Prova Concurso - Arquitetura - UFRJ-2006-ELETROBRAS-ARQUITETO - NCE - UFRJ - 2006

Prova - Arquitetura - UFRJ-2006-ELETROBRAS-ARQUITETO - NCE - UFRJ - 2006

Detalhes

Profissão: Arquitetura
Cargo: UFRJ-2006-ELETROBRAS-ARQUITETO
Órgão: UFRJ
Banca: NCE
Ano: 2006
Nível: Superior

Downloads dos Arquivos

prova.pdf
gabarito.pdf

Provas relacionadas

ARQUITETOEBSERH2018
ESPECIALISTA-PORTUARIO-ARQUITETURAEMAP2018
ARQUITETOPREFEITURA2018

Gabarito

nce-ufrj-2006-eletrobras-arquiteto-gabarito.pdf-html.html

CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S. A. – ELETROBRAS 

CONCURSO PÚBLICO – ARQUITETO – ARQT 

Gabarito da Prova de Objetiva após recurso

 

Realização - NÚCLEO DE COMPUTAÇÃO ELETRÔNICA - UFRJ 

 
 
 
 

Questão  01 02 03 04 05 06 07

08

09

10

11

12

13

14 15 16 17 18

19

20

Gabarito A A B B E D C A B C C B D A D E C B C B 
 
 
Questão  21 22 23 24 25 26 27

28

29

30

31

32

33

34 35 36 37 38

39

40

Gabarito 

*

 

*

 A B E 

*

  D E A C D A B 

E A D C C A 

 
 
Questão  41 42 43 44 45 46 47

48

49

50

51

52

53

54 55 56 57 58

59

60

Gabarito B  A  D 

A C A C B E E D C E D B B A D B 

 
Questão  61 62 63 64 65 66 67

68

69

70

Gabarito C D B E A A C B A E 

 
Questão 21: 

ANULADA 

Questão 22: 

ANULADA 

Questão 26: 

ANULADA 

Questão 34:

 

Alterada de 

B

 para 

C

 

Questão 44: 

ANULADA

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Prova

nce-ufrj-2006-eletrobras-arquiteto-prova.pdf-html.html

Demais atividades consultar Manual do Candidato ou www.nce.ufrj.br/concursos

A

B

C

E

                           ATIVIDADE

     DATA

                 LOCAL

CRONOGRAMA PREVISTO

Divulgação do gabarito 

- Prova Objetiva (PO)

16/01/2006

www.nce.ufrj.br/concursos

Interposição de recursos contra o gabarito (RG) da (PO)

17 e 18/01/2006

          NCE/UFRJ

Divulgação do resultado do julgamento dos recursos contra os RG

31/01/2006

www.nce.ufrj.br/concursos

da PO e o resultado final das PO

CONCURSO PÚBLICO - 2005

Analista de Nível Superior

INSTRUÇÕES GERAIS

• Você recebeu do fiscal:

Um caderno de questões contendo 70 (setenta) questões objetivas de múltipla escolha da Prova Objetiva e 03 (três)

questões da Prova Discursiva;

Um cartão de respostas personalizado para a Prova Objetiva;

Um caderno de respostas personalizado para a Prova Discursiva.

• É responsabilidade do candidato certificar-se de que o nome do cargo/perfil informado nesta capa de prova corresponde

ao nome do cargo/perfil informado em seu cartão de respostas.

• Ao ser autorizado o início da prova, verifique, no caderno de questões se a numeração das questões e a paginação estão corretas.

• Você dispõe de 5 (cinco) horas para fazer a Prova Objetiva e a Prova Discursiva. Faça-as com tranqüilidade, mas controle o seu

tempo. Este tempo inclui a marcação do cartão de respostas e o desenvolvimento das respostas da Prova Discursiva.

• Não será permitido ao candidato copiar seus assinalamentos feitos no cartão de respostas ou no caderno de respostas.

• Após o início da prova, será efetuada a coleta da impressão digital de cada candidato (Edital 01/2005 – Item 9.9 alínea a).

• Somente após decorrida uma hora do início das provas, o candidato poderá entregar o seu caderno de questões e o seu cartão

de respostas e seu caderno de respostas e retirar-se da sala de prova (Edital 01/2005 – Item 9.9 alínea c).

• Somente será permitido levar o seu caderno de questões ao final da prova, desde que permaneça em sala até este momento

(Edital 01/2005 – Item 9.9 alínea d).

• Após o término de sua prova, entregue obrigatoriamente ao fiscal o cartão de respostas  devidamente assinado e o caderno de

respostas.

• Os 3 (três) últimos candidatos de cada sala só poderão ser liberados juntos.

• Se você precisar de algum esclarecimento, solicite a presença do responsável pelo local.

INSTRUÇÕES - PROVA OBJETIVA

• Verifique se os seus dados estão corretos no cartão de respostas. Solicite ao fiscal para efetuar as correções na Ata de Aplicação

de Prova.

• Leia atentamente cada questão e assinale no cartão de respostas a alternativa que mais adequadamente a responde.

• O cartão de respostas NÃO pode ser dobrado, amassado, rasurado, manchado ou conter qualquer registro fora dos locais

destinados às respostas.

• A maneira correta de assinalar a alternativa no cartão de respostas é cobrindo, fortemente, com caneta esferográfica azul ou

preta, o espaço a ela correspondente, conforme o exemplo a seguir:

INSTRUÇÕES - PROVA DISCURSIVA

• Verifique se os seus dados estão corretos no caderno de respostas. Solicite ao fiscal para efetuar as correções na Ata de

Aplicação de Prova.

• Efetue a desidentificação do caderno de respostas destacando a parte onde estão contidos os seus dados.

• Somente será objeto de correção da Prova Discursiva o que estiver contido na área reservada para a respostaNÃO será

considerado o que estiver contido na área reservada para rascunho.

• O caderno de respostas NÃO pode ser dobrado, amassado, manchado, rasgado ou conter qualquer forma de identificação do candidato.

• Use somente caneta esferográfica azul ou preta.

AR

AR

AR

AR

ARQ

Q

Q

Q

QUITET

UITET

UITET

UITET

UITETO

O

O

O

O

AR

AR

AR

AR

ARQ

Q

Q

Q

QT

T

T

T

T

nce-ufrj-2006-eletrobras-arquiteto-prova.pdf-html.html

 

 

                                                                             

 

2 

ARQUITETO - ARQT   

LÍNGUA PORTUGUESA  

 

TEXTO – O PASTOREIO POLÍTICO 

 

                      Luiz Carlos Lisboa 

 

 O século que se orgulha de grandes conquistas no terreno dos 
direitos humanos e das liberdades públicas é o mesmo em que se 
desenvolveram as formas mais requintadas e esmagadoras de 
dominação política e de intimidação coletiva. Essa contradição 
flagrante, escândalo de nosso tempo, é pouco analisada porque 
estamos todos muito imersos nela. E, portanto, comprometidos 
demais para fazermos um juízo exato a seu respeito. Esse 
comprometimento inclui vítimas e algozes, e cega a ambos da 
mesma forma. 

 
 

01 - Segundo o primeiro período do texto, nosso século se 
caracteriza globalmente pela(pelo): 
 
(A)  oposição entre liberdades e opressão; 
(B)  orgulho pelas liberdades alcançadas; 
(C)  surgimento de novas formas de intimidação coletiva; 
(D)  aparecimento do respeito aos direitos humanos; 
(E)  antítese entre o público e o privado. 
 
 
02 - Na junção das palavras abaixo, a alternativa que mostra 
uma forma NÃO paralela estruturalmente às demais é: 
 
(A) grandes 

conquistas; 

(B) direitos 

humanos; 

(C) liberdades 

públicas; 

(D) dominação 

política; 

(E) intimidação 

coletiva. 

