Prova Concurso - Administração - 2015-SAEG-ANALISTA-DE-SERVICOS-ADMINISTRATIVOS-SERVICO-SOCIAL - VUNESP - SAEG - 2015

Prova - Administração - 2015-SAEG-ANALISTA-DE-SERVICOS-ADMINISTRATIVOS-SERVICO-SOCIAL - VUNESP - SAEG - 2015

Detalhes

Profissão: Administração
Cargo: 2015-SAEG-ANALISTA-DE-SERVICOS-ADMINISTRATIVOS-SERVICO-SOCIAL
Órgão: SAEG
Banca: VUNESP
Ano: 2015
Nível: Superior

Downloads dos Arquivos

prova.pdf
gabarito.pdf

Provas relacionadas

AGENTE-ADMINISTRATIVO-PREVIDENCIARIOCONCURSOS2018
ASSISTENTE-DE-ADMINISTRACAOFUNPAPA2018
AUXILIAR-DE-ADMINISTRACAOFUNPAPA2018

Gabarito

vunesp-2015-saeg-analista-de-servicos-administrativos-servico-social-gabarito.pdf-html.html

SGUA1401                                                                                                       1 

 

Concurso Público 

20.09.2015 

001. PROVA OBJETIVA 

Assistente de Serviços Administrativos – Almoxarife 

1 - C 

2 - B 

3 - A 

4 - E 

5 - C 

6 - E 

7 - B 

8 - A 

9 - C 

10 - D 

11 - D 

12 - C 

13 - E 

14 - E 

15 - B 

16 - C 

17 - D 

18 - A 

19 - A 

20 - B 

21 - B 

22 - D 

23 - B 

24 - C 

25 - A 

26 - E 

27 - D 

28 - C 

29 - B 

30 - D 

31 - C 

32 - B 

33 - D 

34 - B 

35 - A 

36 - B 

37 - E 

38 - C 

39 - A 

40 - D 

41 - A 

42 - D 

43 - E 

44 - E 

45 - D 

46 - C 

47 - C 

48 - B 

49 - E 

50 - A 

 

002. PROVA OBJETIVA 

Assistente de Serviços de Saneamento – Atendimento ao Público 

1 - C 

2 - B 

3 - B 

4 - A 

5 - E 

6 - D 

7 - C 

8 - E 

9 - B 

10 - D 

11 - A 

12 - C 

13 - D 

14 - D 

15 - B 

16 - D 

17 - C 

18 - E 

19 - E 

20 - B 

21 - C 

22 - D 

23 - A 

24 - A 

25 - B 

26 - C 

27 - D 

28 - A 

29 - B 

30 - E 

31 - D 

32 - B 

33 - A 

34 - D 

35 - C 

36 - E 

37 - B 

38 - E 

39 - C 

40 - A 

41 - E 

42 - A 

43 - D 

44 - B 

45 - C 

46 - B 

47 - A 

48 - D 

49 - E 

50 - C 

 

003. PROVA OBJETIVA 

Auxiliar de Serviços Administrativos – Financeiro 

1 - C 

2 - B 

3 - B 

4 - A 

5 - E 

6 - D 

7 - C 

8 - E 

9 - B 

10 - D 

11 - A 

12 - C 

13 - D 

14 - D 

15 - B 

16 - D 

17 - C 

18 - E 

19 - E 

20 - B 

21 - C 

22 - D 

23 - A 

24 - A 

25 - B 

26 - C 

27 - D 

28 - A 

29 - B 

30 - E 

31 - B 

32 - D 

33 - B 

34 - C 

35 - A 

36 - E 

37 - D 

38 - C 

39 - B 

40 - D 

41 - B 

42 - E 

43 - A 

44 - C 

45 - B 

46 - C 

47 - A 

48 - B 

49 - B 

50 - D 

 

004. PROVA OBJETIVA 

Desenhista/Projetista 

1 - C 

2 - B 

3 - A 

4 - E 

5 - C 

6 - E 

7 - B 

8 - A 

9 - C 

10 - D 

11 - D 

12 - C 

13 - E 

14 - E 

15 - B 

16 - C 

17 - D 

18 - A 

19 - A 

20 - B 

21 - B 

22 - D 

23 - B 

24 - C 

25 - A 

26 - E 

27 - D 

28 - C 

29 - B 

30 - D 

31 - E 

32 - B 

33 - A 

34 - B 

35 - A 

36 - D 

37 - C 

38 - A 

39 - E 

40 - D 

41 - C 

42 - E 

43 - C 

44 - B 

45 - D 

46 - A 

47 - D 

48 - B 

49 - C 

50 - E 

vunesp-2015-saeg-analista-de-servicos-administrativos-servico-social-gabarito.pdf-html.html

SGUA1401                                                                                                       2 

005. PROVA OBJETIVA 

Técnico em Saneamento – Estação de Tratamento de Água 

1 - C 

2 - B 

3 - A 

4 - E 

5 - C 

6 - E 

7 - B 

8 - A 

9 - C 

10 - D 

11 - D 

12 - C 

13 - E 

14 - E 

15 - B 

16 - C 

17 - D 

18 - A 

19 - A 

20 - B 

21 - B 

22 - D 

23 - B 

24 - C 

25 - A 

26 - E 

27 - D 

28 - C 

29 - B 

30 - D 

31 - D 

32 - D 

33 - E 

34 - B 

35 - E 

36 - A 

37 - C 

38 - B 

39 - E 

40 - A 

41 - C 

42 - D 

43 - E 

44 - B 

45 - A 

46 - E 

47 - B 

48 - B 

49 - C 

50 - B 

 

006. PROVA OBJETIVA 

Advogado 

1 - C 

2 - A 

3 - B 

4 - A 

5 - E 

6 - D 

7 - B 

8 - C 

9 - D 

10 - E 

11 - C 

12 - A 

13 - B 

14 - D 

15 - A 

16 - E 

17 - A 

18 - E 

19 - D 

20 - C 

21 - B 

22 - D 

23 - A 

24 - B 

25 - A 

26 - A 

27 - E 

28 - A 

29 - C 

30 - A 

31 - E 

32 - D 

33 - B 

34 - C 

35 - E 

36 - C 

37 - D 

38 - B 

39 - C 

40 - E 

41 - D 

42 - A 

43 - A 

44 - E 

45 - D 

46 - D 

47 - A 

48 - C 

49 - C 

50 - D 

51 - E 

52 - C 

53 - E 

54 - A 

55 - C 

56 - D 

57 - D 

58 - C 

59 - E 

60 - B 

61 - C 

62 - D 

63 - C 

64 - A 

65 - E 

66 - D 

67 - B 

68 - A 

69 - E 

70 - B 

71 - C 

72 - D 

73 - C 

74 - D 

75 - E 

76 - C 

77 - A 

78 - B 

79 - A 

80 - D 

 

007. PROVA OBJETIVA 

Analista de Serviços Administrativos – Administração de Pessoal/Recursos Humanos 

1 - C 

2 - A 

3 - B 

4 - A 

5 - E 

6 - D 

7 - B 

8 - C 

9 - D 

10 - E 

11 - D 

12 - C 

13 - C 

14 - B 

15 - A 

16 - E 

17 - D 

18 - B 

19 - A 

20 - E 

21 - C 

22 - E 

23 - B 

24 - D 

25 - B 

26 - B 

27 - C 

28 - E 

29 - A 

30 - A 

31 - C 

32 - D 

33 - A 

34 - E 

35 - B 

36 - C 

37 - B 

38 - D 

39 - A 

40 - E 

41 - D 

42 - B 

43 - C 

44 - E 

45 - A 

46 - D 

47 - C 

48 - E 

49 - A 

50 - B 

51 - A 

52 - C 

53 - D 

54 - E 

55 - B 

56 - C 

57 - A 

58 - E 

59 - B 

60 - D 

 

