Prova Concurso - Pedagogia - UFRJ-2006-SEAD-MT-PEDAGOGO - NCE - UFRJ - 2006

Prova - Pedagogia - UFRJ-2006-SEAD-MT-PEDAGOGO - NCE - UFRJ - 2006

Detalhes

Profissão: Pedagogia
Cargo: UFRJ-2006-SEAD-MT-PEDAGOGO
Órgão: UFRJ
Banca: NCE
Ano: 2006
Nível: Superior

Downloads dos Arquivos

prova.pdf
gabarito.pdf

Provas relacionadas

PEDAGOGOUFPA2018
PEDAGOGOUNIFESSPA2018
PEDAGOGOEBSERH2018

Gabarito

nce-ufrj-2005-ministerio-das-cidades-pedagogo-gabarito.pdf-html.html

CONCURSO PÚBLICO DO MINISTÉRIO DAS CIDADES 

Gabarito da Prova Objetiva 

PEDAG - PEDAGOGO 

 

Realização - NÚCLEO DE COMPUTAÇÃO ELETRÔNICA - UFRJ 

   

 

 
 

Questão  01 02 03 04 05 06 07

08

09

10

11

12

13

14 15 16 17 18

19

20

Gabarito B C D A C B C A D E E B D E B D B B D C 

 

Questão  21 22 23 24 25 26 27

28

29

30

31

32

33

34 35 36 37 38

39

40

Gabarito A C E A D C E A C B C D D C A A D D B A 

 

Questão  41 42 43 44 45 46 47

48

49

50

51

52

53

54 55 

Gabarito E D E C B B D B A B D A D A D 

 
 

Prova

nce-ufrj-2006-sead-mt-pedagogo-prova.pdf-html.html

PEDAGOGO

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO

AUDITOR GERAL DO ESTADO

SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO

SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA

SECRETÁRIO DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E COORDENAÇÃO GERAL

OA18

CRONOGRAMA PREVISTO

Atividade

Data

Local

Divulgação do gabarito

22/05/2006

www.nce.ufrj.br/concursos

Interposição de recursos contra o gabarito

23 e 24/05/2006

Através do site

www.nce.ufrj.br/concursos

Divulgação do resultado preliminar da Prova Objetiva

07/06/2006

www.nce.ufrj.br/concursos

DEMAIS ATIVIDADES CONSULTAR O SITE www.nce.ufrj.br/concursos

INSTRUÇÕES - PROVA OBJETIVA

 

Verifique se os seus dados estão corretos no cartão de respostas. Solicite ao fiscal para efetuar as correções na Ata de

Aplicação de Prova;

 

Leia atentamente cada questão e assinale no cartão de respostas a alternativa que mais adequadamente a responde;

 

cartão de respostas NÃO pode ser dobrado, amassado, rasurado, manchado ou conter qualquer registro fora dos locais

destinados às respostas;

 

A maneira correta de assinalar a alternativa no cartão de respostas é cobrindo, fortemente, com caneta esferográfica azul

ou preta, o espaço a ela correspondente, conforme o exemplo a seguir:

A

C

D

E

INSTRUÇÕES GERAIS

 

Você recebeu do fiscal:

Um caderno de questões contendo 60 (sessenta) questões de múltipla escolha da Prova Objetiva;

Um cartão de respostas personalizado para a Prova Objetiva;

 

É responsabilidade do candidato certificar-se de que o código e o nome do cargo informado nesta capa de prova corresponde

ao código e ao nome do cargo informado em seu cartão de respostas;

 

 Ao ser autorizado o início da prova verifique, no caderno de questões, se a numeração das questões e a paginação estão corretas;

 

Você dispõe de 4:00h (quatro horas) para fazer a Prova Objetiva. Faça-a com tranqüilidade, mas controle o seu tempo. Este

tempo inclui a marcação do seu cartão de resposta;

 

Após o início da prova, será efetuada a coleta da impressão digital de cada candidato (Edital 001/2006 – Item 9.12 alínea a);

 

Não será permitido ao candidato copiar seus assinalamentos feitos no cartão de respostas (Edital 001/2006 – 9.12 alínea e);

 

Somente depois de decorrida uma hora do início da prova, o candidato poderá entregar seu cartão de respostas e retirar-se

da sala de prova (Edital 001/2006 – Item 9.12 alínea c);

 

Somente será permitido levar seu caderno de questões faltando 30 (trinta) minutos para o término da prova, desde que o

candidato permaneça em sua sala até este momento (Edital 001/2006 – Item 9.12 alínea d);

 

Após o término de sua prova, entregue obrigatoriamente ao fiscal o cartão de respostas devidamente assinado;

 

Os 3 (três) últimos candidatos de cada sala só poderão ser liberados juntos;

 

Se você precisar de algum esclarecimento, solicite a presença do responsável pelo local.

nce-ufrj-2006-sead-mt-pedagogo-prova.pdf-html.html

2

Governo do Estado de Mato Grosso                                                                                                            Concurso Público - 2006

nce-ufrj-2006-sead-mt-pedagogo-prova.pdf-html.html

3

Governo do Estado de Mato Grosso                                                                                                            Concurso Público - 2006

