Prova Concurso - Administração - 2014-TRT-19-REGIAO-AL-ANALISTA-JUDICIARIO-AREA-ADMINISTRATIVA - FCC - TRT - 2014

Prova - Administração - 2014-TRT-19-REGIAO-AL-ANALISTA-JUDICIARIO-AREA-ADMINISTRATIVA - FCC - TRT - 2014

Detalhes

Profissão: Administração
Cargo: 2014-TRT-19-REGIAO-AL-ANALISTA-JUDICIARIO-AREA-ADMINISTRATIVA
Órgão: TRT
Banca: FCC
Ano: 2014
Nível: Superior

Downloads dos Arquivos

prova.pdf
gabarito.pdf

Provas relacionadas

AGENTE-ADMINISTRATIVO-PREVIDENCIARIOCONCURSOS2018
ASSISTENTE-DE-ADMINISTRACAOFUNPAPA2018
AUXILIAR-DE-ADMINISTRACAOFUNPAPA2018

Gabarito

fcc-2014-trt-19-regiao-al-analista-judiciario-area-administrativa-gabarito.pdf-html.html

001 - B

002 - A

003 - C

004 - B

005 - E

006 - D
007 - E

008 - C

009 - D

010 - B

011 - A

012 - D

013 - E

014 - A

015 - C

016 - D
017 - E

018 - A

019 - C

020 - B

021 - A

022 - E

023 - D

024 - A

025 - D

026 - B
027 - E

028 - D

029 - A

030 - D

031 - C

032 - D

033 - A

034 - C

035 - B

036 - C
037 - C

038 - E

039 - C

040 - D

041 - E

042 - B

043 - E

044 - D

045 - C

046 - A
047 - B

048 - D

049 - A

050 - E

051 - B

052 - B

053 - A

054 - D

055 - C

056 - E
057 - B

058 - E

059 - B

060 - A

Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região

Alagoas - Analista e Técnico Judiciário

Relação dos gabaritos

CONHEC GERAIS/CONHEC ESPECÍFICOS/DISCURSIVA-REDAÇÃO
Cargo ou opção A01 - ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA JUDICIÁRIA
Tipo gabarito 1

CONHEC GERAIS/CONHEC ESPECÍFICOS/DISCURSIVA-REDAÇÃO

001 - B

002 - C

003 - B

004 - D

005 - A

006 - E
007 - A

008 - E

009 - C

010 - D

011 - E

012 - B

013 - C

014 - A

015 - E

016 - A
017 - B

018 - C

019 - A

020 - D

021 - A

022 - E

023 - C

024 - D

025 - E

026 - B
027 - C

028 - A

029 - D

030 - B

031 - B

032 - D

033 - A

034 - B

035 - E

036 - D
037 - A

038 - D

039 - A

040 - C

041 - D

042 - E

043 - D

044 - E

045 - C

046 - E
047 - A

048 - C

049 - A

050 - C

051 - D

052 - B

053 - A

054 - C

055 - B

056 - B
057 - E

058 - B

059 - E

060 - D

CONHEC GERAIS/CONHEC ESPECÍFICOS/DISCURSIVA-REDAÇÃO
Cargo ou opção B02 - AN JUD - ÁREA JUD - ESP OF JUST AVALIADOR FEDERAL
Tipo gabarito 1

001 - B

002 - C

003 - B

004 - D

005 - A

006 - E
007 - A

008 - E

009 - C

010 - D

011 - E

012 - B

013 - C

014 - A

015 - E

016 - A
017 - B

018 - C

019 - A

020 - D

021 - C

022 - E

023 - C

024 - C

025 - A

026 - B
027 - C

028 - A

029 - C

030 - B

031 - D

032 - E

033 - D

034 - A

035 - E

036 - E
037 - C

038 - D

039 - B

040 - A

041 - A

042 - E

043 - B

044 - E

045 - E

046 - A
047 - A

048 - E

049 - B

050 - C

051 - D

052 - B

053 - D

054 - A

055 - D

056 - D
057 - D

058 - B

059 - C

060 - B

CONHEC GERAIS/CONHEC ESPECÍFICOS/DISCURSIVA-REDAÇÃO
Cargo ou opção C03 - ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA ADMINISTRATIVA
Tipo gabarito 1

fcc-2014-trt-19-regiao-al-analista-judiciario-area-administrativa-gabarito.pdf-html.html

001 - B

002 - C

003 - B

004 - D

005 - A

006 - E
007 - A

008 - E

009 - C

010 - D

011 - E

012 - B

013 - C

014 - A

015 - E

016 - A
017 - B

018 - C

019 - A

020 - D

021 - C

022 - D

023 - C

024 - C

025 - E

026 - B
027 - C

028 - D

029 - B

030 - D

031 - E

032 - B

033 - C

034 - A

035 - D

036 - E
037 - B

038 - B

039 - A

040 - E

041 - B

042 - D

043 - A

044 - D

045 - D

046 - A
047 - C

048 - E

049 - B

050 - A

051 - B

052 - A

053 - E

054 - D

055 - E

056 - C
057 - B

058 - C

059 - D

060 - A

CONHEC GERAIS/CONHEC ESPECÍFICOS/DISCURSIVA-REDAÇÃO
Cargo ou opção D04 - AN JUD - ÁREA ADM - ESP CONTABILIDADE
Tipo gabarito 1

001 - B

002 - C

003 - B

004 - D

005 - A

006 - E
007 - A

008 - E

009 - C

010 - D

011 - E

012 - B

013 - C

014 - A

015 - E

016 - A
017 - B

018 - C

019 - A

020 - D

021 - B

022 - A

023 - E

024 - C

025 - E

026 - A
027 - D

028 - D

029 - B

030 - B

031 - D

032 - A

033 - E

034 - B

035 - C

036 - A
037 - D

038 - C

039 - C

040 - D

041 - D

042 - E

043 - B

044 - B

045 - C

046 - C
047 - E

048 - E

049 - A

050 - A

051 - D

052 - C

053 - D

054 - C

055 - B

056 - A
057 - A

058 - E

059 - C

060 - D

CONHEC GERAIS/CONHEC ESPECÍFICOS/DISCURSIVA-REDAÇÃO
Cargo ou opção E05 - AN JUD - ÁREA APOIO ESP - ESP ESTATÍSTICA
Tipo gabarito 1

001 - B

002 - C

003 - B

004 - D

005 - A

006 - E
007 - A

008 - E

009 - C

010 - D

011 - E

012 - B

013 - C

014 - A

015 - E

016 - A
017 - B

018 - C

019 - A

020 - D

021 - B

022 - C

023 - E

024 - A

025 - D

026 - E
027 - B

028 - B

029 - A

030 - C

031 - D

032 - D

033 - C

034 - E

035 - D

036 - A
037 - E

038 - B

039 - C

040 - A

041 - A

042 - B

043 - E

044 - C

045 - D

046 - C
047 - E

048 - D

049 - A

050 - D

051 - B

052 - C

053 - E

054 - B

055 - E

056 - A
057 - C

058 - D

059 - B

060 - A

CONHEC GERAIS/CONHEC ESPECÍFICOS/DISCURSIVA-REDAÇÃO
Cargo ou opção F06 - AN JUD - ÁREA APOIO ESP - ESP PSICOLOGIA
Tipo gabarito 1

fcc-2014-trt-19-regiao-al-analista-judiciario-area-administrativa-gabarito.pdf-html.html

001 - B

002 - C

003 - B

004 - D

005 - A

006 - E
007 - A

008 - E

009 - C

010 - D

011 - E

012 - B

013 - C

014 - A

015 - E

016 - A
017 - B

018 - C

019 - A

020 - D

021 - B

022 - E

023 - A

024 - C

025 - A

026 - E
027 - E

028 - B

029 - C

030 - D

031 - A

032 - C

033 - D

034 - B

035 - D

036 - A
037 - E

038 - D

039 - B

040 - A

041 - C

042 - E

043 - B

044 - C

045 - D

046 - A
047 - C

048 - B

049 - D

050 - E

051 - B

052 - E

053 - D

054 - C

055 - A

056 - E
057 - C

058 - D

059 - B

060 - A

CONHEC GERAIS/CONHEC ESPECÍFICOS/DISCURSIVA-REDAÇÃO
Cargo ou opção G07 - AN JUD - ÁREA APOIO ESP - ESP ENGENHARIA CIVIL
Tipo gabarito 1

001 - B

002 - C

003 - B

004 - D

005 - A

006 - E
007 - A

008 - E

009 - C

010 - D

011 - E

012 - B

013 - C

014 - A

015 - E

016 - A
017 - B

018 - C

019 - A

020 - D

021 - B

022 - D

023 - E

024 - C

025 - A

026 - C
027 - E

028 - B

029 - B

030 - D

031 - D

032 - C

033 - A

034 - A

035 - E

036 - C
037 - E

038 - D

039 - B

040 - A

041 - D

042 - A

043 - B

044 - E

045 - C

046 - E
047 - B

048 - C

049 - E

050 - B

051 - A

052 - D

053 - D

054 - C

055 - C

056 - D
057 - A

058 - B

059 - E

060 - A

CONHEC GERAIS/CONHEC ESPECÍFICOS/DISCURSIVA-REDAÇÃO
Cargo ou opção H08 - AN JUD - ÁREA APOIO ESP -ESP MEDICINA(PSIQUIATRIA)
Tipo gabarito 1

001 - B

002 - D

003 - C

004 - A

005 - E

006 - E
007 - C

008 - A

009 - D

010 - B

011 - B

012 - D

013 - C

014 - D

015 - A

016 - B
017 - E

018 - E

019 - D

020 - A

021 - D

022 - B

023 - A

024 - D

025 - B

026 - C
027 - E

028 - A

029 - A

030 - D

031 - C

032 - C

033 - B

034 - B

035 - C

036 - B
037 - D

038 - E

039 - E

040 - D

041 - C

042 - A

043 - A

044 - D

045 - A

046 - E
047 - E

048 - A

049 - C

050 - D

051 - C

052 - B

053 - E

054 - B

055 - D

056 - A
057 - C

058 - E

059 - D

060 - B

CONHEC GERAIS/CONHEC ESPECÍFICOS/DISCURSIVA-REDAÇÃO
Cargo ou opção I09 - TÉCNICO JUDICIÁRIO - ÁREA ADMINISTRATIVA
Tipo gabarito 1

Prova

fcc-2014-trt-19-regiao-al-analista-judiciario-area-administrativa-prova.pdf-html.html

N do Caderno

o

N de Inscrição

o

ASSINATURA DO CANDIDATO

N do Documento

o

Nome do Candidato

P R O V A

A

C D E

Analista Judiciário

Área Administrativa

Concurso Público para provimento de cargos de

Conhecimentos Gerais
Conhecimentos Específicos
Discursiva - Redação

INSTRUÇÕES

VOCÊ DEVE

ATENÇÃO

- Verifique se este caderno:

- corresponde a sua opção de cargo.

