Prova Concurso - Arquitetura - UFRJ-2004-INFRAERO-ARQUITETO - NCE - UFRJ - 2004

Prova - Arquitetura - UFRJ-2004-INFRAERO-ARQUITETO - NCE - UFRJ - 2004

Detalhes

Profissão: Arquitetura
Cargo: UFRJ-2004-INFRAERO-ARQUITETO
Órgão: UFRJ
Banca: NCE
Ano: 2004
Nível: Superior

Downloads dos Arquivos

prova.pdf
gabarito.pdf

Provas relacionadas

ARQUITETOEBSERH2018
ESPECIALISTA-PORTUARIO-ARQUITETURAEMAP2018
ARQUITETOPREFEITURA2018

Gabarito

nce-ufrj-2004-infraero-arquiteto-gabarito.pdf-html.html

INFRAERO 

Concurso Público para AS III – ARQUITETO 

Gabarito da Prova Objetiva após Recurso

 

Realização - NÚCLEO DE COMPUTAÇÃO ELETRÔNICA - UFRJ 

 
 
 
 
 
 
 

Questão 

01  02  03  04  05  06  07  08  09  10  11  12  13  14  15  16  17 

18  19 

20 

Gabarito  B 

D  B 

D  B 

 
 

Questão 

21  22  23  24  25  26  27  28  29  30  31  32 

33 

34 

35 

36  37  38  39 

40 

Gabarito  E 

D  C 

 
 

(*) QUESTÕES 18, 19, 33, 35 e 40 ANULADAS  

 

Prova

nce-ufrj-2004-infraero-arquiteto-prova.pdf-html.html

    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PROVA OBJETIVA 

                                                                             

 

            

        2 

                        REALIZAÇÃO    

LÍNGUA PORTUGUESA 

 

TEXTO 1 

 
 

VÍTIMAS DOS VIDEOGAMES E COMPUTADORES 

                                            Ciência Hoje – agosto 2000 

 

Um novo fantasma ronda os consultórios pediátricos: 

as lesões músculo-esqueléticas. O alerta vem do médico 
Clóvis Artur Almeida da Silva, responsável pela Unidade 
de Reumatologia Pediátrica, do Instituto da Criança, do 
Hospital das Clínicas (HC), em São Paulo. Segundo o 
especialista, é cada vez maior o número de pacientes com 
dores e lesões músculo-esqueléticas provocadas pelo uso 
excessivo de videogames e computadores. Os sintomas da 
doença são dores nas mãos e nos punhos, fadiga, 
comportamento agressivo, cefaléia e dores no abdômen, na 
coluna e no tórax. Além disso, o médico alerta para outros 
problemas que podem estar  associados ao uso de 
computadores e videogames: a obesidade, o desinteresse 
pelo alimento (anorexia) e as convulsões por 
fotoestimulação, que acontecem em crianças já propensas 
ao problema. 
 
01  - Na primeira linha do texto, o autor compara as lesões 
músculo-esqueléticas a um “novo fantasma”; essa 
comparação se apóia no fato de que: 
 
(A)  as lesões referidas só apareceram recentemente, com 

os computadores; 

(B)  os fantasmas, como as lesões, produzem medo e 

preocupação; 

(C)  as lesões não aparecem nos exames médicos de 

rotina; 

(D)  lesões e fantasmas trazem dor aos pacientes; 
(E)  os fantasmas são criações da mente infantil. 
 
 
02  -  Hospital das Clínicas é uma expressão que aparece 
abreviada entre parênteses: HC. A abreviatura abaixo que 
segue idêntico critério de formação é: 
 
(A)  Rio Grande do Norte – RN; 
(B)  Amazonas – AM; 
(C)  Minas Gerais – MG; 
(D)  Rio Grande do Sul – RS; 
(E)  Paraíba – PB. 
 

 
 
03  - O fato de o texto mostrar o parecer de um médico do 
Hospital das Clínicas: 
 
(A)  indica que essa preocupação já chegou a todos os 

médicos; 

(B)  demonstra que as lesões são um fato mais amplo do 

que se imagina; 

(C)  traz ao texto certa seriedade e credibilidade; 
(D)  comprova que a ciência faz parte de nossa vida 

cotidiana; 

(E)  faz com que esse texto possa ser publicado numa 

revista de ciência. 

 
 
04  - Só  NÃO se pode dizer das lesões músculo-
esqueléticas que elas: 
 
(A)  vêm aparecendo em maior número de pacientes; 
(B)  causam problemas de vários tipos; 
(C)  aparecem devido ao uso excessivo de videogames; 
(D)  aumentaram após a invenção dos computadores; 
(E)  são derivadas de dores e de comportamento 

agressivo.  