 
 
03 - Na frase “em que se desenvolveram as formas mais 
requintadas e esmagadoras de dominação política”, a forma 
verbal “se desenvolveram” tem como forma equivalente: 
 
(A) se 

desenvolverem; 

(B) foram 

desenvolvidas; 

(C) serão 

desenvolvidas; 

(D) eram 

desenvolvidas; 

(E)  se tivessem desenvolvido. 
 
 
04 - No segundo e terceiro períodos do texto, o segmento que 
mostra um julgamento de valor do autor do texto sobre a 
característica de nosso século destacada no primeiro período é: 
 
(A) contradição 

flagrante; 

(B)  escândalo de nosso tempo; 
(C) pouco 

analisada; 

(D) muito 

imersos; 

(E) juízo 

exato. 

 
 
 

05 - Segundo o texto, não podemos analisar claramente a 
situação porque: 
 
(A)  nos identificamos com as vítimas e com os algozes; 
(B)  somos intimidados coletivamente; 
(C)  estamos sempre comprometidos com um dos lados; 
(D)  somos cegos, por nossa ignorância; 
(E)  nos falta distanciamento histórico. 
 
 
06 - “E, portanto, comprometidos demais para fazermos um 
juízo exato a esse respeito. Esse comprometimento inclui 
vítimas e algozes”; o tipo de relação de coesão exemplificado 
nesse segmento do texto entre as palavras sublinhadas se repete 
em: 
 
(A)  Toda a população está atemorizada demais com a 

violência e esse medo tem causado muitos problemas; 

(B) Os direitos humanos têm sido desprezados pelas 

autoridades e se os desprezamos, caímos no caos; 

(C)  As autoridades políticas estão bastante atarefadas e esse 

trabalho exagerado tem impedido que projetos mais 
importantes sejam discutidos; 

(D)  As leis têm-se mostrado muito permissivas e essa 

permissividade tem incentivado a criminalidade; 

(E)  São bastante contraditórias as leis dos direitos humanos e 

essa oposição tem prejudicado a sua discussão. 

 
 
07 - “Esse comprometimento inclui vítimas e algozes”; na 
expressão da totalidade, o autor do texto construiu uma antítese 
(vítimas X algozes), construção que só NÃO ocorre em: 
 
(A)  direitos X deveres; 
(B)  público X privado; 
(C)  político X civil; 
(D)  coletivo X individual; 
(E)  compromisso X descompromisso. 
 
 
08 - A alternativa que NÃO aponta corretamente os termos que 
estão ligados, no texto, pela conjunção E é: 
 
(A)  dos direitos humanos e as formas mais requintadas; 
(B)  vítimas e algozes; 
(C)  dominação política e da intimidação coletiva; 
(D)  muito imersos nela e comprometidos demais; 
(E)  inclui e cega. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

nce-ufrj-2006-eletrobras-arquiteto-prova.pdf-html.html

 

 

                                                                             

 

3 

ARQUITETO - ARQT   

09 - O termo “pastoreio político” que dá título ao texto, só está 
ligado semanticamente a: 
 
(A) liberdades 

públicas; 

(B) dominação 

política; 

(C) formas 

requintadas; 

(D) grandes 

conquistas; 

(E) direitos 

humanos. 

 
 
10 - O termo “ambos”, presente na última linha do texto, refere-
se a: 
 
(A)  defensores e críticos dos direitos humanos; 
(B)  os que possuem e não possuem liberdades públicas; 
(C)  os que praticam e sofrem injustiças; 
(D)  as vítimas e os que sofrem intimidação coletiva; 
(E)  os que sofrem dominação política e intimidação coletiva. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

LÍNGUA INGLESA 

 

 

READ TEXT I AND ANSWER QUESTIONS 11 TO 15: 

 

 

TEXT I 

 

 

Sao Paulo's traffic congestion is notorious in Brazil 

 

As oil prices continue to hover above the $50-a-barrel 
mark, amid fears that the world may soon run out of 
fossil fuels, carmakers and politicians alike are desperate 
to come up with alternative ways to power the world's 
motor vehicles.
  
Even a man as closely linked with the oil industry as 
President George W Bush is now spreading the message 
that one day we may be growing our fuel instead of digging 
it out of the ground.  
"An interesting opportunity, not only for here but for the 
rest of the world, is biodiesel, a fuel developed from 
soybeans," he said on Tuesday night at his joint news 
conference with UK Prime Minister Tony Blair.  
For the owners of today's polluting gas-guzzlers, it is easy to 
see this as something for the far-distant future, an 
irrelevance that will not affect their lives for many years to 
come.  
But in Brazil, it is happening as we speak.  
Plant-powered cars  
In the mid - 1980s 

 before any other country even thought 

of the idea 

 Brazil succeeded in mass-producing biofuel for 

motor vehicles: alcohol, derived from its plentiful supplies 
of sugar-cane.  
Differently-powered cars were actually in the majority on 
Brazil's roads at the time, marking a major technological 
feat.  
But the programme that had put the country so far ahead 
was very nearly consigned to history when oil prices slid 
back from high levels seen in the 1970s.  
Alcohol-powered cars fell out of favour and languished in 
obscurity until last year, when production picked up again in 
a big way.  
Now Brazilians can buy cars that give them the chance to 
mix and match alcohol with regular fuel 

 and conventional 

motor vehicles that run purely on petrol are looking old-
fashioned once again. 

(www.newsvote.bbc.co.uk 2005/06/08) 

 
 
 

10 

20 

30 

nce-ufrj-2006-eletrobras-arquiteto-prova.pdf-html.html

 

 

                                                                             

 

4 

ARQUITETO - ARQT   

11 -  The first paragraph signals that: 
 
(A)  oil prices will decrease soon; 
(B)  carmakers and politicians will clash; 
(C)  fossil fuels will be difficult to find; 
(D)  motor vehicles will be powerful; 
(E)  the world may soon have a war. 
 
 
12 - “Gas-guzzlers”  (l.14) are cars that: 
 
(A)  are very expensive; 
(B)  use too much petrol; 
(C)  have small fuel tanks; 
(D)  are difficult to purchase; 
(E)  belong to collectors only. 
 
 
13 -
  “It is happening”  (l.18) refers to the fact that: 
 
(A)  cars are polluting the cities; 
(B)  Bush is spreading a message; 
(C)  soybean is not being planted; 
(D)  Brazil is producing biofuel; 
(E)  the car industry is blooming. 
 
 
14  -  “Marking a major technological feat” (ll.25-26) implies 
that the author is: 
 
(A) impressed; 
(B) upset; 
(C) doubtful; 
(D) worried; 
(E) relieved. 
 
 
15 - 
According to the text, when oil prices slid back, alcohol 
production: 
 
(A)  was finally implemented; 
(B)  received a lot of support; 
(C)  came to a final halt; 
(D)  was almost interrupted; 
(E)  became famous worldwide. 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

READ TEXT II AND ANSWER QUESTION 16: 

 

TEXT II 

 

Here is an ad from Time Magazine (Sept. 26, 2005): 

 

TO SATISFY MARKETS DEMANDS 

AND RESPECT THOSE WHO MAKE NO DEMANDS 

 

Every day Total turns 318 million litres of oil into everyday 
products that combine leading edge technology and respect for 
the environment. As a European leader in oil refining, we apply a 
very strict code to limit the impact of our activities on the 
surrounding air, water and soil – for the benefit of everyone living 
nearby, including the wildlife. 
 
16 -  The main strategy used in this ad is a concern for the 
product´s: 
 
(A) demand; 
(B) technology; 
(C) offer; 
(D) quality; 
(E) effect. 
  

 

 

READ TEXT III AND ANSWER QUESTIONS 17 TO 20: 

 

TEXT III 

 

When electricity prices quadruple over the course of a few 
months, many companies that are unhedged and unprepared 
get hurt. Because prices will probably rise again, companies 
that can make economic sense of price spikes will be better 
prepared to manage their energy costs. 