- contém 60 questões, numeradas de 1 a 60.

- contém a proposta e o espaço para o rascunho da Prova Discursiva - Redação.

Caso contrário, reclame ao fiscal da sala um outro caderno.

Não serão aceitas reclamações posteriores.

- Para cada questão existe apenas UMA resposta certa.

- Você deve ler cuidadosamente cada uma das questões e escolher a resposta certa.

- Essa resposta deve ser marcada na FOLHA DE RESPOSTAS que você recebeu.

- Procurar, na FOLHA DE RESPOSTAS, o número da questão que você está respondendo.

- Verificar no caderno de prova qual a letra (A,B,C,D,E) da resposta que você escolheu.

- Marcar essa letra na FOLHA DE RESPOSTAS, conforme o exemplo:

- Ler o que se pede na Prova Discursiva - Redação e utilizar, se necessário, o espaço para rascunho.

- Marque as respostas com caneta esferográfica de material transparente e tinta preta ou azul. Não será permitido o uso

de lápis, lapiseira, marca-texto ou borracha durante a realização das provas.

- Marque apenas uma letra para cada questão, mais de uma letra assinalada implicará anulação dessa questão.

- Responda a todas as questões.

- Não será permitida qualquer espécie de consulta, nem o uso de máquina calculadora.

- Em hipótese alguma o rascunho da Prova Discursiva - Redação será corrigido.

- Você deverá transcrever a redação, a tinta, na folha apropriada.

- A duração da prova é de 4 horas e 30 minutos para responder a todas as questões objetivas, preencher a Folha de

Respostas e fazer a Prova Discursiva - Redação (rascunho e transcrição).

- Ao término da prova, chame o fiscal da sala e devolva todo o material recebido.

- Proibida a divulgação ou impressão parcial ou total da presente prova. Direitos Reservados.

Janeiro/2014

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 19 REGIÃO

a

Caderno de Prova ’C03’, Tipo 001

MODELO

0000000000000000

MODELO1

00001−0001−0001

fcc-2014-trt-19-regiao-al-analista-judiciario-area-administrativa-prova.pdf-html.html

 

 

TRT19-Conhecimentos Gerais

2

 

 

CONHECIMENTOS GERAIS 

 

Língua Portuguesa 

 
Atenção:  Para responder às questões de números 1 a 5, 

considere o texto abaixo. 

 

Ainda aluna de medicina, Nise da Silveira se horrorizou 

ao ver o professor abrir com um bisturi o corpo de uma jia e dei-
xar à mostra, pulsando, seu pequenino coração. 

Esse fato define a mulher que iria revolucionar o trata-

mento da esquizofrenia e pôr em questão alguns dogmas estéti-
cos em vigor mesmo entre artistas antiacadêmicos e críticos de 
arte. 

A mesma sensibilidade à flor da pele que a fez deixar, 

horrorizada, a aula de anatomia, levou-a a se opor ao trata-
mento da esquizofrenia em voga na época em que se formou: o 
choque elétrico, o choque insulínico, o choque de colabiosol e, 
pior do que tudo, a lobotomia, que consistia em secionar uma 
parte do cérebro do paciente. Tomou-se de revolta contra tais 
procedimentos, negando-se a aplicá-los nos doentes a ela 
confiados. Foi então que o diretor do hospital, seu amigo,  
disse-lhe que não poderia mantê-la no emprego, a não ser em 

outra atividade que não envolvesse o tratamento médico. 

 Mas 

qual?, perguntou ela. 

 Na terapia ocupacional, respondeu-lhe o 

diretor. 

A terapia ocupacional, naquela época, consistia em pôr 

os internados para lavar os banheiros, varrer os quartos e ar-
rumar as camas. Nise aceitou a proposta e, em pouco tempo, 
em lugar de faxina, os pacientes trabalhavam em ateliês impro-
visados, pintando, desenhando, fazendo modelagem com argila 
e encadernando livros. Desses ateliês saíram alguns dos artis-
tas mais criativos da arte brasileira, cujas obras passaram a 

constituir o hoje famosíssimo Museu de Imagens do In-
consciente do Centro Psiquiátrico Nacional, situado no Engenho 
de Dentro, no Rio. 

É que sua visão da doença mental diferia da aceita por 

seus companheiros psiquiatras. Enquanto, para estes, a loucura 
era um processo progressivo de degenerescência cerebral, que 
só se poderia retardar com a intervenção direta no cérebro, ela 
via de outro modo, confiando que o trabalho criativo e a expres-
são artística contribuiriam para dar ordem e equilíbrio ao mundo 
subjetivo e afetivo tumultuado pela doença. 

Por isso mesmo acredito que o elemento fundamental 

das realizações e das concepções de Nise da Silveira era o 
afeto, o afeto pelo outro. Foi por não suportar o sofrimento im-
posto aos pacientes pelos choques que ela buscou e inventou 

outro caminho, no qual, em vez de ser vítima da truculência mé-
dica, o doente se tornou sujeito criador, personalidade livre 
capaz de criar um universo mágico em que os problemas 
insolúveis arrefeciam. 

(Adaptado de: GULLAR, Ferreira. A Cura pelo Afeto. Resmun-
gos, São Paulo: Imprensa Oficial, 2007) 

1. 

De acordo com o texto, Nise da Silveira 
 
(A)  propôs a prática artística como coadjuvante no tra-

tamento de doenças mentais, ao lado dos procedi-
mentos em voga à sua época. 

 

(B)  introduziu mudanças na psiquiatria, deixando de ver a 

loucura como um processo de degeneração mental, 
além de pôr em xeque ditames da arte de seu tempo. 

 

(C)  passou a trabalhar tendo como parâmetro os afetos 

dos pacientes, a despeito da prática artística envolvi-
da no tratamento da esquizofrenia. 

 

(D)  praticou o que havia de mais atual em termos de 

tratamento psiquiátrico, o que pressupunha o con-
tato com artistas consagrados de então. 

 

(E)  encontrou, já nas primeiras aulas de psiquatria, o 

fundamento de sua visão sobre terapia ocupacional, 
qual seja, a aceitação racional da doença por parte 
do paciente. 

_________________________________________________________ 

 

2. 

O autor do texto considera que 
 
(A)  os avanços obtidos por Nise da Silveira, por dizerem 

respeito ao tratamento de esquizofrenia, devem ser 
vistos com cautela em termos artísticos. 

 

(B)  a dimensão afetiva fez com que os pacientes 

passassem a se adequar aos tratamentos psiquiátricos 
em voga, o que foi uma grande conquista em termos 
de terapia ocupacional. 

 

(C)  o afeto pelo outro foi o diferencial oferecido por Nise 

da Silveira, que fez com que seus pacientes se 
tornassem verdadeiros agentes em seus próprios 
tratamentos. 

 

(D)  a subjetividade tumultuada dos doentes adquiria or-

dem e equilíbrio quando eram submetidos a trata-
mentos clínicos, muito embora isso arrefecesse sua 
capacidade artística. 

 

(E)  a arte contribui para a criação de um universo imagi-

nário que distrai os pacientes do cerne de sua 
condição, servindo de cura para suas enfermidades. 

_________________________________________________________ 

 

3. 

O segmento que explicita a causa de um acontecimento 
anterior é: 
 
(A)  ... que ela buscou e inventou outro caminho... (6

o

 pa-

rágrafo) 

 

(B)  É que sua visão da doença mental diferia da aceita 

por seus companheiros psiquiatras. (5

o

 parágrafo) 

 

(C)  ... que o elemento fundamental das realizações e 

das concepções de Nise da Silveira era o afeto...  
(6

o

 parágrafo) 

 

(D)  Desses ateliês saíram alguns dos artistas mais cria-

tivos da arte brasileira... (4

o

 parágrafo)  

 

(E)  ... fazendo modelagem com argila e encadernando 

livros. (4

o

 parágrafo) 

 

Caderno de Prova ’C03’, Tipo 001

fcc-2014-trt-19-regiao-al-analista-judiciario-area-administrativa-prova.pdf-html.html

 

 

TRT19-Conhecimentos Gerais

2

 

4. 

Ainda aluna de medicina, Nise da Silveira se horrorizou ao 
ver o professor abrir com um bisturi o corpo de uma jia e 
deixar à mostra, pulsando, seu pequenino coração

 

 

Uma redação alternativa para a frase acima, mantendo-se 
a correção gramatical e, em linhas gerais, o sentido 
original, está em: 

 

(A)  Ao ver o professor, que abria com um bisturi o corpo 

de uma jia, a ponto de deixar à mostra seu peque-
nino coração, Nise da Silveira horrorizou-se ainda 
por ser aluna de medicina. 

 

(B)  Sendo ainda aluna de medicina, Nise da Silveira 

horrorizou-se, de modo a ver o professor abrir, com 
um bisturi, pulsando, o corpo de uma jia, e deixar à 
mostra seu pequenino coração. 

