Prova Concurso - Pedagogia - 2016-PREFEITURA-DE-QUIXADA-CE-PROFESSOR-EDUCACAO-BASICA-I-EDUCACAO-INFANTIL - SERCTAM - PREFEITURA - 2016

Prova - Pedagogia - 2016-PREFEITURA-DE-QUIXADA-CE-PROFESSOR-EDUCACAO-BASICA-I-EDUCACAO-INFANTIL - SERCTAM - PREFEITURA - 2016

Detalhes

Profissão: Pedagogia
Cargo: 2016-PREFEITURA-DE-QUIXADA-CE-PROFESSOR-EDUCACAO-BASICA-I-EDUCACAO-INFANTIL
Órgão: PREFEITURA
Banca: SERCTAM
Ano: 2016
Nível: Superior

Downloads dos Arquivos

prova.pdf
gabarito.pdf

Provas relacionadas

PEDAGOGOUFPA2018
PEDAGOGOUNIFESSPA2018
PEDAGOGOEBSERH2018

Gabarito

serctam-2016-prefeitura-de-quixada-ce-professor-educacao-basica-i-educacao-infantil-gabarito.pdf-html.html

09/12/2016

PEB I ­ ÁREA ATUAÇÃO: EDUC. INFANTIL

http://www.serctam.com.br/documentos/quixada2016/gabaritosoficial/QUIXADA_BK.htm

1/1

 

PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXADÁ

CONCURSO PÚBLICO ­ 01/2016

GABARITO OFICIAL

CARGO: PEB I ­ ÁREA ATUAÇÃO: EDUC. INFANTIL

01 ­ B

02 ­ A

03 ­ B

04 ­ D

05 ­ E

06 ­ C

07 ­ E

08 ­ D

09 ­ B

10 ­ A

11 ­ C

12 ­ E

13 ­ A

14 ­ B

15 ­ E

16 ­ D

17 ­ C

18 ­ A

19 ­ C

20 ­ B

21 ­ P

22 ­ P

23 ­ P

24 ­ D

25 ­ A

26 ­ C

27 ­ E

28 ­ A

29 ­ C

30 ­ C

31 ­ D

32 ­ E

33 ­ B

34 ­ E

35 ­ D

36 ­ D

37 ­ C

38 ­ B

39 ­ C

40 ­ A

41 ­ D

42 ­ B

43 ­ E

44 ­ E

45 ­ B

46 ­ D

47 ­ A

48 ­ E

49 ­ A

50 ­ C

Número de inscritos: 837
Número de vagas: 50
Concorrência por vaga: 16,74
(P) Corresponde a questão Nula (0s pontos relativos à questão nula, são atribuidos a todos os candidatos)

 

Prova

serctam-2016-prefeitura-de-quixada-ce-professor-educacao-basica-i-educacao-infantil-prova.pdf-html.html

 

 

ESTA VIDA 

 
–  Um sábio me dizia: esta existência, não vale a 
angústia de viver.  
A ciência, se fôssemos eternos, num transporte de 
desespero inventaria a morte.  
Uma célula orgânica aparece, no infinito do tempo. 
E vibra, e cresce, e se desdobra, e estala num 
segundo. Homem, eis o que somos neste mundo. 
Assim falou-me o sábio e eu comecei a ver dentro 
da própria morte, o encanto de morrer.  
–  Um monge me dizia: ó mocidade, és relâmpago 
ao pé da eternidade! Pensa: o tempo anda sempre 
e não repousa; esta vida não vale grande coisa. 
Uma mulher que chora, um berço a um canto; o 
riso, às vezes, quase sempre, um pranto. Depois o 
mundo, a luta que intimida, quatro círios acesos: eis 
a vida! Isto me disse o monge e eu continuei a ver, 
dentro da própria morte, o encanto de morrer. 
– Um pobre me dizia: para o pobre, a vida é o pão e 
o andrajo vil que o cobre. Deus, eu não creio nesta 
fantasia. Deus me deu fome e sede a cada dia, mas 
nunca me deu pão, nem me deu água. Deu-me a 
vergonha, a infâmia, a mágoa, de andar de porta em 
porta, esfarrapado. Deu-me esta vida: um pão 
envenenado. Assim falou-me o pobre e eu continuei 
a ver, dentro da própria morte, o encanto de morrer. 
–  Uma  mulher me disse: vem comigo! Fecha os 
olhos e sonha, meu amigo. Sonha um lar, uma doce 
companheira, que queiras muito e que também te 
queira. No telhado, um penacho de fumaça. 
Cortinas muito brancas na vidraça. Um canário que 
canta na gaiola. Que linda a vida lá por dentro rola! 
Pela primeira vez eu comecei a ver, dentro da 
própria vida, o encanto de viver. 

Guilherme de Almeida 

 
01. Os personagens que aparecem no texto 
demonstram: 
A) Satisfação pelo que a vida lhes oferece, cada 

uma em sua condição; 

B) Sentimentos opostos àquilo que cada um espera, 

em relação à vida com dignidade; 

C) Sofrimento de todos, sem exceção, como se a 

vida lhes fosse uma condenação; 

D) Revolta com o Criador de todas as coisas, por 

não lhes ser um Pai bom; 

E) Esperança em dias melhores, já que não se pode 

perdê-la, mesmo nos maus momentos. 

 
02. Na segunda estrofe do poema, a citação: 
“Depois o mundo, a luta que intimida, quatro círios 
acesos: eis a vida”! Sugere ao leitor: 
A) O verdadeiro sentido de como é a vida, cujo fim é 

a morte; 

B) Por mais que a vida nos intimide, será uma 

covardia não vivê-la, plenamente; 

C) A mulher é um ser que só chora, porque nem 

sempre a vida lhe concede o merecido; 

D) O homem sempre foi um ser mais forte que a 

mulher, daí, chorar não é próprio dele; 

E) Nascer e viver é um direito de todos e não pode 

ser violado por nada, nem por ninguém. 

 

03. O texto, no seu todo, é um poema que denota: 
A) A descrição de vários personagens, em 

determinadas situações de vida; 

B) Um poema em formato livre, com versos 

brancos, sem rima e sem metrificação exatas. 

C) Uma narração específica de personagens que se 

alternam para falar de cada um; 

D) Uma argumentação narrativa, com traços de 

poesia, mas com a presença de personagens e 
de como eles agem. 

E) Uma comparação entre a vida, igualmente como 

a que se vive, atualmente. 

 

04. O texto pode ser resumido na seguinte 
expressão: 
A) “Nem tudo o que reluz é ouro”. 
B) “Falar é fácil, mas difícil é fazer o que se deve”. 
C) “Quando lhe for possível, não deixe de fazer o 

bem a quem dele precisar”. 

D) “Vida boa é a dos outros, mas ninguém quer para 

si”. 

E) “A alma generosa prosperará e aquele que 

atende, também, será atendido”. 