LÍNGUA PORTUGUESA

TEXTO – NEM ANJO NEM DEMÔNIO

   Miriam Scavone

        Desde que a TV surgiu, nos anos 40, fala-se do seu
poder de causar dependência. Os educadores dos anos 60
bradaram palavras acusando-a de “chupeta eletrônica”. Os
militantes políticos creditavam a ela a alienação dos povos.
Era um demônio que precisava ser destruído. Continuou a
existir, e quem cresceu vendo desenhos animados,
enlatados americanos e novelas globais não foi mais
imbecilizado – ao menos não por esse motivo. Ponto para
a televisão, que provou ser também informativa, educativa
e (por que não) um ótimo entretenimento. Com exceção da
qualidade da programação dos canais abertos, tudo
melhorou. Mas começaram as preocupações em relação
aos telespectadores que não conseguem dormir sem o
barulho eletrônico ao fundo. Ou aos que deixam de ler, sair
com amigos e até de namorar para dedicar todo o tempo
livre a ela, ainda que seja pulando de um programa para o
outro. “Nada nem ninguém me faz sair da frente da TV
quando volto do trabalho”, afirma a administradora de
empresas Vânia Sganzerla.
       Muitos telespectadores assumem esse
comportamento. Tanto que um grupo de estudiosos da
Universidade de Rutgers, nos Estados Unidos, por meio
de experimentos e pesquisas, concluiu que a velha história
do vício na TV não é só uma metáfora. “Todo comportamento
compulsivo ao qual a pessoa se apega para buscar alívio,
se fugir do controle pode ser caracterizado como
dependência”, explica Robert Kubey, diretor do Centro de
Estudos da Mídia da Universidade de Rutgers.
        Os efeitos da televisão sobre o sono variam muito.
“Quando tenho um dia estressante, agitado, não durmo sem
ela”, comenta Maurício Valim, diretor de programas
especiais da TV Cultura e criador do site Tudo sobre TV.
Outros, como Martin Jaccard, sonorizador de ambientes,
reconhecem que demoram a pegar no sono após uma
overdose televisiva. “Sinto uma certa irritação, até raiva,
por não ter lido um bom livro, namorado ou ouvido uma
música, mas ainda assim não me arrependo de ver tanta
TV, não. Gosto demais”. É uma das mais prosaicas facetas
desse tipo de dependência, segundo a pesquisa do Centro
de Estudos da Mídia. As pessoas admitem que deveriam
maneirar, mas não se incomodam a ponto de querer mudar
o hábito. Sinal de que tanto mal assim também não faz.

1 - A alternativa abaixo que confirma o título do texto é:

(A) “Os efeitos da televisão sobre o sono variam muito”;
(B) “fala-se do seu poder de causar dependência”;
(C) “Era um demônio que precisava ser destruído”;
(D) “Os educadores dos anos 60 bradaram palavras

acusando-a de ‘chupeta eletrônica’ “;

(E) “As pessoas admitem que deveriam maneirar, mas não

se incomodam a ponto de querer mudar o hábito”.

2 - A designação “chupeta eletrônica” contém a idéia básica
para o texto de:

(A) infantilidade;
(B) dependência;
(C) tecnologia;
(D) alienação;
(E) conformismo.

3 - A palavra “alienação” deve ser compreendida no contexto
como:

(A) afastamento, alheamento;
(B) transferência de bens para outra pessoa;
(C) indiferença às questões políticas ou sociais;
(D) perturbação mental;
(E) negação de valores cristãos.

4 - Como sabemos, num texto há muitas vozes; a afirmativa
INADEQUADA em relação à presença de vozes no texto
lido é:

(A) nesse texto, uma voz privilegiada é da autora, Miriam

Scavone;

(B) outra voz presente no texto é a dos leitores, que

interagem com o que é afirmado;

(C) os militantes políticos também têm voz no texto;
(D) na forma “fala-se”, na primeira linha do texto, há uma

voz não identificada;

(E) as aspas podem marcar a presença de vozes diferentes

da do autor.

5 - No primeiro parágrafo do texto o autor incluiu uma
pergunta entre parênteses: (por que não?); essa pergunta
tem a função textual de:

(A) reafirmar algo que muitas pessoas podem negar;
(B) confirmar o que todos sabem;
(C) questionar o leitor sobre o seu posicionamento;
(D) perguntar sobre algo que é evidente;
(E) discutir algo que não tem resposta adequada.

6 - “Com exceção da qualidade da programação dos canais
abertos, tudo melhorou”; a forma de reescrever-se essa
mesma frase com alteração de seu sentido inicial é:

(A) Tudo melhorou, com exceção da qualidade da

programação dos canais abertos;

(B) Salvo a qualidade da programação dos canais abertos,

tudo melhorou;

(C) Com exceção da qualidade dos canais abertos, no que

tange à sua programação, tudo melhorou;

(D) Todo o demais melhorou, exceto a qualidade da

programação dos canais abertos;

(E) Apesar de a qualidade da programação dos canais

abertos ter piorado, todo o resto melhorou.

nce-ufrj-2006-sead-mt-pedagogo-prova.pdf-html.html

4

Governo do Estado de Mato Grosso                                                                                                            Concurso Público - 2006

7 - A citação “Todo comportamento compulsivo ao qual a
pessoa se apega para buscar alívio, se fugir do controle
pode ser caracterizado como dependência” tem a função
textual de:

(A) dar autoridade e credibilidade ao texto;
(B) indicar a fonte onde se apóia o autor do texto;
(C) demonstrar a falsidade de alguns argumentos da mídia;
(D) explicar uma idéia a ser futuramente expressa;
(E) exemplificar algo que foi citado anteriormente.

8 - “Muitos telespectadores assumem esse comportamento.
Tanto que um grupo de estudiosos da Universidade de
Rutgers”; a expressão sublinhada tem valor textual de:

(A) intensidade;
(B) conseqüência;
(C) explicação;
(D) conclusão;
(E) causa.

