B)  ...particularmente a liberdade e a igualdade... (7

o

 pa-

rágrafo) 

 
(C)  ...que enfrentava no Olimpo o deus da guerra... 

(8

o

 parágrafo) 

 
(D)  ... que constrói e busca a igualdade. (8

o

 parágrafo) 

 
(E)  ...que tem valor em si mesmo... (3

o

 parágrafo) 

Caderno de Prova ’04’, Tipo 001

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

 

TJUAP-Conhecimentos Gerais

2

 

18. Está 

correta 

redação do comentário que se encontra em 

 
(A)  Historicamente, o processo de ampliação dos direi-

tos que compõe a cidadania representou uma redu-
ção nos níveis de exclusão social.  

 
(B)  Perante a lei, todos usufruem de igual direito à se-

gurança, à propriedade, à não ser condenado sem o 
devido processo legal etc. 

 
(C)  Um dos mais importantes efeitos da incorporação de 

direitos na sociedade é a redução da distância entre 
indivíduos. 

 
(D)  Concebida nos séculos 

XVII

 e 

XVIII

, a doutrina 

dos direitos dos homens amalga-se à declaração de 
independência dos Estados Unidos. 

 
(E)  Os direitos sociais tem por objetivo um padrão míni-

mo de igualdade no que se referem ao usufruto dos 
bens coletivos. 

_________________________________________________________ 

 

Noções de Direito Constitucional 

 

19.  É livre a associação profissional ou sindical, observado o 

seguinte: 
 
(A)  a lei poderá exigir autorização do Estado para a fun-

dação de sindicato que depende de autorização do 
Poder Público na forma da lei, inclusive no que se 
refere ao registro no órgão competente. 

 
(B)  é permitida a criação de mais de uma organização 

sindical, em qualquer grau, representativa de cate-
goria profissional ou econômica, na mesma base 
territorial, que será definida pelos trabalhadores ou 
empregadores interessados, não podendo ser infe-
rior à área de um Município. 

 
(C)  a assembleia geral fixará a contribuição que, em se 

tratando de categoria profissional, será descontada 
em folha, para custeio do sistema confederativo da 
representação sindical respectiva, desde que não 
exista contribuição análoga prevista em lei para a 
categoria. 

 
(D)  o aposentado filiado não tem direito a votar e ser 

votado nas organizações sindicais. 

 
(E)  é obrigatória a participação dos sindicatos nas nego-

ciações coletivas de trabalho. 

_________________________________________________________ 

 

20.  A teor do art. 70 da Constituição Federal: Prestará contas 

qualquer pessoa 

I

, que utilize, arrecade, guarde, geren-

cie ou administre 

II

 ou pelos quais a União responda, ou 

que, em nome desta, assuma obrigações de natureza 

pecuniária. 
 

 

Completam, correta e respectivamente, as lacunas 

I

 e 

II

 
(A)  jurídica pública 

− dinheiros e bens públicos 

 
(B)  física ou jurídica, pública ou privada 

− bens e valores 

públicos 

 
(C)  física ou jurídica, pública ou privada 

−  dinheiros e 

bens públicos 

 
(D)  jurídica pública 

− bens e valores públicos 

 
(E)  física ou jurídica, pública ou privada 

−  dinheiros, 

bens e valores públicos 

21.  Nos termos da Constituição Federal, compete privativa-

mente ao Presidente da República: 
 

 

I

.  declarar guerra, no caso de agressão estrangeira, 

autorizado pelo Congresso Nacional ou referendado 
por ele, quando ocorrida no intervalo das sessões 
legislativas. 

 

 

II

.  decretar, total ou parcialmente, a mobilização nacio-

nal, no caso de agressão estrangeira, autorizado pelo 
Congresso Nacional ou referendado por ele, quando 
ocorrida no intervalo das sessões legislativas. 

 

 

III

.  celebrar a paz, independentemente de autorização 

ou referendo do Congresso Nacional. 

 

 

Está correto o que consta em 
 

(A) 

I

 e 

II

, apenas. 

 

(B) 

II

 e 

III

, apenas. 

 

(C) 

I

, apenas. 

 

(D) 

I

 e 

III

, apenas. 

 

(E) 

I

II

 e 

III

_________________________________________________________ 

 

22.  Na estrutura do Poder Judiciário brasileiro há um Tribunal 

 
(A)  Regional do Trabalho em cada Estado. 
 
(B)  Regional Federal em cada uma das cinco Regiões 

brasileiras. 

 
(C)  Regional Eleitoral em cada uma das cinco Regiões 

brasileiras. 

 
(D)  de Justiça organizado e mantido pela União para o 

Distrito Federal e Territórios. 

 
(E)  de Justiça Militar em cada Estado da Federação com 

mais de duzentos mil habitantes. 

_________________________________________________________ 

 

 

Noções de Direito Administrativo 

 

23.  Quando se afirma que determinado ato administrativo re-

gularmente editado e válido é dotado do atributo da 
autoexecutoriedade, significa que 
 
(A)  seu cumprimento é obrigatório, constituindo expressão 

do poder de império da Administração, o que obsta 
questionamentos por parte dos administrados. 