 
05. Pode-se afirmar que o depoimento do pobre, 
realmente: 
A) É um castigo de Deus para quem não se dispõe 

a trabalhar; 

B) É um merecimento, sem exceção, para todos os 

pobres, pois todos já nascem condenados; 

C) É a maior verdade que podemos atribuir a todos 

que não conseguem um espaço de realização, 
na vida; 

D) É o que todo pobre acha que Deus deve fazer 

por eles, numa condição de castigo; 

E) É um desapontamento de quem se sente 

desprotegido pela bondade divina, num 
momento de desengano. 

 
06. No verso do texto, “E vibra, e cresce, e se 
desdobra, e estala num segundo”, há a repetição 
de: 
A) uma preposição entre termos iguais. 
B) uma conjunção entre termos com a mesma 

função sintática. 

C) uma conjunção coordenativa aditiva, que liga 

orações independentes. 

D) uma conjunção coordenativa adversativa, que 

liga quatro termos. 

E) uma preposição como palavra invariável com 

ideia de soma. 

 

07. Sabendo-se que palavras sinônimas têm os 
mesmos significados, marque a alternativa, cujos 
pares de sinônimos estejam corretos. Releia o texto. 
A) intimida/impõe; andrajo/andarilho;   

vil/extraordinário; círios/adjetivo pátrio; 

B) infâmia/ultraje; intimida/anima; rola/desce; 

angústia/desespero; vil/ato de ver; 

serctam-2016-prefeitura-de-quixada-ce-professor-educacao-basica-i-educacao-infantil-prova.pdf-html.html

 

C) círios/velas; doce/afável; rola/desce; 

angústia/prazer; intimida/harmoniza; 

D) doce/guloseima; vil/desprezível; 

mágoa/resignação; andrajo/adaptação. 

E) intimida/inibe; andrajo/frangalho; vil/ordinário; 

rola/acontece; infâmia/descrédito. 

 
08. Quanto à morfossintaxe, em qual alternativa a 
classificação está correta. 
A) sábio (1ª estrofe): substantivo/objeto direto; 

encanto (1ª estrofe): substantivo/objeto direto; 

B) mocidade (2ª estrofe): adjetivo/aposto; canto (2ª 

estrofe): substantivo/objeto indireto; 

C) amigo (4ª estrofe): substantivo/vocativo; comigo 

(4ª estrofe): pronome/objeto indireto; 

D) vil (3ª estrofe): adjetivo/adjunto adnominal; 

andrajo (3ª estrofe): substantivo/predicativo do 
sujeito; 

E) doce (4ª estrofe) adjetivo; predicativo do sujeito; 

telhado (4ª estrofe): substantivo/adjunto 
adverbial. 

 

09. As formas verbais, encontradas no 1º verso da 
4ª estrofe: vem; fecha e sonha: 
A) Pertencem a verbos regulares da 1ª conjugação 

e estão na 3ª pessoa do singular do presente do 
indicativo; 

B) Duas pertencem a verbos regulares da 1ª 

conjugação e uma pertence a verbo irregular e 
estão na 2ª pessoa do singular do imperativo 
afirmativo; 

C) Todas pertencem a verbos irregulares  da 1ª 

conjugação e estão na 2ª pessoa do singular do 
imperativo afirmativo; 

D) Todas pertencem a verbos regulares da 1ª 

conjugação e estão na 3ª pessoa do singular do 
imperativo afirmativo; 

E) Duas pertencem a verbos regulares e uma 

pertence a verbo irregular e estão na 3ª pessoa 
do presente do subjuntivo. 

 

10. Em relação à acentuação, marque a alternativa 
em que todas as palavras seguem a mesma regra: 
A) sábio, existência, ciência, angústia, água, 

infâmia, mágoa, círios, canários; 

B) não, és, pão, lá, às, pé, água, círios; 
C) fôssemos; angústia; célula; orgânica; canário; 

relâmpago; existência; 

D) não; até; água; também; pontapé; canários; 

pastéis; pé; às; impôs; acolá; 

E) feiúra; orgânica; até; está; ciúme; dói; relógio; 

retórico; louvável; útil; sério. 

 

11. Quanto à regência verbal, considera-se correta 
a afirmação: 
A) A mulher que deu luz à duas crianças, passa 

bem e era um desejo que ela aspirava demais, 
assim como era tudo que ela sonhava. 

B) Ao chegar no hospital, o pai, assim que ouviu a 

notícia que a mulher havia dado à luz à duas 
meninas, ficou triste, porque ele preferia menino 
do que menina. 

C) Os desejos aos quais os jovens aspiram, são 

semelhantes com os quais eles sonham tanto, 
que muitos preferem investir o tempo em 
estudos, para tal realização, a desperdiçarem as 
oportunidades de que precisam, mesmo que isto 
lhes custe sacrifícios. 

D) As pessoas as quais me identifico são às que me 

repassam confiança, são as quem tenho respeito 
e isto me leva a lhes respeitar e, se puder lhes 
abraçar, sinto-me ainda mais feliz. 

E) Todo ser humano visa um futuro melhor, sempre 

quer chegar onde ainda não lhe foi possível, uma 
vez que os caminhos que tem de passar são, às 
vezes, os mesmos os quais ele anda sempre e 
nem se dá conta que são caminhos de sucesso. 

 
12.  A oração “se fôssemos eternos” –  1ª estrofe – 
classifica-se como: 
A) Oração subordinada substantiva condicional; 
B) Oração subordinada substantiva objetiva direta; 
C) Oração coordenada sindética explicativa; 
D) Oração subordinada adverbial consecutiva; 
E) Oração subordinada adverbial condicional. 
 
13. Em relação à fonética, é importante não 
confundir letra com fonema. Logo, a alternativa, 
cujas as palavras tem o mesmo número de letras e 
fonemas é: 
A) segundo; andrajo; ciência; quatro; brancas; 

comigo; infâmia; amigo; telhado; círios; 

B) mulher; fantasia; tempo; ciência; fôssemos; 

quase; infinito; gaiola; cresce; desdobra; 

C) esfarrapados;     envenenado;      vergonha; 

companheira; transporte; cortinas; fantasia; 

D) intimida; transporte; mulher; canário; fôssemos; 

ciência; encanto; viver; homem; 

E) orgânica; companheiras; relâmpago; existência; 

telhado; penacho; quase; continuei. 

 

14. Considerando a importância da ortografia, 
marque a alternativa em que todas as palavras 
estejam escritas, corretamente. 
A) analizar; abscesso; abstenção; compreensão; 

distenção; discurssão; empecílio; 

B) obsessão; vazar; tigela; exceção; empreita; 

alagadiço; riso; assessoria; empecilho; 

C) pretensioso; pajem; jeito; sarjeta; argila; fachina; 

chuchu; berinjela; xaminé; xute; 

D) xalé; estrangeiro; gíria; faixa; duqueza; atrazo; 

balisa; compreensão; esperteza; 

E) viagem (verbo); tijela; ascenção; enxame; 

encharcar; facínio; espezinhar; expirar. 

