Prova Concurso - Contabilidade - 2014-TRF-3-REGIAO-ANALISTA-JUDICIARIO-CONTADORIA - FCC - TRF - 2014

Prova - Contabilidade - 2014-TRF-3-REGIAO-ANALISTA-JUDICIARIO-CONTADORIA - FCC - TRF - 2014

Detalhes

Profissão: Contabilidade
Cargo: 2014-TRF-3-REGIAO-ANALISTA-JUDICIARIO-CONTADORIA
Órgão: TRF
Banca: FCC
Ano: 2014
Nível: Superior

Downloads dos Arquivos

prova.pdf
gabarito.pdf

Provas relacionadas

CONTADORUFPA2018
PROFISSIONAL-JUNIOR-CIENCIAS-CONTABEISLIQUIGAS2018
CONTADOR-JUNIORTRANSPETRO2018

Gabarito

fcc-2014-trf-3-regiao-analista-judiciario-contadoria-gabarito.pdf-html.html

BBBBBBD
BBEBBBE
BBBBBBA
BBDBBBC
BBABBBC
BBDBBBA
BBCBBBE
BBEBBBA
BBABBBA
BBBBBBB

BBBBBBE
BBEBBBC
BBBBBBE
BBDBBBB
BBABBBE
BBDBBBD
BBCBBBB
BBEBBBC
BBABBBD
BEBBBBC

BEBBBBE
BEEBBBE
BEBBBBC
BEDBBBE
BEABBBA
BEDBBBC
BECBBBC
BEEBBBA
BEABBBD
BBBBBBB

BBBBBBB
BBEBBBB
BBBBBBA
BBDBBBD
BBABBBB
BBDBBBD
BBCBBBA
BBEBBBC
BBABBBD
BDBBBBA

BDBBBBA
BDEBBBC
BDBBBBA
BDDBBBE
BDABBBD
BDDBBBA
BDCBBBB
BDEBBBC
BDABBBE
BABBBBD

ooooooooBooooooooBoooooooBooBBoBoooooo

AoooooooBoBoooooooBoooooooooo

oooosooBoooBooooooooo

OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO
OAAAAOAAOAAAAAOAAOAOOOOAOOOAOAOOOOOOOOOOOOOOAOOOOOOOOOOOOOOO
O1AAOAA1AA11AO3

Prova

fcc-2014-trf-3-regiao-analista-judiciario-contadoria-prova.pdf-html.html

N do Caderno

o

N de Inscrição

o

ASSINATURA DO CANDIDATO

N do Documento

o

Nome do Candidato

P R O V A

A

C D E

Janeiro/2014

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3 REGIÃO

a

Concurso Público para provimento de cargos de

Conhecimentos Gerais
Conhecimentos Específicos
Estudo de Caso

INSTRUÇÕES

VOCÊ DEVE

ATENÇÃO

- Verifique se este caderno:

- corresponde a sua opção de cargo.

- contém 50 questões, numeradas de 1 a 50.

- contém as propostas e o espaço para o rascunho dos Estudos de Caso.

Caso contrário, reclame ao fiscal da sala um outro caderno.

Não serão aceitas reclamações posteriores.

- Para cada questão existe apenas UMA resposta certa.

- Você deve ler cuidadosamente cada uma das questões e escolher a resposta certa.

- Essa resposta deve ser marcada na FOLHA DE RESPOSTAS que você recebeu.

- Procurar, na FOLHA DE RESPOSTAS, o número da questão que você está respondendo.

- Verificar no caderno de prova qual a letra (A,B,C,D,E) da resposta que você escolheu.

- Marcar essa letra na FOLHA DE RESPOSTAS, conforme o exemplo:

- Ler o que se pede na Prova de Estudo de Caso e utilizar, se necessário, o espaço para rascunho.

-

- Marque apenas uma letra para cada questão, mais de uma letra assinalada implicará anulação dessa questão.

- Responda a todas as questões.

- Não será permitida qualquer espécie de consulta, nem o uso de máquina calculadora.

- Em hipótese alguma o rascunho da Prova de Estudo de Caso será corrigido.

- Você deverá transcrever a Prova de Estudo de Caso, a tinta, no caderno apropriado.

- A duração da prova é de 4 horas e 30 minutos para responder a todas as questões objetivas, preencher a Folha de

Respostas, e fazer a Prova de Estudo de Caso (rascunho e transcrição) no caderno correspondente.

- Ao término da prova, chame o fiscal da sala e devolva todo o material recebido.

- Proibida a divulgação ou impressão parcial ou total da presente prova. Direitos Reservados.

Marque as respostas com caneta esferográfica de material transparente, de tinta preta ou azul. Não será permitido o uso de

lápis, lapiseira, marca-texto ou borracha durante a realização das provas.

Analista Judiciário - Área Apoio Especializado

Contadoria

Caderno de Prova ’05’, Tipo 003

MODELO

0000000000000000

MODELO1

00001−0001−0001

fcc-2014-trf-3-regiao-analista-judiciario-contadoria-prova.pdf-html.html

 

 

TRF3R-Conhecimentos Gerais

2

 

 

CONHECIMENTOS GERAIS 

 

Português 

 

Atenção:    Para responder às questões de números 1 a 5, con-

sidere o texto abaixo. 

 
 

A dor, juntamente com a morte, é sem dúvida a expe-

riência humana mais bem repartida: nenhum privilegiado 

reivindica ignorância em relação a ela ou se vangloria de 

conhecê-la melhor que qualquer outro. Violência nascida no 

próprio âmago do indivíduo, ela dilacera sua presença e o 

esgota, dissolve-o no abismo que nele se abriu, esmaga-o no 

sentimento de um imediato sem nenhuma perspectiva. Rom- 

pe-se a evidência da relação do indivíduo consigo e com o 

mundo.  

A dor quebra a unidade vivida do homem, transparente 

para si mesmo enquanto goza de boa saúde, confiante em seus 

recursos, esquecido do enraizamento físico de sua existência, 

desde que nenhum obstáculo se interponha entre seus projetos 

e o mundo. De fato, na vida cotidiana o corpo se faz invisível, 

flexível; sua espessura é apagada pelas ritualidades sociais e 

pela repetição incansável de situações próximas umas das ou-

tras. Aliás, esse ocultar o corpo da atenção do indivíduo leva 

René Leriche a definir a saúde como “a vida no silêncio dos ór-

gãos”. Georges Canguilhem acrescenta que ela é um estado de 

“inconsciência em que o sujeito é de seu corpo”.  

(Adaptado de: BRETON, David Le. Antropologia da Dor, São 
Paulo, Editora Fap-Unifesp, 2013, p. 25-6)

 

 
 
1. 

Conforme o texto, a 

 

(A)  saúde, como estado de plenitude, torna perceptível a 

cisão entre corpo e sujeito. 

 
(B)  dor, diferentemente da saúde, leva ao ocultamento 

do sujeito frente a seu corpo. 

 
(C)  saúde, ao contrário da dor, torna o homem apto à 

percepção corporal, uma vez que não impõe barrei-
ras inflexíveis. 

 
(D)  dor, ao contrário da saúde, possibilita ao homem a 

tomada de consciência sobre seu próprio corpo. 

 
(E)  dor, como sintoma da doença, estabelece uma re-

lação de pertença entre corpo e sujeito. 

2. 

Violência nascida no próprio âmago do indivíduo, ela dila-
cera sua presença e o esgota, dissolve-o no abismo que 
nele se abriu, esmaga-o no sentimento de um imediato 
sem nenhuma perspectiva
.   (1

o

 parágrafo) 

 

 

Uma redação alternativa para a frase acima, em que se 
mantêm a correção e, em linhas gerais, o sentido original, 
está em: 

 

(A)  Ela, como violência que nasce no interior do indiví-

duo, cuja presença dilacera e esgota, é dissolvida 
pelo abismo que nele se abriu, de tal modo que lhe 
esmaga o sentimento de um tempo presente sem 
esperança de futuro.   

 
(B)  Violência que, ao nascer no próprio interior do indi-

víduo, de modo a dilacerar e esgotar sua presença, 
dissolve-se no abismo que nele foi aberto, esmagan-
do-lhe o sentimento de um imediato sem nenhuma 
expectativa de futuro. 

 
(C)  Ela, enquanto violência nascida em seu interior, dila-

cera a presença do indivíduo, em que pese seu es-
gotamento, dissolvendo-se no abismo que nele 
passou a existir, esmagando-se no sentimento de 
um momento sem nenhuma esperança. 