 
(B)  sua execução somente pode ser questionada na esfera 

judicial, vedado o estabelecimento de contraditório na 
esfera administrativa. 

 
(C)  a Administração pública o editou com base em ato 

normativo de competência do Executivo, diante da 
ausência de previsão legal a respeito do assunto. 

 
(D)  sua execução material pode ser colocada em prática 

pela própria Administração pública, independentemente 
de prévia autorização ou determinação judicial. 

 
(E)  sua exigibilidade decorre do próprio ato, ressalvada 

a execução material, que depende de prévia provo-
cação do Poder Judiciário. 

Caderno de Prova ’04’, Tipo 001

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

 

TJUAP-Conhecimentos Gerais

2

 

24.  Determinado órgão público celebrou contrato de locação 

de imóvel para instalar sua repartição em Tartarugalzinho. 
O locador exigiu que o prazo de vigência fosse fixado em 
60 (sessenta) meses, na forma do que dispõe a legislação 
civil aplicável. O administrador, contudo, inicialmente não 
acatou o pedido, recordando-se da norma contida na Lei 
n

o

 8.666/93 que limita a duração dos contratos à vigência 

dos créditos orçamentários. A preocupação do administra-
dor, invocando a referida norma, 

 
(A)  procede, tendo em vista que os contratos celebrados 

pela Administração pública não podem exceder a 
vigência dos créditos orçamentários. 

 
(B)  não procede, na medida em que a lei de licitações 

excepcionou as locações da incidência da norma 
que limita o prazo de vigência dos contratos. 

 
(C)  não procede, sendo necessário, todavia, prévia e ex-

pressa autorização normativa para a aprovação de 
prazo superior ao estabelecido pela Lei n

o

 8.666/93. 

 
(D)  procede, tendo em vista que os contratos administra-

tivos não podem exceder o exercício e a vigência dos 
respectivos créditos orçamentários, salvo diante da 
demonstração de interesse público e da inexistência de 
prejuízo. 

 
(E)  não procede, tendo em vista que se trata de contrato 

administrativo de execução continuada, para os 
quais não se aplica a limitação de vigência à qual 
aludiu o administrador. 

_________________________________________________________ 

 

25.  Diante da assunção de nova gestão ao Governo Estadual, 

foi regularmente criada uma Secretaria de Estado voltada 
as questões de natureza agrária e fundiária, com vistas, 
em especial, ao equacionamento de conflitos. Para com-
posição do quadro de servidores que atuarão no órgão, a 
Administração pública, considerando as alternativas juridi-
camente possíveis, 

 
(A)  poderá constituir o órgão integralmente por cargos de 

confiança em comissão, de livre nomeação e exo-
neração, independentemente da natureza das ativida-
des a serem desenvolvidas. 

 
(B)  poderá realizar concurso público para provimento de 

cargos comissionados ou empregos públicos. 

 
(C)  deverá realizar concurso público para provimento de 

servidores públicos estatutários em cargos efetivos. 

 
(D)  deverá realizar concurso público para seleção de em-

pregados estatutários, submetidos a regime próprio de 
previdência. 

 
(E)  poderá realizar concurso para provimento de cargos 

efetivos, reduzindo-se o período de estágio proba-
tório em razão de se tratar de órgão novo. 

_________________________________________________________ 

 

26.  Joaquim é diretor de uma empreiteira, tendo sido apurado 

em regular investigação que ele vinha gratificando servi-
dores públicos para obtenção de informações privilegia-
das que viabilizavam o sucesso da empresa nas licita-
ções das quais participava. Diante desse quadro, especifi-
camente no que se refere à atuação de Joaquim,  

 
(A)  pode haver responsabilização por ato de improbi-

dade, independentemente de imputação em outras 
esferas, tendo em vista que se equipara a agente 
público para os fins legais. 

 
(B)  pode haver responsabilização por infração penal que, 

pela gravidade, absorve todos os demais ilícitos 
praticados. 

 
(C)  não pode haver responsabilização por ato de impro-

bidade, tendo em vista que seu cargo não se equipara 
a agente público para fins legais, não obstante possa 
haver imputação de ilícito em outras esferas. 

 
(D)  não pode ser responsabilizado, na medida em que 

somente a servidores públicos pode ser imputada a 
prática de ato de improbidade, durante o desenvol-
vimento de procedimentos regidos pelo direito público. 

 
(E)  pode haver responsabilização por improbidade que, 

se procedente, vinculará a condenação em todas as 
demais esferas. 

 

Resolução n

o

 006/2003 

 TJAP 

 

27.  A Secção Única e a Câmara Única fazem parte da organi-

zação e funcionamento do Tribunal de Justiça do Amapá 

− 

TJAP e são presididas pelo 

 

(A)  Presidente do Tribunal ou, na sua ausência, pelo 

Desembargador mais antigo entre os presentes, ha-
vendo quórum. 

 
(B)  Vice-Presidente do Tribunal ou, na sua ausência, pe-

lo Desembargador mais antigo entre os presentes, 
havendo quórum. 

 
(C)  Corregedor-Geral do Tribunal ou, na sua ausência, 

pelo Desembargador mais antigo entre os presentes, 
havendo quórum. 