 

(C)  Ainda quando era aluna de medicina, Nise da 

Silveira se horrorizou, posto que visse o professor 
abrir, com um bisturi, o corpo de uma jia, deixando 
exposto seu pequenino coração. 

 

(D)  Enquanto ainda era aluna de medicina, Nise da Sil-

veira horrorizou-se quando viu o corpo de uma jia 
ser aberto pelo professor, com um bisturi, deixando 
à mostra seu pequenino coração pulsante. 

 

(E)  Quando visse o professor abrir com um bisturi o 

corpo de uma jia, de maneira a expor seu pequenino 
coração pulsante, Nise da Silveira, enquanto ainda 
fora aluna de medicina, horrorizou-se. 

_________________________________________________________ 

 

5. 

Desses ateliês saíram alguns dos artistas mais criativos... 

 

 

O segmento cujo verbo possui, no contexto, o mesmo tipo 
de complemento do grifado acima é: 

 

(A)  ...sua visão da doença mental diferia da aceita por 

seus companheiros... 

 

(B)  ... em que os problemas insolúveis arrefeciam. 

 

(C)  ... a loucura era um processo progressivo de dege-

nerescência... 

 

(D)  ... e inventou outro caminho... 

 

(E)  ... o doente se tornou sujeito criador, personalidade 

livre... 

_________________________________________________________ 

 

Atenção:  Para responder às questões de números 6 a 11, 

considere o texto abaixo. 

 

No texto abaixo, Graciliano Ramos narra seu encontro 
com Nise da Silveira. 

 

Chamaram-me da porta: uma das mulheres recolhidas à 

sala 4 desejava falar comigo. Estranhei. Quem seria? E onde 
ficava a sala 4? Um sujeito conduziu-me ao fim da plataforma, 
subiu o corrimão e daí, com agilidade forte, galgou uma janela. 
Esteve alguns minutos conversando, gesticulando, pulou no 
chão e convidou-me a substituí-lo. Que? Trepar-me àquelas 
alturas, com tamancos? 

Examinei a distância, receoso, descalcei-me, resolvi ten-

tar a difícil acrobacia. A desconhecida amiga exigia de mim um 
sacrifício; a perna, estragada na operação, movia-se lenta e 
perra; se me desequilibrasse, iria esborrachar-me no pavimento 
inferior. Não houve desastre. Numa passada larga, atingi o vão 
da janela; agarrei-me aos varões de ferro, olhei o exterior, 
zonzo, sem perceber direito por que me achava ali. Uma voz 
chegou-me, fraca, mas no primeiro instante não atinei com a 
pessoa que falava. Enxerguei o pátio, o vestíbulo, a escada já 
vista no dia anterior. No patamar, abaixo de meu observatório, 
uma cortina de lona ocultava a Praça Vermelha. Junto, à direita, 
além de uma grade larga, distingui afinal uma senhora pálida e 

magra, de olhos fixos, arregalados. O rosto moço revelava 
fadiga, aos cabelos negros misturavam-se alguns fios grisalhos. 
Referiu-se a Maceió, apresentou-se: 

 Nise da Silveira. 

Noutro lugar o encontro me daria prazer. O que senti foi 

surpresa, lamentei ver minha conterrânea fora do mundo, longe 
da profissão, do hospital, dos seus queridos loucos. Sabia-a 
culta e boa, Rachel de Queiroz me afirmara a grandeza moral 
daquela pessoinha tímida, sempre a esquivar-se, a reduzir-se, 
como a escusar-se de tomar espaço. Nunca me havia aparecido 
criatura mais simpática. O marido, também médico, era meu 
velho conhecido Mário Magalhães. Pedi notícias dele: estava 
em liberdade. E calei-me, num vivo constrangimento. 

De pijama, sem sapatos, seguro à verga preta, achei-me 

ridículo e vazio; certamente causava impressão muito infeliz. Nise, 
acanhada, tinha um sorriso doce, fitava-me os bugalhos enormes, 
e isto me agravava a perturbação, magnetizava-me. Balbuciou 
imprecisões, guardou silêncio, provavelmente se arrependeu de me 
haver convidado para deixar-me assim confuso. 

(RAMOS, Graciliano, Memórias do Cárcere, vol. 1. São Paulo, 
Record, 1996, p. 340 e 341) 

 

6. 

De acordo com o texto, 

 

(A)  Nise da Silveira apresenta-se a Graciliano Ramos, 

que se sente constrangido por não saber quem ela 
é, enquanto ela demonstra já conhecê-lo. 

 

(B) Graciliano Ramos arrepende-se de conhecer 

pessoalmente Nise da Silveira, muito embora ela 
tenha demonstrado simpatia por sua situação. 

 

(C)  Nise da Silveira passa a guardar silêncio ao perce-

ber que o escritor, descalço e de pijama, encon-
trava-se bastante infeliz. 

 

(D)  defronte a sua nova amiga, o escritor sente-se pou-

co à vontade, uma vez que não possuíam afinidades 
profissionais, tampouco suspeitavam a razão de es-
tarem no mesmo lugar. 

 

(E)  o encontro entre Graciliano Ramos e Nise da Silveira 

ocorreu de maneira inusitada para o escritor, que se 
mostrou constrangido em virtude da situação em que 
se encontravam. 

_________________________________________________________ 

 

7. 

Considere as afirmações abaixo. 

 

 

I

. No 

trecho 

Chamaram-me da porta: uma das mulhe-

res recolhidas à sala 4 desejava falar comigo. Es-
tranhei. Quem seria? E onde ficava a sala 4?
 
(1

o

 parágrafo), a pontuação contribui para o clima 

de perplexidade pretendido pelo narrador. 

 

 

II

. As 

perguntas 

Que? Trepar-me àquelas alturas, com 

tamancos? (1

o

 parágrafo) são retóricas, de maneira 

que se podem suprimir os pontos de interrogação. 

 

 

III

. No 

segmento 

...olhei o exterior, zonzo, sem perce-

ber direito porque me achava ali (2

o

 parágrafo), a 

vírgula imediatamente após “exterior” pode ser 
suprimida, sem prejuízo para o sentido original. 

 

 

Está correto o que se afirma APENAS em 

 

(A) 

I

 

(B) 

II

 

(C) 

II

 e 

III

 

(D) 

I

 e 

II

 

(E) 

I

 e 

III

 

 

Caderno de Prova ’C03’, Tipo 001

fcc-2014-trt-19-regiao-al-analista-judiciario-area-administrativa-prova.pdf-html.html

 

 

TRT19-Conhecimentos Gerais

2

 

8. 

Sabia-a culta e boa, Rachel de Queiroz me afirmara a 
grandeza moral daquela pessoinha tímida... 

 

 

Atribuindo-se caráter hipotético ao trecho acima, mantém-
se a correção gramatical substituindo-se os elementos 
grifados pelo que se encontra em: 

 

(A)  Saberia-a 

 tinha-me 

afirmado 

 

(B)  Tê-la-ia sabido 

 teria-me 

afirmado 

 

(C)  Sabê-la-ia 

 me 

afirmaria 

 

(D)  Saberia-a 

 ter-me-ia 

afirmada 

 

(E)  Sabê-la-ia 

 me 

teria 

afirmado 

_________________________________________________________ 

 

9. 

... lamentei ver minha conterrânea... / ... atingi o vão da 
janela... / ... aos cabelos negros misturavam-se alguns fios 
grisalhos.
 

 

 

Fazendo-se as alterações necessárias, os segmentos gri-
fados podem ser substituídos, respectivamente, pelos se-
guintes pronomes: 

 

(A) -la 

− -lo  − -lhe 

 

(B) -a 

− -la  − -os 

 

(C) -la 

− -o  − -lhes 

 

(D) -a 

− -o  − -lhes 

 

(E) -la 

− -lo  − -los 

_________________________________________________________ 

 

10.  De pijama, sem sapatos, seguro à verga preta, achei-me 

ridículo e vazio; certamente causava impressão muito infeliz. 

 

 

Uma redação alternativa para a frase acima, em que se 
mantêm a correção e, em linhas gerais, o sentido original, 
está em: 

 

(A)  Quando estive de pijama, sem sapatos e seguro à 

verga preta, achei-me ridículo e vazio, não obstante, 
certamente, causara impressão muito infeliz. 

 

(B)  Estando de pijama, sem sapatos, seguro à verga 

preta, achei-me ridículo e vazio, se certamente cau-
sava impressão muito infeliz. 

 

(C)  Causava, certamente, impressão muito infeliz: esta-

va de pijama, sem sapatos e seguro à verga preta, 

por que me achasse ridículo e vazio. 

 

(D)  Achei-me ridículo e vazio, uma vez que estava de 

pijama, sem sapatos e seguro à verga preta, de ma-
neira que causava, certamente, impressão muito infeliz. 

 

(E)  Causava, certamente, impressão muito infeliz o fato 

de me achar ridículo e vazio, uma vez que estava de 
pijama, sem sapatos e seguro à verga preta. 

_________________________________________________________ 

 

11.  A voz reflexiva está empregada em: 

 

(A) ... 

fitava-me os bugalhos enormes... (último parágrafo) 

 

(B)  A desconhecida amiga exigia de mim um sa-

crifício... (2

o

 parágrafo) 

 

(C)  Uma voz chegou-me, fraca... (2

o

 parágrafo) 

 

(D)  Nunca me havia aparecido criatura mais simpática. 

(4

o

 parágrafo) 

 

(E) ... 

achei-me ridículo e vazio... (último parágrafo) 

_________________________________________________________ 

 

12.  Sentava-se mais ou menos  ......  distância de cinco me-

tros do professor, sem grande interesse. Estudava de ma-
nhã, e  ......  tardes passava perambulando de uma praça  

......  outra, lendo algum livro, percebendo, vez ou outra, o 
comportamento dos outros, entregue somente  ......  dis-
crição de si mesmo. 