 
(D)  Violência nascida em cuja essência a presença do 

indivíduo é dilacerada, a ponto de esgotá-lo e de 
dissolvê-lo no abismo em que se configura, uma vez 
que o esmaga no sentimento de um presente ime-
diato sem perspectiva. 

 
(E)  Ela é violência que nasce no próprio cerne do in-

divíduo, de maneira a dilacerar sua presença e a es-
gotá-lo, a ponto de dissolvê-lo no abismo que nele 
passa a existir, esmagando-o no sentimento de um 
presente sem expectativa de futuro. 

_________________________________________________________ 

 

3. 

... 

esse ocultar o corpo da atenção do indivíduo... 

 

... definir a saúde como “a vida no silêncio dos órgãos”.   
(final do texto) 

 

 

Os segmentos acima expressam, respectivamente,  

 

(A) causa 

decorrência. 

 
(B) consequência 

finalidade. 

 
(C) condição 

necessidade. 

 
(D) consequência 

condição. 

 
(E) causa 

finalidade. 

_________________________________________________________ 

 

4. 

Os pronomes grifados nos segmentos ... enraizamento fí-
sico de
  sua existência, ... sua espessura é apagada... e  
...
 ela é um estado de inconsciência... (2

o

 parágrafo) refe-

rem-se, respectivamente, a: 

 

(A)  homem, vida cotidiana e saúde. 
 
(B)  enraizamento físico, corpo e atenção do indivíduo. 
 
(C)  homem, corpo e saúde. 
 
(D)  dor, vida cotidiana e saúde. 
 
(E)  enraizamento físico, corpo e vida no silêncio. 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 003

fcc-2014-trf-3-regiao-analista-judiciario-contadoria-prova.pdf-html.html

 

 

TRF3R-Conhecimentos Gerais

2

 

5. 

Considere as frases abaixo. 

 

 

I

.  

Ao se suprimirem as vírgulas do trecho A dor, 
juntamente com a morte, é sem dúvida a experiência 
humana..., 
o verbo deverá ser flexionado no plural. 

 
 

II

.  

Na frase Georges Canguilhem acrescenta que ela é 
um estado de “inconsciência em que o sujeito é de 
seu corpo”
, pode-se acrescentar uma vírgula ime-
diatamente após inconsciência, sem prejuízo para a 
correção. 

 

 

III

.  

Na frase De fato, na vida cotidiana o corpo se faz 
invisível, flexível; sua espessura é apagada pelas ri-
tualidades sociais
..., o ponto e vírgula pode ser 
substituído, sem prejuízo para a correção e o sen-
tido original, por dois-pontos.  

 

 

Está correto o que se afirma APENAS em 

 

(A) 

II

 

(B) 

I

 e 

III

 

(C) 

II

 e 

III

 
(D) 

I

 e 

II

 
(E) 

I

_________________________________________________________ 

 

6. 

Em nossa cultura, ...... experiências ...... passamos soma-
se ...... dor, considerada como um elemento formador do 
caráter, contexto ...... pathos pode converter-se em éthos.   

 

 

Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, na 
ordem dada: 

 

(A) às 

− por 

que 

− a − no 

qual 

 
(B) as 

− por 

que 

− a − do 

qual 

 
(C) às 

− porque 

− a − em 

que 

 
(D) às 

− pelas 

quais 

− à − de 

que 

 
(E) as 

− que 

− à −  com que  

_________________________________________________________ 

 

Atenção:  Para responder às questões de números 7 a 10, 

considere o texto abaixo. 

 

Menino do mato 

 

Eu queria usar palavras de ave para escrever. 
Onde a gente morava era um lugar imensamente e sem 
 

 

 

 

 

         [ nomeação. 

Ali a gente brincava de brincar com palavras 
tipo assim: Hoje eu vi uma formiga ajoelhada na pedra! 
A Mãe que ouvira a brincadeira falou: 
Já vem você com suas visões! 
Porque formigas nem têm joelhos ajoelháveis 
e nem há pedras de sacristias por aqui. 
Isso é traquinagem da sua imaginação. 
O menino tinha no olhar um silêncio de chão 
e na sua voz uma candura de Fontes. 
O Pai achava que a gente queria desver o mundo 
para encontrar nas palavras novas coisas de ver 
assim: eu via a manhã pousada sobre as margens do 
rio do mesmo modo que uma garça aberta na solidão 
de uma pedra. 
Eram novidades que os meninos criavam com as suas 
palavras. 

Assim Bernardo emendou nova criação: Eu hoje vi um 
sapo com olhar de árvore. 
Então era preciso desver o mundo para sair daquele 
lugar imensamente e sem lado. 
A gente queria encontrar imagens de aves abençoadas 
pela inocência. 
O que a gente aprendia naquele lugar era só ignorâncias 
para a gente bem entender a voz das águas e 
dos caracóis. 
A gente gostava das palavras quando elas perturbavam 
o sentido normal das ideias. 
Porque a gente também sabia que só os absurdos 
enriquecem a poesia. 

 

(BARROS, Manoel de, Menino do Mato, em Poesia Com-
pleta
, São Paulo, Leya, 2013, p. 417-8.) 

 

 

7. 

De acordo com o poema,  

 

(A)  as novidades que o mundo apresentava ao menino 

precisavam de palavras novas para serem descritas, 
pois a linguagem se mostrava pobre para a imen-
sidão de seu mundo. 

 
(B)  as imagens vistas pelo menino eram reflexo de sua 

imaginação, livre da linguagem de que fazia uso 
para  descrevê-las. 

 
(C)  os sentidos atribuídos às palavras pelo menino ade-

quavam-se, na verdade,  às ideias normais, que, por 
seu turno, iam constituindo sua compreensão de 
mundo. 

 
(D)  os absurdos, muito embora concernentes à poesia, 

eram compreendidos pela mãe como fruto da igno-
rância do menino.  

 
(E)  as visões a que a mãe se refere são, para o menino, 

alterações no sentido usual das ideias, com que 
reinventava o mundo que o cercava. 

_________________________________________________________ 

 

8. 

Considere as frases abaixo. 

 
 

I

. No 

verso 

O que a gente aprendia naquele lugar era 

só ignorâncias, o verbo destacado pode ser fle-
xionado no plural, sem prejuízo para a correção e o 
sentido original. 

 

 

II

.  Em seguida ao termo voz, no verso e na sua voz 

uma candura de Fontes, pode-se acrescentar uma 
vírgula, sem prejuízo para a correção e o sentido 
original. 

 

 

III

.  Sem que nenhuma outra alteração seja feita, no 

verso  e nem há pedras de sacristias por aqui, o 
verbo pode ser substituído por existe, mantendo-se 
a correção e o sentido original. 

 

 

Está correto o que se afirma APENAS em 

 
(A) 

I

 e 

II

 
(B) 

III

 
(C) 

II

 e 

III

 
(D) 

I

 e 

III

 
(E) 

II

Caderno de Prova ’05’, Tipo 003

fcc-2014-trf-3-regiao-analista-judiciario-contadoria-prova.pdf-html.html

 

 

TRF3R-Conhecimentos Gerais

2

 

9. 

A frase que admite transposição para a voz passiva está 
em: 

 

(A)  ... para a gente bem entender a voz das águas e dos 

caracóis. 

 

 

(B)  Isso é traquinagem da sua imaginação. 
 

 
(C)  ... nem há pedras de sacristias por aqui. 
 

 
(D)  Já vem você com suas visões! 
 

 
(E)  ... para sair daquele lugar imensamente e sem lado. 

_________________________________________________________ 

 

10.  Em uma redação em prosa, para um segmento do poema, 

a pontuação se mantém correta em: 

 

(A)  A Mãe que, tinha ouvido a brincadeira, falou: “Já 

vem você com suas visões!” Porque formigas, nem 
têm joelhos ajoelháveis, nem há pedras de sacristias 
por aqui. “Isso, é traquinagem da sua imaginação”.  

 
 
(B)  A Mãe, que tinha ouvido a brincadeira, falou: “Já 

vem você com suas visões!” Porque formigas nem 
têm joelhos ajoelháveis, nem há pedras de sacristias 
por aqui: “Isso é traquinagem da sua imaginação”.  

 
 
(C)  A Mãe que tinha ouvido a brincadeira, falou: 

− Já 

vem você com suas visões! Porque formigas nem 
têm joelhos ajoelháveis, nem há pedras de sacristias 
por aqui: 

− Isso é traquinagem da sua imaginação.  