008. PROVA OBJETIVA 

Analista de Serviços Administrativos – Comprador 

1 - C 

2 - A 

3 - B 

4 - A 

5 - E 

6 - D 

7 - B 

8 - C 

9 - D 

10 - E 

11 - D 

12 - C 

13 - C 

14 - B 

15 - A 

16 - E 

17 - D 

18 - B 

19 - A 

20 - E 

21 - C 

22 - E 

23 - B 

24 - D 

25 - B 

26 - B 

27 - C 

28 - E 

29 - A 

30 - A 

31 - A 

32 - B 

33 - E 

34 - D 

35 - B 

36 - B 

37 - E 

38 - C 

39 - A 

40 - D 

41 - C 

42 - E 

43 - D 

44 - E 

45 - A 

46 - D 

47 - B 

48 - B 

49 - C 

50 - B 

51 - C 

52 - A 

53 - D 

54 - E 

55 - E 

56 - C 

57 - C 

58 - A 

59 - E 

60 - D 

 

vunesp-2015-saeg-analista-de-servicos-administrativos-servico-social-gabarito.pdf-html.html

SGUA1401                                                                                                       3 

009. PROVA OBJETIVA 

Analista de Serviços Administrativos – Contábil/Financeiro 

1 - C 

2 - A 

3 - B 

4 - A 

5 - E 

6 - D 

7 - B 

8 - C 

9 - D 

10 - E 

11 - D 

12 - C 

13 - C 

14 - B 

15 - A 

16 - E 

17 - D 

18 - B 

19 - A 

20 - E 

21 - C 

22 - E 

23 - B 

24 - D 

25 - B 

26 - B 

27 - C 

28 - E 

29 - A 

30 - A 

31 - D 

32 - C 

33 - A 

34 - C 

35 - A 

36 - E 

37 - A 

38 - D 

39 - D 

40 - C 

41 - B 

42 - B 

43 - B 

44 - D 

45 - B 

46 - B 

47 - C 

48 - D 

49 - D 

50 - A 

51 - E 

52 - C 

53 - E 

54 - A 

55 - C 

56 - E 

57 - E 

58 - E 

59 - B 

60 - A 

 

010. PROVA OBJETIVA 

Analista de Serviços Administrativos – Serviço Social 

1 - C 

2 - A 

3 - B 

4 - A 

5 - E 

6 - D 

7 - B 

8 - C 

9 - D 

10 - E 

11 - D 

12 - C 

13 - C 

14 - B 

15 - A 

16 - E 

17 - D 

18 - B 

19 - A 

20 - E 

21 - C 

22 - E 

23 - B 

24 - D 

25 - B 

26 - B 

27 - C 

28 - E 

29 - A 

30 - A 

31 - D 

32 - A 

33 - E 

34 - C 

35 - A 

36 - B 

37 - D 

38 - C 

39 - E 

40 - A 

41 - B 

42 - D 

43 - C 

44 - B 

45 - E 

46 - C 

47 - A 

48 - D 

49 - B 

50 - E 

51 - C 

52 - D 

53 - B 

54 - A 

55 - C 

56 - E 

57 - D 

58 - B 

59 - A 

60 - D 

 

011. PROVA OBJETIVA 

Analista de Serviços Administrativos – Tecnologia da Informação 

1 - C 

2 - A 

3 - B 

4 - A 

5 - E 

6 - D 

7 - B 

8 - C 

9 - D 

10 - E 

11 - D 

12 - C 

13 - C 

14 - B 

15 - A 

16 - E 

17 - D 

18 - B 

19 - A 

20 - E 

21 - C 

22 - E 

23 - B 

24 - D 

25 - B 

26 - A 

27 - D 

28 - E 

29 - C 

30 - B 

31 - C 

32 - E 

33 - E 

34 - B 

35 - E 

36 - A 

37 - B 

38 - B 

39 - C 

40 - A 

41 - C 

42 - E 

43 - A 

44 - E 

45 - A 

46 - D 

47 - D 

48 - B 

49 - D 

50 - B 

51 - A 

52 - C 

53 - B 

54 - D 

55 - E 

56 - D 

57 - C 

58 - C 

59 - A 

60 - D 

 

012. PROVA OBJETIVA 

Engenheiro – Abastecimento/Planejamento 

1 - C 

2 - A 

3 - B 

4 - A 

5 - E 

6 - D 

7 - B 

8 - C 

9 - D 

10 - E 

11 - D 

12 - C 

13 - C 

14 - B 

15 - A 

16 - E 

17 - D 

18 - B 

19 - A 

20 - E 

21 - C 

22 - E 

23 - B 

24 - D 

25 - B 

26 - B 

27 - C 

28 - E 

29 - A 

30 - A 

31 - B 

32 - C 

33 - A 

34 - E 

35 - D 

36 - B 

37 - E 

38 - D 

39 - C 

40 - A 

41 - B 

42 - A 

43 - D 

44 - C 

45 - B 

46 - C 

47 - D 

48 - B 

49 - C 

50 - D 

51 - B 

52 - A 

53 - E 

54 - D 

55 - C 

56 - D 

57 - E 

58 - B 

59 - C 

60 - C 

 

Prova

vunesp-2015-saeg-analista-de-servicos-administrativos-servico-social-prova.pdf-html.html

C

onCurso

 P

úbliCo

010. Prova objetiva

A

nAlistA

 

de

 s

erviços

 A

dministrAtivos

 – s

erviço

 s

oCiAl

 Você recebeu sua folha de respostas e este caderno contendo 60 questões objetivas.

Confiraseusdadosimpressosnacapadestecadernoenafolhaderespostas.

Quandoforpermitidoabrirocaderno,verifiqueseestácompletoouseapresentaimperfeições.Casohajaalgum

problema,informeaofiscaldasala.

Leiacuidadosamentetodasasquestõeseescolhaarespostaquevocêconsideracorreta.

Marque,nafolhaderespostas,comcanetadetintaazuloupreta,aletracorrespondenteàalternativaquevocêescolheu.

Aduraçãodaprovaéde3horase30minutos,jáincluídootempoparaopreenchimentodafolhaderespostas.

Sóserápermitidaasaídadefinitivadasalaedoprédioapóstranscorridos75%dotempodeduraçãodaprova.

Aosair,vocêentregaráaofiscalafolhaderespostaseestecaderno,podendolevarapenasorascunhodegabarito,

localizadoemsuacarteira,parafuturaconferência.

Atéquevocêsaiadoprédio,todasasproibiçõeseorientaçõescontinuamválidas.

A

guArde

 

A

 

ordem

 

do

 

fisCAl

 

PArA

 

Abrir

 

este

 

CAderno

 

de

 

questões

.

20.09.2015|manhã

Nomedocandidato

Prédio

Sala

Carteira

Inscrição

vunesp-2015-saeg-analista-de-servicos-administrativos-servico-social-prova.pdf-html.html

2

sgua1401/010-anservadm-serviçosocial-Manhã

ConheCimentos Gerais

L

íngua

 P

ortuguesa

Leia o texto para responder às questões de números 

01 09.

Não há como não ressaltar a fortíssima repercussão – e 

os aplausos – da encíclica Laudato Si, do papa Francisco, 

principalmente as questões ali relacionadas com meio am-

biente – uma delas, a dos recursos hídricos. Também é insti-

gante verificar a coincidência da encíclica em temas centrais 

– como o da água – com os enunciados na mesma semana 

por um novo documento da Nasa, a agência espacial dos 

Estados Unidos.

Pode-se começar pela questão dos recursos hídricos, 

com base em estudos da Nasa decorrentes de registros 

de satélites (pesquisas de 2003 a 2013). Neles se ressalta 

que “o mundo caminha para a falta de água” e que 21 dos 

37 maiores aquíferos subterrâneos do mundo “estão sendo 

exauridos em níveis alarmantes”, pois a retirada é maior que 

a reposição. E isso acontece simultaneamente com algumas 

das secas mais fortes da história, inclusive nos EUA e no 

Nordeste brasileiro.

A encíclica papal investe pesadamente contra a “crescente 

tendência à privatização” dos recursos hídricos no mundo, 

“apesar de 

sua escassez” – e tendendo a transformá-los “em 

mercadoria, sujeita às leis do mercado” –, o que prejudicaria 

muito os pobres. E a água continua a ser desperdiçada, em 

países ricos e nos menos desenvolvidos. O conjunto de cau-

sas leva a um aumento do custo de alimentos – a ponto de 

vários estudos indicarem um déficit de recursos hídricos em 

poucas décadas –, afetando “bilhões de pessoas”. Além dis-

so, seria admissível pensar que “o controle da água por gran-

des empresas multinacionais de negócios” pode tornar-se 

“um dos fatores mais importantes de conflitos neste século”.