 

 

Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, na 
ordem dada: 

 

(A) a 

− às − à  − a 

 

(B) à 

− as − a  − à 

 

(C) a 

− as − à  − a 

 

(D) à 

− às − a  − à 

 

(E) a 

− às − a − a 

Atenção: 

Para responder às questões de números 13 e 14, 
considere o poema abaixo. 

 

Errância 

 

Só porque 
erro 
encontro 
o que não se 
procura 
 
só porque  
erro 
invento 
o labirinto 
 
a busca 
a coisa 
a causa da 
procura 
 
só porque 
erro 
acerto: me 
construo 
 
Margem de 
erro: margem 
de liberdade. 

(FONTELA, Orides, Poesia Reunida, São 
Paulo, CosacNaify, 2006, p. 202) 

 
13.  De acordo com o poema, 

 

(A)  construir-se significa aprender com os erros, evitan-

do-os de maneira a não comprometer sua liberdade. 

 

(B)  o erro, como eliminação de uma possibilidade falha, 

constitui um mecanismo de aferição na busca pelas 
coisas certas. 

 

(C)  o erro, ao desviar-se de uma finalidade predeter-

minada, abre a possibilidade do caminho inusitado, 
identificado aqui com a liberdade. 

 

(D)  acertar envolve dificuldades equiparáveis às de um 

labirinto, cuja única saída é aqui identificada com a 
liberdade. 

 

(E)  erro e acerto são noções imprecisas, comparáveis a 

um labirinto conceitual, e sua compreensão depende 
da finalidade de cada busca. 

_________________________________________________________ 

 

14.  Considere as afirmações abaixo. 

 

 

I

.  A terceira estrofe do poema (A busca / a coisa / a 

causa da / procura) pode ser entendida como uma 
explicação do que seja o labirinto. 

 

 

II

.  Nas duas últimas estrofes, os dois-pontos introdu-

zem não apenas uma explicação, mas também 
uma consequência do que é dito anteriormente. 

 

 

III

.  Em prosa, mantendo-se a correção e o sentido, as 

duas primeiras estrofes podem ser reescritas do se-
guinte modo: “Só porque erro, encontro, o que não 
se procura só, porque erro invento, o labirinto
”. 

 

 

Está correto o que se afirma APENAS em 

 
(A) 

I

 e 

II

 

(B) 

I

 e 

III

 

(C) 

III

 

(D) 

II

 

(E) 

II

 e 

III

. 

 

Caderno de Prova ’C03’, Tipo 001

fcc-2014-trt-19-regiao-al-analista-judiciario-area-administrativa-prova.pdf-html.html

 

 

TRT19-Conhecimentos Gerais

2

 

 

Raciocínio Lógico-Matemático 

 
15.  Se o diretor está no escritório, então Rodrigo não joga no 

computador e Tomás não ouve rádio. Se Tomás não ouve 
rádio, então Gabriela pensa que Tomás não veio. Se 
Gabriela pensa que Tomás não veio, então ela fica mal 
humorada. Gabriela não está mal humorada. A partir 
dessas informações, é possível concluir, corretamente, 
que 
 
(A)  o diretor não está no escritório e Tomás não ouve 

rádio. 

 
(B)  Gabriela pensa que Tomás não veio e Tomás não 

ouve rádio. 

 
(C)  o diretor está no escritório e Tomás ouve rádio. 

 
(D)  Tomás não ouve rádio e Gabriela não pensa que 

Tomás não veio. 

 
(E)  o diretor não está no escritório e Gabriela não pensa 

que Tomás não veio. 

_________________________________________________________ 

 

16.  Mapeando 21 funcionários quanto ao domínio das habilida-

des A, B e C, descobriu-se que nenhum deles dominava, 
simultaneamente, as três habilidades. Já com domínio de 
duas habilidades simultâneas há, pelo menos, uma pessoa 
em todas as possibilidades. Também há quem domine 
apenas uma dessas habilidades seja qual habilidade for. O 
intrigante no mapeamento é que em nenhum grupo, seja de 
domínio de uma ou de duas habilidades, há número igual de 
pessoas. Sabendo-se que o total daqueles que dominam a 
habilidade A são 12 pessoas e que o total daqueles que 
dominam a habilidade B também são 12 pessoas, o maior 
número possível daqueles que só dominam a habilidade C é 
igual a 
 
(A) 3. 

 
(B) 1. 

 
(C) 2. 

 
(D) 4. 

 
(E) 5. 

_________________________________________________________ 

 

17.  Jorge é o funcionário responsável por criar uma senha 

mensal de acesso ao sistema financeiro de uma empresa. 
A senha deve ser criada com 8 caracteres alfanuméricos. 
Jorge cria as senhas com um padrão dele e não divulgou. 
Observe as senhas de quatro meses seguidos. 

 
 Janeiro:  008CA511 
 Fevereiro: 014DB255 
 Março: 

026EC127 

 Abril: 

050FD063 

 
 

Jorge informou que as senhas seguem um padrão se-
quencial, mês a mês. Sendo assim, a única alternativa que 
contém 3 caracteres presentes na senha preparada para o 
mês de Junho é 
 
(A) 1 

 
(B) 9 

 
(C) 1 

 
(D) 4 

 
(E) 8 

 

Noções de Gestão Pública 

 

18.  NÃO se inclui no ciclo PDCA, também conhecido como 

Ciclo da Melhoria Contínua, a etapa de 

 

(A)  execução, que implementa as atividades propostas 

no planejamento. 

 

(B)  planejamento, que estabelece objetivos, metas e os 

meios para alcançá-los. 

 

(C)  diagnóstico, que identifica o potencial de crescimen-

to, bem como as falhas existentes e dimensiona o 
tempo necessário para a melhoria do processo. 

 

(D)  controle/verificação, que controla e monitora a exe-

cução e verifica o grau de cumprimento do que foi 
planejado. 

 

(E)  ação avaliativa/corretiva, que identifica eventuais fa-

lhas e as corrige, a fim de melhorar a execução. 

_________________________________________________________ 

 

19.  Acerca do conceito de Gestão por Competências, consi-

dere: 

 

 

I

.  Objetiva mapear as competências necessárias para 

a organização, identificar as competências já dispo-
níveis e gerenciar, com vistas a eliminar, as lacunas 
ou gaps identificados. 

 

 

II

.  Possui foco no aprendizado e aprimoramento cons-

tante do empregado, realizando, como etapa vincu-
lada à remuneração por resultados, o mapeamento 
das competências adquiridas. 

 

 

III

.  Aplica-se, também, às ações de recrutamento e se-

leção de pessoal, como forma de minimizar as lacu-
nas de competência identificadas na organização. 

 

 

Está correto o que consta APENAS em 

 

(A) 

I

 e 

III

(B) 

I

 e 

II

(C) 

II

 e 

III

(D) 

III

(E) 

II

_________________________________________________________ 

 

20.  A gestão de projetos pode ser entendida como uma área 

especializada da Administração, definida por Ricardo Var-
gas (2002) como “um conjunto de ferramentas gerenciais 
que permitem que a empresa desenvolva um conjunto de 
habilidades, incluindo conhecimento e capacidades indivi-
duais, destinados ao controle de eventos não repetitivos, 
únicos e complexos, dentro de um cenário de tempo, cus-
to e qualidade predeterminada”. Existem diversas metodo-
logias para gerenciamento de projetos, entre as mais 
difundidas: 

 

(A)  PMBOK, que consiste em um programa de certi-

ficação de projetos de acordo com o seu grau de 
maturidade, buscando o aperfeiçoamento da gestão. 

 

(B)  Programa 5S, que objetiva aumentar a produtivi-

dade, otimizando os insumos necessários para a 
realização de um projeto. 

 

(C)  Reengenharia, que propõe abandonar os processos 

existentes, aplicando o princípio da “folha em branco” 
para definir a melhor forma de gerenciar um projeto. 

 

(D)  Critical Path Method 

− CPM, diretamente relacionada 

com o planejamento do tempo do projeto, no sentido 
de minimizar o tempo total de sua duração, utili-
zando o conceito de caminho crítico. 

 

(E)  Business Process Management 

− BMP, que divide 

os projetos em 3 dimensões: principal, secundário e 
gerencial. 

Caderno de Prova ’C03’, Tipo 001

fcc-2014-trt-19-regiao-al-analista-judiciario-area-administrativa-prova.pdf-html.html

 

TRT19-An.Jud.-Administrativa-C03

 

 

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 

 

Noções de Direito Constitucional 

 

21.  O sistema de controle interno engendrado pela Consti-

tuição Federal, mantido de forma integrada pelos Poderes 
Legislativo, Executivo e Judiciário, tem, dentre as suas 
finalidades, a de 

 

(A)  apreciar, para fins de registro, a legalidade dos atos 

de admissão de pessoal, a qualquer título, na Admi-
nistração direta e indireta. 

 

(B)  aplicar aos responsáveis, em caso de ilegalidade de 

despesa ou irregularidade de contas, as sanções 
previstas em lei. 

 

(C)  exercer o controle das operações de crédito, avais e 

garantias, bem como dos direitos e haveres da União. 

 

(D)  representar a União, em sistema rotativo, na exe-

cução da dívida ativa de natureza tributária. 

 

(E)  receber petições, reclamações, representações ou 

queixas de qualquer pessoa contra atos ou omis-
sões das autoridades ou entidades públicas. 

_________________________________________________________ 

 

22.  Anita Fernanda, nascida em Goiânia há 26 anos, é 

designer de moda no Brasil. Na semana passada, recebeu 
um convite para morar na Europa e trabalhar em uma 
agência de moda que desenha figurinos para os principais 
desfiles de Paris. No entanto, o país em que trabalhará 
exigiu que Anita se naturalizasse para nele permanecer e 
exercer sua atividade profissional. Antes de aceitar a 
proposta para o novo emprego, Anita consulta sua advo-
gada, questionando-a sobre as possíveis consequências 
decorrentes de um pedido de naturalização. Nesta 
hipótese, à luz do que dispõe a Constituição Federal, a 
advogada informa que Anita 

 

(A)  terá declarada a perda da nacionalidade brasileira. 