 

15. De acordo com o processo de formação das 
palavras é correto afirmar que: deslealdade  – 
enredo  –  planalto  –  desrespeitoso  –  descrença  - 
resistir –  pontapé - obedecem à seguinte ordem de 
classificação. 
A) derivação parassintética; derivação prefixal; 

derivação por aglutinação; derivação prefixal e 
sufixal; derivação prefixal; derivação prefixal; 
composição por justaposição; 

serctam-2016-prefeitura-de-quixada-ce-professor-educacao-basica-i-educacao-infantil-prova.pdf-html.html

 

B) derivação prefixal e sufixal; derivação prefixal; 

composição por aglutinação; derivação 
parassintética; derivação prefixal; palavra 
primitiva; composição por aglutinação; 

C) derivação parassintética; derivação regressiva; 

composição por aglutinação; derivação prefixal e 
sufixal; palavra primitiva; derivação prefixal; 
composição por justaposição; 

D) derivação prefixal e sufixal; derivação prefixal; 

composição por justaposição; derivação 
parassintética; palavra primitiva; palavra 
primitiva; composição por justaposição; 

E) derivação prefixal e sufixal; derivação regressiva; 

composição por aglutinação; derivação 
parassintética; derivação prefixal; palavra 
primitiva; composição por justaposição. 

 

16. O Município de menor extensão territorial, 
limítrofe com o Município de Quixadá é: 
A) Choró; 
B) Canindé; 
C) Ibaretama; 
D) Ibicuitinga; 
E) Quixeramobim. 
 
17. Marque a alternativa correta: 
A) O (a) Padroeiro (a) do Município de Quixadá é 

São Pedro; 

B) É logradouro público oficial do Município de 

Quixadá a Praça Siqueira Campos; 

C) Gruta do Pajé é um atrativo natural do Município 

de Quixadá; 

D) São  Bento  e  Riacho  Seco  são  Distritos 

pertencentes ao Município de Quixadá; 

E) A casa de repouso São Roque faz parte da 

arquitetura antiga do Município de Quixadá. 

 
18. Marque verdadeiro (V) ou falso (F) e, em 
seguida assinale a alternativa correta: 
(    ) 

O (a) Padroeiro (a) do Município de 
Quixadá é Santo Antônio; 

(    ) 

É logradouro público oficial do Município de 
Quixadá a Praça Alberto Cordeiro; 

(    ) 

A Pedra do Elefante é um atrativo natural 
do Município de Quixadá; 

(    ) 

Daniel Queiroz e Juá são Distritos 
pertencentes ao Município de Quixadá; 

(    ) 

A casa de repouso São Tomáz faz parte da 
arquitetura antiga do Município de Quixadá. 

 
A) F, F, F, V, F; 
B) V, V, V, F, V; 
C) V, F, V, F, V; 
D) F, V, F, V, F; 
E) F, F, F, V, V. 
 
19. Em relação ao Município de Quixadá, assinale a 
alternativa correta: 
A) O Município de maior extensão territorial, 

limítrofe com o Município de  Quixadá é o 
Município de Banabuiú; 

B) Morro Alegre, Sapiranga e Curió são bairros 

pertencentes ao Município de Quixadá; 

C) O Município de Quixadá foi desmembrado do 

Município de Quixeramobim; 

D) Pertence à microrregião do Sertão do Cariri; 
E) Tem como acidentes geográficos a Serra 

Talhada, Açude Itarumã e Morro dos Irmãos. 

 
20. Segundo dados do IBGE, Instituto Brasileiro de 
Geografia e Estatística, em relação ao Município de 
Quixadá, é INCORRETO afirmar: 
A) Construída em 1770, a Capela de Quixadá teve 

como  padroeiros, Jesus, Maria e José. De 1886 
para cá, a pequena Capela foi se transformando 
aos poucos na Igreja Matriz atual; 

B) Entre os anos de 1760 e 1763 foram criadas as 

primeiras Escolas Públicas de Quixadá; 

C) Foi elevado ao posto de Distrito, criado pela Lei 

Provincial nº 1.305, de 05 de novembro de 1869, 
com a denominação Quixadá, subordinado ao 
Município de Quixeramobim; 

D) Foi elevado à categoria de vila com a 

denominação de Quixadá, pela Lei Provincial nº 
1.347, de 27 de outubro de 1870; 

E) Foi elevado à categoria de cidade com a 

denominação de Quixadá, pela Lei Provincial nº 
2.166, de 17 de agosto de 1889. 

 

21. Segundo dados do IBGE, Instituto Brasileiro de 
Geografia e Estatística, em relação ao Município de 
Quixadá, é INCORRETO afirmar: 
A) Pela Lei Estadual nº 2.392, de 08 de novembro 

de 1926, o Município de Quixadá adquiriu o 
extinto Município de Laranjeiras e o Distrito de 
Barra do Sitiá, como simples Distrito; 

B) Em divisão administrativa, referente ao ano de 

1933, o Município aparece constituído de 10 
distritos: Quixadá, Barra do Sitiá, Caiçarinha, 
Choró, Floriano Peixoto, Junco, Laranjeiras, 
Serra Azul, Serra do Estevão e Tapuiará, não 
figurando o Distrito de Califórnia; 

C) Em divisão territorial, datada de 31 de dezembro 

de 1936, o Município é constituído de 12 
Distritos: Quixadá, Barra do Sitiá, Caiçarinha, 
Califórnia, Choró, Custódio, Floriano Peixoto, 
Laranjeiras, Junco, Serra Azul, Serra do Estevão 
e Tapuiará, não figurando o Distrito de Califórnia; 

D) Pela Lei nº 317, de 15 de dezembro de 1915, é 

criado o Distrito de Vila Velha e anexado ao 
Município de Quixadá; 

E) Em divisão territorial, datada de 31 de dezembro 

de 1937, o Município aparece constituído de 12 
Distritos: Quixadá, Barra do Sitiá, Boa Água, 
Caiçarinha, Choró, Custódio, Floriano Peixoto, 
Laranjeiras, Junco, Serra Azul, Serra do Estevão 
e Tapuiará. 