Essas causas podem levar também à dramática perda da 

biodiversidade, que se ressente ainda da ação de produtos 

químicos nas lavouras. Nesse ponto, a encíclica é muito direta 

e dura ao ressaltar que na Amazônia e na bacia do Congo 

“interesses globais, sob pretexto de proteger os negócios,  

podem solapar a soberania das nações”. Já há até – diz o do-

cumento – “propostas de internacionalização da Amazônia, 

que serviriam apenas aos interesses econômicos de corpora-

ções transnacionais”.

A encíclica papal e os estudos da Nasa são dois docu-

mentos que nos põem diante das questões cruciais para a 

humanidade nestes tempos conturbados. Não há como fugir 

a elas em nenhum lugar. Em termos de Brasil, convém que 

prestemos muita atenção a documentos como o da Pesquisa 

Nacional por Amostragem de Municípios, que aponta milhões 

de brasileiros vivendo na miséria e outras dezenas de 

 

milhões abaixo do nível de pobreza. A hora de agir é agora.

(Washington Novaes. O Estado de S. Paulo. 26.06.2015. Adaptado)

01. Lendo-se o texto, conclui-se que o ponto de vista do autor

(A)  constrói-se a partir da apresentação de dados esta-

tísticos, mas sem emitir uma posição definida sobre 

a questão hídrica.

(B)  desenvolve argumentação subjetiva, desvinculada 

das pesquisas sobre recursos hídricos, feitas pelos 

órgãos competentes.

(C)  corrobora a opinião formulada por agentes represen-

tativos de setores diversos, quanto aos problemas 

relativos ao meio ambiente.

(D)  prescinde de um posicionamento claro, pois, limita-

-se a citar documentos inconsistentes sobre o meio 

ambiente.

(E)  defende a ideia de que é preciso contrapor-se às 

conclusões dos cientistas sobre a escassez hídrica 

do planeta.

02. No contexto do último parágrafo, as frases – Não há 

como fugir a elas em nenhum lugar. – e – A hora de agir 

é agora. – contêm afirmações explícitas, mas elas permi-

tem ao leitor inferir, respectivamente, que:

(A)  As questões cruciais da humanidade têm de ser  

encaradas por todos. / Este é o momento de uma 

ação inadiável.

(B)  é melhor atenuar o impacto dos problemas cruciais 

da humanidade. / Avaliar a melhor hora de agir é 

sensato.

(C)  Ainda dá tempo de livrar a humanidade de seus  

graves problemas. / recomenda-se, neste momento, 

agir moderadamente.

(D)  é difícil, neste momento, identificar quais são os  

problemas cruciais da humanidade. / Ou se age agora 

ou se perde a oportunidade.

(E)  Os problemas da humanidade são tantos que é  

melhor ignorá-los. / Deixar para agir depois pode  

trazer danos.

03.  A frase – Os maiores aquíferos subterrâneos estão sendo 

exauridos em níveis alarmantes. – indica que os aquíferos

(A)  proliferam-se assustadoramente.

(B)  esgotam-se inquietantemente.

(C)  esvaem-se paulatinamente.

(D)  normalizam-se eficientemente.

(E)  dissipam-se criteriosamente.

vunesp-2015-saeg-analista-de-servicos-administrativos-servico-social-prova.pdf-html.html

3

sgua1401/010-anservadm-serviçosocial-Manhã

07. reescrevendo-se a frase – A encíclica papal investe con-

tra a tendência à privatização dos recursos hídricos. – 
tem-se versão correta, quanto à regência e ao emprego 
do acento indicativo da crase, em:

(A)  A encíclica papal opõe-se na propensão à privatizar 

os recursos hídricos.

(B)  A encíclica papal opõe-se à propensão a privatizar 

os recursos hídricos.

(C)  A encíclica papal opõe-se à propensão à privatizar 

os recursos hídricos.

(D)  A encíclica papal opõe-se a propensão à privatizar 

os recursos hídricos.

(E)  A encíclica papal opõe-se na propensão a privatizar 

os recursos hídricos.

08. Assinale a alternativa em que a pontuação foi empregada 

de acordo com a norma-padrão.

(A)  Os documentos científicos são, precisos e revelam 

que milhões de brasileiros, vivem na miséria e outras 
dezenas de milhões, abaixo do nível, de pobreza.

(B)  Os documentos científicos, são precisos e revelam 

que, milhões de brasileiros vivem, na miséria e outras 
dezenas de milhões, abaixo, do nível de pobreza.

(C)  Os documentos científicos são precisos e revelam 

que milhões de brasileiros vivem na miséria, e outras 
dezenas de milhões, abaixo do nível de pobreza.

(D)  Os documentos científicos, são precisos e, reve-

lam que, milhões de brasileiros, vivem, na miséria, 
e outras dezenas de milhões, abaixo do nível, de 
pobreza.

(E)  Os documentos científicos são, precisos e reve-

lam que milhões, de brasileiros, vivem na miséria 
e outras dezenas, de milhões, abaixo do nível, de 
pobreza.

04.  Os pronomes sua e los, em destaque no início do terceiro 

parágrafo, estabelecem relação com o termo

(A)  mencionado anteriormente: recursos hídricos.

(B)  explicitado ao final do parágrafo: bilhões de pessoas.

(C)  subentendido: privatização.

(D)  enunciado no começo da frase: encíclica papal.

(E)  citado em seguida: os pobres.

05.  Assinale a alternativa em que as duas frases estão corre-

tas quanto à flexão do verbo e à colocação do pronome 

se.

(A)  Convém que presta-se mais atenção aos documentos 

sobre os recursos hídricos. / é bom que as pessoas 
não distanciem-se das questões ambientais.

(B)  Convém que se preste mais atenção aos documentos 

sobre os recursos hídricos. / é bom que as pessoas 
não distanciam-se das questões ambientais.

(C)  Convém que se presta mais atenção aos documentos 

sobre os recursos hídricos. / é bom que as pessoas 
não se distanciam das questões ambientais.

(D)  Convém que se presta mais atenção aos documentos 

sobre os recursos hídricos. / é bom que as pessoas 
não distanciem-se das questões ambientais.

(E)  Convém que se preste mais atenção aos documentos 

sobre os recursos hídricos. / é bom que as pessoas 
não se distanciem das questões ambientais.

06. Leia as frases a seguir.

O poder e a soberania das nações                por 
interesses globais.
             os estudos da Nasa que o mundo caminha 
para a falta de água.
Já                propostas de internacionalização da 
Amazônia. 

Assinale a alternativa que preenche, correta e respecti-
vamente, as lacunas das frases, de acordo com a norma-
-padrão.

(A)  serão solapadas … ressalta … existe

(B)  será solapada … ressalta … existem

(C)  será solapados … ressaltam … existia

(D)  serão solapados … ressaltam … existem

(E)  serão solapados … ressalta … existem

vunesp-2015-saeg-analista-de-servicos-administrativos-servico-social-prova.pdf-html.html

4

sgua1401/010-anservadm-serviçosocial-Manhã

M

ateMática

11.  A Estação de Tratamento de Água (ETA) da SAEG tem 

capacidade de produção de 1 472,4 metros cúbicos de 

água tratada por hora, o que corresponde, em litros por 

segundo, a
(A)  392.
(B)  397.
(C)  407.
(D)  409.
(E)  411.

12. A tabela a seguir indica a vazão média mensal dos únicos 

quatro reservatórios que abastecem uma cidade. Apenas 

90% da soma dessas vazões já é suficiente para abas-

tecer mensalmente as necessidades da cidade, o que  

implica dizer que há uma margem de folga de 10%.

Reservatório

Vazão média mensal  

(em milhares de m³)

A

35

B

22

C

12

D

11

Em um determinado mês, houve problemas no reser-

vatório A, que parou totalmente de operar. Em caráter 

emergencial, nesse mês, a companhia de abastecimento 

aumentou a vazão dos reservatórios B, C e D em x%,  

e reduziu a margem de folga para 0%, com o objetivo  

de continuar atendendo às necessidades mínimas da  

cidade. Em tais condições, x é igual a
(A)  56.
(B)  58.
(C)  60.
(D)  62.
(E)  64.