 

(B)  terá declarada a suspensão da nacionalidade brasi-

leira, apenas enquanto não cancelar a naturalização 
do país em que trabalhará. 

 

(C)  terá declarada a suspensão da nacionalidade brasi-

leira até o momento em que retornar ao Brasil, quan-
do, então, poderá optar, novamente, pela nacionali-
dade brasileira. 

 

(D)  perderá automaticamente a nacionalidade brasileira. 

Todavia, terá garantido o direito de solicitar a reaqui-
sição da nacionalidade, junto ao Ministério da Justi-
ça, assim que regressar ao Brasil definitivamente. 

 

(E)  não terá declarada a perda da nacionalidade 

brasileira. 

_________________________________________________________ 

 

23.  Astolpho Lucio Gregório Coragem, jornalista de um dos 

mais importantes veículos de comunicação do País, de-
nuncia, de forma veemente, em longa reportagem, atos de 
corrupção praticados em órgão público da alta Admi-
nistração federal, sem revelar a sua fonte. De acordo com 
a norma constitucional vigente, 

 

(A)  o jornalista sofrerá processo disciplinar e ação de 

improbidade por se utilizar de informações de fonte 
não revelada. 

 

(B)  por se tratar de crime contra a Administração públi-

ca, o jornalista é obrigado a revelar sua fonte de 
informações. 

 

(C)  o jornalista não é obrigado a revelar sua fonte de 

informações. 

 

(D)  o jornalista tem o dever de revelar ao Ministério da 

Defesa e ao Poder Judiciário sua fonte de informa-
ções em processo protegido pelo segredo de justiça. 

 

(E)  em razão da prerrogativa de foro das autoridades 

envolvidas nos atos de corrupção noticiados, o jor-
nalista é obrigado a revelar sua fonte de infor-
mações. 

24.  Ludmila Iris Cosmópolis é sócia-gerente de uma pequena 

empresa, a qual, há dois meses, foi autuada por Leôncio 
Pafúncio, auditor fiscal do trabalho, em razão de haver 
três empregados sem registro no momento da fiscali-
zação promovida pelo Ministério do Trabalho. Ludmila en-
tende ser ilegal essa autuação, o que garante à empresa 
impetrar 
 
(A)  mandado de segurança junto ao Tribunal Regional 

do Trabalho.  

 
(B)  habeas data perante o Tribunal de Justiça do Es-

tado. 

 
(C)  mandado de segurança perante Vara do Trabalho. 

 
(D)  habeas data perante Vara da Justiça Federal. 

 
(E)  mandado de segurança perante o Tribunal Regional 

Federal. 

_________________________________________________________ 

 

25.  Tarcísio Teatino, Procurador do Trabalho há mais de nove 

anos, é Professor Titular de Direito Processual do 
Trabalho em uma Universidade Federal. No exercício de 
sua função como Procurador, ajuizou ação civil pública 
com o objetivo de responsabilizar empresários que 
mantinham seus empregados em precárias condições de 
trabalho, o que gerou reação, por parte dos réus, os quais, 
por retaliação, estão tentando, pela via administrativa, 
afastá-lo de suas funções, com o argumento de que ele 
está acumulando indevidamente função pública, ou, então, 
pelo menos, obter sua remoção para outra cidade. Com 
base no regime constitucional que rege a matéria, Tarcísio 
 
(A)  pode acumular a função pública de Procurador do 

Trabalho com a de magistério, e, além disso, não 
poderá ser lotado em outra cidade, por gozar da 
garantia da inamovibilidade. 

 
(B)  só poderá perder o cargo por sentença transitada 

em julgado, mas, como é indevida a acumulação de 
funções, poderá ser lotado em outra cidade, por de-
cisão administrativa. 

 
(C)  poderá, por decisão administrativa, perder o cargo, 

em razão do acúmulo indevido de funções públicas, 
por não ser detentor de vitaliciedade. 

 
(D)  poderá perder o cargo, por ser inamovível, em de-

corrência do acúmulo indevido de funções públicas, 
mediante autorização do órgão colegiado compe-
tente, com o voto da maioria absoluta de seus 
membros. 

 
(E)  poderá optar entre o cargo de Procurador do Traba-

lho e o de Professor de Universidade Federal, a fim 
de não ser demitido ou de ser lotado em outra 
cidade. 

_________________________________________________________ 

 

Noções de Direito do Trabalho 

 
26.  De acordo com a previsão da Consolidação das Leis do 

Trabalho, os adicionais de insalubridade e de periculosi-
dade incidem, respectivamente, sobre o salário 
 
(A)  normativo e o salário mínimo. 

 
(B)  mínimo e o salário base. 

 
(C)  profissional e o salário normativo. 

 
(D)  base e o salário mínimo. 

 
(E)  mínimo, em ambos os casos. 

Caderno de Prova ’C03’, Tipo 001

fcc-2014-trt-19-regiao-al-analista-judiciario-area-administrativa-prova.pdf-html.html

 

TRT19-An.Jud.-Administrativa-C03

 

27.  No tocante às férias, é correto afirmar: 

 

(A)  O empregador pode descontar da remuneração das 

férias o valor correspondente às faltas do empre-
gado ao serviço. 

 

(B)  O período de férias não é computado como tempo 

de serviço. 

 

(C)  Aos maiores de 50 anos e aos menores de 18 anos, 

as férias devem ser concedidas de uma só vez. 

 

(D)  A escolha da data de início das férias é uma prer-

rogativa do empregado. 

 

(E)  As férias podem ser divididas em até três períodos, 

desde que o total não seja superior a trinta dias. 

_________________________________________________________ 

 

28.  As despesas resultantes da transferência do empregado 

devem ser pagas 

 

(A)  exclusivamente pelo empregador. 

 

(B)  exclusivamente pelo empregado. 

 

(C)  pelo empregador, desde que haja no contrato de 

trabalho condição de transferibilidade. 

 

(D)  pelo empregado apenas nos casos expressamente 

previstos em lei e pelo empregador nos demais ca-
sos em geral. 

 

(E)  metade pelo empregado e metade pelo empregador. 

_________________________________________________________ 

 

29.  Com relação aos turnos ininterruptos de revezamento, é 

assegurada a jornada de 

 

(A) oito 

horas 

diárias. 

 

(B)  doze horas diárias. 

 

(C)  seis horas diárias, salvo negociação coletiva. 

 

(D)  oito horas diárias, salvo negociação coletiva. 

 

(E)  oito horas diárias e quarenta semanais, facultada a 

compensação de horários e a redução da jornada, 
mediante acordo ou convenção coletiva de trabalho. 

_________________________________________________________ 

 

30.  Com relação à suspensão e interrupção do contrato de 

trabalho, 

 

(A)  na suspensão do contrato de trabalho não há traba-

lho, mas há salário e conta-se tempo de serviço. 

 

(B)  na interrupção do contrato de trabalho não há traba-

lho, mas há salário e conta-se tempo de serviço. 

 

(C)  na interrupção do contrato de trabalho não há traba-

lho, não há salário e não se conta tempo de serviço. 

 

(D)  não há diferença entre suspensão e interrupção do 

contrato de trabalho. 

 

(E)  cessada a interrupção do contrato de trabalho ao 

empregado, são asseguradas, por ocasião de sua 
volta, todas as vantagens que, em sua ausência, te-
nham sido asseguradas aos demais empregados, o 
que não ocorre na suspensão do contrato de trabalho. 

_________________________________________________________ 

 

31.  As empresas integrantes de grupo econômico são, para 

os efeitos da relação de emprego, responsáveis pelos di-
reitos trabalhistas dos empregados. Essa responsabilida-
de é de natureza 

 

(A) subsidiária. 

 

(B) unitária. 

 

(C) concorrente. 

 

(D) solidária. 

 

(E) exclusiva. 

32.  O contrato de trabalho por prazo determinado, prorrogado 

mais de uma vez, 

 

(A)  é nulo de pleno direito. 

 

(B)  deve ser registrado no Ministério do Trabalho e Em-

prego. 

 

(C)  rescinde-se pelo decurso do prazo. 

 

(D) torna-se 

anulável. 

 

(E)  passa a vigorar sem determinação de prazo. 

_________________________________________________________ 

 

Noções de Direito Administrativo 

 

33.  André, servidor público do Tribunal Regional do Trabalho 

da 19

a

 Região, acumulou ilegalmente seu cargo com outro 

no âmbito do Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas. O 
TRT tomou conhecimento da infração, no entanto, não to-
mou providência, já tendo transcorrido o prazo de dois 
anos da ciência. Na hipótese narrada e nos termos da Lei 
n

o

 8.112/90, a ação disciplinar 

 

(A)  pende de condição suspensiva, pois é necessário 

aguardar a ciência do TJ (Tribunal de Justiça de Ala-
goas) para adotar eventual medida administrativa. 

 

(B)  está prescrita, pois, no caso narrado, o prazo pres-

cricional é de dois anos. 

 

(C)  está prescrita, pois, no caso narrado, o prazo pres-

cricional é de cento e oitenta dias. 

 

(D) não 

está 

prescrita. 

 

(E)  está prescrita, pois, no caso narrado, o prazo pres-

cricional é de um ano. 

_________________________________________________________ 

 

34.  Em determinado processo administrativo, a única parte inte-

ressada, Carolina, requereu a desistência total do pedido 
formulado e a extinção do processo, o que foi indeferido pela 
Administração pública, por entender necessário o pros-
seguimento do processo, em razão do interesse público 
envolvido. No segundo processo, com duas partes interes-
sadas, uma delas requereu a desistência do pedido for-
mulado, o que foi acolhido pela Administração extinguindo o 
feito e, portanto, estendendo o pedido de desistência também 
à outra parte interessada que não fez tal pleito. Nos termos 
da Lei n

o

 9.784/99, a postura da Administração pública está 

 

(A)  correta no primeiro processo e incorreta no segundo. 