 
(D)  Presidente do Conselho da Magistratura do Tribunal 

ou, na sua ausência, pelo Desembargador mais anti-
go entre os presentes, havendo quórum. 

 
(E)  Presidente do Conselho Superior dos Juizados Es-

peciais ou, na sua ausência, pelo Desembargador 
mais antigo entre os presentes, havendo quórum. 

_________________________________________________________ 

 

28.  A competência para processar e julgar, originariamente, 

mandado de segurança e habeas data, quando a autorida-
de informante for Juiz de Direito, é 

 

(A)  do Plenário do Tribunal. 
 
(B)  da Câmara Única do Tribunal. 
 
(C)  da Secção Única do Tribunal. 
 
(D)  do Presidente do Tribunal. 
 
(E)  do Corregedor-Geral do Tribunal. 

_________________________________________________________ 

 

29.  Após o exame do processo pelo relator e lançado o rela-

tório nos autos, haverá revisão por outro Desembargador. 
Essa fase NÃO ocorre no caso de 

 

(A) questão 

de 

ordem. 

 
(B) revisão 

criminal. 

 
(C) embargos 

infringentes. 

 
(D) apelação 

cível. 

 
(E) ação 

rescisória. 

_________________________________________________________ 

 

30.  Na ocorrência de inexistência de norma regulamentadora 

estadual ou municipal de qualquer dos Poderes, inclusive 
na Administração indireta, que torne inviável o exercício 
de direitos assegurados nas Constituições Federal e Esta-
dual, caberá 

 

(A)  suscitação de conflito de competência. 
 
(B)  mandado de segurança. 
 
(C)  habeas data
 
(D) ação 

rescisória. 

 
(E) mandado 

de 

injunção. 

Caderno de Prova ’04’, Tipo 001

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

TJUAP-An.Jud.-Arquitetura-04

 

 

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

 

31.  Em 1955, Joaquim Cardozo escreveu o texto Arquitetura Brasileira: características mais recentes. Do ponto de vista dos con-

ceitos fundamentais sobre arquitetura, sociedade e cultura, considere os seguintes pontos destacados pelo poeta, calculista e 
historiador pernambucano:  

 
 

I

.  Observa-se o gradual desaparecimento do muro, coberto, abafado por elementos plásticos múltiplos e vários; e quando 

consegue se manter, associado aos elementos curvos empregados, como arcos e abóbodas, exprime-se por uma sime-
tria de eixos. 

 
 

II

.  

Inaugura-se um novo ritmo na arquitetura moderna brasileira; uma tendência manifesta para as largas superfícies, verda-
deiros panos de concreto, corpos de delgadas espessuras, sugerindo a leveza muito íntima e em muito semelhante aos 
invólucros de balões e dirigíveis. 

 
 

III

.  

Trata-se de exuberante exposição de averticalismo. A marquise, na entrada, inclina-se sobre a horizontal; o suporte dessa 
marquise é inclinado sobre a vertical; a torre sineira é limitada por um feixe de linhas retas aberto para o alto. 

 
 

IV

.  

Os pilotis dos primeiros tempos da arquitetura moderna transformaram-se em formas plásticas que à primeira vista dão a 
impressão de esculturas e que são, entretanto, funcionais, pois resultam das transições entre os espaços criados, entre 
os prismas estruturais que coordenam a estabilidade da construção. 

 
 

Está correto o que consta APENAS em 

 

(A) 

II

 e 

III

 
(B) 

I

 e 

II

 
(C) 

III

 e 

IV

 
(D) 

II

III

 e 

IV

 
(E) 

I

 e 

IV

 
 
32.  A Alta Qualidade Ambiental 

− AQUA é um conceito holístico e, por essa razão, fundamenta-se na análise do local do em-

preendimento e de seu programa de necessidades. Busca proporcionar condições ideais de conforto e saúde para os usuários, 
respeitando o meio ambiente e a sociedade, atendendo integralmente a legislação e obtendo viabilidade econômica por meio da 
análise do ciclo de vida dos empreendimentos. O Processo de Certificação Ambiental de Edificações AQUA compreende os se-
guintes temas:  

 

(A)  Acessos e transportes; espaços sustentáveis; inovação e processo de projeto; prioridades regionais. 

 
(B)  Uso eficiente da água; energia e atmosfera; materiais e recursos; qualidade ambiental interna. 

 
(C)  Energia; meio ambiente; saúde; conforto. 

 
(D)  Relação do edifício com seu entorno; canteiros de obras; conforto higrotérmico; conforto acústico e olfativo. 

 
(E)  Gestão da energia; gestão da água; qualidade interna dos ambientes; escolha integrada de produtos, sistemas e proces-

sos construtivos. 

 
 
33.  Atributos são recursos importantes do Projeto e do Desenho Assistido por Computador (Computer-aided design and drafting 

 

CADD). A respeito do uso de atributos no AutoCAD:  

 
 

I

.  Os atributos permitem que se armazenem informações que mais tarde podem ser extraídas para uso em gerenciadores 

de bancos de dados, programas de planilha e processadores de texto. 

 
 

II

.  Os atributos independem de blocos. 