13.  Em um painel de controle, há luzes verdes e vermelhas. 

As luzes verdes permanecem 80 segundos apagadas e 

150 segundos acesas, em sequência contínua. As luzes 

vermelhas permanecem 90 segundos apagadas e 100  

segundos acesas, também em sequência contínua. Um 

dia, ocorreu o seguinte episódio: as luzes verdes e verme-

lhas, que estavam acesas, se apagaram simultaneamente 

às 8h00. Nesse dia, o mesmo episódio se repetiu às
(A)  8h 20m 30s.
(B)  9h 06m 30s.
(C)  9h 12m 50s.
(D)  9h 18m 30s.
(E)  9h 21m 50s.

09. relacionando-se a charge a seguir ao texto lido, con-

clui-se que

(www.google.com.br)

     

(A)  a provisão de água no planeta é promissora, de 

acordo com a charge, mas Washington Novaes está 
muito descrente.

(B)  a suspeita de que os aquíferos se esvaziarão é impro-

cedente, como comprovam os elementos da charge.

(C)  a água no planeta é inextinguível, segundo a charge, 

e os países ricos encontrarão um meio de fornecê-la 
às populações pobres.

(D)  a charge sugere controlar o consumo da água, para 

que não se agrave o cenário caótico das condições 
dos recursos hídricos.

(E)  Washington Novaes baseia-se em dados científicos 

e não no potencial hídrico do planeta, demonstrado 
pela charge.

10. Assinale a alternativa em que a palavra água está em-

pregada em sentido figurado.

(A)  Na água lançamos os nossos fétidos esgotos e os 

resíduos de uma produção industrial contaminada.

(B)  A química dos nossos adubos e pesticidas agrícolas, 

os restos daquilo que não queremos mais são lança-
dos na água.

(C)  Se falta água limpa para aplacar nossa sede e cul-

tivar nossos alimentos, falta consciência para zelar, 
preservar e despoluir fontes e reservas.

(D)  As águas subterrâneas guardadas por séculos e  

milênios nós conseguimos poluir: é a poluição invisí-
vel das águas profundas.

(E)  é inaceitável que os países ricos resistam a ado-

tar medidas de proteção ambiental; até que eles se 
conscientizem dessa necessidade, a busca de solu-
ções navegará ainda por águas turvas.

vunesp-2015-saeg-analista-de-servicos-administrativos-servico-social-prova.pdf-html.html

5

sgua1401/010-anservadm-serviçosocial-Manhã

r a s C u n h o

14. Um líquido é vendido em copo, jarra ou balde, com pre-

ço diretamente proporcional à capacidade do recipiente.  

Um copo cheio equivale a 35% de 1 litro. Uma jarra cheia 
tem   de 1 litro. E um balde cheio equivale a 

 de

uma jarra cheia. Se um copo cheio do líquido é vendido 

por r$ 1,25, um balde cheio desse líquido custará
(A)  r$ 16,25.
(B)  r$ 17,50.
(C)  r$ 18,75.
(D)  r$ 19,25.
(E)  r$ 20,00.

15. Valdir trabalha na cozinha de uma empresa e faz para o 

almoço 18 kg de arroz para suprir as necessidades dos 

200 funcionários, sem sobras. recentemente, a empre-

sa contratou 16 novos funcionários, e Valdir aumentou a 

quantidade de arroz proporcionalmente ao novo total de  

funcionários. A estratégia implicou em sobra diária 

 

de 440 g de arroz no almoço. Se nesse período não 

houve variação no consumo médio de arroz dos 200 

funcionários antigos, é correto concluir que o consumo 

médio de arroz, em gramas, de cada funcionário antigo 

supera o de cada funcionário novo em
(A)  27,50.
(B)  28,25.
(C)  28,50.
(D)  70,25.
(E)  72,50.

16. Em uma peça hexagonal ABCDEF, com medidas indica-

das na figura a seguir, BC = FE = x.

Sabendo que a área do polígono que representa essa 

peça é 80 cm², então x, em centímetros, é igual a

(A) 

(B) 

(C) 

(D) 

(E) 

vunesp-2015-saeg-analista-de-servicos-administrativos-servico-social-prova.pdf-html.html

6

sgua1401/010-anservadm-serviçosocial-Manhã

r a s C u n h o

17.  As 5 primeiras colunas de uma planilha de cálculo estão 

sendo usadas em um arquivo da contabilidade de uma 

empresa. Na coluna A, são armazenados números inteiros 

maiores que –3; na coluna D, todas as células são preen-

chidas com o número 1; as colunas B, C e E são alimenta-

das com fórmulas que realizam cálculos com um ou mais 

números já armazenados.

Essa planilha prossegue, com a mesma lógica descrita, 

até uma célula da coluna E em que aparece o número 

755. Sendo assim, o total de células com números dife-

rentes de zero na planilha inteira é igual a
(A)  155.
(B)  148.
(C)  145
(D)  142.
(E)  127.

18. Na figura, ABCD é um quadrado de área igual a 196 cm².  

Como mostra a figura, esse quadrado é formado por  

outros dois quadrados idênticos (em cinza-escuro) e  

três retângulos (dois em cinza-claro e um em branco). 

Os retângulos em cinza-claro são idênticos.

Nas condições descritas, o número de retângulos bran-

cos necessários e suficientes para recobrir por completo o 

quadrado ABCD é igual a
(A)  6.
(B)  7.
(C)  8.
(D)  9.
(E)  10.

vunesp-2015-saeg-analista-de-servicos-administrativos-servico-social-prova.pdf-html.html

7

sgua1401/010-anservadm-serviçosocial-Manhã

r a s C u n h o

19. Usando o raciocínio Lógico, com as letras da palavra 

rESÍDUO pode-se formar um total de 5 040 palavras 
diferentes, não importando se elas tenham ou não sig-
nificado. Se essas palavras forem ordenadas como em 
um dicionário, a primeira será DEÍOrSU, e a 5 040

a

 será 

USrOÍED. Nessa ordenação, a palavra EDÍOUrS será a

(A)  725

a

(B)  724

a

(C)  723

a

(D)  722

a

(E)  721

a

20. renata presta serviço de paisagismo em residências. Ela 

cobra um valor fixo pelo projeto e um valor por hora de 
trabalho para implantá-lo. O gráfico mostra o preço total 
(incluindo o projeto) cobrado por renata em função do 
total de horas que ela leva para implantar o projeto na 
residência do cliente.

Uma cliente decidiu contratar renata apenas para o 
serviço de elaboração do projeto que, de acordo com a 
semirreta indicada no gráfico, custará, em reais,

(A)  600,00.

(B)  605,00.

(C)  610,00.

(D)  615,00.

(E)  620,00.

vunesp-2015-saeg-analista-de-servicos-administrativos-servico-social-prova.pdf-html.html

8

sgua1401/010-anservadm-serviçosocial-Manhã

23. A governadora da Carolina do Sul (EUA) sancionou uma 

lei nesta quinta-feira (9 de julho) para remover perma-

nentemente a bandeira da batalha dos confederados do 

Capitólio do Estado. A bandeira rebelde vai para a “sala 

de relíquias” do museu militar da Carolina do Sul, em 

Columbia, a capital do Estado.

(G1, 09.07.2015.  

Disponível em: <http://goo.gl/EGxqaP> Adaptado)

O que reacendeu a discussão sobre a bandeira confede-

rada nos EUA foi
(A)  a suspeita de que os EUA teriam apoiado o Estado 

Islâmico na luta contra a ditadura síria.

(B)  o assassinato de nove negros por um homem branco 

em uma igreja da comunidade negra no sul dos EUA.

(C)  a crítica radical dos republicanos à assinatura do tra-

tado nuclear entre os EUA e o Irã, contrariando Israel.

(D)  a forte oposição de parte da população branca dos 

EUA à retomada das relações diplomáticas com Cuba.

(E)  a crítica aos mexicanos feita por um dos pré-candi-

datos republicanos à presidência.

24.            José Maria Marin é detido na Suíça

acusado de corrupção

(Opera Mundi, 13.03.2015.  

Disponível em: <http://goo.gl/74ptnw> Adaptado)

Marin foi detido por suspeita de envolvimento no escân-

dalo de corrupção
(A)  investigado pela Operação Zelotes.
(B)  conhecido como a Máfia do ISS (Imposto sobre 

Serviços).