9 - A alternativa em que o termo sublinhado – todos do
primeiro parágrafo do texto - NÃO tem seu referente
identificado como a televisão é:

(A) “Desde que a TV surgiu, nos anos 40, fala-se do seu

poder de causar dependência”;

(B) “Os educadores dos anos 60 bradaram palavras

acusando-a de ‘chupeta eletrônica’ “;

(C) “Era um demônio que precisava ser destruído”;
(D) “Ponto para a televisão, que provou também ser

informativa...”;

(E) “Os militantes políticos creditaram a ela a alienação

dos povos”.

10 - “(A TV) Continuou a existir, e quem cresceu vendo
desenhos animados, enlatados americanos e novelas
globais não foi mais imbecilizado – ao menos por esse
motivo”; pode-se inferir desse segmento do texto que:

(A) a geração da TV está totalmente imbecilizada;
(B) os desenhos animados não provinham dos Estados

Unidos;

(C) as novelas globais eram acusadas de imbecilizarem o

público;

(D) hoje menor número de pessoas é imbecilizado pela

TV;

(E) outros motivos causam menor imbecilização do público.

11 - “Ponto para a televisão que provou também ser
informativa, educativa”; sobre os adjetivos “informativa,
educativa”, pode-se dizer corretamente que:

(A) são sinônimos perfeitos;
(B) o segundo adjetivo supõe maior valor da informação

prestada;

(C) o primeiro adjetivo supõe maior durabilidade no tempo;
(D) apresentam valores semânticos opostos;
(E) o segundo explica o primeiro.

12 - “a velha história do vício da TV não é só uma metáfora”;
a frase em que NÃO há uma construção metafórica é:

(A) “overdose televisiva”;
(B) “chupeta eletrônica”;
(C) “Era um demônio”;
(D) “vendo desenhos animados”;
(E) “nem anjo nem demônio”.

13 - No texto aparecem duas palavras grafadas em itálico:
site e overdose. Sobre esses termos pode-se afirmar que:

(A) são estrangeirismos perfeitamente adaptados ao uso

diário de língua portuguesa;

(B) correspondem a realidades para as quais ainda não

temos substitutos em língua portuguesa;

(C) mostram que os americanismos estão sendo relegados

a segundo plano;

(D) indicam a presença da linguagem da informática em

nossa língua;

(E) comprovam a submissão cultural dos Estados Unidos

ao Brasil.

14 - “Sinto uma certa irritação, até raiva...”; considerando
as duas palavras finais desse segmento, pode-se afirmar
que:

(A) a segunda traz mais intensidade que a primeira;
(B) a primeira é mais coloquial que a segunda;
(C) a segunda é mais erudita que a primeira;
(D) a segunda tem ponto de vista positivo, ao contrário da

primeira;

(E) as duas são sinônimas, sem diferenças semânticas.

15 - “Sinto uma certa irritação, até raiva, por não ter lido um
bom livro, namorado ou ouvido uma música, mas ainda
assim não me arrependo de ver tanta TV”; esta declaração
mostra, argumentativamente falando:

(A) troca da causa pelo efeito;
(B) certa ilogicidade entre os termos;
(C) a causa seguida da conseqüência;
(D) a fuga do assunto;
(E) a negação da evidência.

16 - Se o texto apresentasse a declaração “ver muita TV
faz mal”, poderíamos afirmar que seu conteúdo:

(A) representaria uma idéia do domínio público;
(B) resumiria a idéia da autora do texto sobre a TV;
(C) pertenceria aos argumentos favoráveis à TV;
(D) estaria mais para anjo que para demônio;
(E) esclareceria o autor do pensamento veiculado.

17 - A alternativa que mostra um adjetivo de caráter subjetivo
é:

(A) “um ótimo entretenimento”;
(B) “chupeta eletrônica”;
(C) um dia estressante”;
(D) “canais abertos”;
(E) “programas especiais”.

nce-ufrj-2006-sead-mt-pedagogo-prova.pdf-html.html

5

Governo do Estado de Mato Grosso                                                                                                            Concurso Público - 2006

18 - A alternativa que mostra um vocábulo ERRADAMENTE
grafado com SC é:

(A) fascismo / adolescência;
(B) fosforescente / crescente;
(C) piscina / ascensão;
(D) prescisão / ascendente;
(E) luminescente / ascese.

19 - O vocábulo que apresenta acentuação gráfica errada é:

(A) ínterim;
(B) boêmia;
(C) rúbrica;
(D) estratégia;
(E) egoísmo.

20 - “Desde que a TV surgiu, nos anos 40, fala-se do seu
poder de causar dependência”; a forma de reescrever-se
essa mesma frase que ALTERA o seu sentido original é:

(A) Nos anos 40, desde que a TV surgiu, fala-se do seu

poder de causar dependência;

(B) Desde que a TV surgiu, nos anos 40, o seu poder de

causar dependência é citado;

(C) Fala-se do poder da TV de causar dependência desde

que ela surgiu, nos anos 40;

(D) Fala-se do poder da TV de causar dependência desde

que, nos anos 40, ela surgiu;

(E) Desde que surgiu a TV, nos anos 40, fala-se do seu

poder de causar dependência.

CONHECIMENTOS GERAIS

21 -

Viva a Constituição brasileira
Viva D. Pedro II
Morram os bicudos pés de chumbo

Os gritos dos revoltosos ecoavam pelas ruas.... “Na
escuridão da noite apenas se ouvia o barulho dos
machados e das alavancas arrombando portas...

Os trechos acima fazem referência à “Rusga”, movimento
político-social que eclodiu em 30 de maio de 1834, em
Cuiabá.