 

22. Segundo dados do IBGE, Instituto Brasileiro de 
Geografia e Estatística, em relação ao Município de 
Quixadá, é INCORRETO afirmar: 
A) Em divisão territorial, datada de 17 de setembro 

de 1938, o Município é constituído de 9 Distritos: 

serctam-2016-prefeitura-de-quixada-ce-professor-educacao-basica-i-educacao-infantil-prova.pdf-html.html

 

Quixadá, Banabuiú, Custódio, Ibaretama, Juata-
ma,Cangati, Rinaré, Sitiá e Tapuiará; 

B) Em divisão territorial, datada de 01 de julho de 

1955, o Município é constituído de 12 Distritos: 
Quixadá, Banabuiú, Caiçarinha, Choró, Custódio, 
Dom Maurício (ex-Estevão), Ibaretama, Juatama, 
Muxiopó, Rinaré, Sitiá e Tapuiará; 

C) Pela Lei Estadual nº 3.326, de 11 de junho de 

1957, o Distrito de Muxiopó passou a denominar-
se Daniel de Queiroz; 

D) Pela Lei Estadual nº 4.447, de 02 de janeiro de 

1959, desmembra-se do Município de Quixadá 
os Distritos de Choró e Caiçarinha e Dom 
Maurício e Daniel Queiroz, para formar o novo 
Município de Choró; 

E) Pela Lei Estadual nº 6.709, de 21 de outubro de 

1963, desmembra-se do Município de Quixadá 
os Distritos de Banabuiú, Rinaré e Sitiá, para 
formar o novo Município com denominação de 
Laranjeiras do Norte (ex-Banabuiú). 

 
23. Segundo dados do IBGE, Instituto Brasileiro de 
Geografia e Estatística, em relação ao Município de 
Quixadá, é INCORRETO afirmar: 
A) Pela Lei Estadual nº 11.427, de 26 de janeiro de 

1988, desmembra-se do Município de Quixadá 
os Distritos de Banabuiú, Sitiá e Rinaré, para 
formar o novo Município de Banabuiú; 

B) Pela Lei Estadual nº 10.513, de 28 de fevereiro 

de 1989,  desmembra-se do Município de 
Quixadá o Distrito de Itapiúna, elevado à 
categoria de Município; 

C) Pela Lei Municipal nº 1.364, de 14 de setembro 

de 1990 é criado o Distrito de São João dos 
Queiroz e anexado ao Município de Quixadá; 

D) Pela Lei Municipal nº 1.425, de 10 de outubro de 

1991 é criado o Distrito de São Bernardo e 
anexado ao Município de Quixadá; 

E) Em divisão territorial, datada de 31 de janeiro de 

1992, o Município é constituído de 9 Distritos: 
Quixadá, Cipó do Anjos, Custódio, Daniel de 
Queiróz, Dom Mauricío, Juatama, São Bernardo, 
São João dos Queirozes e Tapuiará. 

 
24. Podemos afirmar, de acordo com dados do 
IPECE, Instituto de Pesquisa e Estratégia 
Econômica do Ceará, de 2012, que o número de 
empregos formais existentes no Município de 
Quixadá, encontra-se em maior quantidade: 
A) Na Indústria de transformação; 
B) Na Construção Civil; 
C) No Comércio; 
D) Na Administração Pública; 
E) Na Agropecuária. 
 
25. De acordo com dados do IPECE, Instituto de 
Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará, de 
2010, responda a alternativa correta, no que se 
refere à demografia do Município de Quixadá: 
A) A população urbana corresponde a 71,32% da 

população geral do Município; 

B) A população urbana corresponde a 51,36% da 

população geral do Município; 

C) A população rural corresponde a 23,84% da 

população geral do Município; 

D) A população de homens corresponde a 39,85% 

da população geral do Município; 

E) A população de mulheres corresponde a 54,23% 

da população geral do Município. 

 
26. Assinale a única alternativa correta, no que se 
refere à gratificação natalina, contida na Lei 
Complementar n. 001, de 23 de Novembro de 2007. 
A) A gratificação natalina corresponde a 1/6 (um 

sexto) da remuneração a que o servidor fizer jus 
no mês de dezembro, por mês de exercício no 
respectivo ano; 

B) A fração igual ou superior a 10 (dez) dias será 

considerada como mês integral; 

C) A gratificação será paga até o dia 20 (vinte) do 

mês de dezembro de cada ano; 

D) O servidor exonerado não perceberá sua 

gratificação natalina, mesmo que 
proporcionalmente aos meses de exercício; 

E) A gratificação natalina será considerada para 

cálculo de qualquer vantagem pecuniária. 

 

27. Assinale a única alternativa correta, no que se 
refere às férias, de acordo com a Lei que institui o 
novo Regime Jurídico dos Servidores Públicos do 
Município de Quixadá. 
A) O servidor fará jus a 31 (trinta e um) dias de 

férias, que podem ser acumuladas, até o máximo 
de quatro períodos, no caso de necessidade do 
serviço, ressalvadas as hipóteses em que haja 
legislação específica; 

B) Para o primeiro período aquisitivo de férias serão 

exigidos 18 (dezoito) meses de exercício; 

C) As férias não poderão ser parceladas, mesmo 

que haja interesse da administração pública; 

D) A administração municipal, no mês de Julho de 

cada ano, elaborará e divulgará calendário de 
férias dos servidores do município; 

E) É facultado ao servidor converter 1/3 (um terço) 

das férias em abono pecuniário, desde que o 
requeira com pelo menos 60 (sessenta) dias de 
antecedência. 

 
28. Assinale a única alternativa correta no que se 
refere às concessões, de acordo com a Lei que 
institui o novo Regime Jurídico dos Servidores 
Públicos do Município de Quixadá: 
A) Será concedido horário especial ao servidor 

portador de deficiência, quando comprovada a 
necessidade 

por junta médica oficial, 

independente de compensação de horário; 

B) Não será concedido horário especial ao servidor 

estudante, mesmo que comprovada a 
incompatibilidade entre o horário escolar e o da 
repartição; 

C) Ao servidor estudante que mudar de sede, no 

interesse da administração, não é assegurada, 

serctam-2016-prefeitura-de-quixada-ce-professor-educacao-basica-i-educacao-infantil-prova.pdf-html.html

 

na localidade da nova residência, matrícula em 
instituição de ensino congênere; 

D) Sem qualquer prejuízo, poderá o servidor 

ausentar-se do serviço por 2 (dois) dias para 
doação de sangue; 

E) Nenhuma das alternativas está correta. 

 

29. Em conformidade com a Lei Complementar n. 
001, de 23 de Novembro de 2007, Lei que institui o 
novo Regime Jurídico dos Servidores Públicos do 
Município de Quixadá, responda a alternativa 
correta: 
A) É contado para todos os efeitos o tempo de 

serviço público municipal, salvo o prestado às 
forças armadas; 

B) A apuração do tempo de serviço será feita em 

meses, que serão convertidos em anos, 
considerando o ano como de trezentos e 
sessenta dias; 

C) São considerados como de efetivo exercício os 

afastamentos em virtude de férias; 

D) Não são considerados como de efetivo exercício 

os afastamentos em virtude de Júri e outros 
serviços obrigatórios por Lei; 

E) Nenhuma das alternativas está correta. 