(C)  investigado pela Operação Lava Jato.
(D)  que envolve a FIFA.
(E)  que envolve o banco HSBC.

25. A economia brasileira começa a dar sinais de reação, 

ainda que o andamento de medidas consideradas impor-

tantes pelo governo para cumprir o roteiro do ajuste fiscal 

esteja mais lento do que o esperado inicialmente, afirmou 

hoje o ministro da Fazenda Joaquim Levy.

(O Estado de São Paulo, 17.07.2015.  

Disponível em: <http://goo.gl/Ur5dtI> Adaptado)

Entre as medidas consideradas atrasadas pelo ministro, 

no contexto do recesso do Congresso em julho, estava o 

projeto de lei que
(A)  estabelece uma política regular de redução da taxa 

de juros.

(B)  revê as desonerações sobre a folha de pagamento 

de empresas.

(C)  institui uma política de valorização do salário mínimo 

indexada à inflação.

(D)  impõe metas de superávit fiscal para o governo ao 

longo do ano.

(E)  restringe os gastos do governo com previdência e 

seguridade social.

a

tuaLidades

21. O Parlamento grego aprovou, com o apoio de 250 dos 

300 parlamentares, o programa de reformas apresentado 

na quinta-feira (9 de julho) por Atenas aos credores inter-

nacionais na tentativa de garantir um acordo sobre a dívi-

da do país. Do lado de fora do Parlamento, manifestantes 

expressaram sua indignação com o pacote de medidas, 

que mantém boa parte das demandas dos credores inter-

nacionais rejeitadas por 61% da população no plebiscito 

do último domingo (5 de julho). 

(EBC, 10.07.2015.  

Disponível em: <http://goo.gl/CwbWWA> Adaptado)

Entre as medidas questionadas por parte da população e 

aprovadas pelo Parlamento grego está

(A)  a saída da Grécia da União Europeia.

(B)  o não pagamento da dívida externa.

(C)  o aumento de impostos.

(D)  o fechamento temporário dos bancos.

(E)  o estabelecimento de limites para saques em dinheiro.

22.         Com novo projeto, Senado deve travar

redução da maioridade penal

(Folha de S.Paulo, 16.07.2015.  

Disponível em: <http://goo.gl/WCYQWZ> Adaptado)

O projeto aprovado pelo Senado como alternativa à redu-

ção da maioridade penal estabelece

(A)  a reforma do ECA, transformando as medidas socio-

educativas em medidas punitivas.

(B)  o endurecimento do tratamento conferido aos jovens 

pelas autoridades policiais.

(C)  a responsabilização penal dos pais ou responsáveis 

nos crimes cometidos por menores.

(D)  a prisão em cela de segurança máxima para adultos 

que envolverem menores em seus crimes.

(E)  a ampliação do tempo de internação de jovens infra-

tores para até dez anos.

vunesp-2015-saeg-analista-de-servicos-administrativos-servico-social-prova.pdf-html.html

9

sgua1401/010-anservadm-serviçosocial-Manhã

28. Ao imprimir um documento de 2 páginas no MS-Word 

2010, percebe-se que há apenas duas linhas na última 

página. Para evitar desperdício de papel, é recomendado 

reduzir o tamanho da fonte do texto, apenas o necessário, 

para que o seu conteúdo caiba em 1 página. Assinale a 

alternativa que contém o recurso que permite reduzir o 

documento para uma página.

(A)  reduzir para Caber.

(B)  reduzir para Ajustar.

(C)  resumir para Caber.

(D)  resumir para Ajustar.

(E)  reduzir uma Página.

29.  O procedimento correto para enviar um e-mail para três 

pessoas, de modo que cada uma delas consiga ver apenas 

o seu próprio endereço de e-mail e o do remetente é

(A)  incluir os três endereços de e-mail como CCO.

(B)  incluir os três endereços de e-mail como CC.

(C)  incluir um endereço de e-mail como Destinatário e os 

demais como CC.

(D)  incluir um endereço de e-mail como Destinatário e os 

demais como CCO.

(E)  incluir os três endereços de e-mail como Destinatário 

e como CC.

30. Observe a figura a seguir, extraída do MS-PowerPoint 

2010, em sua configuração padrão.

O nome do recurso utilizado para gerar o conteúdo desse 

slide é

(A)  SmartArt, do grupo de Ilustrações, da guia Inserir.

(B)  Formas, do grupo de Ilustrações, da guia Inserir.

(C)  Gráficos, do grupo de Ilustrações, da guia Inserir.

(D)  WordArt, do grupo de Ilustrações, da guia Inserir.

(E)  Estilo, do grupo de WordArt, da guia Formatar.

n

oções

 

de

 i

nforMática

26. Para abrir uma página da internet em uma nova aba no 

navegador MS-Internet Explorer, em sua configuração 

padrão, deve-se clicar no link correspondente a página 

desejada segurando, no teclado, a(s) tecla(as):

(A)  Shift

(B)  Ctrl

(C)  Alt

(D)  Shift+Alt

(E)  Ctrl+Alt

27. As figuras a seguir foram extraídas do MS-Excel 2010, 

em sua configuração padrão, e apresentam uma tabela 

em dois momentos: ANTES e DEPOIS da utilização de 

um recurso do grupo Alinhamento, da guia Página Inicial.

ANTES

DEPOIS

Assinale a alternativa que contém o nome do recurso uti-

lizado entre os dois momentos, ANTES e DEPOIS, res-

ponsável por agrupar as três primeiras células da primeira 

linha em apenas uma célula.

(A)  Mesclar.

(B)  Agrupar.

(C)  Mesclar e Centralizar.

(D)  Agrupar e Centralizar.

(E)  Agrupar Através.

vunesp-2015-saeg-analista-de-servicos-administrativos-servico-social-prova.pdf-html.html

10

sgua1401/010-anservadm-serviçosocial-Manhã

33. No Brasil, o retorno ao Estado de Direito, em 1985, traz 

um novo alento à profissão, principalmente com a Cons-

tituição, em 1988, que incorpora o ideário dos direitos 

s ociais, definindo, no plano constitucional, uma pers-

pectiva de valores éticos, caros aos assistentes s ociais. 

Nesse contexto, a intervenção profissional volta-se para 

a implementação das políticas nacionais. O trabalho 

d esenvolvido pelos assistentes sociais nas esferas de 

formulação, gestão e execução da política social é peça 

importante para o processo de institucionalização das 

p olíticas p úblicas, tanto para a afirmação da lógica da 

g arantia dos direitos sociais, como para a consoli dação 

do projeto ético-político da profissão. Portanto, para a 

profissão, o enfrentamento dos desafios nessa área tor-

na-se uma questão fundamental para sua legitimi dade 

ética, teórica e
(A)  humana.
(B)  solidária.
(C)  estrutural.
(D)  legal.
(E)  técnica.

34. No processo de investigação social, o trabalho de cam-

po permite obter informações e conhecimentos sobre um 

objeto de estudo ou uma hipótese de pesquisa. Em geral, 

os investigadores utilizam vários instrumentos: entrevis-

tas estruturadas, semi-estruturadas, observação, coleta 

de material documental e outros. Esta etapa se constitui 

uma das fases mais importantes da pesquisa, pois permi-

te a produção de dados primários e a captação de outros 

materiais que balizam a dimensão e
(A)  a profundidade do tema.
(B)  a revisão bibliográfica.
(C)  o sentido das atividades.
(D)  a qualidade da ação.
(E)  a oportunidade da proposta.

35. Se o assistente social quer produzir práticas sociais que 

tenham a dimensão do coletivo, é necessário que dia-

logue com os saberes múltiplos; o dado numérico em 

si instrumentaliza os profissionais, mas não equipa os 

a ssistentes sociais para trabalhar com o real em movi-

mento. A pesquisa qualitativa possui sentido social por-

que trabalha com significados de vivências e, portanto, 

deve retornar ao sujeito. Aspectos importantes da pes-

quisa qualitativa dizem respeito ao seu caráter inovador, 

à sua dimensão política e, por ser um exercício político 

e uma construção coletiva, não se coloca como algo her-

mético. A relação entre pesquisa quantitativa e qualitativa 

não é de oposição, mas de
(A)  complementaridade e articulação.
(B)  objetividade e compensação.
(C)  dependência e exclusão.
(D)  autonomia e subordinação.
(E)  subjetividade e mensuração.