 
 

III

.  Blocos que contêm atributos mantêm seu valor sempre anexado ao símbolo do bloco de modo visível. 

 
 

IV

.  Uma de suas funções mais comuns é manter listas de peças. 

 
 

Está correto o que consta em 

 

(A) 

I

II

III

 e 

IV

 
(B) 

III

, apenas. 

 
(C) 

II

 e 

IV

, apenas. 

 
(D) 

II

 e 

III

, apenas. 

 
(E) 

I

 e 

IV

, apenas. 

Caderno de Prova ’04’, Tipo 001

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

TJUAP-An.Jud.-Arquitetura-04

 

34. Observe

 

abaixo

 

desenhos

 

e

 

imagens

 

da Casa de Praia em St. Andrew (2003), em Victoria, Austrália, projeto de Sean Godsell Architects. 

 

 

 

 

Perspectiva explodida dos elementos estruturais 

 

Perspectiva explodida incluindo elementos construtivos

 

 

 

1_Diagrama de esforços normais de tração na treliça.

    Ação gravitacional

3_Diagrama de momentos fletores nos banzos da treliça.

     Ação gravitacional

2_Diagrama de esforços normais de compressão na treliça.

    Ação gravitacional

 

 
 

Em relação aos princípios estruturais dessa arquitetura, constata-se que 

 

(A)  desenhando as diagonais para ficarem submetidas à tração, consegue-se melhorar a concepção, pois essas barras 

estarão sujeitas à instabilidade produzida por flambagem.  

 
(B)  treliças da altura do pavimento têm capacidade de vencer grandes vãos e prolongarem-se em balanço.  

 
(C)  a retirada das diagonais dos módulos junto aos balanços não compromete a solução, pois não gera momentos fletores nas 

barras dos banzos.  

 
(D)  os principais elementos são vigas vierendeel que, locadas nas fachadas longitudinais, conseguem prolongar-se em duplo 

balanço vencendo grande vão central. 

 
(E)  escoras são elementos inclinados funcionando essencialmente à compressão que, nesse caso, equilibram-se tracionando 

a viga de cobertura que sustentam. 

Caderno de Prova ’04’, Tipo 001

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

TJUAP-An.Jud.-Arquitetura-04

 

35.  Analise o segmento de planta e o respectivo corte do projeto executivo de estrutura metálica abaixo.  
 
 

VM6

VM

1

7

VM

1

7

PM14PM14

PM13PM13

PM22

PM23PM23

18

0

18

0

18

0

18

0

54

0

54

0

VM6

W310X38.7

72

0

72

0

22

5

22

5

PM41

PM32

PM31

PM40

PM41

720

VM9A

W310X32.7

L4B

VM

1

4

W

310

X

2

1

VM

1

4

W

310

X

2

1

1 2 x5 /1 6"

1 2 x5 /1 6 "

C3

C3

 

 
PLANTA NÍVEL 102.05 

 
 

20

VM14

VM9A

W200X46.1

PM37 ao PM44

102.05

25

CONECTORES
VER DETALHE

10

30

CH 200X200X12.5

CORTE C3-C3

 

 
 

Considerando que a bitola dos perfis metálicos está expressa por meio da altura nominal (mm) e da massa linear (kg/m), é 
correto afirmar: 

 

(A)  O pilar PM40 possui massa linear maior que a viga VM14. 
 
(B)  As vigas VM9A e VM6 possuem mesma altura e peso. 
 
(C)  A viga VM14 está apoiada nas vigas VM9A e VM6. 
 
(D)  A laje L4B é quadrada e está armada em duas direções. 
 
(E)  A viga VM9A é mais pesada que as vigas VM6 e VM14. 

 

 

CORTE C3-C3 

Caderno de Prova ’04’, Tipo 001

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

10 

TJUAP-An.Jud.-Arquitetura-04

 

36.  Observe os desenhos e imagens a seguir dos projetos Monumento aos Imigrantes (2000) em São Paulo, SP, e Pavilhões para a 

Hyundai, trabalhos do escritório Spadoni AA, liderado pelo arquiteto Francisco Spadoni. 

 
 

Monumento aos Imigrantes

Maquete

Croquis de estudo

Plantas

1. Acesso 
2. Galeria 
3. Apoio 
4. Mirante 
5. Café 

1

2

5

3

4

Corte

 

 
 
 

 

 

Pavilhão Hyundai Natal

 

 

 

Pavilhão Hyundai Rio de Janeiro

 

 
 
 

Caderno de Prova ’04’, Tipo 001

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

TJUAP-An.Jud.-Arquitetura-04

 

11 

 
 

Pavilhão Hyundai Sumaré

 

 
 

Pavilhão Hyundai Curitiba

 

 
 

 

Pavilhão Hyundai Goiânia

 

 
 

 Pavilhão Hyundai Aeroporto 

 
 

 

Pavilhão Hyundai Aeroporto - Vista interna

 

 
 

Em relação aos princípios e às características dessa arquitetura, constata-se que 

 

 

I

.  

pavilhões fazem parte da cultura da arquitetura como obras que se destacam pelo estoque de volume espacial que 
mobilizam, e não necessariamente pelo programa.  