External Shocks  

Electricity price spikes can be caused by external shocks to 
the economy. A few producing countries, for example, 
largely control oil supply; oil is an oligopolistic market. By 
controlling supply, a few players effectively set the price.  
The  ripple effects of a shock depend upon its timing, 
magnitude, and type, and we cannot completely insulate 
ourselves from them. Fortunately, external shocks tend to be 
infrequent and easy to recognize. The price spikes in the 
electric market during the last few years are best explained 
by the fundamentals of commodity pricing and by problems 
associated with electric restructuring. 

 (http://www.gcglaw.com/resources/energy/spikes.html) 

 
 
 
 
 
 
 
 

10 

nce-ufrj-2006-eletrobras-arquiteto-prova.pdf-html.html

 

 

                                                                             

 

5 

ARQUITETO - ARQT   

17 - The  first sentence presents a(n): 
 
(A) warning; 
(B) suggestion; 
(C) assertion; 
(D) offer; 
(E) question. 
 
 
18 - In the context, “set the price” (l.10) means: 
 
(A)  resume the sequence; 
(B)  decide on the cost; 
(C)  evaluate the evidence; 
(D)  establish the production; 
(E)  assign the roles. 
 
 
19 -  When the author uses the word ripple in  “ripple effects”  
(l.11), he or she creates an image related to:  
 
(A) air; 
(B) energy; 
(C) water; 
(D) fire; 
(E) electricity. 
 
 
20 -  According to the text, external shocks are: 
 
(A) constant; 
(B) identifiable; 
(C) common; 
(D) avoidable; 
(E) harmless. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

CONHECIMENTOS SETOR ELÉTRICO 

 

21 - De acordo com a Lei nº 8.001, de 13 de março de 1990, a  
distribuição mensal da compensação financeira de que trata o 
art. 2º da Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 1989, será 
rateada entre: 
 
(A)  Estados e Ministério da Ciência e Tecnologia; 
(B)  Municípios e Ministério da Ciência e Tecnologia; 
(C) Estados, Municípios e Ministério da Ciência e 

Tecnologia; 

(D)  Estados, Municípios, Departamento Nacional de Águas e 

Energia Elétrica – DNAEE e Ministério da Ciência e 
Tecnologia; 

(E) Departamento Nacional de Águas e Energia Elétrica –   

DNAEE e Ministério da Ciência e Tecnologia. 

 
 
22
 - De acordo com a Lei nº 8.001, de 13 de março de 1990, a 
distribuição mensal da compensação financeira de que trata o 
art. 2º da Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 1989, será feita 
de forma que caberá ao Ministério da Ciência e Tecnologia o 
percentual de: 
 
(A) 45%; 
(B) 6%; 
(C) 2%; 
(D) 1%; 
(E) 0,1%. 
 
 
23 - 
De acordo com a Lei nº 9.074, de 07 de julho de 1995, é 
objeto de concessão, mediante licitação, a implantação de 
usinas termelétricas destinadas à execução de serviço público, 
com potência superior a: 
 
(A) 5.000kW; 
(B) 2.500kW; 
(C) 1.500kW; 
(D) 1.000kW; 
(E) 500kW. 
 
 
24 - De acordo com a Lei nº 9.074, de 07 de julho de 1995, 
nenhum aproveitamento hidrelétrico poderá ser licitado sem 
que o poder concedente defina o aproveitamento: 
 
(A) hidráulico; 
(B) ótimo; 
(C) hidroenergético; 
(D) máximo; 
(E) total. 
 
 
 
 
 
 
 
 

nce-ufrj-2006-eletrobras-arquiteto-prova.pdf-html.html

 

 

                                                                             

 

6 

ARQUITETO - ARQT   

25 - De acordo com a Lei nº 9.074, de 07 de julho de 1995, os 
novos consumidores terão livre escolha do fornecedor com 
quem contratará sua compra de energia elétrica, desde que sua 
carga seja maior ou igual a: 
 
(A) 50kW; 
(B) 300kW; 
(C) 500kW; 
(D) 1.500kW; 
(E) 3.000kW. 
 
 
26 - 
De acordo com a Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 
1989, a compensação financeira pela utilização de recursos 
hídricos, para fins de geração de energia elétrica, sobre o valor 
da energia produzida, será de: 
 
(A) 8%; 
(B) 6%; 
(C) 5%; 
(D) 3%; 
(E) 2%. 
 
 
27 - 
De acordo com a Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 
1989, a energia elétrica produzida pelas instalações geradoras 
com capacidade nominal igual ou inferior a 10.000kW fica: 
 
(A)  sujeita a cobrança de 2% do faturamento a título de 

compensação financeira; 

(B)  sujeita a cobrança de 4% do faturamento a título de 

compensação financeira; 

(C)  sujeita a cobrança de 6% do faturamento a título de 

compensação financeira; 

(D)  isenta do pagamento de compensação financeira; 
(E)  sujeita a cobrança de uma taxa sobre o faturamento, a 

título de compensação financeira, calculada 
proporcionalmente à área inundada. 

 
 
28 - 
De acordo com a Lei nº 9.427, de 26 de dezembro de 
1996, a Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL, em 
conformidade com as políticas e diretrizes do governo federal, 
tem por finalidade somente: 
 
(A)  regular e fiscalizar a produção de energia elétrica; 
(B)  regular e fiscalizar a transmissão de energia elétrica; 
(C)  regular e fiscalizar a produção e a transmissão de energia 

elétrica; 

(D)  regular e fiscalizar a transmissão e a distribuição de 

energia elétrica; 

(E)  regular e fiscalizar a produção, transmissão, distribuição e 

comercialização de energia elétrica. 

 
 
 
 
 
 

29 - De acordo com a Lei nº 9.427, de 26 de dezembro de 
1996, a realização de estudos de viabilidade, anteprojetos ou 
projetos de aproveitamento de potenciais hidráulicos: 
 
(A) não gera direito de preferência para a obtenção de 

concessão para serviço público ou uso de bem público; 

(B)  gera direito de preferência para a obtenção de concessão 

para serviço público ou uso de bem público; 

(C)  gera direito exclusivo para a obtenção de concessão para 

serviço público ou uso de bem público; 

(D)  gera direito de preferência para a obtenção de concessão 

para serviço público ou uso de bem público, desde que o 
poder público não manifeste o seu interesse; 

(E)  gera direito de preferência para a obtenção de concessão 

para serviço público ou uso de bem público, desde que a 
potência envolvida seja inferior a 50.000kW. 

 
 
30 -
 De acordo com a Lei nº 9.427, de 26 de dezembro de 
1996, a suspensão, por falta de pagamento, do fornecimento de 
energia elétrica a consumidor que preste serviço público ou 
essencial à população e cuja atividade sofra prejuízo deverá ser 
comunicada ao Poder Público local ou ao Poder Executivo 
Estadual com antecedência de: 
 
(A) 5 dias; 
(B) 10 dias; 
(C) 15 dias; 
(D) 30 dias; 
(E) 60 

dias. 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

nce-ufrj-2006-eletrobras-arquiteto-prova.pdf-html.html

 

 

                                                                             

 

7 

ARQUITETO - ARQT   

CONHECIMENTOS DE INFORMÁTICA 

 

 
 
 
 
 
 
 
31 -
 Considere a aplicação, na ordem apresentada, dos 
seguintes passos durante a edição de um documento no 
Microsoft Word 2000, versão em Português: 

 

• 

Selecionar a opção cabeçalho e rodapé do menu Exibir 

• 

Na barra de ferramentas que se abre, pressionar o ícone 

 (Inserir número da página) 

• 

Pressionar em seguida o ícone 

  (Inserir número de 

páginas) 

• 

Pressionar o botão Fechar  na barra de ferramentas 
Cabeçalho e rodapé 

 
Supondo-se que o documento tenha 25 páginas, após a 
aplicação deste procedimento o número que estará aparente no 
cabeçalho da quinta página será: 

 

(A) 5 
(B) 25 
(C) 55 
(D) 525 
(E) 2525 

 
 

32 - Observe o trecho de uma planilha Excel mostrado na 
figura a seguir: 

 

 

 

Se a fórmula mostrada for aplicada à célula D1, o valor da 
célula será: 

 

(A) 1 
(B) 2 
(C) 3 
(D) 4 
(E) 6 

 
 

33 - A seqüência de caracteres que indica o protocolo utilizado 
para carregar páginas Web é: 

 

(A) www 
(B) http:// 
(C) .br 
(D) url 
(E) hppt:\\ 

 

34 - Analise as seguintes afirmativas sobre a área de 
transferência no Microsoft Windows 2000, versão em 
Português: 
 

I -  A área de transferência pode reter vários objetos ao 

mesmo tempo. 