Assinale a alternativa que caracteriza corretamente essa
rebelião:

(A) liderada por negros libertos e brancos pobres,

influenciada pelo ideário positivista, a revolta exigia a
imediata abolição da escravidão e o congelamento dos
preços de aluguéis e alimentos;

(B) representou os interesses dos partidários da Junta

Governativa de Vila Bela que promoveram a separação
da região do resto do Brasil, pois não aceitavam a
independência proclamada por D. Pedro I;

(C) articulado pela Sociedade dos Zelosos da Independência,

o movimento tinha, inicialmente, objetivos políticos
moderados, mas assumiu um caráter violento na
medida em que grupos radicais exigiam a expulsão
dos portugueses;

(D) obteve grande apoio das camadas médias urbanas e da

burguesia manufatureira que, influenciadas pelo liberalismo,
defendiam a imediata proclamação da República;

(E) refletiu a ação do Partido Brasileiro, pois os proprietários

rurais de Mato Grosso defendiam o fortalecimento do
poder imperial, contrariando a orientação federalista do
Nordeste.

22 - “... uma das grandes tarefas assumidas por todos os
governos republicanos, desde a Proclamação, foi a de produzir
a unificação territorial e cultural do país e de seu povo...
Assim, um verdadeiro arsenal de políticas públicas foi sendo
mobilizado, ao longo do período republicano, para que o
arquipélago se transformasse em continente ou, como
queriam alguns, para que o Brasil efetivamente deixasse
de ser um gigante adormecido, e acordasse para o futuro.

(FREIRE, A. et al.(coord.), A República no Brasil.

Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002.)

Uma das políticas públicas republicanas empreendidas com
o objetivo de promover a integração e o desenvolvimento do
estado de Mato Grosso foi:

(A) a formação de várias colônias de imigrantes na parte

norte do estado com o objetivo de absorver o grande
contingente de japoneses chegados ao Brasil no período
pós-Segunda Guerra;

(B) a criação de várias empresas de navegação fluvial,

subvencionadas pelo Governo Federal, com o objetivo
de promover a integração do estado com o resto do
país,  conforme previsto no Plano de Metas elaborado
para o Governo Juscelino Kubitscheck;

(C) a instalação de um pólo siderúrgico no extremo norte,

com ampla participação do capital estadunidense, para
promover o desenvolvimento da indústria de base no
país, meta prioritária do Governo de Getúlio Vargas;

(D) a aplicação, na década de 70, de uma política de

ocupação e desenvolvimento através da instalação de
núcleos de colonos à beira de rodovias conforme previa
o Plano de Integração Nacional;

(E) a desapropriação, na década de 40, de antigas fazendas

de cana-de-açúcar, para promover a reforma agrária
através da concessão de lotes de terra aos retirantes
nordestinos, que deveriam desenvolver uma agricultura
alimentar voltada para o mercado externo.

23 - O crescimento urbano desordenado, em várias cidades
de Mato Grosso, tem causado uma série de impactos
ambientais. Entre eles destacam-se:

(A) assoreamento dos rios e poluição do lençol freático;
(B) aumento do número de animais silvestres e poluição visual;
(C) aumento da biodiversidade e redução do numero de

insetos;

(D) intemperismo das rochas e aumento da lixiviação;
(E) percolação das águas das chuvas e aumento do número

de roedores.

nce-ufrj-2006-sead-mt-pedagogo-prova.pdf-html.html

6

Governo do Estado de Mato Grosso                                                                                                            Concurso Público - 2006

24 - O turismo é uma atividade que vem se desenvolvendo
bastante em Mato Grosso, nos últimos anos. Duas áreas
que têm se destacado nessa atividade econômica são:

(A) Sorriso e Rondonópolis;
(B) Sinop e Cáceres;
(C) Pantanal e Chapada dos Guimarães;
(D) Chapada dos Parecis e Rio Cuiabá;
(E) Barão de Melgaço e Serra do Roncador.

25 - Manoel teve seu salário reajustado em 20%, passando
a receber R$ 1500,00. O salário de Manoel antes do reajuste
era de:

(A) R$ 1200,00
(B) R$ 1250,00
(C) R$ 1350,00
(D) R$ 1650,00
(E) R$ 1800,00

26 - Uma fábrica de camisas comprometeu-se a entregar
1000 camisas de um certo tipo para uma rede de lojas.
Sabe-se que  para fabricar 100 destas camisas, 10
costureiras levam 2 dias. Nos dois primeiros dias de preparo
desta encomenda, 8 costureiras trabalharam, nos demais
dias, somente 4. O número total de dias que levaram para
fabricar todas as camisas foi:

(A) 25
(B) 46
(C) 48
(D) 50
(E) 80

27 - A tabela a seguir informa a distribuição de freqüências
de 500 empréstimos solicitados a uma financeira num
período de 30 dias, segundo a faixa de valor do empréstimo.

Faixa de valor

Freqüência

Freqüência Freqüência

do empréstimo

absoluta

relativa

relativa

(em R$)

acumulada

[200,500)

(I)

0,20

0,20

[500,1000)

175

(II)

(III)

[1000,1500)

(IV)

(V)

0,85

Maior ou
igual a 1500

(VI)

(VII)

(VIII)

Total

500

1,00

-

Com base nessa tabela, é correto afirmar que:

(A) o valor de (II) é 0,30;
(B) o valor de (III) é 0,35;
(C) o valor de (IV) é 425;
(D) o valor de (V) é 0,85;
(E) o valor de (VII) é 0,15.

28 - Numa empresa há 200 funcionários, sendo 150 mulheres.
Levantou-se a informação de todos os salários  e verificou-se
que o salário médio entre as mulheres é de R$ 800,00, enquanto
que o salário médio entre os homens é de R$ 1200,00. O salário
médio dos funcionários dessa empresa é de:

(A) R$  900,00;
(B) R$  950,00;
(C) R$ 1000,00;
(D) R$ 1050,00;
(E) R$ 1100,00.