 

 II

.  

memoriais não sobrevivem sem programa mesmo quando sua natureza é a grande carga simbólica da qual se originam, 
colocando-se como um marco na paisagem.  

 

 III

.  

se adota para a arquitetura a flexibilidade do programa; para a construção, uma matriz tecnológica reproduzível; enquanto 
que cidade e paisagem são inevitavelmente desconsideradas.  

 

 IV

.  

o elemento aglutinador de todos os trabalhos transforma um problema técnico em linguagem, resultando em tectônica 
essencialmente não transparente e pesada. 

 
 

Está correto o que consta APENAS em 

 

(A) 

I

 e 

III

(B) 

II

 e 

IV

(C) 

I

(D) 

III

 e 

IV

(E) 

I

 e 

II

 

 

Caderno de Prova ’04’, Tipo 001

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

12 

TJUAP-An.Jud.-Arquitetura-04

 

37.  Observe abaixo desenhos e imagens do projeto Vanke Center (2006-09) em Shenzen, China, projeto do arquiteto americano 

Steven Holl. 

 

 

 

ESCRITÓRIO

APARTAMENTOS

HOTEL

ESCADAS + ELEVADORES

VISTA PARA O MAR

VISTA

 

V

IST

A P

AR

A O

 MAR

VI

ST

A P

A RA A MONTANH

A

VIST

A P

AR

A

O

LA

G

O

 

 
 

Em relação aos princípios e às características dessa arquitetura, constata-se que: 

 
 

I

.  

A tipologia adotada é preponderante sobre a paisagem urbana que surge na maioria das vezes como uma sucessão de 
surpresas ou revelações súbitas típicas da ideia de visão serial. 

 
 

II

.  Em meio à privatização da terra galopando na periferia de cidades chinesas, o programa é construído acima do nível do 

solo, e ao fazê-lo o lote privado torna-se um parque público.  

 
 

III

.  

Há grande ênfase nos aspectos técnico-construtivos, sobretudo devido às dimensões do conjunto e, por consequência, 
certa limitação da liberdade criativa. 

 
 

IV

.  

O projeto reconsidera o conceito tradicional do campus corporativo isolado e rompe com a distribuição normal de usos em 
diferentes volumes, típico nestes tipos de minicidades.  

 
 

Está correto o que consta APENAS em 

 

(A) 

I

.  

(B) 

II

 e 

IV

(C) 

I

 e 

III

(D) 

III

 e 

IV

(E) 

I

 e 

II

Caderno de Prova ’04’, Tipo 001

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

TJUAP-An.Jud.-Arquitetura-04

 

13 

38.  Observe os desenhos a seguir do projeto para a construção das casas integrantes da Vila Amazonas e Vila Serra do Navio 

(1955), no Amapá, projetos do arquiteto Oswaldo Bratke. 

 
 

 

 
 

 

 
 

 

 

 

 

 
Plantas das residências para operários 

 
1 Estar 

4 Área de serviço 

2 Dormitório 

5 Sanitário 

3 Cozinha 

Caderno de Prova ’04’, Tipo 001

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

14 

TJUAP-An.Jud.-Arquitetura-04

 

 
 
 

 

 

 

 

 

 

 
Perspectivas das residências para funcionários graduados 

 

 

 

 

Croquis de estudo 

 
 
 

Em relação aos princípios de composição, construção e conforto ambiental dessa arquitetura, constata-se que 

 
(A)  há independência entre estrutura, subdivisões e fechamentos, e a construção apoia-se na ideia de montagem de 

componentes pré-fabricados.  

 
(B)  se adotou um sistema de ventilação cruzada complementado com beirais largos que controlam a incidência solar e 

asseguram proteção contra chuvas. 

 
(C)  a estrutura da composição em trama regular de pilares e coberturas simples impede a criação de espaços com pés-direitos 

duplos. 

 
(D)  a opção por contrastes com formas livres não aparece, pois se torna praticamente impossível, devido à regularidade da 

malha estrutural. 

 
(E)  em plantas desse tipo obtêm-se melhores resultados com os núcleos de serviços interiorizados e circulações periféricas, 

obedecendo a critérios econômicos. 

 

 

Caderno de Prova ’04’, Tipo 001

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

TJUAP-An.Jud.-Arquitetura-04

 

15 

39.  Observe abaixo desenhos e imagens do Museu das Missões (1937) em São Miguel das Missões, RJ, projeto de Lucio Costa 

com a colaboração de Lucas Mayerhofer e Paulo Thedim Barreto.  

 

1

2

3

4

 

 
 
 
 
 
 
 
 

 

Planta Museu e Casa do Zelador 

1 Catedral de S. Miguel  

5 Exposição 

2 Praça 

6 Estar 

3 Museu 

7 Dormitório 

4 Casa do Zelador 

8 Cozinha 

 

   

 

Face norte e catedral de São Miguel 

Face sul desde o centro da praça 

 
 

Em relação às questões do patrimônio histórico, ambiental e arquitetônico, constata-se que 

 
 

I

.  o museu é afastado da igreja para se construir a exceção do novo objeto construído sem peças remanescentes das 

ruínas, procurando a originalidade do manifesto. 