II -  Ao desligar o computador, os dados armazenados na 

área de transferência são perdidos. 

III - Os dados armazenados na área de transferência 

podem ser colados uma única vez. 

IV - A área de transferência pode armazenar somente 

texto. 

 

O número de afirmativas corretas é: 

 

(A) 0 
(B) 1 
(C) 2 
(D) 3 
(E) 4 

 
 

35 - Ao clicar com o botão direito do mouse sobre as unidades 
de armazenamento instaladas em um computador, uma delas 
apresentou a opção Desconectar-se. A unidade onde isso 
aconteceu é: 

 

(A) 

     

 

 

(B) 

     

 

 

(C) 

     

 

 

(D) 

     

 

 

(E) 

     

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Nas questões de 31 a 40, considere as configurações 
padrões de software e hardware, a não ser quando 
explicitamente especificado. 

nce-ufrj-2006-eletrobras-arquiteto-prova.pdf-html.html

 

 

                                                                             

 

8 

ARQUITETO - ARQT   

36 - Ao abrir um arquivo do MS-Excel 2000 em português, 
você se deparou com a seguinte mensagem: 

 

 

 

Nesse caso, é correto afirmar que: 

 

(A)  macros podem fazer parte de um arquivo idôneo; 
(B)  o arquivo contém vírus de macro; 
(C)  o arquivo está corrompido; 
(D)  parte do arquivo foi perdido; 
(E)  você vai perder parte das funcionalidades do arquivo. 

 
 

37 - Observe a figura a seguir extraída do MS-Word em 
português: 
 

 

 

Com relação à figura, é correto afirmar que: 

 

(A) a “Senha de proteção” impede que o arquivo seja 

apagado; 

(B)  a opção “Permitir gravações em segundo plano” permite a 

gravação de marcas-d’água; 

(C)  se for utilizada a opção “Recomendável somente leitura”, 

o arquivo não pode ser alterado por quem não possuir a 
senha de gravação; 

(D)  os itens “Criar sempre backup” e “Permitir gravação 

rápida” não podem ser utilizados simultaneamente; 

(E)  trata-se da versão MS-Word 97. 

38 - Considere as seguintes afirmativas sobre o 
compartilhamento de pastas e arquivos utilizando o MS-
Windows: 

 

I - 

C$ é um nome válido de um compartilhamento 
no MS Windows 2000; 

II - 

O MS Windows 2000 permite que se especifique 
os usuários que têm acesso a leitura e/ou escrita 
a suas pastas compartilhadas; 

III -  O MS Windows 95 não permite que suas pastas 

sejam compartilhadas; 

IV -  O MS Windows 98 pode restringir o acesso a 

suas pastas compartilhadas; 

V - 

Um usuário do MS Windows 98 não tem como 
acessar pastas compartilhadas em um 
computador utilizando o MS Windows 2000. 

 

A quantidade de alternativas corretas é: 

 

(A) 1 
(B) 2 
(C) 3 
(D) 4 
(E) 5 

 
 

39 - Observe a figura a seguir extraída do MS Word 2000 em 
português: 

 

 

 

Se você acidentalmente clicar no botão contendo um “x” no 
canto superior direito da figura: 
 
(A)  o item irá fechar, e para obter acesso a ele novamente, 

será necessário reinicializar o MS-Word; 

(B)  o item irá fechar, e para obter acesso a ele novamente, 

será necessário reinstalar o MS-Word; 

(C)  o item irá fechar, mas poderá ser restaurado através do 

menu “Exibir”; 

(D)  o item irá retornar para a sua posição original junto às 

outras barras de ferramentas; 

(E)  o MS-Word irá fechar. 

 
 
 
 
 
 
 
 
 

nce-ufrj-2006-eletrobras-arquiteto-prova.pdf-html.html

 

 

                                                                             

 

9 

ARQUITETO - ARQT   

40 - Observe o fragmento de planilha extraído do MS Excel 
2000 em português: 

 

 

 

Deseja-se aplicar uma transformação a esses dados de modo a 
obter o resultado mostrado na figura a seguir: 

 

 

 

Para se obter este resultado, todas as células mostradas são 
selecionadas e as opções no diálogo a seguir são preenchidas 
com valores apropriados.  

 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Estes valores são: 

 

(A)  Classificar por Mercadoria, Crescente; Em seguida por 

Preço, Decrescente, E depois por Fornecedor, 
Decrescente; 

(B)  Classificar por Fornecedor, Crescente, Em seguida por 

Preço, Decrescente, E depois por Mercadoria, Crescente; 

(C)  Classificar por Fornecedor, Crescente, Em seguida por 

Preço, Decrescente, E depois por Mercadoria, 
Decrescente; 

(D) Classificar por Preço, Crescente, Em seguida por 

Mercadoria, Crescente, E depois por fornecedor, 
Decrescente; 

(E)  Classificar por Mercadoria, Crescente; Em seguida por 

Preço, Decrescente, E depois por Fornecedor, Crescente. 

 
 

 
 
 
 

 

nce-ufrj-2006-eletrobras-arquiteto-prova.pdf-html.html

 

 

                                                                             

 

10 

ARQUITETO - ARQT   

ARQUITETO 

 

41 - Nos dias atuais o emprego de sistemas hidráulicos que 
reutilizam a água de forma direta ou indireta classificam-se em 
três modalidades, segundo a Organização Mundial da Saúde. 
Sobre o Reuso Indireto da água, está mais de acordo com os 
preceitos da O.M.S.:  
 
(A)  o processo que se aplica internamente nas instalações 

industriais para diminuir o consumo; 

(B)  a água já usada em habitação é descarregada nas águas 

superficiais a jusante e utilizada de forma diluída;  

(C)  o uso planejado e deliberado de esgotos tratados para 

certas finalidades como irrigação e uso industrial; 

(D)  o uso da água internamente a instalações industriais, 

tendo como objetivo a economia e o controle da poluição; 

(E)  o uso da água para recarga de aqüífero e na redução do 

consumo direto e indireto residencial. 

 
 
42
 - Sobre o planejamento urbanístico de “cidades-jardins”, 
criadas por  Ebenezer Howard, é correto afirmar que:  
 
(A) uma cidade-jardim não cresce por expansão da área 

urbanizada, mas pelo estabelecimento de uma nova 
cidade, além da zona do campo; 

(B)  o autor prevê uma ocupação equilibrada para as cidades-

jardins, com aproximadamente metade da população 
dedicada às atividades agrícolas e a outra metade dedicada 
aos serviços e outros tipos de produção; 

(C) a cidade-jardim pertence ao modelo culturalista pela 

preeminência atribuída aos valores individuais das 
pessoas e às relações humanas; 

(D)  a população é dona, em caráter coletivo, dos terrenos nos 

quais são construídos os parques, mas os terrenos 
dedicados às instituições, como teatros, igrejas e 
universidades, são mantidos como propriedade privada; 

(E)  o crescimento de uma cidade-jardim se faz pela expansão 

vertical e aumento da área limítrofe urbanizada, de modo 
a preservar os parques existentes no seu interior. 