 

30. Marque a alternativa correta no que se refere à 
responsabilidade do servidor público municipal, 
conforme a Lei n.001, de 23 de novembro de 2007. 
A) O servidor responde apenas administrativamente 

pelo exercício irregular de suas atribuições; 

B) A responsabilidade civil decorre apenas de atos 

dolosos, mas que não resultem prejuízo ao 
erário ou a terceiros; 

C) A responsabilidade penal abrange os crimes e 

contravenções imputadas ao servidor, nessa 
qualidade; 

D) As sanções civis, penais e administrativas não 

poderão cumular-se, sendo independentes entre 
si; 

E) A responsabilidade administrativa do servidor 

não será afastada no caso de absolvição criminal 
que negue a existência do fato ou sua autoria. 

 

31. Para analisarmos a história da Didática, 
precisamos conhecer quem foi o seu precursor, ou 
seja, Comenius -  pensador e educador pacifista, o 
“pai da Didática”. Entre outros fatores, destacamos 
que ele desejava ensinar “tudo a todos” e atingir o 
sonho de  uma “educação ideal”. Sobre Comenius, 
NÃO é correto afirmar: 
A) Declarava o direito universal da educação 

igualitária para todas as pessoas, de todos os 
povos e de qualquer condição. 

B) Pela relevância e ousadia de suas propostas, 

tornou-se o precursor de  diretrizes educacionais 
universais. 

C) Já no século XVII, pregava o desarmamento e o 

diálogo inter-religioso.  

D) Propôs um sistema articulado de ensino, 

reconhecendo o igual direito dos homens ao 
saber. Entretanto, mesmo apresentando 

progressos, manteve as mulheres excluídas 
desse sistema. 

E) Para ele, o processo educativo teria três fases: a 

Escola Materna, a Escola Elementar e a Escola 
Latina.

 

 
32. A didática, tendo um papel importante no 
processo de socialização do conhecimento, auxilia 
no processo de formação do professor e afeta 
diretamente a sua forma de ensinar, que exprime 
uma atividade pedagógica e de aprender, que 
envolve a realização de uma tarefa com êxito. 
Diante das diversas abordagens referentes às 
práticas e concepções de ensino e sobre 
aprendizagem, é possível entender que o processo 
de ensino-aprendizagem varia de acordo com 
determinadas perspectivas. Santos (2005), em seus 
estudos, classifica e agrupa as correntes teóricas 
pedagógicas, segundo as teorias de Libâneo (1982), 
Bodernave (1984), Saviani (1984) e Mizukami 
(1986), que descrevem e comparam os processos 
de ensino-aprendizagem, da seguinte forma: 
 
I. Pedagogia da transmissão, pedagogia da 

moldagem e pedagogia da problematização. 

II. Teorias não críticas (pedagogia tradicional, 

pedagogia nova, pedagogia tecnicista), teorias 
crítico-reprodutivas (sistema de ensino enquanto 
aparelho ideológico, escola enquanto aparelho 
ideológico do Estado e escola dualista) e teoria 
crítica (pedagogia histórico-crítica). 

III. Pedagogia liberal (pedagogia conservadora, 

pedagogia renovada progressista, pedagogia 
renovada não diretiva) e pedagogia progressista 
(pedagogia libertadora, pedagogia libertária e 
pedagogia de conteúdos). 

IV. Abordagem   tradicional,   abordagem  comporta-

mentalista, abordagem humanista, abordagem 
cognitivista e abordagem sociocultural.  

 
O agrupamento das perspectivas teóricas, acima, 
corresponde, na sequência elencada, aos autores: 
A) Bodernave, Mizukami, Libâneo e Saviani. 
B) Saviani, Bodernave, Mizukami e Libâneo. 
C) Mizukami, Saviani, Libâneo e Bodernave. 
D) Libâneo, Bodernave, Saviani e Mizukami.  
E) Bodernave, Saviani, Libâneo e Mizukami. 
 
33. Na perspectiva da abordagem 
sócioconstrutivista do conhecimento e do 
desenvolvimento humano, o objetivo do ensino é: 
A) Possibilitar situações de experimentação, onde a 

criança possa estabelecer contato com objetos 
e/ou materiais, antes desconhecidos. 

B) Desenvolver as capacidades intelectuais e da 

subjetividade dos estudantes, através da 
assimilação consciente e ativa dos conteúdos.  

C) Garantir a interação entre os grupos de 

diferentes culturas e diversas origens étnico-
raciais. 

serctam-2016-prefeitura-de-quixada-ce-professor-educacao-basica-i-educacao-infantil-prova.pdf-html.html

 

D) Proporcionar acesso a materiais didáticos, aos 

artefatos da cultura e aos produtos do 
desenvolvimento tecnológico. 

E) Estabelecer a conexão entre as demandas do 

mercado de trabalho com a formação dos 
estudantes. 

 
34. Segundo Libâneo (1992), a análise do ato 
didático destaca uma relação dinâmica entre três 
elementos:  professor, aluno e conteúdo. Esses 
elementos são constituídos, a partir das ações que 
definem  as categorias da Didática que formam o 
seu conteúdo. Partindo desse pressuposto, na 
perspectiva da escola nova, a relação professor-
aluno deve ser: 
 
A) Autoritária, vertical, de transmissão de conteúdos 

como verdades absolutas. O silêncio e a ordem 
na sala  de aula são entendidos como disciplina. 
Tem como foco a figura do professor como 
detentor do conhecimento. 

B) Fundamental no processo de ensino, devendo 

ser afetuosa, amiga e de diálogo. Essa relação 
também se enquadra nas diferentes teorias a 
respeito da escola. 

C) Autoritária, vertical com o profissional da 

educação, deslocando-o para fora do processo 
de concepção da sua atividade. 

D) Disciplinadora, focada no aumento do 

desempenho, estimulando o aluno a se tornar 
produtivo, executando as atividades segundo os 
objetivos determinados. 

E) Democrática. O estudante tem papel ativo e 

participativo no processo de ensino. O aluno é 
disciplinado, solidário, participante e conhecedor 
das regras de convívio em grupo.

 

 
35. Conforme Martins (1989), a avaliação permite 
ao educador verificar até que ponto o ensino tem 
alcançado suas metas, possibilitando a mudança 
dos rumos dos objetivos. Segundo o autor, pode ser 
desenvolvida nas abordagens da escola tradicional, 
da escola  nova  
e  da escola tecnológica. As 
caracterizações da avaliação, nessas perspectivas, 
estão enumeradas, respectivamente, na sequência: 
 
I. Processo de “aprender a aprender”, autoavaliação 

e comportamento do aluno. 

II. Competência individual do aluno –  a avaliação é 

feita através de testes objetivos elaborados, a 
partir dos objetivos pretendidos. 

III. Através de conhecimentos memorizados, testes 

orais, provas e trabalhos escritos. 

 
A) I, II e III. 
B) II, I e III. 
C) III, II e I. 
D) III, I e II. 
E) I, III e II. 
 