 
 
05 - “...é cada vez maior o número de pacientes com dores 
e lesões músculo-esqueléticas provocadas pelo uso 
excessivo de videogames e computadores.”; isso quer dizer 
que: 
 
(A)  essas lesões vão atingir a todos nós, já que o uso de 

computadores se generalizou; 

(B)  só as crianças economicamente privilegiadas são 

atacadas pelas lesões; 

(C)  se não se instalassem games nos computadores, as 

lesões não existiriam; 

(D)  se o uso de computadores fosse mais disciplinado, as 

lesões se reduziriam; 

(E)  os adultos estão imunes a esse tipo de lesão. 
 
 
06  - As convulsões por fotoestimulação devem estar 
ligadas à(o): 
 
(A)  luminosidade; 
(B)  calor; 
(C)  postura; 

nce-ufrj-2004-infraero-arquiteto-prova.pdf-html.html

    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PROVA OBJETIVA 

                                                                             

 

            

        3 

                        REALIZAÇÃO    

(D)  movimento; 
(E)  som. 
 
 
07  - Entre os sintomas das lesões, aquele que pertence 
mais ao campo psicológico do que ao físico é: 
 
(A)  cefaléia; 
(B)  agressividade; 
(C)  obesidade; 
(D)  anorexia; 
(E)  fadiga. 
 
 
08  - Pelo conteúdo e estrutura do texto, pode-se dizer que 
sua preocupação maior é: 
 
(A)  ensinar; 
(B)  informar; 
(C)  prever; 
(D)  prevenir; 
(E)  atemorizar. 
 
 
09  - No título, ao designar os que sofrem as lesões como 
“vítimas”, o autor do texto: 
 
(A)  emite 

uma condenação dos videogames e 

computadores; 

(B)  relata os fatos como noticiário policial; 
(C)  insere no texto o jargão médico; 
(D)  mostra que a ignorância é a causa real dos males 

apontados; 

(E)  indica que só as crianças são afetadas pelas lesões. 
 

TEXTO 2 

 

O MITO DO NATURAL 

          Galileu,abril 2002 

 

Muitos remédios ainda são vendidos sem controle, em 

farmácias e barracas ambula ntes. Um exemplo é a 
porangaba, cujo consumo virou moda no ano passado, 
sendo amplamente divulgada e vendida em redes de 
televisão como um emagrecedor natural. De acordo com 
os especialistas, não há nada que comprove sua eficácia. 
 
 
10 - O título do texto 2, “O mito do natural”, já indica que: 
 
(A)  os remédios naturais estão sendo usados sem 

controle; 

(B)  as farmácias lucram excessivamente com os 

remédios naturais; 

(C)  os remédios naturais podem ser fruto de uma ilusão; 

(D)  os remédios naturais foram criados por leigos; 
(E)  os remédios tradicionais são menos usados que os 

naturais. 

 
11  -
 “...sendo amplamente divulgada e vendida em redes 
de televisão...”; esse segmento de texto deveria ficar mais 
adequado, se redigido do seguinte modo: 
 
(A)  ...sendo divulgada amplamente e vendida em redes de 

televisão...; 

(B)  ...sendo divulgada e vendida amplamente em redes de 

televisão...; 

(C)  ...sendo divulgada e vendida em redes de televisão 

amplamente...; 

(D)  ...sendo divulgada amplamente em redes de televisão 

e vendida...; 

(E)  ...sendo vendida amplamente em redes de televisão e 

divulgada... 

 
 
12  - “Muitos remédios ainda são vendidos sem controle”; 
uma outra forma igualmente correta e mais clara de 
veicular-se o mesmo conteúdo da frase destacada é: 
 
(A)  Ainda se vende muitos remédios sem controle; 
(B)  Vendem-se ainda muitos remédios sem controle; 
(C)  Muitos remédios sem controle ainda são vendidos; 
(D)  Vende-se muitos remédios ainda sem controle; 
(E)  São vendidos sem controle ainda muitos remédios. 
 
 
13  - O fato de muitos remédios serem vendidos em 
“barracas ambulantes” acentua: 
 
(A)  a sua pouca eficácia; 
(B)  a sua produção caseira; 
(C)  o seu status de produto natural; 
(D)  a falta de controle na venda; 
(E)  o seu caráter de “moda”. 
 