 
43 - A área conhecida como “Zona Urbanizável” 
(Urbanizeable Zone) é aquela: 
 
(A) situada na periferia de um loteamento contíguo ou não 

urbanizado; 

(B) caracterizada por utilização urbana em oposição à 

utilização rural; 

(C) interna do perímetro urbano com malha urbana 

considerável; 

(D) situada fora e distante do perímetro urbano, contígua ou 

não à zona urbanizada; 

(E)  de expansão da malha urbana, situada dentro do perímetro 

urbano legalmente instituído. 

 
 
 
 
 

44 - A taxa de ocupação de um lote é um dos instrumentos 
urbanísticos previstos nos códigos de obras para regulamentar 
as edificações nos municípios. Considere a planta de situação 
(sem escala) da construção de dois pavimentos apresentada 
abaixo:  

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

De acordo com a planta, a taxa de ocupação é:  
 

(A)  15% a 20% 
(B)  20% a 25% 
(C)  25% a 35% 
(D)  35% a 50% 
(E)  mais de 50% 
 
 
 

3

1 3

1

3

15 

17 

1

o

 pavimento 

3

1 3

  

5

15 

17 

 

 

 

2

o

 pavimento, menor que o 1

o

  

nce-ufrj-2006-eletrobras-arquiteto-prova.pdf-html.html

 

 

                                                                             

 

11 

ARQUITETO - ARQT   

45 - Pela legislação federal de parcelamento do solo urbano, 
considera-se lote o terreno servido de infra-estrutura básica 
cujas dimensões atendam os índices urbanísticos definidos pelo 
plano diretor ou lei municipal para a zona em que se situe. No 
caso de parcelamentos de solo situados nas zonas declaradas 
por lei como de interesse social (ZHIS), a infra-estrutura básica 
exigida consistirá, no mínimo, de: 
 
(A)  vias de circulação, escoamento de águas pluviais, rede 

para o abastecimento de água potável; soluções para o 
esgotamento sanitário; soluções para a energia elétrica 
domiciliar; 

(B)  rede para o abastecimento de água potável; rede para o 

esgotamento sanitário; escoamento de águas pluviais; vias 
de circulação; soluções para a energia elétrica pública e 
domiciliar; 

(C)  soluções para o esgotamento sanitário; soluções para o 

abastecimento de água potável; vias de circulação; 
soluções para energia elétrica pública e domiciliar; 

(D)  rede para o esgotamento sanitário, vias de circulação 

pavimentadas, rede para o abastecimento de água potável, 
rede para o escoamento de águas pluviais, soluções para 
energia elétrica pública e domiciliar; 

(E)  soluções para o escoamento de águas pluviais; rede para o 

esgotamento sanitário; rede para o abastecimento de água 
potável; soluções para energia elétrica domiciliar. 

 
 
46 - Os projetos complementares de um projeto de arquitetura 
devem ser desenvolvidos na seguinte fase: 
 
(A)  antes do ante-projeto; 
(B)  após o projeto executivo; 
(C)  após o ante-projeto; 
(D)  juntamente com o estudo preliminar; 
(E)  na revisão final do projeto de aprovação. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

47 - Pela norma brasileira, os disjuntores são dispositivos de 
manobra e proteção, capazes de estabelecer, conduzir e 
interromper correntes em condições normais do circuito. Os 
dispositivos DR (dispositivos de proteção a corrente 
diferencial-residual) têm como finalidade a proteção de vidas 
humanas contra acidentes provocados por choques elétricos, no 
contato acidental com condutores (fios, cabos, rede, etc.) ou 
equipamentos elétricos (massas) energizadas, oferecendo 
também proteção contra incêndios. Os valores especificados 
pela norma da corrente de fuga (mA) que os DR devem atender 
para segurança de seres humanos e instalações industriais são:  
 
(A) dispositivos DR de alta sensibilidade (30 mA) para 

proteção contra choques elétricos acidentais em pessoas;  

(B)  dispositivos DR de alta sensibilidade (500 mA) para 

proteção contra choques elétricos acidentais em pessoas; 

(C)  dispositivos DR de baixa sensibilidade (30 mA) para 

proteção contra choques elétricos acidentais em 
equipamentos; 

(D)  dispositivos DR de baixa sensibilidade (500 mA) para 

proteção contra choques elétricos acidentais em pessoas; 

(E)  dispositivos IR de alta sensibilidade (500 mA) para 

proteção contra choques elétricos acidentais em pessoas. 

 
 
48 - A Norma Brasileira – NBR 5410 especifica um número 
(limite) máximo de ocupação de condutores (fios e/ou cabos) 
no interior de um eletroduto. Essa capacidade inclui os 
condutores Fase, Neutro, Retorno e de Proteção (Terra). De 
acordo com essa norma, no interior do eletroduto deve haver: 
 
(A)  sete condutores;  
(B)  oito condutores;  
(C) nove condutores; 
(D)  dez condutores;  
(E) doze 

condutores. 

 
 
49 - Um aterramento é uma ligação intencional com a terra, 
realizada por um condutor ou por um conjunto de condutores 
enterrados no solo, que constituem o eletrodo de aterramento. 
A compreensão dos aspectos conceituais da proteção contra 
choques elétricos (contatos indiretos) é de relevante 
importância. Para proteção de pessoas e equipamentos, podem 
ser empregados dispositivos de proteção contra choques 
elétricos por seccionamento automático e um esquema de 
aterramento. Os três esquemas de aterramento mais utilizados 
são: 
 
(A)  TQ, TS e TT; 
(B)  TN, TT e IT; 
(C)  TS, TT e TM; 
(D)  TT, TQ e TN; 
(E)  TM, TT e IT.  
 
 
 
 
 
 

nce-ufrj-2006-eletrobras-arquiteto-prova.pdf-html.html

 

 

                                                                             

 

12 

ARQUITETO - ARQT   

50 - A Norma Brasileira – NBR 5410 – especifica que os 
condutores (fios e/ou cabos) tenham uma identificação por 
meio de cores em seu material isolante (isolação), isto é, os 
condutores Fases, Neutros e de Proteção (Terra) devem possuir 
em sua isolação a cor específica para a sua função. A 
alternativa correta é: 
 
  
(A)  condutor fase – verde, condutor neutro – amarelo e 

condutor de proteção – preto; 

(B)  condutor fase – cinza, condutor neutro – verde e condutor 

de proteção – vermelho; 

(C)  condutor fase – preto, condutor neutro – vermelho e 

condutor de proteção – azul claro; 

(D)  condutor fase – azul claro, condutor neutro – preto e 

condutor de proteção – amarelo; 

(E)  condutor fase – amarelo, condutor neutro – azul claro e 

condutor de proteção – verde. 