 
 

II

.  

sua implantação em “L”, anexando a casa do zelador do museu, demarca, em relação à posição da catedral, a antiga 
praça central do povoado. 

 
 

III

.  sua implantação em “L”, anexando a casa do zelador do museu, revela, em relação à posição da catedral, a origem e o 

significado “urbano” do projeto. 

 
 

IV

.  a elementos referenciais remanescentes das ruínas acrescenta-se a transparência, possibilitando a fruição das peças 

escultóricas tendo a paisagem do sítio como cenário. 

 
 

Está correto o que consta APENAS em 

 

(A) 

II

 e 

IV

(B) 

I

III

 e 

IV

(C) 

I

II

 e 

III

(D) 

II

III

 e 

IV

(E) 

I

 e 

III

Caderno de Prova ’04’, Tipo 001

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

16 

TJUAP-An.Jud.-Arquitetura-04

 

40.  Segundo a NBR 13.351/1997 

− que fixa as atividades técnicas de projeto de arquitetura e engenharia exigíveis para a constru-

ção de edificações 

− a etapa das atividades técnicas considerada opcional e destinada à concepção e à representação das in-

formações técnicas da edificação e de seus elementos, instalações e componentes, ainda não completas ou definitivas, mas 
consideradas compatíveis com a mesma etapa das outras atividades técnicas necessárias e suficientes à licitação (contratação) 
dos serviços de obra correspondentes denomina-se 

 

(A) Anteprojeto 

(AP). 

 

(B)  Projeto Executivo (PE). 
 

(C)  Projeto Legal (PL). 
 

(D)  Projeto Pré Executivo (PR). 
 

(E)  Projeto Básico (PB). 

 
 
41.  De acordo com a NBR 9.050/2004 (versão corrigida 2005) 

− quando as rotas de fuga incorporarem escadas de emergência, 

devem ser previstas áreas de resgate com espaço reservado e demarcado para o posicionamento de pessoas em cadeiras de 
rodas, dimensionadas de acordo com o M.R. (módulo de referência). Nas áreas de resgate, a cada quantas pessoas ou fração, 
deve ser previsto o espaço para um M.R.? 

 

(A) 250. 
 

(B) 1.000. 
 

(C) 500. 
 

(D) 200. 
 

(E) 100. 

 
 
42.  A Lei n

o

 8.666/1993 

− que institui normas para licitações e contratos da Administração pública − define que os avisos contendo 

os resumos dos editais das concorrências, das tomadas de preços, dos concursos e dos leilões, embora realizados no local da 
repartição interessada, deverão ser publicados com antecedência. Os prazos mínimos assegurados pela lei até o recebimento 
das propostas ou da realização do evento, são definidos 

 

(A)  sessenta dias para concurso. 
 

(B)  trinta dias para concorrência, quando o contrato a ser celebrado contemplar o regime de empreitada integral ou quando a 

licitação for do tipo melhor técnica ou técnica e preço. 

 

(C)  quarenta e cinco dias para tomada de preços, quando a licitação for do tipo melhor técnica ou técnica e preço. 
 

(D)  quarenta e cinco dias para leilão. 
 

(E)  cinco dias úteis para convite. 

 
 
43.  A Lei n

o

 6.766/1979 

− que dispõe sobre o parcelamento do solo urbano − define que os loteamentos deverão atender, salvo 

casos específicos, pelo menos, aos seguintes requisitos: 

 

(A)  Os lotes terão área mínima de 125 m

2

 e frente mínima de 5 metros. 

 

(B)  Os lotes terão área mínima de 250 m

2

 e frente mínima de 10 metros. 

 

(C)  Ao longo das águas correntes e dormentes e das faixas de domínio público das rodovias, ferrovias e dutos, será 

obrigatória a reserva de uma faixa non aedificandi de 12 metros de cada lado. 

 

(D)  Ao longo das águas correntes e dormentes e das faixas de domínio público das rodovias, ferrovias e dutos, será 

obrigatória a reserva de uma faixa non aedificandi de 6 metros de cada lado. 

 

(E)  As áreas destinadas a sistema de circulação, à implantação de equipamento urbano e comunitário, bem como a espaços 

livres de uso público, serão proporcionais à densidade de ocupação prevista para a gleba e a percentagem destas áreas 
públicas não poderá ser inferior a 20% da gleba. 

 

 

Caderno de Prova ’04’, Tipo 001

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

TJUAP-An.Jud.-Arquitetura-04

 

17 

44.  O estudo prévio de impacto de vizinhança (EIV) é instrumento de política urbana previsto na Lei n

o

 10.257/2001,  denominada 

Estatuto da Cidade. O EIV será executado de forma a contemplar os efeitos positivos e negativos do empreendimento ou 
atividade quanto à qualidade de vida da população residente na área e suas proximidades, incluindo a análise, no mínimo, das 
seguintes questões: 

 
 

I

. Adensamento 

populacional. 

 

II

.  

Valorização imobiliária. 

 

III

.  

Geração de tráfego e demanda por transporte público. 

 

IV

.  

Ventilação e iluminação.  

 
 

Está correto o que consta em 

 

(A) 

I

, apenas. 

(B) 

I

 e 

III

, apenas. 