 

(B)  incorreta nos dois processos administrativos. 

 

(C)  correta nos dois processos administrativos. 

 

(D)  incorreta no primeiro processo e correta no segundo. 

 

(E)  correta no primeiro tão somente se Carolina concor-

dar com o prosseguimento do feito, e correta no 
segundo. 

_________________________________________________________ 

 

35.  Francisco, servidor público federal, está sendo processado 

em ação de improbidade administrativa. Segundo o 
Ministério Público, autor da demanda, Francisco teria 
ordenado a realização de despesas não autorizadas em 
lei. Para que Francisco seja condenado pela Justiça, deve 
ficar provado que sua conduta foi 

 

(A)  necessariamente dolosa, não sendo necessária a 

prova de eventual dano ao erário. 

 

(B)  necessariamente culposa, não sendo necessária a 

prova de eventual dano ao erário. 

 

(C)  necessariamente dolosa e causadora de dano ao 

erário. 

 

(D)  dolosa ou culposa, não sendo necessária a prova de 

eventual dano ao erário. 

 

(E)  dolosa ou culposa e causadora de prejuízo ao erário.

Caderno de Prova ’C03’, Tipo 001

fcc-2014-trt-19-regiao-al-analista-judiciario-area-administrativa-prova.pdf-html.html

 

TRT19-An.Jud.-Administrativa-C03

 

36.  Considere as seguintes assertivas, à luz da Lei n

o

 8.666/93: 

 

 

I

.  Na licitação modalidade convite, a Comissão de lici-

tação, excepcionalmente, nas pequenas unidades 
administrativas e em face da exiguidade de pessoal 
disponível, poderá ser substituída por servidor for-
malmente designado pela autoridade competente. 

 
 

II

.  Os membros das Comissões de licitação responde-

rão solidariamente por todos os atos praticados pe-
la Comissão, salvo se posição individual divergente 
estiver devidamente fundamentada e registrada em 
ata lavrada na reunião que tiver sido tomada a 
decisão. 

 
 

III

.  A investidura dos membros das Comissões não ex-

cederá a 1 (um) ano, vedada a recondução da tota-
lidade de seus membros para a mesma comissão 
no período subsequente. 

 
 

IV

.  No caso de concurso, o julgamento será feito por 

uma comissão especial integrada por pessoas de 
reputação ilibada e reconhecido conhecimento da 
matéria em exame, obrigatoriamente servidores pú-
blicos. 

 

 

Está correto o que consta APENAS em 
 

(A) 

III

 e 

IV

 

(B) 

I

 e 

IV

 

(C) 

II

 

(D) 

I

III

 e 

IV

 

(E) 

I

II

 e 

III

_________________________________________________________ 

 

37.  A Administração pública realizou, sem prévio procedi-

mento licitatório, contratação verbal para compra de gê-
neros alimentícios, com entrega imediata, no valor total de 
R$ 3.500,00. Nos termos da Lei n

o

 8.666/93, a contratação 

em questão é 
 

(A)  válida, pois se caracteriza como inexigibilidade de 

licitação, sendo possível contrato verbal em razão do 
valor e das características da contratação. 

 

(B)  inválida, pois não existe possibilidade de realização 

de contratos verbais na Administração pública. 

  

(C)  válida, pois se caracteriza como dispensa de licita-

ção, sendo possível contrato verbal em razão do 
valor e das características da contratação, feita em 
regime de adiantamento. 

 

(D)  inválida, pois deveria ter sido realizada licitação na 

modalidade pregão, dada a natureza comum do 
objeto e o contrato deveria ter sido feito por meio de 
nota de empenho específica. 

 

(E)  válida, pois a aquisição de gêneros alimentícios 

sempre pode ser realizada mediante adiantamento, 
sem necessidade de prévia licitação e formalização 
contratual. 

38.  Emerson, agente público, está respondendo a uma ação 

de improbidade administrativa movida pelo Ministério 
Público. Segundo a petição inicial da ação, Emerson teria 
deixado de prestar contas quando estava obrigado a fazer. 
Em razão disso, o Ministério Público requereu a indis-
ponibilidade de seus bens, o que foi indeferido pelo juiz 
sob o fundamento de que o ato ímprobo em questão não 
causou prejuízo ao erário ou mesmo enriquecimento 
ilícito. A propósito do tema e nos termos da Lei 

 

n

o

 8.429/92, 

 
 
(A)  não está correta a decisão do juiz, pois o ato ímpro-

bo em questão comporta o pedido de indisponibili-
dade de bens, não importando se inexistiu prejuízo 
ao erário ou enriquecimento ilícito. 

 
 

(B)  pela descrição da conduta, sequer existe ato ímpro-

bo, logo, o juiz deveria ter rejeitado de plano a 
petição inicial. 

 
 

(C)  não está correta a decisão do juiz, pois a indispo-

nibilidade de bens é cabível para qualquer ato 
ímprobo e em qualquer circunstância, sempre vi-
sando o interesse público. 

 
 

(D)  está correta a decisão do juiz, pois não é cabível, na 

hipótese narrada, a medida de indisponibilidade de 
bens. 

 
 

(E)  pela descrição do enunciado, foi praticada conduta 

expressamente prevista na lei como ato ímprobo que 
importa enriquecimento ilícito; logo, o juiz deveria ter 
deferido a indisponibilidade de bens. 

_________________________________________________________ 

 

39.  Cristiano, servidor público federal, responde a processo 

disciplinar em razão de grave conduta cometida. Após a 
tipificação da infração disciplinar, foi formulada a 
indiciação de Cristiano, com a especificação dos fatos a 
ele imputados e das respectivas provas. O próximo passo 
será sua citação para apresentar defesa escrita. Ocorre 
que Cristiano encontra-se em lugar incerto e não sabido, 
razão pela qual sua citação dar-se-á por edital. Nos 
termos da Lei n

o

 8.112/90, o prazo para defesa na 

hipótese narrada será de 
 
 
(A)  10 dias, contados a partir da primeira publicação do 

edital. 

 
 

(B)  15 dias, contados a partir da última publicação do 

edital. 

 
 

(C)  30 dias, contados a partir da última publicação do 

edital. 

 
 

(D)  25 dias, contados a partir da primeira publicação do 

edital. 

 
 

(E)  20 dias, contados a partir da última publicação do 

edital. 

Caderno de Prova ’C03’, Tipo 001

fcc-2014-trt-19-regiao-al-analista-judiciario-area-administrativa-prova.pdf-html.html

 

TRT19-An.Jud.-Administrativa-C03

 

40.  Nos termos da Lei n

o

 9.784/99, que regula o processo administrativo no âmbito da Administração pública federal, as sanções, 

desde que assegurado o prévio direito de defesa, serão aplicadas por autoridade competente e 
 
(A)  terão natureza pecuniária ou consistirão em obrigação de fazer ou de não fazer. 
 

(B)  terão natureza, exclusivamente, pecuniária. 
 

(C)  consistirão, exclusivamente, em obrigação de fazer. 
 

(D)  terão natureza pecuniária ou consistirão em obrigação tão somente de fazer. 
 

(E)  consistirão, exclusivamente, em obrigação de não fazer. 

 
 

Administração Pública 

 
41.  Em artigo doutrinário publicado na obra “Gestão Pública no Brasil Contemporâneo”, organizada por Evelyn Levy e Pedro Anibal 

Drago (Edições Fundap, 2005, p. 212/234), destaca-se, acerca da Gestão de Resultados aplicável à Administração pública no 
Brasil, que: O Plano Plurianual (PPA 2000-2003), denominado Avança Brasil, trouxe mudanças de impacto no sistema de 
planejamento e orçamento federais, assim como na gestão pública. Com a recuperação da estabilidade da moeda e o processo 
de ajuste fiscal, iniciado em 1994, com o Plano Real, formou-se o entendimento de que se impunha um choque gerencial na 
administração pública brasileira. A decisão foi transformar o plano em instrumento de gestão, orientando a administração pública 
para resultados

 

Esse conceito, de Gestão de Resultados na produção de serviços públicos, dentre outros, contempla a 

 
 

I

.  integração dos instrumentos de orçamento, planejamento e gestão, incluindo o conceito de planejamento indicativo, com 

a definição de um portfólio e investimentos para o horizonte de 8 anos. 

 
 

II

.  existência de um plano normativo para todo o setor público federal, com o horizonte de 4 anos, organizando todas as 

ações em programas, tomados como referências para a formulação dos orçamentos anuais. 

 
 

III

.  avaliação anual dos programas, tendo como referência o exercício anterior, seguindo com a elaboração da Lei 

Orçamentária e, subsequentemente, a Lei de Diretrizes Orçamentárias, tornando mais consistente a alocação de recursos 
públicos aos bens e serviços demandados pela sociedade. 

 
 

Está correto o que consta APENAS em 
 
(A) 

I

 e 

II

 

(B) 

I

 e 

III

 

(C) 

II

 e 

III

 

(D) 

III

 

(E) 

II

 
 
42.  O Programa da Qualidade do Serviço Público 

− PQSP, implementado na década de 1990, propugnou a implantação de um 

modelo de excelência em gestão pública, contemplando 
 
(A)  a atenção prioritária ao cidadão e à sociedade, como destinatários dos serviços públicos, atuando como elemento 

mitigador das restrições legais que dificultam a disponibilização de tais serviços. 

 

(B)  a adoção, com as adaptações necessárias ao setor público, do modelo matricial de competências, com a 

departamentalização das atividades para melhor controle dos resultados obtidos. 

 

(C)  a eficiente alocação de recursos públicos, entre seus objetivos, expressada na máxima “fazer mais com menos”, que é 

utilizada como elemento mitigador da avaliação dos serviços pelos usuários. 