 
 
51 - A Norma Brasileira – NBR 5410 – determina que os 
condutores (fios ou cabos) para instalações elétricas prediais 
em baixa tensão devem obedecer os diâmetros mínimos 
segundo o seu emprego e/ou função. A alternativa correta é: 

 

(A)  iluminação e tomadas de uso geral diâmetro mínimo de 

∅ 

1,0 mm

2

(B)  iluminação e tomadas de uso geral diâmetro mínimo de 

∅ 

1,0 mm

2

 e motores diâmetro mínimo de 

∅ 1,5 mm

2

(C)  aparelhos de aquecimento de água diâmetro mínimo de 

∅ 

2,5 mm

2

 e motores diâmetro mínimo de 

∅ 1,5 mm

2

(D)  aparelhos de aquecimento de água diâmetro mínimo de 

∅ 

1,5 mm

2

 e motores diâmetro mínimo de 

∅ 2,5 mm

2

(E)  iluminação e tomadas de uso geral diâmetro mínimo de 

∅ 

1,5 mm

2

 e motores diâmetro mínimo de 

∅ 2,5 mm

2

 
 
52 - Em instalações de esgoto sanitário predial, a Norma 
Brasileira – NBR 8160 – especifica os diâmetros mínimos para 
cada tubulação segundo o seu emprego. Sabemos que em uma 
instalação predial de tipologia habitacional existem as 
tubulações de esgoto sanitário primário e secundário.  Esses 
diâmetros mínimos, segundo o seu emprego, são: 
 
(A) esgoto primário de bacia (vaso) sanitária: 100 mm e 

esgoto primário do lavatório: 40 mm;   

(B)  esgoto primário de bidê: 50 mm e esgoto secundário de 

chuveiro: 50 mm; 

(C)  esgoto primário de bacia (vaso) sanitária: 75 mm e esgoto 

secundário de pia de cozinha: 75 mm;      

(D)  esgoto primário de bacia (vaso) sanitária: 100mm e esgoto 

secundário de chuveiro: 40 mm;      

(E)  esgoto primário de bidê: 50 mm e esgoto secundário de 

pia de cozinha: 50 mm.       

 
 
 
 
 
 

53 - Em uma instalação hidráulica predial ocorre um fenômeno 
denominado “golpe de aríete” que origina danos à coluna 
hidráulica que alimenta, por exemplo, uma válvula de 
descarga, empregada normalmente em bacia (vaso) sanitária. 
Esse fenômeno se deve, principalmente, a: 
 
(A)  tubulação de elevado diâmetro interno com o Coeficiente 

“K” alto; 

(B)  tubulação de reduzido diâmetro interno com o Coeficiente 

“K” baixo; 

(C)  velocidade elevada da água no interior da tubulação é 

bruscamente interrompida na válvula de descarga; 

(D)  velocidade elevada da água no interior da tubulação é 

gradativamente interrompida na válvula de descarga; 

(E)  tubulação de reduzido diâmetro interno com o Coeficiente 

“K” alto. 

 
 
54 - Na especificação e dimensionamento de um projeto para 
Iluminação Pública, deve prevalecer alto Índice de Reprodução 
de Cor (IRC) e elevada Eficiência Luminosa da fonte (lm/W). 
Seja a sua aplicação em um parque com vegetação distribuída 
de forma orgânica e com vias de acessos para veículos (tráfego 
leve) e pessoas. A fonte artificial mais adequada para esse 
projeto é: 

 

(A)  lâmpada de descarga de Vapor de Mercúrio de 400 W; 
(B)  lâmpada de descarga de Vapor de Sódio de 400 W; 
(C)  lâmpada incandescente de Vapor de Sódio de 400 W; 
(D)  lâmpada incandescente de Multi-Vapores Metálico de 

400W; 

(E)  lâmpada de descarga de Multi-Vapores Metálico de    400 

W. 

 
 
55 - Num sistema de esgotamento de fossas sépticas e 
sumidouros, a relação adequada entre a superfície dos sólidos 
(A) e os seus volumes (V) é: 
 
(A)  A/V média para as fossas e A/V alta para os sumidouros; 
(B) A/V média para as fossas e A/V média para os 

sumidouros; 

(C)  A/V alta para as fossas e A/V baixa para os sumidouros; 
(D)  A/V baixa para as fossas e A/V alta para os sumidouros; 
(E)  A/V baixa para as fossas e A/V baixa para os sumidouros. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

nce-ufrj-2006-eletrobras-arquiteto-prova.pdf-html.html

 

 

                                                                             

 

13 

ARQUITETO - ARQT   

56 - No escoamento de águas pluviais em vias não 
pavimentadas de um loteamento, uma vez iniciado o 
desenvolvimento de um sulco de erosão no leito viário, 
dificilmente a água voltará a escoar pelo local previsto 
inicialmente. Por isso, visando a prevenção da erosão, é 
importante que o projeto de drenagem das águas pluviais 
contemple a implantação de obras com critérios diferenciados 
nos locais potencialmente mais problemáticos quanto ao 
desenvolvimento dos processos erosivos. Os problemas de 
erosão causados pelo escoamento de águas pluviais são mais 
facilmente observados em: 
 
(A) aterros confinados; trechos de declividade acentuada; 

pontos de exposição do solo de alteração; 

(B) aterros desconfinados; trechos ao longo das sarjetas; 

pontos de mudança de direção do escoamento das águas 
pluviais; 

(C) taludes de seção mista; trechos ao longo das sarjetas; 

locais de dissipação dos talvegues; 

(D) trechos de direção constante do escoamento das águas 

pluviais; aterros desconfinados; taludes de seção mista; 

(E) trechos em que não há declividade longitudinal ou 

transversal na via; pontos de mudança de direção do 
escoamento das águas pluviais; locais de dissipação dos 
talvegues. 

 
 
57 - Numa pavimentação urbana, os blocos intertravados 
devem ser assentados sobre: 
 
(A) solo natural regularizado ou camada de areia compactada, 

com argamassa cujo traço deve ser rico em cimento; 

(B) uma sub-base de areia ou concreto magro, devidamente 

compactada e com o uso de areia e compactados após a 
colocação; 

(C) uma ou mais camadas de concreto rolado, compactadas 

antes do início da pega, com argamassa cujo traço deve ser 
medianamente rico em cimento; 

(D) solo natural regularizado e uma camada de material 

granular, como brita 1, usando argamassa à base de cal e 
areia na colocação; 

(E) lastro de pedra britada ou cascalho, devidamente 

compactado, colocados com argamassa sem saibro e 
compactados após a colocação. 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

58 - Ao executar uma pintura interna em tinta látex PVA sobre 
uma parede já pintada, a pintura antiga deve ser totalmente 
raspada da parede no caso da pré-existência do seguinte 
acabamento: 
 
(A) caiação; 
(B) látex; 
(C) acrílico; 
(D) óleo; 
(E) esmalte sintético. 
 
 
59 - As propriedades técnicas e estéticas da madeira 
contribuem para que o material seja largamente utilizado na 
Construção Civil. A respeito da madeira em construção civil, é 
correto afirmar que: 
 
(A) o desdobro normal origina peças de melhor qualidade e 

durabilidade, sem os possíveis empenos originados no 
desdobro radial. Porém, os custos e as sobras são 
majorados nesse sistema de corte das toras de madeira; 

(B)  com umidade interna de até 40% - semi-seca ou seca ao ar, 

possui resistência mecânica elevada, se comparada aos 
concretos de mesmas dimensões; 

(C)  a época do corte não influencia a durabilidade da madeira, 

mas a sua resistência é bastante prejudicada; 

(D) possui resistência mecânica a esforços de compressão e 

resistência aos esforços de tração na flexão significativas e 
compatíveis com as solicitações das estruturas das 
edificações residenciais; 

(E) com uma umidade interna de até 13% - comercialmente 

seca, possui alto grau de resistividade elétrica. 

 
 

60 - Para a colocação da armação negativa em um trecho da 
laje L5 de 10,0m x 4,0m x 0,09m, a quantidade de vergalhões 
CA-50 - 48 n4 ø 6.3 c. 7,5 c = 255, a ser utilizada, tendo em 
vista a tabela abaixo, é: 

 

Diâmetro Nominal 

(DN) (mm) 

Massa Nominal 

(Kg/m) 

6.3 0,25 
8,0 0,39 

10,0 0,61 
12,5 0,96 

 

(A) 4,78 kg 
(B) 30,6 kg 
(C)  90 kg  
(D) 122,4 kg 
(E) 229,5 kg 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

nce-ufrj-2006-eletrobras-arquiteto-prova.pdf-html.html

 

 

                                                                             

 

14 

ARQUITETO - ARQT   

61 - Observe a Curva de Distribuição Normal, a fórmula  
fcj = fckc + 1,65 x sd” e verifique as seguintes condições: 
 

I-  O objetivo de se ter uma dosagem do concreto em 

conformidade com as Normas Brasileiras; 

II-  Aprovação da concretagem da estrutura. 