29 - De acordo com o estatuto dos servidores da
Administração Direta, autárquica e fundacional do estado
do Mato Grosso, analise as afirmativas a seguir:

I. A criação de cargos públicos será feita por lei

complementar.

II. O servidor deverá entrar em exercício no prazo de 30

dias contados da posse.

III. O retorno ao serviço ativo do servidor aposentado por

invalidez quando cessam as causas que deram origem
a sua aposentadoria denomina-se recondução.

São verdadeiras somente as afirmativas:

(A) I e II;
(B) I e III;
(C) II e III;
(D) I, II e III;
(E) nenhuma.

30 - Sobre os princípios e diretrizes da Administração
Pública do Estado, analise as afirmativas a seguir:

I. A concessão de serviços é um dos instrumentos de

descentralização administrativa.

II. A desconcentração administrativa é feita com a criação

de entidades que integram a Administração Indireta.

III. A delegação de competências administrativas será feita

entre níveis hierárquicos da mesma entidade ou órgão.

São verdadeiras somente as afirmativas:

(A) I e II;
(B) I e III;
(C) II e III;
(D) I, II e III;
(E) nenhuma.

nce-ufrj-2006-sead-mt-pedagogo-prova.pdf-html.html

7

Governo do Estado de Mato Grosso                                                                                                            Concurso Público - 2006

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

31– O conceito de educação foi se ampliando no mundo
contemporâneo. Ninguém escapa à educação, pois ocorrem
ações e influências pedagógicas na família, na escola, nos
meios de comunicação, nos movimentos sociais, na igreja
e no trabalho. As modalidades de educação presentes na
sociedade são:

(A) informal, não-formal e formal;
(B) não-formal, formal e extra escolar;
(C) infantil, fundamental e média;
(D) escolar e extra-escolar;
(E) confessional, pública e privada.

32 – A Lei 9394/96, no Art. 8º, estabelece o regime de
colaboração entre as administrações federal, estaduais e
municipais na organização dos respectivos sistemas de
ensino. Na garantia do ensino fundamental, pode ser
assumida pelo município a seguinte decisão:

(A) transferir para os órgãos estaduais e privados a

educação infantil;

(B) delegar aos órgãos estaduais o primeiro ciclo do ensino

fundamental;

(C) compor com o Estado um sistema único de Educação

Básica;

(D) partilhar com os órgãos federais a educação de 5ª à 8ª

série;

(E) assumir em parceria com os órgãos estaduais o ensino

médio.

33 – O sistema de avaliação proposto pela LDB 9394/96,
problematiza a avaliação classificatória, por alguns
identificada como garantia de um ensino de qualidade. A
nota classificava o “bom” e o “mau” aluno. Hoje, devemos
considerar o erro como algo construtivo, procurando
desenvolver saberes e competências para resolver situações-
problema simples ou complexas. Assim, o procedimento
que pode levar o educador a atingir esses objetivos é:

(A) repetir as tarefas e utilizar os mesmos recursos a fim

de oferecer mais uma oportunidade de revisão do erro;

(B) buscar a origem do erro cometido pelo aluno, procedendo,

com ele, o caminho que o levou a cometer o erro;

(C) quantificar os erros cometidos, determinar os mais

freqüentes e propor exercícios complementares;

(D) recolher e corrigir o material do aluno, objetivando que

esta correção seja por ele posteriormente analisada;

(E) estimular a repetição de exercícios, determinando

atenção naqueles em que o erro foi verificado.

34- As diretrizes gerais do MEC para a Educação Infantil
estão centradas, dentre outros, no seguinte eixo:

(A) as ações da educação infantil, creche e pré-escola, devem

ser complementadas pelas de saúde e assistência,
realizadas de forma articulada com os setores competentes,
as famílias das crianças e demais profissionais envolvidos;

 (B) as instituições que oferecem educação infantil,

integrantes do sistema de ensino, são as escolas
regulares, dividindo-se a clientela entre elas pelo critério
exclusivo da faixa etária (zero a três anos na creche e
quatro a seis anos na pré-escola);

(C) a educação infantil é a primeira etapa da Educação

Básica e destina-se à criança de zero a seis anos de
idade, sendo obrigatória e de competência do Estado;

(D) a educação infantil é oferecida para, em complementação

à ação da família, proporcionar condições adequadas
de desenvolvimento físico, emocional, cognitivo e social
da criança e promover a ampliação de suas
experiências;

(E) o currículo da educação infantil deve levar em conta, na

sua concepção e administração, o grau de
desenvolvimento da criança, a mobilidade social e
intelectual das populações infantis e os conhecimentos
que se pretendem universalizar.

35- O Ensino Médio, etapa final da Educação Básica, tem,
entre as suas finalidades, a consolidação e o
aprofundamento do que foi aprendido no Ensino
Fundamental. É, portanto, razoável, concluir que a escola
de ensino médio deve ter como traço marcante a
característica de ser uma escola que:

(A) responda adequadamente às necessidades bio-sócio-

afetivas e culturais dos jovens;

 (B) organize um programa de formação profissionalizante

que não exclui a formação geral e propedêutica;

(C) se organize em ciclos preparatórios de estudos,

pesquisas e utilização de tecnologias que visem ao
vestibular;

(D) se utilize de um padrão formador voltado à preparação

propedêutica do jovem;

(E) se aproprie das inovações tecnológicas como condição

para a preparação básica para o trabalho.