ConheCimentos esPeCífiCos

31. Historicamente o Serviço Social foi considerado vocação, 

habilidade, ocupação, ofício ou até mesmo arte. Atual-

mente é reconhecido como profissão, uma especializa-

ção do trabalho coletivo, inscrita na divisão social e técni-

ca do trabalho, de nível superior, regulamentada no Brasil 

pela Lei n

o

 8.662, de 7 de junho de 1993. Embora não 

tendo atingido o patamar de “ciência”, o Serviço S ocial 

conseguiu se constituir como uma área de produção de 

conhecimentos, inserida na grande área de Ciências 

S ociais Aplicadas. A finalidade do trabalho do assisten-

te social está voltada para a intervenção nas diferentes 

m anifestações da questão social com vistas a contribuir 

com a redução das desigualdades e injustiças sociais, 

como também fortalecer os processos de resistências 

dos sujeitos, na perspectiva da democratização, autono-

mia dos sujeitos e

(A)  do seu pleno reconhecimento.

(B)  de sua valorização profissional.

(C)  de sua ascensão social.

(D)  do seu acesso a direitos.

(E)  de sua reinserção laboral.

32. Na perspectiva do Código de ética Profissional dos  

Assistentes Sociais, a ética e os valores são concebidos 

como produtos da práxis. Na práxis, a objetivação do 

trabalho propicia o desenvolvimento de certas capacida-

des que instituem um novo ser, diverso de outros s eres 

existentes na natureza: um ser social, capaz de agir 

conscientemente, de forma livre e universal. Esse ser é 

um ser da práxis, pois por meio do trabalho transforma 

conscientemente a natureza e a si mesmo, responde a 

necessidades, cria alternativas, institui a possibilidade de 

escolher entre elas e produz socialmente um resultado 

concreto que amplia suas capacidades, criando novas 

a lternativas, gestando, com isso, condições objetivas 

para

(A)  o exercício da liberdade.

(B)  a consolidação da utopia.

(C)  a ampliação da isonomia.

(D)  a propagação da ideologia.

(E)  a emancipação da sociedade.

vunesp-2015-saeg-analista-de-servicos-administrativos-servico-social-prova.pdf-html.html

11

sgua1401/010-anservadm-serviçosocial-Manhã

39. A Política Nacional do Idoso, Lei n

o

 8.842/1994, tem por 

objetivo assegurar os direitos sociais do idoso, criando 

condições para promover sua autonomia, integração e 

participação efetiva na sociedade. Conforme o artigo 4

o

V, dessa Lei, é correto destacar que estão entre as dire-

trizes dessa política:

(A)  considerar o processo de envelhecimento como 

 

objeto de estudo e produção de conhecimento que 

dizem respeito à s ociedade em geral.

(B)  o idoso deve ser o principal agente e o destinatá-

rio das transformações a serem efetivadas por meio 

dessa política.

(C)  deverão ser observadas pelos poderes públicos e 

pela sociedade, na aplicação dessa Lei, as diferen-

ças econômicas, sociais e regionais entre o meio  

rural e o urbano do Brasil.

(D)  é vedada qualquer forma de discriminação do idoso, 

em qualquer circunstância, sob pena de prisão do 

autor da ofensa.

(E)  a capacitação e reciclagem dos recursos humanos 

nas áreas de geriatria e gerontologia e na prestação 

de serviços.

40. São várias as normativas que orientam e definem a  

atua ção do Assistente Social. Conforme estabelece o 

a rtigo  2

o

 da resolução CFESS n

o

 557/2009, que dispõe 

sobre a emissão de pareceres, laudos, opiniões técnicas 

conjuntos entre o assistente social e outros profissionais, 

o assistente social, ao fazê-lo, a respeito de matéria de 

Serviço Social, deve atuar com ampla autonomia, respei-

tadas as normas legais, técnicas e éticas de sua profis-

são, e em consonância com a Lei n

o

 8.662/93, não estan-

do obrigado a prestar serviços incompatíveis com

(A)  suas competências e atribuições.

(B)  sua ética e disposição.

(C)  sua postura e proposição.

(D)  suas possibilidades e atenção.

(E)  suas habilidades e aptidões.

36. A entrevista é um instrumento frequentemente utilizado 

pelos assistentes sociais. Vista como um instrumento 

de e stímulo à reflexão, a entrevista deve priorizar uma 

e scuta silenciosa da população, sucedida por uma suma-

rização pelo profissional daquilo que ele compreendeu, 

dando, assim, a oportunidade à população de confirmar 

ou refazer a impressão do profissional e repensar sobre 

o que ela mesma disse. Enfim, deve-se deixar o usuário 

discorrer sobre questões conflituosas, cabendo ao pro-

fissional aprofundar as questões trazidas, trabalhando 

os diversos aspectos que perpassam aquela situação. 

Para isso, é necessária uma postura de problematiza-

ção, de crítica e reflexão em relação ao saber trazido  

pela população, oferecendo, às situações por ela apre-

sentadas,

(A)  uma crítica construtiva e convincente.

(B)  uma contribuição teórica.

(C)  a atitude mais adequada institucionalmente.

(D)  uma possibilidade imediata de solução do problema.

(E)  a sobreposição do seu saber profissional.

37. Entre os tipos de pesquisa qualitativa, o Estudo de Caso 

é um dos mais relevantes. Nesta modalidade de pesqui-

sa qualitativa, na qual nem as hipóteses nem os esque-

mas de inquisição estão estabelecidos a priori, a comple-

xidade do exame aumenta à medida que se aprofunda 

no assunto. Aspecto importante refere-se à possibili-

dad e de efetuar o Estudo Comparativo de Casos; nestas 

s ituações, é correto afirmar que o enfoque comparativo 

e nriquece a pesquisa qualitativa, especialmente se ele se 

realiza do ponto de vista

(A)  socioindividual.

(B)  humano-histórico.

(C)  técnico-instrumental.

(D)  histórico-estrutural.

(E)  pedagógico-integral.

38. A dependência química não se constitui em um pro-

blema isolado, que foge às determinações da questão 

s ocial. Aos assistentes sociais que atuam nessa área 

cabe intervir frente às expressões sociais da questão 

social, buscando, com consciência, no âmbito das pos-

sibilidades e limites da intervenção profissional, contri-

buir para que os indivíduos já vitimizados por uma polí-

tica econômica-cultural e social excludente, possam (re) 

construir seus espaços de

(A)  luta e progresso.

(B)  recuperação e cura.

(C)  autonomia e decisão.

(D)  saúde e bem-estar.

(E)  realização e sucesso.

vunesp-2015-saeg-analista-de-servicos-administrativos-servico-social-prova.pdf-html.html

12

sgua1401/010-anservadm-serviçosocial-Manhã

44. é no cotidiano profissional que o assistente social se 

d epara com demandas e interesses contraditórios e com 

um leque de possibilidades, o que lhe permite exercitar a 

sua autonomia, que sempre será relativa. Ao fazer suas 

escolhas, no que se refere às finalidades estabelecidas, 

aos meios para alcançá-las e às respostas profissionais, 

o assistente social exerce sua dimensão ético-política, a 

qual se preocupa com os valores e com

(A)  a perspectiva metodológica profissional.

(B)  a sua direção social.

(C)  a adequação do instrumental técnico.

(D)  o componente tecnicista do social.

(E)  a tendência sistêmica da profissão.

45. A documentação tem a importante tarefa de oferecer  

subsídios para a análise e a intervenção do Serviço 

S ocial na realidade. é parte da sistematização de dados 

para o desenvolvimento teórico-prático profissional. São 

vários tipos de documentação que podem ser utilizados 

no cotidiano profissional do Assistente Social. Dentre 

eles, pode-se destacar o “Parecer Social” compreendido 

como a exposição e manifestação sucinta, que enfoca 

objetivamente a questão ou situação social analisada por 

meio do estudo social, com uma finalização de caráter

(A)  humano e simples.

(B)  autônomo ou genérico.

(C)  técnico e positivo.

(D)  isento e específico.

(E)  conclusivo ou indicativo.