 

 
 

Pode-se concluir que: 

 

(A)  o desvio padrão não deve ultrapassar 1,0 MPa; 
(B)  o “sd” não depende da qualidade da execução; 
(C)  o “fck (estimado) ≥ fckc” em 95% das amostras; 
(D)  o “fcj” independe do tipo de cimento a ser utilizado na 

concretagem; 

(E)  o “fcj” não pode ser inferior ao fck (estimado). 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

62 - Observe o gráfico das tensões e das deformações dos aços 
para o concreto armado:  

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
As determinações obtidas nos ensaios de tração das amostras 
são as seguintes: 
 
(A)  no segmento C-D, o patamar de escoamento tem o seu 

trecho mais importante, pois é nele que ocorrem 
deformações acentuadas se comparadas ao reduzido 
acréscimo de carga; 

(B)  no segmento B-C, a fase plástica já foi ultrapassada e o 

rompimento da amostra é iminente, não havendo como 
impedi-lo, mesmo que a carga seja anulada; 

(C)  no segmento A-B, o Módulo de Elasticidade é igual a 1, o 

que significa que o material está na fase elástica e sua 
deformação é inversamente proporcional às tensões; 

(D)  o ponto D demonstra que o material alcança tensões 

maiores que a de escoamento, tendo em vista a estricção 
que ocorre na amostra. No ponto τR, o material se rompe 
com a menor área de sua seção transversal; 

(E) no trecho τe-C, o chamado “patamar de escoamento”, as 

deformações se tornam permanentes, mesmo havendo 
uma redução na amplitude das deformações. Desse 
segmento até o ponto τR, pode ser medido o alongamento 
total da amostra. 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

fcd

fcj

fck (

)

estimado

fck

sd

c

5%

-

 

e

r

 

p

R

T

 

Tensão

B

 

C

 

D

 

ε

 

-Deformação

τ 

τ 

τ 

τ 

A

 

nce-ufrj-2006-eletrobras-arquiteto-prova.pdf-html.html

 

 

                                                                             

 

15 

ARQUITETO - ARQT   

63  -  A ventilação natural adequada é uma das maneiras de 
reduzir o consumo de energia com o condicionamento de ar. A 
configuração correta do fluxo de ar no interior de uma 
edificação é determinada pelo (a): 
 
(A)  tamanho e localização das aberturas de entrada do ar nas 

paredes; existência de alta pressão no exterior da 
edificação; densidade do material utilizado no fechamento 
das aberturas; 

(B)  tamanho e localização das aberturas de entrada do ar nas 

paredes; tipo e configuração das aberturas usadas; 
localização de componentes arquitetônicos nas 
proximidades das aberturas; 

(C)  tamanho das aberturas de entrada do ar nas paredes; 

coeficiente de rugosidade das paredes externas; tipo e 
configuração das aberturas usadas; 

(D)  existência de baixa pressão no exterior da edificação; 

localização das aberturas de entrada e saída de ar nas 
paredes; localização de componentes arquitetônicos nas 
proximidades das aberturas; 

(E)  tipo e configuração das aberturas usadas; existência de 

pressão homogênea no interior da edificação, localização 
correta das aberturas. 

 
 
64 -  Considere o diagrama solar (latitude 23º S), e as fachadas 
(1, 2, 3, 4 e 5) da edificação comercial ilustrada na planta 
abaixo: 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 

Como elementos protetores da radiação solar direta, devem ser 
recomendadas a colocação de brises: 
 
(A)  horizontais, nas fachadas 1, 3 e 4; verticais, nas fachadas 

2 e 5; 

(B)  verticais, na fachada 1; horizontais, nas fachadas 2 e 5; 

não há necessidade de brises nas fachadas 3 e 4; 

(C)  verticais, nas fachadas 1, 2, 3 e 5; na fachada 4 não há 

necessidade de brises; 

(D)  horizontais, nas fachadas 1, 2 e 5; horizontais e verticais, 

nas fachadas 3 e 4; 

(E)  horizontais, na fachada 1; horizontais e verticais, nas 

fachadas 2 e 5; verticais, nas fachadas 3 e 4. 

 
 
65 - Ao elaborar os princípios de desenho bioclimático 
adequado ao espaço urbano e/ou ao lugar, OLGYAY propõe 
critérios relativos à seleção do tecido urbano e às 
características dos espaços públicos. Em relação ao tecido 
urbano, os critérios mais adequados propostos por OLGYAY 
são: 

 

(A)  exposição aos ventos, altura dos edifícios, exposição ao 

Sol, densidade, compacidade;  

(B) seleção do sítio, declividades, altura, orientação, 

paisagismo, altura das edificações, exposição ao Sol; 

(C) vegetação, variedade, sombra, altura das edificações, 

altura da folhagem, declividades, variedade topográfica; 

(D) paisagismo, sombra, absorção da radiação, tipos de 

material superficial, variedade topográfica, exposição ao 
Sol; 

(E)  seleção do sítio, paisagismo, altura das edificações, 

exposição ao Sol, declividades, sombra. 

 
 
66 - Um dos principais elementos influenciadores no Conforto 
Ambiental em uma edificação ou grupo de edificações é a 
ventilação natural, isto é, o efeito dos ventos nas superfícies e 
aberturas das construções. Em regiões em que a necessidade de 
ventilação é alta, as áreas densamente construídas, onde se 
concentram uma elevada quantidade de prédios em altura, 
produzem outro efeito aerodinâmico do vento que pode ser 
controlado ou evitado, o Efeito de Venturi. Para atenuar este 
efeito aerodinâmico deve-se:  

 

(A) aumentar o espaçamento entre as edificações que 

constituem os braços (os segmentos laterais), numa 
distância maior que a altura média das mesmas; 

(B)  construir na maior a altura e reduzir o comprimento dos 

braços (os segmentos laterais); 

(C)  diminuir o adensamento das edificações no entorno 

imediato; 

(D) aumentar o comprimento dos braços (os segmentos 

laterais), inserindo mais  edificações e diminuindo o 
espaçamento entre elas; 

(E)  aumentar o comprimento dos braços (os segmentos 

laterais) e reduzir as alturas das edificações. 

 
 
 
 

nce-ufrj-2006-eletrobras-arquiteto-prova.pdf-html.html

 

 

                                                                             

 

16 

ARQUITETO - ARQT   

67 - Um dos métodos para o dimensionamento luminotécnico 
de um ambiente quando se define o Nível de Iluminância é o 
Método do Fluxo Luminoso (Método dos Lumens). Esse 
método procura definir a iluminação necessária em um plano 
(de trabalho) considerado para uma determinada tarefa. Entre 
as variáveis determinantes na dinâmica do processo de 
dimensionamento, podem-se citar: 
 
(A) Intensidade luminosa (E), Nível de Iluminância (cd), 

Fluxo luminoso (

∅); 

(B)  Intensidade luminosa (E), Fator de utilização (

η), Nível 

de Iluminância (cd); 

(C)  Fluxo Luminoso (

∅), Nível de Iluminância (E), Fator de 

depreciação (d); 

(D)  Intensidade luminosa (E), Fator de depreciação (d), Fator 

de utilização (

η); 

(E)  Fluxo luminoso (E), Intensidade luminosa (cd), Nível de 

Iluminância (

η). 