 
 
(D)  A Mãe, que tinha ouvido a brincadeira falou: “Já vem 

você com suas visões!, porque formigas, nem têm 
joelhos ajoelháveis, nem há pedras de sacristias por 
aqui. Isso é traquinagem da sua imaginação”.  

 
 
(E)  A Mãe que tinha ouvido a brincadeira, falou: “Já 

vem, você com suas visões!”; porque formigas nem 
têm joelhos ajoelháveis e nem há pedras de 
sacristias por aqui. Isso é traquinagem da sua 
imaginação.  

_________________________________________________________ 

 

Raciocínio Lógico-Matemático 

 

11.  Diante, apenas, das premissas “Nenhum piloto é médico”, 

“Nenhum poeta é médico” e “Todos os astronautas são 
pilotos”, então é correto afirmar que 

 

(A)  algum poeta não é astronauta. 
 

 
(B)  algum poeta é astronauta e algum piloto não é mé-

dico. 

 

 
(C)  algum astronauta é médico. 
 

 
(D)  todo poeta é astronauta. 
 

 
(E)  nenhum astronauta é médico. 

12.  Um tabuleiro de xadrez possui 64 casas. Se fosse possí-

vel colocar 1 grão de arroz na primeira casa, 4 grãos na 
segunda, 16 grãos na terceira, 64 grãos na quarta, 256 na 
quinta, e assim sucessivamente, o total de grãos de arroz 
que deveria ser colocado na 64

a

 casa desse tabuleiro 

seria igual a 

 

(A) 2

256

 
 

(B) 2

64

 
 
(C) 2

126

 
 

(D) 2

66

 
 
(E) 2

128

_________________________________________________________ 

 

13.  O dinheiro de Antônio é a quarta parte do de Bianca que, 

por sua vez, é 80% do dinheiro de Cláudia. Mexendo 
apenas no dinheiro de Antônio, um aumento de x% fará 
com que ele fique com o mesmo dinheiro que Cláudia tem. 
Nas condições dadas, x é igual a 

 

(A) 300. 
 
 
(B) 500. 
 
 
(C) 800. 
 
 
(D) 900. 
 
 
(E) 400. 

_________________________________________________________ 

 

14.  Um cofrinho possui apenas moedas de 25 centavos e 

moedas de 1 real, em um total de 50 moedas. Sabe-se 
que a diferença entre o total de moedas de 25 centavos e 
de 1 real do cofrinho, nessa ordem, é igual a 24 moedas. 
O total de moedas de maior valor monetário em relação ao 
total de moedas de menor valor monetário nesse cofrinho 
corresponde, em %, a, aproximadamente, 

 

(A) 44. 
 
 
(B) 35. 
 
 
(C) 42. 
 
 
(D) 28. 
 
 
(E) 32. 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 003

fcc-2014-trf-3-regiao-analista-judiciario-contadoria-prova.pdf-html.html

 

 

TRF3R-Conhecimentos Gerais

2

 

 

Noções de Direito Penal 

 

15.  A respeito dos Crimes contra a Administração pública, 

considere: 

 
 

I

.  Equipara-se a funcionário público quem trabalha 

para empresa prestadora de serviço contratada pa-
ra a execução de atividade típica da Administração 
pública. 

 

 

II

.  A pena será aumentada da terça parte quando os 

autores dos delitos forem ocupantes de cargos em 
comissão. 

 

 

III

.  Se o agente for ocupante de função de assessora-

mento de fundação instituída pelo poder público 
não terá, por esse motivo, a pena aumentada. 

 

 

Está correto o que se afirma APENAS em 

 

(A) 

III

 

 

(B) 

II

 

(C) 

I

 e 

III

 

(D) 

II

 e 

III

 

(E) 

I

 e 

II

_________________________________________________________ 

 

16.  No que concerne aos crimes contra o patrimônio,  
 

(A)  o corte e a subtração de eucaliptos de propriedade 

alheia não configura, em tese, o crime de furto por 
não se tratar de bem móvel. 

 

(B)  se o agente obteve vantagem ilícita, em prejuízo da 

vítima, mediante fraude, responderá pelo delito de 
extorsão. 

 

(C)  se, no crime de roubo, em razão da violência empre-

gada pelo agente, a vítima sofreu lesões corporais 
leves, a pena aumenta-se de um terço. 

 

(D)  se configura o crime de receptação mesmo se a 

coisa tiver sido adquirida pelo agente sabendo ser 
produto de crime não classificado como de natureza 
patrimonial. 

 

(E)  não comete infração penal quem se apropria de coi-

sa alheia vinda a seu poder por erro, caso fortuito ou 
força da natureza. 

_________________________________________________________ 

 

Noções de Direito Administrativo 

 

17.  Determinado órgão da Administração pública federal pre-

tende contratar, para evento cultural comemorativo aberto 
ao público, um profissional do setor artístico. De acordo 
com as disposições da Lei n

o

 8.666/93, referida contra-

tação 

 

(A)  deve ser precedida de procedimento licitatório, me-

diante carta convite a, pelo menos, cinco pro-
fissionais consagrados pela crítica especializada. 

 

(B)  prescinde de licitação, que se afigura inexigível des-

de que o artista seja consagrado pela crítica espe-
cializada ou opinião pública. 

 

(C)  deve, necessariamente, ser precedida de procedi-

mento licitatório. 

 

(D)  prescinde de prévio procedimento licitatório, se o 

valor da contratação for de até R$80.000,00 (oitenta 
mil reais). 

 

(E)  pode ser feita com dispensa de licitação desde que 

se trate de profissional de notória especialização. 

18.  Claudio, servidor público federal ocupante de cargo efeti-

vo, foi colocado em disponibilidade em face da extinção do 
órgão no qual estava lotado. Posteriormente, o Órgão 
Central do Sistema de Pessoal Civil determinou o imediato 
provimento, por Cláudio, de vaga aberta junto a outro ór-
gão da Administração pública federal. De acordo com as 
disposições da Lei n

o

 8.112/90, referida situação caracte-

riza 

 

(A)  reversão, facultativa para o servidor, que poderá 

optar por permanecer em disponibilidade, recebendo 
50% (cinquenta por cento) de seus vencimentos. 

 
(B)  redistribuição, obrigatória para o servidor, indepen-

dentemente dos vencimentos do novo cargo. 

 
(C)  aproveitamento, cabível desde que se trate de cargo 

com vencimentos e atribuições compatíveis com o 
anteriormente ocupado pelo servidor. 

 
(D)  recondução, obrigatória apenas se o servidor estiver 

em disponibilidade há menos de 5 (cinco) anos. 

 
(E)  reintegração, somente obrigatória em se tratando de 

órgão sucessor do extinto nas respectivas atribuições. 

_________________________________________________________ 

 

Noções de Direito Constitucional 

 

19.  A proibição de que determinado governo 

− de qualquer 

nível 

− ao exteriorizar em placas, anúncios, propaganda e 

outros meios de divulgação de suas obras, faça qualquer 
referência ao nome do Presidente, Governador ou Prefeito 
ou do Partido Político ou coligação pelo qual foi eleito é 
uma decorrência do princípio constitucional da 

 

(A) finalidade. 
 
(B) publicidade. 
 
(C) legalidade. 
 
(D) impessoalidade. 
 
(E) eficiência. 

_________________________________________________________ 

 

20.  A Constituição Federal de 1988, ao disciplinar o regime ju-

rídico do estrangeiro residente no país, estabeleceu que, 
quanto a eles, 

 

(A)  não podem invocar o direito de acesso à educação, 

mesmo no ensino fundamental, sendo mera faculda-
de da Administração pública, provê-lo, havendo ex-
cedente de vagas. 

 
(B)  não se aplicam os direitos sociais conferidos aos tra-

balhadores urbanos. 

 
(C)  garante-se, como regra geral, a inviolabilidade do di-

reito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e 
à propriedade em condições idênticas aos brasi-
leiros. 

 
(D)  podem alistar-se como eleitores independentemente 

de naturalização, desde que residentes há mais de 
10 anos no país. 