(C) 

II

 e 

IV

, apenas. 

(D) 

I

II

III

 e 

IV

(E) 

III

, apenas. 

 
 
45. A 

Lei 

n

o

 11.445/2007 

− que estabelece as diretrizes nacionais para o saneamento básico − define que os serviços públicos de 

saneamento básico serão prestados com base nos seguintes princípios fundamentais: 

 
 

I

.  universalização do acesso. 

 
 

II

.  abastecimento de água, esgotamento sanitário, limpeza urbana e manejo dos resíduos sólidos realizados de formas 

adequadas à saúde pública e à proteção do meio ambiente. 

 
 

III

.  

eficiência e sustentabilidade econômica. 

 
 

IV

.  

controle político. 

 
 

Está correto o que consta em 

 

(A) 

I

II

 e 

III

, apenas. 

(B) 

I

II

III

 e 

IV

(C) 

II

 e 

III

, apenas. 

(D) 

III

 e 

IV

, apenas. 

(E) 

I

 e 

II

, apenas. 

 
 
46.  Ao usarmos um software aplicado à arquitetura é importante conhecer os principais formatos de arquivos que ele permite gerar e 

importar, pois facilita a troca de informações com outros profissionais e outros softwares. No caso do software BIM/REVIT, os 
arquivos criados são: 

 
 

I

.  

RVT: arquivo do projeto; o principal arquivo do REVIT. 

 

II

.  

RFA: arquivo de família de elementos. 

 

III

.  

RTE: arquivo de template/modelo (template semelhante ao DWT do AUTOCAD). 

 

IV

.  

RFT: arquivo de modelo para famílias. 

 
 

Está correto o que consta em 

 

(A) 

I

II

 e 

IV

, apenas. 

(B) 

II

 e 

III

, apenas. 

(C) 

I

II

III

 e 

IV

(D) 

I

 e 

IV

, apenas. 

(E) 

III

, apenas. 

 
 
47.  A integração do software de CAD com a tecnologia BIM e softwares de gerenciamento de projeto, tais como Microsoft Project 

Manager e Primavera, integrados a softwares de simulação de etapas de construção, denomina-se 

 

(A) D+. 
(B)  Suite Construction
(C)  BI Modeling

(D) TCPO. 
(E) 4D. 

Caderno de Prova ’04’, Tipo 001

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

18 

TJUAP-An.Jud.-Arquitetura-04

 

48.  São modalidades de fixação de preços na execução de obras: 
 
 

I

.  Empreitada por preço unitário, onde o custo direto é composto pela soma de todos os custos unitários mais todos os 

custos diretamente relacionados com a produção. 

 
 

II

.  

Empreitada global, onde é cobrada uma taxa previamente estabelecida a ser aplicada mensalmente sobre os gastos da 
obra. 

 
 

III

.  Empreitada integral, onde o construtor assume todas as despesas do início ao fim do empreendimento, também 

denominada turn-key. 

 
 

IV

.  Empreitada mista, onde o custo é fixado pela média entre o custo estimado e custo efetivo de execução. 

 
 

Está correto o que consta em 

 

(A) 

I

 e 

III

, apenas. 

 
(B) 

III

, apenas. 

 
(C) 

IV

, apenas. 

 
(D) 

I

II

III

 e 

IV

 
(E) 

II

 e 

IV

, apenas. 

 
 
49.  Sempre que a fixação dos preços de projetos e obras é feita com base em tarifas horárias, torna-se importante a existência de 

critérios de classificação dos profissionais envolvidos. O profissional engenheiro ou arquiteto com quinze ou mais anos de 
experiência na especialidade, classifica-se como 

 

(A) pleno. 

 
(B) titular. 

 
(C) sênior. 

 
(D) médio. 

 
(E) coordenador. 

 
 
50.  Para calcular o BDI 

− Benefícios e Despesas Indiretas é necessário ter em mãos uma série de informações que vão constar da 

sua composição, tais como: 

 
 

I

.  

Local de execução da obra e sua distância à sede da empresa. 

 
 

II

.  

Média de faturamento da empresa ou do exercício fiscal. 

 
 

III

.  

Se a contabilidade da empresa é por lucro real ou presumido. 

 
 

IV

.  

Prazo de execução da obra. 

 
 

Está correto o que consta em 

 

(A) 

I

II

 e 

III

, apenas. 

 
(B) 

III

 e 

IV

, apenas. 

 
(C) 

IV

, apenas. 

 
(D) 

I

II

III

 e 

IV

 
(E) 

II

 e 

III

, apenas. 

 
 
51.  Um pequeno volume ou cavidade ligada ao exterior apenas por uma abertura cuja área é pequena em relação à sua seção 

transversal, onde o ar interior entra em vibração para uma certa frequência de ressonância, dissipando a energia sonora e 
transformando-a em energia mecânica, sob forma de atrito, funcionando então como absorvedor de som de grande eficiência em 
painéis vibrantes e revestimentos acústicos perfurados, denomina-se 

 

(A) tímpano. 

 
(B) ressoador. 

 
(C) atenuador. 

 
(D) pixel. 

 
(E) reverberador. 