 
 
68
 - Desde que começaram a ser construídos no Brasil os 
primeiros edifícios com fachadas em vidro, este material 
evoluiu bastante, havendo hoje no mercado várias opções 
disponíveis, que podem compatibilizar o recebimento 
suficiente de luz natural com uma redução do ganho térmico. 
Ao especificar um tipo de vidro a ser colocado numa fachada 
orientada corretamente, é necessário conhecer o fator solar do 
material. Para isso, é preciso que o arquiteto tenha em mente 
que a radiação solar, ao atingir o vidro: 
 
(A)  é plenamente absorvida pelo material e retransmitida para 

o interior do ambiente, sendo esta parte ampliada em até 
três vezes, causando um “efeito estufa” no local; 

(B)  decompõe-se, sendo uma parte transmitida diretamente 

para o interior do ambiente; outra refletida para o 
exterior; outra é absorvida pelo vidro e depois reenviada 
para o exterior e para o interior, simultaneamente; 

(C)  é plenamente absorvida pelo material e retransmitida para 

o interior do ambiente, ampliada em 50% se a 
temperatura externa for de até 28ºC, podendo chegar até 
62%, caso a temperatura externa esteja acima de 28ºC; 

(D)  decompõe-se, sendo uma parte reenviada para o ambiente 

externo e outra transmitida para o ambiente interno, de 
onde só sairá quando a temperatura exterior esfriar até um 
gradiente de pelo menos 5ºC; 

(E) é decomposta, sendo uma parte absorvida e 

permanecendo residente no material até o seu esfriamento 
e a outra reenviada para o ambiente externo. 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

69 - A ANEEL (Agência  Nacional de Energia Elétrica), em 
relação ao fornecimento de energia elétrica para as edificações, 
limita os valores de tensão de fornecimento em tensão 
secundária de distribuição e em tensão primária de 
distribuição. No caso da tensão secundária, a carga instalada na 
unidade consumidora é: 
 
(A)  igual ou inferior a 75 kW; 
(B)  igual ou inferior a 50 kW; 
(C)  igual ou inferior a 90 kW; 
(D)  superior a 50 kW;  
(E)  superior a 75 kW.  

 
 

70 - No Brasil existem atualmente várias fontes de energia 
alternativa em operação, entre elas: células a combustível e 
biodiesel. O biodiesel é um combustível diesel derivado de 
fontes naturais e renováveis como os vegetais, portanto é uma 
fonte energética renovável baseada em biomassa. Entre as 
características técnicas gerais do biodiesel, pode-se destacar:  
 
(A)  altamente tóxico, biodegradável e contém enxofre; 
(B) biodegradável, contém enxofre e redução de gases que 

contribuem para o efeito estufa; 

(C) não contém enxofre, biodegradável e contém substâncias 

aromáticas; 

(D) razoavelmente tóxico, biodegradável e redução de gases 

que contribuem para o efeito estufa; 

(E)  biodegradável, não contém enxofre e apresenta alto índice 

de cetano.  

 

 

nce-ufrj-2006-eletrobras-arquiteto-prova.pdf-html.html

 

 

                                                                             

 

17 

ARQUITETO - ARQT   

DISCURSIVA - ARQUITETO 

 
 

Questão 1 - A alvenaria estrutural com blocos de concreto é 
hoje uma das alternativas para racionalizar a construção, tanto 
em relação aos custos quanto em relação a procedimentos 
otimizados e redução dos desperdícios. Descreva os 
fundamentos das alvenarias estruturais de blocos de concreto 
que um arquiteto deve conhecer ao especificar sua utilização, 
bem como as características de sua execução. 

Máximo permitido : 30 linhas para resposta 

 
 

Questão 2 - A Energia Eólica é a energia cinética do ar em 
movimento (ventos), que pode ser aproveitada pelo homem 
para realizar trabalhos diversos. Comente sobre o seu emprego, 
quais os tipos de sistemas e descreva os componentes básicos 
de um sistema eólico. 

Máximo permitido : 30 linhas para resposta 

 
 

Questão 3 - A eficientização energética é vendida aos usuários 
como “Edificação Inteligente”, isto é, a edificação que possui 
todos os recursos de monitoração e controle dos sistemas 
prediais (elétricos, telefonia, dados, hidráulicos, climatização e 
mecânicos). Convém lembrar e enfatizar que uma edificação 
realmente é considerada “inteligente” a partir do Projeto 
Arquitetônico Inteligente. Na questão dos Sistemas Elétricos 
Prediais, comente e relacione pelo menos dez (10) sugestões de 
eficiência energética em sistemas de iluminação artificial. 

Máximo permitido : 30 linhas para resposta 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 

 

 

nce-ufrj-2006-eletrobras-arquiteto-prova.pdf-html.html

INSTRUÇÕES GERAIS

• Você recebeu do fiscal:

- Um caderno de questões contendo 54 (cinqüenta e quatro) questões objetivas de múltipla escolha;
- Um cartão de respostas personalizado.

• É responsabilidade do candidato certificar-se de que:

O nome e o código da área de concentração informado nesta capa de prova corresponde ao nome e ao

código da área de concentração informado em seu cartão de respostas.

• Ao ser autorizado o início da prova, verifique, no caderno de questões se a numeração das questões e a paginação

estão corretas.

• Você dispõe de 4 (quatro) horas para fazer a Prova Objetiva. Faça-as com tranqüilidade, mas controle o seu tempo.

Este tempo inclui a marcação do cartão de respostas.

• Após o início da prova, será efetuada a coleta da impressão digital de cada candidato (Edital 01/2005 – Item 9.9 alínea a).
• Não será permitido ao candidato copiar seus assinalamentos feitos no cartão de respostas.
• Somente após decorrida uma hora do início da prova, o candidato poderá entregar seu cartão de respostas da Prova

Objetiva e retirar-se da sala de prova (Edital 01/2005 – Item 9.9 alínea c).

• Somente será permitido levar seu caderno de questões ao final da prova, desde que permaneça em sala até este

momento (Edital 01/2005 – Item 9.9 alínea d).

• Após o término de sua prova, entregue obrigatoriamente ao fiscal o cartão de respostas devidamente assinado.
• Os 3 (três) últimos candidatos de cada sala só poderão ser liberados juntos.
• Se você precisar de algum esclarecimento, solicite a presença do responsável pelo local.

INSTRUÇÕES - PROVA OBJETIVA

• Verifique se os seus dados estão corretos no cartão de respostas. Solicite ao fiscal para efetuar as correções na Ata

de Aplicação de Prova.

• Leia atentamente cada questão e assinale no cartão de respostas a alternativa que mais adequadamente a responde.
• O cartão de respostas NÃO pode ser dobrado, amassado, rasurado, manchado ou conter qualquer registro fora dos

locais destinados às respostas.

• A maneira correta de assinalar a alternativa no cartão de respostas é cobrindo, fortemente, com caneta esferográfica

azul ou preta, o espaço a ela correspondente, conforme o exemplo a seguir:

Demais atividades consultar Manual do Candidato ou www.nce.ufrj.br/concursos

A

B

C

E

CONCURSO PÚBLICO - 2005

DERTES

                           ATIVIDADE

     DATA

                 LOCAL

Divulgação do gabarito da Prova Objetiva

    28/11/2005

            www.nce.ufrj.br/concursos

           concursodertes@nce.ufrj.br
         fax: (21)2598-3145/2598-3152

Divulgação do resultado do julgamento dos recursos contra
o gabarito da Prova Objetiva e o resultado final da Prova Objetiva

Divulgação do resultado preliminar da Avaliação de Títulos

    13/12/2005

            www.nce.ufrj.br/concursos

Interposição de recursos contra o resultado preliminar

           concursodertes@nce.ufrj.br

da Avaliação de Títulos

         fax: (21)2598-3145/2598-3152

CRONOGRAMA PREVISTO

Departamento de Edificações, Rodovias e Transportes
do Espírito Santo

29 e 30/11/2005

Interposição de recursos contra o gabarito da Prova Objetiva

14 e 15/12/2005

08/12/2005

www.nce.ufrj.br/concursos

Prédio do CCMN - Bloco C

Cidade Universitária - Ilha do Fundão - RJ

Central de Atendimento - (21) 2598-3333

Internet: http://www.nce.ufrj.br