 
(E)  não podem impetrar diretamente habeas corpus em 

caso de prisão, ainda que ilegal ou decorrente de 
abuso de poder. 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 003

fcc-2014-trf-3-regiao-analista-judiciario-contadoria-prova.pdf-html.html

 

TRF3R-An.Jud.-Contadoria-05

 

 

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

 

Contabilidade Geral 

 

21.  A empresa comercial Realiza S.A. apresentou as seguintes demonstrações contábeis: 

 

Balanço Patrimonial (em reais) 

 

Ativo 31/12/12 

30/06/13 

Passivo 

31/12/12 

30/06/13 

Ativo Circulante 

250.000 

433.000  Passivo Circulante 

200.000 

279.000 

Disponível 140.000 

290.000 

Fornecedores 

180.000 

250.000 

Duplicatas a Receber 

100.000 

120.000  IR/CSLL a pagar 

4.000 

Seguros Pagos Antecipadamente 

10.000 

8.000  Adiantamento de Clientes 

20.000 

25.000 

Adiantamento a Fornecedores 

15.000   

 

 

 

 

  Passivo Não Circulante 

240.000 

315.000 

Ativo Não Circulante 

550.000 

526.000  Empréstimos a pagar 

240.000 

315.000 

Investimento 130.000 

148.000 

 

 

 

Imobilizado  

Patrimônio Líquido 

360.000 

365.000 

Imóveis 420.000 

420.000 

Capital 

Social 

300.000 

320.000 

Depreciação Acumulada de Imóveis 

 

(42.000)  Reservas de Lucros 

60.000 

45.000 

Total do Ativo 

800.000 

959.000  Total do Passivo + PL 

800.000 

959.000 

 

Demonstração de Resultados 

01/01/2013 a 30/06/2013   

  (em reais) 

 

Receita de vendas 

700.000 

(-) Impostos sobre Vendas 

(160.000) 

(=) Receita Líquida de Vendas 

540.000 

(-) Custo dos Produtos Vendidos 

(410.000) 

(=) Lucro Bruto 

130.000 

(-) Despesas Operacionais 

 

Despesas gerais e administrativas 

(90.000) 

Despesa de Seguros 

(2.000) 

Despesa de depreciação 

(42.000) 

(+) Outras receitas operacionais 

 

(+) Resultado de Equivalência Patrimonial 

18.000 

(=) Lucro antes do resultado financeiro 

14.000 

(-) Despesa financeira (juros) 

(25.000) 

(=) Resultado antes do IR e CSLL 

(11.000) 

(-) Despesa com Imposto de Renda e CSLL 

(4.000) 

(=) Prejuízo do Período 

(15.000) 

 
 

Com base nas demonstrações acima, sabendo-se que o aumento de capital foi em dinheiro e que as despesas financeiras não 
foram pagas, o fluxo de caixa decorrente das Atividades Operacionais no primeiro semestre de 2013 foi, em reais, 

 

(A) 110.000, 

positivos. 

 
(B) 12.000, 

negativos. 

 
(C) 15.000, 

negativos. 

 
(D) 34.000, 

positivos. 

 
(E) 80.000, 

positivos. 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 003

fcc-2014-trf-3-regiao-analista-judiciario-contadoria-prova.pdf-html.html

 

TRF3R-An.Jud.-Contadoria-05

 

22.  A Cia. Negociadora S.A. possuía, em 30/06/2013, a seguinte situação patrimonial: 
 

− Disponível R$ 70.000,00. 
−  Aplicação Financeira R$ 50.000,00. 
−  Estoques R$ 40.000,00. 
−  Fornecedores R$ 30.000,00. 
−  Capital Social R$ 130.000,00. 

 
 

Durante o mês de julho de 2013, a Cia. Negociadora S.A. realizou as seguintes operações: 

 

Data Operação 

01/07/13 

Contratação e pagamento de um seguro contra roubo e incêndio no valor de R$ 36.000,00, com vigência de 01/07/13 

a 30/06/14. 

04/07/13 

Recebimento antecipado de R$ 50.000,00 do Cliente João, para que a Cia. lhe entregue mercadorias em 31/07/2013. 

08/07/13 

Venda de mercadorias por R$ 100.000,00, recebendo 60% à vista e o restante para ser recebido em 08/08/2013, sem 

juros. O custo das mercadorias entregues foi R$ 30.000,00. 

17/07/13 

Compra de estoques no valor de R$ 60.000,00, à vista, sendo que neste valor estavam inclusos impostos 

recuperáveis de R$ 15.000,00. A Cia. Negociadora S.A. pagou seguro no valor de R$ 2.000,00 referente à esta 
compra. 

25/07/13 

Aumento de capital no valor de R$ 25.000,00, com um imóvel. 

31/07/13 

Entrega das mercadorias ao Cliente João, referentes ao recebimento antecipado do dia 04/07/13. O custo das 

mercadorias entregues foi R$ 15.000,00.  

31/07/13 

A Cia. Negociadora S.A. foi informada a respeito de um processo trabalhista, cujo desembolso de caixa no valor de 

R$ 25.000,00 é considerado possível, de acordo com o entendimento do departamento jurídico da Cia. 

31/07/13 

A aplicação financeira existente em 30/06/2013 é classificada como “Mantida para Negociação Imediata”. De acordo 

com as condições contratuais, ela rende 2% ao mês. Sabe-se que o valor justo desta aplicação, em 31/07/2013, era 
R$ 51.200,00.  

 
 

Após o registro das operações acima, o Patrimônio Líquido Cia. Negociadora S.A., em 31/07/13, era, em reais, 

 

(A) 256.200,00. 

 
(B) 258.000,00. 

 
(C) 233.200,00. 

 
(D) 208.000,00. 

 
(E) 258.200,00. 

 
 
23.  Considere as seguintes informações: 
 

Informação Empresa 

Empresa 

Passivo circulante 

R$ 300 

R$ 450 

Índice de Liquidez corrente 

2,0 

1,0 

Composição do endividamento 

40% 

50% 

Grau de endividamento (participação de capitais de terceiros em relação ao PL) 

100% 

150% 

Retorno sobre o PL 

20% 

25% 

 
 

Com base nas informações acima, a empresa 

 

(A)  A possui maior montante de recursos de terceiros. 

 
(B)  A apurou menor lucro líquido. 

 
(C)  B apresenta menor patrimônio líquido. 

 
(D)  A apresenta maior passivo não circulante. 

 
(E)  B apresenta maior ativo circulante. 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 003

fcc-2014-trf-3-regiao-analista-judiciario-contadoria-prova.pdf-html.html

 

TRF3R-An.Jud.-Contadoria-05

 

24.  Em 01/12/2012, uma empresa efetuou uma venda pelo valor de R$ 500.000,00 para ser recebido em 30/10/2014. Na data da 

venda, o valor presente desta venda era R$ 465.000,00 e, em 31/12/2012, o valor presente era R$ 468.000,00. O Custo da 
Mercadoria Vendida foi apurado em R$ 430.000,00. De acordo com a regulamentação vigente, o efeito total no resultado da 
empresa em 2012, relacionado com a venda efetuada foi, em R$, um Resultado Bruto igual a 

 

(A)  70.000,00 e uma Receita Financeira igual a R$ 3.000,00. 
 

(B) 70.000,00. 
 

(C)  35.000,00 e uma Receita Financeira igual a R$ 35.000,00. 
 

(D) 38.000,00. 
 

(E)  35.000,00 e uma Receita Financeira igual a R$ 3.000,00. 

 
 
25.  Determinada empresa obteve, em 01/09/13, um empréstimo no valor de R$ 100.000,00 com vencimento em 30/09/13. A taxa de 

juros contratada deste empréstimo foi de 2% ao mês. No entanto, por não ter recursos suficientes, a empresa não pagou este 
empréstimo na data do vencimento. De acordo com as condições contratuais, após o vencimento seria cobrado multa de 5% e 
correção pelo IGPM. 

 

Sabendo que a empresa pagou o empréstimo 30 dias após o vencimento e que o IGPM do período (30 dias) após a data de 
vencimento foi de 1%, o valor do passivo liquidado pela empresa foi, em R$, de 

 

(A) 108.171,00. 
 

(B) 102.000,00. 
 

(C) 108.120,00. 
 

(D) 108.070,00. 
 

(E) 108.000,00. 

 
 
26.  O Patrimônio líquido da Empresa Sem Rumo S.A., em 31/12/2010, totalizava R$ 27.000.000,00 e a empresa obteve, no ano de 

2011, um lucro líquido de R$ 12.000.000,00. Os seguintes eventos foram reconhecidos no Balanço Patrimonial de 31/12/2011, 
em relação ao lucro líquido e às reservas: 

 

−  Reserva Legal: foi constituída de acordo com o estabelecido na Lei das Sociedades por Ações (o limite legal não foi atingido). 

 

−  Reserva Estatutária: definida como sendo 10% do Lucro Líquido deduzido do valor da Reserva Legal. 