 
14  -  Ao  dizer que a porangaba não tem sua eficácia 
comprovada, o autor do texto quer dizer que o remédio 
aludido: 
 
(A)  não possui fórmula conhecida; 
(B)  tem efeitos colaterais danosos; 
(C)  não garante os resultados prometidos; 
(D)  tem fabricação sem controle científico; 

nce-ufrj-2004-infraero-arquiteto-prova.pdf-html.html

    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PROVA OBJETIVA 

                                                                             

 

            

        4 

                        REALIZAÇÃO    

(E)  possui efeitos positivos, apesar de ser natural. 
 
 
 
 
 

ARQUITETO 

 

15 - Os aeroportos de Belém, Natal e Brasília têm projetos 
de remodelação do arquiteto: 
 
(A)  Sérgio R. Parada; 
(B)  Paulo Casé; 
(C)  Acácio Gil Borsoi; 
(D)  Paulo Mendes da Rocha; 
(E)  Oscar Niemeyer. 
 
 
16  -  No projeto de circulações em edifícios públicos e 
industriais, atenção especial deve ser dada à relação entre: 
 
(A)  o comprimento do espaço e o número de usuários; 
(B)  o pé direito das salas e o número de usuários; 
(C)  o pé direito do espaço de circulação e o número de 

usuários; 

(D)  a largura, o número de aberturas para as circulações 

e o número de usuários; 

(E)  o pé direito do espaço e o número de aberturas para 

as circulações. 

 
 
17 - A direção da pista de um aeroporto deve ser: 
 
(A)  ortogonal à direção dos ventos dominantes; 
(B)  paralela à direção dos ventos dominantes; 
(C)  paralela à direção dominante da edificação; 
(D)  ortogonal à direção dominante da edificação; 
(E)  a 45° em relação à direção dos ventos dominantes.  
 
 
18
  -  Para distâncias de mais de 1m, as rampas para 
cadeirantes devem ter, aproximadamente:  
 
(A)  inclinação entre 6% e 10%, com apoios centrais e 

piso antiderrapante; 

(B)  inclinação entre 6% e 8%, com piso antiderrapante; 
(C)  inclinação entre 6% e 8%, com barras laterais e piso 

antiderrapante; 

(D)  inclinação entre 6% e 10%, com barras laterais; 

(E)  inclinação entre 6% e 10%, com barras laterais e piso 

antiderrapante.  

 
 
 
 
 
 
19 - Os símbolos gráficos 

 
são usados, respectivamente, para indicar revestimento de: 

 
(A)  piso, parede e teto; 
(B)  parede, teto e piso; 
(C)  teto, piso e parede; 
(D)  teto, parede e piso; 
(E)  parede, piso e teto. 
 
 
20
  -  Na especificação dos materiais para o projeto 
arquitetônico devem ser levados em consideração os 
seguintes fatores: 
 
(A)  dimensões do ambiente e resistência dos materiais ao 

calor; 

(B)  ofertas do mercado e relação dos fornecedores; 
(C)  características dos materia is e solicitações de cada 

ambiente; 

(D)  qualificação da mão-de-obra e cores dos materiais; 
(E)  durabilidade dos materiais e suas propriedades óticas. 
 
 
21  -  Para garantir a qualidade da pintura, a escolha e a 
aplicação das tintas deve obedecer a critérios: 
 
(A)  estéticos e subjetivos; 
(B)  econômicos e estéticos; 
(C)  de rapidez e de economia; 
(D)  práticos e estéticos; 
(E)  técnicos e econômicos. 
 
 
22
  -  A ferragem de uma peça estrutural em concreto 
armado no interior de uma edificação deve ter uma 
recobertura mínima de: 
 

nce-ufrj-2004-infraero-arquiteto-prova.pdf-html.html

    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PROVA OBJETIVA 

                                                                             

 

            

        5 

                        REALIZAÇÃO    

(A)  05 mm;  
(B)  15 mm;  
(C)  20 mm;  
(D)  30 mm; 
(E)  60 mm. 
 
 
 
 
23  - As tolerâncias dimensionais variam, de acordo com o 
sistema estrutural escolhido, na seguinte ordem 
decrescente:  
 
(A)  concreto armado, alvenaria estrutural e estrutura 

metálica; 

(B)  alvenaria estrutural, concreto armado e estrutura 

metálica; 

(C)  estrutura metálica, sistema auto-portante e concreto 

armado; 

(D)  sistema auto-portante, estrutura metálica e concreto 

armado; 

(E)  estrutura metálica, concreto armado e sistema auto-

portante. 