 

(D)  um conjunto de normas (leis, decretos e resoluções), como dimensão formal, que aferem o desempenho do servidor, tendo 

como métrica a eficiência, eficácia e efetividade dos serviços, e fundamentam a remuneração por resultados. 

 

(E)  um sistema de avaliação continuada da gestão pública, identificando os pontos fortes e os aspectos gerenciais pouco 

desenvolvidos, identificados na linguagem do programa como oportunidades de aperfeiçoamento da organização, que 
devem ser objeto de ações de melhoria. 

Caderno de Prova ’C03’, Tipo 001

fcc-2014-trt-19-regiao-al-analista-judiciario-area-administrativa-prova.pdf-html.html

 

10 

TRT19-An.Jud.-Administrativa-C03

 

43.  O PMBOK, uma das mais conhecidas publicações do 

Project Management Institute 

− PMI acerca da gestão por 

projetos, contempla nove áreas de conhecimento, entre 
elas: 
 
(A)  o mapeamento de competências, propondo o desen-

volvimento de uma matriz adequada para cada pro-
jeto. 

 
(B)  o gerenciamento do escopo, consistente na descri-

ção detalhada do projeto e do produto, descrevendo 
os processos de trabalho que asseguram a execu-
ção do projeto. 

 
(C)  a estrutura analítica do projeto, que diz respeito à 

identificação e análise dos riscos que podem com-
prometer o alcance dos objetivos do projeto. 

 
(D)  o controle de resultados, que avalia a satisfação do 

usuário com o grau de qualidade do produto decor-
rente do projeto. 

 
(E)  o caminho crítico, correspondente a uma represen-

tação gráfica organizada e hierárquica de todo o 
trabalho de um projeto. 

_________________________________________________________ 

 

44.  Processo pode ser conceituado como um grupo de ativida-

des realizada em uma sequência lógica com o objetivo de 
produzir um bem ou um serviço que tem valor para um 
grupo específico de clientes. Uma das classificações pos-
síveis diz respeito aos níveis do processo, onde 
 
(A)  macroprocesso é o output do processo, ou seja, sua 

visão externa. 

 
(B) tarefa 

é 

input do processo, correspondente à cada 

atividade que o compõe. 

 
(C)  subprocessos são as externalidades derivadas de 

um processo, podendo ser positivas ou negativas. 

 
(D)  processos auxiliares são aqueles ligados às estraté-

gias utilizadas na tomada de decisão, na coordena-
ção dos demais processos e na avaliação de re-
sultados. 

 
(E)  atividade é um conjunto de tarefas com procedi-

mentos definidos que descrevem o passo a passo 
para a execução de acordo com algum méto-
do/técnica. 

_________________________________________________________ 

 

45.  A organização em forma de rede é um fenômeno impor-

tante nas estruturas sociais e organizacionais contemporâ-
neas, tendo como característica: 
 
(A)  adoção de modelo de gestão verticalizado, com 

coordenação estruturada para evitar a dispersão de 
informações. 

 
(B)  presença de estruturas rígidas de divisão do trabalho 

e circulação das informações em uma cadeia ramifi-
cada de comunicação. 

 
(C)  apresentar estruturas com pouca dispersão e con-

centração do trânsito de informações e um único 
canal de comunicação. 

 
(D)  modelo de gestão da comunicação hierarquizado de 

acordo com os papeis que os agentes desem-
penham na organização. 

 
(E)  serem policêntricas, com autonomia dos participantes, 

compartilhamento de conhecimentos e cooperação. 

46.  O planejamento estratégico, entre outras características, 

apresenta-se como um processo de construção de con-
senso que, em face da diversidade de interesses e neces-
sidades dos parceiros envolvidos, oferece um meio de 
atendê-los na direção futura que melhor convenha a to-
dos. Insere-se nesse processo a definição da “Missão” 
que 

 

(A)  é a razão de ser da instituição, expressando a 

essência da organização, orientada para o futuro. 

 

(B)  traduz o consenso dos membros da organização so-

bre o futuro que se deseja para a instituição. 

 

(C)  são princípios, crenças, normas e padrões que orien-

tam o comportamento e atuação da organização. 

 

(D)  são as metas a serem atingidas dentro de um hori-

zonte definido de tempo, de acordo com a visão de 
futuro da instituição. 

 

(E)  é o compromisso da organização com a sociedade e 

os valores por ela defendidos de forma permanente. 

_________________________________________________________ 

 

47.  Gestão pública e gestão privada apresentam algumas 

convergências importantes, mas também diferenças signi-
ficativas em decorrência da natureza e regime jurídico 
aplicável a cada qual. A respeito do tema, considere: 

 

 

I

.  Os conceitos de eficiência, eficácia e efetividade 

são próprios da gestão privada, aplicando-se à ges-
tão pública apenas de forma subsidiária ao princípio 
do interesse público. 

 

 

II

.  O princípio da legalidade aplicável à gestão pública 

possui a mesma conotação do aplicável à gestão 
privada, tendo, contudo, maior prevalência na ges-
tão pública. 

 

 

III

.  O cliente da iniciativa privada paga, apenas, pelos 

serviços que utiliza, enquanto o cliente da Admi-
nistração pública os financia através de tributos, 
mesmo sem usá-los. 

 

 

Está correto o que consta APENAS em 

 
(A) 

III

(B) 

I

 e 

III

(C) 

II

 e 

III

(D) 

I

 e 

II

(E) 

I

_________________________________________________________ 

 

48.  Como etapa importante do processo organizacional, inse-

re-se a avaliação que consiste, segundo definição doutri-
nária, em uma operação na qual é julgado o valor de uma 
iniciativa organizacional, a partir de um quadro referencial 
ou um padrão comparativo previamente definido. A propó-
sito do tema é INCORRETO afirmar que  

 

(A)  os indicadores são parâmetros que quantificam e 

medem os resultados, possuindo uma função descri-
tiva e uma função valorativa. 

 

(B)  a avaliação de desempenho deve contemplar os ní-

veis institucional, administrativo-gerencial e técnico-
operacional. 

 

(C)  é a partir da definição clara de objetivos e metas que 

a organização irá avaliar os resultados e identificar 
os erros cometidos no processo de execução. 

 

(D)  a avaliação de desempenho promove a aprendiza-

gem e a disseminação de conhecimento nas organi-
zações. 

 

(E)  a avaliação de desempenho contempla um conjunto 

de metas, incluindo, necessariamente, economicida-
de, custo-benefício e satisfação. 

Caderno de Prova ’C03’, Tipo 001

fcc-2014-trt-19-regiao-al-analista-judiciario-area-administrativa-prova.pdf-html.html

 

TRT19-An.Jud.-Administrativa-C03

 

11 

 

Orçamento Público 

 

49.  Considere o balanço abaixo. 

 

BALANÇO PATRIMONIAL 

 31/12/12 (em R$) 

ATIVO PASSIVO 

ATIVO FINANCEIRO 
− Bancos ...........................................   300,00

PASSIVO FINANCEIRO 
− Débitos de tesouraria ...............................     100,00 

ATIVO PERMANENTE 
− Bens imóveis ..................................   200,00

PASSIVO PERMANENTE 
− Contratos .................................................   150,00 

ATIVO REAL ....................................   500,00 PASSIVO REAL .........................................     250,00 
 

ATIVO REAL LÍQUIDO ..............................     250,00 

ATIVO COMPENSADO ....................   100,00 PASSIVO COMPENSADO .........................     100,00 
ATIVO TOTAL ..................................     600,00 PASSIVO TOTAL .......................................     600,00 

 
 

As autorizações de despesas não computadas ou insuficientemente dotadas na Lei Orçamentária Anual 

− LOA são denominadas 

créditos adicionais, classificados como suplementares, especiais ou extraordinários. Nos termos previstos na Lei n

o

 4.320/64, uma 

das fontes legais de recursos para abertura tanto dos créditos suplementares como dos especiais é o superávit financeiro apurado 
em balanço patrimonial do exercício anterior. Com base nos dados do balanço patrimonial dado, o superávit financeiro para a 
abertura desses tipos de crédito adicional em 2013 é, em R$, igual a 

 

(A) 300,00. 
(B) 200,00. 
(C) 500,00. 
(D) 250,00. 
(E)      0,00. 

 
 
50.  A Lei Orçamentária Anual 

− LOA da União previu repasse de R$ 1.000.000,00 para a empresa ABC S.A., de fins lucrativos. Esse 

fato 

 

(A)  contraria a Lei n

o

 4.320/64, que não admite repasses públicos à empresa com fins lucrativos. 

 

(B)  contraria a Lei n

o

 4.320/64, que não admite repasses a sociedades anônimas. 

 

(C)  não contraria a Lei n

o

 4.320/64, desde que o repasse tenha sido expressamente autorizado em lei especial. 

 

(D)  não contraria a Lei n

o

 4.320/64, desde que a empresa atue no setor da educação, saúde ou assistência social. 

 

(E)  não contraria a Lei n

o

 4.320/64, desde que o valor repassado não corresponda a mais de 1% do total das subvenções do 

exercício anterior. 

 
 
51.  A Sra. Maria da Silva obteve sucesso em pleito judicial em face da União, cujo objeto do processo era o pagamento de 

R$ 1.000.000,00 em razão da desapropriação de sua casa. Em atendimento à ordem geral de apresentação dos precatórios, foi 
aberto crédito adicional para o pagamento, tendo constado na dotação orçamentária respectiva: “Pagamento de precatório em 
favor de Maria da Silva, no valor de R$ 1.000.000,00”. Essa situação confirma ilegalidade porque 

 

(A)  não pode ser aberto crédito adicional para o pagamento de precatório. 
(B)  precatório de R$ 1.000.000,00 ou mais deve integrar lista específica e prioritária. 
(C)  antes de abrir o crédito adicional, em razão do valor, a União deve renegociar o montante do precatório. 
(D)  não é permitida a designação expressa do nome do credor na dotação orçamentária do precatório. 
(E)  pagamentos relativos à desapropriação independem de precatório. 