 

−  Reserva de Lucros a Realizar: no valor de R$ 2.000.000,00. 

 

−  A empresa reverteu o valor de R$ 3.000.000,00 que estava registrado como Reservas para Expansão que agora estão 

disponíveis para distribuição. 

 
 

O saldo que não estiver destinado a qualquer reserva específica será distribuído na forma de dividendos. Sabe-se que o estatuto 
da empresa define que o valor do dividendo mínimo obrigatório corresponde à soma das reservas de anos anteriores disponíveis 
para distribuição mais 20% do total do Lucro Líquido de cada ano. 

 
 

O valor dos dividendos mínimos obrigatórios a ser contabilizado no passivo e o valor do Patrimônio Líquido são, respecti-
vamente, em reais, 

 

(A) 5.400.000,00 e  27.740.000,00. 
 

(B) 3.000.000,00 e  36.000.000,00. 
 

(C) 5.400.000,00  e  33.600.000,00. 
 

(D) 2.400.000,00  e  36.600.000,00. 
 

(E) 3.740.000,00 e  35.260.000,00. 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 003

fcc-2014-trf-3-regiao-analista-judiciario-contadoria-prova.pdf-html.html

 

TRF3R-An.Jud.-Contadoria-05

 

27.  Um equipamento industrial foi adquirido por meio de um contrato de arrendamento mercantil financeiro nas seguintes condições: 
 

−  Data da aquisição: 01/12/2010. 

 

−  24 parcelas mensais de R$ 30.000,00. 

 

−  Uma parcela de R$ 52.406,48 a título de valor residual garantido que deverá ser paga junto com a última parcela mensal. 

 

−  A taxa de juros incluída no contrato é 2% a.m. e a empresa pretende ficar com o bem ao final do prazo do contrato de 

arrendamento. 

 
 

O valor presente das parcelas do contrato de leasing, em 01/12/2010, era R$ 600.000,00 e o valor justo da máquina na data de 
início do contrato era R$ 630.000,00. Sabendo-se que a empresa pretende utilizar a máquina por 8 anos, que, ao final deste 
prazo, a máquina não terá valor de mercado e a empresa adota o método das quotas constantes para depreciação de todos os 
seus ativos, o resultado do mês de dezembro de 2010, será: 

 

(A)  Despesa de depreciação = R$ 25.000,00 e Despesa financeira = R$ 12.000,00. 
 
(B)  Despesa de arrendamento = R$ 30.000,00. 
 
(C)  Despesa de depreciação = R$ 6.250,00 e Despesa financeira = R$ 12.000,00. 
 
(D)  Despesa de depreciação = R$ 6.562,50 e Despesa financeira = R$ 12.600,00. 
 
(E)  Despesa de depreciação = R$ 6.250,00 e Despesa financeira = R$ 5.000,00. 

 
 
28.  Uma empresa adquiriu um estoque de mercadorias para revenda no valor de R$ 520.000,00. A compra foi realizada no dia 

30/11/2011, o prazo para pagamento, concedido pelo fornecedor, foi de 400 dias e sabe-se que o preço das mercadorias seria 
R$ 425.000,00 se a compra tivesse sido efetuada com pagamento à vista. A empresa ficou responsável pela retirada das 
mercadorias na fábrica da empresa vendedora e efetuou o pagamento do frete no valor de R$ 2.000,00. As mercadorias foram 
vendidas, em dezembro de 2011, por R$ 600.000,00 para recebimento em 390 dias, e se a venda fosse à vista o preço praticado 
seria R$ 510.000,00. O valor do Resultado Bruto da venda das mercadorias apurado pela empresa foi, em reais, igual a 

 

(A)    83.000,00. 
 
(B)    80.000,00. 
 
(C)    78.000,00. 
 
(D) 173.000,00. 
 
(E)    85.000,00. 

 

 

Contabilidade Pública 

 

29.  A obtenção de uma operação de crédito de longo prazo é uma transação de natureza 
 

(A)  administrativa e reduz o fluxo de caixa das operações. 
 
(B)  econômico-financeira e aumenta o fluxo de caixa dos investimentos. 
 
(C)  administrativa e aumenta o fluxo de caixa das operações. 
 
(D)  econômico-financeira e aumenta o fluxo de caixa dos financiamentos. 
 
(E)  administrativa e aumenta o fluxo de caixa dos financiamentos. 

 
 
30.  A consolidação intergovernamental das demonstrações contábeis forma uma unidade contábil 
 

(A) originária. 
 
(B) consolidada. 
 
(C) descentralizada. 
 
(D) unificada. 
 
(E) econômica. 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 003

fcc-2014-trf-3-regiao-analista-judiciario-contadoria-prova.pdf-html.html

 

10 

TRF3R-An.Jud.-Contadoria-05

 

31.  Considere as transações, abaixo, ocorridas no mês de dezembro de 2013 em um órgão do Poder Judiciário Federal. 
 
 

I

.  Reconhecimento de obrigações trabalhistas referentes a dezembro de 2013, no valor de R$ 800.000,00, a serem pagas 

em janeiro de 2014. 

 
 

II

.  Utilização de material de consumo, no valor de R$ 85.000,00, na prestação de serviços. 

 
 

III

.  Pagamento a fornecedores no valor de R$ 120.000,00 referentes a material de consumo adquirido em 2013. 

 
 

IV

.  Devolução de depósito caução no valor de R$ 110.000,00. 

 
 

V

.  Prestação de serviços de manutenção de elevadores no valor de R$ 35.000,00, cujo pagamento ocorrerá em janeiro de 

2014. 

 
 

VI

.  Empenho da despesa com serviços de terceiros – pessoa jurídica no valor de R$ 270.000,00 referentes a uma reforma do 

prédio, cuja liquidação ocorrerá em 2014. 

 
 

Em dezembro de 2013, estas transações, consideradas em conjunto, provocaram um aumento no Passivo, em R$, de 

 

(A) 875.000,00. 

 
(B) 605.000,00. 

 
(C) 835.000,00. 

 
(D) 715.000,00. 

 
(E) 690.000,00. 

 
 
32.  Considere as informações, abaixo, sobre a movimentação de um dos itens do estoque de material de consumo de um órgão do 

Poder Judiciário Federal no mês de setembro de 2013. 

 

Data Especificação 

Quantidade 

(unidades) 

Custo de Aquisição 

(unitário) 

Valor de Mercado 

(unitário) 

05/09/13 

Estoque Inicial 

300 

R$ 150,00 

R$ 160,00 

15/09/13 Consumo 

100 

R$ 

160,00 

20/09/13 

Compra 

200 

R$ 160,00 

R$ 160,00 

25/09/13 Consumo 

100 

R$ 

156,00 

30/09/13 Consumo 

160 

R$ 

153,00 

 
 

Sabendo que o órgão público utiliza o método do custo médio ponderado móvel para mensuração e avaliação das saídas dos 
estoques, o valor do estoque final de acordo com a NBC T 16.10, em 30/09/2013, era, em R$, igual a 

 

(A) 21.560,00. 

 
(B) 21.420,00. 

 
(C) 22.400,00. 

 
(D) 21.000,00. 

 
(E) 21.700,00. 

 
 
33.  Em 20/09/2012, um órgão do Poder Judiciário Federal empenhou despesa no valor de R$ 50.000,00 referente à aquisição de um 

veículo para ser utilizado em suas atividades. Em 01/10/2012, o veículo foi entregue pelo fornecedor e colocado em uso pelo 
órgão público e, nesta mesma data, a vida útil do veículo e o seu valor residual foram estimados, respectivamente, em 5 anos e 
R$ 6.800,00. Em 01/10/2013, houve a liquidação da despesa no valor de R$ 400,00 referente à revisão periódica do veículo, 
gasto este que NÃO gerou benefícios econômicos futuros ou potenciais de serviços. Com base nestas informações e 
considerando que a entidade utiliza o método de depreciação por quotas constantes, a variação patrimonial diminutiva relativa a 
este veículo no exercício financeiro de 2013 foi, em R$, igual a 

 

(A)    9.040,00. 

 
(B) 10.800,00. 

 
(C) 10.400,00. 

 
(D)    8.640,00. 