46. A pretensão de superar a fragmentação do conheci-

mento por meio de uma reordenação epistêmica, mas 

sem o pressuposto da dependência ontológica do saber 

em relação ao mundo objetivo e sem buscar a origem, a 

n atureza e a função social do processo de fragmentação, 

tanto material quanto intelectual, e sem a superação da 

perspectiva moderna da cientificidade, pode ser muit o 

atraente, porém é inteiramente equivocada e f adada 

ao insucesso. Não é a soma de partes justapostas que 

produz um conhecimento totalizante. Este só pode 

ser produzido a partir de fundamentos metodológicos  

radicalmente diversos daqueles que embasam a pers-

pectiva da cientificidade moderna. Estes fundamentos 

implicam uma teoria geral do ser social e têm a sua  

chav e mestra na

(A)  compreensão dos fragmentos da teoria.

(B)  hermenêutica da dialética da simplicidade.

(C)  categoria ontológica da totalidade.

(D)  expressão mais concreta do pensamento humano.

(E)  transmissão do saber sociologicamente construído.

41. Os dois grandes pilares normativos que regulamen-

tam a profissão do assistente social no Brasil são a Lei  

n

o

 8.662/1993 e o Código de ética Profissional. A Lei de 

regu lamentação da Profissão, no seu artigo 2

o

, estabelece 

que a profissão será exercida por aqueles que possuam o 

diploma de graduação em Serviço Social, oficialmente re-

conhecido e devidamente registrado no órgão competente.  

Os artigos 4

o

 e 5

o

 também merecem destaque, referin-

do-se, respectivamente, às competências e às atribui-

ções privativas do assistente social. As competências 

referem-se a qualificações profissionais de âmbito geral. 

As atribuições privativas, por sua vez, são competências 

exclusivas do assistente social, decorrentes, especifica-

mente, de sua qualificação profissional. A rigor, todas as 

13 atribuições privativas definidas no artigo 5

o

 da citada 

Lei preservam
(A)  a metodologia de ação.
(B)  o espaço ocupacional.
(C)  o controle social.
(D)  a tendência ideológica do profissional.
(E)  a opção técnico-operativa.

42. A importância de se refletir sobre a ética deve-se ao fato 

de que ética e moral permeiam a conduta do ser humano 

nas relações sociais, bem como a conduta profissional. 

Dentre os direitos do assistente social previstos no artigo 

2

o

,c, do Código de ética do Assistente Social, destaca-se 

como correto:
(A)  desempenhar suas atividades profissionais, com efi-

ciência e responsabilidade, observando a legislação 

em vigor.

(B)  informar a população usuária sobre a utilização de 

materiais de registro a elas referentes e a forma de 

sistematização dos dados obtidos.

(C)  contribuir para a viabilização da participação efetiva 

da população usuária nas decisões institucionais.

(D)  participar na elaboração e no gerenciamento das 

p olíticas sociais e na formulação e implementação 

de programas sociais.

(E)  esclarecer aos/às usuários/as, ao iniciar o trabalho, 

sobre os objetivos e a amplitude de sua atuação pro-

fissional.

43. A fenomenologia é o estudo das essências; e todos os 

problemas, nesta perspectiva, tornam a definir essên-

cias, como por exemplo: a e ssência da percepção, a es-

sência da consciência. A fenomenologia representa uma 

tendência filosófica que, inclusive, questionou os conhe-

cimentos do positivismo, elevando a importância do su-

jeito no processo
(A)  da formulação do pensamento materialista filosófico.
(B)  de aferição de resultados ontológicos do ser.
(C)  da construção do conhecimento.
(D)  da definição do problema de pesquisas quantitativas.
(E)  de elaboração dos fundamentos da sociedade 

burguesa.

vunesp-2015-saeg-analista-de-servicos-administrativos-servico-social-prova.pdf-html.html

13

sgua1401/010-anservadm-serviçosocial-Manhã

49. No Brasil, a expressão controle social tem sido utilizada 

como sinônimo de controle da sociedade civil sobre as 

ações do Estado, especificamente no campo das políti-

cas sociais, desde o período da redemocratização dos 

anos 1980. Com o surgimento dos movimentos sociais 

contrários aos governos autoritários e a efervescência 

política que provocou o processo de redemocratização 

do país, criou-se um contraponto entre um Estado ditato-

rial e uma sociedade civil que buscava mudanças. Esse 

contexto caracterizou uma pseudodicotomia entre Esta-

do e sociedade civil e uma pseudo-homogeneização des-

sa última, como se ela fosse composta unicamente por 

setores progressistas ou

(A)  por coletivos das manifestações públicas.

(B)  pelas classes subalternas.

(C)  por representantes da política nacional.

(D)  pela burguesia.

(E)  por grupos mercantis da sociedade.

50. Na política de assistência social, nos marcos da implan-

tação do SUAS - Sistema Único da Assistência Social, 

em todo o território nacional, verifica-se também a ado-

ção, pelos estados e municípios, de variadas modalida-

des de terceirização, pela mediação de empresas ou de 

ONGs, na contratação de profissionais ou na prestação 

de serviços socioassistenciais. O que é mais grave nessa 

dinâmica de terceirização dos serviços públicos é que se 

trata de um mecanismo que obscurece a responsabili-

dade do Estado perante seus cidadãos,

(A)  comprometendo um novo campo de políticas sociais.

(B)  dificultando a intersecção socioassistencial.

(C)  discriminando os usuários dos serviços públicos.

(D)  rompendo com os programas e benefícios.

(E)  operando a cisão entre serviço e direito.

51. A Educação Infantil em creches ou instituições equivalen-

tes (crianças de 0 a 3 anos) e em pré-escolas (crianças 

de 4 a 6 anos) tem, atualmente, reconhecida a sua impor-

tância como integrante dos sistemas de ensino. O núme-

ro de matrículas na Educação Infantil vem aumentando 

gradativamente. Esse aumento concentra-se mais nas 

instituições públicas municipais, devido à maior pressão 

da demanda sobre a esfera que está mais próxima das 

famílias e em decorrência da responsabilidade constitu-

cional dos municípios com relação a esse nível educa-

cional. é correto afirmar que a frequência às instituições 

de educação infantil

(A)  é compulsória, caso a mãe exerça atividade labo-

rativa.

(B)  é uma oferta compensatória de serviços.

(C)  é opção da família e direito da criança.

(D)  garante o necessário cuidado à criança.

(E)  assegura acesso universal da faixa de 0 a 6 anos às 

políticas públicas.

47. O Planejamento Social pode ser entendido como fer-

ramenta de trabalho, como processo lógico, político e 

administrativo, como instrumento que busca racionalizar 

e dar direção para redefinições futuras de organizações, 

políticas sociais, setores ou atividades e como mediação 

entre a burocracia e as condições objetivas para efetiva-

ção de direitos. Considerando suas dimensões sócio-his-

tórica, técnico-operativa e ético-política, asseguradoras 

de seu caráter transformador, o planejamento social tem 

como finalidades imprimir dinamicidade, organicidade e  

concretude à política, ao funcionamento institucional e 

à intervenção profissional, promover o controle social  

e monitorar e avaliar sistematicamente a política e o exer-

cício profissional cotidiano, na perspectiva

(A)  prático-crítica.

(B)  instrumental-inclusiva.

(C)  orgânica-científica.

(D)  antropológica-ética.

(E)  emancipatória-totalitária.

48. O contexto de crise e mudanças em que se vive inter pela 

o Serviço Social sob múltiplas dimensões e aspectos.  

A primeira dimensão diz respeito às novas manifesta ções 

e expressões da questão social, resultantes das trans-

formações estruturais do capitalismo. Outra dimensão diz 

respeito aos processos de redefinição dos sistemas de 

proteção social e da política social, em geral, que emer-

gem nesse contexto. Finalmente, a profissão é interpela-

da e desafiada pela necessidade de construir mediações 

políticas e ideológicas expressas, sobretudo, por ações 

de resistência e de alianças estratégicas no jogo da polí-

tica em suas múltiplas dimensões, por dentro dos espa-

ços institucionais e especialmente no contexto das lutas 

sociais. Isso porque, como se sabe, questão social é luta, 

é disputa

(A)  por espaços de atuação.

(B)  pelas formulações teóricas que orientam o Serviço 

Social.

(C)  pelo poder constituinte.

(D)  pela riqueza socialmente construída.