36- Em janeiro de 1988 foi implantado nacionalmente o
FUNDEF, Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do
Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério, quando
passou a vigorar a nova sistemática de redistribuição dos
recursos destinados ao ensino fundamental. Em linhas
gerais, este fundo pode ser definido como:

(A) conjunto de rendimentos não previstos no orçamento

que é criado mediante comprovação de autêntica
necessidade;

(B) produto de receitas específicas que, por lei, vincula-se

à realização de determinados objetivos;

(C) produto de rendimentos específicos que não se vincula

à partilha entre Estados e Municípios;

(D) conjunto de receitas previstas no orçamento superior a

28% dos principais impostos de Estados e Municípios;

(E) produto de receitas específicas que se vincula a critérios

de distribuição definidos pelo número de professores e
alunos.

nce-ufrj-2006-sead-mt-pedagogo-prova.pdf-html.html

8

Governo do Estado de Mato Grosso                                                                                                            Concurso Público - 2006

37- A educação brasileira está marcada pelo confronto entre
os que defendem uma educação pública e as forças
privatistas. Buscando interferir na elaboração da
Constituição de 88, os privatistas atacaram o ensino
público, alegando ineficiência e fracasso em oposição à
suposta organização e excelência do ensino privado. O
mecanismo governamental que se manteve no apoio à rede
privada de ensino foi:

(A) imunidade fiscal sobre bens, serviços e rendas dos

estabelecimentos de ensino;

(B) bolsa de estudo para filhos de professores e funcionários

das escolas;

(C) incentivo à capacitação de professores em universidades

públicas;

(D) estabelecimento de linhas de crédito para expansão da

rede privada;

(E) incentivo à ampliação do ensino superior em escolas

de ensino de 1º e 2º graus.

38 – A educação profissional, conforme a LDB 9394/96,
destinada ao aluno matriculado ou egresso dos ensinos
fundamental, médio ou superior, apresenta-se em três
níveis: básico, técnico e tecnológico. Assinale a resposta
correta quanto à finalidade dos níveis:

(A) básico: destina-se somente aos alunos matriculados

no ensino fundamental;

(B) técnico: busca a qualificação e requalificação dos

trabalhadores;

(C) tecnológico: visa à especialização dos alunos do nível

médio;

(D) básico: modalidade de curta duração para alunos e

trabalhadores;

(E) técnico: modalidade de nível médio, que confere

habilitação profissional.

39 – A partir da década de 90, o cenário educacional
brasileiro foi marcado pela implementação de reformas que
incorporam em maior ou menor grau os interesses
defendidos pelo Banco Mundial. Esses interesses se
expressam pela:

(A) atenção destinada à educação infantil e aos portadores

de necessidades especiais;

(B) participação do Estado, por meio do incremento de

verbas públicas para a educação;

(C) ênfase no ensino fundamental, tendo em vista as

prioridades de desenvolvimento econômico e social;

(D) ênfase no ensino médio, visando equalizar as

oportunidades de acesso ao ensino superior;

(E) preocupação com o ensino superior, devido à importância

do desenvolvimento da pesquisa no país.

40– As políticas educacionais brasileiras, nos últimos
quinze anos, têm sido balizadas pela tentativa de
ajustamento às diretrizes apontadas por organismos
internacionais como o Banco Mundial, a CEPAL e a Unesco.
Entre essas diretrizes NÃO se pode incluir a:

(A) formação ética e cidadã como mecanismo de atenuação

dos conflitos sociais gerados por problemas
econômicos;

(B) educação como crítica do sistema competitivo e do

modelo de transformação produtiva com eqüidade;

(C) formação continuada e a avaliação periódica dos

professores que atuam nos níveis fundamental e médio
de ensino;

(D) cooperação entre os setores público e privado no que

se refere à melhoria da qualidade da educação básica;

(E) implementação de reformas no ensino que venham a

redirecionar os gastos públicos com a educação
superior.

41- Segundo Anísio Teixeira, a escola brasileira pode ser
considerada uma escola que ensina apenas aos
privilegiados. Essa característica é definida como de caráter:

(A) mediador;
(B) inclusivo;
(C) competitivo;
(D) dual;
(E) social.

42 - O pensamento pedagógico positivista ganha expressão
no cenário educacional mundial em fins do século XIX,
principalmente a partir da difusão das idéias dos seguidores
de Augusto Comte. Entre as propostas dos positivistas para
a melhoria do ensino, destaca-se a ênfase:

(A) nas disciplinas de cunho humanístico e nas letras

clássicas;

(B) no ensino de base confessional e na crítica à escola

laica;

(C) nas disciplinas científicas, com base no experimentalismo;
(D) na memorização de conceitos básicos das ciências

naturais;

(E) no ensino da língua materna e das regras gramaticais.

43 – A Reforma Francisco Campos pode ser compreendida
como reflexo, no campo educacional, do discurso político
dos estratos sociais que apoiaram a chegada de Getúlio
Vargas ao Poder, na década de 30. Uma intenção
manifestada por essa Reforma foi:

(A) permitir que os cursos secundários cumprissem a

finalidade principal de servir de acesso aos cursos
superiores;

(B) promover a inspeção federal do ensino secundário,

excetuando as escolas da rede privada;

(C) promover a reforma do ensino comercial, implantando

um sistema de dois ciclos no qual não houvesse ensino
propedêutico;

(D) conferir ao ensino secundário a finalidade de formar o

homem para os grandes setores da atividade nacional;

(E) manter a hegemonia do Colégio Pedro II quanto à

concessão de habilitação para o ingresso no ensino
superior.

nce-ufrj-2006-sead-mt-pedagogo-prova.pdf-html.html

9

Governo do Estado de Mato Grosso                                                                                                            Concurso Público - 2006

44 - A pedagogia de Jean-Jacques Rousseau, sobretudo a
partir dos princípios e orientações presentes na obra “Emílio
ou Da Educação”, pode ser compreendida como a busca
da formação de um homem novo. NÃO corresponde às
intenções do autor ministrar um ensino de caráter:

(A) coletivo, em escolas urbanas, tendo como referência o

pensamento iluminista e a enciclopédia;

(B) individualizado, sendo o pai o responsável pela educação

do filho, da infância à vida adulta;

(C) individualizado, que respeitasse as fases de

amadurecimento do educando, tendo o aprendizado das
leis e da política como fase final;

(D) naturalista, tendo o campo como ambiente privilegiado

para o aprendizado das diferentes ciências;

(E) prático, voltado para a aprendizagem dos princípios

teóricos a partir do desenvolvimento de atividades
manuais.