 

 

Caderno de Prova ’04’, Tipo 001

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

TJUAP-An.Jud.-Arquitetura-04

 

19 

52.  Janelas de boa qualidade e paredes comuns são suficientes para um bom isolamento acústico em ambientes cujas fachadas 

estejam expostas a ruídos incidentes em dB, na ordem de 
 
(A) 100 a 105. 
 
(B) 70  a 75. 
 
(C) 40  a 45. 
 
(D) 130 a 135. 
 
(E) 160 a 165. 

 
 
53.  Nos sistemas de ar condicionado, centrais e unitários, os parâmetros ambientais que afetam o conforto térmico são: 

 

 

I

.  

zona ocupada. 

 

 

II

. temperatura 

operativa. 

 

 

III

.  

velocidade do ar. 

 

 

IV

.  

umidade relativa do ar. 

 

 

Está correto o que consta em 
 
(A) 

II

 e 

III

, apenas. 

 
(B) 

I

II

III

 e 

IV

 
(C) 

I

, apenas. 

 
(D) 

III

 e 

IV

, apenas. 

 
(E) 

II

III

 e 

IV

, apenas.

 

 
 
54.  O sistema central de ar condicionado em que um conjunto de unidades de tratamento de ar de expansão direta, geralmente ins-

taladas dentro do ambiente a que servem (designadas unidades internas), cada uma operada e controlada independentemente 
das demais, é suprido em fluido refrigerante líquido em vazão variável, por uma unidade condensadora central, instalada ex-
ternamente (designada unidade externa), denomina-se: 
 
(A)  rooftop com VRV. 
 
(B) multi-split 

VRV. 

 
(C)  conjugado por vazão refrigerante variável. 
 
(D)  cassete por expansão refrigerante. 
 
(E)  fração autônoma VRV. 

 
 
55.  Para se evitar patologias na construção, é necessário que o projeto e a execução de pisos de argamassa de alta resistência 

prevejam juntas de: 
 

 

I

. dilatação. 

 

 

II

.  

trabalho ou construção. 

 

 

III

. intersecção. 

 

 

IV

. separação. 

 

 

Está correto o que consta em 
 
(A) 

I

II

 e 

IV

, apenas. 

 
(B) 

I

II

III

 e 

IV

 
(C) 

I

, apenas. 

 
(D) 

II

 e 

IV

, apenas. 

 
(E) 

IV

, apenas. 

 

 

Caderno de Prova ’04’, Tipo 001

fcc-2014-tj-ap-analista-judiciario-area-apoio-especializado-arquitetura-prova.pdf-html.html

 

20 

TJUAP-An.Jud.-Arquitetura-04

 

56.  A altura interna livre mínima e a altura livre mínima das entradas das cabinas dos elevadores para acesso normal de usuários, 

devem ser, respectivamente, em metros, 
 
(A) 2,10  e  2,10. 
 
(B) 2,20  e  2,20. 
 
(C) 2,40  e  2,10. 
 
(D) 2,10  e  2,00. 
 
(E) 2,40  e  2,40. 

 
 
57.  Nas condições exigíveis ao projeto, instalação e manutenção de sistemas de proteção contra descargas atmosféricas (SPDA) de 

estruturas, as edificações com altura superior a 10 metros deverão possuir no subsistema de captação, um condutor periférico 
em forma de anel, contornando toda a cobertura e afastado da borda, no máximo, em metros, 
 
(A) 0,50. 
 
(B) 0,75. 
 
(C) 0,80. 
 
(D) 1,00. 
 
(E) 1,50. 

 
 
58.  A norma técnica brasileira que fornece os procedimentos para a avaliação de imóveis urbanos, denomina-se ABNT NBR: 

 
(A) 5419:2001. 
 
(B) 16401-3. 
 
(C) 9050/2004. 
 
(D) 16401-1. 
 
(E) 14653-2. 

 
 
59.  Como normativa no desenho técnico, as linhas de chamadas devem terminar: 

 

 

I

.  sem símbolo, se elas conduzem a uma linha de cota. 

 

 

II

.  com uma seta, se ela conduz e/ou contorna a aresta do objeto representado. 

 

 

III

.  com um ponto, se termina dentro do objeto representado. 

 

 

IV

.  

com uma seta, se elas conduzem a uma linha de cota. 

 

 

Está correto o que consta em 
 
(A) 

I

II

 e 

III

, apenas. 

 
(B) 

I

II

III

 e 

IV

 
(C) 

I

 e 

IV

, apenas. 

 
(D) 

II

 e 

IV

, apenas. 

 
(E) 

III

, apenas. 

 
 
60.  Dependerá de elaboração de estudo de impacto ambiental e respectivo relatório de impacto ambiental 

− RIMA, a serem 

submetidos à aprovação do órgão estadual competente, e da Secretaria Especial do Meio Ambiente, o licenciamento de 
atividades modificadoras do meio ambiente, tais como projetos urbanísticos em regiões consideradas de relevante interesse 
ambiental, com área superior a, em ha, 
 
(A) 500. 
 
(B) 250. 
 
(C) 100. 
 
(D) 1.000. 
 
(E) 10.000. 

Caderno de Prova ’04’, Tipo 001