(E)  pela emancipação humana.

vunesp-2015-saeg-analista-de-servicos-administrativos-servico-social-prova.pdf-html.html

14

sgua1401/010-anservadm-serviçosocial-Manhã

55. De acordo com a Lei n

o

 8.742/1993, alterada pela Lei  

n

o

 12.435/2011, a assistência social organiza-se por 

t ipos de proteção social, a básica e a especial, que serão 

ofertadas pela rede socioassistencial, diretamente pelos 

entes públicos e/ou pelas entidades e organizações de 

assistência social vinculadas ao SUAS – Sistema Único 

de Assistência Social, respeitadas as especificidades de 

cada ação. Conforme artigo 6

o

 -B (§ 1

o

) da referida Lei, a 

vinculação ao SUAS é o reconhecimento pelo Ministério 

do Desenvolvimento Social e Combate à Fome de que a 

entidade de assistência social

(A)  demonstra sustentabilidade financeira.

(B)  atende quantitativo mínimo de usuários.

(C)  integra a rede socioassistencial.

(D)  possui competência técnica.

(E)  realiza prestação de contas.

56. é dever da família, da sociedade e do Estado asse gurar 

à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prio-

ridade, os direitos estabelecidos constitucionalmente, 

além de colocá-los a salvo de toda forma de negligên-

cia, discriminação, exploração, violência, crueldade e 

opressão. Ainda de acordo com a Constituição Federal  

(artigo 227, § 3

o

, III), o direito à proteção especial abran-

gerá, entre outros aspectos, a

(A)  instituição de medidas de acessibilidade para crian-

ça e adolescente com deficiência.

(B)  integralidade da jornada escolar para crianças e 

adolescentes.

(C)  irreduzibilidade da idade penalmente imputável do 

adolescente.

(D)  participação prioritária da criança e do adolescente 

em programas de segurança alimentar.

(E)  garantia de acesso do trabalhador adolescente e 

j ovem à escola.

52. Um dos desafios colocados aos assistentes sociais con-

siste em formular projetos que materializarão o trabalho a 

ser desenvolvido. Um elemento fundamental e essencial 

a todo projeto diz respeito à filiação teórica com a qual 

é construído. São os pressupostos teóricos que vão dar 

concretude ao trabalho. Ao se filiar à teoria crítico-dialé-

tica, o profissional adota como referência uma visão de 

mundo que compreende as refrações da questão social 

como

(A)  efeito perverso às instituições.

(B)  desdobramento inerente do mercado.

(C)  consequência natural da sociedade.

(D)  produto intrínseco do capitalismo.

(E)  sequela inseparável do estado.

53. Além das suas dificuldades e limites internos, as famílias 

sofrem as repercussões das contradições da sociedade 

capitalista e as imposições do neoliberalismo às políticas 

públicas estatais. O processo de concentração de renda, 

o aumento da pobreza e o acirramento das desigualda-

des sociais aumentaram sua situação de vulnerabilidade, 

o que exige estratégias mais complexas entre seus mem-

bros a fim de garantir a satisfação de suas necessidades 

básicas mais urgentes para a sua sobrevivência. Essa 

situação não permite que as famílias se reproduzam e 

se protejam com dignidade. Portanto, a capacidade de 

cuidado e de proteção dos grupos familiares com os seus 

membros depende, diretamente, da proteção que eles 

receberam ou não do Estado, mas também dos valores 

culturais e

(A)  dos anseios por evoluir financeiramente.

(B)  dos princípios éticos que os norteiam.

(C)  das demandas individuais colocadas.

(D)  dos rearranjos familiares contemporâneos.

(E)  do empenho de seus membros.

54.  Uma sociedade ameaçada? Violência desenfreada? Fenô-

meno particular das grandes metrópoles? Decorrência 

natural de um cenário permanentemente marcado por 

d esigualdades sociais? Clamor popular? Quais razões  

justificam a redução da maioridade penal no Brasil?
O ECA, Estatuto da Criança e do Adolescente, uma legis-

lação sintonizada com os ditames internacionais relativos 

às questões da infância e da adolescência, tem como 

fundamento

(A)  a doutrina da proteção integral.

(B)  o reconhecimento da liberdade como premissa 

b ásica.

(C)  a atenção solidária às crianças pobres.

(D)  a negação do direito ao contraditório.

(E)  a garantia do atendimento de qualidade ao adoles-

cente.

vunesp-2015-saeg-analista-de-servicos-administrativos-servico-social-prova.pdf-html.html

15

sgua1401/010-anservadm-serviçosocial-Manhã

59. O que é o Sistema Nacional de Atendimento Socio-

educativo (Sinase)? Conforme o artigo 1

o

, § 1

o

, da Lei  

n

o

 12.594, de janeiro/2012, entende-se por Sinase o con-

junto ordenado de princípios, regras e critérios que envol-

vem a execução de medidas socioeducativas. No Sinase 

incluem-se, por adesão, os sistemas estaduais, distrital 

e municipais, bem como todos os planos, políticas e pro-

gramas específicos de atendimento a adolescente em 

conflito com a lei. Dentre os objetivos da medida socioe-

ducativa, destaca-se

(A)  a responsabilização do adolescente quanto às con-

sequências lesivas do ato infracional, sempre que 

possível incentivando a sua reparação.

(B)  a garantia de seus direitos individuais e sociais, 

r elevada a importância do ato, uma vez tratar-se de 

adolescente.

(C)  o atendimento ao clamor social por menos violência 

e maior segurança a seus cidadãos de bem.

(D)  a prescrição de sentença justa que afaste o autor do 

ato infracional do convívio social.

(E)  o acompanhamento da situação do autor de ato 

i nfracional até o completo ressarcimento da parte 

prejudicada.

60. A recomendação n

o

 33 do Conselho Nacional de Justiça 

trata especificamente da criação de serviços especiali-

zados – Depoimento Especial – para escuta de crianças 

e adolescentes vítimas ou testemunhas de violência nos 

processos judiciais. Para situações dessa natureza, o 

citado documento recomenda aos tribunais a implanta-

ção de depoimento videogravado para as crianças e os 

adolescentes, o qual deverá ser realizado em ambien-

te diferente da sala de audiências. recomenda, ainda,  

(II) que os participantes da escuta judicial deverão ser 

especificamente capacitados para o emprego da técnica 

do depoimento especial, usando os princípios básicos 

da entrevista

(A)  deliberativa.

(B)  sensitiva.

(C)  semiestruturada.

(D)  cognitiva.

(E)  livre.

57. O Plano Nacional de Enfrentamento ao Abuso Sexual e 

Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, docu-

mento sintonizado com ditames internacionais sobre 

esse tema, no Brasil, encontra fundamento na Cons-

tituição Federal de 1988, no ECA, no Plano Decenal 

de Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes e  

conta com previsões expressas acerca do seu monito-

ra mento e avaliação. O monitoramento e a avaliação  

d evem compreender o acompanhamento do desenro-

lar de t odas as ações previstas no processo de imple-

men tação do Plano Nacional, que deverá ser opera-

cionalizado pela produção de relatórios sistemáticos.  

Os indicadores do Plano Nacional podem ser elementos 

relevantes para a orientação das políticas públicas que, 

na sua maioria, é desenhada sem os subsídios neces-

sários, contribuindo para sua imprecisão. Para a constru-

ção dos indicadores no Plano Nacional de 2013 optou-se 

por estabelecer como premissa a escolha de indicado res 

indivisíveis, porém didaticamente

(A)  implementados por seus graus de importância.

(B)  adequados às suas probabilidades.

(C)  analisados por seus efeitos reversíveis.

(D)  sistematizados por seus eixos.

(E)  aplicados às suas desigualdades.

58. O Decreto n

o

 7.053, de dezembro/2009, no seu artigo 1

o

institui a Política Nacional para a População em Situação 

de rua e prevê sua implementação de acordo com os 

princípios, diretrizes e objetivos nela definidos. Além da 

igualdade e da equidade, dentre os princípios previstos 

no referido decreto, destaca(m)-se a

(A)  renda mínima que garanta sua subsistência.

(B)  valorização e o respeito à vida e à cidadania.

(C)  obrigatoriedade de acompanhamento familiar.

(D)  imediata internação para recuperação de sua saúde.

(E)  priorização de atendimento àqueles com 60 anos 

ou mais.

vunesp-2015-saeg-analista-de-servicos-administrativos-servico-social-prova.pdf-html.html