 
 

36. A Educação Infantil tem como objetivo principal 
criar condições para promover o desenvolvimento 
integral da criança em seus aspectos físicos, 
cognitivos, sociais e emocionais. Para que isso 
ocorra, faz-se necessário que a sua prática seja 
organizada de  modo que contribua para que a 
criança seja capaz de: 
I. Observar e explorar o ambiente com atitude de 

curiosidade, percebendo-se agente 
transformador do meio ambiente e valorizando 
atitudes que contribuam para sua conservação. 

II. Estabelecer vínculos afetivos e de troca com 

adultos e pares, fortalecendo sua autoestima, 
ampliando gradativamente suas possibilidades 
de comunicação e interação social. 

III. Aprender os conteúdos atitudinais e 

procedimentais. Os conteúdos conceituais, 
associados ao raciocínio lógico, à resolução de 
problemas e às representações simbólicas 
devem ser trabalhados somente a partir do 1º 
ano do Ensino Fundamental. 

IV. Construir valores éticos, que contribuam para a 

sua formação como um cidadão autônomo e 
responsável. 

Estão corretas as afirmativas: 
A) I, II e III. 
B) I e III. 
C) II, III e IV. 
D) I, II e IV. 
E) Todas as afirmativas. 
 
37. A concepção de brincadeira é uma noção 
historicamente construída, isto é, que muda ao 
longo do tempo. A perspectiva sociocultural 
compreende a brincadeira como: 
A) Uma linguagem intrínseca da natureza infantil, 

que se revela como uma expressão da esfera 
biológica, portanto, que se manifesta 
independente da cultura, do espaço e da história 
dos indivíduos. 

B) Uma atividade dirigida e organizada, constituída 

socialmente e que precisa da presença e do 
direcionamento do adulto como o mediador da 
criança com o objeto ou com outras crianças. 

C) Uma atividade social infantil, desenvolvida por 

crianças entendidas enquanto sujeitos históricos 
e sociais, marcados pelo meio social em que se 
desenvolvem, ao mesmo tempo em que o 
determinam. 

D) Uma linguagem da infância, socialmente 

construída e biologicamente determinada, por 
meio da qual a criança demonstra suas 
preferências, organização pessoal e sua 
sexualidade, o que se manifesta pela escolha 
dos brinquedos. 

E) Ação da criança, dirigida pelos adultos, sobre os 

objetos, que é orientada a partir de suas 
experiências individuais com a natureza 
(independente do meio social e da cultura).  

 
 

serctam-2016-prefeitura-de-quixada-ce-professor-educacao-basica-i-educacao-infantil-prova.pdf-html.html

 

38. A Educação Infantil, primeira etapa da Educação 
Básica, tem o papel de estimular o desenvolvimento 
integral, valorizando os conhecimentos e vivências 
adquiridas nas diversas situações de interação com 
o meio ambiente e com os sujeitos sociais do seu 
convívio. Identifique, nas alternativas abaixo, um 
objetivo que não corresponde à etapa da Educação 
Infantil: 
A)  Desenvolver hábitos de socialização, iniciar a 

organização espacial e temporal. 

B)  Consolidar o processo de aquisição das 

habilidades de leitura e de escrita. 

C)  Estabelecer relação social entre os pares, 

desenvolver a linguagem corporal, o controle 
psicomotor e as percepções. 

D) Desenvolver todas as formas de expressão e 

comunicação da criança, incluindo a arte e 
matemática. 

E) Ampliar o repertório do vocabulário e aperfeiçoar 

a linguagem oral da criança. 

 
39. A fim de alcançar os aspectos estabelecidos 
como objetivos da Educação Infantil, as instituições 
educacionais, em suas propostas pedagógicas, 
devem organizar seus currículos. De acordo com as 
Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação 
Infantil (DCNEI), o currículo deve integrar as 
experiências e os saberes das crianças a os 
conhecimentos que fazem parte do patrimônio 
cultural, artístico, científico e tecnológico da 
sociedade, por meio de situações planejadas e 
permanentemente avaliadas. Nessa perspectiva, é 
papel do professor da Educação Infantil: 
I. Coordenar o diálogo entre o que as crianças já 

sabem sobre determinado tema e o que já foi 
sistematizado na cultura sobre ele, considerando 
sempre o modo como elas pensam e se 
emocionam.  

II. Planejar a aplicação dos recursos financeiros, a 

composição das equipes de trabalho e a logística 
dos espaços da escola, garantindo as condições 
para que as aprendizagens se façam de acordo 
com a proposta pedagógica da instituição. 

III. Com base na proposta pedagógica e no currículo 

da instituição, organizar o ambiente de vivência, 
aprendizagem e desenvolvimento de cada turma. 

IV. Elaborar planos de ações que sirvam de roteiro 

para as ações didáticas (planos de trabalho 
semanais, mensais etc.), estipulando atividades, 
expectativas de aprendizagens, organização do 
tempo, do espaço e dos materiais necessários. 

 
Estão corretas as afirmativas: 
A) I e II. 
B) I, II e III. 
C) I, III e IV. 
D) II, III e IV. 
E) I, II, III e IV. 
 
 
 

40. A ideia de criança, hoje, em nossa sociedade, é 
compreendida de uma forma bem diferente da que 
foi no século passado. Diferentemente de entendê-
la como alguém que virá a ser, ela é considerada 
como sujeito de direitos desde o nascimento. 
Philippe Ariès foi um teórico que contribuiu, 
substancialmente, com a elaboração de políticas 
públicas voltadas para a infância. Entre os 
documentos e legislações brasileiras que se 
ocupam em garantir o direito das crianças à 
educação, temos: 
A) Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), de 

1990. 

B) Declaração Mundial sobre Educação para Todos. 
C) Plano Nacional de Educação (PNE). 
D) Resolução/CD/FNDE nº 19, de 21 de maio de 

2013.  

E) Fundo Nacional de Desenvolvimento da 

Educação (FNDE). 

 
41.  Desde a Constituição de 1988, o Brasil vem se 
preocupando com a inclusão do tema da 
diversidade racial na educação escolar. O Estatuto 
da Criança e do Adolescente (ECA) assegura a toda 
criança o direito de igualdade de condições para a 
permanência na escola, de ser respeitada pelos 
educadores, de ter sua identidade e seus valores 
preservados e ser posta a salvo de qualquer forma 
de discriminação, negligência ou tratamento 
vexatório. Atualmente, existem normas 
constitucionais que prescrevem,  textualmente,  a 
valorização da diversidade étnica e da identidade 
dos diferentes grupos formadores da sociedade 
brasileira. Baseadas neste preceito, as Diretrizes 
Curriculares Nacionais para a Educação Infantil 
(DCNEIs) estabelecem que a “identidade étnica, 
assim como a língua materna, é elemento de 
constituição da criança”. Entre as ações que dizem 
respeito ao atendimento a esse preceito, pode-se 
assinalar: 
A) Implantação de itens alimentícios de origem 

africana no cardápio das creches e instituições 
de Educação Infantil. 