45 – No início da década de 60, o embate político-ideológico
em torno dos objetivos da pedagogia de Paulo Freire a
situava em campos opostos: para os conservadores,
tratava-se de uma pedagogia de natureza subversiva, ao
passo que para setores da esquerda possuía cunho
idealista. Entretanto, a pedagogia de Freire é tipicamente:

(A) crítico-reprodutivista;
(B) empírico-criticista;
(C) crítico-social dos conteúdos;
(D) teórico-crítica;
(E) dialógico-problematizadora.

46 - Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) se
apóiam na idéia de temas transversais, a partir dos quais
os conteúdos escolares devem ser trabalhados. Assinale
a única alternativa que contém somente temas transversais:

(A) Saúde/ Meio ambiente/ Cultura;
(B) Orientação sexual/ Cidadania;
(C) Ética/ Pluralidade Cultural;
(D) Biodiversidade/ Trabalho e Consumo;
(E) Trabalho e Consumo/ Raça e Etnia.

47– Como proposta pedagógica prevista na LDB 9394/96,
a construção do Projeto Político Pedagógico cria novas
formas de organização escolar. Assim, o Projeto Político
Pedagógico interfere na organização da escola com o
objetivo de:

(A) refletir sobre as demandas da comunidade frente às

exigências do mercado;

(B) tornar os profissionais da educação únicos responsáveis

pelo sucesso do aluno;

(C) apoiar a participação política da comunidade junto ao

Conselho Estadual de Educação;

(D) acentuar a participação da comunidade escolar nos

projetos pedagógicos;

 (E) promover a transversalidade dos conhecimentos

aplicados na escola.

48 – Há uma visão do senso comum, segundo o qual a
Pedagogia se ocupa do modo de ensinar e do uso das
técnicas de ensino. Afinal, numa perspectiva crítica, qual o
campo de atuação da Pedagogia é:

(A) a organização da grade curricular do ensino

fundamental;

(B) a formulação e implementação de políticas públicas;
(C) a gestão e a organização dos sistemas educacionais;
(D) a criação de metodologias mais abrangentes;
(E) o estudo da problemática educacional.

49 – Segundo Libâneo, as várias concepções de gestão
escolar refletem as diferentes visões acerca das finalidades
da educação em relação à sociedade e à formação dos
alunos. A concepção de organização e gestão escolar que
defende a forma coletiva de tomada de decisão, dando
ênfase tanto nas ações pedagógicas quanto nas relações
intra e extra-escolar, é a:

(A) técnico-científica;
(B) democrático-participativa;
(C) autogestionária;
(D) interpretativa;
(E) hermenêutica.

50- Como forma de organização racional do tempo nos
currículos escolares, o horário tem sido empregado pela
escola tradicional com diferentes objetivos. NÃO diz respeito
ao objetivo de uma prática tradicional:

(A) a distribuição das atividades escolares conforme as

subdivisões do dia;

(B) o planejamento semanal, mensal e anual das atividades

escolares;

(C) o controle dos limites do tempo previsto para cada

atividade escolar;

(D) o respeito ao desenvolvimento da aprendizagem

conforme o ritmo de cada aluno;

(E) a distribuição planejada dos conteúdos disciplinares e

das atividades recreativas.

51 - A didática tem como objeto de estudo os processos
de ensino e aprendizagem na relação educacional, ou seja,
é uma atividade que se unifica na práxis de quem ensina.
Considerada disciplina eminentemente pedagógica, a
didática tem como objetivo principal:

(A) construir as metodologias de ensino;
(B) efetuar a articulação com outras ciências da educação;
(C) favorecer o desenvolvimento pleno do educando;
(D) oferecer ao professor o domínio das técnicas de ensino;
(E) promover a relação teoria e prática.

nce-ufrj-2006-sead-mt-pedagogo-prova.pdf-html.html

10

Governo do Estado de Mato Grosso                                                                                                            Concurso Público - 2006

52 - Na perspectiva da educação inclusiva, quando refletimos
sobre a formação do educando, cabe à escola, democrática
e comprometida com a cidadania o seguinte papel:

(A) construir práticas pedagógicas para atender apenas aos

alunos com dificuldades de aprendizagem;

(B) estimular a formação de valores, hábitos e comportamentos

que respeitem as diferenças de grupos minoritários;

(C) incluir sempre numa mesma turma alunos de diferentes

classes sociais;

(D) incentivar a participação exclusiva dos atores educativos

na formulação de políticas de inclusão;

(E) desenvolver avaliações coletivas com vista ao

envolvimento da comunidade escolar.

53 - Para reverter os efeitos causados por séculos de
racismo, preconceito e discriminação da população negra,
o governo federal resolveu formular uma Política Nacional
de Promoção da Igualdade Racial, através da seguinte
medida:

(A) implementou a Secretaria Especial de Educação

Continuada, Alfabetização e Diversidade;

(B) instituiu imediatamente o regime de cotas para a

população afrodescendente nas Instituições de Ensino
Superior;

(C) tornou obrigatório o ensino da História da África e dos

africanos no currículo da Educação Básica;

(D) promoveu ações afirmativas e de reparações para a

população negra das redes públicas de ensino;

(E) diversificou a oferta de oportunidades educacionais para

os grupos étnico-raciais.