 
 
24 - No mesmo circuito elétrico devem estar ligados: 
 
(A)  só pontos de iluminação e de tomadas de ar 

condicionado; 

(B)  pontos de iluminação e de tomadas de uso geral; 
(C)  pontos de iluminação e de tomadas de uso específico 

ou um único ponto de tomada de corrente superior a 
10 A; 

(D)  só pontos de iluminação, só pontos de tomadas de uso 

geral ou um único ponto de tomada de corrente 
superior a 10 A; 

(E)  pontos de iluminação e pontos de tomadas de uso 

geral e específico ou um único ponto de tomada de 
corrente superior a 10 A. 

 
 
25 - O projeto de instalações elétricas de uma edificação:  
 
(A)  independe do projeto de iluminação; 
(B)  precede o projeto de iluminação; 
(C)  sucede o projeto de iluminação; 
(D)  é simultâneo ao projeto de iluminação; 
(E)  equivale ao projeto de iluminação. 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
26  - São itens a serem considerados na composição de um 
ambiente em interiores: 

 

(A)  a adequação dos materiais de acabamento, o desenho 

do mobiliário e a qualidade da iluminação; 

(B)  a adequação dos materiais de acabamento, o perfil do 

usuário e o número de elevadores;  

(C)  o desenho do mobiliário, a rede elétrica do pavimento 

e o diâmetro das tubulações; 

(D)  o desenho do mobiliário, o número de usuários e as 

dimensões dos elevadores; 

(E)  a qualidade da iluminação, as dimensões do ambiente 

e a rede elétrica do pavimento. 

 
 
27 - Os fatores mais importantes no sistema de iluminação 
de um edifício público são: 
 
(A)  o modo de incidência da luz e a sua intensidade; 
(B)  os níveis lumínicos das diversas áreas e a distância 

entre as luminárias; 

(C)  a eficiência energética e a facilidade de manutenção; 
(D)  os preços das lâmpadas e das luminárias; 
(E)  a altura de montagem e o desenho das luminárias. 
 
 
28  -  A sinalização de segurança de um canteiro de obras 
deve informar: 
 
(A)  a localização dos sanitários, das escadas e da saída; 
(B)  o local de armazenamento de materiais e a 

localização da saída; 

(C)  os locais com pé-direito inferior a 1,80m ou superior a 

2,10m e a localização das escadas;  

(D)  os locais onde há risco de queda e substâncias 

perigosas; 

(E)  o prazo de execução da obra, a localização das 

escadas e os locais com pé direito inferior a 1,80m. 

nce-ufrj-2004-infraero-arquiteto-prova.pdf-html.html

    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PROVA OBJETIVA 

                                                                             

 

            

        6 

                        REALIZAÇÃO    

 
 
29  -  Em uma circulação de edifício público as placas 
indicativas de sanitários devem estar localizadas: 
 
(A)  junto às portas, em pedestal e ao longo da circulação, 

também em pedestal; 

(B)  junto às portas, afixadas na parede; 
(C)  ao longo da circulação, afixadas na parede; 
(D)  ao longo da circulação, pendentes do teto e próximas 

às escadas; 

(E)  ao longo da circulação, pendentes do teto e junto às 

portas, afixadas na parede. 

30  -  Na elaboração de um plano diretor, a definição do 
zoneamento para implantação de aeroporto deve priorizar 
os seguintes fatores: 
 
(A)  topografia e condições materiais do terreno, rede de 

abastecimento de água, proximidade do centro da 
cidade; 

(B)  condições meteorológicas, proximidade da zona 

residencial, rede de transportes; 

(C)  condições meteorológicas, topografia e condições 

materiais do terreno, ocupação das terras 
circunvizinhas; 

(D)  condições meteorológicas, proximidade da zona 

residencial, rede de telecomunicações; 

(E)  topografia e condições materiais do terreno, ocupação 

das terras circunvizinhas, rede de abastecimento de 
água. 

 
 
31 - Na definição da vegetação para a área externa de um 
edifício público, devem ser considerados prioritariamente: 
 
(A)  as cores, a textura e o aroma das flores; 
(B)  o porte e a resistência das espécies; 
(C)  o tamanho das folhas e do caule e as cores das 

flores; 

(D)  a visibilidade do edifício e o porte das espécies; 
(E)  a distância entre as plantas e o edifício e a textura e o 

aroma de flores e frutos. 