B) Adequação dos espaços físicos institucionais que 

viabilizem e façam referência às diversas 
práticas culturais dos povos africanos. 

C) Contratação de profissionais, via concurso 

público, afrodescendentes, utilizando como 
critério o regime de cotas raciais.  

D) Garantia do estudo da história e da cultura afro-

brasileira e indígena em sala de aula, bem como 
a inclusão no calendário escolar do dia 20 de 
novembro como Dia Nacional da Consciência 
Negra. 

E) Ampliação do número de unidades escolares em 

bairros e em localidades onde haja um grande 
número de habitantes com perfil 
afrodescendente. 

 
 
 

serctam-2016-prefeitura-de-quixada-ce-professor-educacao-basica-i-educacao-infantil-prova.pdf-html.html

 

42.  Com o intuito de garantir que professores e 
gestores estejam atentos ao tema, a revisão das 
DCNEI incluiu em seu artigo 8º, § 1º, a exigência de 
que a proposta pedagógica das instituições de 
Educação Infantil explicitasse as ações sobre o 
tema da diversidade racial. Fundamentadas nessa 
proposta, as ações da Educação Infantil deverão 
prever condições para o trabalho coletivo e para a 
organização de materiais, espaços e tempos que 
assegurem: 
I. A apropriação pelas crianças das contribuições 

histórico-culturais de povos diversos, como 
indígenas e afrodescendentes, com exceção de 
asiáticos, europeus e de outros países da 
América, que devem ser estudados a partir do 3º 
ano do Ensino Fundamental. 

II. O reconhecimento, a valorização, o respeito e a 

interação das crianças com as histórias e as 
culturas africanas, afro-brasileiras, bem como o 
combate ao racismo e à discriminação. 

III. A dignidade da criança como pessoa humana e a 

proteção contra qualquer forma de violência 
(física ou simbólica) e negligência no interior da 
instituição ou praticadas pela família, prevendo 
os encaminhamentos de violações para 
instâncias competentes. 

Atribuindo (V) para as alternativas verdadeiras e (F) 
para as falsas, assinale a sequência correta das 
alternativas: 
A) V, V, V 
B) F, V, V 
C) V, F, V 
D) V, V, F 
E) V, F, F 
 
43. O processo educativo é um sistema complexo, 
tão presente em nossas vidas, que temos às vezes 
dificuldade de compreender como ele acontece, de 
definir o que é aprender e ensinar. Os estudos e as 
pesquisas no campo da Educação Infantil mostram 
que a criança aprende,  desde o nascimento,  nas 
experiências cotidianas por ela vividas, por meio do 
corpo, da emoção e da linguagem verbal. No que 
diz respeito a essa concepção de ensino e 
aprendizagem da criança, não é correto: 
A) Aprender não é resultado de processos 

espontâneos. Requer alguns elementos 
mediadores, em especial, a colaboração de 
diferentes parceiros na realização de alguma 
tarefa.  

B) Ensinar é apontar significados para alguém, 

condição básica para inseri-lo em uma cultura e 
promover seu desenvolvimento. É, partindo de 
situações cotidianas, apresentar um significado 
para outra pessoa, que constrói suas próprias 
significações em relação ao que foi apontado.  

C) Aprender pode ser entendido como o processo 

de modificação do modo de agir, sentir e pensar 
de cada pessoa, que não pode ser atribuído à 
mera maturação orgânica, mas ao acúmulo de 
experiências. 

D) Ensinar pode ser uma ação dos adultos, das 

crianças entre si e de situações interativas do 
cotidiano. Ou seja, não se aprende só com o 
professor, mas com diferentes elementos 
simbólicos que ensinam e que agem como 
recursos mediadores na relação da criança com 
o mundo. 

E) Aprender, embora seja um ato mediado por 

pares e elementos da cultura, está condicionado 
ao desenvolvimento da fala e da marcha da 
criança. 

 
44. Desde o nascimento, as crianças vão entrando 
no mundo letrado. Esse mundo se inicia com 
gestos, olhares, com o desenvolvimento da 
oralidade, desenhos e construções tridimensionais, 
até chegar à escrita propriamente dita. A oralidade, 
a escrita e a imagem visual têm papel importante 
nesse processo e integram o que se entende por 
letramento. Podemos citar como estratégia de 
ampliação do letramento para crianças pequenas, 
exceto
A) Brincar de colecionar, comparar e fazer álbuns 

com letras. 

B) Incluir nas brincadeiras cotidianas a presença de 

letras, números e formas geométricas. 

C) Fotografar ou desenhar letreiros, placas de 

carros, sinais de trânsito, propagandas, etc.  

D) Participação em situações cotidianas que 

permitam a observação de sinalizações, como 
nos supermercados (visualização de rótulos, 
encartes, propagandas e sinalização das seções 
e dos produtos). 

E) Cópias dos textos observados em circulação, 

como por exemplo, copiar os nomes dos rótulos 
de produtos manuseados ou de placas 
indicativas das ruas. 

 
45. No processo de interação com o mundo, as 
crianças adquirem experiências de narrativas 
veiculadas pelas linguagens oral, escrita e visual. O 
contato com a diversidade dos textos orais e 
escritos por meio da participação em conversas 
cotidianas, o contato com textos simples (receitas, 
bilhetes, etc.) e outros da cultura oral (cantigas, 
adivinhas, etc.) amplia o repertório  das narrativas 
infantis. Entre as situações, propostas na escola, 
que ampliam o repertório e as capacidades de 
narrativas das crianças pequenas, podemos 
assinalar: 
I. Manuseio de livros e de outros portadores de 

texto. 

II. Exibição de filmes e de programas de TV. 
III. Participação em rodas de conversa com adultos 

e outras crianças. 

IV. Momentos de reconto onde as crianças falem de 

histórias ou de fatos vivenciados por elas 
mesmas. 

V. Reescrita de histórias ouvidas observando a 

estrutura do gênero trabalhado. 

 
 

serctam-2016-prefeitura-de-quixada-ce-professor-educacao-basica-i-educacao-infantil-prova.pdf-html.html

 

Estão corretas as afirmativas: 
A) I, II e III 
B) I, III e IV 
C) I, III e V 
D) II, III e IV 
E) II, III e V 
 
46. Na educação infantil, a rotina possui relevância 
por apresentar uma regularidade na organização do 
tempo, tão necessária às diferentes idades. Isso 
porque as atividades que se repetem regularmente 
passam a atuar como reguladores do tempo para as 
crianças, permitindo que elas se organizem no 
espaço e no tempo, por meio de referências que se 
tornam estáveis. Ao criar algumas referências na 
instituição, a criança é capaz de antecipar 
atividades que ocorrerão, tendo a possibilidade de 
organizar seu tempo, sentindo-se mais confiante. 
Sobre os tempos que devem compor a rotina da 
Educação Infantil, temos: 
A) Situações didáticas, rodas de conversa e tempo 

de parque. 