54 - As políticas de ações afirmativas, também chamadas
de políticas de reparações, voltadas para a educação da
população afrodescendente, visam a promover:

(A) o ingresso e a permanência na educação escolar dos

afrodescendentes;

(B) a instituição de feriados nacionais em homenagem aos

defensores da liberdade do povo negro;

(C) o rompimento de critérios de exclusão fundados na

discriminação sócio-econômica;

(D) a adoção de medidas que impeçam o agravamento das

condições sócio-econômicas;

(E) a valorização do patrimônio histórico-cultural afro-

brasileiro.

55 - Para o atendimento dos alunos que apresentam
necessidades educacionais especiais, a educação especial
deve se dar por meio de uma proposta pedagógica que
assegure recursos e serviços educacionais especiais de
apoio. Para a definição das ações pedagógicas, a escola
deve prever e prover como medida necessária:

(A) requisitar especialistas para o acompanhamento das

atividades extra-curriculares;

(B) implantar na escola o setor responsável pela educação

especial;

(C) munir a escola com quadras específicas de esportes

para os alunos especiais;

(D) promover avaliação diferenciada para os alunos com

dificuldades de aprendizagem;

(E) compor seu quadro com professores intérpretes das

linguagens e códigos específicos.

56 - Os movimentos sociais sempre tiveram importância
nas lutas pela implementação de mudanças na educação
brasileira. Dentre esses movimentos, assume especial
relevância hoje o:

(A) Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, que tem

organizado escolas nos assentamentos de todo o país;

(B) Movimento Feminista, pelas lutas contra a discriminação

em relação ao ingresso das mulheres em certos cursos
de nível superior;

(C) Movimento Ambientalista, ao propor uma escola

sintonizada com a preservação dos recursos minerais
e hídricos;

(D) Movimento dos Sem Teto, que ao ocupar prédios

escolares abandonados denuncia o descaso com a
educação;

(E) Movimento Punk, em função das críticas aos hábitos e

atitudes valorizados pela educação tradicional.

57 - O processo de elaboração e desenvolvimento do Projeto
Educativo de cada escola pressupõe:

(A) integrar os profissionais da escola, considerando seus

anseios, necessidades e motivações como leque único
de participação nas decisões;

(B) valorizar o plano como documento sistemático que será

incorporado por toda a equipe escolar que trabalhar de
forma articulada;

(C) tratar as questões escolares e educativas de forma

simples, criando um clima institucional amigável e
propício à reflexão;

(D) repensar o papel e a função da educação escolar,

refletindo sobre a dimensão do presente sem esquecer
a dimensão do futuro;

(E) estabelecer estratégias de coleta e organização de

dados que apontem as formas de preparação dos
alunos para a vida adulta e profissional.

58 – Assinale a única alternativa correta a respeito do
conceito de currículo:

(A) conjunto de métodos didático-pedagógicos que serão

utilizados nas aulas para o ensinamento dos conteúdos;

(B) conjunto de todas as experiências de conhecimento

proporcionadas aos alunos pela unidade escolar da qual
ele faz parte;

(C) história viva dos conhecimentos, organizados

didaticamente que devem ser ensinados aos alunos;

(D) conjunto de atividades administrativas desenvolvidas

pela escola que conta com a participação dos alunos;

(E) organização dos estudos dos alunos, entendido como

tarefas, provas e conteúdos necessários à
aprendizagem.

nce-ufrj-2006-sead-mt-pedagogo-prova.pdf-html.html

11

Governo do Estado de Mato Grosso                                                                                                            Concurso Público - 2006

59 – Não há como negar que a exclusão das crianças da
escola nas primeiras séries, a repetência e a evasão podem
se constituir como crimes sociais. Pode-se considerar como
uma das causas deste quadro:

(A) a condição de pobreza em que se encontra uma grande

parte da população;

(B) a precariedade dos conhecimentos que a família de

muitos alunos apresenta;

(C) o despreparo da escola em lidar com as crianças que

recebe;

(D) a indisposição dos alunos para a aprendizagem e estudo

dos conteúdos;

(E) a indisciplina dos alunos facilmente verificada nas

unidades escolares.

60- O medo, a insegurança e a violência passaram a fazer
parte da vida cotidiana. Assim, a violência tem invadido a
escola, dando origem a uma “Cultura da Violência”. Pode
ajudar no enfrentamento dessa problemática a:

(A) discussão da temática através de projetos pedagógicos,

envolvendo a comunidade;

(B) transferência da agressividade dos alunos para

processos de ritualização criados pela escola;

(C) adoção de procedimentos uniformes de vigilância e

punição;

(D) busca de práticas coletivas que definam o poder em

sala de aula e em outros espaços educativos;

(E) imposição de modelos mais rígidos nos diversos setores

da organização escolar.

nce-ufrj-2006-sead-mt-pedagogo-prova.pdf-html.html

    INFORMAÇÕES ADICIONAIS

Núcleo de Computação Eletrônica
Divisão de Concursos

Endereço: Prédio do CCMN, Bloco C

Ilha do Fundão - Cidade Universitária - Rio de Janeiro/RJ

Caixa Postal: 2324 - CEP 20010-974
Central de Atendimento: 0800 7273333 ou (21) 2598-3333
Informações: Dias úteis, de 9 h às 17 h (horário de Brasília)
Site: 

www.nce.ufrj.br

/concursos

Email: concursoufrj@nce.ufrj.br