 
(E) 12.500,00. 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 003

fcc-2014-trf-3-regiao-analista-judiciario-contadoria-prova.pdf-html.html

 

TRF3R-An.Jud.-Contadoria-05

 

11 

34.  O reconhecimento da amortização de um ativo intangível gera o seguinte lançamento contábil 
 

(A) D 

− Disponibilidade por Destinação de Recursos comprometida por empenho 

 C 

− Disponibilidade por Destinação de Recursos 

 
(B) D 

− Crédito Empenhado a Liquidar 

 C 

− Crédito Empenhado Liquidado a Pagar 

 
(C) D 

− Amortização 

 C 

− Intangível 

 
(D) D 

− Amortização  

 C 

− Amortização Acumulada  

 
(E) D 

− Amortização Acumulada 

 C 

− Variação Patrimonial Diminutiva 

 
 
Atenção:  Para responder às questões de números 35 e 36, considere as transações relacionadas, abaixo, referentes ao exercício 

financeiro de 2012 de uma determinada entidade do setor público. 

 
 

−  Previsão da receita e fixação da despesa referente à aprovação do orçamento com base na Lei Orçamentária Anual, no 

valor de R$ 17.000.000,00. 

−  Lançamento de tributos no valor de R$ 6.000.000,00 e de receitas patrimoniais no valor de R$ 800.000,00. 

−  Arrecadação de tributos no valor de R$ 5.800.000,00 e de receitas patrimoniais no valor de R$ 730.000,00. 

−  Lançamento e arrecadação de receitas de serviços no valor de R$ 8.500.000,00. 

−  Obtenção de operações de crédito de longo prazo no valor de R$ 2.100.000,00. 

−  Empenho de despesas com:  

−  Pessoal e Encargos Sociais: R$ 8.700.000,00; 

−  Outras Despesas Correntes − Passagens e Despesas com Locomoção: R$ 300.000,00;  

−  Outras Despesas Correntes − Material de Consumo: R$ 3.000.000,00; 

− Investimentos 

− Equipamentos e Material Permanente: R$ 2.500.000,00; 

− Investimentos 

− Obras e Instalações: R$ 2.400.000,00. 

−  Liquidação de despesas com: 

−  Pessoal e Encargos Sociais: R$ 8.000.000,00; 

−  Outras Despesas Correntes − Passagens e Despesas com Locomoção: R$ 300.000,00;  

−  Outras Despesas Correntes − Material de Consumo: R$ 2.800.000,00; 

− Investimentos 

− Equipamentos e Material Permanente: R$ 2.500.000,00;  

− Investimentos 

− Obras e Instalações: R$ 1.200.000,00. 

−  Pagamento de despesas com: 

−  Pessoal e Encargos Sociais: R$ 7.800.000,00; 

−  Outras Despesas Correntes − Passagens e Despesas com Locomoção: R$ 280.000,00;  

−  Outras Despesas Correntes − Material de Consumo: R$ 2.670.000,00; 

− Investimentos 

− Equipamentos e Material Permanente: R$ 2.100.000,00;  

− Investimentos 

− Obras e Instalações: R$ 1.200.000,00. 

−  Pagamento de Restos a Pagar Processados no valor de R$ 600.000,00. 

−  Recebimento de Depósito Caução no valor de R$ 120.000,00.  

−  Aumento do Ativo Imobilizado por Reavaliação no valor de R$ 330.000,00. 

 
 
35.  No Balanço Financeiro referente ao exercício de 2012, os valores da Despesa Orçamentária e dos Recebimentos 

Extraorçamentários foram, respectivamente, em R$: 

 

(A) 14.050.000,00 e 120.000,00. 

 

(B) 16.900.000,00 e 2.970.000,00. 

 

(C) 14.800.000,00 e 2.970.000,00. 

 

(D) 14.050.000,00 e 450.000,00. 

 

(E) 16.900.000,00 e 120.000,00. 

 
 
36.  O resultado de execução orçamentária do exercício de 2012, conforme Lei n

o

 4.320/64, em R$, foi superavitário em  

 

(A) 2.480.000,00. 

 

(B) 2.330.000,00. 

 

(C) 500.000,00. 

 

(D) 230.000,00. 

 

(E) 2.600.000,00. 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 003

fcc-2014-trf-3-regiao-analista-judiciario-contadoria-prova.pdf-html.html

 

12 

TRF3R-An.Jud.-Contadoria-05

 

 

Orçamento Público 

 

37.  A Lei de Responsabilidade Fiscal estabeleceu regras de 

gestão responsável não só aos entes da federação, como 
também aos Poderes, o que inclui o Poder Judiciário 
Federal e, por consequência, o TRF da 3

a

 Região. Dessa 

forma, o Presidente do Tribunal deverá emitir, quadrimes-
tralmente, o Relatório de Gestão Fiscal que conterá  

 

(A)  comparativo com os limites da despesa total com 

pessoal, distinguindo-a com inativos e pensionistas. 

 

(B)  despesas por grupo de natureza, discriminando a 

dotação para o exercício, a despesa liquidada e o 
saldo. 

 

(C)  execução das despesas por função e subfunção. 

 

(D)  restos a pagar, detalhando os valores inscritos, os 

pagamentos realizados e o montante a pagar. 

 

(E)  variação patrimonial, evidenciado a alienação de 

ativos e a aplicação dos recursos dela decorrentes. 

_________________________________________________________ 

 

38.  Durante os trabalhos de revisão do planejamento orça-

mentário do TRF da 3

a

 Região para 2014, o analista judi-

ciário da especialidade contadoria percebeu que não havia 
agrupamento de serviços subordinados ao mesmo órgão 
ou repartição consignados em dotação própria. Em razão 
desse fato, determinou que o estudo fosse refeito de for-
ma a respeitar esse agrupamento evidenciando 

 

(A)  os programas orçamentários. 

 

(B)  os elementos orçamentários. 

 

(C)  as unidades orçamentárias. 

 

(D)  os grupos orçamentários. 

 

(E) as 

funções 

orçamentárias. 

_________________________________________________________ 

 

39.  Umas das atribuições do Analista Judiciário 

− Especiali-

dade Contadoria é realizar atividades a fim de garantir o 
adequado acompanhamento da situação patrimonial do 
TRF da 3

a

 Região. É norma legal atinente a essas ati-

vidades que 

 

(A)  o resultado patrimonial do exercício deve ser evi-

denciado no Balanço Patrimonial. 

 

(B)  os bens de almoxarifado devem ser avaliados pelo 

valor de aquisição. 

 

(C)  os bens imóveis devem ser avaliados pelo valor mé-

dio de mercado. 

 

(D)  os bens cuja alienação dependa de autorização le-

gislativa serão contabilizados no Ativo Permanente. 

 

(E)  a manutenção de registros sintéticos é obrigatória 

para os bens imóveis e facultativa para os bens 
móveis. 

_________________________________________________________ 

 

40.  O TRF da 3

a

 Região alienou bem imóvel integrante do seu 

patrimônio. A receita derivada dessa operação pode ser 
aplicada 

 

(A)  na aquisição de computadores. 

 

(B)  no pagamento de encargos sociais. 

 

(C)  na aquisição de papel sulfite. 

 

(D)  no pagamento de despesas com conservação de 

bens imóveis. 

 

(E)  no repasse de valores a instituições públicas de 

caráter assistencial sem fins lucrativos. 

41.  Existe a possibilidade de que o orçamento do TRF da  

3

a

 Região não tenha computadas ou tenha insuficien-

temente dotadas autorizações para determinadas des-
pesas. Nesse caso, a Lei n

o

 4.320/64 prevê como solução 

a abertura de créditos adicionais, que podem ser clas-

sificados em suplementares, especiais e extraordinários. É 
regra atinente aos créditos adicionais: 

 

(A)  consideram-se recursos disponíveis para a abertura 

de créditos suplementares os resultantes de anu-

lação parcial de dotação orçamentária. 

 

(B)  a abertura de crédito adicional destinado à despesa 

urgente e imprevista em caso de calamidade pública 
independe de ciência ao Poder Legislativo. 

 

(C)  são extraordinários os destinados a despesas para 

as quais não haja dotação orçamentária específica. 

 

(D)  são especiais os destinados a reforço de dotação 

orçamentária. 

 

(E)  os créditos suplementares, especiais e extraor-

dinários deverão ser autorizados por lei. 

_________________________________________________________ 

 

Auditoria 

 

42.  Nos termos da Resolução CFC 986/03, a auditoria interna 

é exercida nas pessoas jurídicas de direito público, interno 
e externo, e de direito privado. É regra atinente à auditoria 
interna que 

 

(A)  o relatório é o documento pelo qual a auditoria in-

terna apresenta o resultado dos seus trabalhos, não 
podendo ser parcial. 