B) Acolhida, recreio e atividades dirigidas. 
C) Projeto pedagógico, rodas de conversa e tempo 

de brincadeira. 

D) Atividades permanentes, sequência de atividades 

e projetos de trabalho. 

E) Atividades permanentes, acolhida e projetos 

pedagógicos. 

 
47.  Em seus estudos,  acerca das concepções 
infantis de tempo, espaço, causalidade física, 
movimento e velocidade, Piaget criou um campo de 
investigação que denominou epistemologia 
genética: uma teoria do conhecimento centrada no 
desenvolvimento natural da criança. Segundo ele, o 
pensamento infantil passa por quatro estágios, 
desde o nascimento até o início da adolescência, 
quando a capacidade plena de raciocínio é atingida. 
Na sequência elaborada por Piaget, os estágios de 
desenvolvimento do pensamento da criança são 
respectivamente: 
A) Sensório-motor, pré-operatório, operatório 

concreto e operatório formal. 

B) Pré-operatório, sensório-motor, operatório 

concreto e operatório formal. 

C) Sensório-motor, assimilação, pré-operatório e 

operatório concreto. 

D) Pré-operatório, acomodação, adaptação e 

operatório formal. 

E) Desequilíbrio, assimilação, acomodação e 

adaptação. 

 
48. Na Educação Infantil, os conceitos matemáticos 
são trabalhados de forma intencional, a partir das 
experiências e vivências do dia a dia das crianças e 
de suas brincadeiras. A todo o momento, crianças 
participam de situações que envolvem noções da 
matemática. Portanto, o trabalho com os 
conhecimentos matemáticos deve ser realizado de 
forma articulada com essas vivências e sua função 
social, pois as crianças já operam com esses 

conhecimentos no seu cotidiano. De acordo com 
Lorenzato (2006), a exploração matemática na 
educação da primeira infância deve se manifestar 
em três campos: o espacial, o numérico e o campo 
das medidas. Seguindo a ordem,  acima citada, 
como exemplos de conceitos matemáticos 
correspondentes a esses campos, podemos citar: 
A) Seriação; ordenação; classificação. 
B) Leitura e escrita numérica; correspondência 

biunívoca; noções de peso e volume.  

C) Antes/agora/depois; mais/menos/muito/pouco; 

cheio/vazio/curto/comprido. 

D) Noções de tempo; inclusão de classe; medidas 

de peso e contagem. 

E)  Noções de espaço e formas; relações entre 

quantidades; noções de grandezas e medidas. 

 
49. As questões da estética sofreram 
transformações ao longo do tempo. Adolfo Sanchez 
Vázquez (1999), ao se posicionar frente à Estética 
como ciência do belo, nos alerta  que o estético 
também se denota na presença do feio, do trágico, 
do cômico, do sublime, do monstruoso. O 
fundamental para este autor é que o estético traz 
em si a qualidade do sensível e, diferentemente de 
algumas filosofias da arte, trata também das coisas 
do cotidiano. Segundo o autor, a Estética se ocupa 
também do estético não-artístico, ou seja, de uma 
ampla esfera de objetos elaborados pelo homem – 
produtos artesanais, artefatos mecânicos ou 
técnicos, artigos usuais da vida cotidiana–, que, se 
reagem  bem a uma finalidade extra-estética, 
também têm seu lado estético. 
Sobre a construção 
estética das crianças não  está coerente a 
afirmativa:  
A) As ações de educação estética precisam ser 

elaboradas considerando o contexto de vida e a 
faixa etária da criança. Esse processo é 
independente das concepções de arte dos 
professores ou ao contato que eles têm/tiveram 
com a arte, com a cultura visual, com a formação 
estética na sua formação inicial e continuada. 

B) Considera-se que o aprendizado estético, 

artístico e visual pode ocorrer desde os primeiros 
anos escolares com a realização de atividades 
diversificadas e mescladas com diálogos e 
discussão sobre os processos e resultados 
encontrados. 

C) É papel do professor da Educação Infantil 

promover a experiência estética, oferecendo 
condições para vivências e leituras das 
expressões culturais de modo crítico e reflexivo.  

D) No   exercício    da    educação    estética,    nos 

procedimentos de apreciação, reflexão e 
produção, aluno e professor têm a oportunidade 
de vivenciar a potência da cultura visual, de 
construir conhecimentos sensíveis, carregados 
de significados. Professor, aluno, criança, no 
contato com a arte, mediados pela educação 
estética, têm a chance de discutir e se apropriar 
de códigos visuais para ampliação 

das 

percepções de seu mundo e contexto. 

serctam-2016-prefeitura-de-quixada-ce-professor-educacao-basica-i-educacao-infantil-prova.pdf-html.html

10 

 

E) Os objetos e artefatos da cultura e da vida 

cotidiana provocam a imaginação da criança 
que, desde cedo, cria imagens, símbolos e 
histórias para estabelecer relações com o meio. 
O desenvolvimento artístico e estético da criança 
está atrelado ao ato simbólico e se relaciona 
com o brincar e com os avanços de suas 
capacidades imaginativas. 

 
50.  Os artigos 10 e 11 das Diretrizes Curriculares 
Nacionais para a Educação Infantil (DCNEI), que 
tratam especificamente da avaliação e das relações 
entre Educação Infantil e Ensino Fundamental, 
versam sobre como as instituições de Educação 
Infantil devem criar procedimentos para 
acompanhamento do trabalho pedagógico e para 
avaliação do desenvolvimento das crianças, 
garantindo:  
I. A observação crítica e criativa das atividades, das 

brincadeiras e interações das crianças no 
cotidiano;  

II. Utilização de múltiplos registros realizados por 

adultos e crianças (relatórios, fotografias, 
desenhos, álbuns etc.);  

III. A continuidade dos processos de aprendizagens 

por meio da criação de estratégias adequadas 
aos diferentes momentos de transição vividos 
pela criança (transição casa/instituição de 
Educação Infantil, transições no interior da 
instituição, transição creche/pré-escola e 
transição pré-escola/ Ensino Fundamental); 

IV. Documentação específica que permita às 

famílias conhecer o trabalho da instituição,  junto 
às crianças e aos processos de desenvolvimento 
e aprendizagem da criança na Educação Infantil;  

V. A retenção das crianças na Educação Infantil, 

caso as expectativas de aprendizagens 
referentes à etapa não sejam alcançadas pela 
criança, possibilitando assim, a consolidação de 
um processo de desenvolvimento qualitativo. 

 
Estão corretas: 
A)  Todas as alternativas. 
B)  Nenhuma das alternativas. 
C) Quatro alternativas. 
D) Três alternativas. 
E) Duas alternativas.