 
 
52.  O Poder Judiciário Federal publicou documento referente ao período de setembro a dezembro de 2010, assinado, inclusive, pelo 

responsável pelo controle interno, contendo as seguintes informações: comparativo da despesa com pessoal com o limite da Lei 
de Responsabilidade Fiscal 

− LRF, distinguindo a realizada com inativos e pensionistas; demonstrativo do último quadrimestre 

referente à disponibilidade de caixa em 31/12; inscrição de restos a pagar. O documento publicado foi o 

 

(A)  Relatório Resumido da Execução Orçamentária. 
(B)  Relatório de Gestão Fiscal. 
(C)  Relatório Comparativo entre as Metas Fixadas e os Resultados Alcançados. 
(D)  Anexos do Balanço Patrimonial com base em 31/12/10. 
(E)  Relatório Gerencial Quadrimestral. 

 
 
53.  O Poder Judiciário da União necessitou acionar o mecanismo de controle de limitação de empenhos estabelecidos na Lei de 

Responsabilidade Fiscal 

− LRF. Os critérios e a forma para que isso seja feito devem estar previstos 

 

(A)  no anexo de metas fiscais. 
(B)  no anexo de riscos fiscais. 
(C)  no Plano Plurianual 

− PPA. 

(D)  na Lei de Diretrizes Orçamentárias 

− LDO. 

(E)  na Lei Orçamentária Anual 

− LOA. 

Caderno de Prova ’C03’, Tipo 001

fcc-2014-trt-19-regiao-al-analista-judiciario-area-administrativa-prova.pdf-html.html

 

12 

TRT19-An.Jud.-Administrativa-C03

 

54.  A Lei de Responsabilidade Fiscal 

− LRF estabelece que a 

criação, expansão ou aperfeiçoamento de ação gover-
namental que acarrete aumento de despesa será acompa-
nhada de estimativa de impacto orçamentário-financeiro e 
de declaração do ordenador de despesa atestando ade-
quação orçamentária e financeira com a Lei Orçamentária 
Anual 

− LOA e compatibilidade com a Lei de Diretrizes 

Orçamentárias 

− LDO e o Plano Plurianual − PPA. É 

EXCEÇÃO legal a essa regra a despesa 

 

(A)  considerada irrelevante, nos termos da LDO. 

 

(B) de 

caráter 

continuado. 

 

(C)  realizada sob o regime de adiantamento. 

 

(D)  relacionada com os setores da saúde, educação e 

assistência social. 

 

(E)  da área finalística do órgão. 

_________________________________________________________ 

 

55.  O princípio orçamentário da especificação, também deno-

minado discriminação ou especialização, veda a consigna-
ção na Lei Orçamentária Anual 

− LOA de dotações globais 

destinadas a atender indiferentemente as despesas com 
pessoal, transferências ou quaisquer outras. Alguns tipos 
de dotação de despesa, todavia, podem ser previstos de 
forma global, como é o caso da destinada a 

 

(A) licitações. 
(B) convênios. 
(C) encargos 

sociais. 

(D)  reserva de contingência. 
(E) aposentadoria. 

_________________________________________________________ 

 

Administração de Recursos Humanos 

 

56.  Sobre as fases evolutivas dos modelos de gestão de pes-

soas considere: 

 

 

I

.  A busca pela efetividade de pessoal, por meio de 

um elo entre o perfil dos colaboradores atuais e a 
visão de futuro da organização, caracteriza a Admi-
nistração de Pessoal. 

 

 

II

.  A motivação e a liderança constituem aspectos cru-

ciais na fase do modelo Gestão do Comportamento 
Humano. 

 

 

III

.  Os processos de pagamento, bem como atendi-

mento aos aspectos formais da relação contratual, 
representam a Administração Estratégica de RH-
AERH. 

 

 

IV

.  O Modelo de Gestão por Competências representa 

a construção de formas de gestão mais orgânicas. 

 

 

Está correto o que consta em 

 

(A) 

II

, apenas. 

(B) 

I

II

 e 

IV

, apenas. 

(C) 

I

III

 e 

IV

, apenas. 

(D) 

II

 e 

IV

, apenas. 

(E) 

I

II

III

 e 

IV

_________________________________________________________ 

 

57.  Após receber resultados ruins, determinada empresa con-

tratou um renomado consultor, iniciando um processo que 
resultará em reestruturações e, simultaneamente, uma 
visão sistêmica e comprometimento dos empregados 
frente às novas metas organizacionais. Esse processo, 
conhecido como modelo de Lewin, é também chamado de 

 

(A) Mudança 

Incremental. 

(B) Mudança 

Contingencial. 

(C)  Change Management
(D) Desenvolvimento 

Organizacional. 

(E) Reengenharia. 

58.  Devido à subjetividade existente em um processo de Ava-

liação de Desempenho Humano, um dos enganos cometi-
dos pelo avaliador é o efeito halo que julga o avaliado 
 
(A)  conforme as preferências do avaliador, na maioria 

das vezes, desconsiderando as diferenças demons-
tradas pelo avaliado. 

 

(B)  com base em um único traço de personalidade que, 

generalizado, leva a uma avaliação positiva ou ne-
gativa. 

 

(C)  apenas com base no bom senso, sem discernir as 

informações importantes das irrelevantes. 

 

(D)  da mesma forma que nos períodos anteriores, sem 

conseguir apontar variações de desempenho. 

 

(E)  considerando apenas os últimos acontecimentos, em 

detrimento dos anteriores ocorridos ao longo do ciclo 
de avaliação (12 meses). 

_________________________________________________________ 

 

59.  A diretoria de uma organização internacional, renomada 

em seu mercado de atuação, está em processo de mu-
dança cultural e percebe a ocorrência do fenômeno da 
contracultura por parte de alguns gerentes, em uma de 
suas filiais. Decide, então, adotar uma postura empresarial 
policêntrica que 
 
(A)  sustenta a crença que são superiores às demais or-

ganizações em termos culturais e fazem prevalecer 
os seus valores originários (da matriz ou do seu país 
de origem). 

 

(B) adota 

um 

mix entre a cultura originária e a cultura 

local, mantendo os valores e procurando adaptar-se 
às diferenças locais. 

 

(C)  pratica, exatamente, o oposto aos valores originá-

rios; parte da premissa que o local que a hospeda 
pratica uma cultura que ela considera mais conve-
niente adotar, implementando atitudes e procedi-
mentos da cultura local. 

 

(D)  elimina os integrantes que oferecem ameaça ao pro-

cesso de mudança. 

 

(E)  não se importa em conviver com o fenômeno da 

contracultura, aceitando os conflitos entre as pes-
soas e conduzindo normalmente o processo de 
mudança. 

_________________________________________________________ 

 

60.  Paulo, gestor de RH da Empresa Sol S.A., adotará, para o 

próximo ano, a Administração Estratégica de RH-AERH. 
Dentro desse contexto, seu enfoque será em 

 
 

I

.  formular planos de carreira e preparar sucessores. 

 
 

II

.  recompensar de acordo com os resultados da orga-

nização. 

 
 

III

.  treinar colaboradores nas necessidades citadas na 

Descrição de Cargo. 

 
 

IV

.  recrutar pessoas e validar critérios de seleção. 

 
 

Está correto o que consta em 
 
(A) 

I

 e 

III

, apenas. 

 
(B) 

I

 e 

II

, apenas. 

 
(C) 

II

 e 

III

, apenas. 

 
(D) 

III

 e 

IV

, apenas. 

 
(E) 

I

II

 e 

IV

Caderno de Prova ’C03’, Tipo 001

fcc-2014-trt-19-regiao-al-analista-judiciario-area-administrativa-prova.pdf-html.html

 

TRT19-An.Jud.-Administrativa-C03

 

13 

 

DISCURSIVA-REDAÇÃO 

Atenção: 
−  Deverão ser rigorosamente observados os limites mínimo de 20 linhas e máximo de 30 linhas. 

−  Conforme Edital do Concurso, será atribuída nota ZERO à Prova Discursiva-Redação que for assinada, na folha de respostas definitiva, fora do campo de 

assinatura do candidato, ou apresentar qualquer sinal que, de alguma forma, possibilite a identificação do candidato. 

−  NÃO é necessária a colocação de Título na Prova Discursiva-Redação. 

−  Em hipótese alguma o rascunho elaborado pelo candidato será considerado na correção da Prova Discursiva-Redação. 

−  A Prova Discursiva-Redação terá caráter eliminatório e classificatório e será avaliada na escala de 0 (zero) a 100 (cem) pontos, considerando-se habilitado o 

candidato que nela obtiver nota igual ou superior a 50 (cinquenta). 

   

 
 
 
 
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

A partir dos textos acima, redija um texto dissertativo-argumentativo a respeito do seguinte tema: 

 

A distinção entre os interesses coletivos e os individuais na elaboração da memória pública 

 

 

Texto 

I

 

 

Para alguns, a polêmica suscitada pelo projeto de lei que propõe acabar com a necessidade de 

autorização prévia para a publicação de biografias esbarra no art. 5

o

, inciso 

X

, da Constituição Federal de 

1988, segundo o qual "são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, 
assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação”. 

 

Texto

 II 

 

O historiador anda sempre às voltas com a linha difusa entre resgatar a experiência dos que 

viveram os fatos, reconhecer nessa experiência seu caráter quebradiço e inconcluso, interpelar seu 
sentido. Escrever sobre uma vida implica interrogar o que os episódios de um destino pessoal têm a dizer 
sobre as coisas públicas, sobre o mundo e o tempo em que vivemos. 

(Adaptado de: STARLING, Heloisa e SCHWARCZ, Lilia Maritz. Disponível em 
www1.folhareal.com.br/ilustrissima/2013

Caderno de Prova ’C03’, Tipo 001