 

(B)  deve assessorar a administração da entidade no 

trabalho da prevenção de fraudes e erros, obrigan-

do-se a informá-la, ainda que verbalmente e de 
maneira reservada, sobre quaisquer indicações de 
irregularidades. 

 

(C)  a obtenção de informações perante pessoas físicas 

ou jurídicas conhecedoras das transações e das 

operações, dentro e fora da entidade, é denominada 
investigação e confirmação. 

 

(D)  a verificação de registros, documentos e atos tangí-

veis é procedimento denominado observação.  

 

(E)  devem ser obtidas e avaliadas informações conside-

radas adequadas, que são aquelas convincentes e 
factuais, de tal forma que uma pessoa prudente e 
informada possa entendê-la da mesma forma que o 

auditor interno. 

_________________________________________________________ 

 

43.  A Instrução Normativa do Tribunal de Contas da União 

− 

TCU 63/10 estabelece normas de organização e apre-

sentação de relatórios de gestão, estando sujeitos à apre-
sentação desses relatórios os órgãos entidades da Admi-
nistração pública federal direta e indireta, o que inclui o 

TRF da 3

a

 Região. É norma atinente a esse regramento 

que 

 

(A)  os relatórios de gestão ficarão disponíveis para livre 

consulta, no portal do TCU na internet, em até 

15 dias da data limite para a apresentação.  

 

(B)  a apresentação do relatório pode ser feita em meio 

impresso ou informatizado. 

 

(C)  denomina-se consolidado o relatório de gestão 

quando envolver mais de uma unidade jurisdicio-
nada e for conveniente ao TCU avaliar a gestão por 
meio de confronto das peças de cada unidade em 
conjunto. 

 

(D)  as unidades jurisdicionadas ao TCU devem manter a 

guarda dos documentos comprobatórios de cada 
exercício, salvo os de natureza sigilosa. 

 

(E)  as unidades jurisdicionadas não estão obrigadas a 

apresentar informação sobre a gestão em periodi-

cidade inferior a um ano. 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 003

fcc-2014-trf-3-regiao-analista-judiciario-contadoria-prova.pdf-html.html

 

TRF3R-An.Jud.-Contadoria-05

 

13 

44.  O planejamento da auditoria interna compreende os exa-

mes preliminares das áreas, atividades, produtos e pro-
cessos para definir a amplitude e a época do trabalho a 
ser realizado de acordo com as diretrizes estabelecidas 
pela administração da entidade. O que deve ser estrutu-
rado de forma a servir como guia e meio de controle de 
execução de trabalho, devendo ser revisado e atualizado 
sempre que as circunstâncias exigirem, é o  

 

(A)  relatório de auditoria. 
 

(B)  demonstrativo de riscos de auditoria. 
 

(C) papel 

de 

trabalho. 

 

(D)  quadro de testes de auditoria. 
 

(E)  programa de trabalho. 

_________________________________________________________ 

 

45.  Os procedimentos de auditoria interna constituem exames 

e investigações que permitem ao auditor interno obter 
subsídios suficientes para fundamentar suas conclusões e 
recomendações à administração da entidade. Para tanto, 
pode aplicar testes que visam tanto a obtenção de razoá-
vel segurança de que os controles internos estabelecidos 
pela administração estão em efetivo funcionamento, como 
a obtenção de evidência quanto à suficiência, exatidão e 
validade dos dados produzidos pelo sistema de informa-
ção da entidade. Esses testes são denominados, respecti-
vamente, 

 

(A)  de observância e vistoria. 
 

(B) vistoria 

substantivo. 

 

(C)  substantivo e vistoria. 
 

(D)  de observância e substantivo. 
 

(E)  substantivo e de observância. 

_________________________________________________________ 

 

Matemática Financeira 

 

46.  Dois capitais, apresentando uma soma igual a R$ 40.000,00, 

são aplicados sob o regime de capitalização simples. O 
primeiro capital é aplicado, durante 9 meses, a uma taxa de 
12,0% ao ano. O segundo capital é aplicado, durante 
10 meses, a uma taxa de 14,4% ao ano. Se, no final dos 
respectivos prazos de aplicação, o valor do montante da 
segunda aplicação supera o valor do montante da primeira 
aplicação em R$ 11.650,00, então a soma dos valores dos 
juros correspondentes das duas aplicações é, em R$, igual a 

 

(A) 4.350,00. 
 

(B) 4.500,00. 
 

(C) 3.650,00. 
 

(D) 3.400,00. 
 

(E) 4.000,00. 

47.  Um investidor aplicou, durante um período, R$ 28.000,00 

e resgatou no final do prazo de aplicação todo o montante 
no valor de R$ 31.015,60. Sabendo-se que a taxa real de 
juros desta aplicação foi igual a 6,00%, a taxa de inflação 
no período correspondente foi, em %, igual a 

 

(A) 5,00. 

 
(B) 4,50. 

 
(C) 4,77. 

 
(D) 5,55. 

 
(E) 5,25. 

_________________________________________________________ 

 

48.  Considere que dois capitais de valores iguais foram aplica-

dos em uma mesma data, sob o regime de capitalização 
composta a uma taxa de 2% ao bimestre. O primeiro ca-
pital foi aplicado durante 1 bimestre e o segundo durante 
2 bimestres, verificando-se que o total do valor dos juros 
destas duas aplicações, no final dos respectivos prazos, 
foi igual a R$ 1.359,00. O valor do montante da aplicação 
do segundo capital é, em R$, igual a 

 

(A) 23.929,20. 

 
(B) 23.669,10. 

 
(C) 23.409,00. 

 
(D) 22.888,80. 

 
(E) 21.328,20. 

_________________________________________________________ 

 

49.  Marina aplicou um capital no valor de R$ 20.000,00, du-

rante 1 ano, a uma taxa de juros nominal de 10,0% ao 
ano, com capitalização semestral. Ela resgatou todo o 
montante no final do prazo de aplicação e verificou que, se 
tivesse aplicado este mesmo capital, durante 10 meses, 
sob o regime de capitalização simples, resgataria, no final 
deste prazo de aplicação, o mesmo montante resgatado 
na opção anterior. A taxa anual correspondente à opção 
pelo regime de capitalização simples, em %, é de 

 

(A) 10,8. 

 
(B) 14,4. 

 
(C) 13,8. 

 
(D) 13,2. 

 
(E) 12,3. 

_________________________________________________________ 

 

50.  Duas duplicatas de valores nominais iguais são descon-

tadas em um banco a uma taxa de 24,0% ao ano. Sabe-se 
que a primeira duplicata foi descontada 4 meses antes de 
seu vencimento, segundo uma operação de desconto 
racional simples, e o valor do desconto foi igual a 
R$ 1.200,00. A segunda duplicata foi descontada 5 meses 
antes de seu vencimento, segundo uma operação de 
desconto comercial simples. A porcentagem que o valor 
presente da segunda duplicata representa do valor pre-
sente da primeira duplicata é, em %, de  

 

(A) 90,0. 

 
(B) 96,0. 

 
(C) 94,0. 

 
(D) 97,2. 

 
(E) 92,4.

Caderno de Prova ’05’, Tipo 003

fcc-2014-trf-3-regiao-analista-judiciario-contadoria-prova.pdf-html.html

 

14 

TRF3R-An.Jud.-Contadoria-05

 

 

ESTUDO DE CASO 

Instruções Gerais: 

Conforme Edital publicado, Capítulo VIII, item 7, será atribuída nota ZERO à Prova de Estudo de Caso que, no Caderno de Respostas Definitivo: 
a)  for assinada fora do local apropriado; 
b)  apresentar qualquer sinal que, de alguma forma, possibilite a identificação do candidato; 
c)  for escrita à lápis, em parte ou em sua totalidade; 
d) estiver 

em 

branco; 

e)  apresentar letra ilegível e/ou incompreensível. 
A Prova de Estudo de Caso terá caráter eliminatório e classificatório. Cada uma das questões será avaliada na escala de 0 (zero) a 100 (cem) pontos, 
considerando-se habilitado o candidato que tiver obtido, no conjunto das duas questões, média igual ou superior a 60 (sessenta). 
Deverão ser rigorosamente observados os limites de linhas do Caderno de Respostas Definitivo. 
Em hipótese alguma será considerada pela Banca Examinadora a redação escrita neste rascunho. 
Redija seu texto final no Caderno de Respostas Definitivo do Estudo de Caso. 