 
 
32  -  Considerando que paisagismo não é imitação da 
natureza, mas sim construção da paisagem para o uso do 
homem, é correto afirmar que: 
 

(A)  a vegetação deve ocultar a edificação e as placas de 

sinalização; 

(B)  a edificação deve se superpor à vegetação, limitando 

a paisagem; 

(C)  os gramados devem ser artificiais para se integrar 

com os materiais usados na edificação; 

(D)  os caminhos devem ser asfaltados e a sinalização 

contrastante com a vegetação; 

(E)  as áreas externas e a edificação devem constituir a 

paisagem. 

 
 
 
 
 
 
 
33 - Uma fachada envidraçada voltada para leste: 
 
(A)  não precisa de proteção solar; 
(B)  pode ser protegida por  brises verticais fixos ou 

móveis; 

(C)  pode ser protegida por brises horizontais fixos; 
(D)  pode ser protegida por persianas; 
(E)  pode ser protegida por cortinas. 
 
 
34
  -  O isolamento térmico mais adequado para as 
tubulações de água quente é: 
 
(A)  a lã de vidro, se for aparente; 
(B)  o poliestireno expandido, se for embutida; 
(C)  a lã de vidro com proteção de alumínio corrugado, se 

for aparente; 

(D)  a argamassa isolante com proteção de alumínio 

corrugado, se for aparente; 

(E)  a argamassa de cimento e areia, se for embutida. 
 
 
35  -  Antes de iniciar um projeto para tratamento acústico 
de um setor administrativo de uma edificação deve-se 
determinar: 
 
(A)  apenas os níveis de ruído externo; 
(B)  os níveis de ruído adequados às atividades a serem 

exercidas nos ambientes;  

(C)  os ruídos mais freqüentemente produzidos nos 

ambientes e nas proximidades; 

nce-ufrj-2004-infraero-arquiteto-prova.pdf-html.html

    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PROVA OBJETIVA 

                                                                             

 

            

        7 

                        REALIZAÇÃO    

(D)  os maiores ambientes em que se produzem ruídos 

audíveis; 

(E)  os níveis de ruído externo e o tipo de esquadria 

projetado para a edificação. 

 
 
36 - O tipo de vidro mais adequado para fazer o isolamento 
acústico de uma torre de comando de um aeroporto é:  
 
(A)  vidro temperado de 8mm; 
(B)  vidro aramado de 5mm; 
(C)  vidro duplo laminado ou vidro duplo laminado 

temperado; 

(D)  vidro duplo temperado; 
(E)  vidro comum de 6mm. 
 
 
 
 
37 - A qualidade no gerenciamento e execução da obra: 
 
(A)  requer um planejamento estratégico e executivo para 

evitar as improvisações; 

(B)  prescinde de um planejamento, seja estratégico ou 

executivo; 

(C)  implica na produção de um projeto “as built” ao final 

da obra; 

(D)  baseia -se na quantificação dos materiais; 
(E)  limita-se ao planejamento do canteiro de obra. 
 
 
38  
-  Na construção de um edifício, os serviços sub-
contratados:  
 
(A)  são de total responsabilidade das empresas sub-

contratadas; 

(B)  devem ser acompanhados e fiscalizados pelo 

engenheiro ou arquiteto responsável pela obra; 

(C)  são independentes dos serviços regulares; 
(D)  têm prazo de carência; 
(E)  não estão inseridos no prazo da obra. 
 
 
39
  -  Para fiscalizar uma obra o profissional responsável 
deve: 
 
(A)  conhecer o cronograma da obra e o contrato jurídico; 
(B)  ter capacidade de improvisação e conhecer o projeto 

executivo parcial; 

(C)  ter diploma universitário e capacidade de liderança; 
(D)  ter intuição para detectar os erros de execução e 

conhecimento dos detalhes do projeto piloto; 

(E)  conhecer o projeto executivo e o cronograma da 

obra.  

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
40  -  As camadas de impermeabilização de coberturas 
planas ou terraços com manta asfáltica devem obedecer à 
seguinte ordem: 
 
(A)  argamassa de regularização da base,  primer

proteção mecânica, asfalto oxidado, manta asfáltica e 
proteção térmica; 

(B)  argamassa de regularização da base, proteção 

térmica,  primer, asfalto oxidado, manta asfáltica e 
proteção mecânica; 

(C)  argamassa de regularização da base, asfalto oxidado, 

primer, manta asfáltica, proteção mecânica e 
proteção térmica; 

(D)  argamassa de regularização da base, manta asfáltica,  

primer, asfalto oxidado, proteção mecânica e 
proteção térmica; 

(E)  argamassa de regularização da base,  primer, asfalto 

oxidado, manta asfáltica, proteção mecânica e 
proteção térmica.