 

 

QUESTÃO 1 
Para a tomada de decisão, o gestor de uma entidade pública governamental necessita de informações sobre o impacto das 
transações a serem realizadas no exercício financeiro de 2014, apresentadas a seguir, no resultado de execução do orçamento 
corrente e no resultado patrimonial do exercício financeiro de 2014. 

 

−  Obtenção de uma operação de crédito por antecipação da receita orçamentária no valor de R$ 500.000,00, cujos juros serão de 

R$ 10.000,00. 

−  Arrecadação de multas e juros de mora, no valor de R$ 25.000,00, cujo fato gerador ocorrerá em 2014. 

−  Arrecadação de parcela da dívida ativa não tributária no valor de R$ 400.000,00. 

−  Aquisição (empenho e liquidação da despesa) de material de distribuição gratuita no valor de R$ 360.000,00. 

−  Reconhecimento da depreciação dos bens imóveis, referentes a 2014, no valor de R$ 350.000,00. 

 

Com a finalidade de prover informações para a tomada de decisão pelo gestor, pede-se: 

 

a.  Determine o valor do impacto da realização destas transações no resultado de execução do orçamento corrente (superávit do 

orçamento corrente) do exercício financeiro de 2014, conforme Lei n

o

 4.320/64. Explicite a linha de raciocínio empregada. 

 

b.  Determine o valor do impacto da realização destas transações no resultado patrimonial do exercício financeiro de 2014. Explicite a 

linha de raciocínio empregada. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 003

fcc-2014-trf-3-regiao-analista-judiciario-contadoria-prova.pdf-html.html

 

TRF3R-An.Jud.-Contadoria-05

 

15 

 

QUESTÃO 1 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 003

fcc-2014-trf-3-regiao-analista-judiciario-contadoria-prova.pdf-html.html

 

16 

TRF3R-An.Jud.-Contadoria-05

 

 
 
 
 
QUESTÃO 2 

Considere a seguinte situação hipotética: Um funcionário do TRF ficou incumbido de participar do processo de elaboração do 
orçamento do órgão para 2013, acompanhar sua execução e elaborar o RGF. 

Para tanto, deve executar os trabalhos em respeito aos ditames da legislação regedora da matéria, principalmente a Constituição 
Federal, a Lei n

o

 4.320/64 e a LRF. 

Dessa forma, responda, fundamentadamente, às situações abaixo, relacionadas ao exercício do cargo. 
 

A. Planejamento Orçamentário 

 

A.1.  Para a elaboração do orçamento devem ser atendidas, dentre outras, as seguintes regras: A.1.1) todas as despesas e 

receitas constarão pelos seus totais, vedada qualquer dedução; A.1.2) o total da despesa orçamentária não poderá 
ultrapassar o da receita orçamentária prevista; A.1.3) não deverão ser considerados dispositivos estranhos à previsão de 
receita e fixação de despesa. Essas três regras representam, respectivamente, quais princípios orçamentários? 

 
 
A.2.  O orçamento público pode prever despesas correntes e de capital. Assim, como devem ser classificadas, 

respectivamente, a previsão de despesas com diárias, passagens aéreas, locação de imóveis e aquisição de 
computadores? 

 
 
A.3.  A peça orçamentária deve prever o desdobramento da despesa com pessoal, material, serviços, obras e outros meios 

de que se serve a Administração pública para a consecução dos seus fins. Como é denominado esse desdobramento? 

 
 
B. Execução Orçamentária 

 

B.1.  Para a realização da despesa pública devem ser apurados: a origem e o objeto do que se pretende pagar; a importância 

exata a pagar; a quem se deve pagar a importância, para extinguir a obrigação. A que fase da despesa se referem essas 
apurações? 

 

 
B.2.  
O regime de adiantamento é destinado a despesas que não possam subordinar-se ao processo normal de aplicação. 

Quais as condições previstas na Lei n

o

 4.320/64 para a realização de despesas por esse regime? 

 

 
B.3.  
Com base nos balanços apesentados a seguir, relativos a 31/12/2013, calcule: B.3.1) resultado orçamentário do 

exercício; B.3.2) resultado financeiro do exercício; B.3.3) resultado patrimonial do exercício. 

 
 
 

Balanço Orçamentário 

 31/12/13 

Receita (execução) 

Despesa (execução) 

− Receitas 

Correntes 

350.000,00 

 
−  Receitas de Capital 

50.000,00 

 
 

− Créditos 

Orçamentários 

200.000,00 

 
− Créditos 

Suplementares 

50.000,00 

 
− Créditos 

Especiais 

50.000,00 

 
− Créditos 

Extraordinários 

0,00 

 
 
 

Balanço Financeiro 

 31/12/13 

Receita Despesa 

ORÇAMENTÁRIA 400.000,00 
 
− Receitas 

Correntes 

350.000,00 

 
−  Receitas de Capital 

50.000,00 

 
EXTRAORÇAMENTÁRIA 100.000,00 
 
SALDO do exercício anterior 

100.000,00 

ORÇAMENTÁRIA 300.000,00 
 
EXTRAORÇAMENTÁRIA 50.000,00 
 
SALDO para o exercício seguinte 

150.000,00 

 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 003

fcc-2014-trf-3-regiao-analista-judiciario-contadoria-prova.pdf-html.html

 

TRF3R-An.Jud.-Contadoria-05

 

17 

 
 
 

Balanço Patrimonial 

 31/12/13 

Ativo Passivo 

− Financeiro 

150.000,00 

 
− Permanente 

850.000,00 

 
 
 
 
 
COMPENSADO 100.000,00 

− Financeiro 

150.000,00 

 
− Permanente 

50.000,00 

 
SALDO PATRIMONIAL ANTERIOR 

700.000,00 

 
 
COMPENSADO 100.000,00 

 
 
 

Demonstrativo das Variações Patrimoniais 

 31/12/13 

Variações Ativas 

Variações Passivas 

RESULTANTES 
− Receita 

Orçamentária 

400.000,00 

RESULTANTES 
− Despesa 

Orçamentária 

300.000,00 

 
 
 
C.  Relatório de Gestão Fiscal 

 

Para a solução dos próximos itens devem ser utilizados os valores constantes dos quadros a seguir e o limite de gastos com 

pessoal do TRF da 3

a

 Região deve ser o previsto na LRF para o Poder Judiciário Federal como um todo. 

 

TRF Da 3

a

 Região 

 Despesa com Pessoal 

Acumulada: Dezembro De 2013 

+ 11 meses anteriores 

Vencimentos 

100.000,00 

Vantagens Fixas e Variáveis 

10.000,00 

Aposentadorias 

10.000,00 

Pensões 

10.000,00 

Adicionais 

10.000,00 

Indenização por Demissão de Servidor 

20.000,00 

Incentivo à Demissão Voluntária 

30.000,00 

Horas Extras 

40.000,00 

Encargos Sociais 

10.000,00 

Decorrentes de Decisão Judicial 

150.000,00 

Gratificações 

10.000,00 

 
 
 

Receita Corrente da União 

Acumulada: Dezembro de 2013 

+ 11 meses anteriores 

Receita Corrente Bruta da União 

8.000.000,00 

Receita Corrente Líquida da União 

4.000.000,00 

 
 
A LRF estabeleceu limites de gastos com pessoal para os entes da federação e seus poderes, que devem ser apurados 
quadrimestralmente e evidenciados no Relatório de Gestão Fiscal. Com base nos valores constantes dos quadros fornecidos: 
 
C.1.  qual o limite percentual de gastos com pessoal sobre a receita corrente líquida previsto para o Poder Judiciário Federal?; 
 
C.2.  calcular o percentual de gastos de pessoal do TRF da 3

a

 Região tomando-se o mês de dezembro de 2013 como referência; 

 
C.3.  há a necessidade de alerta por parte do Tribunal de Contas da União? Justifique sua resposta. 
 
Nota:  Não há a necessidade de indicação de artigos de lei para a fundamentação da resposta nem da demonstração dos cálculos. A 

abordagem apenas parcial acarretará desconto de 50% dos pontos atribuídos ao respectivo quesito. 

 

 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 003

fcc-2014-trf-3-regiao-analista-judiciario-contadoria-prova.pdf-html.html

 

18 

TRF3R-An.Jud.-Contadoria-05

 

 

QUESTÃO 2 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 003

fcc-2014-trf-3-regiao-analista-judiciario-contadoria-prova.pdf-html.html

 

TRF3R-An.Jud.-Contadoria-05

 

19 

 

QUESTÃO 2 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Caderno de Prova ’05’, Tipo 003